2a
qUINZENA DE MARÇO DE 2015Pág 1
raleste@gmail.com - Tel. 2031-2364 2a quinzena de MARÇO DE 2015Ano XI - N.o 205
Ministér...
2a
qUINZENA DE MARÇO DE 2015Pág 2
Tiragem: 25.000 exemplares
Circulação: Ermelino Matarazzo,
Ponte Rasa, Vila Cisper, Vila...
2a
qUINZENA DE MARÇO DE 2015Pág 3
‘Existência Coletiva’ reúne artistas da zona leste no CEU Quinta do Sol
Projeto piloto e...
2a
qUINZENA DE MARÇO DE 2015Pág 4
Lei simples e eficaz
O verão de 2014-2015
chegou ao fim com um
saldo recorde de mais de
...
2a
qUINZENA DE MARÇO DE 2015Pág 5
MP entra na Justiça para paralisar obras de ciclovias em São Paulo
APromotoriadeJustiçad...
2a
qUINZENA DE MARÇO DE 2015Pág 6
Pai: como ter bons relacionamentos com os filhosRespeitar e reconhecer
as necessidades d...
2a
qUINZENA DE MARÇO DE 2015Pág 7
Como clarear sardas e manchas no
rosto com receitas caseiras?
Sardas e manchas podem
sur...
2a
qUINZENA DE MARÇO DE 2015Pág 8
Giro dos FamososGiro dos Famosos
Thiaguinho vai lançar álbum para
o público infantil apó...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Ermelino 205

273 visualizações

Publicada em

Ermelino

Publicada em: Design
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Ermelino 205

  1. 1. 2a qUINZENA DE MARÇO DE 2015Pág 1 raleste@gmail.com - Tel. 2031-2364 2a quinzena de MARÇO DE 2015Ano XI - N.o 205 Ministério Público entra na Justiça para paralisar obras de ciclovias em São Paulo A Promotoria de Justi- ça de Urbanismo e Meio Ambiente do Ministério Público de São Paulo entrou na Justiça com pedido de liminar para paralisar ime- diatamente todas as obras de ciclovias na cidade. Além disso, a ação civil pública protocolada ontem na 5ª Vara da Fazenda Pública pede a recomposição do pavimento que foi retirado nas obras da ciclovia da avenida Paulista. Segundo a promotora responsável pela ação, Ca- mila Mansour Magalhães da Silveira, o inquérito civil concluiu que não foram fei- tos estudos de viabilidade técnica para implementa- ção das ciclovias. “Os relatórios apresen- tados, tanto pela CET como pela Prefeitura Municipal, são do tipo releases de im- prensa das ciclovias imple- mentadas (...), não fazendo parte dessa documentação encaminhada nenhum pro- jeto de engenharia, ou seja, estudo de concepção ou viabilidade, projeto básico e projeto executivo”, diz o texto da ação. A ação pede liminar que paralisa, no prazo de 24 horas, todas as atividades, serviços e obras referentes ao programa de criação do sistema cicloviário em São Paulo, até que realizem os estudos técnicos necessá- rios, o que inclui estudos de viabilidade... Pag. 5 ‘Existência Coletiva’ reúne artistas da zona leste no CEU Quinta do Sol As paredes do pátio cen- tral do Centro Educacional Unificado (CEU) Quinta do Sol, no Parque Cisper, estão cheias de cores. A exposição Existência Coletiva – Resistir e Produzir, realizada em parceria com o Movimento Cultural Ermelino Matara- zzo e a Rede Cultura ZL, reúne obras de 95 artistas, a maioria moradores da zona leste da capital paulista. A mostra... Pag. 3 Lei simples e eficaz Andrea Matarazzo O verão de 2014-2015 chegou ao fim com um saldo recorde de mais de mil quedas de árvores. A estação das chuvas mostrou, entre janeiro e dezembro, a fragilidade da nossa cidade diante de um problema gigantesco: como cuidar, adequadamente, de 2 mi- lhões de árvores boa parte delas localizadas em locais públicos? Esse verão reve- lou o lado dramático dessa questão, pois duas pessoas morreram por conta da que- da de árvores. A gestão da zeladoria verde na nossa cidade, res- ponsabilidade das subpre- feituras, ganha agora um importante... Pag. 3 Balanço do carnaval brasileiro Emanuel de Aquino Lopes Para informação dos nossos leitores estamos na presente edição fazendo um balanço das atividades que fizeram parte da se- gurança pública durante o período carnavalesco de 2015. Fazendo um apanhado geral podemos dividir esse período em três momentos distintos e conectados: antes da festa popular, quando temos um intenso trânsito nas rodovias e aeroportos propiciando uma série de acidentes, durante o Carnaval com as conhecidas ocorrências policiais envolvendo pes- soas drogadas, bêbadas ou abordadas por meliantes e, depois do período em foco, quando temos novamente um refluxo do movimento de veículos para as grandes capitais, gerando também toda a gama de transtor- nos, como os grandes con- gestionamentos, que não raramente proporcionam oportunidades para que usuários das vias sejam assaltados em seus veícu- los por criminosos profis- sionais ou de ocasião.No aspecto trânsito, houve a informação de que nas rodovias federais ocorreu uma redução de 28% das mortes... Pag. 3 Limpe seu nome e saiba truques de como acabar com suas dividas De acordo com o site Daily Worth, isso pode soar como um conceito estranho, mas mantendo uma atitude positiva e celebrando seus sucessos, você vai descobrir que é mais fácil de pagar as suas dívidas e ainda alcançar suas outras metas financei- ras. Veja abaixo sete passos simples para equilibrar o orçamento: 1- Reconheça suas dívi- das Muitas pessoas possuem dívidas, mas não as conhe- cem. Procure saber quais são as suas dívidas, o quanto você está devendo, qual é o tipo de tem... Pag. 6 Após ressaca de crédito, consumidor tem de evitar empréstimo A fatura do cartão de crédito, o boleto do financia- mento do carro ou da moto e a conta do supermercado po- dem ser os principais inimigos que o consumidor brasileiro terá de combater em 2015. O País vive hoje uma ressaca provocada pelo crédito abun- dante ofertado nos últimos anos – um dos mecanismos de estímuloutilizadopelogover- no para alimentar a atividade econômica, o emprego e o consumo interno. Somado a isso, temos inflação e juros em alta e uma insegurança emrelaçãoàmanutençãodos empregos.... Pag. 2
  2. 2. 2a qUINZENA DE MARÇO DE 2015Pág 2 Tiragem: 25.000 exemplares Circulação: Ermelino Matarazzo, Ponte Rasa, Vila Cisper, Vila União, A.E Carvalho, Jardim Pedro Nunes, GUARUlHOS, PENHA e Cangaiba Diretor Geral: Divaldo Rosa Jornalista: Silmara Galvão As matérias assinadas são de exclusiva responsabilidade dos colaboradores e não representam, necessariamente, a opinião do Jornal. Os nomes dos diretores, colaboradores e representantes comerciais não mantém vínculo empregatício com a empresa. REDAÇÃO/publicidade: 2031-2364 / 2513-0928 Revisora: Suseli Corumba dos Santos Diagramador: Bruno Barreto Rosa Avenida dos Guachos, 166 - Cep: 08030-360 - São Paulo – SP - raleste@gmail.com O jornal de Ermelino & Ponte Rasa é Filiado à AJORLESTE Associação dos Jornais da Zona Leste Acontece Agora Empresa Jornalística Ltda. CNPJ: 03.115.443/0001-16 Depto. Jurídico: Agilson M. Oliveira Secretária: Ariane Andrade SUBPREFEITURA DE ERMELINO Av. São Miguel, 5550 Ermelino Matarazzo-SP BANCA RDS Av. Aguia de Haia, 4085 Jardim Cotinha-SP Secretaria Estadual da Educação havia dito que salas de ensino médio com mais de 40 alunos seriam divididas