SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 18
Baixar para ler offline
Amélia entrou na sala.
O pai estava sentado no seu
cadeirão favorito
a ler o jornal.
─ Pai ─ disse ela ─ , estava a
pensar…
O pai suspirou.
«Normalmente, quando a Amélia
pensa, significa que temos
problemas.»
Amélia continuou:
─ Pai, podemos ter um cão?
Podíamos levá-lo a passear ao
parque e ele depois podia dormir
no meu quarto e assim não deixava
que os monstros se aproximassem
da minha cama.
─ Não, Amélia, não podemos ter um
cão?
Os cães ladram e precisam de muitos
cuidados.
─ Oh! ─ Disse Amélia, e foi para o
quarto muito triste.
Mas passado um bocado, ela voltou.
─ Pai, se não podemos ter um cão,
podemos estão ter uma águia?
Fazíamos-lhe aqui um ninho e não
era preciso levá-la a passear.
─ Oh! ─ disse
Amélia, e foi para
o quarto muito
triste.
─ Não, não podemos ter
uma águia.
As águias vivem nas
montanhas e precisam de
muito espaço para voar.
Uma águia ficaria muito
triste fechada dentro de
casa.
Mas um pouco mais tarde, ela voltou e disse:
─ Se não podemos ter uma águia, podemos pelo menos
ter um cavalo? Punha obstáculos na cozinha e dava
umas voltas com ele.
─ Amélia, querida, não podemos ter um
cavalo.
Os cavalos vivem no campo e precisam de
muita erva pra comer. Um cavalo não
gostaria de viver aqui.
─ Oh! ─ disse Amélia, e foi para o quarto
muito triste.
Mas passado um bocado, ela voltou
outra vez.
─ Pai, se não podemos ter um cavalo,
podemos ter um elefante?
Ele acordava-me com a sua tromba e
prometo-te que me levantava logo
para ir para a escola.
─ Oh! ─ disse Amélia, e foi para
o quarto muito triste.
─ Elefantes, Amélia?
Os elefantes são
grandes, tão grandes
que quase não cabem
nesta sala.
Eles gostam de viver em
espaços imensos, muito
abertos, e de coçar as
costas nas árvores.
Não, não podemos ter
um elefante.
Para mais, nem sequer
passava pela porta.
Agora vai brincar para o
teu quarto.
O pai estava prestes a
abrir o jornal quando a
ouviu de novo.
─ Se não podemos ter
um elefante, podemos
ter uma baleia?
Eu subia para as costas
dela e ela atirava-me
ao ar com o seu repuxo
de água.
─ Amélia, as baleias são enormes! Maiores que toda esta casa!
Ainda por cima, vivem no mar e precisam de muita, muita água.
─ Podíamos guardá-la na banheira ─ disse Amélia, esperançada.
─ Amélia, pela última vez, não podemos ter uma baleia.
Também não podemos ter um tigre, nem um crocodilo, nem um
canguru, nem um hipopótamos, nem um dinossáurio!
Agora, por favor, vai brincar para o teu quarto e deixa-me ler o
jornal em paz.
─ Oh! ─ disse Amélia, e foi para o quarto muito triste.
Alguns minutos depois, ela voltou.
─ Se não podemos ter uma águia,
nem um cavalo,
nem um elefante,
nem uma baleia,
nem um tigre,
nem um crocodilo,
nem um canguru,
nem um hipopótamo,
nem um dinossáurio,
podemos então ter um cãozinho?
Amélia abraçou o pai e deu-lhe um
beijo.
─ Obrigada! Obrigada! És o melhor
pai do mundo!
─ Um cão? Um cachorro?
Amélia, essa é uma ideia
fantástica!
Um cachorrinho… não tem
problema nenhum!
Podíamos levá-lo a passear ao
parque e até dormiria no teu quarto
para os monstros não se
aproximarem.
Sim, sim! Será maravilhoso ter um
cachorro!
Amélia foi para o
quarto a pensar:
«Às vezes custa muito
convencer os mais
crescidos,
mas eles lá acabam por
chegar à razão.»
Amélia convence o pai a adotar um cãozinho

