SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 10
Baixar para ler offline
EBOLA
Vírus Mortal
O QUE É A EBOLA?
É uma febre grave do tipo hemorrágico transmitida por um
vírus do gênero Filovirus, altamente infeccioso, que
desenvolve seu ciclo em animais..
CLASSIFICAÇÃO DA DOENÇA
A doença é classificada como uma zoonose.
Embora os morcegos frutívoros sejam
considerados os prováveis reservatórios naturais
do vírus ebola, ele já foi encontrado em gorilas,
chimpanzés, antílopes e porcos. Os especialistas
defendem a hipótes de que a transmissão dos
animais infectados para os seres humanos ocorra
por meio do sangue e de fluidos corporais, como
sêmen, saliva, lágrimas, suor, urina e fezes.
DIAGNÓSTICO
Uma das dificuldades para estabelecer o diagnóstico precoce da
doença provocada pelo vírus ebola é que, no início, os sintomas
podem ser confundidos com os de enfermidades como gripe,
dengue hemorrágica, febre tifoide e malária. O levantamento da
história do paciente, se esteve exposto a situações de risco e o
resultado de testes sorológicos (Elisa IgM, PCR) e o isolamento
viral são fundamentais para determinar a causa e o agente da
infecção.
Diante da possibilidade de uma pessoa ter entrado em contato
com o vírus ebola, ela deve ser isolada e os serviços de saúde
notificados.
SINTOMAS
Febre, dor de cabeça muito forte, fraqueza muscular, dor de
garganta e nas articulações, calafrios são os primeiros sinais da
doença que aparecem de forma abrupta depois de cinco a dez
dias do início da infecção pelo vírus ebola. Com o agravamento
do quadro, outros sintomas aparecem: náuseas, vômitos e
diarreia (com sangue), garganta inflamada, erupção cutânea,
olhos vermelhos, tosse, dor no peito e no estômago,
insuficiência renal e hepática, hemorragia interna, sangramento
pelos olhos, ouvidos, nariz e reto.
O período de incubação dura de 2 a 21 dias. Os sinais e
sintomas variam de um paciente para outro.
TRATAMENTO
Não existe tratamento específico para combater o vírus ebola,
que infecta adultos e crianças sem distinção. Não existe
também uma vacina contra a doença, mas já foi testada uma
fórmula em macacos, morcegos e porcos-espinhos que mostrou
resultados positivos nesses animais.
O único recurso terapêutico contra a infecção causada pelo
ebola é oferecer medidas de suporte, como reposição de fluidos
e eletrólitos, hidratação, controle da pressão arterial e dos níveis
de oxigenação do sangue, além do tratamento das
complicações infecciosas que possam surgir.
RECOMENDAÇÕES
 As seguintes medidas são fundamentais para evitar o contato
com o vírus ebola, como forma de prevenir a infecção e evitar
a disseminação da doença:
 Lave as mãos com frequência com água e sabão. Se não for
possível, esfregue-as com álcool gel;
 Procure não frequentar lugares que facilitem a exposição ao
vírus ebola;
 Evite contato com pessoas infectadas. Quanto mais
avançada a doença, maior a concentração de vírus e mais
fácil o contágio;
 Use vestimentas de proteção, como macacões e botas de
borracha, aventais, luvas e máscaras descartáveis e
protetores oculares, sempre que tiver de lidar com os
pacientes. Sob nenhum pretexto reutilize agulhas e seringas.
Instrumentos médicos metálicos que serão reaproveitados
devem ser esterilizados.
 Só coma alimentos de procedência conhecida;
 Lembre que o corpo dos doentes continua oferecendo risco
de contágio mesmo depois da morte.
Ebola.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Seminário Sobre Ebola
Seminário Sobre Ebola Seminário Sobre Ebola
Seminário Sobre Ebola
 
Ebola
EbolaEbola
Ebola
 
Ebola
EbolaEbola
Ebola
 
Vírus Ebola, Surgimento e Atualidades
Vírus Ebola, Surgimento e AtualidadesVírus Ebola, Surgimento e Atualidades
Vírus Ebola, Surgimento e Atualidades
 
Ebola
EbolaEbola
Ebola
 
Virus ebola 2014
Virus ebola 2014Virus ebola 2014
Virus ebola 2014
 
Vírus Ebola
Vírus EbolaVírus Ebola
Vírus Ebola
 
Ebola
EbolaEbola
Ebola
 
ebola
ebolaebola
ebola
 
Epidemia de ebola
Epidemia de ebolaEpidemia de ebola
Epidemia de ebola
 
Semninário Febre Amarela
Semninário Febre AmarelaSemninário Febre Amarela
Semninário Febre Amarela
 
Palestra de Dengue
Palestra de DenguePalestra de Dengue
Palestra de Dengue
 
CiêNcias+[1]..
CiêNcias+[1]..CiêNcias+[1]..
CiêNcias+[1]..
 
