SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 26
Baixar para ler offline
Amigo é o vinho mais tinto
O vinho mais branco
É água de afago
O rio mais manso
Amigo é o caminho
Mais leve
O lugar mais seguro
É clareira no tempo
É fogueira de mel. ( Roseana Murray)
 Simples
O álcool é mais barato do que a gasolina
 Metafórica
Você é tão forte como um touro.
O remédio é ruim feito o diabo.
 Somos um exército. Um exército de um
homem só. (Engenheiros do Havaí)
 Quando o que eu mais queria era provar pra
todo mundo que eu nao precisava provar
nada pra ninguém. (Renato Russo)
 As tranças de um careca; A volta dos que não
foram; Poeira em alto mar; Perigo na curva
reta; Incêndia na caixa d’água.
 “Tristeza não tem fim, felicidade sim”
(Vinícius de Moraes)
 Eu preparo uma canção que faça acordar os
homens, e adormecer as crianças.
(Drummond)
 Há de surgir uma estrela no céu que cada vez
que você sorrir, há de apagar uma estrela no
céu cada vez que você chorar. (Gilberto Gil)
 Amo ler Camões.
 O brasileiro faz graça na desgraça.
 Ela é boa de garfo.
 João devora todos os pratos, e bebe muita
Coca.
 Grandes chaminés dominam as grandes
cidades.
 “E rir meu riso e derramar meu pranto”
(Vinícius de Moraes)
 E quem sabes sonhavas meus sonhos por
mim (Cartola)
 Olha aqui pra você ver.
A cidade luz continua atraindo a milhões de
turistas.
O rei do futebol marcou a história do nosso
país.
“Não fique à toa
Dê um jeito maneiro
De abraçar a Cidade Maravilhosa”
 O pé da mesa quebrou.
 A cabeça da ponte está se movendo.
 A perna do sofá está fraca.
 A asa da xícara.
 Moça linda, bem tratada, três séculos de
família, burra como uma porta: um amor.
(Mário de Andrade)
 Cada vez que você me interrompe, sem pedir
licença, vejo a sua educação
 Marcela amou-me durante quinze meses e
onze contos de réis. (Machado)
 O aluno Joao Roberto não está mais entre
nós.
 Aqueles homens públicos apropriam-se do
dinheiro.
 O médico comunicou a família que ela estava
com a doença ruim.
Ele morreu de rir ao ouvir a piada.
Rios te correrão dos olhos, se chorares. (Olavo
Bilac)
Maria sempre diz à sua mãe que está morrendo
de fome.
 A vida, o céu, o mar, o infinito, tudo parecia
sem graça longe dela.
 A distribuição de alimentos para os
refugiados parecia uma luta, uma batalha,
uma guerra
Oh! Não aguardes, que a madura idade,
Te converta essa flor, essa beleza,
Em terra, em cinza, em pó, em sombra, em
nada.
(Gregório de Matos)
 Andorinha lá fora está dizendo:
- Passei o dia à toa, à toa. (Manuel Bandeira)
“A lua,
Tal qual a dona de um bordel,
Pedia a cada estrela fria
Um brilho de aluguel” (Aldir Blanc)
 “Dirigiu-lhe uma palavra branca e fria
como agradecimento”.
 “Os carinhos de Godofredo não tinham
mais gosto dos primeiros tempos”. (Autran
Machado)
 “As falas sentidas, que os olhos falavam
Não quero, não posso, não devo contar”.
(Casimiro de Abreu)
 “O sol de outono caía com uma luz pálida e
macia”.
Vozes veladas, veludosas vozes,
Volúpia dos violões, vozes veladas,
Vagam nos velhos vórtices velozes
Dos ventos, vivas, vãs, vulcanizadas. (Cruz e
Souza)
O peito do pé de Pedro é preto.
O rato roeu a roupa do Rei do Roma.
“Se eu quero eu não tenho
O que eu não tenho quero ter
Não posso ter o que não quero
E acho que isso não tem nada a ver”
O miado dos gatos desaparecem com o tic-tac do
relógio e o
au-au dos cachorros
Penso com os olhos e com os ouvidos
E com as mãos e os pés
E com o nariz e a boca. (Pessoa)
E a noite é negra
E estrelas não brilham
E pessoas mascaram a voz e a dor
E expõem o rosto ao risco e à solidão.
 Vai, viemos, viemos. (Guimarães Rosa)
 Eis que Maria já não quis João, foi-se a outro
país, viveu, divertiu-se, casou-se com outro,
voltou, encontrou a paz, viveu, viveu, viveu...
Vi os navios irem e voltarem.
Vi os infelizes irem e voltarem.
Vi os homens obesos dentro do fogo.
Vi ziguezagues na escuridão.
“Depois o areal extenso...
Depois o oceano de pó...
Depois no horizonte imenso
Desertos... Desertos só... (Castro Alves)
 Naquele país, muitos políticos corruptos.
 Na terra, tanta guenrra, tanto engano, tanta
necessidade aborrecida.
 Necessito de vida nova.
 Gênero
São Paulo é linda.
Sua Excelência está enganado.
 Número
Um bando de moleques gritavam.
O pobre povo vivia como índios.
 Pessoa
Os milhões de brasileiros vivemos sob este céu.
Os candidatos estamos preparados.
 As quaresmas abriam a flor depois do
Carnaval, os ipês em junho. (Rachel de
Queiróz)
 Ainda um outro mês e neste o mel mudado
em fel, a alegria em tristeza, a bonança em
tempestade. (Machado de Assis)
 Ouviram do Ipiranga as margens plácidas de
um povo heróico o brado retumbante.
 O som longinquo vem-se aproximando do
galopar de estranha cavalgada.
Entre as nuvens do amor, ela dormia.
Tão leve estou que nem sombra tenho.
Feliz ficarei ao saber que chegou a sua mãe.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (18)