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

As vacas não voam
As vacas não voamAs vacas não voam
As vacas não voamjleiteg
 
O Sebastião e o seu nariz - pré mourão
O Sebastião e o seu nariz - pré mourãoO Sebastião e o seu nariz - pré mourão
O Sebastião e o seu nariz - pré mourãoSaudade Roxo
 
A casa da mosca fosca
A casa da mosca foscaA casa da mosca fosca
A casa da mosca foscagigilu
 
Kiko o dentinho de leite
Kiko o dentinho de leiteKiko o dentinho de leite
Kiko o dentinho de leitePaula Sousa
 
O sapo-apaixonado[1]
O sapo-apaixonado[1]O sapo-apaixonado[1]
O sapo-apaixonado[1]teresastrecht
 
Kiko o dentinho de leite
Kiko o dentinho de leiteKiko o dentinho de leite
Kiko o dentinho de leiteIsa Crowe
 
Ciclo do azeite
Ciclo do azeiteCiclo do azeite
Ciclo do azeiteIsa Crowe
 
O sapo que queria beber leite
O sapo que queria beber leiteO sapo que queria beber leite
O sapo que queria beber leiteProfessora Cida
 
O boneco-de-neve-que-queria-ir-para-a-escola
O boneco-de-neve-que-queria-ir-para-a-escolaO boneco-de-neve-que-queria-ir-para-a-escola
O boneco-de-neve-que-queria-ir-para-a-escolaMaria Ferreira
 
O palhaco-tristoleto
O palhaco-tristoletoO palhaco-tristoleto
O palhaco-tristoletoSilvares
 
A horta do sr. lobo
A horta do sr. loboA horta do sr. lobo
A horta do sr. lobobibabbe
 

Mais procurados (20)

As vacas não voam
As vacas não voamAs vacas não voam
As vacas não voam
 
A Sopa Verde
A Sopa VerdeA Sopa Verde
A Sopa Verde
 
O Sebastião e o seu nariz - pré mourão
O Sebastião e o seu nariz - pré mourãoO Sebastião e o seu nariz - pré mourão
O Sebastião e o seu nariz - pré mourão
 
A casa da mosca fosca
A casa da mosca foscaA casa da mosca fosca
A casa da mosca fosca
 
Kiko o dentinho de leite
Kiko o dentinho de leiteKiko o dentinho de leite
Kiko o dentinho de leite
 
Uma Prenda de Natal
Uma Prenda de NatalUma Prenda de Natal
Uma Prenda de Natal
 
O coelho branco
O coelho brancoO coelho branco
O coelho branco
 
A bruxa castanha de antónio mota
A bruxa castanha de antónio motaA bruxa castanha de antónio mota
A bruxa castanha de antónio mota
 
O sapo-apaixonado[1]
O sapo-apaixonado[1]O sapo-apaixonado[1]
O sapo-apaixonado[1]
 
Kiko o dentinho de leite
Kiko o dentinho de leiteKiko o dentinho de leite
Kiko o dentinho de leite
 
Ciclo do azeite
Ciclo do azeiteCiclo do azeite
Ciclo do azeite
 
O sapo que queria beber leite
O sapo que queria beber leiteO sapo que queria beber leite
O sapo que queria beber leite
 
Quando a mãe grita...
Quando a mãe grita...Quando a mãe grita...
Quando a mãe grita...
 
Nao quero dormir!
Nao quero dormir!Nao quero dormir!
Nao quero dormir!
 
