www.dizjornal.com
Niterói
11/07 a 18/07/14
Zona Sul, Oceânica e Centro de Niterói
D i r e t o r R e s p o n s á v el: E d ...
www.dizjornal.com
Niterói
11/07 a 18/07/14
2
Cultura
Paulo Roberto Cecchetti prcecchetti@ig.com.br
annaperet@gmail.com
DIZ...
www.dizjornal.com
Niterói
11/07 a 18/07/14
presidente Lula, capaz de oferecer
alguma vantagem para o Carlos Lupi,
que entr...
www.dizjornal.com
Niterói
11/07 a 18/07/14
4
Informes
Expediente
Edgard Fonseca Comunicação Ltda.
Rua Otavio Carneiro 143/...
www.dizjornal.com
Niterói
11/07 a 18/07/14
5
InternetJuliana Demier - juliana.demier@gmail.com
O Adeus do Orkut
Enfim, o f...
www.dizjornal.com
Niterói
11/07 a 18/07/14
6
Edgard Fonseca
edgard.fonseca22@gmail.com
Explicado Mais Uma Vez
Q
uando inic...
www.dizjornal.com
Niterói
11/07 a 18/07/14
7
Dr. Helder Machado
Urologia
Tratamento de
Cálculo Renal
a Raio Laser
Rua Dr. ...
www.dizjornal.com
Niterói
11/07 a 18/07/14
8
Renda Fina
Aniversariantes da Edição
Marcos Gomes Karla Simões Marival Gomes ...
www.dizjornal.com
Niterói
11/07 a 18/07/14
9
Terapeuta Holística
thatiana.ncunha@gmail.com
T! News contato@erisveltonsanta...
www.dizjornal.com
Niterói
11/07 a 18/07/14
10
Fernando Mello - fmelloadv@gmail.com
Fernando de Farias Mello
Aprendendo Com...
www.dizjornal.com
Niterói
11/07 a 18/07/14 Pela Cidade
11
Edição na internet paraHum milhão de leitores
Incêndio em Galpão...
www.dizjornal.com
Niterói
11/07 a 18/07/14Em Foco
dizjornal@gmail.com
12
Rodrigo Pessoa é 3º no GP
Longines no Athina Onas...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Diz108

334 visualizações

Publicada em

Diz Jornal 108

Publicada em: Governo e ONGs
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
334
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Diz108

  1. 1. www.dizjornal.com Niterói 11/07 a 18/07/14 Zona Sul, Oceânica e Centro de Niterói D i r e t o r R e s p o n s á v el: E d g a r d F o n s e c a Diz: Todo Mundo Gosta 16 Mil Exemplares Impressos 1ª Quinzena Nº 108 de Julho de 2014 Edição Online para Um Milhão e Duzentos Mil Leitores Página 03 CarolinaCamacho*Beleza:RoziMarinho*foto:JulioCerino Política: Que Eleição é Esta?
  2. 2. www.dizjornal.com Niterói 11/07 a 18/07/14 2 Cultura Paulo Roberto Cecchetti prcecchetti@ig.com.br annaperet@gmail.com DIZ pra mim... (que eu conto) Anna Carolina Peret ões. Chegamos “tão lon- ge”, às semifinais, por questão de enfrentarmos adversários fracos. Se estivéssemos em outros grupos, teríamos sido eliminados antes, não há dúvidas. Contudo, não adianta muito chorar agora. Va- mos parar com tantas lamentações. Continua- remos vivendo num país corrupto (o membro do judiciário mais corajoso foi ameaçado e coagido, “pediu pra sair”), sem acesso à saúde (quantos hospitais pú- blicos de qualidade temos em Niterói?), com educação pífia (não educar é alienar e alienar é dominar!), segurança inexistente (vivemos com medo), enfrentando um trân- sito que não anda (já tentou sair de casa e não enfrentar infindáveis engarrafamen- tos?), e sem perspectiva. Dura realidade. Votarei consciente, porém. Deposito em outubro minhas expectativas de mudança e renascimento da minha Pátria Amada. Devo ressaltar, entretanto, que não confio (ou devo dizer apenas que “desconfio”?) da urna eletrônica e de todas as possibilidades que a tecnologia agrega a certos desvios de O sonho de ganhar a Copa no Bra- sil acabou. Uma pena! Por mais que eu, particularmente, acredite e condene o poder alienante e anestesian- te do futebol, gostaria que o Brasil tivesse conquistado o título. Não vejo melhoria al- guma na conjuntura social, política ou eco- nômica possível para o nosso país, nem a curto, nem médio, muito menos, no longo prazo. Sendo assim, tomada de um escan- daloso ceticismo conjuntural, torcia para que o povo brasileiro tivesse essa felicidade, essa bela conquista. Infelizmente, porém, notei que a “má gestão” não ocorre apenas no âmbito da administração da nação, no que tange sua política. Este lindo país tropi- cal foi pessimamente organizado até dentro de campo. Uma lástima! Perdemos por não termos precaução e por falta de visão. Não tínhamos um atacante reserva. Na verdade, exaltávamos um jogador apenas. A “seleção canarinho” resumia-se a Neymar Jr. Além disso, nossos jogadores estavam sem en- trosamento algum, enquanto times como a Alemanha possuíam elenco interagindo há anos junto. Devemos ressaltar inclusive, que não perdemos para uma Alemanha fan- tástica. Nós deixamos de ganhar por falta de competência. Não eram eles os muito qualificados. Nós é que não tínhamos com- posição necessária para sermos os campe- conduta usuais dos políticos deste país... Vejam só: depositaremos nossas esperan- ças numa urna que em 2012 foi burlada por um jovem hacker de apenas 19 anos. Ele conseguiu acesso à intranet da Justiça eleitoral do Rio de Janeiro. A fraude foi descoberta no mesmo ano e desde então, o tal hacker “desapareceu” da mídia, que pouca importância deu ao ocorrido. De- vemos lembrar ainda que nas eleições mu- nicipais de 2012 houve registro de possí- veis fraudes em pelo menos 94 municípios brasileiros, sendo 30 desses no estado de São Paulo. Enquanto isso, nossos tribunais parecem, curiosamente, “advogar” contra o povo. Várias novas urnas possibilitam a conferência pelos eleitores dos votos gra- vados, através da impressão de uma cédula, depois depositada em uma urna física. Esse procedimento dificultaria, razoavelmente, alguns tipos de fraude direta. Porém, o Su- premo Tribunal Federal considerou incons- titucional a impressão do voto, afirmando que seria quebra do direito ao sigilo... Enquanto isso, países como a Holanda e a Alemanha consideram vexaminosa a utiliza- ção do voto eletrônico e vetam, veemen- temente, tal tecnologia num pilar tão fun- damental como o processo democrático. Paralelamente, o Brasil, “eterno país do futuro”, utiliza seus próprios representan- tes no STF (a maioria deles, pelo menos) para afirmar e silenciar, constatando e refe- rendando” que tais urnas são confiáveis... Ei... Para tudo! Mas essa era para ser uma coluna de cultura, mais precisamente um texto sobre cinema, com os lançamentos vindouros... E eu fugi do prescrito, esque- ci o tema e foquei no desabafo... E agora? Bem, faremos o seguinte: seguiremos os passos dos nossos governantes! Ninguém viu, ninguém notou, ninguém sabe o moti- vo e ninguém reclama, ok? Quaisquer que seja, de fato, o filme que você, meu amigo, decida assistir, será mais proveitoso do que ver a seleção brasileira perder ou ganhar mais um jogo. Lembre-se: pelo menos den- tro de campo a esperança já acabou! Acabou - A fotógrafa e aquarelista Ana Maria Ribeiro, junto com este colunista, lança o livro “Palavras Pintadas”, composto de ilustrações e haicais. - Vem aí o Prêmio UFF de Literatura, sob coordenação da escritora Sônia Peçanha, com o tema “Aquele dia, aquele jogo”. Em dezembro conheceremos os vencedores nas ca- tegorias conto, crônica e poesia. - A escritora Belve- dere Bruno (foto) re- cebe a medalha José Cândido de Carva- lho no Plenário da Câmara Municipal de Niterói, dia 04 de agosto, às 18 h. Ini- ciativa do vereador Bruno Lessa. - O acadêmico Gilson Rangel Rolim lançou o livro “Um apanhado dos meus escritos”. A venda é toda revertida para APAE/Niterói. - As pinturas de Vaccaro estarão expostas na GLIA (Rua Nilo Peçanha, n° 142 - Ingá), de 11 de agosto a 05 de se- tembro, com o vernissage agendado para dia 08 de agosto, 6a. feira, a partir das 19 horas. A exposição traz o título “Pinturas de Vaccaro - recantos de Niterói”.”