até o Carnaval Escolas da rede estadual de São Paulo ainda têm salas superlotadas após mais de um mês do início das aulas No entanto, ainda há escolas na zona leste em que turmas de ensino médio têm até 53 alunos e salas de educação de jovens e adul- tos (EJA) funcionam com 70 matrículas. O módulo determinado pela própria secretaria estadual é de 40 estudantes no ensino médio. Na zona leste de São Pau- lo, o problema continua sem solução na Escola Estadual Professor Francisco de Assis Pires Correa, na Cohab José Bonifácio. Ali, 13 turmas do ensino médio têm matrículas acima do módulo, entre elas três turmas de primeiro ano com 53 alunos, uma com 54 e outra com 55 estudantes. “Para piorar, uma sala com 53 alunos tem uma estudante com baixa visão. Como o professor vai dar atenção adequada a ela?”, questiona o professor de história Rui Carlos Alencar. Um mês e meio após o início das aulas, que começa- ram no dia 2 de fevereiro, a diretoria agora propõe a di- visão das salas de aula com o fechamento de laboratórios práticos de biologia, química e artes. Essas salas são as únicas disponíveis. “A decisão de dividir as salas desse jeito também vai prejudicar os alunos, que terão aulas piores, sem parte prática”, aponta um professor do ensino médio, que pediu para não ser iden- tificado. As salas superlotadas dificultam o trabalho dos professores, que levam mais tempo para controlar os es- tudantes, têm menos espaço para trabalho e mais pessoas para atingir com sua voz. “Isso vai comprometendo a saúde do professor”, afirma Alencar. Na escola Professora Sumiê Iwata, o problema são as salas de educação de jovens e adultos, que chegam a ter 70 alunos matriculados. “São con- dições desumanas para professores e alunos. E são estudantes que precisariam de um atendimento espe- cializado”, lamenta uma professora da escola. Segundo a Apeoesp (sin- dicato dos professores), a superlotação é resultado do fechamento de turmas para reduzir o número de professores temporá- rios contratados. Um le- vantamento parcial feito pela entidade em fevereiro apontou que 2.400 turmas de ensino fundamental, médio e de educação de jovens e adultos foram fe- chadas neste ano. Outro lado De acordo com a Dire- toria de Ensino da Zona Leste 3, responsável pelas escolas, o descumprimento do prazo prometido para solução do problema se deu porque as escolas não passaram as informações para a diretoria de ensino. “Eu dei a orientação na diretoria que todas as escolas que tivessem tur- mas acima da média do módulo deveriam pedir desmembramento de sa- las”, afirmou a dirigente Maria Helena Tambellini Faustino. Após ressaca de crédito, consumidor tem de evitar empréstimo A fatura do cartão de crédito, o boleto do financia- mento do carro ou da moto e a conta do supermercado po- dem ser os principais inimigos que o consumidor brasileiro terá de combater em 2015. O País vive hoje uma ressaca provocada pelo crédito abun- dante ofertado nos últimos anos – um dos mecanismos deestímuloutilizadopelogo- verno para alimentar a ativi- dade econômica, o emprego eoconsumointerno.Somado a isso, temos inflação e juros em alta e uma insegurança emrelaçãoàmanutençãodos empregos. “Vivemos uma ressaca de crédito que começou no fim de 2013. Esse momento faz o consumidor recuar diante da tomada de crédito, porque quer evitar a inadimplência ou o endividamento exces- sivo. O nível do crédito até se mantém, há crédito. Mas as condições são muito dife- rentes: os prazos estão mais curtos, os juros em elevação, os spreads [diferença entre o custo do dinheiro para o banco e o que ele cobra do cliente, uma espécie de ágio] estão aumentando. Está mais difícil como reflexo da conjuntura negativa”, expli- ca Luiz Rabi, economista da Serasa Experian. Dados recentes da Serasa e do SPC Brasil apontam uma perda de apetite pelo crédi- to e uma menor disposição do consumidor em assumir dívidas. Segundo a Serasa Experian, a demanda por crédito caiu 2,5% em janeiro e recuou 10,7% em feverei- ro. Na comparação anual, aumentou apenas 0,9%, quando a média dos últimos anos era de crescimento de 5% em 12 meses. “A taxa de juros, que é o preço do crédito, está subindo. Não é mesmo o momento de comprar crédito porque o produto [juro] está em ele- vação”, explica Rabi. Segundo o SPC Brasil, as consultas para vendas a prazo (indicador que fun- ciona como um termômetro de intenção de compra) recuou pelo segundo mês consecutivo, em fevereiro ao cair 4,83% ante janeiro (-28,85%). Depois de anos de crédito abundante, prazos e condições facilitadas, consumidor freia busca por crédito que está mais caro pela alta de juros, inflação e insegurança no emprego Impedir amamentação em público pode render multa Constranger mães que amamentam em locais pú- blicos pode render multa de R$ 500 para estabeleci- mentos se um projeto de lei aprovado em segunda discussão pela Câmara Mu- nicipal de São Paulo for sancionado pelo prefeito Fernando Haddad (PT). Em- presas reincidentes podem pagar o valor de R$ 1 mil. A proposta, aprovada no último dia 10, teve como base o caso da turismóloga Geovana Cleres, de 37 anos, abordada em 2013 por funcionárias do Sesc Belen- zinho quando amamentava sua filha, na época com 1 ano e 4 meses. O episódio motivou um “mamaço”, realizado em novembro do mesmo ano. O P r o j e t o d e L e i 843/2013 é de autoria dos vereadores Aurélio Nomura (PSDB), Edir Sales (PSD) e Patrícia Bezerra (PSDB). “É um direito inato, natural, mas não existe algo claro. Já reconhecemos o direito, mas ele nunca foi regula- mentado. Após este proble- ma, outros casos vieram a público e entendemos que preconceitos precisam ser quebrados”, diz Nomura. O vereador afirma ain- da que o valor da multa é simbólico. “A gente achou por bem criar esse projeto não só pela multa, mas para as pessoas terem conheci- mento que é proibido fazer esse tipo de veto.” Nomura diz que acredita na sanção. “Dificilmente o governo vai vetar.” Geovana também torce pelo sim de Haddad. “Tem um sentimento estranho. Precisa de uma lei para isso? Mas que bom que, de alguma maneira, algo foi feito. Tomara que ela seja sancionada.” A turismóloga conta que ficou desconcertada quan- do foi abordada enquanto amamentava sua filha. “Fiquei pensando: ‘Por que eu parei?’ Estava com a minha filha e duas ami- gas. É surreal que a gente tenha de conversar sobre isso. Apesar de ter sido um ato desagradável, trouxe muita força.” O Sesc afirma que não há impedimento ao aleitamento nas unida- des. Segundo a instituição, na época, houve falha de comunicação por parte de uma funcionária. AtualidadeAtualidade
