Projeto festa junina 2013

7.771 visualizações

Publicada em

0 comentários
10 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.771
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
20
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
10
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Projeto festa junina 2013

  1. 1. 1 PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ SECRETARIA MUNICIPAL DE CIDADANIA GERENCIA EXECUTIVA DA EDUCAÇÃO E CULTURA ESCOLA MUNICIPAL PROFESSORA MARIA ELZA F. SENA PROJETO ESCOLAR Festas Juninas: no Arraiá Gonzaga Chimbinho COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA: Giovana Bezerra R. dos Santos PROFESSORES COLABORADORES: Cleide Regina da Silva, Magnólia Benevides Gomes, Laine Cristina Cavalcante Perreira, Erilene Fátima Carlos de Carvalho Mossoró Junho 2013
  2. 2. 2 PREFEITURA MUNICIPAL DE MOSSORÓ SECRETARIA MUNICIPAL DE CIDADANIA GERENCIA EXECUTIVA DA EDUCAÇÃO E CULTURA ESCOLA MUNICIPAL PROFESSORA MARIA ELZA F. SENA PROJETO ESCOLAR Festas Juninas: no Arraiá Gonzaga Chimbinho COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA: Giovana Bezerra Ribeiro dos Santos • OBJETIVO GERAL: Valorizar a cultura popular como expressão de uma sociedade • OBJETIVOS ESPECÍFICOS: • Estimular o interesse pela pesquisa relativa a temas culturais; • Desenvolver habilidades de leitura, linguagem oral e escrita em prosas e versos • Desenvolver habilidades artísticas e manuais; • Desenvolver a capacidade criativa na utilização de materiais recicláveis. JUSTIFICATIVA: A identidade de um povo é determinada pela sua história, crenças e costumes e, sobretudo, pela sua cultura, com ênfase, através da cultura popular, a qual integra tradições, costumes, danças e folclore. Segundo Cuche (2002), a cultura popular é baseada em valores práticos e originais que dão sentido a existência. A cultura é construída através do diálogo, incluindo símbolos e significados que fazem sentido para as pessoas que a compartilham. Entre as manifestações culturais que mais se destaca no Nordeste estão as festas juninas, por integrar pessoas de todas as idades e proporcionar entretenimento principalmente às crianças. É uma festa caracterizada por musicas, vestimentas estilizadas, fogos, crendices e comidas típicas, além de ter em sim um sentido religioso para a comunidade católica. Os festejos juninos são de grande importância, pois, além de retratar nossa cultura, através das mais diversas expressões artísticas e culturais, transmitem e fortalecem os hábitos e costumes das nossas raízes. Na cidade de Mossoró, as festas juninas tem alcançado grandes proporções, o que a coloca em destaque entre as demais cidades do nordeste. O Mossoró Cidade Junina, uma das maiores festas da nossa região, oportuniza a todos e em especial, as crianças, o enriquecimento e a valorização da nossa cultura. As festas incluem vários eventos, entre eles, concursos de quadrinha, contando com participantes de vários municípios circunvizinhos de outros Estados; a apresentação teatral
  3. 3. “Chuva de bala no país de Mossoró”, considerado pela crítica, como um dos maiores espetáculos teatrais ao ar livre do Brasil. Além desses eventos, as festas juninas apresentam festivais de grandes bandas musicais, e o espaço de lazer a “Cidadela”, um ambiente totalmente caracterizado com uma arquitetura semelhante as primeiras ruas de Mossoró, retratando costumes e tradições locais. Direcionado as escolas a fes ta realiza o concurso de maquetes juninas, atividade que estimula a participação de crianças e jovens das escolas de Mossoró. Como forma de inserir os alunos nesse evento e principalmente na participação do concurso de maquetes a escola desenvolve este projeto, numa perspectiva interdisciplinar. 3 ÁREAS CONTEMPLADAS O projeto abrange as áreas de arte e dança, história e cultura, linguagem oral e escrita, cálculos matemáticos, alimentação. METODOLOGIA O projeto, pela sua dimensão multidisciplinar, integrará experiências de aprendizagem relativas às diferentes áreas de conhecimento, bem como será desenvolvido envolvendo todas as séries e turmas de alunos da instituição, de acordo com os objetivos e as atividades propostas. As atividades serão realizadas durante o mês de junho de 2013, culminando com a elaboração e apresentação de uma maquete de representação junina, homenageando um homem ilustre de Mossoró, que muito contribuiu para a organização dos festejos junino nessa cidade, o nosso inesquecível GONZAGA CHIMBINHO. Os alunos devem ser incentivados a participarem das atividades, incluindo coleta de material e pesquisa de campo direcionada as próprias famílias. Para informações aos alunos sobre cultura junina, os professores utilizarão de vídeos, exposição oral, revistas, panfletos e outros recursos informativos.  