Industrialização brasileira

515 visualizações

Publicada em

Industrialização brasileira

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
515
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
19
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Industrialização brasileira

  1. 1. O Processo deO Processo de Industrialização no BrasilIndustrialização no Brasil
  2. 2. O Brasil é considerado um país emergente ou em desenvolvimento. Apesar disso, está quase um século atrasado industrialmente e tecnologicamente em relação às nações que ingressaram no processo de industrialização no momento em que a Primeira Revolução Industrial entrou em vigor, como Inglaterra, Alemanha, França, Estados Unidos,
  3. 3. O PROCESSO DE INDUSTRIALIZAÇÃO DO BRASIL O PROCESSO DE INDUSTRIALIZAÇÃO DO BRASIL Prof. Esp. J. Artur Lara UEL. Prof. Esp. J. Artur Lara UEL.
  4. 4. 1. A “VOCAÇÃO AGRÁRIA” BRASILEIRA “O Brasil é um país essencialmente agrícola” A idéia exprimia os interesses e o domínio das oligarquias rurais. Queixas dos cafeicultores paulistas Criticas à nascente industria, considerada uma atividade artificial, que dependia da importação de maquinas e matéria prima Criticas pela transferência dos trabalhadores, especialmente imigrantes, da agriculturas para as fabricas
  5. 5. Apesar das críticas não houve uma oposição inconciliável entre as antigas oligarquias rurais e a nova burguesia industrial As relações foram mais complexas Questão Básica Como foi possível a uma sociedade cuja base econômica era a agro exportação se transformar em uma sociedade de características urbano- industriais? Para responder a questão Entender a origem da industrialização no Brasil
  6. 6. 2. A INDUSTRIALIZAÇÃO : A FORMAÇÃO DA SOCIEDADE DE CLASSES A industrialização é um processo Não é uma simples mudança econômica: criação de industria É a constituição da ordem social capitalista com o surgimento de duas classes a burguesia industrial classe operaria Industrialização Resultado de uma combinação de transformações econômicas, sociais, políticas e culturais irreversíveis. Formação de uma sociedade de classes
  7. 7. 3. A CAFEICULTURA E A ORIGEM DA INDUSTRIA A origem do processo de industrialização no Brasil guarda forte relação com o desenvolvimento da economia cafeeira em São Paulo, a partir da década de 1880. Industrialização brasileira Desenvolvimento social Classes sociais Desenvolvimento politico Conflitos e Luta de classes
  8. 8. Pré-requisitos para a expansão industrial 1. A substituição do trabalho escravo pelo trabalho livre Mercado de trabalho 2. A formação de um mercado interno Substituição de importações Valorização do trabalho Mercado consumidor Capital para investimento assalariados liberação Produção nacional 3.A formação de uma consciência burguesa Fazendeiros- empresarios Uso capitalista da acumulação de riqueza Concentração em São Paulo
  9. 9. 4. A SUBORDINAÇÃO DA INDUSTRIA À ECONOMIA CAFEEIRA Limitações da industria brasileira 1. O fato de ter se originado da agro exportação do café Dependência do capital cafeeiro 2. O crescimento das produção de bens não duráveis não foi acompanhada pelo de bens de capital 3. Investimento secundário dos fazendeiros 4. Antes de 1930: sem definição de uma politica industrial Bens não duraveis: tecidos e produtos alimenticios Bens de capital: maquinas Preocupavam-se mais com o café Medidas isoladas do Estado
  10. 10. 5. INDÚSTRIA E DEPENDÊNCIA EXTERNA Limitação determinante Dependência Externa Capital estrangeiro Comercio exportador Comercio Importador Empresas britanicas compravam produtos brasileiros e revendiam no mercado externo Controle da venda de produtos estrangeiros Momento histórico Fim do século XIX e começo do século XX Capitalismo Monopolista
  11. 11. 6. CAPITALISMO MONOPOLISTA6. CAPITALISMO MONOPOLISTA Mudanças no Capitalismo no século XX Concentração de Capital Trustes Carteis Holdings Eliminação da concorrência Capitalismo Financeiro Industria Atividade econômica Serviços Industria Bancos Formas de Organização do Trabalho Taylorismo
  12. 12. A expansão da indústria no Brasil não seguiu as etapas da industrialização inglesa CAPITALISMO MONOPOLISTA E INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA Inglaterra :artesanato manufatura grande industria A industrialização brasileirta Coexistência da manufatura com a grande industria origem Capital cafeeiro Capital financeiro internacional Precoce tendência à monopolização Insumos industriais Bens duraveis de consumo Bens de capital