  3. 3. 2a qUINZENA DE MARÇO DE 2015Pág 3 ‘Existência Coletiva’ reúne artistas da zona leste no CEU Quinta do Sol Projeto piloto em Cidade Patriarca, zona leste, plantou 70 mudas no asfalto, entre as duas mãos de circulação de veículos e em ilhas As paredes do pátio cen- tral do Centro Educacional Unificado (CEU) Quinta do Sol, no Parque Cisper, estão cheias de cores. A exposição Existência Coletiva – Resistir e Produzir, realizada em parceria com o Movimento Cultural Ermelino Matara- zzo e a Rede Cultura ZL, reúne obras de 95 artistas, a maioria moradores da zona leste da capital paulista. A mostra, que fica em cartaz até dia 25 de abril, apre- senta grafites, fotografias, esculturas e desenhos. Existência Coletiva faz um panorama artístico di- versificado com obras feitas por e com personagens lo- cais. Além disso, são apre- sentados paisagens e o co- Existência Coletiva - Existir e Produzir Quando: até 25 de abril, todos os dias das 9h às 19h - Onde: CEU Quinta do Sol Avenida Luiz Impa- rato, 564, Parque Císper, São Paulo (SP) - Quanto: grátis Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres realiza plenária em Ermelino Matarazzo Cerca de 70 mulheres participaram da plená- ria deliberativa ocorri- da dia 14 de março no CEU Quinta do Sol, no Parque Cisper Foi realizada no CEU Quinta do Sol, no Parque Cisper, a Plenária Deli- berativa de Mulheres da Penha e Ermelino Mata- razzo. Esta foi a oitava plenária ocorrida dentre as dezesseis que serão rea- lizadas até o fim desse mês pela Assessoria de Parti- cipação e Controle Social da Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres (SMPM). Compareceram ao evento aproximadamente 70 participantes, sendo 20 da Penha e 50 de Er- melino Matarazzo, entre integrantes de organiza- ções feministas, servidoras públicas e interessadas em geral do território abrangido por ambas as subprefeituras. O evento começou com a mesa de abertura que deu boas vindas ao pú- blico e abril os trabalhos, sendo seguido pela mesa de trabalho. As represen- tantes da Assessoria de Participação e Controle Social da SMPM apre- sentaram o regulamento das plenárias e a Secretá- ria Adjunta Dulce Xavier apresentou as diferentes ações da SMPM. Maria Fernanda da Sempreviva Organização Feminista (SOF), organiza- ção que ministrará curso para as delegas eleitas ao final do processo, dis- tribuiu e explicou ques- tionário às participantes destinado a levantar seu perfil. As 13 delegadas da sociedade civil eleitas pela Penha foram: Su- zan Aparecido Barroso, Daria Maria de Alencar, Valdiva Alves de Alen- car, Claudia Maria de Souza, Leila Menezes, Ângela Agostinho de Souza, Maria Anglais de Silveira, Andreia Carva- lho de Souza, Marival- da Silva Soares, Maria de Jesus Coelho, Luzia Ferreira Melo, Ana Lídia Menezes e Simone da Silva Lino. As 20 delegadas da sociedade civil eleitas pela Ermelino Matarazzo fo- ram: Clélia Garcia, Cícera Antônia da Silva, Sandra da Costa, Severina Acio- li Ramos, Ana Martins, Juliana Martins Soares, Elisângela Aparecida da Paula, Ester Francisco da Silva, Lucimara Feliciana, Cintia Lucas de Miranda, Albertina Souza Ribeiro, Alzira Pereira de Souza, Antônia Carlos Silva, Da- niele Valadão Pacheco, Bruna dos Santos, Ana maria de Andrade, Lucilia da Silva Barroso, Luzinete Barbosa, Maria Lúcia Quei- roz e Maria Lícia Samuel. Fóruns Regionais de Mulheres da cidade de São Paulo Entre os meses de fe- vereiro e março de 2015 a Assessoria de Partici- pação e Controle Social da Secretaria Municipal de Políticas para as Mu- lheres (SMPM) realiza 16 Plenárias Deliberativas nas subregiões adminis- trativas da cidade de São Paulo, que integram as ações previstas no Projeto “Formação de Fóruns de Participação Popular para Mulheres”. O objetivo das plenárias e dos 32 Diálogos Prepara- tório que as antecederam é construir os Fóruns Re- gionais de Mulheres na cidade de São Paulo, por meio de debates de forma- ção, eleição e indicação de delegadas representantes da sociedade civil confor- me o Regulamento publi- cado no Diário Oficial da Cidade de São Paulo (Ler o Regulamento). O traba- lho conta com apoio da Secretaria de Política para as Mulheres do governo federal e parceria da SOF – Sempreviva Organização Feminista. A comunicação dos eventos está a cargo da empresa Manufatura de Ideias. tidiano da região. A ideia do evento nasceu em 2014, quando quatro artistas de Ermelino Matarazzo resol- veram reunir o máximo pos- sível da produções artísticas dos bairros que compõem a zona leste. Boa parte das obras usa a linguagem da street art e de arte urbana, mas há também pinturas “tradicionais”, abs- tratas, retratos, entre outras linguagens. O mosaico tam- bém é composto por muitas obras que fazem uma es- pécie de protesto contra o racismo, o preconceito e a exclusão social. Desde o início, a exposi- ção foi planejada e concebi- da seguindo os métodos do DIY, sigla do inglês para a expressão “do it yourself”, ou seja, “faça você mesmo”. ITAIM PAULISTA - F.: 2025-7777 - AV. MARECHAL TITO, 7003 ALPHAVILLE / BARUERI / CAMBUCI / CARAPICUÍBA / CENTRO / FRANCISCO MORATO / FRANCO DA ROCHA / ITAQUERA / JABAQUARA / LIBERDADE / MAIRIPORÃ / MAUÁ / GUARULHOS / PIRITUBA / SANTO AMARO / SANTO ANDRÉ / VILA MARIA Todos juntos fazem um trânsito melhor. CARGO 125 KS 14/14 valor à vista R$ 6.484,00. BROS 160 ESD 14/15 valor à vista R$ 10.691,00, ou entrada R$ 3.200,00,+ 48x R$ 312,00, total a prazo R$ 18.176,00. Taxa de Juros 2,71% a.m (37,82% a.a). PCX 150 14/15 valor à vista R$ 9.839,00. CB 300 15/15 valor à vista R$ 13.860,00, ou entrada R$ 4.500,00,+ 48x R$ 380,00, total a prazo R$ 22.740,00. Taxa de Juros 2,71% a.m (37,82% a.a). Tabela sujeita a alteração sem prévio aviso, conforme política de comercialização da fábrica. Consulte todas as informações em nosso showroom. Promoções válidas somente para os modelos anunciados até o término do estoque (2 unidades de cada).Ofertas não cumulativas com outras . Imagens ilustrativas. Reservamos o direito de corrigir possíveis erros gráficos e de digitação. A GASOLINA AUMENTOU? O TRÂNSITO TRAVOU? SUA LIBERDADE EM 2 RODAS HÁ 35 ANOS JAPAUTOJAPAUTO www.japauto.com.br VEM JÁ PRA CÁ! CARGO 125KS CONSULTE O MELHOR NEGÓCIO. IMPERDÍVEL! BROS160 ESD ENTRADA + MENSAIS R$ 312, PCX 150 CONSULTE O MELHOR NEGÓCIO. CB 300R ENTRADA + MENSAIS R$ 380, Subprefeitura Ermelino Matarazzo realiza obras na “sargeta” do Bairro A obra de regularização do sarjetão da Rua Marco Polo, na altura do número 974, teve início no começo do mês de fevereiro. A me- lhoria é realizada a pedidos dos munícipes, que há anos reclamam do acumulo das águas de chuva que aca- bam inundando a região. Esta obra faz parte das melhorias no sistema de escoamento das águas plu- viais de Ermelino Matara- zzo. Os sarjetões promo- vem o direcionamento e o escoamento das águas da chuva sem deteriorar o pavimento. Esta alternativa é feita pela Subprefeitura para que a água escoe livre- mente e não fique parada. A obra está em período de término e conta com setor de tapa buracos para dar os últimos acabamentos. A regularização foi solicitada pelos mora- dores da região, que sofrem com o acúmulo de águas pluviais ComprometimentoComprometimento