Ondas do mar e pensamentos
Ondas do mar e pensamentosOndas do mar e pensamentos
Ondas do mar e pensamentos
 
Apresentação poemas sobre o mar
Apresentação poemas sobre o marApresentação poemas sobre o mar
Apresentação poemas sobre o mar
 
O tempo
O tempoO tempo
O tempo
 
Canção do mar
Canção do marCanção do mar
Canção do mar
 
Memorias eternas
Memorias eternasMemorias eternas
Memorias eternas
 
Semana da Poesia em Miranda do Corvo
Semana da Poesia  em Miranda do CorvoSemana da Poesia  em Miranda do Corvo
Semana da Poesia em Miranda do Corvo
 
ApresentaçãO Br Office
ApresentaçãO Br OfficeApresentaçãO Br Office
ApresentaçãO Br Office
 
Mundo grande
Mundo grandeMundo grande
Mundo grande
 
Mãos dadas
Mãos dadasMãos dadas
Mãos dadas
 
25 de abril
25 de abril25 de abril
25 de abril
 
Cardápio DalheMongo
Cardápio DalheMongoCardápio DalheMongo
Cardápio DalheMongo
 
Últimas Águas
Últimas ÁguasÚltimas Águas
Últimas Águas
 
A+flor+que+amava+o+mar
A+flor+que+amava+o+marA+flor+que+amava+o+mar
A+flor+que+amava+o+mar
 
Caderno de músicas da aliança
Caderno de músicas da aliançaCaderno de músicas da aliança
Caderno de músicas da aliança
 
Ler o mar
Ler o marLer o mar
Ler o mar
 
Poesias 7
Poesias 7Poesias 7
Poesias 7
 
Livre com um livro
Livre com um livroLivre com um livro
Livre com um livro
 
Poemas_Ciência
Poemas_CiênciaPoemas_Ciência
Poemas_Ciência
 

Semelhante a Metáforas e expressões poéticas

Parque dos Poetas, Oeiras
Parque dos Poetas, OeirasParque dos Poetas, Oeiras
Parque dos Poetas, OeirasBESL
 
Cópia de exercício enem figuras de linguagens.docx
Cópia de exercício enem figuras de linguagens.docxCópia de exercício enem figuras de linguagens.docx
Cópia de exercício enem figuras de linguagens.docxElaine Junger
 