. Im-per-dí- vel para os amantes da arte pictórica.
  3. 3. www.dizjornal.com Niterói 11/07 a 18/07/14 presidente Lula, capaz de oferecer alguma vantagem para o Carlos Lupi, que entrou com essa imposição com a intenção de implodir o “Aezão”. O Lupi está “fechado” com a Dilma e o Lula, que, além de tentar “di- namitar” o movimento, mandou um feroz recado para o Pezão, que diz estar apoiando a Dilma, mas é pro- tagonista do movimento “Aezão”. Foi uma típica demonstração de po- der e ameaça. Ficou claro a manobra quando Lupi disse que não estaria isolado, - pois o PDT ficou praticamente sozinho- que ele tem o Lula e a Dilma como maior apoio. A intenção era forçar o Felipe Peixoto a trocar de lado e apoiar o Lindbergh Faria, candidato ao governo do estado pelo PT. Por outro lado, o episódio negativo para o Felipe pode aumentar as chan- ces de Pezão no interior, pois a entra- da do senador Francisco Dornelles, aumenta a capilaridade de votos no interior, onde Dornelles mantém farta base eleitoral. O que muda com este episódio? Até então, com a vitória de Pezão ao governo do Estado, faria Felipe Peixo- to subir de patamar e já pensaria em candidatar-se a governador na próxima legislatura, considerando- se que Pezão não mais poderia se reeleger. Como vai ficar sem mandato, deverá tornar-se coordenador de campanha do Pezão, pois todos sa- bem que Felipe era amigo e o predileto do governador. Pezão ganhando a eleição, Felipe Peixoto será, eviden- temente, contemplado com uma secretaria de Governo. Especialmente, uma que lhe dê bastante visibilidade. Aí, no próximo pleito municipal 3 Documento dizjornal@gmail.com Que Eleição É Esta? Não é que já não existissem manobras, conchavos e traições na política. Sempre existiu e, certamente, irá existir sempre. É da natu- reza da prática. E é difícil mensurar quando e qual foi o pior e mais ignóbil ato político. Entretanto, as práticas da atualidade, quer seja pela nefasta influência dos últimos doze anos, dilacerados por uma política populista vulgar e sem limites, ou pelos efeitos que isso trouxe, judicializando tudo, fazem os mais tristes e deprimentes da nossa história. Há um modus operandi impetrando a impiedosa caça O s últimos movimentos no cená- rio carioca afetou muito a cena fluminense. Para rememorar os fatos, o que tínhamos? O deputado Estadual Felipe Peixoto esta- va secretário de Estado do governo Sergio Cabral. Lançou-se pré-candidato a depu- tado Federal e retornou à Assembléia Le- gislativa do Estado. O seu partido, o PDT, no plano nacional apoiava a presidente Dilma. No entanto, o PMBD de Sergio Cabral, até então aliado do PT, dividiu-se no Rio de Janeiro, e sob a liderança do presidente regional, o ex-deputado Jorge Picciani, lançou o “Aezão”, movimento de adesão ao candidato a presidente do PSDB, Aécio Neves. O deputado Felipe Peixoto foi convidado a ser o candidato a vice-governador na Chapa do atual governador, Luiz Fernan- do Pezão. O seu partido. o PDT, através do diretório regional, e na figura do seu presidente Nacional, o ex-ministro Car- los Lupi, estimulou e aprovou a coligação com o PMDB. Isto posto, Felipe Peixoto, desistiu da candidatura a deputado Fede- ral e assumiu a condição de candidato a vice-governador. Participou de todos os processos da pré-candidatura, incluindo aparições públicas com o governador Pe- zão. No jogo das com- posições e alianças e para fortalecer o candidato Aécio Ne- ves, era preciso que o Partido dos Demo- cratas, do vereador Cesar Maia partici- passe do “Aezão”, que é a sigla que mis- tura de Aécio com Pezão. Para compor, o então candidato ao senado desta coliga- ção, o ex-governador Sergio Cabral, cedeu a vaga para Cesar Maia. Dito insatisfeito com a escolha, Carlos Lupi, presidente do PDT, lançou-se “candidato avulso ao sena- do” nessa coligação, defendendo uma possível brecha da lei eleitoral. Essa cir- cunstância no saber de muitos juristas não existe e resultaria, caso fosse aceita a tese, numa impugnação da coligação com prejuízos diversos, inclusive a fa- lência do “Aezão”. Essa imposição do Lupi, levada a cabo até o último momento do prazo dos registros das Atas Partidárias, resultou, por defesa óbvia do presidente Jorge Picianni, em desfazer a coligação com o PDT, fato que inviabilizou a candidatura de Felipe Peixoto na Chapa da coligação, por pertencer ao PDT. Com esse episódio, o deputado Felipe Pei- xoto, muito desapon- tado, resolveu não se candidatar a nenhum cargo, descartando o anterior para deputa- do Federal. Na análise de muitos especialistas, essa “manobra” foi uma articulação do ex- em 2016, o Felipe Peixoto virá candidato a prefeito de Niterói, com grande chance de se eleger, ainda que o atual prefeito tenha nas mãos a máquina da prefeitura. Se Pezão não ganhar, ainda assim Felipe virá para a disputa. Temos que considerar que em dois anos à frente outros nomes deverão surgir, fato que complica mais ainda o qua- dro eleitoral, dividindo votos. Um fato fica evidenciado, ainda que pre- viamente. A nova rearrumação do tabuleiro político terá a família Picciani eleita e unida e, provavelmente, com Jorge Picciani como presidente da Assembleia Legislativa.Essa será a conjuntura com novos deputados estaduais. A família Picciani terá dois depu- tados estaduais (pai e filho) e ainda, outro filho como deputado Federal. Esse cenário favorece muito a uma candidatura que represente as forças de oposição na cidade de Nite- rói. Jorge Picciani, hoje, é a maior li- derança dentro do PMDB e no estado do Rio de Janeiro. Ainda que outro candidato vença as eleições para governador, ele será o fiel da balança em qualquer peleja política. Acreditamos que o PMDB irá fazer o maior número de deputados, Estaduais e Federais. Por conseguinte, todas as ações políticas no estado passarão pelo poder do PMDB, que tem nomes de expressão, como o deputa- do Estadual Paulo Melo, atual presidente da ALERJ, e novos deputados que virão como a da advogada Soraya Santos, candidata a deputada Federal. Agora é esperar para ver para onde cami- nham as negociações paralelas e novas alian- ças irão surgir. de benefícios e crimes. Troca-se tudo. Até a alma. O estado do Rio de Janeiro, palco de reações históricas, tem sofrido dolorosas reviravoltas e aos poucos ficou cruel como os demais apa- relhados. O aparelhamento do estado e o mercantilismo desabrido tornaram-se cotidiano. Infelizmente, o convívio e os embates des- trutivos acostumam e passam a ser incorporados e encarados com naturalidade. Lamentavelmente. Jorge Picciani Luiz Fernando Pezão Francisco Dornelles Felipe Peixoto
