SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 63
COR Palestra tão grande quanto a sua importância.
Parte1 A parte teórica que (quase) todo mundo sabe.
A Cor. A cor é a primeira coisa que registramos. Ela pode decorar, isolar, classificar, destacar, informar.  A cor é uma onda de luz que depende de nossa visão para existir.
Classificação da cor. Primárias.                                     Aditivas                                   Subtrativas RGB                                         CMY  K    Branco                                    Marrom escuro Secundárias. Agrupamento dessas cores formando outras.
Propriedades da cor. Matiz: a cor em sí. Saturação: a pureza da cor, a vida da cor. Cinza Valor: a claridade da cor. Preto e branco.
A roda.
Combinando cores.    O CONTEXTO. Qual cliente?  Qual a mensagem?  Qual o público?  Combinações: Monocromática. Complementar. Complementar dividida. Tríades. Análogas. Complementares mútuas. Complementares perto Complementares duplas.
Combinando cores. Cor subordinada: cor para complemento e contraste. Cor acentuante: detalhes visuais. Cor dominante: a cor principal. dominante Subordinada Acentuante
7 contrastes cromáticos. Cores puras. Claro-escuro. Quente-frio.(cores quentes e frias podem variar num contexto). Complementar . Simultâneo(ilusão de ótica). Saturação. Quantidade/extrensão.
Proporção harmônica. (contraste de quantidade) Luminosidade de Goethe/Teoria de Itten. Cor mais luminosa deve ser combinada com uma cor mais escura. Amarelo:vermelho:azul – 3:6:8
Cores especiais. Pantone: Cores sólidas e fortes. Logotipos Fluorescente: Vibrante, mas por exigir atenção demais pode cansar. Metálica:Uso decorativo. Luxo.
Sibolismo das cores. Reações e simbolismos comuns Variam em cada cultura. Não é uma FÓRMULA.
Efeitos das cores. Pós imagem – Complementares. Profundidade  Tamanho - 	Cores claras parecem mais largas. Distância – Bloco maior de cor parece mais perto. Vibração.
Parte 2  O antes o agora e o depois.
Cores pré-históricas. Gama limitada pelos materiais. Ocre (óxido de ferro) – sangue e vida Preto (carvão)- contorno Amarelo ocre- sol Branco brilhante (calcita) – luz
Cores egípcias. Começo dos pigmentos sintéticos. Maior duração para as pinturas. Verde (malaquita) – cor do Nilo. Vermelho vivo (cinabre) Roxo tírio (búzios do Tírio) – Riqueza e poder Azul egípcio (sílica cobre e cálcio)
Tempos medievais. O esplendor do ouro. Simbolismo da glória e paraíso. Junção com o vermelho e verde para criar solidez. Encontrado em pinturas, artefatos e tecidos. Símbolo de nobreza.
Maestá. Duccio di Buoninsegna
Período Bizantino. Afrescos: pigmentos orgânicos facilitando o escurecimento. Cores que não podiam ser colocadas juntas. Vermelhão + Branco chumbo= preto. Cores provenientes da terra: Sinopla (vermelho), Umbre Cru ( Marrom), Siena cru ( Amarelo), Terra Verde, Azurita (Azul), Branco (Cal).
Lamentação sobre cristo morto - Giotto
Início da Renascença. A cor como status para os patronos. Cores importadas: azul ultramarino (Lápis-lazuli) e vermelho brilhante (enxofre e mercúrio). Cores para significação da narrativa. Cores puras para os divinos e cores misturadas para os corrompidos.
A coroação da Virgem - EnguerrandQuarton
Leonardo. Uso do claro-escuro efeito de relevo e tridimensionalidade. Sfumato: cores e contornos esfumaçados. Perspectiva aérea: afastamento usando o azul. Cores brilhantes banidas.
A virgem, Jesus criança e Santa Ana.  Ginevrade´Benci.
Escola Veneziana. Pigmentos ricos e puros. Tintas importadas e de ótima qualidade. Saturação e brilho usadas para criar uma cor natural.
