SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 16
Baixar para ler offline
Automutilação
Índice 
• O que é a automutilação? 
• O que leva alguém a se automutilar? 
• Por quais razões a Automutilação se desenvolve? 
• Como sei identificar se alguém está com esse 
problema? 
• Depoimentos 
• Alguns famosos que já passaram por isso 
• Automutilação tem tratamento? 
• A quem devo buscar para pedir ajuda/auxílio?
O que é a automutilação? 
É qualquer ato que visa conscientemente lesar ou 
destruir partes do próprio corpo sem que isso tenha 
nenhuma intenção de suicídio. É um sintoma 
comumente relacionado ao Transtorno de 
Personalidade Borderline (TPB), mas também aparece 
em pessoas com depressão, transtorno bipolar, 
síndrome do pânico, bulimia, anorexia, vitimas de 
bullying esquizofrênicos entre muitos outros.
O que leva alguém a se 
automutilar? 
• Durante a adolescência, os incidentes de 
automutilação foram associados de maneira 
independente com sintomas de depressão e 
ansiedade, comportamento antissocial, de alto 
risco de uso de álcool, drogas e cigarro.
Por quais razões a 
Automutilação se desenvolve? 
Embora as causas da automutilação ainda não estejam 
bem definidas, há evidencias de que fatores 
neurobiológicos e fatores psicossociais. 
Os pacientes descrevem o início da automutilação após 
vivência de forte emoção, como raiva, utilizando este 
comportamento como forma de lidar com a emoção, um 
comportamento com características impulsivas. Com o 
decorrer do tempo, o paciente observa que obtém alivio 
de sensações ruins e passa a repetir a automutilação com 
o objetivo de obter alívio novamente. Começa a planejar 
e, muitas vezes, ritualizar a realização do ferimento. Estes 
comportamentos podem ser desencadeados por uma 
vivência traumática ou apenas pela lembrança desta.
Como sei identificar se alguém 
está com esse problema? 
As pessoas que apresentam automutilação sentem 
vergonha e medo de revelar este comportamento, 
por isso procuram esconder as lesões e as fazem 
solitariamente onde não podem ser observadas. Elas 
reconhecem que este comportamento não é bem 
aceito pelas pessoas. 
Desta forma, você poderá desconfiar que alguém 
apresenta automutilação quando essa pessoa:
a) Costuma usar roupas de mangas longas, mesmo 
no verão, com altas temperaturas; 
b) Apresentam várias cicatrizes ou lesões repetidas e 
tem dificuldade para explicá-las; 
c) Isola-se evitando situações onde seu corpo pode 
ser exposto, como praia ou piscina; 
Vale lembrar que estas pessoas podem apresentar 
sintomas depressivos e de fobia social associados.
Depoimentos 
• 1º depoimento 
“quando tinha 15 anos e as feridas eram mais visíveis minha 
mãe me questionava querendo saber o que era aquilo, eu 
dizia sempre que era o Cícero (meu falecido gato) que havia 
me arranhado. Não sei se ela acreditava, mas não 
perguntava novamente. 
Sei o que muitos passam, este aqui é meu relato, há 11 anos 
eu provoquei minhas primeiras feridas, e com o passar dos 
anos, apesar de buscar ajuda, tive diversas recaídas e até 
mesmo uma tentativa de suicídio do histórico, pois há horas 
que um simples corte não anula certas dores mentais. Por isso 
eu estou me expondo aqui, quero que outras pessoas 
consigam falar, se libertar desta dor solitária”
• 2º depoimento 
“Antes eu me arranhava e percebi que a raiva diminuía, 
depois comecei a pegar as facas e a me cortar, agora 
eu faço isso com cacos de vidro, eu tento parar, mas é 
muito difícil, ás vezes tenho recaída da bulimia, e é 
claro ninguém sabe, uma vez eu tentei contar a uma 
amiga e ela disse que não gosta desse tipo de gente, 
que as pessoas fazem isso pra chamar atenção, eu 
também invento desculpas mas eu falo que foi minha 
cadela que me arranhou, e como sempre fui 
desastrada as pessoas acreditam, engraçado que 
aparentemente sou feliz e tenho muitos amigos, mas 
nunca me senti tão sozinha quanto agora.”
• 3º depoimento 
“ Não julgue quem passou ou está passando por 
isso. Você não sabe o quanto dói, isso e só um 
alivio. “
Alguns famosos que já 
passaram por isso 
Em um depoimento Demi falou 
“Algumas vezes eu estava tão ansiosa, 
que sentia como se estivesse deixando 
meu corpo e que se eu não fizesse 
algo para parar isso, iria explodir. Eu 
me automutilava para tirar a minha 
mente dessa ideia. Eu simplesmente 
não ligava para o que iria acontecer. 
Não tinha medo algum”, contou. 
Demi Lovato
Depoimento de Angelina Jolie: " 
Quando eu me sentia aprisionada, eu 
me cortava. Parecia que estava 
tirando algo de dentro de mim e me 
sentia mais honesta. Sei que quando 
admito isso publicamente, ajudo 
pessoas que passam pelas mesmas 
coisas. 
Angelina Jolie
A Automutilação tem 
tratamento? 
Sim, a associação psicoterapia e medicação tem se 
mostrado eficaz nos casos de automutilação. A 
psicoterapia, nestes casos, tem como um dos objetivos 
ajudar o paciente a identificar outras formas de lidar com 
frustrações, que sejam mais eficazes do que seu 
comportamento. Ainda não há medicação específica 
indicada para que o paciente pare de se mutilar, 
entretanto, a medicação pode ser indicada para alívio 
dos sintomas depressivos e ansiosos que podem colaborar 
para a manutenção do comportamento. Há também 
medicações que são usadas para diminuir a impulsividade 
e que ajudam o paciente a resistir a vontade de se 
machucar, caso esta apareça.
A quem devo buscar para 
pedir ajuda/auxílio? 
Buscar profissionais da área de saúde mental, como 
psicólogos e psiquiatras. Seria mais indicado 
profissional com experiência no tratamento de 
pacientes com automutilação, pois estes pacientes 
apresentam algumas peculiaridades. Caso estes 
profissionais não estejam disponíveis, uma vez que 
são raros os profissionais com experiência em 
automutilação, seria indicado profissionais com 
experiência em transtornos do impulso.
• Aluna: Maria Eduarda da Silva Medeiros