  13. 13. A peculiaridade da industrialização brasileira consiste, então, na expansão e no predomínio de uma grande indústria que não surgiu da produção doméstica ou manufatureira local, mas que transportou para o país tecnologia e formas de organização do trabalho próprias do capitalismo monopolista Esse processo de industrialização tem importantes repercussões no desenvolvimento político e social da sociedade brasileira CAPITALISMO MONOPOLISTA E INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA
  14. 14. • O período que ocorreu entre 1930 e 1955, momento em que a indústria recebeu muitos investimentos dos ex-cafeicultores e também em logística. • Assim, houve a construção de vias de circulação de mercadorias, matérias-primas e pessoas, proveniente das evoluções nos meios de transporte que facilitaram a distribuição de produtos para várias regiões do país (muitas ferrovias que anteriormente transportavam café, nessa etapa passaram a servir os interesses industriais). • Foi instalada no país a Companhia Siderúrgica Nacional, construída entre os anos de 1942 e 1947, empresa de extrema importância no sistema produtivo industrial, uma vez que abastecia as indústrias com matéria-prima, principalmente metais. No ano de 1953, foi instituída uma das mais promissoras empresas estatais: a PETROBRAS.
  15. 15. • Em 1955, teve inicio uma fase foi promovida inicialmente pelo presidente Juscelino Kubitschek, que promoveu a abertura da economia e das fronteiras produtivas, permitindo a entrada de recursos em forma de empréstimos e também em investimentos com a instalação de empresas multinacionais. • Com o ingresso dos militares no governo do país, no ano de 1964, as medidas produtivas tiveram novos rumos, como a intensificação da entrada de empresas e capitais de origem estrangeira comprometendo o crescimento autônomo do país, que resultou no incremento da dependência econômica, industrial e tecnológica em relação aos países de economias consolidadas. • No fim do século XX houve um razoável crescimento econômico no país, promovendo uma melhoria na qualidade de vida da população brasileira, além de maior acesso ao consumo. Houve também a estabilidade da moeda, além de outros fatores que foram determinantes para o progresso gradativo do país.
  16. 16. Os grandes centros industriais do Brasil
  17. 17. Região Sudeste  São Paulo  Na região Sudeste está situada a mais importante concentração industrial no país, e o Estado de São Paulo é o seu principal destaque. No Estado de São Paulo, a maior concentração industrial está localizada na Grande São Paulo, um centro polindustrial, formado por 39 municípios, entre eles o de São Paulo, constituindo o maior parque industrial da América Latina. Os municípios do Grande ABC (Santo André, São Bernardo, São Caetano do Sul, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra), também são de grande importância industrial. Osasco, Guarulhos, Mogi das Cruzes, Suzano também são destaques industriais
  18. 18. Rio de Janeiro A maior concentração do Estado do Rio de Janeiro está no Grande Rio, um grande centro polindustrial, com destaque para o setor naval e o turismo. Outros centros monoindustriais também merecem destaque como, Petrópolis, Nova Friburgo, Volta Redonda, Barra Mansa, Campos, entre outros. Minas Gerais O Estado de Minas Gerais é rico em recursos minerais, por isso destaca- se em grande centro metalúrgico e siderúrgico, situados na Grande Belo Horizonte (Belo Horizonte, Sabará, Nova Lima, Contagem, Betim) e nos municípios de Mariana, Santa Bárbara, Itabirito, Juiz de Fora, et
  19. 19. Região Sul  Rio Grande do Sul A capital Porto Alegre é o maior destaque do Estado como centro poli-industrial, e como centros periféricos destacam-se Esteio, Canoas, Gravataí. Além desses, outras cidades ganham destaque, como: Caxias, Novo Hamburgo e Pelotas. Paraná O principal destaque vai para a região metropolitana de Curitiba, Ponta Grossa e Guarapuava. Santa Catarina No Estado de Santa Catarina destaca-se o centro mecânico de Joinville, o pólo ceramista de Criciúma, e indústria de embutidos de Chapecó, e o setor têxtil de Blumenau, atualmente um dos pontos mais promissores no setor metal mecânico
  20. 20. Região Nordeste  Recife Destaca-se o distrito industrial do Cabo e os centros industriais: Paulista, Curado, Jabotão e São Lourenço da Mata. Salvador  Destacam-se os distritos industriais de Aratu e Camaçari. Ceará Fortaleza é o grande destaque (pólo têxtil).
  21. 21. Regiões Norte e Centro Oeste São as duas regiões com a menor participação na produção industrial, apenas 5%. Contudo, nos últimos anos houve um aumento na participação, destacando-se a região metropolitana de Belém do Pará, Manaus no Amazonas com a Zona Franca, e as indústrias de bens de consumo em Goiânia, Anápolis, Campo Grande, Corumbá e Brasília.

×