  4. 4. 2a qUINZENA DE MARÇO DE 2015Pág 4 Lei simples e eficaz O verão de 2014-2015 chegou ao fim com um saldo recorde de mais de mil quedas de árvores. A estação das chuvas mostrou, entre janeiro e dezembro, a fragilidade da nossa cidade diante de um problema gigantesco: como cuidar, adequadamente, de 2 mi- lhões de árvores boa parte delas localizadas em locais públicos? Esse verão reve- lou o lado dramático dessa questão, pois duas pessoas morreram por conta da queda de árvores. A gestão da zeladoria verde na nossa cidade, res- ponsabilidade das subpre- feituras, ganha agora um importante instrumento capaz de agilizar a execu- ção de serviços de poda de árvores. Projeto de minha autoria que desburocratiza e agiliza a poda de árvores na cidade foi sancionado e agora é lei municipal. Ela autoriza os subprefeitos a delegar aos engenheiros agrônomos a competência para autorizar esse tipo de serviço. A s a n ç ã o d a L e i 16.137/2015 é um passo importante na moderniza- ção dos serviços municipais, pois quebra a tramitação burocrática dos pedidos de poda. Antes da vigência da lei, esse tipo de serviço só podia ser executado com a anuência do subprefeito, o que tornava lenta a trami- tação do processo. Agora, engenheiro agrônomo po- derá encaminhar a ordem de serviço, eliminando um gargalo que conheci quan- do fui secretário das subpre- feituras. Para que essa lei fique completa é preciso que a prefeitura faça a parte que lhe cabe, ou seja abrir con- curso para a contratação de engenheiros agrônomos nos quadros das subpre- feituras. Hoje são cerca de 140 agrônomos e biólogos, parte deles em área meio, onde encontramos 2 mi- lhões de árvores, sendo 650 mil localizadas ao longo do sistema viário. Como se vê, o número de profissionais é pequeno diante do tama- nho do ativo verde da nossa cidade. Propor leis numa cidade tão complexa como São Paulo é estar atento à dinâ- mica dos bairros, de modo encaminhar projetos que, de fato, façam diferença no cotiando das pessoas, como este que busca melhorar os serviços de poda de árvores em São Paulo. *Andrea Matarazzo foi Ministro da Comuni- cação do governo FHC, Secretário de Cultura do estado de São Paulo e secretário das Sub-pre- feituras da cidade de São Paulo VIVER EM SEGURANÇA: Temos “Batalhões da Bala”? Emanuel de Aquino Lopes Circula hoje num dos periódicos paulistanosa matéria“Batalhões da Bala”. Existe um mapa de letalidade nesta matéria traçado com índices de desempenho dos bata- lhões de Polícia Militar de SP, construindo um ranking onde se desta- cam unidades sediadas na Grande São Paulo, Capital e Interior. Na matéria é citada, por exemplo, o 39ºBPM/M, unidade que cuida de parte da Zona Leste (Ita- quera e imediações) e que nasceu da divisão do 29ºBPM/M, unidade que tem cuidado da seguran- ça pública em São Miguel Paulista.Essas unidades enfrentam dificuldades no cenário onde atuam e tudo se resume nas con- dições precárias em que as comunidades vivem, abrindo oportunidades para instalação de crimi- nosos que se misturam às pessoas de bem para perpetrar seus delitos. Há uma saturação de proble- mas sociais, uma carência de espaço para se viver dignamente, um excesso de sub-habitações criando conflitos e promiscuida- de, uma insuficiência de soluções do Poder Públi- co para socorrer os mais necessitados, criando um caldo de cultura propício inclusive para a migração do trabalho honesto para o cometimento de crimes. Isso se agrava nas comuni- dades mais carentes aon- de as crises econômicas chegam mais rápidas ge- rando grandes tensões, e, naturalmente, o número de confrontos com a Po- lícia aumenta considera- velmente, resultando não raramente no resultado morte, tanto de policiais como de marginais. A matéria em foco tam- bém cita Campinas, como um dos focos no Interior. Alguém já percebeu o cinturão de favelas que se criou ao redor dessa cida- de? Será que isso não in- flui na leitura correta do enfrentamento na área de segurança pública? Também são comentadas situações em Carapicuíba, na zona oeste e algumas outras localidades. E o que me aterroriza é a con- clusão do Ouvidor da Polí- cia dizendo que “quando o policial vê que ninguém é punido fica mais fácil apertar o gatilho. A im- punidade não é só para a bandidagem, é dos dois lados”. E ainda adiciona o Ministério Público nessa celeuma, como arquiva- dor de muitos casos, sem oferecer denúncias.São falácias que pretendem inserir uma noção de im- punidade reinante na sociedade, ignorando as excludentes de criminali- dade existentes no Código Penal e os esforços de todas as polícias do Brasil em melhorar tecnologica- mente, trabalhando com inteligência e utilização de meios não letais. A Polícia deve admitir que há erros de procedimento mas não se trata de uma situação generalizada. O rigor na preservação de local de crime também é necessário. Os estudos de casos devem ser alvo de con- tinuidade para difusão aos demais policiais e requalificação profissio- nal. E ainda, manter a catalogação, que existe, sobre os policiais que porventura apresentem desvios de conduta nes- te foco em particular, conforme programa de controle existente, que podem culminar em pro- vidências de exoneração pela via administrativa ou judicial. De resto, temos apenas ilações quando precisamos de seriedade nas conclusões. *Emanuel de Aqui- no Lopes é Coronel da Reserva da Poli- cia Militar, Mestre em Ciências Policiais de Segurança e Or- dem Pública, espe- cializado em Direitos Humanos pela Fun- dação Getúlio Var- g a s e m e m b r o d o Núcleo de Projetos Estratégicos – Fun- dação ISAE Amazô- nia (www.fisae.org. br) e OSCIP Instituto Brasil – IBRA (www. ibra.org.br) Que Brasil é esse? Estamos no meio de um momento político diferente em nosso Brasil, antigamen- te em um passado próximo o que fomos acostumados a ver eram os “Ptistas” e partidos de esquerda saírem para as ruas par reivindicar melhorias em nosso pais. Agora o que vemos é bem diferente, é uma parte da sociedade bem descon- tente e se engana quem achar que essas pessoas são “Psdebistas”, saíram pesqui- sas que apontam a maioria das pessoas que estavam protestando não queriam o impeachment, e sim estavam muito revoltados com a cor- rupção e a impunidade. A mensagem que o povo esta passado para seus go- vernantes é bem simples, estamos sem representati- vidade, ou seja nenhum po- lítico que ali esta ou esteve nas campanhas representa os eleitores. E esta cada vez mais claro que os políticos não estão se preocupando com isso, mas deveriam. Já se passou mais de uma semana do protesto é nada aconteceu, ninguém foi pre- so, as leis não melhoraram, não se discute uma reforma política seria, nem se cogita uma reforma uma reforma tributaria digna, não disse- ram com Cuba ira devolver os empréstimos feitos a mensagem foi dada ou tra- balham para povo ou povo iram tirar todos vocês dai. Então que Brasil é esse? Um Brasil que parece que acordou depois de muito tempo, um Brasil que quer lutar pelos seus direitos. Encontre-nos nas Redes Sociais! https://www.facebook. com/GrupoAcontecede- Jornais http://www.acontece- leste.com.br/ https://www.facebook. com/JornalErmelino http://divaldorosa. blogspot.com.br/ Vereador Andrea Matarazzo líder do PSDB na Câmara Municipal Opinião&PolíticaOpinião&Política