Estratégias de ação: Atividade 1 - Pesquisas relacionadas a temas juninos a) Distribuir entre os grupos de alunos os assuntos de pesquisa, com as devidas orientações de relatórios e outras formas de apresentação. Os grupos organizarão relatórios da pesquisa utilizando colagem, desenhos e escrita. A forma de apresentação dos relatórios finais pode ser: encenação, cartazes, maquetes, murais ou outras, culminando com uma apresentação para toda a escola: • Comidas juninas: nomes, receitas (sugestão de apresentação: quadro demonstrativo com os nomes das comidas e respectivos ingredientes e forma de fazer); • Vestuário: antigos e estilizados (sugestão: confecção de vestuário usando retalhos, papel crepom ou outro recurso de baixo custo); • Crenças e adivinhações (entrevistar pessoas idosas, organizando previamente as perguntas); • Musicas e danças (escrever ou digitar os textos, cantar com a turma, demonstrar as danças); • Poesias e parlendas (anotar ou digitar os textos e produzir outros no estilo).
  4. 4. Atividade 2 - Construção de maquetes junina sob o tema: Arraiá Gonzaga Chimbinho Inicialmente, a direção da escola, com a participação da supervisão pedagógica e professores prestarão informações aos alunos sobre a pessoa que foi Gonzaga Chimbinho e a sua contribuição para a organi zação do “Mossoró cidade Juni na”, bem como sobre outras contribuições que trouxe a cidade, sobretudo no campo da educação e cultura, explicando assim, as razões das homenagens a ele prestadas nesse momento de festejos juninos. Decidirão com os alunos sobre as informações que deveram compor o banner que será confeccionado em sua homenagem. a) Selecionar o material para a maquete (preferencialmente reciclados – caixa, madeira, papelão, retalhos); b) Trabalho em grupo, estabelecendo um líder e as obrigações de cada participante para confecção da maquete; c) Organização de um banner alusivo a Gonzaga Chibinho com a participação de alunos e professores; d) Exposição e explicação sobre a maquete para outros alunos e o publico em geral. Atividade 3 - Concurso de cartazes a) Sistematizar por grupos de alunos de cada turma, cartazes alusivos as festa juninas, utilizando diferentes tipos de materiais recicláveis, colagem, desenho e pintura; b) Construir frases nomeando os cartazes; c) Realização do concurso de cartazes, estabelecendo previamente os critérios de 4 avaliação: originalidade, informação, harmonia e recursos utilizados. Atividade 4 - Jogos e brincadeiras juninas a) Pescaria A pescaria é uma das brincadeiras mais tradicionais de Festa Junina. Ela é simples e bem divertida. Basta recortar peixes de papel grosso (tipo papelão) e colocar números neles. Devemos colocar uma argola na boca do peixe e enterrá-lo num recipiente grande com areia. Devemos deixar apenas a argola para fora e o número deve ficar encoberto pela areia. Os participantes recebem varas de pescar. Ganha a brincadeira aquele que pescar a maior quantidade de peixes ou com maior número de pontos. Em quermesses é também comum dar prêmios (brindes) aos participantes que pescam os peixes. • Orientação: colocar afixado aos brindes frases e palavras correspondentes, que devem ser lidas; perguntas de conhecimentos gerais ou outro tema que esteja sendo estudado; problemas matemáticos simples; tarefas específicas do tipo encontrar na escola um objeto de forma quadrado, retangular, cone..., palavras que sejam substantivos...; criar uma estrofe de poesia referente ao objeto pescado, etc) b) Corrida do saco Também muito tradicional, consiste numa corrida onde os participantes devem pular dentro de um saco de estopa (saco de farinha, por exemplo). Quem atingir a reta final primeiro ganha a partida. É possível também fazer a corrida em duplas. • Orientação: medir com uma escala ou fita a distancia percorrida por cada participante, anotando em uma tabela com os nomes dos participantes. Designar alunos para fazer a tarefa, revezando. c) Corrida do Saci-Pererê Parecida com a corrida do saco, porém os participantes devem correr apenas num pé.