25 de Abril PS Alvalade
25 de Abril PS Alvalade25 de Abril PS Alvalade
25 de Abril PS AlvaladePaulo Ferreira
 
Modernismo poesia - 2.a fase - Ose
Modernismo   poesia - 2.a fase - OseModernismo   poesia - 2.a fase - Ose
Modernismo poesia - 2.a fase - OseAndré Damázio
 
Parque dos poetas
Parque dos poetasParque dos poetas
Parque dos poetasOracy Filho
 
Poesia 2ª fase modernista
Poesia 2ª fase modernistaPoesia 2ª fase modernista
Poesia 2ª fase modernistaLuciene Gomes
 
Trabalho de português - textos e poesias Geanne e
Trabalho de português - textos e poesias Geanne eTrabalho de português - textos e poesias Geanne e
Trabalho de português - textos e poesias Geanne ewandelvarela
 
Trabalho de portugues Geanne e Marianna
Trabalho de portugues Geanne e MariannaTrabalho de portugues Geanne e Marianna
Trabalho de portugues Geanne e Mariannapadrecoriolano
 

Semelhante a Metáforas e expressões poéticas (20)

Parque dos poetas
Parque dos poetasParque dos poetas
Parque dos poetas
 
Parque dos Poetas, Oeiras
Parque dos Poetas, OeirasParque dos Poetas, Oeiras
Parque dos Poetas, Oeiras
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
Romantismo
RomantismoRomantismo
Romantismo
 
Cópia de exercício enem figuras de linguagens.docx
Cópia de exercício enem figuras de linguagens.docxCópia de exercício enem figuras de linguagens.docx
Cópia de exercício enem figuras de linguagens.docx
 
25 de Abril PS Alvalade
25 de Abril PS Alvalade25 de Abril PS Alvalade
25 de Abril PS Alvalade
 
Alice franklin
Alice franklinAlice franklin
Alice franklin
 
Modernismo poesia - 2.a fase - Ose
Modernismo   poesia - 2.a fase - OseModernismo   poesia - 2.a fase - Ose
Modernismo poesia - 2.a fase - Ose
 
Mundo grande
Mundo grandeMundo grande
Mundo grande
 
Slide.intertextualidade
Slide.intertextualidadeSlide.intertextualidade
Slide.intertextualidade
 
Parque dos poetas
Parque dos poetasParque dos poetas
Parque dos poetas
 
Parque dos poetas
Parque dos poetasParque dos poetas
Parque dos poetas
 
Parque dos poetas
Parque dos poetasParque dos poetas
Parque dos poetas
 
Português – figuras de linguagem 01 2014
Português – figuras de linguagem 01   2014Português – figuras de linguagem 01   2014
Português – figuras de linguagem 01 2014
 
Poesia 2ª fase modernista
Poesia 2ª fase modernistaPoesia 2ª fase modernista
Poesia 2ª fase modernista
 
Parque dos Poetas, Oeiras
Parque dos Poetas, OeirasParque dos Poetas, Oeiras
Parque dos Poetas, Oeiras
 
Trabalho de português - textos e poesias Geanne e
Trabalho de português - textos e poesias Geanne eTrabalho de português - textos e poesias Geanne e
Trabalho de português - textos e poesias Geanne e
 
Trabalho de portugues Geanne e Marianna
Trabalho de portugues Geanne e MariannaTrabalho de portugues Geanne e Marianna
Trabalho de portugues Geanne e Marianna
 
Aula 5 - Pablo Neruda
Aula 5 -  Pablo NerudaAula 5 -  Pablo Neruda
Aula 5 - Pablo Neruda
 
Antologia poética drummond
Antologia poética drummondAntologia poética drummond
Antologia poética drummond
 

Mais de Fábio Guimarães (20)