  5. 5. 2a qUINZENA DE MARÇO DE 2015Pág 5 MP entra na Justiça para paralisar obras de ciclovias em São Paulo APromotoriadeJustiçade Urbanismo e Meio Ambiente do Ministério Público de São Paulo entrou na Justiça com pedido de liminar para para- lisar imediatamente todas as obras de ciclovias na cidade. Além disso, a ação civil pú- blica protocolada ontem na 5ª Vara da Fazenda Pública pede a recomposição do pa- vimento que foi retirado nas obras da ciclovia da avenida Paulista. Segundo a promotora responsávelpelaação,Camila MansourMagalhãesdaSilvei- ra, o inquérito civil concluiu que não foram feitos estudos de viabilidade técnica para implementação das ciclovias. “Os relatórios apresen- tados, tanto pela CET como pelaPrefeituraMunicipal,são do tipo releases de imprensa das ciclovias implementadas (...), não fazendo parte dessa documentação encaminhada nenhum projeto de engenha- ria,ouseja,estudodeconcep- ção ou viabilidade, projeto básico e projeto executivo”, diz o texto da ação. A ação pede liminar que paralisa, no prazo de 24 horas, todas as atividades, serviços e obras referentes ao programa de criação do sistema cicloviário em São Paulo, até que realizem os estudos técnicos necessá- rios, o que inclui estudos de viabilidade e audiências de participação popular, sob pena de multa diária no valor de R$ 100 mil. A promotoria pede ain- da a recomposição o mais breve possível do canteiro central da avenida Paulista, por considerar que, além de não ter sido feito o estu- do necessário para a obra, os pedaços de pavimento desfeito colocam em risco a segurança das pessoas. E depois de várias obras concluídas a Promotoria de Justiça vai a “luta” para a paralisação das obras “Pão integral industrializado é pior do que pão branco”, defende médico Em uma afirmação que foge de todas as outras que se ouve hoje em dia, o clínico geral autor de vários livros sobre enxaqueca, Alexandre Feldman, defende que o pão integral industrializado pode ser pior do que o pão branco. A razão principal, explica o médico, seria a presença dos chamados an- tinutrientes, que impedem a absorção dos nutrientes pelo corpo. Erra quem pensa que esses antinutrientes vêm dos possíveis aditivos químicos presentes nos pães integrais industrializados. O proble- ma está mesmo no próprio grão integral, como explica Feldman: “Antinutrientes são substâncias naturais pre- sentes dentro das sementes, que impedem a germinação delas”. No pão integral industria- lizado, segundo Feldman, esses antinutrientes não são neutralizados – processo que ocorre apenas na produção caseira – prejudicando a absorção das vitaminas, de minerais e proteínas pelo corpo. Além disso, ele explica que dependendo do tipo de fibras, elas podem “ar- ranhar” o intestino, dei- xando-o mais permeável, induzindo a absorção de moléculas maiores que o normal, que uma vez dentro da circulação sanguínea são reconhecidas como corpos estranhos, e gerando produ- ção de anticorpos e um es- tado inflamatório no corpo. TOME BANHO EM 5 MINUTOS E ECONOMIZE 170 LITROS DE ÁGUA! Uma pesquisa do Diário Popular diz que o Brasil é o maior consumidor de perfumes do mundo e que o banho é um dos grandes prazeres porque renova as energias, após um dia de trabalho. Realmente o brasileiro gosta de tomar banho e ficar limpinho e cheiroso. Faz parte da nossa cultura e vem de um hábito herdado dos nossos antepassados, os índios. A gente fica, em média, dez minutos no chuveiro, até duas vezes por dia. Diante da falta d’água no mundo, é muito tempo, gente! Dá pra reduzir o tempo do ba- nho pela metade! Em cinco minutos você faz um banho completo, sem desperdício. Uma ducha de 15 minu- tos consome 250 litros de água, enquanto que uma chuveirada de cinco minu- tos, fechando a torneira enquanto ensaboa o corpo, você só usa 80 litros. Três vezes menos água! O banheiro é o lugar onde mais se consome água numa casa. Reduzir o tem- po do banho é economia no bolso e um ato de respeito ao meio ambiente. Se informe sobre o gasto no banho e reduza o tempo no ganho e economize no bolso além de ajudar a natureza Agência autoriza aumento de 13,8% nas contas de água da Sabesp Companhia alegou perdas com a crise hídrica. Reajuste é mais do que o dobro do aplicado no ano passado. A Agência Reguladora de SaneamentoeEnergiadeSão Paulo (Arsesp) aprovou na se- gunda-feira (30) um reajuste de 13,8% nas tarifas de água eesgotodaSabesp.Oíndiceé maisdoqueodobrodos6,4% aplicados no ano passado. O novo valor leva em consideração um pedido de revisão extraordinária feito pela Sabesp para compensar a queda de receita causada pela crise hídrica. Segundo a Arsesp, foi autorizado um reajuste de 6,3% por perdas apresentadaspelacompanhia com o aumento de custo da energia elétrica e a queda do consumo de água na Grande São Paulo. Para chegar aos 13,8% autorizados, a conta ainda considera 7% de variação do IPCA(ÍndicedePreçosaoCon- sumidor Amplo) desde março doanopassado.Essavariação dainflaçãocompõeoreajuste ordinário, que é aprovado todos os anos em abril. Os valores aprovados pela Arsesp vão à consulta pública, aberta nesta terça-feira (31) pela agência em publicação noDiárioOficial.Apopulação poderá participar até o dia 15 de abril, e, em seguida, será realizada uma audiência pública. A previsão é que os novos valores sejam aplicados em maio. Eles vão valer para os mais de 300 municípios aten- didos pela Sabesp no estado de São Paulo. Consulta pública A população pode par- ticipar da consulta pública proposta pela Arsesp pelo e-mail consultapublica@ arsesp.sp.gov.br, pelo fax (011) 3293-5107, ou no escri- tório da agência, localizado na Avenida Paulista, 2313, Edifício Nova Avenida, 4º andar, CEP 01311-300 - São Paulo – SP. Campanha de combate à Dengue é prorrogada para o mês de abril Devido à grande pro- cura por esclarecimentos sobre prevenção, transmis- são e sintomas da dengue, a campanha realizada no terminal São Mateus, em todas as quartas-feiras de março, continuará no mês de abril, no mesmo local. Os casos da doença não param de crescer. A cidade de São Paulo regis- trou 4.436 ocorrências, de 4 de janeiro a 14 de março deste ano, segundo dados da Secretaria Municipal da Saúde. Portanto, apesar da época das chuvas ter aca- bado, com o fim do verão, ainda é muito importante não descuidar e evitar o acúmulo de água. Pensando nisso, a EMTU/SP e representantes da Supervisão de Vigilância em Saúde – SUVIS, distri- buirão panfletos informa- tivos e apresentarão larvas do mosquito para facilitar a identificação de criadou- ros como, caixas d’ água destampadas, água limpa parada em pneus, garrafas, latas, pratos de plantas, piscinas mal cuidadas, en- tre outros. Os interessados também terão informações sobre como evitar a doença, seus sintomas e tratamentos, incluindo o Chikungunya, causada pelo mosquito Aedes Aegypti. Dengue e chikungunya têm sintomas parecidos, como febre, mal-estar, dores pelo cor- po, dor de cabeça, apatia e cansaço. O chikungunya afeta principalmente as articulações. Campanha de combate à dengue e chikungunya Datas: quarta - feira, 01 de abril. Horário:das09h00às11h30 Local: Terminal Metropo- litano São Mateus – Avenida Adélia Chohfi, 100 - Jardim Vera Cruz CotidianoCotidiano