Gripe, Febre Amarela, AIDS, Dengue.
Gripe, Febre Amarela, AIDS, Dengue.Gripe, Febre Amarela, AIDS, Dengue.
Gripe, Febre Amarela, AIDS, Dengue.
 
Doenças virais
Doenças viraisDoenças virais
Doenças virais
 
Doenças virais
Doenças viraisDoenças virais
Doenças virais
 
Trabalho sobre febre amarela
Trabalho sobre febre amarela Trabalho sobre febre amarela
Trabalho sobre febre amarela
 
Febre Amarela epidemiologia
Febre Amarela epidemiologiaFebre Amarela epidemiologia
Febre Amarela epidemiologia
 
Doenças Causadas por Vírus
Doenças Causadas por VírusDoenças Causadas por Vírus
Doenças Causadas por Vírus
 
Ebola 1 F
Ebola 1 FEbola 1 F
Ebola 1 F
 

Destaque

Ebola virus
Ebola virusEbola virus
Ebola virusphilhote
 
EBOLA 2014 FISIOPATOLOGIA TRATAMIENTO MANEJO COMPLETO COLOMBIA
EBOLA 2014 FISIOPATOLOGIA TRATAMIENTO MANEJO COMPLETO COLOMBIAEBOLA 2014 FISIOPATOLOGIA TRATAMIENTO MANEJO COMPLETO COLOMBIA
EBOLA 2014 FISIOPATOLOGIA TRATAMIENTO MANEJO COMPLETO COLOMBIADiego Rodriguez
 
Ebola Virus Disease
Ebola Virus DiseaseEbola Virus Disease
Ebola Virus Diseaseguimera
 
Ebola (Feira de Ciencias 2014, 9º ano)
Ebola (Feira de Ciencias 2014, 9º ano) Ebola (Feira de Ciencias 2014, 9º ano)
Ebola (Feira de Ciencias 2014, 9º ano) Vitoria Vitoria
 
Alimentos organicos
Alimentos organicos Alimentos organicos
Alimentos organicos Keylla Tayne
 
Produtos Orgânicos
Produtos OrgânicosProdutos Orgânicos
Produtos OrgânicosJehn
 
Patogenia das Doenças Infecciosas
Patogenia das Doenças InfecciosasPatogenia das Doenças Infecciosas
Patogenia das Doenças Infecciosasbrunna queiroz
 
Palestra sobre agrotóxicos e alimentos orgânicos
Palestra sobre agrotóxicos e alimentos orgânicosPalestra sobre agrotóxicos e alimentos orgânicos
Palestra sobre agrotóxicos e alimentos orgânicosPueri Domus Araraquara
 

Destaque (14)

Ebola virus
Ebola virusEbola virus
Ebola virus
 
EBOLA 2014 FISIOPATOLOGIA TRATAMIENTO MANEJO COMPLETO COLOMBIA
EBOLA 2014 FISIOPATOLOGIA TRATAMIENTO MANEJO COMPLETO COLOMBIAEBOLA 2014 FISIOPATOLOGIA TRATAMIENTO MANEJO COMPLETO COLOMBIA
EBOLA 2014 FISIOPATOLOGIA TRATAMIENTO MANEJO COMPLETO COLOMBIA
 
Ebola virus
Ebola virusEbola virus
Ebola virus
 
Ebola Virus Disease
Ebola Virus DiseaseEbola Virus Disease
Ebola Virus Disease
 
Ebola (Feira de Ciencias 2014, 9º ano)
Ebola (Feira de Ciencias 2014, 9º ano) Ebola (Feira de Ciencias 2014, 9º ano)
Ebola (Feira de Ciencias 2014, 9º ano)
 
Ebola.pptx
Ebola.pptxEbola.pptx
Ebola.pptx
 
Alimentos organicos
Alimentos organicos Alimentos organicos
Alimentos organicos
 
Produtos Orgânicos
Produtos OrgânicosProdutos Orgânicos
Produtos Orgânicos
 
Alimentos orgânicos
Alimentos orgânicosAlimentos orgânicos
Alimentos orgânicos
 
Patogenia das Doenças Infecciosas
Patogenia das Doenças InfecciosasPatogenia das Doenças Infecciosas
Patogenia das Doenças Infecciosas
 
