SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 12
Baixar para ler offline
Povos, países e nações
Distinguindo os conceitos
 É comum haver confusão entre os conceitos de
Estado, Nação e Governo. Muitas pessoas acreditam
que tais expressões possuem o mesmo significado,
entretanto, tratam-se de conceitos bem diferentes.
Conceito de Nação
 O conceito de Nação está ligado à identidade, à cultura e aos
aspectos históricos.
 Nação = Um agrupamento ou organização de uma sociedade que
partilha dos mesmos costumes, características, idioma, cultura e
que já possuem uma determinada tradição histórica.
 Nem sempre uma nação equivale a um Estado.
 A Espanha é um exemplo clássico de Estado multinacional. Existem
os espanhóis, mas também existem os catalães, uma nação
atualmente sem um Estado soberano e, portanto, sem um território
político definido, além dos bascos, navarros e alguns outros. A
maior parte dessas nações reivindica, inclusive, a criação de seus
Estados independentes, com a delimitação de seus respectivos
territórios, algo que ainda não foi conseguido.
 Outro exemplo de nação sem território são os Curdos, conhecidos por serem a
maior de todas as nações sem um Estado correspondente, de forma que seu
povo habita vários países situados ao longo do Oriente Médio, no continente
asiático. Essa nação vem solicitando a vários países e instituições
internacionais a criação de seu país, que se chamaria Curdistão.
 Muitos Estados, para garantirem o exercício de suas soberanias em seus
territórios, tentam criar entre os seus habitantes um sentimento nacional, a
ideia de que aquele país equivale a uma nação geral, o que costuma ser
chamado de nacionalismo. O estímulo ao nacionalismo é visto com bons
olhos por muitas pessoas no sentido de essas valorizarem os seus territórios e
suas populações, mas é preciso ter cuidado, pois os fatos históricos já
demonstraram que um nacionalismo extremo pode provocar uma onda de
fascismo. Nesse caso, o governo e até as pessoas passam a considerar que a sua
nação (ou “raça”) é naturalmente superior às demais, justificando ações bélicas
e formas de preconceito diversas, tal qual foi o caso do Nazismo na Alemanha
em meados do século XX.
Conceito de Estado
 Por Estado (instituição) entende-se a unidade administrativa de um
território. Não existe Estado sem território. O Estado é formado pelo
conjunto de instituições públicas que representam, organizam e
atendem (ao menos em tese) os anseios da população que habita o seu
território. Entre essas instituições, podemos citar o governo, as escolas,
as prisões, os hospitais públicos, o exército, dentre outras.
 Observamos também a existência de Estados com muitas nações e
algumas nações sem Estado constituído.
 A soberania territorial é exercida pelo Estado brasileiro. Perceba que
esse termo, com “E” maiúsculo, difere-se do estado (com “e”
minúsculo), que é apenas uma unidade federativa ou uma província do
país.
Conceito de Território
 Podemos compreender o território como sendo o espaço
geográfico apropriado e delimitado por relações de
soberania e poder. Na maioria dos casos, o território
possui fronteiras fixas e muito bem delimitadas. (Exemplo
do território brasileiro).
 Portanto, quando falamos, por exemplo, em “território
brasileiro” estamos falando de seu espaço delimitado
correspondente, delimitação essa exercida por meio de um
domínio que é reconhecido internacionalmente, o qual
chamamos de soberania.
 Por assim dizer, podemos entender que o Brasil
é soberano sobre o seu território, exercendo sobre ele a
sua vontade, ou seja, os interesses de seus habitantes.
Conceito de Estado-Nação
 Estado + Nação.
 Essencialmente formado por três elementos:
- Território.
- Povo (Habita o território do Estado e constitui a
nação).
- Soberania (Poder administrativo sobre o território).
O governo
 O governo seria apenas uma das instituições que
compõem o Estado, e é ele que possui a função de
administrar (exercer a soberania) desse Estado.
 Os governos mudam e podem apresentar diferentes
formas, que geralmente variam de um lugar para outro,
já os Estados não mudam, eles são permanentes.
 No Brasil temos o presidente da república, o líder
máximo do governo, por traz dele temos uma grande
equipe que é formada por ministros, secretários,
economistas, advogados e outros que formam o governo.
As formas de governo
 Monarquia e República são as duas formas de governo que
predominam atualmente.
 Monarquia = poder é exercido pelo rei, sucedido por descendência e
que exerce o cargo até a sua morte ou abdicação.
 República = poder é exercido por um presidente (presidencialismo)
ou primeiro-ministro (parlamentarismo) - eleitos por meio de
eleições diretas (diretamente por voto popular) ou indiretas (por
representantes escolhidos pelo povo, que compõem o chamado
colégio eleitoral).
 Na república as atividades de um governo são desempenhadas por
um prazo determinado.
República
 República presidencialista ou presidencialismo:
Presidente = acumula as funções de chefe de Estado e
chefe de governo.
- Escolhido por eleições diretas. Ex: Brasil, EUA.
 República parlamentarista ou parlamentarismo:
Presidente = responde à chefia de Estado.
Primeiro ministro, premier ou chanceler = chefia de
governo. (escolhido de forma indireta). Ex: Alemanha.
Monarquia Absolutista
 Este sistema de governo foi muito comum em países
da Europa durante a Idade Média e Moderna.
 Os monarcas governavam sem limites de poder.
 Com Revolução Francesa (1789), este sistema de
governo entrou em decadência, sendo substituído
pela República, na grande maioria dos países.
Monarquia Constitucional
 Com o progresso das ideias iluministas, o conceito de monarquia
absolutista, onde o rei tinha controle total sobre os destinos do estado
começou a ser questionado. A crença de que o soberano tinha direta
aprovação divina para governar do modo como bem desejasse era cada vez
mais posta em dúvida.
 Monarca é somente chefe de estado, ele tem um poder político reduzido
exercendo papel mais diplomático e figurativo.
 Para exercer as funções de chefe de governo é eleito um primeiro-ministro,
cujas ações são fiscalizadas por um parlamento.
 O primeiro ministro é escolhido pelo povo de maneira indireta.
Ex: Reino Unido, Holanda.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Estado nação - país - território - etnia - raça
Estado   nação - país - território - etnia - raçaEstado   nação - país - território - etnia - raça
Estado nação - país - território - etnia - raçaJulio Siqueira
 