  6. 6. 2a qUINZENA DE MARÇO DE 2015Pág 6 Pai: como ter bons relacionamentos com os filhosRespeitar e reconhecer as necessidades das crianças e exigir seu espaço na vida delas são alguns dos desafios da paternidade O passar do tempo – e o movimento feminista iniciado na década de 1970 – trouxeram algumas mu- danças no papel do pai. Os brasileiros que seguem o modelo dos “pais suecos”, por exemplo, provam que a criação dos filhos só pela mãe já não é mais absolu- ta. Mas, assim como a ma- ternidade, a paternidade também tem suas carac- terísticas de adequação. Ainda temos resquícios de uma educação que nos ensinou que a responsável pelos filhos é a mãe. Mas, aos poucos, eles começam a deixar o papel de provedor exclusivo para serem parti- cipantes ativos na vida das crianças. O termômetro é a reunião de pais e mestres nas escolas. Já existe uma participação muito maior dos pais hoje em dia. Participar só quando chega o boletim da esco- la não vale: é preciso se aproximar do cotidiano da criança. O pai deve participar como quem vai dar o limite, quem vai es- timular e elogiar, quem vai acompanhar a criança, cinco minutos por dia já podem ser muito importan- tes para o desenvolvimento da relação de ambos. Mas não adianta pegar apenas um dia do mês e, de algu- ma forma, tentar “tirar o atraso”. A proximidade se constrói aos poucos e é importante para a criança sentir que pode confiar no pai e que está sendo valo- rizada. É preciso, por exem- plo, acompanhar o que está acontecendo na escola, e não somente perguntar quais notas ela tirou. Trans- formar estes momentos em significado para a criança já é um bom começo. Ao testemunhar um mau comportamento dos filhos, muitos pais se quei- xam dizendo Mas não está faltando nada para ele. Não está faltando nada mesmo? Carinho não pode ser trocado por presentes. A presença é muito impor- tante, se envolver com os filhos não se resume a levar um chocolate no final do dia, ao voltar do trabalho. Seja carinhoso Muitos pais confundem masculinidade com falta de afeto e evitam beijar e abraçar a criança. Essa falta não pode ser exces- siva: o pai pode e deve mostrar o amor que sente pelo filho. É preciso haver uma interação física com a criança também durante as brincadeiras. Às vezes o pai prefere não brincar de boneca com as filhas, por exemplo, por ficar cons- trangido, mas é preciso se adaptar. E fazer brinca- deiras com interação mais pessoal – ficar somente no computador e no videoga- me não é uma solução. A criança precisa de afeto. Muitos homens confun- dem autoritarismo com masculinidade e se tornam pais que se impõe por meio do berro e da ame- aça. Os pais devem evitar a imposição de regra pela regra. “É muito preju- dicial as crianças serem obrigadas a fazer isso ou aquilo porque o pai man- dou, sem que haja alguma explicação maior. A au- toridade fica superficial, pois aquela ordem não faz nenhum sentido para a criança. Pais com perfil autoritário impedem a criança de expressar sen- timentos e pensamentos com facilidade, pois ela não se sente respeitada. Se um pai é autoritário e se impõe pela força e pelo medo, acaba inibindo a criança. Ela pode crescer mais tímida e introvertida, com dificuldade para se expressar. Limites devem ser construídos – e não impostos. Limpe seu nome e saiba truques de como acabar com suas dividas Para quitar dívida, é preciso ter pensamento positivo e uma estratégia De acordo com o site Daily Worth, isso pode soar como um conceito estranho, mas mantendo uma atitude positiva e celebrando seus sucessos, você vai descobrir que é mais fácil de pagar as suas dívidas e ainda alcançar suas outras metas financei- ras. Veja abaixo sete passos simples para equilibrar o orçamento: 1- Reconheça suas dívidas Muitas pessoas possuem dívidas, mas não as conhe- cem. Procure saber quais são as suas dívidas, o quanto você está devendo, qual é o tipo de dívida, quais são os juros cobrados e os paga- mentos mensais mínimos. 2- Não se envergonhe Uma vez que você re- conhece suas dívidas, um monte de emoções podem surgir: vergonha, culpa, ar- rependimento, raiva. Todas estas emoções são normais e você não precisa dar ne- nhum significado desneces- sário à dívida que você tem. Escolha olhar para a dívida com neutralidade e como uma lição para aprender. 3- Concentre-se no pre- sente Concentrando-se no pre- sente, você irá se libertar da ansiedade que gira em torno da dívida. Mantenha o foco para fazer o seu melhor para pagar as despesas de forma mais eficiente, além disso, certifique-se de que você está trazendo energia po- sitiva no plano de redução da dívida. 4- Crie uma estratégia de jogo Depois de avaliar as suas dívidas, é preciso determinar se você vai seguir o método avalanche ou método bola de neve para o seu plano de jogo redução da dívida. Com o plano bola de neve, você começa a pagar o mí- nimo em todos os débitos e alocar os pagamentos da dívida adicionais para a dívida com o menor saldo; este método permite a grati- ficação imediata, motivando a continuar trabalhando para pagar as suas dívidas, mas como a dívida com o menor saldo pode não ser necessariamente o que tem a menor taxa de juros. 5- Veja o quanto você pode pagar Olhe para suas receitas e despesas mensais e decida quanto dinheiro você pode realmente separar para re- alizar os pagamentos das dívidas. Se você achar que você está aquém, então você terá que cortar despesas ou ganhar mais dinheiro. 6- Lembre-se que é tem- porário Nada na vida é perma- nente, ou seja, a dívida que você tem é temporária e pode ser eliminada com mentalidade positiva e es- tratégia. 