Successfully reported this slideshow.
CONTENÇÃO FÍSICA EQUÍMICA DE ANIMAIS    SELVAGENS
CONSIDERAR O MOTIVO PELO QUAL O    ANIMAL DEVE SER MANEJADOVERIFICAR TODO O MATERIAL NECESSÁRIO            PARA CONDUTARES...
SABER O SEXO E IDADE    AVALIAR AS CONDIÇÕES FÍSICAS E            PSICOLÓGICAS CONHECER A DISTÂNCIA DE LUTA E FUGAAVALIAR ...
ESTRESSE             DESEQUILIBRIO            DA HOMEOSTASE            DE FORMA AGUDAFALÊNCIA DOS  ÓRGÃOS
MIOPATIA POR CAPTURA
CONTENÇÃOSEGURA PARA O ANIMAL    E PARA A EQUIPEO MOMENTO DA CONTENÇÃO E OMAIS PERIGOSO PARA  O ANIMAL E PARA A EQUIPE
COMUNICAÇÃO PESSOALIDENTIFICAÇÃO DO ANIMAL  TIPO DE CONTENÇÃO CAIXA DE TRANSPORTE  MANEJO DO RECINTOREGISTROS DE CONTENÇÃO
LUVA
ROUPA DE SEGURANÇA
PUÇA
LAÇOKETCH-ALL
PINÇÃO
Resultados
CONTENÇÃO QUÍMICA   TRATAMENTO
CONTENÇÃO QUÍMICAPERDA DOS REFLEXOS MEDULARES   E DA ATIVIDADE MUSCULAR    ABOLIÇÃO DA AGRESSÃOSUCESSO NOS EXAMES CLÍNICOS...
CONTENÇÃOCORRETA DO  ANIMAL
VIA INTRAMUSCULARPRATICIDADE E MENOR RISCO       MÉTODO        DIRETO   TELEANESTESIA
CONTENÇÃO QUÍMICA
DROGAS MAIS UTILIZADASNARCÓTICOS (AGONISTAS OPIÁCEOS) CICLOHEXANONAS (ANESTÉSICOS        DISSOCIATIVOS) AGONISTAS ALFA2 AD...
NARCÓTICOS (AGONISTAS OPIÁCEOS)      CLORIDRATO DE ETORFINA  INDICADO PARA ESPÉCIES DE GRANDE PORTE        RISCO PORTENCIA...
NARCÓTICOS (AGONISTAS OPIÁCEOS)      CITRATO DE CARFENTANIL         SEMELHANTE A MORFINA       RISCO PORTENCIAL ELEVADO   ...
NARCÓTICOS (AGONISTAS OPIÁCEOS)     TARTARATO DE BUTORFANOL         EMPREGADO EM ZOOLÓGICOS   POUCO UTILIZADO EM ANIMAIS D...
CICLOHEXANONAS (ANESTÉSICOS DISSOCIATIVOS)       CLORIDRATO DE CETAMINA       LARGO USO EM ANIMAL SELVAGENS ANALGESIA SEM ...
CICLOHEXANONAS (ANESTÉSICOS        DISSOCIATIVOS)    CLORIDRATO DE TILETAMINA SOMENTE ASSOCIADO COM BENZODIAZEPÍNICO      ...
AGONISTAS ALFA2 ADRENÉRGICOS     UTILIZADAS EM ASSOCIAÇÃO COM       ANESTÉSICOS DISSOCIATIVOS SEDAÇÃO ANALGESIA MIORRELAXA...
AGONISTAS ALFA2 ADRENÉRGICOS         CLORIDRATO DE XILAZINAINDUÇÃO EM GRAUS VARIÁVEIS DE SEDAÇÃO,     ANALGESIA E MIORRELA...
AGONISTAS ALFA2 ADRENÉRGICOS       CLORIDRATO DE DETOMIDINA      UTILIZADO PARA TRANSPORTEPODE UTILIZADO EM ASSOCIAÇÃO COM...