Verbo TO BE
Verbo TO BEVerbo TO BE
Verbo TO BE
 
Substantivo 6 ano
Substantivo 6 anoSubstantivo 6 ano
Substantivo 6 ano
 
Verbo 6 ano
Verbo 6 anoVerbo 6 ano
Verbo 6 ano
 
Artigo 6 ano
Artigo 6 anoArtigo 6 ano
Artigo 6 ano
 
Adjetivo 6 ano
Adjetivo 6 anoAdjetivo 6 ano
Adjetivo 6 ano
 
Numeral - 6 ano
Numeral - 6 anoNumeral - 6 ano
Numeral - 6 ano
 
Vanguardas europeias
Vanguardas europeiasVanguardas europeias
Vanguardas europeias
 
Orações subordinadas adjetivas
Orações subordinadas adjetivasOrações subordinadas adjetivas
Orações subordinadas adjetivas
 
Paralelismo
ParalelismoParalelismo
Paralelismo
 
Orações Subordinadas Adverbiais
Orações Subordinadas AdverbiaisOrações Subordinadas Adverbiais
Orações Subordinadas Adverbiais
 
Romantismo em Portugal
Romantismo em PortugalRomantismo em Portugal
Romantismo em Portugal
 
Substantivo
SubstantivoSubstantivo
Substantivo
 
Pronome
PronomePronome
Pronome
 
Interjeição
InterjeiçãoInterjeição
Interjeição
 
Substrato ideológico do modernismo
Substrato ideológico do modernismoSubstrato ideológico do modernismo
Substrato ideológico do modernismo
 
Vozes verbais
Vozes verbaisVozes verbais
Vozes verbais
 
Crase
CraseCrase
Crase
 
Orações subordinadas substantivas
Orações subordinadas substantivasOrações subordinadas substantivas
Orações subordinadas substantivas
 
Texto literário e não literário
Texto literário e não literárioTexto literário e não literário
Texto literário e não literário
 
Funções da linguagem e elementos da comunicação
Funções da linguagem e elementos da comunicaçãoFunções da linguagem e elementos da comunicação
Funções da linguagem e elementos da comunicação
 

Último

Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?MrciaRocha48
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptxpamelacastro71
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira partecoletivoddois
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdfDemetrio Ccesa Rayme
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 

Último (20)

Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
Empreendedorismo: O que é ser empreendedor?
 
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptxAula 1, 2  Bacterias Características e Morfologia.pptx
Aula 1, 2 Bacterias Características e Morfologia.pptx
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
(76- ESTUDO MATEUS) A ACLAMAÇÃO DO REI..
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 

