Acontece354 (2)

224 visualizações

Publicada em

Publicada em: Indústria automotiva
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
224
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
71
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Acontece354 (2)

  1. 1. ANO XX - No 354 - 2ªQUINZENA DE maio DE 2014 ® PÁG. 3 PÁG. 7PÁG. 5 PÁG. 4 PÁG. 4 Em defesa da verdade e do desenvolvimento de São Miguel Paulista e região -  2031-2364 e 2513-0928 - raleste@gmail.com “Vamo Q Vamo” é o campeão invicto da III Copa Interclubes Leste No início deste ano, foi realizada a 3ª edi- ção da Copa Interclubes Leste 2014 de futebol de base categorias Sub-16, Sub-14 e Sub 12. O evento contou com a participação de 11 equi- pes da região leste, sendo elas: Negritude FC/ Cohab I; Primeiro Paulista/Pq. Savoi; Vamo Q Vamo/São Miguel Pta; Alfa La Vai Bola; Grê- mio Brasília; Grêmio Anchieta; Vida Plena A Cristã/Vl. Curuçá; Estrela de Fogo; e Renomax. As finais foram realizadas em 24 de maio de 2014, no campo do CDC Grêmio Anchieta (Sub-16: Vamo q Vamo x Alfa La Vai Bola, Sub- 14: Grêmio Anchieta x Vamo Q Vamo e Sub: 12 Primeiro Paulista x Vl. Curuçá Futsal. Comandante do 29º BPM/M  reúne-se com lideranças e comerciantes da região Centro Integrado de Comando vigiará 24 horas entorno da Arena Corinthians Jantar no Restaurante Piassi reúne expressivas lideranças da região No último dia 23 de maio, expressivas lide- ranças de São Miguel, Guarulhos e região reu- niram-se no tradicional Restaurante Piassi para uma agradável conver- sa. A ideia de promover esses encontros partiu do Dr. Zary, Juiz de Di- reito do Fórum... Tempo de treinamento curto não assusta comissão técnica da Seleção Brasileira PÁG. 2 Conselho da Comunidade Negra comemora 30 anos e presidente Marco Antonio Zito participa do “Roda Vida” do Grupo Acontece
  2. 2. P á g . 2 2ª QUINZENA MAIO de 2014 Circulação: São Miguel, ITAQUERA, vILA Jacuí, jd. helena, v. curuça E GUARULHOS Diretor: Divaldo Rosa Adm. e Financeiro: Ademyr Rodrigues Representante comercial: Adriana Sena, Eduardo Rocha e Ariane Andrade Jornalista FL: Silmara G. Nunes Revisão: Suseli Corumba Rosa Fotos: Bruno Barreto Rosa Diretor de Arte: Sergio Avante Depto. Jurídico: Agilson M. Oliveira Distribuição: Mart Press Distribuidora As matérias assinadas são de exclusiva responsabilidade dos colaboradores e não representam, necessariamente, a opinião do Jornal. Os nomes dos colaboradores e representantes comercias não mantém vínculo empregatício com a empresa. Jornal Acontece Agora, Folha do Itaim & Curuça, Jornal de Ermelino & Ponte Rasa, Jornal Guaianás & Cidade Tiradentes e Revista Acontece Leste A J O R L E S T E O jornal Acontece Agora é Filiado à Associação dos Jornais da Zona Leste Avenida dos Guachos, 166 - Vila Curuça Cep: 08030-360 Itaim Paulista – SP E-mail: raleste@gmail.com site: www.grupoacontece.com.br REDAÇÃO E PUBLICIDADE 2031-2364 | 2513-0928 Patente: PROC. 830024034 Classe 16 RPI RM 2087 Tiragem: 40.000 exemplares FL=FreeLancer cnpj: 03.115.443/0001-16 JAPAUTOJAPAUTOJAPAUTOJAPAUTOJAPAUTOJAPAUTO www.japauto.com.br ITAIM PAULISTA - F.: 2025-7777 - AV. MARECHAL TITO, 7003 ALPHAVILLE / BARUERI / CAMBUCI / CARAPICUÍBA / CENTRO / FRANCISCO MORATO / FRANCO DA ROCHA / ITAQUERA / JABAQUARA / LIBERDADE / MAIRIPORÃ / MAUÁ / GUARULHOS / PIRITUBA / SANTO AMARO / SANTO ANDRÉ / VILA MARIA Respeite os limites de velocidade. CG Fan ESDI 150 14/14 a/v 8.020, ou entr. 2.700,+48x199, (t.prazo 12.252,).Bros 150 ESD 14/14 a/v 10.099, ou entr. 3.300,+48x273, (t.prazo 16.404,).CB 300R 14/14 (Standard) a/v 13.600, ou entr.5.250,+48x300, (t. prazo 19.650,).PCX 14/14 a/v 9.590,.Tabela sujeita a alteração sem prévio aviso, conforme política de comercialização da fábrica. Consulte todas as informações em nosso showroom.Bauleto e capacete grátis somente para Bros.Juros 2.75% a.m. (38,48% a.m.).Banco Honda (TC R$ 496,).CET máximo 52,85% a.a. TC e IOF inclusos. Promoções válidas somente para os modelos anunciados até o término do estoque (2 unidades de cada).Ofertas não cumulativas com outras.Imagens ilustrativas. Reservamos o direito de corrigir possíveis erros gráficos e de digitação. www.japauto.com.br www.japauto.com.br ITAIM PAULISTA - F.: 2025-7777 - AV. MARECHAL TITO, 7003 VEM QUE É SUA!! VEM QUE É SUA!! VEM QUE É SUA!! VEM QUE BAULETO E CAPACETE NXR 150 BROS ESD 2014 MENSAIS 273,00 + ENTRADA Oferta para toda linha BROS. Fotos ilustrativas GRÁTIS FAN 150 ESDI MENSAIS 199,00 + ENTRADA BROS. Fotos ilustrativasBROS. Fotos ilustrativas FAN MENSAIS 199 CB 300R MENSAIS 300,00 + ENTRADA 99,00 + ENTRADA 199+ ENTRADA 300,00 + ENTRADA PCX 150 Pronta Entrega JAPAUTOJAPAUTOJAPAUTO PCX 150 Pronta Entrega REVISTARIA CAVOA Rua Cavoá, 425 Vila Curuçá-SP SUB PREF. DE SÃO MIGUEL R. Dom Ana Flora P. Souza, 76 Vila Jacuí-SP BANCA CULTURAL (Banca do Assai Atacadista) Av. Marechal Tito, 1300 São Miguel BANCA DO MERCADÃO Av. Marechal Tito, 567 São Miguel BANCA DO NAGUMO Pç Francisco Pereira, 80 Vl Curuçá BANCA NOVA GERAÇÃO Av. Marechal Tito, 686 - São Miguel (*) José Américo O resultado da política brasileira de emprego e dis- tribuição de renda é elogia- do até no exterior. Estudos da Organização Internacio- nal do Trabalho (OIT), por exemplo, consideram  que, na prática, o Brasil vive ple- no emprego, situação que deve perdurar até 2020, caso o país mantenha taxa anual de crescimento em torno de 6%. É importante observar que a expressão “pleno em- prego” não significa fim do desemprego. Reflete, sobre- tudo, que o nível de traba- lhadores sem emprego se encontra numa faixa está- vel. Nesse quadro, quando o trabalhador fica fora do mercado de trabalho, a re- colocação não demora mais do que 30 ou 60 dias. Outro fator que demons- tra a proximidade de um cenário de pleno emprego no país é a maior pressão por aumentos salariais, o que já está ocorrendo. Com um detalhe relevante: os au- mentos superam índices in- flacionários e vão além das faixas de produtividade. Nas contas do Departa- mento