  4. 4. www.dizjornal.com Niterói 11/07 a 18/07/14 4 Informes Expediente Edgard Fonseca Comunicação Ltda. Rua Otavio Carneiro 143/704 Niterói/RJ. Diretor Responsável: Edgard Fonseca Editor: Edgard Fonseca Registro Profíssional MT 29931/RJ Distribuição e circulação: Ernesto Guadelupe Diagramação: Eri Santana Impressão: Tribuna RJ Tiragem 16.000 exemplares Redação do Diz End: Rua Cônsul Francisco Cruz, nº 3 Centro - Niterói, RJ Tel: 3628-0552 | 36285252 | 9613-8634 Correspondência para Administração Rua Cônsul Francisco Cruz, nº 3 Centro - Niterói, - CEP 24.020-270 dizjornal@gmail.com www.dizjornal.com Os artigos assinados são de integral e absoluta responsabilidade dos autores. D! Nutrição clara.petrucci@dizjornal.com | Instagram: Clara Petrucci Suplementação Para Perda de Peso Diferente dos medicamen- tos utilizados para o combate da obesidade e perda de peso, a suplementa- ção nutricional não possui muitas res- trições, mas apenas utilizada, de maneira adequada, é possí- vel chegar a resulta- dos eficazes. Estudos comprovam cada vez mais que a otimização da alimentação associada a atividade fí- sica e, quando necessário, suplementa- ção, oferecem resultados infinitamente melhores que qualquer medicamento ou restrição alimentar. Sem contar que os resultados são permanentes, pois se adotam medidas que são levadas para a vida inteira. Existem muitos protocolos a serem ado- tados pelo seu nutricionista e educador físico, mas meu objetivo aqui é desmis- tificar que quem quer emagrecer tem que fechar a boca e que suplemento engorda. Primeiro que existem termo- gênicos, chás, energéticos para turbinar seu treino e metabolismo, que ainda de quebra, muitas vezes são diuréti- cos, ajudando a diminuir a retenção de líquidos, muito comuns em pessoas com uns quilos a mais. Segundo que existem os aminoácidos de cadeia rami- ficada, que funcionam como anticata- bólicos, pois neste momento de perda de peso você perde gordura e músculo também (e nós não queremos isso não é?); Terceiro, está a glutamina, que aju- da a tratar o intestino e retirar a sensa- ção de fadiga (overtraining); e quarto, as proteínas em pó, sejam de origem animal ou vegetal, ambos auxiliam na manutenção e reconstrução muscular após a atividade física; porém quando falamos de emagrecimento, a forma de utilizar proteínas, por exemplo, é dife- rente de quem busca hipertrofia (ganho de massa muscular), pois precisamos aproveitar o máximo o EPOC (excesso de oxigênio consumido pós-exercício ), que nada mais é o aproveitamento do gasto calórico depois da atividade. Se ingerirmos a proteína logo após para esse processo, o corpo entra em re- cuperação. Ou seja: para cada objeti- vo, para cada ser humano existe uma alimentação diferenciada, um treino específico, variando de acordo com a individualidade de cada um. Se o seu objetivo é perder uns quili- nhos, utilize a nutrição a seu favor e não tenha medo de “suplementar” quando necessário, pois se bem utili- zado, não engordam e pelo contrário, auxiliam no emagrecimento. “Saúde Consciencial” Oque o autoconheci- mento, o trabalho com energias e os padrões dos pensamentos in- fluenciam a saúde. A pales- tra “Saúde Consciencial” que acontece no próxi- mo dia 24, das 19h30 às 21h30, na Rua Coro- nel Moreira César 160 (auditório) trata desse tema. Proferida pelo professor Leonardo Rodrigues, do Ins- tituto Internacional de Projeciologia e Consciencio- logia – IIPC, estuda a consciência humana e realiza palestras gratuitas sobre o assunto. É uma instituição de edu- cação e pesquisa científica, independente, laica, universalista, sem fins de lucratrivos, com excelência em cursos e publicações técnico-científicas sobre a consciência, do ser, do ego ou da personalidade humana. Em 2013, o IIPC completou Jubileu de Prata e 15 anos de Utilidade Pública Federal, pelas duas e meia décadas de trabalho assistencial dedicado à sociedade Informações e inscrições pelo telefone: (21) 3153-7574 / (21) 3153-7575. Transporte Gratuito dos Advogados AOAB Niterói disponibiliza diariamente um micro-ôni- bus com ar condicionado, TV e motorista exclusivo para transporte dos advogados e estagiários de Direito que são levados e trazidos do Fórum de Pendotiba, na Região Oceânica. O ponto de referência é a sede da OAB na Ave- nida Amaral Peixoto, de onde partem e retornam as 16 via- gens diárias. O veículo cumpre uma rotina de oito viagens de ida e oito de volta, de hora em hora, partindo da sede às 9h30 e saindo a última do fórum às 18 horas. Para utili- zar o serviço é indispensável a apresentação da carteira de identificação da Ordem. O transporte gratuito leva e traz cerca de 5.228 mil pessoas por mês, contribuindo para a boa qualidade dos serviços da profissão. Especial do Giro Cultural ASala de Cultura Leila Diniz, espaço cul- tural da Imprensa Oficial do Estado do Rio de Janeiro, comemorou três anos de fun- cionamento no dia 1º de julho, e terá progra- mação especial do Giro Cultural. No próximo dia 19, além da peça de teatro, será realizado um evento voltado para as crianças. A entrada é gratuita.  A primeira parte começa às 12 horas com a encenação da peça infantil “A Princesa e o Sapo”, do Grupo Infocus Companhia de Teatro.  Em seguida, cantarão parabéns pelo aniversário da Sala, com direito a bolo com refrigerante para o público presen- te. Haverá ainda maquiagem artística e bola mania (escultura com bolas) para crianças.  A exposição “Ídolos da Bola – Craques do Lápis”, que está em cartaz no espaço, será parte do evento.    A Sala de Cultura Leila Diniz fica na Rua Professor Heitor Carrilho, 81, Centro, Niterói.