A família de Dario diante de Aexandre- Paolo Veronese
Rococó. Corte das sombras. Transparência nas pinturas. Cores frescas e suaves para decoração. Utilização do ouro.
Jean-HonroéFragnond.
Harmonia e contraste. EugèneDelacroix  - romantismo francês. Harmonia baseada em contrastes. Cores complementares. Força total dos matizes. Pele avermelhada – sombra verde Luz do sol amarela- sombra violeta
Eugene Delacroix.
Impressionismo. Tons complementares para captar a luz. Pouca utilização de tons terrosos. Pigmentos puros e brilhantes escondendo os tons escurecidos. “O ar fresco é violeta” – Monet.
Mulher com o guarda sol – Monet.
Pontilhismo. Teorias científicas aplicadas ao trabalho. Cores poderiam ser misturadas pelos olhos assim como na palheta. Mistura optícas são mais luminosas. Somente matizes puros usados nos quadros.
Expressionismo.  “Não pinto o que vejo e sim o que sinto” – Van Gogh. Cores chocantes e nervosas. As complementares com as suas vibrações.
O café a noite-Van Gogh
Oriente. Cinco cores primárias:amarelo, vermelho, branco, preto e azul. Cores suaves e frescas causadas por matizes pálidos (mistura da tinta com a água). Azul turquesa e rosa pessêgo. Repetição de cores em diferentes elementos da pintura.
Cubismo. 	Picasso: Fase azul (depressão), fase rosa (amor e alegria). Cubismo analítico: Preto, branco marrom e cinza (cor dos cantos e espaços.) Cubismo sintético: cores primárias. Cezáne: cor fria sobre cor quente e cinzas criando volume.
Fovismo. Os “animais selvagens”. Cor pura, agitando o olho. Quadros com mesmo brilho e saturação mantendo a atenção em todos os pontos. Cores são bastões de dinamites.
Harmonia em vermelho- Matisse
Influências orientais. Paul Klee. Amarelos, azuis, lilases e verdes. O calor do sol e o azul do céu. Padronagens com cores e formas para dar sentido e rítimo. Tons translúcidos da aquarela
Abstrato. A cor como um elemento principal. Transmitindo emoções e mensagens. A cor domina os sentidos. 	Impressão enigmática- Mark Rothko
Novas abordagens. Pós-guerra: O começo da separação da cor do seu contexto. Maneiras não convencionais. Novas técnicas (pintar por cima de fotos) e novos materiais (esmalte de unha). A cor finalmente ficou livre.
Andy  wahrol. Jackson Pollock
Web. Cores para organizar informações. Procurar visualidade e leitura. Selecionar o público alvo. Se for para uma empresa, reforçar a marca. Procurar uma ligação com o navegante (nacionalidade). Palheta safe devido aos diferentes aparelhos.
Web. Cuidado com exageros. Seliguempobres!  Existe uma cor institucional? Como montar uma palheta com ela?  O contraste é mais importante do que nunca. A cor não é só um valor estético é um código estrututal. Muito cuidado. Você sabia: Chineses gostam de páginas coloridas já os alemães preferem uma estética mais simples.
Job de Cores. Palheta subjetiva. Sua palheta pessoal. Situações e emoções: gato da família atropelado, almoço de domingo na casa da vovó, baile de formatura, quarto do seu primeiro filho, vizinho cortando grama sábado 7h da manhã, passei no vestibular, chegando suado do futebol. Palheta Objetiva Escolher 4 tipos de contrastes e  montar uma composição utilizando-os.
Bibliografia. ColourAmbrose Harris. CorAlison Cole. AcornoprocessocriativoLilianMiller. PlanejamentovisualgráficoMiltonRobeiro. DesignretrôJonhathanRaimes. www.colorschemedesigner.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula Harmonia de Cores
Aula Harmonia de CoresAula Harmonia de Cores
Aula Harmonia de CoresEcoModa
 