  5. 5. • Orientação: medir com o relógio os segundo e minutos gastos por cada participante, anotando em uma tabela com os nomes dos participantes. Designar alunos para fazer a tarefa, revezando. d) Corrida de três pés Formam-se duplas em que a perna esquerda de um é amarrada a perna direita de outro. Da-se a largada, aquela dupla que correr mais rápido e chegar primeiro na linha de chegada é a vencedora. e) Correio do Amor ou Elegante Os organizadores da brincadeira servem como intermediários na entrega de bilhetes com 5 mensagens de amor, amizade, paquera ou apenas brincadeira • Orientação: as mensagens serão escritas pelos próprios alunos com a revisão dos professores, recomendando que escrevam mensagens de paz ou pensamentos de auto-estima. • Outra opção: faça diversos cartões em formato de coração, ou em formato de balão, coloque dentro de uma cesta e solicite aos alunos para escolheres as mensagens e ofereceram a um determinado colega, podendo ser anônimo ou não. As vezes a graça é ver se a pessoa descobre o remetente ou não. f) Corrida do Ovo na colher (ou substituir por bolas de pingue-pongue) Um ovo de galinha (ou bola de pingue-pongue) é colocado numa colher de sopa. Os participantes devem atingir a linha de chegada levando a colher com o cabo na boca, sem derrubar o ovo. g) Dança das cadeiras Conte o número de participantes, e faça um círculo com cadeiras com os assentos voltados para fora. A quantidade de cadeiras deve ser um a menos que o de participantes. A brincadeira começa quando a música é ligada, quando a música para os participantes se sentem, quem não conseguir sentar sai da brincadeira e é tirada mais uma cadeira, e assim continua no mesmo sistema até ficar só um participante, este é o vencedor. h) Pular fogueira: Hoje se usa uma fogueira artificial para pular. Recursos materiais: 2 cabos de vassoura, papel colorido Decorem os cabos de vassoura com papel colorido e coloquem-nos no chão, próximos um do outro. Toda a turma forma uma fila e, um de cada vez, toma distância e pula os cabos. Depois que todos pularem, aumentem a distância entre os cabos e recomecem. A cada rodada, eles ficam mais distantes e quem errar o salto sai do jogo. O último que ficar vence. i) Bingo: já tradicional nestas festas, pode valer um brinde ao vencedor. j) Jogo das argolas Delimite uma área onde várias garrafas são colocadas, deve-se acertar as garrafas com uma argola. Quanto mais distante a linha de limite entre o jogador e as garrafas mais difícil fica acertar. Pode-se numerar as garrafas de acordo com a dificuldade. Faça um teste antes para que não fique muito fácil nem muito difícil para garotada.