  5. 5. www.dizjornal.com Niterói 11/07 a 18/07/14 5 InternetJuliana Demier - juliana.demier@gmail.com O Adeus do Orkut Enfim, o fim. Após alguns anos na UTI, o Orkut, definitivamente, vai partir dessa para sempre. Dia 30 de setembro é o dia do fim dessa rede social que, pelo menos aqui no Brasil e na Índia, marcou o início de uma nova forma de amizade, comunidade e compartilhamento de opinião com um número incrível de usu- ários. Lembro que a rede começou como uma panelinha, onde ape- nas convidados podiam entrar. Apesar de muita gente sim- plesmente ter abandonado essa rede, sem suicídio virtual ou grandes dramas, com esse anúncio muitos estão correndo depois. Então, tenha certeza de ter recuperado esse diário ORAÇÃOASANTO EXPEDITO Festa 19 de abril. Comemora-se todo dia 19 Se vc. está com algum , precisa de , peça a Santo Expedito. Ele é o Santo dos Negócios que precisam de pronta solução e cuja invocação nunca é tardia. Problema Difícil e aparentemente sem Solução Ajuda Urgente ORAÇÃO Obrigado. : Meu Santo Expedito da Causas Justas e Urgentes, socorrei-me nesta hora de aflição e desespero. Intercedei junto ao Nosso Senhor Jesus Cristo! Vós que sois o Santo dos Aflitos, Vós que sois o Santo das Causas Urgentes, protegei-me, ajudai-me, Dai-me Força, Coragem e Serenidade. Atendei o meu pedido: (fazer o pedido) Ajudai-me a superar estas Horas Difíceis, protegei-me de todos que possam me prejudicar; Protegei minha família, atendei o meu pedido com urgência. Devolvei-me a Paz a Tranqüilidade Serei grato pelo resto da minha vida e levarei seu nome a todos que têm fé. Rezar 1 Padre Nosso,1 Ave Maria e Fazer o sinal da cruz. “para que os pedidos sejam atendidos é necessário que sejam justos”. Agradeço a Santo Expedito a Graça Alcançada.Santo Expedito de parte da sua vida antes do fim. Talvez isso vire, no futuro, um álbum de recordações para apresentar aos netos que, se tudo evoluir bem, vão rir bas- tante da forma de comunicação dos anos dois mil e poucos. A empresa Google pensa se- riamente em manter um arqui- vo público com todas as co- munidades e suas discussões. Para muitos, vergonha alheia, mas pode ser divertido. Novas contas já não podem ser abertas, claro, e o acesso às existentes deixará de ser pos- sível em 30 de setembro desse ano, mas até o mesmo mês de 2016 será possível fazer ba- ckup  pelo Google Takeout. Enfim, 10 anos passados... Tchau Orkut e valeu pela for- ça... Agora é esperar pela próxima... para recuperar algumas re- líquias que podem ter sido deixadas pra traz. A exportação de fotos de lá para o Google Plus fica ha- bilitada até setembro desse ano, mas não haverá migra- ção completa do perfil. As postagens das comunidades, que são feitas de grandes pérolas, podem ser removi- das até o final de setembro também, assim como o fim da conta ou da comunidade, apagando tudo o que havia de vida ali até então. Se alguém resolver cometer esse suicídio virtual antes de salvar as informações, isso não será mais possível
  6. 6. www.dizjornal.com Niterói 11/07 a 18/07/14 6 Edgard Fonseca edgard.fonseca22@gmail.com Explicado Mais Uma Vez Q uando iniciamos a prática de mandar as edições do Jornal DIZ via internet, não imaginámos que tomaria as propor- ções que hoje vivenciamos. Fomos pedindo aos amigos as suas listas de endereços eletrônicos para um único fim: mandar as edições. Nestes últimos cinco anos de luta e crescimento, chegamos a uma listagem de um milhão e duzentos mil endereços. Não temos certeza se todos lêem regularmente e que número exato de leitores temos. Os endereços de e-mail são repetidamente substituídos, pois um número considerável, muda o formato, deixa de ser usado, etc. Fazendo com que tenhamos uma atenção muito especial com essa listagem substituindo, frequentemente, os endereços considerados inválidos. É uma “trabalheira” indescritível, mas uma atitude de afinco e fé. Iniciamos a campanha de pedir às pessoas que recebem as edições postarem para seus amigos da sua caixa de e-mails. Esses en- vios se multiplicaram espontaneamente e a partir de um determinado momento perde- mos completamente o controle do número de pessoas que recebem, lêem e repassam o DIZ. Daí, também vieram os problemas, que ad- ministramos com bom humor, mas repre- senta a falta de informação e os caldos de cultura de autoritarismo com arrogância que provocam situações inusitadas. Tem gente que imagina que o seu e-mail é um campo restrito e tão inviolável quanto a sua casa. Desconhecem a metodologia e sistemática da internet e reagem de forma surpreenden- te. Imaginem que eles primeiro desconfiam de tudo e fazem “cartas investigativas e ver- dadeira inquisições”, quando surpresos di- zem: “quem te autorizou a me mandar um e-mail?” ou “não lhes dei a liberdade de me invadirem mandando esse jornal”, como se tivéssemos mandado uma carta obscena ou um sorrateiro convite para uma orgia sexual; ou mesmo invadindo um território sagrado. Dá trabalho administrar sem perder a cal- ma e ainda explicar e perceber que eles não querem entender. Querem mesmo brigar e fazer valer a sua “autoridade aviltada”. Tem uns que desconhecendo totalmente a lingua- gem da web, e ouviu o galo cantar não sabe onde, dizem: “vocês estão entupindo meu spam” , como se “spam” fosse a denomi- nação da sua caixa de entrada. A desinfor- mação em relação a e-mails com arquivos em PDF, como é o caso do Diz, que ima- ginam que vão sobrecarregar a sua caixa de entrada. Isto não existe! É só dar um clique no quadradinho ao lado e deletar o arquivo sem abrí-lo. Não dá tanto trabalho assim... E as malucas que imaginam “que foram des- cobertas” por algum “Dom Juan” desbrava- dor”. Mandam e-mails perguntando de onde nos conhecemos e como a encontramos. Al- gumas telefonam... Estamos cansados de explicar para pessoas que recebem mais de um e-mail de igual teor que não somos nós, objetivamente os, res- ponsáveis pela duplicidade. Outras pessoas postam livremente, que por sua vez o recep- tor posta também. Atualmente, o nosso aparato de internet é bem proporcionado e cheio de sofisticação. Temos muitos programas para limpar, reti- rar endereços duplicados, os inválidos, para responder automaticamente, filtrar, localizar