Teoria do design aula 2 - Estudo das Cores
Teoria do design   aula 2 - Estudo das CoresTeoria do design   aula 2 - Estudo das Cores
Teoria do design aula 2 - Estudo das CoresLéo Dias
 
DESIGN DE INTERIORES - UNID III CORES E TEXTURAS
DESIGN DE INTERIORES - UNID III CORES E TEXTURASDESIGN DE INTERIORES - UNID III CORES E TEXTURAS
DESIGN DE INTERIORES - UNID III CORES E TEXTURASLuciana Santos
 
1. Aula Teoria das Cores
1. Aula Teoria das Cores1. Aula Teoria das Cores
1. Aula Teoria das CoresAline Okumura
 
Elementos da Linguagem Visual: Teoria das cores
Elementos da Linguagem Visual: Teoria das coresElementos da Linguagem Visual: Teoria das cores
Elementos da Linguagem Visual: Teoria das coresRaphael Lanzillotte
 
Arte- a riqueza da cor
Arte- a riqueza da corArte- a riqueza da cor
Arte- a riqueza da corJaicinha
 
Teoria das cores
Teoria das coresTeoria das cores
Teoria das coresturmatmc13
 
Design - Teoria das Corres
Design - Teoria das CorresDesign - Teoria das Corres
Design - Teoria das CorresOdair Cavichioli
 
Teoria Das Cores
Teoria Das CoresTeoria Das Cores
Teoria Das Coresmartha
 
Teorias da cor cartografia temática
Teorias da cor   cartografia temáticaTeorias da cor   cartografia temática
Teorias da cor cartografia temáticaAlexandre Amorim
 

Mais procurados (19)

Aula Harmonia de Cores
Aula Harmonia de CoresAula Harmonia de Cores
Aula Harmonia de Cores
 
Teoria do design aula 2 - Estudo das Cores
Teoria do design   aula 2 - Estudo das CoresTeoria do design   aula 2 - Estudo das Cores
Teoria do design aula 2 - Estudo das Cores
 
A luz e cor
A luz e corA luz e cor
A luz e cor
 
DESIGN DE INTERIORES - UNID III CORES E TEXTURAS
DESIGN DE INTERIORES - UNID III CORES E TEXTURASDESIGN DE INTERIORES - UNID III CORES E TEXTURAS
DESIGN DE INTERIORES - UNID III CORES E TEXTURAS
 
1. Aula Teoria das Cores
1. Aula Teoria das Cores1. Aula Teoria das Cores
1. Aula Teoria das Cores
 
Elementos da Linguagem Visual: Teoria das cores
Elementos da Linguagem Visual: Teoria das coresElementos da Linguagem Visual: Teoria das cores
Elementos da Linguagem Visual: Teoria das cores
 
Arte- a riqueza da cor
Arte- a riqueza da corArte- a riqueza da cor
Arte- a riqueza da cor
 
A cor
A corA cor
A cor
 
Luz e cor
Luz e corLuz e cor
Luz e cor
 
Estudo das cores
Estudo das coresEstudo das cores
Estudo das cores
 
Cor luz
Cor luzCor luz
Cor luz
 
Teoria das cores
Teoria das coresTeoria das cores
Teoria das cores
 
Design - Teoria das Corres
Design - Teoria das CorresDesign - Teoria das Corres
Design - Teoria das Corres
 
Elementos visuais cor
Elementos visuais   corElementos visuais   cor
Elementos visuais cor
 
Teoria Das Cores
Teoria Das CoresTeoria Das Cores
Teoria Das Cores
 
Semiotica Cor
Semiotica CorSemiotica Cor
Semiotica Cor
 
Estudo das cores i
Estudo das cores iEstudo das cores i
Estudo das cores i
 
A cor
A corA cor
A cor
 
Teorias da cor cartografia temática
Teorias da cor   cartografia temáticaTeorias da cor   cartografia temática
Teorias da cor cartografia temática
 

Semelhante a Cores (20)