  6. 6. 6 Argoloas disputa do fôlego Boca de palhaço k) Disputa de fôlego Recursos materiais: 1 barbante, 1 fita, 2 funis Formem duas equipes e amarrem a fita bem no meio do barbante. Passem um funil por cada ponta do barbante com a parte fina virada para o laço. Estiquem o barbante e soprem o funil da sua equipe até que ele chegue ao laço. Vence quem fizer o funil chegar ao laço primeiro. l) Boca do palhaço A brincadeira consiste em acertar a boca de um palhaço com uma bola, desenhando em uma cartolina. Quem acertar ganha uma prenda. m) Árvore da sorte Recursos materiais: papel, caneta, 20 bexigas verdes, fita adesiva, palitos de dente. Cortem dez quadrados de papel e escrevam números de 1 a 10. Enrolem os papéis e coloquem cada um dentro de uma bexiga. Colem um tronco de papel na parede. Prendam os balões cheios para fazer a copa da árvore. Cada jogador fura um balão da árvore. Quem tirar o número 10 é o vencedor e pode dar uma tarefa para toda a turma realizar em conjunto. n) Tesouros da festa Recursos materiais: lápis, papel,1 apito Façam uma lista de objetos da festa: chapéu de palha, bilhete de correio elegante, copo, lata de refrigerante ou doce, por exemplo. Escrevam o nome de cada objeto num papelzinho. Sorteiem quem vai comandar a brincadeira. O chefe sorteia um papel e diz qual objeto deve ser procurado. Ele apita e todos começam a busca. Quando alguém achar o objeto, o chefe apita novamente e todos voltam. Vence quem trouxer mais itens. Atividade 5 - Exposição Ocorrerá um momento final onde serão apresentados todos os trabalhos desenvolvidos pelos alunos, usando diferentes instrumentos (murais, jornais, maquetes, cartazes, representações teatrais, musica, etc). Na ocasião os alunos devem comentar e ler o material produzido. A exposição será nas dependências da escola e ou no Centro Comunitário do bairro, além da exposição da maquete selecionada no estande onde se realizam os festejos juninos promovidos pela Prefeitura de Mossoró.
  7. 7. 5. RECURSOS MATERIAIS Para o desenvolvimento das atividades do projeto serão utilizados os seguintes recursos materiais: • Garrafas pet, barbante, sacos práticos, fio de cobre, retalhos de tecidos, pedaços de 7 madeira; massa de modelar, isopor; • Papel (papéis seda, crepom, celofane, laminado, camurça, sulfite, Collorset, oficio, cartolinas, caixa de papelão, jornal) utilizar sempre que possível material reciclado; • Lápis, pincéis, giz de cera, tinta; • Tesoura, fita adesiva, cola; • Computador, vídeos, revistas e outras fontes de informação; 6. CULMINÂNCIA E AVALIAÇÃO O projeto será encerrado com uma festa junina no Centro do Conselho Comunitário, com apresentação de quadrilha, danças, músicas juninas, incluindo um sanfoneiro, barracas de venda de comidas típicas e exposição dos trabalhos realizados pelos alunos no decorrer do projeto. O processo de avaliação ocorrerá em todas as etapas do projeto, observando-se os critérios de: sistematização do conhecimento, conceitos e habilidades no domínio dos conteúdos, participação, relacionamento e capacidade de organização. Para registro da avaliação será utilizada um ficha com a relação nominal dos alunos por grupos, atribuindo-se pontuação de 1 a 5 conforme o alcance dos critérios acima estabelecidos. Avaliação junto a grupos de alunos, professores e funcionários da escola identificando os pontos positivos e negativos do projeto. REFERÊNCIAS CUCHE, Denys. A noção de cultura nas Ciências Sociais. 2 ed. Bauru: EDUSC, 2002. Site sobre brincadeiras juninas: http://www.lunaeamigos.com.br/aconteceu/fj_brincadeiras.htm

×