Metáforas e expressões poéticas

  • 1.
  • 2. Amigo é o vinho mais tinto O vinho mais branco É água de afago O rio mais manso Amigo é o caminho Mais leve O lugar mais seguro É clareira no tempo É fogueira de mel. ( Roseana Murray)
  • 3.  Simples O álcool é mais barato do que a gasolina  Metafórica Você é tão forte como um touro. O remédio é ruim feito o diabo.
  • 4.  Somos um exército. Um exército de um homem só. (Engenheiros do Havaí)  Quando o que eu mais queria era provar pra todo mundo que eu nao precisava provar nada pra ninguém. (Renato Russo)  As tranças de um careca; A volta dos que não foram; Poeira em alto mar; Perigo na curva reta; Incêndia na caixa d’água.
  • 5.  “Tristeza não tem fim, felicidade sim” (Vinícius de Moraes)  Eu preparo uma canção que faça acordar os homens, e adormecer as crianças. (Drummond)  Há de surgir uma estrela no céu que cada vez que você sorrir, há de apagar uma estrela no céu cada vez que você chorar. (Gilberto Gil)
  • 6.  Amo ler Camões.  O brasileiro faz graça na desgraça.  Ela é boa de garfo.  João devora todos os pratos, e bebe muita Coca.  Grandes chaminés dominam as grandes cidades.
  • 7.  “E rir meu riso e derramar meu pranto” (Vinícius de Moraes)  E quem sabes sonhavas meus sonhos por mim (Cartola)  Olha aqui pra você ver.
  • 8. A cidade luz continua atraindo a milhões de turistas. O rei do futebol marcou a história do nosso país. “Não fique à toa Dê um jeito maneiro De abraçar a Cidade Maravilhosa”
  • 9.  O pé da mesa quebrou.  A cabeça da ponte está se movendo.  A perna do sofá está fraca.  A asa da xícara.
  • 10.  Moça linda, bem tratada, três séculos de família, burra como uma porta: um amor. (Mário de Andrade)  Cada vez que você me interrompe, sem pedir licença, vejo a sua educação  Marcela amou-me durante quinze meses e onze contos de réis. (Machado)
  • 11.  O aluno Joao Roberto não está mais entre nós.  Aqueles homens públicos apropriam-se do dinheiro.  O médico comunicou a família que ela estava com a doença ruim.
  • 12. Ele morreu de rir ao ouvir a piada. Rios te correrão dos olhos, se chorares. (Olavo Bilac) Maria sempre diz à sua mãe que está morrendo de fome.
  • 13.  A vida, o céu, o mar, o infinito, tudo parecia sem graça longe dela.  A distribuição de alimentos para os refugiados parecia uma luta, uma batalha, uma guerra Oh! Não aguardes, que a madura idade, Te converta essa flor, essa beleza, Em terra, em cinza, em pó, em sombra, em nada. (Gregório de Matos)
  • 14.  Andorinha lá fora está dizendo: - Passei o dia à toa, à toa. (Manuel Bandeira) “A lua, Tal qual a dona de um bordel, Pedia a cada estrela fria Um brilho de aluguel” (Aldir Blanc)
  • 15.  “Dirigiu-lhe uma palavra branca e fria como agradecimento”.  “Os carinhos de Godofredo não tinham mais gosto dos primeiros tempos”. (Autran Machado)  “As falas sentidas, que os olhos falavam Não quero, não posso, não devo contar”. (Casimiro de Abreu)  “O sol de outono caía com uma luz pálida e macia”.
  • 16. Vozes veladas, veludosas vozes, Volúpia dos violões, vozes veladas, Vagam nos velhos vórtices velozes Dos ventos, vivas, vãs, vulcanizadas. (Cruz e Souza) O peito do pé de Pedro é preto. O rato roeu a roupa do Rei do Roma.
  • 17. “Se eu quero eu não tenho O que eu não tenho quero ter Não posso ter o que não quero E acho que isso não tem nada a ver”
  • 18. O miado dos gatos desaparecem com o tic-tac do relógio e o au-au dos cachorros
  • 19. Penso com os olhos e com os ouvidos E com as mãos e os pés E com o nariz e a boca. (Pessoa) E a noite é negra E estrelas não brilham E pessoas mascaram a voz e a dor E expõem o rosto ao risco e à solidão.
  • 20.  Vai, viemos, viemos. (Guimarães Rosa)  Eis que Maria já não quis João, foi-se a outro país, viveu, divertiu-se, casou-se com outro, voltou, encontrou a paz, viveu, viveu, viveu...
  • 21. Vi os navios irem e voltarem. Vi os infelizes irem e voltarem. Vi os homens obesos dentro do fogo. Vi ziguezagues na escuridão. “Depois o areal extenso... Depois o oceano de pó... Depois no horizonte imenso Desertos... Desertos só... (Castro Alves)
  • 22.  Naquele país, muitos políticos corruptos.  Na terra, tanta guenrra, tanto engano, tanta necessidade aborrecida.  Necessito de vida nova.
  • 23.  Gênero São Paulo é linda. Sua Excelência está enganado.  Número Um bando de moleques gritavam. O pobre povo vivia como índios.  Pessoa Os milhões de brasileiros vivemos sob este céu. Os candidatos estamos preparados.
  • 24.  As quaresmas abriam a flor depois do Carnaval, os ipês em junho. (Rachel de Queiróz)  Ainda um outro mês e neste o mel mudado em fel, a alegria em tristeza, a bonança em tempestade. (Machado de Assis)
  • 25.  Ouviram do Ipiranga as margens plácidas de um povo heróico o brado retumbante.  O som longinquo vem-se aproximando do galopar de estranha cavalgada.
  • 26. Entre as nuvens do amor, ela dormia. Tão leve estou que nem sombra tenho. Feliz ficarei ao saber que chegou a sua mãe.