Cores
CoresCores
Cores
 
Harmonia das cores
Harmonia das coresHarmonia das cores
Harmonia das cores
 
1-aulateoriadascores-.pdf
1-aulateoriadascores-.pdf1-aulateoriadascores-.pdf
1-aulateoriadascores-.pdf
 
Teoria das cores
Teoria das coresTeoria das cores
Teoria das cores
 
Curso de Teoria das Cores - Parte 1/3
Curso de Teoria das Cores - Parte 1/3Curso de Teoria das Cores - Parte 1/3
Curso de Teoria das Cores - Parte 1/3
 
Trabalho De Grafica. Diana E Hugo
Trabalho De Grafica. Diana E HugoTrabalho De Grafica. Diana E Hugo
Trabalho De Grafica. Diana E Hugo
 
Aula 10 cor 2014 2015
Aula 10  cor 2014 2015Aula 10  cor 2014 2015
Aula 10 cor 2014 2015
 
Teoria das cores
Teoria das coresTeoria das cores
Teoria das cores
 
Cores
CoresCores
Cores
 
cartografia_tematica - aula 3.ppt
cartografia_tematica - aula 3.pptcartografia_tematica - aula 3.ppt
cartografia_tematica - aula 3.ppt
 
Cores estudo das cores
Cores    estudo das coresCores    estudo das cores
Cores estudo das cores
 
Cores estudo das cores
Cores    estudo das coresCores    estudo das cores
Cores estudo das cores
 
CORES.docx
CORES.docxCORES.docx
CORES.docx
 
Apostila cor 6o ano 2019
Apostila cor 6o ano 2019Apostila cor 6o ano 2019
Apostila cor 6o ano 2019
 
Teoria das cores
Teoria das coresTeoria das cores
Teoria das cores
 
Cartografia tematica aula 3
Cartografia tematica   aula 3Cartografia tematica   aula 3
Cartografia tematica aula 3
 
Cores
CoresCores
Cores
 
Cores
CoresCores
Cores
 
Teoria das cores simplificado
Teoria das cores simplificadoTeoria das cores simplificado
Teoria das cores simplificado
 
Cor/Luz
Cor/LuzCor/Luz
Cor/Luz
 

Mais de Doisnovemeia Publicidade

Agencia doisnovemeia. cliente almanaque de criação. promo brasília df
Agencia doisnovemeia. cliente almanaque de criação. promo brasília dfAgencia doisnovemeia. cliente almanaque de criação. promo brasília df
Agencia doisnovemeia. cliente almanaque de criação. promo brasília dfDoisnovemeia Publicidade
 
Agencia doisnovemeia. cliente almanaque de criação. promo brasília df
Agencia doisnovemeia. cliente almanaque de criação. promo brasília dfAgencia doisnovemeia. cliente almanaque de criação. promo brasília df
Agencia doisnovemeia. cliente almanaque de criação. promo brasília dfDoisnovemeia Publicidade
 

Mais de Doisnovemeia Publicidade (20)

Almanaquedecriaçãopromoçao
AlmanaquedecriaçãopromoçaoAlmanaquedecriaçãopromoçao
Almanaquedecriaçãopromoçao
 
Agencia doisnovemeia. cliente almanaque de criação. promo brasília df
Agencia doisnovemeia. cliente almanaque de criação. promo brasília dfAgencia doisnovemeia. cliente almanaque de criação. promo brasília df
Agencia doisnovemeia. cliente almanaque de criação. promo brasília df
 
Agencia doisnovemeia. cliente almanaque de criação. promo brasília df
Agencia doisnovemeia. cliente almanaque de criação. promo brasília dfAgencia doisnovemeia. cliente almanaque de criação. promo brasília df
Agencia doisnovemeia. cliente almanaque de criação. promo brasília df
 
Mala direta
Mala diretaMala direta
Mala direta
 
7º Almanaque de Criação
7º Almanaque de Criação7º Almanaque de Criação
7º Almanaque de Criação
 