AGONISTAS ALFA2 ADRENÉRGICOS     CLORIDRATO DE MEDETOMIDINASEDAÇÃO ANALGESIA MIORRELAXAMENTO        ALÍVIO DA ANSIEDADEAFI...
BENZODIAZEPÍNICOSUTILIZADOS EM ASSOCIAÇÃO COM  ANESTÉSICOS DISSOCIATIVOS        DIAZEPAM       MIDAZOLAM   APLICAÇÃO INTRA...
NEUROLÉPTICOS CAUSAM SEDAÇÃO PSICO-MOTORA“NEUROLÉPTICO” OU “PSICOTRÓPICO”      TRANQUILIZANTES           “CALMA”TRANSPORTE...
NEUROLÉPTICOS    DERIVADOS DE FENOTIAZINA   ACETILPROMAZINA, PIPOTIAZINA ,    PERFENAZINA, ZUCLOPENTIXOL   DERIVADOS DE BU...
NEUROLÉPTICOS    NEUROLÉPTICO DE AÇÃO CURTA           (5 A 10 HORAS)   ACETILPROMAZINA E AZAPERONE    NEUROLÉPTICO DE AÇÃO...
BLOQUEADOR MUSCULAR             FUGAS     PARALISIA MUSCULAR TEMPORÁRIARISCO DE MORTE= PARALISIA DA MUSCULATURA           ...
BLOQUEADOR MUSCULAR  CLORIDRATO DE SUCCINIL-COLINATRI-IODETO DE GALAMINA = FLAXEDIL®
SULFATO DE ATROPINA   AGENTE PARASSIMPATOLÍCOEVITA BRADICARDIA, HIPOTENSÃO E          SIALORRÉIA
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Contenção quimica fisica animais selvagens
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Contenção quimica fisica animais selvagens

10.941 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre contenção de animais selvagens/silvestres

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Contenção quimica fisica animais selvagens

  1. 1. CONTENÇÃO FÍSICA EQUÍMICA DE ANIMAIS SELVAGENS
  2. 2. CONSIDERAR O MOTIVO PELO QUAL O ANIMAL DEVE SER MANEJADOVERIFICAR TODO O MATERIAL NECESSÁRIO PARA CONDUTARESTRINGIR OS PROCEDIMENTOS A SEREM UTILIZADOS ESCOLHER MELHOR HORÁRIO MONITORAR O ANIMAL DURANTE A RECUPERAÇÃO ANESTÉSICA TRABALHO EM EQUIPE
  3. 3. SABER O SEXO E IDADE AVALIAR AS CONDIÇÕES FÍSICAS E PSICOLÓGICAS CONHECER A DISTÂNCIA DE LUTA E FUGAAVALIAR O TERRENO ONDE SERÁ REALIZADO O MANEJO CONHECER A ESPÉCIE A SER MANEJADA:COMPORTAMENTO, REAÇÕES AO ESTRESSE, HABILIDADE DE DEFESA)
  4. 4. ESTRESSE DESEQUILIBRIO DA HOMEOSTASE DE FORMA AGUDAFALÊNCIA DOS ÓRGÃOS
  5. 5. MIOPATIA POR CAPTURA
  6. 6. CONTENÇÃOSEGURA PARA O ANIMAL E PARA A EQUIPEO MOMENTO DA CONTENÇÃO E OMAIS PERIGOSO PARA O ANIMAL E PARA A EQUIPE
  7. 7. COMUNICAÇÃO PESSOALIDENTIFICAÇÃO DO ANIMAL TIPO DE CONTENÇÃO CAIXA DE TRANSPORTE MANEJO DO RECINTOREGISTROS DE CONTENÇÃO
  8. 8. LUVA
  9. 9. ROUPA DE SEGURANÇA