e outros tantos zelos. Através da internet deixamos de ser regio- nais. Estamos em 64 municípios do Rio, em mais oito estados do Brasil e em vários países de língua portuguesa, além de brasi- leiros residentes nos Estados Unidos, Cana- dá, França, Itália e Inglaterra. Ainda vamos encontrar um modelo aperfeiçoado e talvez mais controlado. Lutamos contra muitos que não gostam da nossa postura sincera desa- brida e avessas a trapaças e outras defor- mações. Incomodamos muito, inclusive aos fracassados e os desocupados da web, que vivem tentando invasões gratuitas aos nos- sos computadores. Para nada, realmente. Não guardamos segredos, não temos in- formações privilegiadas e nem que possam gerar lucros através de chantagens ou outras formas de crime. Não temos nada, além de vergonha na cara. Lamento se isso incomoda a muita gente. Estranhos no Ninho C uriosamente, foi preciso um acidente de percurso para que todos entendessem a solidão de alguns funcionários da prefeitura de Niterói, lotados numa repartição do Caminho Nie- meyer. Num destes jogos do Brasil na Copa, foram dispensados por volta do meio dia para que todos pudessem chegar em casa a tempo. Entretanto, dois funcionários mais dedicados ficaram ultimando um trabalho e o responsável pelas instalações, caprichosamente. fechou tudo, deixando-os presos no prédio. Aí, está a questão... Tiveram que telefonar para o Corpo de Bombei- ros para poderem sair, pois não pretendiam passar o final de semana presos. Os bombeiros puseram as suas gigantescas escadas e eles puderam “escapar”. Perguntei ao funcionário que me contou a estória, a razão de ter que chamar os bom- beiros... Por que não telefonar para uma chefia, um superior... Ouvi a seguinte resposta: “eles não sabem com quem falar”. O que me faz supor uma ausência de chefia, liderança ou organização. Disse-me que estão no Caminho Nie- meyer provisoriamente e ninguém sabe quem manda em quem. Perguntei: “não deve- riam ter telefonado para o Marcos Gomes que é o diretor do Caminho”? Ele certamente saberia o que fazer... Mais triste ele me disse: “o pior é que se falar para eles do Marcos Gomes. eles não vão saber quem é”. É preocupante, funcionários não conhecerem as chefias, os diretores e os secretários. Imagino eu que ao menos, eles saibam o nome do prefeito. Ou será mesmo a desin- formação total? Susto na Calçada V inha andando pela calçada na Rua Gavião Peixoto, no Campo de São Bento. Ao tentar dobrar a esquina para a Rua Domingues de Sá, fui surpreendido por uma moto que quase me atropelou. Já tinha comentado que as bicicletas utilizadas nas calçadas era um abuso. Agora, motos é um verdadeiro absurdo. Indaguei com várias pessoas e para minha surpresa descobri que esta é a “nova moda” em Icaraí. Os motociclistas, sem nenhum pudor ou fiscalização, estão transformando essa prática em rotina. Até o momento que atropelar um idoso ou uma criança. Aí, “filho feio não tem pai”. Ninguém vai querer assumir a responsabilidade pela ausência da fiscalização e aplicação de multas.
  7. 7. www.dizjornal.com Niterói 11/07 a 18/07/14 7 Dr. Helder Machado Urologia Tratamento de Cálculo Renal a Raio Laser Rua Dr. Celestino, 26 Centro - Niterói. Tels:2620-2084 /2613-1747 Clínica Atendemos UNIMED eParticular Atendimento 24H pelo tels: 8840-0001e9956-1620 Comemorando o Dia do Amigo A ACHUAP e o Bistrô Mac estão convidando para um chá-bingo, no dia 21 de julho, das 15 às 18h, em homenagem à Professora Hedda Maia Vinagre Mocarzel. Na oportunidade comemorarão o Dia do Amigo. Os convites custam R$ 80,00 e a renda será revertida para atividades filantrópicas da Associação dos Amigos do Hospital An- tônio Pedro (ACHUAP). 10º Belô Poético C ontinuam abertas as inscrições para o 10º Belô Poético – En- contro Nacional de Poesia de Belo Horizonte. As inscrições são gratui- tas e podem ser feitas pelo correio. O interessado deverá enviar até 16 de julho para Caixa Postal 836-Belo Horizonte, MG – CEP: 30.161-970. Deverá con- ter o nome, endereço, telefone e e-mail solicitando sua inscrição. Para quem de- sejar via e-mail: inscricoesbelopoetico@ yahoo.com.br. A Bolha Imobiliária O m e r c a d o imobiliário está com problemas e não era para menos. Os pre- ços dos imóveis estão inflados e totalmen- te fora da realidade. Agora que começou a faltar dinheiro e eu- foria, aparecem os re- sultados. Uma grande imobiliária da cidade de Niterói demitiu um expressivo número de corretores. Falam em valoriza- ção e desvalorização por diversas razões, tais como insegurança em São Francisco e Charitas e remetem a ideia apenas às casas, preservando os apartamentos. Não é bem assim. É claro que segurança é um item im- portante, mas não dá mascarar os fatos. A verdade é que, uma euforia e um marke- ting bem feito provocou uma procura maior do que a oferta. Agora, com o dinheiro curto, as pessoas estão se dando conta que fizeram maus negócios e muitos não estão aguentando pagar os preços estratosféricos das prestações e intermediárias. É só aguar- dar um pouco. Os imóveis vão cair de preço na ordem de aproximados 15%, e os usados vão continuar caindo até atingirem o pata- mar real, com menos 50%. É só esperar a corda esticar. Se ninguém tiver pressa... Peito de Pombo O senador Lindbergh Faria, em seus releases de campanha ao governo do Estado, faz refe- rência ao apoio que tem recebido dos “pedetistas verdadeiros”. Como muitos decidiram não apoiá-lo, ele, velada- mente, chama a ala do PDT dissidente de falsos pedetistas. Hora vejam só... Como a visão petis- ta é viciada. Se não estiver do mesmo lado deles viram “alemães”. São mesmo uns “traidores!” Tenha santa paciência... O Semblante de Sylvia Paes E la vai entrar em nova idade. Bem verdade, que para ela todos os dias são novos e traz consigo a certeza de amanhecer cada dia melhor. Intelectual, culta, sensível e inteligente. Historiadora, escritora e gente da melhor qualidade. A cultura de Campos dos Goytacazes é contemplada pelo trabalho exaustivo dessa guerreira das letras e das artes. E ainda é essa mulher exuberante. Agradeço sempre por poder privar des- ta amizade e convívio; e carinhosamente rendo esta homenagem. À Sylvia, o brilho radiante de todos os dias de luz.