Texto
TextoTexto
Texto
 
Referências
ReferênciasReferências
Referências
 
Conceito, Linha Criativa e Execução
Conceito, Linha Criativa e ExecuçãoConceito, Linha Criativa e Execução
Conceito, Linha Criativa e Execução
 
Apresentação da Criação
Apresentação da CriaçãoApresentação da Criação
Apresentação da Criação
 
Título e Slogan
Título e SloganTítulo e Slogan
Título e Slogan
 
VI Almanaque de Criação
VI Almanaque de CriaçãoVI Almanaque de Criação
VI Almanaque de Criação
 
Palestra Identidade visual
Palestra Identidade visualPalestra Identidade visual
Palestra Identidade visual
 
ARG e Advergame
ARG e AdvergameARG e Advergame
ARG e Advergame
 
Palestra Redação WEB
Palestra Redação WEBPalestra Redação WEB
Palestra Redação WEB
 
Mercado e Concorrência
Mercado e ConcorrênciaMercado e Concorrência
Mercado e Concorrência
 
Mídias tradicionais
Mídias tradicionaisMídias tradicionais
Mídias tradicionais
 
Público Alvo
Público AlvoPúblico Alvo
Público Alvo
 
Palestra endomarketing
Palestra endomarketingPalestra endomarketing
Palestra endomarketing
 
Palestramktmix
PalestramktmixPalestramktmix
Palestramktmix
 
Palestra de materiais
Palestra de materiaisPalestra de materiais
Palestra de materiais
 

Último

[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)Alessandro Almeida
 
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdfFrom_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdfRodolpho Concurde
 
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...Dirceu Resende
 
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPalestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPaulo Pagliusi, PhD, CISM
 
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiEntrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiPaulo Pagliusi, PhD, CISM
 
O futuro e o impacto da tecnologia nas salas de aulas
O futuro e o impacto da tecnologia  nas salas de aulasO futuro e o impacto da tecnologia  nas salas de aulas
O futuro e o impacto da tecnologia nas salas de aulasAurioOliveira6
 
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASCOI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASMarcio Venturelli
 
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIAEAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIAMarcio Venturelli
 
Apostila e caderno de exercicios de WORD
Apostila e caderno de exercicios de  WORDApostila e caderno de exercicios de  WORD
Apostila e caderno de exercicios de WORDRONDINELLYRAMOS1
 

Último (9)

[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
[ServiceNow] Upgrade de versão - 2ª edição (Revisada, atualizada e ampliada)
 
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdfFrom_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
From_SEH_Overwrite_with_Egg_Hunter_to_Get_a_Shell_PT-BR.pdf
 
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
Apresentação Power Embedded - Descubra uma nova forma de compartilhar relatór...
 
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo PagliusiPalestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
Palestras sobre Cibersegurança em Eventos - Paulo Pagliusi
 
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo PagliusiEntrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
Entrevistas, artigos, livros & citações de Paulo Pagliusi
 
O futuro e o impacto da tecnologia nas salas de aulas
O futuro e o impacto da tecnologia  nas salas de aulasO futuro e o impacto da tecnologia  nas salas de aulas
O futuro e o impacto da tecnologia nas salas de aulas
 
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINASCOI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
COI CENTRO DE OPERAÇÕES INDUSTRIAIS NAS USINAS
 
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIAEAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
EAD Curso - CIÊNCIA DE DADOS NA INDÚSTTRIA
 
Apostila e caderno de exercicios de WORD
Apostila e caderno de exercicios de  WORDApostila e caderno de exercicios de  WORD
Apostila e caderno de exercicios de WORD
 