O boneco-de-neve-que-queria-ir-para-a-escola
O boneco-de-neve-que-queria-ir-para-a-escolaO boneco-de-neve-que-queria-ir-para-a-escola
O boneco-de-neve-que-queria-ir-para-a-escola
 
O palhaco-tristoleto
O palhaco-tristoletoO palhaco-tristoleto
O palhaco-tristoleto
 
A horta do sr. lobo
A horta do sr. loboA horta do sr. lobo
A horta do sr. lobo
 
O coelhinho branco
O coelhinho brancoO coelhinho branco
O coelhinho branco
 
Pimpona a galinha tonta
Pimpona a galinha tontaPimpona a galinha tonta
Pimpona a galinha tonta
 
Eu E O Meu Papá
Eu E O Meu PapáEu E O Meu Papá
Eu E O Meu Papá
 

Semelhante a Amélia convence o pai a adotar um cãozinho

Semelhante a Amélia convence o pai a adotar um cãozinho (20)

O elefante sem tromba
O elefante sem trombaO elefante sem tromba
O elefante sem tromba
 
4A
4A4A
4A
 
Confabulando com fabulas
Confabulando com fabulasConfabulando com fabulas
Confabulando com fabulas
 
Confabulando com Fábulas
Confabulando com FábulasConfabulando com Fábulas
Confabulando com Fábulas
 
4C
4C4C
4C
 
O patinho feio adaptação patrícia amorim
O patinho feio adaptação patrícia amorimO patinho feio adaptação patrícia amorim
O patinho feio adaptação patrícia amorim
 
Anabela, a Bela - Vovó Mima Badan
Anabela, a Bela - Vovó Mima BadanAnabela, a Bela - Vovó Mima Badan
Anabela, a Bela - Vovó Mima Badan
 
Anabela, a bela - Vovó Mima Badan
Anabela, a bela - Vovó Mima BadanAnabela, a bela - Vovó Mima Badan
Anabela, a bela - Vovó Mima Badan
 
/Media/nadir/textos infantis/filhotinhos de rua
/Media/nadir/textos infantis/filhotinhos de rua/Media/nadir/textos infantis/filhotinhos de rua
/Media/nadir/textos infantis/filhotinhos de rua
 
Aprendendo
 Aprendendo Aprendendo
Aprendendo
 
Projeto Chapeuzinho Vermelho
Projeto Chapeuzinho VermelhoProjeto Chapeuzinho Vermelho
Projeto Chapeuzinho Vermelho
 
Oscar camaleão
Oscar camaleãoOscar camaleão
Oscar camaleão
 
Imagem4
Imagem4Imagem4
Imagem4
 
O sapo apaixonado
O sapo apaixonadoO sapo apaixonado
O sapo apaixonado
 
O Sapo Apaixonado
O Sapo ApaixonadoO Sapo Apaixonado
O Sapo Apaixonado
 
O sapo apaixonado
O sapo apaixonadoO sapo apaixonado
O sapo apaixonado
 
Osapoapaixonado[1]
Osapoapaixonado[1]Osapoapaixonado[1]
Osapoapaixonado[1]
 
O sapo-apaixonado
O sapo-apaixonadoO sapo-apaixonado
O sapo-apaixonado
 
O sapo-apaixonado
O sapo-apaixonadoO sapo-apaixonado
O sapo-apaixonado
 
O sapo-apaixonado
O sapo-apaixonadoO sapo-apaixonado
O sapo-apaixonado
 

Último

A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfpaulafernandes540558
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mentalADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mentalSilvana Silva
 
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basicoPRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basicoSilvaDias3
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 

Último (20)

A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdfSlides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
Slides criatividade 01042024 finalpdf Portugues.pdf
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mentalADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
ADJETIVO para 8 ano. Ensino funda.mental
 
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basicoPRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
PRIMEIRO---RCP - DEA - BLS estudos - basico
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 