  8. 8. www.dizjornal.com Niterói 11/07 a 18/07/14 8 Renda Fina Aniversariantes da Edição Marcos Gomes Karla Simões Marival Gomes João Muylart Vinicius Martins Mônica e Caio Camila e Bruno Natalia e Luciano Natalia dos Santos Peixoto e Luciano Arbex SarkisCamila Duque Estrada Vargas e Bruno Ribeiro de Souza Monica Souza e Caio Santos Monica Souza Fotos: Fausto & Valéria
  9. 9. www.dizjornal.com Niterói 11/07 a 18/07/14 9 Terapeuta Holística thatiana.ncunha@gmail.com T! News contato@erisveltonsantana.com erisveltonsantana.com E! Games Rua Miguel de Frias, 40 - Icaraí, Niterói - (21) 2717-9117 A Influência da Alimentação N ão só a saúde do corpo físico, mas a do corpo emocional é diretamente influenciado pelo alimento que consumimos. Uma alimentação ruim compromete todo nosso lado emocional. Não há dúvida de que quando estamos mais ansiosos uma das alternativas para o alívio é uma comida muito gostosa e, em ge- ral, rica em calorias. Os desejos pri- mitivos de comer e beber são formas de gratificação quando se está vivendo momentos de estresse crônico. Arlindo Fiorentin, idealizador do sistema de Saúde e Harmonização Psíquica pela Alimentação Saudável, explica que sinto- mas de estresse, ansiedade e humor são alterados de acordo com o que é ingerido: “pessoas que preferem alimentos picantes e amargos têm enorme tendência à agitação, impaciência, falta de concentração, insônia e ao descontrole emotivo. Já o açúcar está relacionado com estados de ansiedade, pâ- nico e exacerbada sensibilidade emotiva”. Uma alimentação saudável e equilibrada contribui para o gozo de boa saúde física, pois, além de facilitar a manutenção do peso, reduz o risco de inúmeras doenças como hipertensão, diabete, câncer, entre outras. Por isso, é muito importante a aten- ção na hora de escolher os alimentos. Cada alimento tem suas características vibracio- nais e tem funções muito além do alimentar físico. Os alimentos de origem vegetal têm funções restaurado- ras, compensando energias contidas em alimentos como carnes e derivados animais. “O verdadeiro ali- mento deve ter fins construtivos e não destrutivos. Ali- mentação saudável é aquela que, além de abolir o que não faz bem, ado- ta as sequências e combinações bioquímicas dos alimentos, seleciona alimentos de alta qualidade vi- bracional, amplia a visão para a saúde do planeta, evita desperdícios, considera o co- mer um ato sagrado e evita o sofrimento de animais.” Parece difícil, porém, com determinação e esforço é possível manter os alimentos pouco saudáveis longe do prato, principal- mente se você conhece os malefícios que eles provocam no organismo: “a partir do momento que se compreende a influência nefasta de uma substância sobre o corpo e o psiquismo, fica muito mais fácil aban- doná-la. Para se modificar hábitos deve-se fazer com consciência e de forma gradu- al. Não se pode fixar uma dieta igual para todos. Cada um deve construí-la conforme sua compreensão, suas necessidades e in- tenções”, finaliza. Namastê! A Batalha dos Deuses Q uem nunca ima- ginou qual Deus é mais podero- so, Hades ou seu irmão Poseidon ou ainda, quem é o verdadeiro senhor do Trovão: Zeus ou Thor. Dentre as várias mitolo- gias que existem quem o Deus dos Deuses? Aque- le que possui mais poder mágico, mais força física ou mais proteção? Essas são perguntas que o game “Smite” irá responder e quem está no comando do Deus em questão será você. “Smite” é um game de ação em que você controla um  “Deus”  em meio a batalhas contra outros “Deuses”. É possível guerre- ar sozinho ou em grupo com outras divin- dades. Com gráficos em 3D e várias opções de combate, “Smite” vai exigir também al- gumas habilidades estratégicas. São várias modalidades de jogo, cada uma delas com objetivos distintos, além de tutoriais que ensinam os passos básicos de “Smite”, tra- zendo até você a onisciência dos “Deuses”. Ao todo, seis grandes panteões da história da humanidade estão a sua disposição: chi- nês, egípcio, grego, hindu, maia, nórdico e romano. Cada “Deus” é bastante específico, retratando um pouco da cultura na qual ele está inserido. Nomes clássicos, como os nórdicos Thor, Odin e Loki, os romanos Cupido e Baco, ou ainda os Egíp- cios Rá, Anúbis e Anhur estão presentes, eles e os demais deuses possuem habilidades e itens espe- cíficos, informações às quais você deve se man- ter atento para elaborar melhor suas habili- dades de guerra. Ao todo, “Smite” oferece cinco modos de jogo: ARENA – Os deuses se juntam a gla- diadores em batalha na arena. CONQUISTA – Destrua as duas torres do seu adversário em meio a uma floresta. DOMINAÇÃO – Controle dois dos três pontos de controle espalhados pelo mapa. JOUST - Desafie um amigo, crie uma sala e convide-o como adversário. PRATICE – Aprenda e pratique antes de ir para batalhas de verdade. Nórdico, maia, grego ou romano, não im- porta sua preferência, o que vale mesmo é ser o melhor no campo de batalha e ven- cer. Torne-se o “Deus” dos “Deuses com Smite”. Até a próxima! Acupuntura, Yoga, Meditação, Shiatsu, Reiki, RPG Respiração e Drenagem Linfática “
  10. 10. www.dizjornal.com Niterói 11/07 a 18/07/14 10 Fernando Mello - fmelloadv@gmail.com Fernando de Farias Mello Aprendendo Com o Vexame Cruel T er que escrever sobre a Seleção Bra- sileira que deixou de ser a majestade do futebol mundial, pode crer, dói. Não é aquela dor forte, não! Até porque, já gozamos muitas décadas do reinado mun- dial das chuteiras. A pátria das bolas não resistiu diante da Alemanha ao aplicar os velhos e conhecidos conceitos de como preparar uma Seleção para jogar um campeonato mundial. A Se- leção foi para os gramados contando com o sucesso por conta da localização geográfi- ca onde estava sendo disputada a Copa do Mundo. Contou com o grito da torcida e se esqueceu de treinar e jogar sério. O mundo sabe que durante toda a compe- tição, a Seleção somente treinou uma ou duas vezes. O resto foi festa e marketing com jogador pintando o cabelo, dando de- clarações e sendo fotografado com fãs e namoradas. Mas, não foi somente isso que causou o desastre. Foi também a falta de seriedade, planejamento, segurança psíquica e salto baixo. No decorrer da competição, ganhamos os jogos por mera sorte, convenhamos. Aque- la partida contra o Chile já foi um prévio aviso da provável incompetência de se fazer gols. Por que sempre hesitamos diante das so- luções provenientes de outras nações? Por que nós brasileiros não aprendemos e ab- sorvemos as coisas boas dos outros países? Por que não temos a capacidade de