Intersindical de Es- tatística e Estudos Socioeco- nômicos (Dieese), 93% dos pisos salariais, em diversas categorias profissionais, ti- veram reajustes acima da in- flação no ano passado. Cabe assinalar, por outro lado, que o mercado de traba- lho, ao ampliar a renda do trabalhador, fez surgir uma sociedade de consumo de massa, com uma nova clas- se média que consome R$ 881,2 bilhões anuais. Essa nova classe brasilei- ra é formada por pessoas mais jovens, com maior nível de escolaridade. É um grupo A conquista da seleção brasileira na Copa das Con- federações completa 11 meses nesta semana. Desde a partida contra a Espanha, em 30 de junho de 2013, foram oito amistosos, o úl- timo em março, contra a África do Sul. Foram pou- cas as observações nesse período e todos os titulares daquela vitória por 3 a 0 es- tão convocados e mantém status de titulares antes da estreia na Copa do Mundo. Parreira alerta contra Tempo de treinamento curto não assusta comissão técnica oba-oba, mas diz que Bra- sil já está com uma mão na taça “O trabalho principal foi feito desde o começo. Logo antes da Copa das Confede- rações, a estratégia foi mon- tar um time e uma maneira de jogar. Deu um resulta- do positivo, ganhamos de maneira inequívoca. Nosso trabalho não foi só um mo- mento, mas é uma continui- dade”, disse Carlos Alberto Parreira, coordenador técni- co da seleção brasileira. Expansão do mercado de trabalho com qualidade social mais exigente na hora de consumir e no momen- to de decidir onde investir o seu dinheiro. Além dis- so, este novo cidadão, mais consciente, está indo às ruas para manifestar suas reivin- dicações e, com certeza, de- positará seu voto na urna, nas próximas eleições, com maior poder de discerni- mento. Nesse momento, é fun- damental que o quadro de expansão de emprego e au- mento da consciência con- temple os mais de 5 mil mu- nicípios do interior do país. Nos últimos anos, grandes montadoras de automóveis e fortes grupos ligados ao agronegócio geraram (e ainda geram) milhares de oportunidades de emprego – como aconteceu no Estado de São Paulo. Entretanto é preciso mais: é importante fomentar e facilitar o incre- mento de pequenas e mé- dias empresas, sobretudo na área de serviços. É fundamental pontu- ar, também, que tanto nas grandes capitais quanto nas cidades do interior, a longo prazo não é suficiente ape- nas gerar empregos. É ne- cessário qualificar melhor os grupos sociais e, nesse sen- tido, o treinamento e pro- jetos de educação podem fazer a grande diferença. O Bilhete Único diário entra em operação com valores que variam de R$ 10 a R$ 16, dependendo do tipo de transporte. Esta modalidade temporal per- mite o uso ilimitado do sis- tema de transporte por 24 horas, contadas a partir do primeiro uso. Na nova modalidade, usuários cadastrados na Sptrans pagam a tarifa de R$ 10, para uso somente de ônibus ou somente de metrô ou trens, ou de R$ 16, para uso nos dois sis- temas. Para estudantes, os valores são respectiva- mente de R$ 5 e R$ 10. A aquisição pode ser realiza- da em qualquer ponto de recarga do bilhete. Novos usuários poderão se cadas- trar no site http://bilheteu- nico.sptrans.com.br para Bilhete Único diário entra em operação ter acesso ao benefício. Caso o usuário opte por não realizar o cadas- tro, é necessário adquirir um novo bilhete por R$ 3 e pagar as tarifas de R$ 15, para um único meio de transporte, e de R$ 24 para a integração. A modalidade diária somente estará dis- ponível para esse público a partir de 24 de maio. Dos 10 milhões de em- barques diários realizados nos ônibus municipais, 94% dos passageiros optam por utilizar o Bilhete Único. A implantação das modali- dades temporais de tarifa para transporte público é uma iniciativa inédita no Brasil. Com a entrada em operação da versão diária, a Prefeitura cumpre a meta 94 do Programa de Metas 2013-2016. Supervisor de Loja Local de trabalho:  Guaru- lhos - Bairro do Cocaia Descrição do Cargo: Res- ponsável pela abertura e fe- chamento da loja, assim como, pelos colaboradores; Realiza treinamento de produto e vendas para os colaboradores iniciantes ou com menor ex- periência; Dar suporte para os vendedores, buscando dessa forma, facilitar as negociações de produtos junto aos clientes; Realiza reuniões periódicas com o gerente regional para desenvolvimento de novas es- tratégias de vendas; Controla a saída e entrada de mercado- rias do estoque da loja que é responsável; Responsável pela supervisão do caixa da loja; Pré-Requisitos: Experiên- cia na função de supervisor de loja com ênfase em vendas; En- sino Médio Completo; Morar na cidade em que irá trabalhar (Guarulhos); Disponibilidade para trabalhar aos sábados e feriados; Desejável possuir co- nhecimento básico em infor- mática. Informações Adicionais: Remuneração Fixa:  1.506,00 + 40% Adicional de Confiança (Total=2.100,00). Benefícios: Ajuda de Com- bustível p/ Trabalho, Vale Refei- ção, Seguro Saúde. Horário de Trabalho: Tra- balha de segunda à sexta-feira das 8:00 às 18:00- aos sábados das 8:00  às 14:00; Trabalha aos feriados das 8:00 as 14:00 ho- ras; Não trabalha aos domin- VAGA de EMPREGO gos; Precisa ter disponibilidade para treinamentos após o ex- pediente. Responsável pela vaga: Wil - Contatos: 2412-8844 (ra- mal 146) E-mail: rh@brcolors. com.br
