Unidade 1 Texto 2 O Processo De ComunicaçãO

27.478 visualizações

Publicada em

O processo da comunicação - texto 2 (Unidade 1)

Publicada em: Turismo

Unidade 1 Texto 2 O Processo De ComunicaçãO

  1. 1. Universidade Estadual de Montes Claros Curso de Letras Português – Disciplina: Informática aplicada à educação Professor: Filomeno Bida de Oliveira Júnior UNIDADE I – SOCIEDADE E TECNOLOGIA Texto 2 O Processo da Comunicação Grande parte das horas que passamos acordados são gastas com atividades de comunicação, tais como falar, ouvir, ler, escrever, etc. Podemos observar que o trabalho de diversos profissionais baseia-se muito mais na comunicação com outras pessoas que na relação com máquinas e produtos. Nesse sentido, conhecer bem o processo de comunicação passa a ter um significado importante em nossas vidas, pois esse conhecimento constitui uma forma de aprimorar nossa capacidade de transmitir informações a outras pessoas e, ainda, de compreender suas reações ao receberem as mensagens que lhes transmitimos. Assim, podemos afirmar, sem exagero, que a comunicação é a própria essência do relacionamento humano. É através dela que os seres humanos trocam ou não suas mensagens e, assim, afetam reciprocamente suas vidas. É fato que os problemas sociais mais prementes dizem respeito às relações entre pessoas e que estas, são uma parte essencial e central da natureza humana. O processo interpessoal da comunicação envolve trocas verbais e não verbais de informações e idéias. Não se refere somente ao conteúdo, mas também aos sentimentos e emoções que as pessoas podem transmitir em um relacionamento. A comunicação total envolve diferentes formas de expressão: palavras, imagens e sons com diversos significados. Linguagens verbais e não-verbais, linguagem do corpo, linguagem da ação, todas de grande importância na formação do homem. Elementos do processo da comunicação De acordo com Aristóteles, que no século III a.C. já discutia sobre a comunicação interpessoal, para se iniciar o processo comunicativo, o emissor envia uma mensagem. O receptor, por sua vez, recebe a mensagem e decifra-a com o objetivo de entendê-la. Mas, para que ocorra o processo comunicativo o receptor deve emitir uma resposta ao emissor. A lingüística, ciência que estuda as línguas nas suas mútuas relações e nos seus princípios, também se preocupou em explicar o processo comunicacional. O princípio dos estudos lingüísticos acerca da comunicação verbal remontam ao início da década de 20 do século passado, quando um grupo de lingüistas se reuniram e formaram o Círculo lingüístico de Praga. Outro estudioso, Roman Jakobson, elaborou a definição do ato de comunicação verbal. Para o autor seria imprescindível a presença de seis elementos fundamentais para a ocorrência de um ato de comunicação verbal. Estes elementos fundamentais da comunicação verbal são: remetente, destinatário, contexto, mensagem, contato e código. Remetente (ou emissor): indivíduo ou grupo que envia uma mensagem a um ou mais receptores. Destinatário (ou receptor): indivíduo ou grupo que recebe a mensagem. Mensagem: é o ato da fala, conjunto de enunciados. Falar significa selecionar e combinar signos. Portanto a mensagem é a seleção e combinação de signos realizada por um determinado indivíduo. Mensagem é a coisa concreta que se passa para o receptor. Contexto (ou referente): é o conteúdo, assunto, da mensagem. Corresponde à terceira pessoa do discurso. Que é algo ou alguém de que se fala. O contexto é o objeto da mensagem. Código: é a língua com que se fala. O código é o instrumento da fala. Código é um conjunto de signos convencionais e sua sintaxe, que deve ser total ou parcialmente comum ao emissor e ao receptor. Canal: é o meio físico por onde passa a mensagem entre o emissor e o receptor. O meio físico pode ser sonoro ou visual. Canal também é a conexão psicológica entre emissor e receptor. O processo de comunicação envolvendo estes seis elementos ocorre da seguinte maneira: o emissor envia uma mensagem ao receptor. Esta mensagem possui um referente, ou alguém a que se refere, suscetível de ser verbalizado, e que deverá ser apreendido pelo destinatário. No entanto, para que isto ocorra também é necessário que o emissor e o receptor disponham de um código comum, no todo ou em parte, e que exista entre ambos um contato, uma conexão física ou psicológica. A troca de mensagens entre o emissor e o receptor pode ser alterada ou influenciada dependendo do contexto em que eles estejam vivendo, sendo assim, o contexto é um importante componente da comunicação. A comunicação engloba todas as formas que uma pessoa utiliza para afetar o outro: verbal (falada e escrita) e não verbal (cinésia, toque e territorialidade) e paraverbal. A forma de transmitir uma mensagem sobre a