7- Celebre cada passo Como você trabalha para pagar as suas dívidas, lem- bre-se de celebrar cada pas- so ao longo do caminho. Você pode comemorar cada vez que você terminar de pagar uma parcela, por exemplo. Encontre formas de reconhecer o seu traba- lho duro e manter-se moti- vado ao longo do caminho. Saiba como acertar na educação à distânciaEm um cenário educacio- nal com tantas deficiências e com a explosão da internet, a educação a distância vem ganhando cada vez maior destaque, tanto pela qua- lidade, que vem se aprimo- rando ao longo dos anos, quanto pelo seu alcance. A educação a distância, portanto, representa uma excelente oportunidade de democratização do ensino e é uma tendência em todo o mundo, inclusive quando falamos das grandes uni- versidades internacionais, que vêm apostando na fer- ramenta de forma cada vez mais incisiva. Hoje, o ensino a distância já não é mais con- siderado como uma forma- ção complementar ou infe- rior ao ensino presencial. As pessoas aproveitam os be- nefícios que o EAD oferece e utilizam como opção para sua capacitação e formação técnica. O reconhecimento de muitos destes cursos pelo MEC também aproximaram aqueles que julgavam que este tipo de preparação poderia sofrer preconceito no momento da entrada no mercado de trabalho. No entanto, para quem deseja se matricular, certos cuidados devem ser tomados antes de escolher a institui- ção e o curso a ser realizado. Assim como o curso presen- cial, é preciso estar atento a certos aspectos na hora da tomada da decisão, para não haver arrependimentos. E, lembre-se, acreditar que este tipo de curso dispensa dedicação é um mito. Con- fira, a seguir, algumas dicas do executivo para aqueles que desejam se preparar por meio desta modalidade de estudo: Pesquise sobre a insti- tuição Antes de se matricular, é importante que a pessoa co- nheça a instituição escolhi- da. A tradição e idoneidade são essenciais. Verifique se ela está devidamente cadas- trada nos órgão regulares e se possui o credenciamento necessário para oferecer tais cursos. Aproveite também para saber sobre a validade do certificado no mercado e o seu reconhecimento. Se possível, conheça o estabelecimento Visitar as sedes e polos ajuda a conhecer a estrutura da escola e a maneira como está organizada, se possui laboratórios à disposição dos alunos e as suas instalações. Além disso, procure saber se a escola possui aulas pre- senciais e, caso seja possível, assista a uma dessas apre- sentações, pois assim será uma maneira de conhecer os métodos de ensino. Qualidade do material didático Para quem realiza um curso de educação a distân- cia, a qualidade do conte- údo do material didático é essencial. Informe-se sobre como ele está disponível (online, para impressão ou enviado no domicílio), se o seu valor está incluso no preço do curso, como ele é preparado, se possui erros e se está adequado à modali- dade de curso pretendida. Meios de contato com a instituição e professor Além do material didáti- co e da estrutura da escola, o aluno deve se preocupar com os meios de comu- nicação que a instituição oferece. É importante que as ferramentas para obter informações ou tirar dúvi- das sejam acessíveis, ágeis e eficientes. É importante checar também quais são as opções de contato entre alu- no e professor, se há chats e reuniões online, encontros e ou livre comunicação via telefone ou e-mail. Grade curricular Nem sempre pelo nome do curso é possível saber todos os assuntos aborda- dos, assim, é imprescindível analisar a grade curricular do ensino, conhecer as dis- ciplinas, o que será aborda- do em cada aula e ver se o foco ensinado condiz com aquele que o aluno precisa para obter uma preparação satisfatória. Currículo dos docentes É essencial conhecer o potencial do quadro de professores da instituição. Procure saber sobre a forma- ção e capacitação técnica, bem como a experiência dos profissionais em relação ao ensino a distância. Os educadores devem possuir uma formação sólida e que corresponda às necessidades dos alunos. Converse com atuais e ex-alunos O contato com alunos que estão realizando ou que já concluíram um cur- so na instituição pode dar subsídios para a tomada de decisão. Pesquise também órgãos de atendimento ao consumidor, que podem trazer registros de reclama- ções e a condução para a resolução das mesmas. VariedadesVariedades
  7. 7. 2a qUINZENA DE MARÇO DE 2015Pág 7 Como clarear sardas e manchas no rosto com receitas caseiras? Sardas e manchas podem surgir no rosto espontane- amente, causadas por um aumento na produção de melanina e pela exposição ao sol. Esse aumento na me- lanina pode ser ocasionado por vários fatores, desde a propensão genética ao uso de alguns medicamentos. As pessoas de peles mais claras tem maior propensão às sardas ou aos melasmas, que são manchas escuras na pele. As sardas podem ser charmosas para algumas pessoas, especialmente as que as tem desde a infância, como as pessoas ruivas, nas quais é comum vermos as pintinhas. As sardas, mesmo as de origem genética, tendem a escurecer mais ainda pela exposição ao sol, por isso, quem as tem deve ter aten- ção ainda maior do que as outras pessoas com o pro- tetor solar! Elas costumam aparecer em áreas que ficam mais expostas ao sol, como o rosto, colo e braços. Para algumas pessoas, as sardas são incômodas e antiesté- ticas, por isso, tem o desejo de tirá-las. Embora seja um procedimento demorado, na maior parte dos casos, é pos- sível atenuar muito ou fazer com que sardas e manchas sumam. Através de novos cremes à venda ou pomadas receitadas pelo dermatolo- gista, à base de substâncias clareadoras, como hidroqui- nona e ácidos específicos, além de peelings superficiais feitos por sete dias. Tratamentos naturais Apesar de serem trata- mentos excelentes, tendo bastante eficácia no clarea- mento ou desaparecimento das manchas ou sardas, às vezes tem custos que não podem ser pagos por todas as pessoas, então, podem ser utilizadas receitas ca- seiras que são preparadas com substâncias com poder clareador, a um custo muito baixo. Essas receitas também são boa opção para quem é muito alérgico, já que sua formulação é natural. Veja as dicas para clarear a pele Aplique suco de limão ou laranja, diluído em água,- como um tônico, à noite e deixe até o dia seguinte. Pela manhã, enxágue muito bem, pois essas substâncias podem causar manchas em contato com o sol; MÁSCARA DE MANTEIGA – derreta um pouco de man- teiga e aplique na pele, por 20 minutos, lavando bem em seguida. Obs.: não deve ser aplicada em peles oleosas! ÁGUA OXIGENADA 10 vol. – Aplique com algodão à noite e enxágue muito bem na manhã seguinte. A vitamina C melhora a resistência da pele ao sol, então, consuma muitos ali- mentos ricos nessa vitamina, como laranja, morango, kiwi, acerola, limão, goiaba, etc. Como disfarçar os primeiros fios brancos Experts em coloração dão dicas para uma cor incrível nos cabelos Quando os primeiros fios brancos aparecem muitas mulheres querem logo sumir com todos eles. Afinal, os in- desejáveis surgem não com a idade, mas por causa do envelhecimento das células e a falta de melanina – que pode acontecer em qualquer fase das nossas vidas. Con- versamos com especialistas em coloração para te ajudar a cobrir os “branquinhos” com perfeição, para você fi- car com os cabelos perfeitos. Confira as dicas. Cabelos ondulados e cres- pos, na pré-pigmentação os fios brancos são tingidos an- tes do restante das mechas. Comece conversando com o seu profissional, cada cabelo possui uma carac- terística e não é qualquer tratamento que esconderá os brancos. Hidratação dos fios, in- dependente da cor, sejam brancos ou coloridos, a hi- dratação é fundamental para a beleza e saúde dos seus