  3. 3. P á g . 3 2ª QUINZENA MAIO de 2014 Na manhã de quinta-fei- ra (29), a Associação Comer- cial de São Paulo Distrital São Miguel promoveu um encontro com empresários, comerciantes da região, lideranças comunitárias, CONSEG’s e o Comandante do 29º.BPM/M, Ten. Cel. PM Gilberto Hernandes Junior que esteve acompanhado do tenente Jorge, respon- sável pela comunicação do 29º.BPM/M  . A reunião teve como principal objetivo dis- cutir sobre um tema bas- tante almejado por todos os empresários que é a se- gurança pública e, de forma especial, a manutenção dos postos Policiais no centro de São Miguel, Itaim Paulis- ta e no Jardim das Oliveiras. Logo no início, o supe- rintendente da ACSP- Dis- trital São Miguel, Fernan- do Velucci, agradeceu a presença de todos e frisou a importância que tem o posto policial localizado no centro comercial da região. “O comandante veio con- versar com os empresários e comerciantes locais aqui do bairro, eu também me incluo por ser um comer- ciante daqui. Se é para me- lhorar a segurança e desen- volvimento de nossa região, a Associação sempre estará de portas abertas para to- dos da comunidade”. Diversos assuntos rele- vantes sobre o policiamen- to local e temas bastante polêmicos, como é o caso da desativação do posto po- licial do Jardim das Olivei- ras, também foram citados durante a reunião. Bastante categórico em suas falas, o Ten. Cel. PM Gilberto Hernandes Junior respondeu com veemência os questionamentos levan- tados pelo público presen- te. Indagado, fez questão de esclarecer que a desati- vação do posto central do Calçadão não era de seu conhecimento e muito me- nos verídico. “Isto nunca foi verdade. Então se alguém acima de mim está derru- bando o posto, eu não es- tou sabendo, então me dê o nome para eu verificar o que está acontecendo, isso é um pouco ilógico falar que eu quero derrubar o posto sendo que eu o refor- mei recentemente. A polícia militar é quem paga a con- ta de água e luz do posto, se foi o meu comando que determinou a instalação de uma linha telefônica priva- tiva para o posto, então eu não tenho ideia nenhuma de desativar o posto”, o Coronel ainda se mostrou muito chocado com a infor- mação e ressaltou: “Infeliz- mente as pessoas por vezes propagam notícias que são falsas e que é um desserviço para a segurança pública do bairro. Eu trabalho muito para manter a sensação de segurança de todos os usuá- rios do calçadão de São Mi- guel em alto nível na medi- da em que a gente tem essa informação eu fico muito chateado porque não é ver- dade”. Disposto a tirar qualquer tipo de dúvidas dos convi- dados, o coronel Gilberto Hernandes não poupou palavras e foi firme em seu discurso sobre as cobranças no setor da segurança local. “Eu não compactuo com ilegalidades, eu não traba- lho com improviso, mas sim com a lei, o que falta nesse país não é lei, aliás, legisla- ções sobram nesse país, o que falta é cumpri-las. Se nós cumpríssemos 10% das leis que existem de verda- de talvez não teríamos os problemas de governos que nós temos. Eu sou legalista por consciência de cidadão em primeiro lugar, em se- gundo lugar por autorida- de pública da polícia, eu não admito um gestor pú- blico não cumprir a lei”. A irregularidade do Posto Jardim das Oliveiras Em relação à tão polêmi- ca desativação do posto Jar- dim das Oliveiras, coronel Hernandes expressou sua indignação em relação ao assunto. “A UPP Jardim das Oli- veiras foi recusada pela prefeitura de São Paulo não pela polícia militar, eu tenho cópia do processo e disponibilizo para todos. A polícia militar solicitou a regularização daquele pré- dio para a prefeitura e ela, de acordo com o código de edificação do município, diz que não poderia dar a per- missão de uso daquele solo, que aquela construção é ir- regular, que ela coloca em risco de morte os usuários do passeio público e os ha- bitantes daquele posto sim- plesmente porque ele está construído na calçada e isso não é permitido. A água e a luz daquele posto são cus- teadas por uma associação que em nome da polícia mi- litar bate na porta de cada comércio pegando quanto for de dinheiro necessário para pagar conta de água e luz, eu não estou ques- tionando aqui a idoneida- de de ninguém, agora eu também não vou permitir que usem o nome da polí- cia militar para se fazer ra- teios e sem qualquer trans- parência, ao fazer o custeio desses serviços públicos. Da mesma forma que difundi- ram notícias falsas do tipo que vai cair o posto de São Miguel, vão estar divulgan- do notícias falsas de que até autoridades da polícia militar está nesse contexto. E cabe a mim como coman- dante, prevenir essas situ- ações e como eu faço isso? Cumprindo a lei”. Ainda tratando do pos- to Jardim das Oliveiras, o coronel ressaltou que, em sua opinião, a comunida- de do extremo leste é mais acomodada no tempo, se comparado a diferentes áreas mais nobres de São Paulo. “Eu nasci na peri- feria e estou trabalhando aqui porque eu quero, se eu quisesse trabalhar em lugares mais luxuosos eu estava. A gestão anterior da associação de moradores nem CNPJ tinha durante 20 anos e correram para pro- videnciar isso depois que viram que tinha que se tor- nar peça representativa na busca da permanência do posto, então se a associação tem CNPJ, tem que ter o posto, como é que alguém pode se intitular associação sem personalidade jurídica? Ai o presidente da ges- tão anterior não se entende com a gestão de hoje, eles querem mostrar a compe- tência de que comigo o pos- to permanecia e ‘semmigo’ o posto não permanece. Eu não estou aqui para parti- cipar de briga de comadre, essa que é a verdade, eu quero saber o seguinte: eu posso pegar o dinheiro dos senhores e das senhoras, do cofre público e reformar o posto dos Jd. Das Oliveiras? Não, por quê? Porque o pos- to não existe, ele é ilegal e eu não posso investir dinhei- ro em irregularidade. E esse é o motivo.”, esbraveja ele. Com irregulares ao redor e construído sob um bueiro, quem passa pelo posto da polícia militar, no bairro do Jardim das Oliveiras, nota a falta de estrutura no local, segundo alguns moradores da região realmente é in- cabível um posto naquele espaço. “Realmente o pos- to está totalmente fora do contexto, os ônibus passam beirando o prédio do posto, porém não podemos ficar sem segurança também”, relata a estudante Adriana. Decidido em seu posi- cionamento, coronel Her- nandes diz: “O posto foi construído em cima de um bueiro e quando chove o bueiro alaga e alaga o pos- to também, ele exala odor de lixo por aquele bueiro 24h por dia, lá tem uma es- cada caracol que não passa uma pessoa com mais de 80kg de tão estreita que é. Não posso instalar uma linha telefônica lá porque ele não