Cores

  • 1. COR Palestra tão grande quanto a sua importância.
  • 2. Parte1 A parte teórica que (quase) todo mundo sabe.
  • 3. A Cor. A cor é a primeira coisa que registramos. Ela pode decorar, isolar, classificar, destacar, informar. A cor é uma onda de luz que depende de nossa visão para existir.
  • 4.
  • 5. Classificação da cor. Primárias. Aditivas Subtrativas RGB CMY K Branco Marrom escuro Secundárias. Agrupamento dessas cores formando outras.
  • 6. Propriedades da cor. Matiz: a cor em sí. Saturação: a pureza da cor, a vida da cor. Cinza Valor: a claridade da cor. Preto e branco.
  • 8. Combinando cores. O CONTEXTO. Qual cliente? Qual a mensagem? Qual o público? Combinações: Monocromática. Complementar. Complementar dividida. Tríades. Análogas. Complementares mútuas. Complementares perto Complementares duplas.
  • 9.
  • 10. Combinando cores. Cor subordinada: cor para complemento e contraste. Cor acentuante: detalhes visuais. Cor dominante: a cor principal. dominante Subordinada Acentuante
  • 11. 7 contrastes cromáticos. Cores puras. Claro-escuro. Quente-frio.(cores quentes e frias podem variar num contexto). Complementar . Simultâneo(ilusão de ótica). Saturação. Quantidade/extrensão.
  • 12. Proporção harmônica. (contraste de quantidade) Luminosidade de Goethe/Teoria de Itten. Cor mais luminosa deve ser combinada com uma cor mais escura. Amarelo:vermelho:azul – 3:6:8
  • 13. Cores especiais. Pantone: Cores sólidas e fortes. Logotipos Fluorescente: Vibrante, mas por exigir atenção demais pode cansar. Metálica:Uso decorativo. Luxo.
  • 14.
  • 15. Sibolismo das cores. Reações e simbolismos comuns Variam em cada cultura. Não é uma FÓRMULA.
  • 16.
  • 17.
  • 18. Efeitos das cores. Pós imagem – Complementares. Profundidade Tamanho - Cores claras parecem mais largas. Distância – Bloco maior de cor parece mais perto. Vibração.
  • 19.
  • 20. Parte 2 O antes o agora e o depois.
  • 21. Cores pré-históricas. Gama limitada pelos materiais. Ocre (óxido de ferro) – sangue e vida Preto (carvão)- contorno Amarelo ocre- sol Branco brilhante (calcita) – luz
  • 22.
  • 23. Cores egípcias. Começo dos pigmentos sintéticos. Maior duração para as pinturas. Verde (malaquita) – cor do Nilo. Vermelho vivo (cinabre) Roxo tírio (búzios do Tírio) – Riqueza e poder Azul egípcio (sílica cobre e cálcio)
  • 24.
  • 25. Tempos medievais. O esplendor do ouro. Simbolismo da glória e paraíso. Junção com o vermelho e verde para criar solidez. Encontrado em pinturas, artefatos e tecidos. Símbolo de nobreza.
  • 26. Maestá. Duccio di Buoninsegna
  • 27. Período Bizantino. Afrescos: pigmentos orgânicos facilitando o escurecimento. Cores que não podiam ser colocadas juntas. Vermelhão + Branco chumbo= preto. Cores provenientes da terra: Sinopla (vermelho), Umbre Cru ( Marrom), Siena cru ( Amarelo), Terra Verde, Azurita (Azul), Branco (Cal).
  • 28. Lamentação sobre cristo morto - Giotto
  • 29. Início da Renascença. A cor como status para os patronos. Cores importadas: azul ultramarino (Lápis-lazuli) e vermelho brilhante (enxofre e mercúrio). Cores para significação da narrativa. Cores puras para os divinos e cores misturadas para os corrompidos.
  • 30. A coroação da Virgem - EnguerrandQuarton
  • 31. Leonardo. Uso do claro-escuro efeito de relevo e tridimensionalidade. Sfumato: cores e contornos esfumaçados. Perspectiva aérea: afastamento usando o azul. Cores brilhantes banidas.
  • 32. A virgem, Jesus criança e Santa Ana. Ginevrade´Benci.
  • 33. Escola Veneziana. Pigmentos ricos e puros. Tintas importadas e de ótima qualidade. Saturação e brilho usadas para criar uma cor natural.