Protocolo Manejo Influenza-MS
Protocolo Manejo Influenza-MSProtocolo Manejo Influenza-MS
Protocolo Manejo Influenza-MS
 
Ebola ppt
Ebola pptEbola ppt
Ebola ppt
 
Palestra sobre agrotóxicos e alimentos orgânicos
Palestra sobre agrotóxicos e alimentos orgânicosPalestra sobre agrotóxicos e alimentos orgânicos
Palestra sobre agrotóxicos e alimentos orgânicos
 
Alimentos orgânicos
Alimentos orgânicosAlimentos orgânicos
Alimentos orgânicos
 

Semelhante a Ebola.

Semelhante a Ebola. (20)

Vírusebola
VírusebolaVírusebola
Vírusebola
 
bola
bolabola
bola
 
Lucas 7ª A
Lucas 7ª ALucas 7ª A
Lucas 7ª A
 
Doenças
DoençasDoenças
Doenças
 
Doencas em geral
Doencas em geralDoencas em geral
Doencas em geral
 
7.Ameças emergentes e reemergentess de doenças infecciosas.pptx
7.Ameças emergentes e reemergentess de doenças infecciosas.pptx7.Ameças emergentes e reemergentess de doenças infecciosas.pptx
7.Ameças emergentes e reemergentess de doenças infecciosas.pptx
 
Ebola – Perguntas e Respostas
Ebola – Perguntas e RespostasEbola – Perguntas e Respostas
Ebola – Perguntas e Respostas
 
Doenlas Infecciosas
Doenlas InfecciosasDoenlas Infecciosas
Doenlas Infecciosas
 
Viroses
VirosesViroses
Viroses
 
Doenças transmitidas por vetores.pptx
Doenças transmitidas por vetores.pptxDoenças transmitidas por vetores.pptx
Doenças transmitidas por vetores.pptx
 
Esquema conceitual de imunologia
Esquema conceitual de imunologiaEsquema conceitual de imunologia
Esquema conceitual de imunologia
 
Infecto contagiosas
Infecto contagiosasInfecto contagiosas
Infecto contagiosas
 
Doenças infeciosas
Doenças infeciosas Doenças infeciosas
Doenças infeciosas
 
viroses
virosesviroses
viroses
 
Tudo que você precisa saber sobre a dengue
Tudo que você precisa saber sobre a dengueTudo que você precisa saber sobre a dengue
Tudo que você precisa saber sobre a dengue
 
Tudo sobre dengue
Tudo sobre dengueTudo sobre dengue
Tudo sobre dengue
 
saude publica.pdf
saude publica.pdfsaude publica.pdf
saude publica.pdf
 
MANEJO LABORATORIAL - TR COVID-19.pptx
MANEJO LABORATORIAL - TR COVID-19.pptxMANEJO LABORATORIAL - TR COVID-19.pptx
MANEJO LABORATORIAL - TR COVID-19.pptx
 
Catapora ou varicela
Catapora ou varicelaCatapora ou varicela
Catapora ou varicela
 
Saneamento
SaneamentoSaneamento
Saneamento
 

Mais de Eduarda Medeiros

Homônimos, parônimos, sinônimos e antônimos
Homônimos, parônimos, sinônimos e antônimosHomônimos, parônimos, sinônimos e antônimos
Homônimos, parônimos, sinônimos e antônimosEduarda Medeiros
 
Sífilis- Sintomas e Tratamentos
Sífilis- Sintomas e TratamentosSífilis- Sintomas e Tratamentos
Sífilis- Sintomas e TratamentosEduarda Medeiros
 
Origem e evolução da vida
Origem e evolução da vidaOrigem e evolução da vida
Origem e evolução da vidaEduarda Medeiros
 
Planetas do sistema solar
Planetas do sistema solar Planetas do sistema solar
Planetas do sistema solar Eduarda Medeiros
 
Estrelas Cadentes- Um Pouco Sobre Elas
Estrelas Cadentes- Um Pouco Sobre ElasEstrelas Cadentes- Um Pouco Sobre Elas
Estrelas Cadentes- Um Pouco Sobre ElasEduarda Medeiros
 

Mais de Eduarda Medeiros (9)

Homônimos, parônimos, sinônimos e antônimos
Homônimos, parônimos, sinônimos e antônimosHomônimos, parônimos, sinônimos e antônimos
Homônimos, parônimos, sinônimos e antônimos
 
Polo Aquático
Polo AquáticoPolo Aquático
Polo Aquático
 
Sífilis- Sintomas e Tratamentos
Sífilis- Sintomas e TratamentosSífilis- Sintomas e Tratamentos
Sífilis- Sintomas e Tratamentos
 
Automutilação.
Automutilação.Automutilação.
Automutilação.
 