Regionalização do espaço brasileiro fundamental
Regionalização do espaço brasileiro    fundamentalRegionalização do espaço brasileiro    fundamental
Regionalização do espaço brasileiro fundamentalAbner de Paula
 
Movimentos migratórios no brasil
Movimentos migratórios no brasilMovimentos migratórios no brasil
Movimentos migratórios no brasilFernanda Lopes
 
A Regionalização da América
A Regionalização da AméricaA Regionalização da América
A Regionalização da AméricaCadernizando
 
A regionalização e as divisões regionais no brasil
A regionalização e as divisões regionais no brasilA regionalização e as divisões regionais no brasil
A regionalização e as divisões regionais no brasilProfessor
 
O lugar e a paisagem 6º ano 2015
O lugar e a paisagem 6º ano 2015O lugar e a paisagem 6º ano 2015
O lugar e a paisagem 6º ano 2015Jaciane Anizio
 
O Brasil no mundo - 7º Ano (2017)
O Brasil no mundo - 7º Ano (2017)O Brasil no mundo - 7º Ano (2017)
O Brasil no mundo - 7º Ano (2017)Nefer19
 
América anglo saxônica
América anglo saxônicaAmérica anglo saxônica
América anglo saxônicaProfessor
 
9º Ano - Módulo 01 - Aula 02 - Globalização e Indústria - Um longo processo.
9º Ano - Módulo 01 - Aula 02 - Globalização e Indústria - Um longo processo.9º Ano - Módulo 01 - Aula 02 - Globalização e Indústria - Um longo processo.
9º Ano - Módulo 01 - Aula 02 - Globalização e Indústria - Um longo processo.Cléber Figueiredo Beda de Ávila
 
Organizações internacionais mundiais
Organizações internacionais mundiaisOrganizações internacionais mundiais
Organizações internacionais mundiaisJane Mary Lima Castro
 