tem endereço. Ago- ra é muito fácil alguém da comunidade chegar em mim e reclamar. Então colo- ca o seu filho para trabalhar lá, sua esposa, eu tenho res- ponsabilidade com os meus soldados, eu não vou colo- car uma mulher para traba- lhar lá, naquelas condições, eu não vou colocar porque eu não estou aqui para matar pessoas. Então todo mundo fala um monte de besteira, mas eu sei o que eu estou fazendo. Eu pedi para a subprefeita se mani- festar mas até agora nada. O deputado Arnaldo Faria de Sá falou comigo e pediu um prazo de 30 dias para o comando da PM para fazer tentativas junto ao prefei- to para regularizar aque- le imóvel, o prazo dele já venceu e nada. Então muita gente gosta de tirar provei- to de uma situação triste, mas ninguém quer resolvê- -la e quem é o responsável se o ônibus entrar no posto e duas pessoas morrerem? É o Coronel Hernandes e ele não é candidato a nada”. E disse mais: “Naquelas con- dições eu vou desativar o posto, goste a comunidade ou não”. Quanto à segu- rança no local, ele garante que continuará tudo sobre controle: “Vou deixar uma base comunitária modelo Splinter móvel próximo. Eu não posso reformar prédios ilegais, pois a lei não permi- te, esse é o fato.” Hoje o coronel tem que se preocupar com 104 car- ros, 682 policiais, 38 km2, sendo o segundo maior pólo comercial de São Pau- lo. São: 104 carros, com 104 computadores de bordo embarcados. Segundo o ranking dos últimos 3 meses de análise, o 29º Batalhão está em primeiro lugar em redução de crime na capi- tal, com 37.4% a menos em crimes de homicídio, roubos de qualquer espécie ou fur- to de veículos. Após explanar sobre o posto do Calçadão e o Jar- dim das Oliveiras, foram le- vantados pelos empresários alguns questionamentos em relação à quantidade de assaltos ocorridos no co- mércio. Segundo o Coronel Gil- berto Hernandes, a polícia trabalha com mais eficácia quando existe a participa- ção da sociedade. Segun- do ele, “objetivamente a segurança está melhor, o que fizerem de divulgações contra a sensação de segu- rança dos moradores é com- plicado, é claro que nunca vamos zerar os indicadores, mas vamos mantê-la sob controle”. Para finalizar, o coronel Gilberto Hernandes agra- deceu a todos e frisou: “Eu gosto de um bom debate e nem digo que eu estou 100 % correto, aliás, ninguém está, e eu preciso das obser- vações de todas as pessoas, porque minha obrigação é procurar atender as expec- tativas de todos. Pode ter certeza de uma coisa, eu posso até contrariar algu- mas opiniões, mas ninguém vai ter um comandante aqui que não sabe o que está acontecendo, ou não sabe o que está fazendo”. Comandante do 29º BPM/M  reúne-se com lideranças e comerciantes da região
  4. 4. P á g . 4 2ª QUINZENA MAIO de 2014 Para reforçar a segu- rança na capital durante a realização da Copa do Mundo, está em funciona- mento desde sexta-feira, 23, o Centro Integrado de Comando e Controle Re- gional. O CICCR vai operar a partir da Luz, no centro da cidade, 24 horas por dia, sete dias por semana, entre 10 de junho e 18 de julho, e funciona como um centro de coordenação da Opera- ção de Segurança da Copa do Mundo, integrando e monitorando informações de pelo menos 41 órgãos. Instalado em imóvel da Secretaria Estadual de Pla- nejamento e Desenvolvi- mento Regional, o CICCR conta com um videowall que recebe imagens de 30 câmeras instaladas no en- torno da Arena Corinthians, em Itaquera, e em outros pontos estratégicos, além de cinco Centros de Con- trole Móveis (três carretas e duas plataformas de ob- servação elevada), para que a Polícia Militar monitore jogos e outros eventos rela- cionados à Copa. Centro Integrado de Comando vigiará 24 horas entorno da Arena Corinthians CICCR conta com videowall e mais de 30 pontos de observação “Exemplo prático: qual- quer alteração no acesso ao estádio, na entrada das pessoas, na saída do es- tádio, é filmada. E tudo é acompanhado simultane- amente, para orientar a ação de segurança, de de- fesa, de trânsito, a partir deste Centro Integrado de Comando e Controle Re- gional”, explicou o gover- nador Geraldo Alckmin em visita ao CICCR no dia 26. Já estão em funcionamento as salas de operações (NOC - Network Operations Cen- ter), de atendimento, de armazenamento de da- dos (Datacenter), de crise, planejamento, escolta e administração, além dos ações para a Copa do Mun- do, o governador Geraldo Alckmin disse que “este é um bom exemplo de um legado, porque foram in- vestidos R$ 66 milhões pelo Governo Federal na área de tecnologia e R$ 2,5 milhões pelo Estado para reformar e adaptar todo o prédio. E tudo isto vai ficar para o Es- tado, porque a hora em que acabar a Copa do Mundo, o CICCR ficará como um cen- tro de inteligência para o Estado. Aqui está um bom exemplo de legado na área da segurança pública e da Defesa Civil”. equipamentos do Centro. Segundo o governador, serão quatro áreas impor- tantes de atuação: de se- gurança e defesa, Defesa Civil e Bombeiros, agências e uma área de mobilidade e trânsito. “Estas áreas, com inúmero atores, sejam do Governo Federal, sejam do Estado, sejam do município, [trabalham em conjunto]”, comunicou Alckmin. Legado da Copa para o Estado Após a Copa do Mundo, o Centro Integrado de Co- mando e Controle Regional ficará para o Estado de São Paulo, que terá sua adminis- tração compartilhada entre as Secretarias de Segurança Pública e de Planejamento e Desenvolvimento Regio- nal, tendo como um coor- denador um delegado da Polícia Federal. A respeito da parceria com o Governo Federal em Polícia apreende cerca de 2 toneladas de maconha em barracão da Gaviões da Fiel Policiais civis da Dise (Delegacia de Investiga- ções sobre Entorpecen- tes) de Barueri apreen- deram 1,9 tonelada de maconha em um barra- cão da escola de samba Gaviões da Fiel, no Bom Retiro, centro da capital, na madrugada de do- mingo (25). A droga es- tava misturada com soja, em um caminhão com placas de Mato Grosso do Sul. O delegado Ednelson de Jesus Martins afirmou que o caminhão