Origem e evolução da vida
Origem e evolução da vidaOrigem e evolução da vida
Origem e evolução da vida
 
Regiões do brasil.
Regiões do brasil.Regiões do brasil.
Regiões do brasil.
 
Planetas do sistema solar
Planetas do sistema solar Planetas do sistema solar
Planetas do sistema solar
 
Estrelas Cadentes- Um Pouco Sobre Elas
Estrelas Cadentes- Um Pouco Sobre ElasEstrelas Cadentes- Um Pouco Sobre Elas
Estrelas Cadentes- Um Pouco Sobre Elas
 
História Sobre Posêidon
História Sobre PosêidonHistória Sobre Posêidon
História Sobre Posêidon
 

Ebola.

  • 2. O QUE É A EBOLA? É uma febre grave do tipo hemorrágico transmitida por um vírus do gênero Filovirus, altamente infeccioso, que desenvolve seu ciclo em animais..
  • 3. CLASSIFICAÇÃO DA DOENÇA A doença é classificada como uma zoonose. Embora os morcegos frutívoros sejam considerados os prováveis reservatórios naturais do vírus ebola, ele já foi encontrado em gorilas, chimpanzés, antílopes e porcos. Os especialistas defendem a hipótes de que a transmissão dos animais infectados para os seres humanos ocorra por meio do sangue e de fluidos corporais, como sêmen, saliva, lágrimas, suor, urina e fezes.
  • 4. DIAGNÓSTICO Uma das dificuldades para estabelecer o diagnóstico precoce da doença provocada pelo vírus ebola é que, no início, os sintomas podem ser confundidos com os de enfermidades como gripe, dengue hemorrágica, febre tifoide e malária. O levantamento da história do paciente, se esteve exposto a situações de risco e o resultado de testes sorológicos (Elisa IgM, PCR) e o isolamento viral são fundamentais para determinar a causa e o agente da infecção. Diante da possibilidade de uma pessoa ter entrado em contato com o vírus ebola, ela deve ser isolada e os serviços de saúde notificados.
  • 5.
  • 6. SINTOMAS Febre, dor de cabeça muito forte, fraqueza muscular, dor de garganta e nas articulações, calafrios são os primeiros sinais da doença que aparecem de forma abrupta depois de cinco a dez dias do início da infecção pelo vírus ebola. Com o agravamento do quadro, outros sintomas aparecem: náuseas, vômitos e diarreia (com sangue), garganta inflamada, erupção cutânea, olhos vermelhos, tosse, dor no peito e no estômago, insuficiência renal e hepática, hemorragia interna, sangramento pelos olhos, ouvidos, nariz e reto. O período de incubação dura de 2 a 21 dias. Os sinais e sintomas variam de um paciente para outro.
  • 7. TRATAMENTO Não existe tratamento específico para combater o vírus ebola, que infecta adultos e crianças sem distinção. Não existe também uma vacina contra a doença, mas já foi testada uma fórmula em macacos, morcegos e porcos-espinhos que mostrou resultados positivos nesses animais. O único recurso terapêutico contra a infecção causada pelo ebola é oferecer medidas de suporte, como reposição de fluidos e eletrólitos, hidratação, controle da pressão arterial e dos níveis de oxigenação do sangue, além do tratamento das complicações infecciosas que possam surgir.
  • 8. RECOMENDAÇÕES  As seguintes medidas são fundamentais para evitar o contato com o vírus ebola, como forma de prevenir a infecção e evitar a disseminação da doença:  Lave as mãos com frequência com água e sabão. Se não for possível, esfregue-as com álcool gel;  Procure não frequentar lugares que facilitem a exposição ao vírus ebola;  Evite contato com pessoas infectadas. Quanto mais avançada a doença, maior a concentração de vírus e mais fácil o contágio;
  • 9.  Use vestimentas de proteção, como macacões e botas de borracha, aventais, luvas e máscaras descartáveis e protetores oculares, sempre que tiver de lidar com os pacientes. Sob nenhum pretexto reutilize agulhas e seringas. Instrumentos médicos metálicos que serão reaproveitados devem ser esterilizados.  Só coma alimentos de procedência conhecida;  Lembre que o corpo dos doentes continua oferecendo risco de contágio mesmo depois da morte.