pla- nejar e executar as coisas com seriedade? Por que não aprendemos as nossas lições e nos modificamos para melhorar as gerações futuras? A queda da Seleção na Copa do Mundo brasileira vai trazer lições, mas mar- cará apenas no conteúdo futebolístico. Esse assunto vai atazanar a nossa exis- tência todas as vezes que o Galvão Bueno for transmi- tir algum jogo, pode crer. Deveria, isso sim, trazer seriedade, prosperidade e emprego. O placar 7 X 1 deveria ser- vir de colírio para que nós, brasileiros, enxergássemos as origens das mazelas políticas pelas quais passa- mos e modificássemos na hora do voto. Agora precisamos dar um foco na verdade, qual seja, que faltou planejamento; Felipão foi um teimoso e burocrata e foi engolido pela moderna e competente Seleção Alemã. Constatamos que a Seleção Alemã se pre- parou durante quase um ano e possuiu o mesmo técnico, Joachim Low, desde 2006 e que, com inteligência ficou na paz de San- ta Cruz de Cabrália, Porto Seguro, Bahia, um verdadeiro paraíso e com temperatura média alta para os padrões europeus, trei- nando e otimizando os passes até o gol. Não há um goleador específico na seleção alemã. Eles não têm um Neymar, porque todos são importantes. Os alemães não são frios. Eles apenas sabem com antecedência o que pode ser feito e o que pode ocorrer. Simples. A Seleção da Alemanha deve estar pen- sando no próximo adversário. Poderá até perder, mas mostrou que pode se superar e que pode pegar a bola sem rebolar, dar pedalada ou encher o pé com força e, sim- plesmente, passar para o seu colega mais apto a chutar. Sem beleza plástica, concor- do. Mas com eficiência comprovada. Vamos ver se a Alemanha ganha a final. Não irei nem escrever sobre o Neymar porque sei que ele escapou do vexame e deve até ter enviado um “post” para o co- lombiano Zúñiga  agradecendo por não ter participado do jogo. Na verdade, fiquei com saudade do Cam- peonato Brasileiro. O Brasil perdeu a Copa, infelizmente. Ago- ra, precisa vencer a falta de planejamento e seriedade. Precisa vencer a corrupção. Precisa mudar. Fernando Mello, Advogado www.fariasmelloberanger.com.br e-mail: fmelloadv@gmail.com SEUS PROBLEMAS NÃO PRECISAM VIRAR UMA NOVELA. EXIJA. RECLAME. DENUNCIE. CONTE COM O ALÔ ALERJ.
  11. 11. www.dizjornal.com Niterói 11/07 a 18/07/14 Pela Cidade 11 Edição na internet paraHum milhão de leitores Incêndio em Galpão de Colônia Z7 Os barcos, motores e mate- riais de mergulho dos pes- cadores da Colônia Z7, de Itai- pu, foram totalmente destruídos por um incêndio no último dia 27 que atingiu o galpão Alpagoa, na Prainha de Piratininga. Estes pescadores vivem exclu- sivamente da pesca e com os imensos prejuízos não têm con- dições de se reabilitarem para o exercício da atividade sem ajuda. Estão atravessando junto com suas famílias imensas dificulda- des. O deputado Estadual Felipe Pei- xoto acionou o subsecretário de Estado de Pesca e Aquicultura, Marco Botelho, para oferecer apoio aos pes- cadores imediatamente. Botelho acom- panhou um grupo de 20 profissionais da pesca e Rodrigo Garçone, presiden- te da Associação de Moradores de Boa Vista, em depoimentos feitos na 81ª DP (Itaipu), onde o fato foi registrado e está sendo apurado. Para alguns pescadores o incêndio tem características suspeitas de ação criminosa. Para apoiar os vitimados pelo incêndio Calçadas Esburacadas De acordo com a lei, as calçadas são de responsabilidade dos proprietários dos imóveis. Entretanto, cabe ao município fiscalizar e ordená- las. Inúmeros moradores de Icaraí se queixam do mal estado de calçadas no bairro e pedem que a prefeitura, através do órgão competente, tome providências imediatas para sanar a questão. Ainda esta semana, um colaborador do nosso jornal sofreu uma queda ao andar na Rua Moreira César, desequi- librando-se depois de tropeçar numa depressão da calçada. Ele teve esco- riações nos cotovelos, em um joelho e nos dedos da mão direita. Indigna- do, fotografou e nos comunicou. Pensando em evitar outros acidentes, aí está a foto do buraco, quase em frente a uma agência dos Correios. Cia de Ballet Faz Doações para a Casa Maria de Magdala A  Companhia de Ballet de Niterói (CBCN) fez a doação de 100 kg de alimen- tos e 60 livros para a Casa Maria de Magdala, durante evento organizado na sede da Cia de Ballet, localiza- da no Abrigo dos Bondes, no Centro de Niterói. Pedro Pires, diretor da Companhia, fez a en- trega dos donativos para a psicóloga  Gisele Mascarenhas, da Casa Maria de Magdala. Ela foi ao local acompanhada por crianças atendidas pela entidade, que cuida de crian- ças e adultos portadores do vírus HIV. Durante a segunda edição do Ateliê Coreo- gráfico promovido pela Cia de Ballet, no mês de junho, no Teatro Municipal de Niterói, ar- recadaram alimentos não perecíveis e livros, e do encontro que era o ato da doação, transformou-se numa festa maior, surpreen- dendo as crianças com uma apresentação do espetáculo “Cordas Friccionadas”, que se- O Novo Mobiliário Urbano Um morador disse: “a ideia que se tem é que es- tamos olhando para um artefato naval. Sinto-me dentro de um estaleiro”. Frases como essa carac- terizam a rejeição dos moradores de Niterói ao novo mo- biliário urbano. As queixas vão desde o “mau gosto e inade- quação na paisagem” até a ineficácia em relação à proteção do usuário. Dizem que em dias de chuva acabam respingados e sofrem com a ventania, além da incidência solar em determinados ângulos. uma doação de legumes, frutas e verduras foi possível graças ao Banco de Alimentos da Ceasa-RJ, órgão vinculado à Sedrap. Implan- tado há três anos no mercado de Irajá, na Zona Oeste do Rio, o programa foi ampliado este ano para os outros cinco mercados da Central de Abastecimento, já beneficiando 30 mil pessoas de mais de 200 instituições sociais cadastradas em diversos municípios do estado. O Banco de Alimentos atende também pessoas em situações emergenciais de vulnerabilidade de alimentos, como víti- mas de enchentes e incêndios. gundo o diretor da CBNC, Pedro Pires, tra- duz em dança a cultura nordestina. No fim do show, os 14 bailarinos, embalados pelo som de Luiz Gonzaga, tiraram as crianças e os funcionários da Casa Maria de Magdala para dançar. A Casa Maria de Magdala, que fez 23 anos de existência, atende crianças e adultos com HIV. São 180 famílias beneficiadas por suas ações que abriga 5 crianças, 2 bebês e 4 adultos. A Casa Maria de Magdala sobrevi- ve de doações e da venda de artesanatos de materiais reciclados feitos pelas pessoas que dependem da ajuda do projeto.