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

A Depressão
A DepressãoA Depressão
A Depressão
 
Auto Estima
Auto EstimaAuto Estima
Auto Estima
 
Palestra sobre bullying
Palestra sobre bullyingPalestra sobre bullying
Palestra sobre bullying
 
Bullying
Bullying Bullying
Bullying
 
Depressão
DepressãoDepressão
Depressão
 
Palestra sobre suicídio original
Palestra sobre suicídio originalPalestra sobre suicídio original
Palestra sobre suicídio original
 
Saúde emocional
Saúde emocionalSaúde emocional
Saúde emocional
 
As várias vertentes do suicídio
As várias vertentes do suicídioAs várias vertentes do suicídio
As várias vertentes do suicídio
 
Bullying e suas consequências
 Bullying e suas consequências  Bullying e suas consequências
Bullying e suas consequências
 
Emoções
EmoçõesEmoções
Emoções
 
18 de maio
18 de maio18 de maio
18 de maio
 
Palestra Amigas do Peito - Outubro Rosa
Palestra Amigas do Peito - Outubro RosaPalestra Amigas do Peito - Outubro Rosa
Palestra Amigas do Peito - Outubro Rosa
 
Prevenção ao suicídio - Infância e adolescência
Prevenção ao suicídio - Infância e adolescênciaPrevenção ao suicídio - Infância e adolescência
Prevenção ao suicídio - Infância e adolescência
 
Palestra o suicidio
Palestra o suicidioPalestra o suicidio
Palestra o suicidio
 
Não se mate você não morre
Não se mate você não morreNão se mate você não morre
Não se mate você não morre
 