foi encon- trado dentro do galpão, pertencente à torcida or- ganizada do Corinthians. Dois homens foram pre- sos. Eles transportavam a droga para outro veículo menor na hora em que a polícia chegou. O advogado Ricardo Cabral, que representa a Gaviões, disse que a apre- ensão foi ao lado da qua- dra e que disse acreditar ter sido “uma coincidên- cia”. Ele acrescentou que apura se os presos têm relação com a torcida or- ganizada. O Governo Federal está realizando grandes OBRASDE INFRAESTRUTURAEMTODOOBRASIL. Obras assim abrem novos caminhos para que este seja, cada vez mais, um país de oportunidades. Aqui em São Paulo. E no Brasil inteiro. Linha 17-Ouro do Metrô e Corredores Inajar de Souza, M’Boi Mirim e Berrini Deslocamento mais rápido e mais qualidade de vida para os paulistas. VLT Santos-São Vicente Mais agilidade e eficiência para o transporte público. Rodoanel, Etanolduto Ribeirão Preto-Paulínia, Hidrovia do Tietê e Porto de Santos Impulsionam a economia e geram desenvolvimento para o estado. Ampliação do Metrô e criação de Novas Linhas de Trens e de Corredores de Ônibus Em breve, mais opções de transporte e conforto para a população. E AQUI EM SÃO PAULO, BEM PERTO DA GENTE. Nesta semana aconte- ceu o que já era espera- do no PT de São Paulo: o partido do ex-governador Paulo Maluf declarou o seu apoio e o de lideran- ças do PP ao ex-ministro Alexandre Padilha, que vai disputar as eleições pelo governo do estado de São Paulo neste ano. Estavam presentes as prin- cipais lideranças estaduais do partido de Maluf e re- Maluf dá apoio a Alexandre Padilha presentando a Zona Leste, destacou-se Edinaldo Cos- ta, conhecida liderança de São Miguel, que foi candi- dato a vereador nas elei- ções de 2012, apoiando o prefeito Fernando Haddad. No último dia 23 de maio, expressivas lideranças de São Miguel, Guarulhos e região reuniram-se no tradicional Restaurante Piassi para uma agradável conversa. A ideia de promover esses encon- Jantar no Restaurante Piassi reúne expressivas lideranças da região tros partiu do Dr. Zary, Juiz de Direito do Fórum de São Miguel e, desta vez, contou com a presença do Cel. Tar- dochi (Comandante do BPM da Penha), Fernando Velucci (Superintendente da ACSP - Distrital São Miguel), Dival- do Rosa (Grupo Acontece), Delegado Titular do 63DP - Vl.Jacuí, Jairo Galdino (sub de São Miguel), lideranças sindicais e assessores da pre- feitura de Guarulhos.
  5. 5. P á g . 5 2ª QUINZENA MAIO de 2014 MAIS INFORMAçÕES:WWW.PREFEITURA.SP.GOV.BR FEBRE AlTA FRAQUEZA DOR NO CORPO OU JUNTAS DOR DE CABEçA OU FUNDO DO OlHO AO SENTIR UM DESTES SINTOMAS Vá IMEDIATAMENTE A UMA UNIDADE DE SAúDE E PROCURE UM MéDICO. GARRAFASVAZIAS VASOS DE PlANTAS PNEUSCAIxA D’áGUA NãO ARMAZENE áGUA. FIQUE ESPERTO, A DENGUE ESTá POR PERTO. COlABORE. A PREFEITURA PRECISA DA SUA AJUDA. Roda VivaRoda Viva O presidente do Conse- lho da Comunidade Negra SP, Dr. Zito, participou do Programa “Roda Viva” do Grupo Acontece para fa- lar dos 30 anos do CPDCN (Conselho da Participação e desenvolvimento da Co- munidade Negra), o primei- ro órgão oficial do Brasil a dedicar-se às questões de combate à discriminação racial. A reunião contou com a participação do lo- cutor Oliveira Junior da Rádio Jovem Pan e outras lideranças da região de São Miguel. Dr. Zito abordou assuntos bastante relevan- tes sobre a questão racial no Brasil, falou sobre o papel da mulher negra, a importância das Cotas nas universidades, o racismo na Europa e muito mais. O entrevistado fez questão de destacar a importância dos jornais de bairro como instrumento de democra- tização das informações e parabenizou os jornais e revista do Grupo Acontece pela qualidade, credibilida- de e importância no cenário da Zona Leste de São Paulo. Divaldo Rosa: Que ba- lanço você faz hoje da in- tervenção do conselho para reduzir a desigualdade so- cial em relação aos negros de São Paulo e do Brasil? Marco Antônio Zito: O balanço é positivo, há de se lembrar que antes do Con- selho nada existia, na ver- dade o racismo só era discu- tido dentro do movimento social negro, a partir do momento em que o estado reconheceu a necessidade de um órgão interno para cuidar do combate à discri- minação racial, foi criado o CPDCN (Conselho da Parti- cipação e desenvolvimen- to da Comunidade Negra), por força das reivindicações do movimento negro para combater o racismo e pro- mover a inclusão do negro. Mas é claro que a nossa ges- tão não pretende ser me- lhor do que as anteriores, ela é uma gestão do século 21, quando já estão postas as propostas e, por isso, hoje estamos, na verdade, em fase de seu aperfeiçoa- mento. Oliveira Junior: O se- nhor acha que a lei é o ca- minho da conscientização e respeito ao negro? Marco Antônio Zito: O caminho é a educação. A educação é à base de qual- quer país, enquanto nós não mudarmos o modelo político e educacional, eu acho que o racismo ficará intenso na formação da so- ciedade. Adriana Sena: Em re- lação à mulher, como o se- nhor acha que pode ser a nossa participação no com- bate ao racismo? Marco Antônio Zito: A mulher, em especial a ne- gra, primeira coisa: ela está na base da base da pirâmi- de. Ela tem uma dificulda- de pela própria construção social de valores da nossa sociedade como um todo, que é machista e que, na verdade, atinge a todos. A mulher negra precisa de um trabalho de reconhecimen- to e de uma inclusão signi- ficativa, porque hoje as mu- lheres, independentemente do recorte, estão presentes em todos os segmentos profissionais, inclusive na magistratura, no ministério público, na advocacia, mas qual é o número de mulhe- res nesses segmentos? Silvio: Existe uma lei que foi colocada para as es- colas que teria uma radio escolar contando a história do negro. Porém, as infor- mações que nós temos é que o número de escolas que tem isso na grade é muito pouco e percebemos que não tem isso incorpo- rado no dia a dia da esco- la. Queria que o senhor co- mentasse sobre isso. Conselho da Comunidade Negra comemora 30 anos