Aula Sobre GeopolÍtica E Conflitos Internacionais
Aula Sobre GeopolÍtica E Conflitos InternacionaisAula Sobre GeopolÍtica E Conflitos Internacionais
Aula Sobre GeopolÍtica E Conflitos InternacionaisProfMario De Mori
 
Formação Territorial Do Brasil
Formação Territorial Do BrasilFormação Territorial Do Brasil
Formação Territorial Do BrasilLuciano Pessanha
 

Mais procurados (20)

Geopolítica e ordens mundiais I
Geopolítica e ordens mundiais IGeopolítica e ordens mundiais I
Geopolítica e ordens mundiais I
 
Estado nação - país - território - etnia - raça
Estado   nação - país - território - etnia - raçaEstado   nação - país - território - etnia - raça
Estado nação - país - território - etnia - raça
 
Regionalização do espaço brasileiro fundamental
Regionalização do espaço brasileiro    fundamentalRegionalização do espaço brasileiro    fundamental
Regionalização do espaço brasileiro fundamental
 
Movimentos migratórios no brasil
Movimentos migratórios no brasilMovimentos migratórios no brasil
Movimentos migratórios no brasil
 
População brasileira
População brasileiraPopulação brasileira
População brasileira
 
Capitalismo e socialismo
Capitalismo e socialismoCapitalismo e socialismo
Capitalismo e socialismo
 
Cartografia
CartografiaCartografia
Cartografia
 
A Regionalização da América
A Regionalização da AméricaA Regionalização da América
A Regionalização da América
 
A regionalização e as divisões regionais no brasil
A regionalização e as divisões regionais no brasilA regionalização e as divisões regionais no brasil
A regionalização e as divisões regionais no brasil
 
As categorias da geografia
As categorias da geografiaAs categorias da geografia
As categorias da geografia
 
Geografia política e geopolítica
Geografia política e geopolíticaGeografia política e geopolítica
Geografia política e geopolítica
 
O lugar e a paisagem 6º ano 2015
O lugar e a paisagem 6º ano 2015O lugar e a paisagem 6º ano 2015
O lugar e a paisagem 6º ano 2015
 
O Brasil no mundo - 7º Ano (2017)
O Brasil no mundo - 7º Ano (2017)O Brasil no mundo - 7º Ano (2017)
O Brasil no mundo - 7º Ano (2017)
 
oriente medio
oriente mediooriente medio
oriente medio
 
Conceitos Da Geografia
Conceitos Da GeografiaConceitos Da Geografia
Conceitos Da Geografia
 
América anglo saxônica
América anglo saxônicaAmérica anglo saxônica
América anglo saxônica
 
9º Ano - Módulo 01 - Aula 02 - Globalização e Indústria - Um longo processo.
9º Ano - Módulo 01 - Aula 02 - Globalização e Indústria - Um longo processo.9º Ano - Módulo 01 - Aula 02 - Globalização e Indústria - Um longo processo.
9º Ano - Módulo 01 - Aula 02 - Globalização e Indústria - Um longo processo.
 
Organizações internacionais mundiais
Organizações internacionais mundiaisOrganizações internacionais mundiais
Organizações internacionais mundiais
 
Aula Sobre GeopolÍtica E Conflitos Internacionais
Aula Sobre GeopolÍtica E Conflitos InternacionaisAula Sobre GeopolÍtica E Conflitos Internacionais
Aula Sobre GeopolÍtica E Conflitos Internacionais
 
Formação Territorial Do Brasil
Formação Territorial Do BrasilFormação Territorial Do Brasil
Formação Territorial Do Brasil
 

Semelhante a Estados, nações e governos

Estado, território e nação
Estado, território e naçãoEstado, território e nação
Estado, território e naçãoJoão Couto
 
Brasil Conteudo para 3ª série Médio
Brasil Conteudo para 3ª série MédioBrasil Conteudo para 3ª série Médio
Brasil Conteudo para 3ª série Médioeunamahcado
 
Texto escolar3anoestadonacaoterritoriofronteiraspoliticas(1)
Texto escolar3anoestadonacaoterritoriofronteiraspoliticas(1)Texto escolar3anoestadonacaoterritoriofronteiraspoliticas(1)
Texto escolar3anoestadonacaoterritoriofronteiraspoliticas(1)echechurry
 