Apresentação bullying
Apresentação bullyingApresentação bullying
Apresentação bullying
 
Violência sexual contra crianças e adolescentes
Violência sexual contra crianças e adolescentesViolência sexual contra crianças e adolescentes
Violência sexual contra crianças e adolescentes
 
Violência contra a mulher
Violência contra a mulherViolência contra a mulher
Violência contra a mulher
 
O que é violência sexual
O que é violência sexualO que é violência sexual
O que é violência sexual
 
Violência nas escolas palestra para crianças
Violência nas escolas palestra para criançasViolência nas escolas palestra para crianças
Violência nas escolas palestra para crianças
 

Semelhante a Automutilação.

2018-14-Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
2018-14-Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx2018-14-Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
2018-14-Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptxMariaClaraFernandes25
 
PRIMEIROS SOCORROS EM TENTATIVAS DE SUICÍDIO, Prof, Enf: Joselene Beatriz
PRIMEIROS SOCORROS EM TENTATIVAS DE SUICÍDIO, Prof, Enf: Joselene BeatrizPRIMEIROS SOCORROS EM TENTATIVAS DE SUICÍDIO, Prof, Enf: Joselene Beatriz
PRIMEIROS SOCORROS EM TENTATIVAS DE SUICÍDIO, Prof, Enf: Joselene Beatrizjoselene beatriz
 
Guia rápido de Prevenção ao Suicidio mitos e verdades SMS_Rio.pdf
Guia rápido de Prevenção ao Suicidio mitos e verdades SMS_Rio.pdfGuia rápido de Prevenção ao Suicidio mitos e verdades SMS_Rio.pdf
Guia rápido de Prevenção ao Suicidio mitos e verdades SMS_Rio.pdfTelma Lima
 
Falando abertamente sobre suicidio
Falando abertamente sobre suicidioFalando abertamente sobre suicidio
Falando abertamente sobre suicidioRobson Peixoto
 
SETEMBRO AMARELO SUICIDIO.pdf
SETEMBRO AMARELO SUICIDIO.pdfSETEMBRO AMARELO SUICIDIO.pdf
SETEMBRO AMARELO SUICIDIO.pdfBruno Barbosa
 
Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdf
Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdfSetembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdf
Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdfEzziosouza
 
Prevenção Suicidio.pptx
Prevenção Suicidio.pptxPrevenção Suicidio.pptx
Prevenção Suicidio.pptxIradvyGonalves
 
2018-14-Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
2018-14-Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx2018-14-Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
2018-14-Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptxcrismiglioranza
 
Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdf
Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdfSetembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdf
Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdfGabriellaDias35
 
Boletim informativo abril2015
Boletim informativo   abril2015Boletim informativo   abril2015
Boletim informativo abril2015fespiritacrista
 
Perguntas e respostas sobre suicídio
Perguntas e respostas sobre suicídioPerguntas e respostas sobre suicídio
Perguntas e respostas sobre suicídioMANOELJOSEDEARAUJONE
 
Salvamento de suicida
Salvamento de suicidaSalvamento de suicida
Salvamento de suicidaKleber Alves
 
SetembroAmarelo_Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
SetembroAmarelo_Vamos-falar-sobre-suicídio.pptxSetembroAmarelo_Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
SetembroAmarelo_Vamos-falar-sobre-suicídio.pptxLourdesGomes14
 
SUICÍDIO - ORIENTAÇÕES PARA PROFISSIONAIS DE PSICOLOGIA
SUICÍDIO - ORIENTAÇÕES PARA PROFISSIONAIS DE PSICOLOGIASUICÍDIO - ORIENTAÇÕES PARA PROFISSIONAIS DE PSICOLOGIA
SUICÍDIO - ORIENTAÇÕES PARA PROFISSIONAIS DE PSICOLOGIARafael Almeida
 

Semelhante a Automutilação. (20)

2018-14-Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
2018-14-Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx2018-14-Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
2018-14-Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
 