e presidente Marco Antonio Zito participa do “Roda Vida” do Grupo Acontece Marco Antônio Zito: Sua pergunta é muito opor- tuna. Estou discutindo com a Secretaria da Educação um aperfeiçoamento da implantação da lei 10639, e por que disto? Por causa da questão do reflexo, nós pre- cisamos começar a contar a nossa história, a história do nosso povo negro, que não é uma história somente das correntes e das chibatas. É uma história muito maior com cultura, educação e heróis como Luiz Gama, Zumbi, Rebolsas, e tantos outros. Isso é importante porque a história da popu- lação negra contada dentro da escola, não é contada só pra garotinhos negros, mas é contada para todos os jo- vens, independentemente de raça, e eles verão que o negrinho que está sentado ao lado dele tem uma his- tória tão bonita como a his- tória que eles têm. Embora já tenhamos superado essa questão, ela não pode ser esquecida. Daí a importân- cia da escola democrática, capaz de diversificar quem conta a história, porque se na verdade a história for só contada por brancos e europeus, ela será só “con- tada”. Nesse sentido, preci- samos diversificar os pólos de discussões, e isso é o que o Conselho está fazendo, propusemos no nosso início de trabalho, ao fazer a im- plantação da lei, não houve condições econômicas na forma proposta e agora va- mos fazer através de video- conferência porque não se admite mais tirar os profes- sores da sala de aula. Silvio (Conselho Parti- cipativo de São Miguel): Vemos por dados e pesqui- sas, ano a ano, que em con- fronto com a polícia sempre morrem jovens negros e po- bres. Por que isso se dá? Marco Antônio: Preci- samos mudar o modelo, há um modelo atual que en- volve a polícia civil, mas que ainda não envolve a polícia militar, no sentido da sensi- bilização e capacitação das demandas referentes à rela- ção da polícia com a popu- lação negra. Você faz mui- tas palestras, mas você não acompanha o programa de capacitação dos novos poli- ciais que adentram a polícia militar ou mesmo a polícia civil. Há uma questão que dizem que na polícia mili- tar há um curso de direitos humanos que transpassa a questão racial, mas eu te- nho a certeza que um aper- feiçoamento disso passa de forma diferente e que a sociedade tem que pressio- nar seus governantes para fazer valer os seus direitos. O Brasil mudou e hoje você tem poder de compra. A imagem do negro hoje não é mais a de criminoso pelo fato de ser pobre. O estado tem que saber lidar com a diversidade, por exemplo, se eu sou admitido na poli- cia e eu sou racista, eu não posso levar para dentro da instituição meu preconceito e meu racismo, mas eu não posso violar o direito de al- guns só por ser negro, mas infelizmente isso vem acon- tecendo. Aproveitando a questão, sou totalmente contrário à diminuição da idade de responsabilidade penal e falo por conheci- mento de causa, pois fui advogado do estado dentro de presídio, sei que cadeia não recupera ninguém. Precisamos mudar o mode- lo, aonde primeiro vem a Educação e precisamos pre- parar um sistema de reedu- cação e de recuperação que sejam produtivos. Na verda- de, a polícia precisa ter um projeto diferente de discus- são ampla. Bruno Barreto Rosa: Em relação às escolas, como os jovens que são vítimas de racismo podem lutar contra esse preconceito? Marco Antônio: Pri- meira coisa precisa implan- tar a lei 10.639, como falei anteriormente, para que seu amigo que não é ne- gro te respeite como você é, com sua ancestralidade, e não porque é bem nasci- do e estruturado. O povo que foi escravizado e que lá naquelas terras eram reis ti- nha um regramento social e deixaram de serem conside- rados seres humanos para serem meras peças dentro do processo de colonização do país. Quero lembrar que mesmo após a Lei Áurea não houve nenhum proces- so de inclusão social dos ne- gros, e mesmo assim nós so- brevivemos. O meu sucesso e o sucesso dos meus filhos infelizmente não é o suces- so da garotada da periferia, tanto é que, alguns órgãos da imprensa, quando um negro passa em primeiro lugar numa determinada faculdade, é como se fosse uma “mosca branca”, então quer dizer que todos que não fazem isso são burros, são incapacitados? Eu não creio nisso. Divaldo Rosa: Sobre a questão das cotas, qual o seu balanço? Marco Antonio: No meu modesto entender, eu acho que nós já consegui- mos caminhar e vamos ver que as cotas nas universida- des já estão consolidadas. Nas universidades estadu- ais, eu acho que por força de um entendimento equi- vocado dos nossos reitores, eles têm tido um poder muito maior do que a lei es- tabelecia como autonomia das universidades. Desta forma, eles entendem que só eles podem implantar as cotas nas universidades estaduais. Mas isso quando se previu a questão da au- tonomia das universidades, eles transformaram esta autonomia em soberania, e de repente eles mesmos negam políticas públicas vindas do próprio governa- dor, ou dos poderes cons- tituídos, e bem lembrando que a universidade não é um poder paralelo, ela se submete à legislação dos órgãos controladores. Divaldo Rosa: Sobre os casos de racismo na Euro- pa, envolvendo jogadores de futebol como aconteceu com o Daniel Alves, como você vê esses episódios? Marco Antonio: Em minha opinião, esses fatos são isolados, acho que hoje o mundo vive uma onda de racismo. É difícil pensar que exista uma onda gene- ralizada de ressurgimento do sentimento racista pela Europa. Os anos e as guer- ras nos mostraram que o melhor sistema de governo não é socialista e nem capi- talista. O melhor sistema é o democrático, implantado de forma perfeita, onde to- dos têm direito e oportuni- dades iguais. Hoje se repete muito o preconceito racial, principalmente porque o negro começa a incomodar, começa a pegar o seu espa- ço, mas com certeza, você é um estranho no ninho, foi o que aconteceu com o Daniel Alves, Neymar, Robi- nho e tantas outras estrelas do futebol brasileiro que estão lá na Europa ocupan- do a vaga de alguém e isso incomoda muito.