Amélia convence o pai a adotar um cãozinho

  • 1.
  • 2.
  • 3. Amélia entrou na sala. O pai estava sentado no seu cadeirão favorito a ler o jornal. ─ Pai ─ disse ela ─ , estava a pensar… O pai suspirou. «Normalmente, quando a Amélia pensa, significa que temos problemas.»
  • 4. Amélia continuou: ─ Pai, podemos ter um cão? Podíamos levá-lo a passear ao parque e ele depois podia dormir no meu quarto e assim não deixava que os monstros se aproximassem da minha cama.
  • 5. ─ Não, Amélia, não podemos ter um cão? Os cães ladram e precisam de muitos cuidados. ─ Oh! ─ Disse Amélia, e foi para o quarto muito triste.
  • 6. Mas passado um bocado, ela voltou. ─ Pai, se não podemos ter um cão, podemos estão ter uma águia? Fazíamos-lhe aqui um ninho e não era preciso levá-la a passear.
  • 7. ─ Oh! ─ disse Amélia, e foi para o quarto muito triste. ─ Não, não podemos ter uma águia. As águias vivem nas montanhas e precisam de muito espaço para voar. Uma águia ficaria muito triste fechada dentro de casa.
  • 8. Mas um pouco mais tarde, ela voltou e disse: ─ Se não podemos ter uma águia, podemos pelo menos ter um cavalo? Punha obstáculos na cozinha e dava umas voltas com ele.
  • 9. ─ Amélia, querida, não podemos ter um cavalo. Os cavalos vivem no campo e precisam de muita erva pra comer. Um cavalo não gostaria de viver aqui. ─ Oh! ─ disse Amélia, e foi para o quarto muito triste.
  • 10. Mas passado um bocado, ela voltou outra vez. ─ Pai, se não podemos ter um cavalo, podemos ter um elefante? Ele acordava-me com a sua tromba e prometo-te que me levantava logo para ir para a escola.
  • 11. ─ Oh! ─ disse Amélia, e foi para o quarto muito triste. ─ Elefantes, Amélia? Os elefantes são grandes, tão grandes que quase não cabem nesta sala. Eles gostam de viver em espaços imensos, muito abertos, e de coçar as costas nas árvores. Não, não podemos ter um elefante. Para mais, nem sequer passava pela porta. Agora vai brincar para o teu quarto.
  • 12. O pai estava prestes a abrir o jornal quando a ouviu de novo. ─ Se não podemos ter um elefante, podemos ter uma baleia? Eu subia para as costas dela e ela atirava-me ao ar com o seu repuxo de água.
  • 13. ─ Amélia, as baleias são enormes! Maiores que toda esta casa! Ainda por cima, vivem no mar e precisam de muita, muita água.
  • 14. ─ Podíamos guardá-la na banheira ─ disse Amélia, esperançada. ─ Amélia, pela última vez, não podemos ter uma baleia. Também não podemos ter um tigre, nem um crocodilo, nem um canguru, nem um hipopótamos, nem um dinossáurio! Agora, por favor, vai brincar para o teu quarto e deixa-me ler o jornal em paz. ─ Oh! ─ disse Amélia, e foi para o quarto muito triste.
  • 15. Alguns minutos depois, ela voltou. ─ Se não podemos ter uma águia, nem um cavalo, nem um elefante, nem uma baleia, nem um tigre, nem um crocodilo, nem um canguru, nem um hipopótamo, nem um dinossáurio, podemos então ter um cãozinho?
  • 16. Amélia abraçou o pai e deu-lhe um beijo. ─ Obrigada! Obrigada! És o melhor pai do mundo! ─ Um cão? Um cachorro? Amélia, essa é uma ideia fantástica! Um cachorrinho… não tem problema nenhum! Podíamos levá-lo a passear ao parque e até dormiria no teu quarto para os monstros não se aproximarem. Sim, sim! Será maravilhoso ter um cachorro!
  • 17. Amélia foi para o quarto a pensar: «Às vezes custa muito convencer os mais crescidos, mas eles lá acabam por chegar à razão.»