Organização política de um país
Organização política de um paísOrganização política de um país
Organização política de um paísAndressa Joao Bidoia
 
áRea De IntegraçãO
áRea De IntegraçãOáRea De IntegraçãO
áRea De IntegraçãORita
 
Proclamação da República
Proclamação da RepúblicaProclamação da República
Proclamação da RepúblicaLuiz Valentim
 
estado-naoterritrioepoder-150808235120-lva1-app6891.pptx
estado-naoterritrioepoder-150808235120-lva1-app6891.pptxestado-naoterritrioepoder-150808235120-lva1-app6891.pptx
estado-naoterritrioepoder-150808235120-lva1-app6891.pptxsilvana maciel
 
Aula 06 11 - o estado parte ii
Aula 06  11 - o estado parte iiAula 06  11 - o estado parte ii
Aula 06 11 - o estado parte iiDenise A.
 
Aula 06 11 - o estado parte ii
Aula 06  11 - o estado parte iiAula 06  11 - o estado parte ii
Aula 06 11 - o estado parte iiDenise A.
 
Aula 06 11 - o estado parte ii
Aula 06  11 - o estado parte iiAula 06  11 - o estado parte ii
Aula 06 11 - o estado parte iiDenise A.
 
Conceitos de Geopolítica
Conceitos de GeopolíticaConceitos de Geopolítica
Conceitos de GeopolíticaMarco Santos
 
Estado e governo blog
Estado e governo   blogEstado e governo   blog
Estado e governo blogdinicmax
 
teoria geral do estado
teoria geral do estadoteoria geral do estado
teoria geral do estadoAmujacy Neto
 

Semelhante a Estados, nações e governos (20)

Estado.pptx
Estado.pptxEstado.pptx
Estado.pptx
 
Estado, território e nação
Estado, território e naçãoEstado, território e nação
Estado, território e nação
 
Brasil Conteudo para 3ª série Médio
Brasil Conteudo para 3ª série MédioBrasil Conteudo para 3ª série Médio
Brasil Conteudo para 3ª série Médio
 
Texto escolar3anoestadonacaoterritoriofronteiraspoliticas(1)
Texto escolar3anoestadonacaoterritoriofronteiraspoliticas(1)Texto escolar3anoestadonacaoterritoriofronteiraspoliticas(1)
Texto escolar3anoestadonacaoterritoriofronteiraspoliticas(1)
 
Organização política de um país
Organização política de um paísOrganização política de um país
Organização política de um país
 
Aula 14 - Estado Nacional e Poder Político
Aula 14 - Estado Nacional e Poder PolíticoAula 14 - Estado Nacional e Poder Político
Aula 14 - Estado Nacional e Poder Político
 
áRea De IntegraçãO
áRea De IntegraçãOáRea De IntegraçãO
áRea De IntegraçãO
 
2014 nação-povo-estado-territorio
2014 nação-povo-estado-territorio2014 nação-povo-estado-territorio
2014 nação-povo-estado-territorio
 
Proclamação da República
Proclamação da RepúblicaProclamação da República
Proclamação da República
 
3_serie_geo.pptx
3_serie_geo.pptx3_serie_geo.pptx
3_serie_geo.pptx
 
estado-naoterritrioepoder-150808235120-lva1-app6891.pptx
estado-naoterritrioepoder-150808235120-lva1-app6891.pptxestado-naoterritrioepoder-150808235120-lva1-app6891.pptx
estado-naoterritrioepoder-150808235120-lva1-app6891.pptx
 
Aula 06 11 - o estado parte ii
Aula 06  11 - o estado parte iiAula 06  11 - o estado parte ii
Aula 06 11 - o estado parte ii
 
Aula 06 11 - o estado parte ii
Aula 06  11 - o estado parte iiAula 06  11 - o estado parte ii
Aula 06 11 - o estado parte ii
 
Aula 06 11 - o estado parte ii
Aula 06  11 - o estado parte iiAula 06  11 - o estado parte ii
Aula 06 11 - o estado parte ii
 
Conceitos de Geopolítica
Conceitos de GeopolíticaConceitos de Geopolítica
Conceitos de Geopolítica
 