  6. 6. P á g . 6 2ª QUINZENA MAIO de 2014 Anuncie no mais completo e mais lido Jornal de São Miguel e região. Ótimas promoções e formas de pagamento. Consulte!!! 2031-2364 2513-0928 Por muito tempo, o ca- belo liso foi sinônimo de beleza e a mulher fazia de tudo para deixar os fios retos e esticados. A quími- ca sempre fez sucesso pela maior duração e praticida- de. Mas com os estilos bla- ck power, crespo e cachea- do em alta, quem investiu em alisamento está pen- sando em como voltar a ter os fios naturais. Especialistas ensinam como reativar os cachos: Para assumir o black, a mu- lher deverá abrir mão dos processos de alisamento e deixar os fios crescerem na- turalmente. Também será A maquiagem para mu- lheres com olhos pequenos não precisa ser sem graça. Pelo contrário. Existem al- guns truques que ajudam a aumentar os olhos e, de quebra, pode-se caprichar também em makes com delineador, sombras es- curas, em tons como azul, verde e violeta, e batom vermelho. Tudo deve começar com a dupla base e corre- tivo, que ajuda a iluminar o contorno do rosto. Nesse passo, é importante que a mulher use uma base no tom da pele e um corretivo bege, um tom abaixo da base, para que a maquia- gem dê a ilusão de um ros- to mais expandido. Apli- que o corretivo na área dos olhos, para esconder as olheiras e sombras na- turais que os olhos possam ter, e na zona T. Quatro itens O quarteto lápis, deline- ador, cílios postiços e rímel é fundamental para quem Saiba como abandonar o cabelo liso e reviver o antigo necessário cortar as partes lisas que já tiveram sua es- trutura modificada. Enquanto espera o ca- belo natural crescer, ela aconselha a continuar cui- dando em casa com hidra- tação. Se o cabelo estiver alisado desde a raiz, não será possível ver diferença até que o cabelo natural cresça de dois a três centí- metros, o que leva de dois a três meses. Nesse inter- valo, cuide dos fios com hidratação duas vezes por semana. Misturado: Quando o cabelo crespo ou cacheado começar a nascer haverá um período em que ficará misturado com a parte lisa. Nesta fase em que o cabe- lo encontra-se ‘misturado’, é imprescindível fazer um corte para dar forma e eli- minar os fios alisados. Caso a intenção seja manter os fios lisos parcialmente, a sugestão é esporadicamen- te fazer escova para ajeitar o cabelo. Porém, a chapi- nha está proibida. A atriz Taís Araújo fez esse caminho. Depois de adotar megahair e usar os fios lisos por suas persona- gens, ela radicalizou com o estilo Joãozinho para rees- truturar a cabeleira. Passa- dos alguns meses, ela agora assume seu estilo natural. Além da higienização e hidratação, a mulher deve procurar a ajuda de espe- cialista para reaprender a cuidar dos fios sem recor- rer ao alisamento. O corte é recomendado a cada dois meses, mesmo que só as pontas. Para quem quiser adotar o estilo black, o cor- te deve ser feito em cama- das uniformes. Sombra clara e lápis bege aumentam os olhos, veja truques deseja aumentar os olhos. O lápis na cor branca ou bege deve ser passado na linha d’água para criar a ilusão de continuidade da parte branca do olho. Já o traço grosso do delinea- dor em toda extensão da pálpebra móvel confere profundidade, comenta o maquiador. Aposte, ainda, nas can- toneiras de cílios postiços em tamanho médio, aplica- das no canto externo. Fina- lize com camadas de rímel, que ajudam a levantar a ex- pressão. Maquiagem diurna e noturna Durante o dia, sombras claras na pálpebra móvel num tom escuro, como o marrom, esfumado no côn- cavo, combinam com qual- quer produção. Para um evento noturno, as som- bras escuras, como grafite, azul-marinho ou petróleo, violeta, verde-musgo ou bandeira, criam a ilusão de olhos maiores. Evite o pre- to, pois ele diminui o olhar, alerta o maquiador. Outro truque é aplicar sombra de cor clara na par- te superior e inferior do canto interno. Em seguida, uma sombra escura no can- to externo, esfumando em direção às têmporas para elevar o olhar. Com o pin- cel da sombra escura, faça uma linha na pálpebra su- perior e na raiz dos cílios inferiores, formando um V e esfume. Isso ajuda a criar a ilusão de olhos maiores, explica o profissional, que acrescenta: Você pode, ainda, continuar com essa linha na raiz dos cílios infe- riores até encontrar com a sombra clara. Batom vermelho Por fim, sempre que se quiser desviar a atenção de um ponto do rosto, como os olhos pequenos ou um nariz proeminente, deve-se investir no batom verme- lho. Valorizando a boca, as outras áreas ficam em se- gundo plano.
  7. 7. P á g . 7 2ª QUINZENA MAIO de 2014 No início deste ano, foi re- alizada a 3ª edição da Copa Interclubes Leste 2014 de fute- bol de base categorias Sub-16, Sub-14 e Sub 12. O evento contou com a participação de 11 equipes da região leste, sendo elas: Negri- tude FC/Cohab I; Primeiro Pau- lista/Pq. Savoi; Vamo Q Vamo/ São Miguel Pta; Alfa La Vai Bola; Grêmio Brasília; Grêmio Anchieta; Vida Plena A Cristã/ Vl. Curuçá; Estrela de Fogo; e Renomax. As finais foram rea- lizadas em 24 de maio de 2014, no campo do CDC Grêmio An- chieta (Sub-16: Vamo q Vamo x Alfa La Vai Bola, Sub-14: Grê- mio Anchieta x Vamo Q Vamo e Sub: 12 Primeiro Paulista x Vl. Curuçá Futsal. Categoria Sub-16 (Juvenil) A Equipe Vamo Q Vamo/ São Miguel contou com o ce- leiro de futuros craques, tais como: o goleiro Vagner que foi o goleiro menos vazado da competição, o meia Muri- lo, o atacante Matheus melhor jogador da final e o atacante Felipe (Chaves) que foi o ar- tilheiro da competição entre outros. No início da partida, estava um jogo acirrado com muita disposição de ambas as equipes que mantiveram um jogo equilibrado no qual a pri- meira oportunidade surgiu dos pés do atacante da equipe Alfa La Vai Bola, que desperdiçou o gol chutando por cima do travessão sozinho após uma rebatida do goleiro Vagner do Vamo Q Vamo. Ai veio o irreverente ataque com Jacson e Chaves com seus dribles des- concertantes que aproveitou a oportunidade e fez o primeiro gol da partida aos 20 minutos do 1º tempo, já o segundo saiu dos pés do Chaves aos 25 mi- nutos, o terceiro com Jackson “Vamo Q Vamo” é o campeão invicto da III Copa Interclubes Leste 2014 no final do 1º tempo. No 2º tempo surgiram mais três gols com destaque para o golaço de falta do meia Murilo que balançou a rede duas vezes e a partida teve seu final com o placar de seis tentos a zero e o Vamo Q Vamo/São Miguel se consagrou campeão invicto com a campanha de seis jogos, 23 gols marcados e três sofri- dos. Categoria Sub-14 (Infantil) A Equipe do Vamo q Vamo mostrou a superioridade des- de o início do jogo sobre a equipe anfitriã o Grêmio An- chieta, que estava em casa com o apoio da sua torcida, mas os garotos do Vamo Q Vamo não tomaram conheci- mento, tendo como seu ponto forte a marcação dos zaguei- ros Gabriel e Paulo que foram destaque da copa, os volantes Godói, os meias Klayve e Pa- blo que atuam hoje no ADC São Caetano, dominaram a partida, o Klayve abriu o pla- car no 1º tempo com um gola- ço de fora da área após driblar o volante adversário e man- dando pro fundo da rede. O segundo gol foi marcado pelo rápido atacante Matheus que mostrou oportunismo dentro da área depois de um bate rebate balançando a rede no final do 1º tempo. No 2º tem- po, o atleta Vitor (Empresário) que saiu do banco de reserva e fez um golaço de fora da área. Encerrando a partida em três tempos a zero e se con- sagrando Bi-campeão Invicto com a campanha de seis jogos, dezoito gols marcados e dois sofridos. Categoria Sub-12 (Mirim) Mas o destaque na final fi- cou por conta da categoria sub 12, onde o Primeiro Paulista do Pq. Savoy venceu nos Pênaltis a equipe Vl. Curuçá Futsal, após um jogo emocionante que teve vários lances e um toque de bola refinado de ambas as equipes. A organização foi feita por Flavio Aparecido, que pro- move eventos esportivos na região. Em 2015, os clubes da comunidade da zona leste con- tinuarão tendo uma nova op- ção de campeonato.