  • 34. A família de Dario diante de Aexandre- Paolo Veronese
  • 35. Rococó. Corte das sombras. Transparência nas pinturas. Cores frescas e suaves para decoração. Utilização do ouro.
  • 37. Harmonia e contraste. EugèneDelacroix - romantismo francês. Harmonia baseada em contrastes. Cores complementares. Força total dos matizes. Pele avermelhada – sombra verde Luz do sol amarela- sombra violeta
  • 39. Impressionismo. Tons complementares para captar a luz. Pouca utilização de tons terrosos. Pigmentos puros e brilhantes escondendo os tons escurecidos. “O ar fresco é violeta” – Monet.
  • 40. Mulher com o guarda sol – Monet.
  • 41. Pontilhismo. Teorias científicas aplicadas ao trabalho. Cores poderiam ser misturadas pelos olhos assim como na palheta. Mistura optícas são mais luminosas. Somente matizes puros usados nos quadros.
  • 42.
  • 43. Expressionismo. “Não pinto o que vejo e sim o que sinto” – Van Gogh. Cores chocantes e nervosas. As complementares com as suas vibrações.
  • 44. O café a noite-Van Gogh
  • 45. Oriente. Cinco cores primárias:amarelo, vermelho, branco, preto e azul. Cores suaves e frescas causadas por matizes pálidos (mistura da tinta com a água). Azul turquesa e rosa pessêgo. Repetição de cores em diferentes elementos da pintura.
  • 46.
  • 47. Cubismo. Picasso: Fase azul (depressão), fase rosa (amor e alegria). Cubismo analítico: Preto, branco marrom e cinza (cor dos cantos e espaços.) Cubismo sintético: cores primárias. Cezáne: cor fria sobre cor quente e cinzas criando volume.
  • 48.
  • 49. Fovismo. Os “animais selvagens”. Cor pura, agitando o olho. Quadros com mesmo brilho e saturação mantendo a atenção em todos os pontos. Cores são bastões de dinamites.
  • 51. Influências orientais. Paul Klee. Amarelos, azuis, lilases e verdes. O calor do sol e o azul do céu. Padronagens com cores e formas para dar sentido e rítimo. Tons translúcidos da aquarela
  • 52.
  • 53. Abstrato. A cor como um elemento principal. Transmitindo emoções e mensagens. A cor domina os sentidos. Impressão enigmática- Mark Rothko
  • 54. Novas abordagens. Pós-guerra: O começo da separação da cor do seu contexto. Maneiras não convencionais. Novas técnicas (pintar por cima de fotos) e novos materiais (esmalte de unha). A cor finalmente ficou livre.
  • 55. Andy wahrol. Jackson Pollock
  • 56. Web. Cores para organizar informações. Procurar visualidade e leitura. Selecionar o público alvo. Se for para uma empresa, reforçar a marca. Procurar uma ligação com o navegante (nacionalidade). Palheta safe devido aos diferentes aparelhos.
  • 57. Web. Cuidado com exageros. Seliguempobres! Existe uma cor institucional? Como montar uma palheta com ela? O contraste é mais importante do que nunca. A cor não é só um valor estético é um código estrututal. Muito cuidado. Você sabia: Chineses gostam de páginas coloridas já os alemães preferem uma estética mais simples.
  • 58.
  • 59.
  • 60.
  • 61.
  • 62. Job de Cores. Palheta subjetiva. Sua palheta pessoal. Situações e emoções: gato da família atropelado, almoço de domingo na casa da vovó, baile de formatura, quarto do seu primeiro filho, vizinho cortando grama sábado 7h da manhã, passei no vestibular, chegando suado do futebol. Palheta Objetiva Escolher 4 tipos de contrastes e montar uma composição utilizando-os.
  • 63. Bibliografia. ColourAmbrose Harris. CorAlison Cole. AcornoprocessocriativoLilianMiller. PlanejamentovisualgráficoMiltonRobeiro. DesignretrôJonhathanRaimes. www.colorschemedesigner.com