  2. 2. qual temos consciência é a verbal ou lingüistica, e se refere à linguagem falada ou escrita. A linguagem é fortemente influenciada pela cultura e grande parte das confusões e incomunicações que ocorrem entre as pessoas tem como origem a própria linguagem. Entretanto, as incomunicações também podem ocorrer em certas situações onde a palavra pode até ser do conhecimento do emissor e do receptor, porém ter um significado diferente para cada um deles. Desta forma pode-se perceber que, se não estivermos atentos a todos os aspectos da comunicação, o processo comunicativo não ocorrerá, ou será ineficiente, causando frustração aos interlocutores. A estes aspectos dá-se o nome de barreiras da comunicação. Estas são: falta de capacidade de concentração, a pressuposição do entendimento, ausência de significado comum, influência de mecanismos inconscientes e limitação do emissor/receptor. Meios de comunicação Dentre os principais meios/instrumentos que facilitam a comunicação entre os homens podemos citar: cartas, jornal (escrito e falado), televisão, rádio, telefone, computador, Internet, cinema, música, livros, fotografias, etc. Determinados meios de comunicação podem ser classificados como “comunicação de massa”. Nela, as mensagens são transmitidas para grande número de pessoas ou parcelas significativas da população. Por seu alto grau de sofisticação tecnológica, seu funcionamento em escala empresarial e industrial e as condições mais amplas, os meios de comunicação de massa produzem e disseminam informações e entretenimento para um público potencialmente universal, exercendo forte influência na vida política, econômica e cultural. O termo “comunicação de massa” geralmente se refere à imprensa (jornais e revistas) e aos meios de radiodifusão (televisão e rádio), mas também pode incluir o cinema, a indústria fonográfica e mesmo a fotografia e a edição de livros. Evolução dos meios de comunicação Com a evolução dos meios de comunicação mediáticos (difundidos pela mídia), no final do século XX, ocorre o agrupamento de todas as tecnologias anteriores (a escrita, o jornal, o rádio, o televisor, etc.). Surge uma tecnologia mais eficaz, que oferece todas as possibilidades já exploradas na imprensa, no rádio, na televisão, operando uma ultrapassagem: a possibilidade de interação e a velocidade com que tudo ocorre. O indivíduo não fica somente no papel de receptor passivo. Há a possibilidade de escolha, há decisões a serem tomadas. O volume de informações emitidas é maior, bem como a rapidez com que chegam aos lares, oportunizando-se situações que as tecnologias anteriores não possibilitavam. As tecnologias da informação e comunicação (TIC), têm introduzido novas maneiras de se comunicar, configurando-se um outro tipo de escrita que exige um novo aprendizado. O indivíduo não conta apenas com o papel, a caneta e o dicionário, mas escreve num teclado, lê numa tela e seu texto é corrigido pelo auto-corretor de textos que lhe aponta as possíveis formas corretas. Para dominar a nova técnica, ele efetua processos de compreensão mentais mais complexos, diferente daquela do papel que ele já dominava. O indivíduo depara-se com uma escrita não linear. Pode fazer uso de imagens, palavras e sons simultaneamente, possui mobilidade espacial. Tudo isso facilita o processo de produção. A utilização de materiais diversos para ampliar ou representar um texto dão ao mesmo um aspecto lúdico que transforma o ato de ler e escrever numa aprendizagem em forma de jogo. Essas tecnologias acabam por criar novas possibilidades de interlocução escrita com pessoas distantes geograficamente umas das outras: por e-mail, enviando-se mensagens que ora se assemelham a bilhetes, ora a cartas, em tempo não-real, ou, ainda em chats, nos quais se pode conversar em tempo real com pessoas dos lugares mais longínquos do planeta. Criam-se, assim, se não novos gêneros, pelo menos modificações nos gêneros já existentes. Exemplo disso acontece com o advento da Internet, onde pode-se ler o jornal de qualquer parte do mundo, assistir a uma entrevista, participar de conferências, ouvir músicas das mais longínquas regiões do planeta, trocar correspondências, ler, discutir, conversar, tudo em um único aparelho, uma “máquina comunicacional” chamada computador. Máquina que está conectada a milhares de outras, formando uma complexa rede, um rizoma informacional. Referência bibliográfica  RODRIGUES, R. M Comunicação Digital. Disponível em <http://comunicacaodigital.hpvip.com.br/comintegrada/jornalismo.htm> Acesso 17/02/2008  NEITZEL, L. C. Evolução dos meios de comunicação .Disponível em <http://www.geocities.com/Athens/Sparta/1350/evolucao_comunic.htm > Acesso 17/02/2008  LUCHESI, F. O que é um ato de comunicação verbal segundo a teoria lingüística apresentada por Roman Jakobson no texto: “Linguística e Poética”. Disponível em <http://www.dglnet.com.br/users/amkhi/romanjakobson.html> Acesso 17/02/2008
  3. 3.  SILVA, O. O que é comunicação. Disponível em <http://geocities.yahoo.com.br/modosemaneiras/ rh_comunicacão.htm> Acesso 17/02/2008

×