  8. 8. P á g . 8 2ª QUINZENA MAIO de 2014 Em sua segunda edição, o evento traz 23 espetácu- los com oito companhias in- ternacionais e 15 nacionais. São mais de 160 artistas de países como Austrália, Bra- sil, Bélgica, Espanha, Fran- ça, Inglaterra e Peru. O fes- tival revela os bastidores do circo, o dia a dia dos treinos e ensaios, desvenda o que há por trás da lona e o coti- diano fora do picadeiro. A programação reúne shows, intervenções, en- Para comemorar o Dia Mundial da Energia, no dia 29 de maio, o Museu da Ener- gia de São Paulo, mantido pela Fundação Energia e Sa- neamento, promoverá uma programação especial. Na ocasião, os visitantes poderão participar de oficinas onde aprenderão a confeccionar três experimentos: Painel e carro solar; Máquina a vapor e Motor homopolar. Voltada ao público em fase escolar, as oficinas têm como principal objetivo mostrar como funcionam as diferentes fontes de energia. Motor homopolar - ba- seado na eletricidade e no magnetismo, é considerado o primeiro motor elétrico da história e teve seu funciona- Áries. Importante utilizar de sua racionalidade para compreensão e solução dos problemas mais aflitivos. Iniciativas cria- tivas facilitam seus progressos pessoais e profissionais, mas deve manter cautela em seus contatos e relacionamentos. Touro. Momento de insegu- rança necessitando cultivar a harmonia em sua vida privada e com familiares. Habilidade para lidar com seus recursos, utilizando-os bem em seus empreendimentos. Iniciativa profissional melhora a pro- dutividade. Gêmeos. Inicio de ciclo, neces- sitando de planos e projetos que elevem seus resultados de vida em todos os setores. Os progressos dependem de sua habilidade pessoal e em to- mar iniciativa para alcançar seus objetivos importantes. Câncer. Iniciativas para sanar problemas financei- ros é fundamental para seu sucesso, podendo agir profissional e pessoalmente obtendo me- lhores resultados. Harmonia e habilidade em se expres- sar facilitam alcançar seus objetivos. Leão. Energia e força pesso- al para agir, mas deve controlar a impulsivi- dade e possíveis en- ganos em suas expectativas e solução de problemas nas relações. Cultive a calma, a racionalidade e o bom senso em suas decisões. Virgem. Talvez conflitos inte- riores estimulem sua imaginação e seus atos, mas contenha suas iniciativas e controle sua irritabilidade, para não agir descontroladamente criando confusão a sua volta. Seja ra- cional e livre-se do que não é útil. Libra. Mudanças de vida ten- dem a ser mais visíveis e criam agitação inte- rior, devendo buscar entender o melhor das obri- gações impostas pela vida. Encara-las olhando para o fu- turo e seus benefícios, deve ser o objetivo no momento. Escorpião. Maior facilidade para entender suas relações e se apro- fundar nas questões mais importantes do seu co- tidiano, livrando-se assim dos pesos e preocupações gera- dos. Procure rever suas deci- sões e volte atrás se melhor lhe convier. Sagitário. Hora de se doar mais às suas relações, bus- cando maior enten- dimento e harmonia. Progressos podem ocorrer se agir visando o futuro e racio- nalizar melhorias no traba- lho, rotina, cotidiano e saú- de, para sua felicidade. Capricórnio. Mudanças profundas de vida devem estar lhe incomodando, por ainda não esta- rem visíveis nos seus planos, muitas situações e pessoas do passado poderão lhe auxiliar a entender melhor sua vida, por isso deixe fluir, não jul- gue nada. Aquário. Evite excessos em suas relações criando problemas desneces- sários com parceiros. Importante não deixar que a confusão se instale, procu- rando o melhor com raciona- lidade e bom senso, pois ami- gos ou inimigos estão fortes. Peixes. Sua profissão deve lhe exigir maior de- dicação para que cor- rija com criatividade os problemas mais aflitivos. Com a capacidade de rege- neração forte, terá facilidade a interagir profundamente com parceiro e superar qual- quer problema. Festival Internacional Sesc de Circo contros entre profissionais, exibição de vídeo e a ex- posição ‘Circo da Gente’, que acontecem em espaços públicos da cidade e nos Sescs Belenzinho, Bom Re- tiro, Campo Limpo, Carmo, Consolação, Ipiranga, Inter- lagos, Itaquera, Pinheiros, Pompeia, Santana, Vila Ma- riana e Santo André. Você pode ver a progra- mação completa com os de- talhes de cada atração no site sescsp.org.br/circos Museu da Energia de São Paulo oferece programação especial no Dia Mundial da Energia mento testado e demonstra- do pelo físico inglês Michael Faraday em 1821. Máquina a Vapor - apresenta o princípio da transformação da energia térmica em energia elétrica, proporcionando o acendi- mento de um circuito que si- mula o processo de uma usi- na termelétrica. Painel Solar - apresenta o prin- cípio da transfor- mação da energia da luz do sol em energia elétrica. O Dia Mun- dial da Energia foi criado para sensibilizar a ne- cessidade de eco- nomia de energia e para a promo- ção das energias renováveis. Sobre a Fundação Energia e Saneamento: Criada em 1998, a Fundação Energia e Saneamento pes- quisa, preserva e divulga o patrimônio histórico e cultu- ral dos setores de energia e de saneamento ambiental. Atuando em várias regi- ões do Estado de São Paulo por meio da Rede Museu da Energia, do Espaço das Águas e do Núcleo de Docu- mentação e Pesquisa, realiza ações culturais e educativas que reforçam conceitos de cidadania e incentivam o uso responsável de recursos naturais. Empresas mantenedo- ras: AES Eletropaulo, Sabesp, Cesp e EMAE  Serviço: Museu da Ener- gia de São Paulo. Quan- do: 29 de maio. Horário:  14 horas. Onde: Museu da Energia de São Paulo. En- dereço: Al. Cleveland, 601 – Campos Elíseos - São Pau- lo - Informações: 3333-5600 - Entrada gratuita

×