República
RepúblicaRepública
República
 
Texto aula
Texto aula Texto aula
Texto aula
 
Estado e governo blog
Estado e governo   blogEstado e governo   blog
Estado e governo blog
 
teoria geral do estado
teoria geral do estadoteoria geral do estado
teoria geral do estado
 
Unidade 1
Unidade 1Unidade 1
Unidade 1
 

Mais de Frederico Marques Sodré

BIODIVERSIDADE - 2ª SÉRIE - BIOLOGIA.pptx
BIODIVERSIDADE - 2ª SÉRIE - BIOLOGIA.pptxBIODIVERSIDADE - 2ª SÉRIE - BIOLOGIA.pptx
BIODIVERSIDADE - 2ª SÉRIE - BIOLOGIA.pptxFrederico Marques Sodré
 
O menino e o foguete - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
O menino e o foguete - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú O menino e o foguete - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
O menino e o foguete - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú Frederico Marques Sodré
 
O cabelo da menina - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
O cabelo da menina - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú O cabelo da menina - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
O cabelo da menina - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú Frederico Marques Sodré
 
Azizi, o menino viajante - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
Azizi, o menino viajante - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú Azizi, o menino viajante - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
Azizi, o menino viajante - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú Frederico Marques Sodré
 
A menina das estrelas - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
A menina das estrelas - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú A menina das estrelas - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
A menina das estrelas - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú Frederico Marques Sodré
 
Caderno do Futuro Língua Portuguesa 7º Ano
Caderno do Futuro Língua Portuguesa 7º AnoCaderno do Futuro Língua Portuguesa 7º Ano
Caderno do Futuro Língua Portuguesa 7º AnoFrederico Marques Sodré
 
Caderno do Futuro Língua Portuguesa 6º Ano
Caderno do Futuro Língua Portuguesa 6º AnoCaderno do Futuro Língua Portuguesa 6º Ano
Caderno do Futuro Língua Portuguesa 6º AnoFrederico Marques Sodré
 
Mapa conceitual Absolutismo e Mercantilismo
Mapa conceitual Absolutismo e MercantilismoMapa conceitual Absolutismo e Mercantilismo
Mapa conceitual Absolutismo e MercantilismoFrederico Marques Sodré
 

Mais de Frederico Marques Sodré (20)

INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA HISTÓRIA.pptx
INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA HISTÓRIA.pptxINTRODUÇÃO AO ESTUDO DA HISTÓRIA.pptx
INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA HISTÓRIA.pptx
 
BIODIVERSIDADE - 2ª SÉRIE - BIOLOGIA.pptx
BIODIVERSIDADE - 2ª SÉRIE - BIOLOGIA.pptxBIODIVERSIDADE - 2ª SÉRIE - BIOLOGIA.pptx
BIODIVERSIDADE - 2ª SÉRIE - BIOLOGIA.pptx
 
Slide Santa Rita do Novo Destino
Slide Santa Rita do Novo DestinoSlide Santa Rita do Novo Destino
Slide Santa Rita do Novo Destino
 
O menino e o foguete - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
O menino e o foguete - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú O menino e o foguete - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
O menino e o foguete - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
 
O cabelo da menina - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
O cabelo da menina - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú O cabelo da menina - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
O cabelo da menina - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
 
Azizi, o menino viajante - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
Azizi, o menino viajante - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú Azizi, o menino viajante - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
Azizi, o menino viajante - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
 
A menina das estrelas - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
A menina das estrelas - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú A menina das estrelas - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
A menina das estrelas - Coleção Leia para Uma Criança - Itaú
 
Caderno do Futuro Língua Portuguesa 7º Ano
Caderno do Futuro Língua Portuguesa 7º AnoCaderno do Futuro Língua Portuguesa 7º Ano
Caderno do Futuro Língua Portuguesa 7º Ano
 
Caderno do Futuro Língua Portuguesa 6º Ano
Caderno do Futuro Língua Portuguesa 6º AnoCaderno do Futuro Língua Portuguesa 6º Ano
Caderno do Futuro Língua Portuguesa 6º Ano
 