  12. 12. www.dizjornal.com Niterói 11/07 a 18/07/14Em Foco dizjornal@gmail.com 12 Rodrigo Pessoa é 3º no GP Longines no Athina Onassis No dia 7 passado, encerrando o Internacional Athina Onassis Hor- se Show em St Tropez, na França, o campeão olímpico brasileiro Rodrigo Pessoa com Status foi o destaque bra- sileiro com uma importante 3ª coloca- ção, no GP Longines, a 1.60 metro em 2 voltas, com armação do belga Luc Musette. A vitória foi do francês Patrice Dela- veau, que também levou a melhor na prova de valores, montando Carinjo HDC fechou com duplo zero falta, 39s42, levan- do a fatia de 99 mil euros de 300 mil euros em prêmios. Em 2º lugar chegou o jovem talento belga Nicola Philippaerts com Do- natella, duplo zero falta, 40s05. Enquanto Rodrigo e Status garantiram duas pistas lim- pas, 41s05. O anfitrião Doda Miranda, ( também brasi- leiro) foi o 2º colocado na prova de valores também vencida por Delaveau; registrou o melhor tempo da 1ª volta pista limpa e no- vamente na 2ª, 38s33, mas “amargou” um derrube ao final do percurso, em uma bela atuação com sua nova montaria AD Nouvel- le Europe Z fechando em 7º lugar. Os brasileiros Eduardo Menezes com Quin- tol e Marlon Zanotelli com AD Clouwni também zeraram a primeira volta e com uma falta no segundo percurso, em 41s80 e 41s89, emplacaram em 9º e 10º lugar. Será realizada no Centro de Convenções Sul América, no Centro do Rio de Janei- ro, a Feira Expojobs, nos dias 1, 2 e 3 de setembro de 2014. O evento busca aproxi- mar empresas, universitários e profissionais já atuantes na área que desejam ingressar e capacitar-se no mercado de trabalho. O lo- cal possui um espaço com excelente infraes- trutura de 5.000m², ambiente climatizado, estacionamento, restaurantes e localização acessível aos participantes. Neste evento participarão aproximadamente 100 empresas atuantes em diversas áreas, Estágios e Empregos onde os expositores estabelecerão conta- to com o público visitante para apresentar suas propostas e expor sua marca. O even- to conta etapas, desde o planejamento e viabilização de negócios até a montagem e manutenção de “stands”, onde poderão ser realizados “workshops”, demonstrações, ca- dastro de currículos, minicursos, palestras, apresentações, entre outras atividades. Lá serão encontradas informações e atividades sobre franquias, educação, óleo e gás, cons- trução e arte. 8ª Etapa da Liga do Poker RJ 2014 Serão nos próximos dias 19,20 e 21 de julho a realização da 8ª Etapa da Liga de Poker do Rio de Janeiro. As inscrições para as etapas da Liga do Poker RJ podem ser fei- tas por depósito bancário, por transferência de créditos nas salas de poker (Poker Stars ou FullTiltPoker), em carteiras eletrônicas (Neteller) antecipada ou presencialmente no Rio Poker Clube no dia do evento. Também são aceitas inscrições através de depósito bancário. O banco é o Santander (033), favorecido: Michel Bruno da Silva, agência: 0125,conta corrente: 010303267. Deverão enviar para o e-mail michelbruno.eng@ gmail.com o comprovante de depósito, juntamente com o nome e celular. As etapas da Liga do Poker RJ 2014 serão realizadas no Rio Poker Clube, na Rua Álvaro Alvim, 31, 20º andar (cobertura) – Cinelândia – Centro. Mais informações site do Clube: riopokerclube.com.br. Para a realização dessa etapa A Liga de Poker RJ conta com a colaboração da PokerS- trategy. Conheça você também a maior escola de poker gratuita do mundo, através do site pokerstrategy.com. Exposição Agropecuária de Rio Verde RJ Acontece até o dia 20, a 56ª Exposição Agropecuária de Rio Verde, no sudoeste do estado. De acordo com a orga- nização são esperadas cerca de 200 mil pessoas no evento. Os visitantes vão poder conferir inovações para o setor, exposições de animais, competições, comidas típicas, escolha da musa do rodeio, além de shows de artistas como Fernando e Sorocaba e Jota Quest. Na sexta, dia 11, mil cabeças de gado estiveram no Parque de Exposições. Os animais passaram por uma fiscalização rigorosa para participar do evento. Após a aprovação, os animais foram levados para a exposição. Para cuidar de todos eles, mais de cem pessoas de todo o país trabalham no evento. Os animais também participam de competições, que vão desde o torneio leiteiro até a avaliação genética. Entre as atrações da exposição também estão os shows. Confira a programação completa no site oficial do evento. Marco Vellanti Rodrigo Pessoa

×