AscensãO Dos Regimes TotalitáRios Na Europa 3

24.071 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
24.071
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
328
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
252
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

AscensãO Dos Regimes TotalitáRios Na Europa 3

  1. 1. Ascensão dos regimes totalitários na Europa
  2. 2. Pós primeira guerra:Europa <ul><li>Destruição material*Perdas humanas*Mutilações*Obscuridade cultural*Desemprego *Inflação </li></ul><ul><li>Greves e revoltas, mobilizações que contestavam a ordem liberal </li></ul><ul><li>Desenvolveram-se neste contexto movimentos antidemocráticos e próditatoriais, totalitarios e semitotalitários. </li></ul>
  3. 3. Fascismo italiano <ul><li>Criando uma força miliciana conhecida como “camisas negras”, os fascistas ganharam bastante popularidade em meio às contendas da economia nacional. </li></ul><ul><li>A demonstração de poder do movimento se deu quando, em 27 de outubro de 1922, os fascistas realizaram a Marcha sobre Roma. </li></ul><ul><li>A manifestação, que tomou as ruas da capital italiana, exigia que o rei Vitor Emanuel III passasse o poder para as mãos do Partido Nacional Fascista. Pressionado, a autoridade real chamou Benito Mussolini para compor o governo. </li></ul>
  4. 4. Fascistas no poder <ul><li>Inserido nas esferas de poder político central, os fascistas teriam a oportunidade de impor seu projeto político autoritário e centralizador. </li></ul><ul><li>Já nas eleições de 1924, os representantes políticos fascistas ganharam a maioria no parlamento. </li></ul><ul><li>Os socialistas, inconformados com as fraudes do processo eleitoral, denunciaram a estratégia antidemocrática fascista. Em resposta, o socialista Giacomo Matteotti foi brutalmente assassinado por partidários fascistas. </li></ul>
  5. 5. Mussolini <ul><li>Explicitando os princípios fascistas, o documento defendia um Estado corporativo onde a liderança soberana de Mussolini resolveria os problemas da Itália. No ano de 1926, um atentado sofrido por Mussolini foi a brecha utilizada para a fortificação do estado fascista. Explicitando os princípios fascistas, o documento defendia um Estado corporativo onde a liderança soberana de Mussolini resolveria os problemas da Itália. No ano de 1926, um atentado sofrido por Mussolini foi a brecha utilizada para a fortificação do estado fascista. já tomava ações no sentido de minar as instituições representativas. </li></ul><ul><li>O poder legislativo foi completamente enfraquecido e o novo governo publicou a Carta de Lavoro, que declarava as intenções da nova facção instalada no poder. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Tentando contornar a recessão econômica, o governo de Benito Mussolini passou a entrar na corrida imperialista. No ano de 1935, os exércitos italianos realizaram a ocupação da Etiópia. A pressão das demais potências capitalistas resultaria nas tensões que desaguaram na deflagração da Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945), momento em que Mussolini se aproxima do regime nazista alemão. </li></ul>
  7. 7. O Terceiro Reich <ul><li>Foi o nome adaptado no tempo em que vigorou o regime totalitário nazista (de 1933 a 1945) na Alemanha e no império formado pelas nações por ela conquistadas.Sob a liderança de Adolf Hitler, o Terceiro Reich impôs o partido único (Partido Nacional Socialista Alemão dos Trabalhadores) e a ideologia do Nationalsozialismus ou nazismo. </li></ul><ul><li>O nome Terceiro Reich designa o período histórico da existência da Alemanha Nazi. Vem na sequência do Sacro Império Romano-Germânico (dito o I Reich) e do Império Alemão (1871-1918) como o II Reich. </li></ul><ul><li>Isto foi feito para sugerir um regresso glorioso da Alemanha anterior à República de Weimar instaurada em 1919, mas que nunca foi dissolvida oficialmente pelo novo regime. </li></ul><ul><li>O partido Nazi procurou combinar símbolos tradicionais da Alemanha com seus próprio símbolos num esforço por reforçar a ideia de unidade entre os seus ideais e a Alemanha. </li></ul>
  8. 8. Símbolo da polícia política do nazismo: gestapo
  9. 9. Salazarismo em Portugal <ul><li>Portugal também passou por uma experiência de governo ditadorial. Ela ocorreu em 1928, quando Salazar foi convidado para organizar as finanças de República Portuguesa instalada em 1910. Salazar desenvolveu uma política apoiada no exército e na Igreja, e tinha por princípio defender &quot;a civilização cristã&quot; dos males da época: comunismo, internacionalismo, socialismo, etc. . </li></ul>
  10. 10. Franquismo na espanha <ul><li>Em abril de 1931, a República foi proclamada na Espanha. Seguiu-se um período conturbado e, em 1936, a esquerda assumiu o poder, por intermédio do grupo denominada Frente Popular. Esta vitória provocou uma série de conflitos, atemorizando a sociedade de maneira geal. Os militares tentaram articular um golpe de Estado sem atingirem êxito. No Marrocos espanhol, os insurretos conseguiram novos adeptos, mas foram controlados. A marinha espanhola, a região da Catalunha e as povíncias bascas (em reconhecimento pela auonomia conquistada com a República) permaneceram fiéis ao governo de Madri, sem condições, entretanto, de manter a defesa e a segurança do país. Por essa razão, o povo armou-se em milícia improvisadas, desencadeando-se a Guerra Civil que se prolongou por três anos. Formaram-se duas frentes de luta: as milícias de trabalhadores que apoiavam a República e o governo eleito; os grupos conservadores, monarquistas e militares golpistas. A guerra ganhou feições internacionais, pois os republicanos receberam apoio das brigadas internacionais (voluntários de todo o mundo ), especialmente da URSS; já os golpistas foram auxiliados pelos fascistas e nazistas. A Guerra Civil Espanhola só se concluiu em 1939, com a derrota da Frente Popular e a vitória do General Franco. Assumindo o poder, o governo espanhol adquiriu contornos autoritários, revelando semelhanças ao fascismo. Em 1937, foi criado o Partido Único, a Falange, que reunia forças que haviam apoiado o golpe militar e atuação de Franco durante a guerra. As idéias corporativistas do regime foram fixadas pelo Fuero del Trabajo, em que se enaltecia a família, o sindicato, o município. O franquismo contou, também, com o apoio da Igreja. </li></ul>
  11. 11. <ul><li>A organização do Estado Novo, em 1933, seguiu as tendências fascistas: defendia o corporativismo, combatia a democracia e a atividade parlamentar. Pelo &quot;Estatudo do Trabalho&quot; foram instalados sindicatos únicos e patronais, controlados pelo Estado. O Poder Executivo contava com a presença de uma Câmara Corporativa de caráter consultivo e de uma Assembléia Legislativa. Entretanto, o Poder Executivo possuía o direito de veto sobre todos os projetos votados pela Assembléia, assim como o direito de dissolvê-la, quando bem entendesse </li></ul>
  12. 12. A militarização japonesa

×