PRIMEIROS SOCORROS EM TENTATIVAS DE SUICÍDIO, Prof, Enf: Joselene Beatriz
PRIMEIROS SOCORROS EM TENTATIVAS DE SUICÍDIO, Prof, Enf: Joselene BeatrizPRIMEIROS SOCORROS EM TENTATIVAS DE SUICÍDIO, Prof, Enf: Joselene Beatriz
PRIMEIROS SOCORROS EM TENTATIVAS DE SUICÍDIO, Prof, Enf: Joselene Beatriz
 
Guia rápido de Prevenção ao Suicidio mitos e verdades SMS_Rio.pdf
Guia rápido de Prevenção ao Suicidio mitos e verdades SMS_Rio.pdfGuia rápido de Prevenção ao Suicidio mitos e verdades SMS_Rio.pdf
Guia rápido de Prevenção ao Suicidio mitos e verdades SMS_Rio.pdf
 
setembro amarelo meire.pptx
setembro amarelo meire.pptxsetembro amarelo meire.pptx
setembro amarelo meire.pptx
 
Falando abertamente sobre suicidio
Falando abertamente sobre suicidioFalando abertamente sobre suicidio
Falando abertamente sobre suicidio
 
SUICÍDIO.pptx
SUICÍDIO.pptxSUICÍDIO.pptx
SUICÍDIO.pptx
 
SETEMBRO AMARELO SUICIDIO.pdf
SETEMBRO AMARELO SUICIDIO.pdfSETEMBRO AMARELO SUICIDIO.pdf
SETEMBRO AMARELO SUICIDIO.pdf
 
Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdf
Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdfSetembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdf
Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdf
 
Suicídio: Atenção na Prevenção
Suicídio: Atenção na Prevenção   Suicídio: Atenção na Prevenção
Suicídio: Atenção na Prevenção
 
Prevenção Suicidio.pptx
Prevenção Suicidio.pptxPrevenção Suicidio.pptx
Prevenção Suicidio.pptx
 
2018-14-Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
2018-14-Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx2018-14-Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
2018-14-Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
 
Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdf
Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdfSetembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdf
Setembro-Amarelo-Vamos-falar-sobre-suicídio.pdf
 
Você não esta sozinho
Você não esta sozinhoVocê não esta sozinho
Você não esta sozinho
 
Boletim informativo abril2015
Boletim informativo   abril2015Boletim informativo   abril2015
Boletim informativo abril2015
 
setembro amarelo Dr Celiomar.pptx
setembro amarelo Dr Celiomar.pptxsetembro amarelo Dr Celiomar.pptx
setembro amarelo Dr Celiomar.pptx
 
Perguntas e respostas sobre suicídio
Perguntas e respostas sobre suicídioPerguntas e respostas sobre suicídio
Perguntas e respostas sobre suicídio
 
Salvamento de suicida
Salvamento de suicidaSalvamento de suicida
Salvamento de suicida
 
Edição n. 39 do CH Noticias - Setembro/2018
Edição n. 39 do CH Noticias - Setembro/2018Edição n. 39 do CH Noticias - Setembro/2018
Edição n. 39 do CH Noticias - Setembro/2018
 
SetembroAmarelo_Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
SetembroAmarelo_Vamos-falar-sobre-suicídio.pptxSetembroAmarelo_Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
SetembroAmarelo_Vamos-falar-sobre-suicídio.pptx
 
SUICÍDIO - ORIENTAÇÕES PARA PROFISSIONAIS DE PSICOLOGIA
SUICÍDIO - ORIENTAÇÕES PARA PROFISSIONAIS DE PSICOLOGIASUICÍDIO - ORIENTAÇÕES PARA PROFISSIONAIS DE PSICOLOGIA
SUICÍDIO - ORIENTAÇÕES PARA PROFISSIONAIS DE PSICOLOGIA
 

Mais de Eduarda Medeiros

Homônimos, parônimos, sinônimos e antônimos
Homônimos, parônimos, sinônimos e antônimosHomônimos, parônimos, sinônimos e antônimos
Homônimos, parônimos, sinônimos e antônimosEduarda Medeiros
 