Mapa Conceitual Revoltas Regenciais
Mapa Conceitual Revoltas Regenciais  Mapa Conceitual Revoltas Regenciais
Mapa Conceitual Revoltas Regenciais
 
Mapa Conceitual República Velha
Mapa Conceitual República VelhaMapa Conceitual República Velha
Mapa Conceitual República Velha
 
Mapa Conceitual Sociedade Francesa XVIII
Mapa Conceitual Sociedade Francesa XVIIIMapa Conceitual Sociedade Francesa XVIII
Mapa Conceitual Sociedade Francesa XVIII
 
Mapa conceitual Absolutismo e Mercantilismo
Mapa conceitual Absolutismo e MercantilismoMapa conceitual Absolutismo e Mercantilismo
Mapa conceitual Absolutismo e Mercantilismo
 
Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
 
Absolutismo e mercantilismo
Absolutismo e mercantilismoAbsolutismo e mercantilismo
Absolutismo e mercantilismo
 
A origem da filosofia
A origem da filosofiaA origem da filosofia
A origem da filosofia
 
Reforma Protestante e Contrarreforma
Reforma Protestante e ContrarreformaReforma Protestante e Contrarreforma
Reforma Protestante e Contrarreforma
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
 
O Populismo no Brasil
O Populismo no BrasilO Populismo no Brasil
O Populismo no Brasil
 
O Feudalismo
O FeudalismoO Feudalismo
O Feudalismo
 

Último

Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsxGilbraz Aragão
 
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfPARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfceajajacu
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesGilbraz Aragão
 
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdfmúsica paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdfWALDIRENEPINTODEMACE
 
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdfAula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdfaulasgege
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...MANUELJESUSVENTURASA
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º BimestreProfaCintiaDosSantos
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evoluçãoprofleticiasantosbio
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTEJoaquim Colôa
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 

Último (20)

Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil  2023.ppsxA área de ciências da religião no brasil  2023.ppsx
A área de ciências da religião no brasil 2023.ppsx
 
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfPARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
Modelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das ReligiõesModelos Evolutivos em História das Religiões
Modelos Evolutivos em História das Religiões
 
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdfmúsica paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
música paródia cmsp conteúdo 1 bimestre.pdf
 
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdfAula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
Aula - 1º Ano - Ciência, Pesquisa e Sociologia.pdf
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
 