cabelos. Jamais arranque os fios brancos, ao contrário do mito, não nascerão dois, mas ele crescerá novamente – e continuará branco. Tinta, hena ou tonalizan- te? Para cobrir fios brancos a tintura é a melhor escolha, pois sua fixação é maior. Mechas para rejuve- nescer o rosto, no caso de poucos fios aparecendo, as mechas são uma boa opção, além de deixa-la mais jovem. Mechas para rejuvenes- cer o rosto, como as mechas iluminam o rosto, além de cobrir os brancos elas suavi- zam as linhas de expressão. Mechas para rejuvenes- cer o rosto, esse tipo de colo- ração é ideal para fios muito finos, além de disfarçar os brancos que estão por vir. Cabelos com química merecem cuidados, fios tra- tados com escova progres- siva são mais resistentes a tinturas prefira tonalizantes. Cabelos com química me- recem cuidados, é recomen- dável aguardar de 15 a 30 dias depois da progressiva para colorir os fios. Cabelos com química merecem cuidados, por ser menos agressivo aos fios, o tonalizante é indicado para fios com muita química. Cabelos ondulados e cres- pos, para não correr o risco de ficar manchado, esse tipo de cabelo precisa passar pela pré-pigmentação. Cabelos ondulados e cres- pos, a estrutura desses fios não são uniformes, o que dificulta a coloração. Cabelos oleosos, a oleosi- dade interfere no resultado da tintura. Lave os fios com um shampoo anti-oleosida- de antes. Cabelos secos, a hidrata- ção em fios secos é primor- dial para um bom resultado da coloração. Cabelos escuros, a tintura precisa ser aplicada primeiro na raiz e só depois espalhada por todo o comprimento. Cabelos claros, por serem fáceis de colorir, existem di- versas técnicas que dão certo na hora de tingir. Cabelos claros, luzes, re- flexos e mechas ajudam a disfarçar bem os brancos, além de não mudar muito a cor dos fios. Compromisso com a colo- ração, independente da téc- nica de tintura, é necessário retocar os fios mensalmente. Tratamento depois da coloração além da hidrata- ção, é importante aderir aos produtos próprios para fios coloridos. Qual a melhor forma para disfarçar fios brancos? Independente do seu tipo de cabelo, não há como fugir da coloração quando se quer esconder os fios brancos. Para cobrir os fios, as mulheres podem optar pela coloração de todo o cabelo ou então aderir às mechas ou luzes. “As luzes sempre rejuvenescem, pois iluminam o rosto e suavizam possíveis marcas de expres- são. Mas se você faz escova progressiva, relaxamento, permanente ou outro pro- cedimento que aplica muita química nos cabelos, é bom ter cuidado. É preciso cuida- do na hora de cobrir esses fios. Temos de respeitar o tempo da química, que pode variar em um prazo médio de 15 a 30 dias. ANUNCIE NO MELHOR JORNAL DE ERMELINO MATARAZZO! LIGUE: 2031- 2364 MulherMulher
  8. 8. 2a qUINZENA DE MARÇO DE 2015Pág 8 Giro dos FamososGiro dos Famosos Thiaguinho vai lançar álbum para o público infantil após 3 anos de carreira solo Thiaguinho vai presentear em breve seus fãs mirins com um CD todo dedicado a eles. O cantor, que fazia parte do grupo Exaltasamba,comemorou três anos de carreira solo na semana passada. O álbum voltado para o público infantil está previsto para o segundo semestre de 2015. “Ainda não tenho muito para falar e nem divulguei, porque o projeto não está completamente formatado. Mas é verdade”, de- clarou o intérprete do hit “Caraca, muleke!”, através de sua mulher, a atriz Fernanda Souza,com quem se casou em 24 de Fevereiro Tatá Werneck posa fashion para revista e fala sobre padrões de beleza: “Tem espaço pra todos!” Em abril, outra atriz da novela “I Love Paraisópolis” ga- nha destaque aos 31 anos, Tatá Werneck posa com o astral lá em cima e abre o jogo sobre sua entrada na Globo. Como não amar essa fofa? Na entrevista, a estrela comemora ter chegado aonde chegou sendo ela mesma. “Fui expulsa de duas escolas. O engraçado é que fui eleita pela revista GQ a mulher do ano e fui a primeira comediante a protagoni- zar um comercial da L’Oréal, sendo a mulher que sou. São conquistas maravilhosas!”, celebra. Tatá se diz feliz por ter conseguido destaque sem precisar apelar para a beleza. “Antes achava que nunca entraria na Globo se não tirasse 10 cm do meu nariz”, confessa. “Hoje sei que você não precisa ser a Grazi, sabe? Tem espaço pra todos!”, celebra a carioca. Fátima Bernardes enfrenta fila para comprar ovos de Páscoa em loja popular no RJ Fátima Bernardes passeou no Shopping Rio Design da Barra, localizado na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, no dia 31, e passou na popular Lojas Americanas para comprar ovos de Páscoa e deixou o estabelecimento com uma sacola grande cheia de chocolates. E você acha que ela furou fila? Educada, a jornalista enfrentou a tradicional fila lotada do departamento para pagar a conta. Será que os presentinhos são para os seus filhos trigêmeos, Vinicius, Laura e Beatriz, de 17 anos. Sabrina Sato lança coleção de sapatos e comemora com look transparente ousado No dia 31, Sabrina Sato comemora o lançamento da coleção de sapatos assinada por ela, da grife Lilly’s Closet, em um almo- ço com amigos famosos, em São Paulo. Ao lado da mãe, a apresentadora, eleita a melhor pelo prê- mio Glamour, posou para os fotógrafos trajando uma saia curta preta e um top transparente ousado, da estilista Lilly Sarty. O look da apresentadora nipônica chamou atenção por marcar bem sua boa forma. Antonia Fontenelle vai se casar com Jonathan Costa em cerimônia religiosa Antonia Fontenelle, de 40 anos, vai selar a união com Jonathan Costa, de 21, ainda este ano. De acordo com o jornal “O Dia” desta quarta-feira (25), o casal que começou a namorar há cinco meses, mas só deu indícios do romance em dezembro, já começou os preparativos do casamento, que acontecerá em uma igreja, ainda não escolhida. Segundo a publicação, a intenção da apresentadora é realizar uma cerimônia tradicional, com direito a vestido branco de véu e grinalda, padrinhos e uma superfesta. A data não foi definida, mas o casamento está sendo planejado para acon- tecer no mês de dezembro deste ano. Esta será a primeira vez que Antonia subirá ao altar. A apresentadora já viveu união estável por três anos e meio com o ator Fernando Jô Soares volta das férias com banda reduzida e brinca: ‘Atingida pela crise’ Os telespectadores que estavam sentindo falta do “beijo do gordo” mataram a saudade na madrugada do dia 31. O “Programa do Jô” voltou das férias com algumas novidades. A atração não deixará de ser diária, como foi cogitado, mas a banda que acompanha Jô Soares sofreu alterações, assim como o cenário. “Morri de saudades de vocês. Espero que vocês também tenham morrido de saudades de mim. Mor- rido no sentido figurado, claro. É um prazer estar aqui com vocês”, brincou o apresentador, que renovou seu contrato com a Globo até 2017. Em seguida, ele ironizou as diversas notícias divulgadas na imprensa envolvendo as mudanças que seu talk show sofreria.

×