Sífilis- Sintomas e Tratamentos
Sífilis- Sintomas e TratamentosSífilis- Sintomas e Tratamentos
Sífilis- Sintomas e TratamentosEduarda Medeiros
 
Origem e evolução da vida
Origem e evolução da vidaOrigem e evolução da vida
Origem e evolução da vidaEduarda Medeiros
 
Planetas do sistema solar
Planetas do sistema solar Planetas do sistema solar
Planetas do sistema solar Eduarda Medeiros
 
Estrelas Cadentes- Um Pouco Sobre Elas
Estrelas Cadentes- Um Pouco Sobre ElasEstrelas Cadentes- Um Pouco Sobre Elas
Estrelas Cadentes- Um Pouco Sobre ElasEduarda Medeiros
 

Mais de Eduarda Medeiros (9)

Homônimos, parônimos, sinônimos e antônimos
Homônimos, parônimos, sinônimos e antônimosHomônimos, parônimos, sinônimos e antônimos
Homônimos, parônimos, sinônimos e antônimos
 
Polo Aquático
Polo AquáticoPolo Aquático
Polo Aquático
 
Sífilis- Sintomas e Tratamentos
Sífilis- Sintomas e TratamentosSífilis- Sintomas e Tratamentos
Sífilis- Sintomas e Tratamentos
 
Ebola.
Ebola.Ebola.
Ebola.
 
Origem e evolução da vida
Origem e evolução da vidaOrigem e evolução da vida
Origem e evolução da vida
 
Regiões do brasil.
Regiões do brasil.Regiões do brasil.
Regiões do brasil.
 
Planetas do sistema solar
Planetas do sistema solar Planetas do sistema solar
Planetas do sistema solar
 
Estrelas Cadentes- Um Pouco Sobre Elas
Estrelas Cadentes- Um Pouco Sobre ElasEstrelas Cadentes- Um Pouco Sobre Elas
Estrelas Cadentes- Um Pouco Sobre Elas
 
História Sobre Posêidon
História Sobre PosêidonHistória Sobre Posêidon
História Sobre Posêidon
 

Automutilação.