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 

Estados, nações e governos

  • 1. Povos, países e nações
  • 2. Distinguindo os conceitos  É comum haver confusão entre os conceitos de Estado, Nação e Governo. Muitas pessoas acreditam que tais expressões possuem o mesmo significado, entretanto, tratam-se de conceitos bem diferentes.
  • 3. Conceito de Nação  O conceito de Nação está ligado à identidade, à cultura e aos aspectos históricos.  Nação = Um agrupamento ou organização de uma sociedade que partilha dos mesmos costumes, características, idioma, cultura e que já possuem uma determinada tradição histórica.  Nem sempre uma nação equivale a um Estado.  A Espanha é um exemplo clássico de Estado multinacional. Existem os espanhóis, mas também existem os catalães, uma nação atualmente sem um Estado soberano e, portanto, sem um território político definido, além dos bascos, navarros e alguns outros. A maior parte dessas nações reivindica, inclusive, a criação de seus Estados independentes, com a delimitação de seus respectivos territórios, algo que ainda não foi conseguido.
  • 4.  Outro exemplo de nação sem território são os Curdos, conhecidos por serem a maior de todas as nações sem um Estado correspondente, de forma que seu povo habita vários países situados ao longo do Oriente Médio, no continente asiático. Essa nação vem solicitando a vários países e instituições internacionais a criação de seu país, que se chamaria Curdistão.  Muitos Estados, para garantirem o exercício de suas soberanias em seus territórios, tentam criar entre os seus habitantes um sentimento nacional, a ideia de que aquele país equivale a uma nação geral, o que costuma ser chamado de nacionalismo. O estímulo ao nacionalismo é visto com bons olhos por muitas pessoas no sentido de essas valorizarem os seus territórios e suas populações, mas é preciso ter cuidado, pois os fatos históricos já demonstraram que um nacionalismo extremo pode provocar uma onda de fascismo. Nesse caso, o governo e até as pessoas passam a considerar que a sua nação (ou “raça”) é naturalmente superior às demais, justificando ações bélicas e formas de preconceito diversas, tal qual foi o caso do Nazismo na Alemanha em meados do século XX.
  • 5. Conceito de Estado  Por Estado (instituição) entende-se a unidade administrativa de um território. Não existe Estado sem território. O Estado é formado pelo conjunto de instituições públicas que representam, organizam e atendem (ao menos em tese) os anseios da população que habita o seu território. Entre essas instituições, podemos citar o governo, as escolas, as prisões, os hospitais públicos, o exército, dentre outras.  Observamos também a existência de Estados com muitas nações e algumas nações sem Estado constituído.  A soberania territorial é exercida pelo Estado brasileiro. Perceba que esse termo, com “E” maiúsculo, difere-se do estado (com “e” minúsculo), que é apenas uma unidade federativa ou uma província do país.
  • 6. Conceito de Território  Podemos compreender o território como sendo o espaço geográfico apropriado e delimitado por relações de soberania e poder. Na maioria dos casos, o território possui fronteiras fixas e muito bem delimitadas. (Exemplo do território brasileiro).  Portanto, quando falamos, por exemplo, em “território brasileiro” estamos falando de seu espaço delimitado correspondente, delimitação essa exercida por meio de um domínio que é reconhecido internacionalmente, o qual chamamos de soberania.  Por assim dizer, podemos entender que o Brasil é soberano sobre o seu território, exercendo sobre ele a sua vontade, ou seja, os interesses de seus habitantes.
  • 7. Conceito de Estado-Nação  Estado + Nação.  Essencialmente formado por três elementos: - Território. - Povo (Habita o território do Estado e constitui a nação). - Soberania (Poder administrativo sobre o território).
  • 8. O governo  O governo seria apenas uma das instituições que compõem o Estado, e é ele que possui a função de administrar (exercer a soberania) desse Estado.  Os governos mudam e podem apresentar diferentes formas, que geralmente variam de um lugar para outro, já os Estados não mudam, eles são permanentes.  No Brasil temos o presidente da república, o líder máximo do governo, por traz dele temos uma grande equipe que é formada por ministros, secretários, economistas, advogados e outros que formam o governo.
  • 9. As formas de governo  Monarquia e República são as duas formas de governo que predominam atualmente.  Monarquia = poder é exercido pelo rei, sucedido por descendência e que exerce o cargo até a sua morte ou abdicação.  República = poder é exercido por um presidente (presidencialismo) ou primeiro-ministro (parlamentarismo) - eleitos por meio de eleições diretas (diretamente por voto popular) ou indiretas (por representantes escolhidos pelo povo, que compõem o chamado colégio eleitoral).  Na república as atividades de um governo são desempenhadas por um prazo determinado.
  • 10. República  República presidencialista ou presidencialismo: Presidente = acumula as funções de chefe de Estado e chefe de governo. - Escolhido por eleições diretas. Ex: Brasil, EUA.  República parlamentarista ou parlamentarismo: Presidente = responde à chefia de Estado. Primeiro ministro, premier ou chanceler = chefia de governo. (escolhido de forma indireta). Ex: Alemanha.
  • 11. Monarquia Absolutista  Este sistema de governo foi muito comum em países da Europa durante a Idade Média e Moderna.  Os monarcas governavam sem limites de poder.  Com Revolução Francesa (1789), este sistema de governo entrou em decadência, sendo substituído pela República, na grande maioria dos países.
  • 12. Monarquia Constitucional  Com o progresso das ideias iluministas, o conceito de monarquia absolutista, onde o rei tinha controle total sobre os destinos do estado começou a ser questionado. A crença de que o soberano tinha direta aprovação divina para governar do modo como bem desejasse era cada vez mais posta em dúvida.  Monarca é somente chefe de estado, ele tem um poder político reduzido exercendo papel mais diplomático e figurativo.  Para exercer as funções de chefe de governo é eleito um primeiro-ministro, cujas ações são fiscalizadas por um parlamento.  O primeiro ministro é escolhido pelo povo de maneira indireta. Ex: Reino Unido, Holanda.