  • 2. Índice • O que é a automutilação? • O que leva alguém a se automutilar? • Por quais razões a Automutilação se desenvolve? • Como sei identificar se alguém está com esse problema? • Depoimentos • Alguns famosos que já passaram por isso • Automutilação tem tratamento? • A quem devo buscar para pedir ajuda/auxílio?
  • 3. O que é a automutilação? É qualquer ato que visa conscientemente lesar ou destruir partes do próprio corpo sem que isso tenha nenhuma intenção de suicídio. É um sintoma comumente relacionado ao Transtorno de Personalidade Borderline (TPB), mas também aparece em pessoas com depressão, transtorno bipolar, síndrome do pânico, bulimia, anorexia, vitimas de bullying esquizofrênicos entre muitos outros.
  • 4. O que leva alguém a se automutilar? • Durante a adolescência, os incidentes de automutilação foram associados de maneira independente com sintomas de depressão e ansiedade, comportamento antissocial, de alto risco de uso de álcool, drogas e cigarro.
  • 5.
  • 6. Por quais razões a Automutilação se desenvolve? Embora as causas da automutilação ainda não estejam bem definidas, há evidencias de que fatores neurobiológicos e fatores psicossociais. Os pacientes descrevem o início da automutilação após vivência de forte emoção, como raiva, utilizando este comportamento como forma de lidar com a emoção, um comportamento com características impulsivas. Com o decorrer do tempo, o paciente observa que obtém alivio de sensações ruins e passa a repetir a automutilação com o objetivo de obter alívio novamente. Começa a planejar e, muitas vezes, ritualizar a realização do ferimento. Estes comportamentos podem ser desencadeados por uma vivência traumática ou apenas pela lembrança desta.
  • 7. Como sei identificar se alguém está com esse problema? As pessoas que apresentam automutilação sentem vergonha e medo de revelar este comportamento, por isso procuram esconder as lesões e as fazem solitariamente onde não podem ser observadas. Elas reconhecem que este comportamento não é bem aceito pelas pessoas. Desta forma, você poderá desconfiar que alguém apresenta automutilação quando essa pessoa:
  • 8. a) Costuma usar roupas de mangas longas, mesmo no verão, com altas temperaturas; b) Apresentam várias cicatrizes ou lesões repetidas e tem dificuldade para explicá-las; c) Isola-se evitando situações onde seu corpo pode ser exposto, como praia ou piscina; Vale lembrar que estas pessoas podem apresentar sintomas depressivos e de fobia social associados.
  • 9. Depoimentos • 1º depoimento “quando tinha 15 anos e as feridas eram mais visíveis minha mãe me questionava querendo saber o que era aquilo, eu dizia sempre que era o Cícero (meu falecido gato) que havia me arranhado. Não sei se ela acreditava, mas não perguntava novamente. Sei o que muitos passam, este aqui é meu relato, há 11 anos eu provoquei minhas primeiras feridas, e com o passar dos anos, apesar de buscar ajuda, tive diversas recaídas e até mesmo uma tentativa de suicídio do histórico, pois há horas que um simples corte não anula certas dores mentais. Por isso eu estou me expondo aqui, quero que outras pessoas consigam falar, se libertar desta dor solitária”
  • 10. • 2º depoimento “Antes eu me arranhava e percebi que a raiva diminuía, depois comecei a pegar as facas e a me cortar, agora eu faço isso com cacos de vidro, eu tento parar, mas é muito difícil, ás vezes tenho recaída da bulimia, e é claro ninguém sabe, uma vez eu tentei contar a uma amiga e ela disse que não gosta desse tipo de gente, que as pessoas fazem isso pra chamar atenção, eu também invento desculpas mas eu falo que foi minha cadela que me arranhou, e como sempre fui desastrada as pessoas acreditam, engraçado que aparentemente sou feliz e tenho muitos amigos, mas nunca me senti tão sozinha quanto agora.”
  • 11. • 3º depoimento “ Não julgue quem passou ou está passando por isso. Você não sabe o quanto dói, isso e só um alivio. “
  • 12. Alguns famosos que já passaram por isso Em um depoimento Demi falou “Algumas vezes eu estava tão ansiosa, que sentia como se estivesse deixando meu corpo e que se eu não fizesse algo para parar isso, iria explodir. Eu me automutilava para tirar a minha mente dessa ideia. Eu simplesmente não ligava para o que iria acontecer. Não tinha medo algum”, contou. Demi Lovato
  • 13. Depoimento de Angelina Jolie: " Quando eu me sentia aprisionada, eu me cortava. Parecia que estava tirando algo de dentro de mim e me sentia mais honesta. Sei que quando admito isso publicamente, ajudo pessoas que passam pelas mesmas coisas. Angelina Jolie
  • 14. A Automutilação tem tratamento? Sim, a associação psicoterapia e medicação tem se mostrado eficaz nos casos de automutilação. A psicoterapia, nestes casos, tem como um dos objetivos ajudar o paciente a identificar outras formas de lidar com frustrações, que sejam mais eficazes do que seu comportamento. Ainda não há medicação específica indicada para que o paciente pare de se mutilar, entretanto, a medicação pode ser indicada para alívio dos sintomas depressivos e ansiosos que podem colaborar para a manutenção do comportamento. Há também medicações que são usadas para diminuir a impulsividade e que ajudam o paciente a resistir a vontade de se machucar, caso esta apareça.
  • 15. A quem devo buscar para pedir ajuda/auxílio? Buscar profissionais da área de saúde mental, como psicólogos e psiquiatras. Seria mais indicado profissional com experiência no tratamento de pacientes com automutilação, pois estes pacientes apresentam algumas peculiaridades. Caso estes profissionais não estejam disponíveis, uma vez que são raros os profissionais com experiência em automutilação, seria indicado profissionais com experiência em transtornos do impulso.
  • 16. • Aluna: Maria Eduarda da Silva Medeiros