  10. 10. PUÇA
  11. 11. LAÇOKETCH-ALL
  12. 12. PINÇÃO
  13. 13. Resultados
  14. 14. CONTENÇÃO QUÍMICA TRATAMENTO
  15. 15. CONTENÇÃO QUÍMICAPERDA DOS REFLEXOS MEDULARES E DA ATIVIDADE MUSCULAR ABOLIÇÃO DA AGRESSÃOSUCESSO NOS EXAMES CLÍNICOS,PEQUENAS CIRURGIAS, MANEJO E PESQUISA
  16. 16. CONTENÇÃOCORRETA DO ANIMAL
  17. 17. VIA INTRAMUSCULARPRATICIDADE E MENOR RISCO MÉTODO DIRETO TELEANESTESIA
  18. 18. CONTENÇÃO QUÍMICA
  19. 19. DROGAS MAIS UTILIZADASNARCÓTICOS (AGONISTAS OPIÁCEOS) CICLOHEXANONAS (ANESTÉSICOS DISSOCIATIVOS) AGONISTAS ALFA2 ADRENÉRGICOS BENZODIAZEPÍNICOS NEUROLÉPTICOSBLOQUEADORES NEURO-MUSCULARES
  20. 20. NARCÓTICOS (AGONISTAS OPIÁCEOS) CLORIDRATO DE ETORFINA INDICADO PARA ESPÉCIES DE GRANDE PORTE RISCO PORTENCIAL ELEVADO ANALGESIA SEDAÇÃO E BRADICARDIA (EXCITAÇÃO, CORRER SEM RUMO, EMESE, BRADIPNÉIA, HIPERTERMIA) LARGE ANIMAL IMMOBILON®
  21. 21. NARCÓTICOS (AGONISTAS OPIÁCEOS) CITRATO DE CARFENTANIL SEMELHANTE A MORFINA RISCO PORTENCIAL ELEVADO SEDAÇÃO E ANALGESIA ANTÍDOTO: NALOXONA (“RENARCOTIZAÇÃO”) WILDNIL®
  22. 22. NARCÓTICOS (AGONISTAS OPIÁCEOS) TARTARATO DE BUTORFANOL EMPREGADO EM ZOOLÓGICOS POUCO UTILIZADO EM ANIMAIS DE VIDA LIVRE SEDAÇÃO PROCEDIMENTOS COM O ANIMAL EM PÉ TORBUGESIC®
  23. 23. CICLOHEXANONAS (ANESTÉSICOS DISSOCIATIVOS) CLORIDRATO DE CETAMINA LARGO USO EM ANIMAL SELVAGENS ANALGESIA SEM PERDA DE REFLEXOS PROTETORES(CONVULSÕES, HIPERTERMIA, DEPRESSÃO RESPIRATÓRIA) KETAMINA® KETALAR® FRANCOTAR®
  24. 24. CICLOHEXANONAS (ANESTÉSICOS DISSOCIATIVOS) CLORIDRATO DE TILETAMINA SOMENTE ASSOCIADO COM BENZODIAZEPÍNICO (ZOLAZEPAM)ANALGESIA SEM PERDA DE REFLEXOS PROTETORES (TREMORES ATAXIA FRAQUEZA MUSCULAR CONVULSÕES) ZOLETIL® TELAZOL®
  25. 25. AGONISTAS ALFA2 ADRENÉRGICOS UTILIZADAS EM ASSOCIAÇÃO COM ANESTÉSICOS DISSOCIATIVOS SEDAÇÃO ANALGESIA MIORRELAXAMENTO(HIPOTENSÃO, BRADICARDIA, REDUÇÃO DO DÉBITO CARDÍACO, EMESE, SIALORRÉIA E PERDA DA CAPACIDADE TERMO REGULATÓRIA) ANTÍDOTO: CLORIDRATO DE ATIPAMEZOLE E CLORIDRATO DE IOIMBINAOBSERVAR ESTRESSE OU EXCITAÇÃO ANTES DO USO
  26. 26. AGONISTAS ALFA2 ADRENÉRGICOS CLORIDRATO DE XILAZINAINDUÇÃO EM GRAUS VARIÁVEIS DE SEDAÇÃO, ANALGESIA E MIORRELAXAMENTO (BRADICARDIA, EMESE= CANÍDEOS E FELÍDEOS) UTILIZADO EM ASSOCIAÇÃO COM CLORIDRATO DE CETAMINA
  27. 27. AGONISTAS ALFA2 ADRENÉRGICOS CLORIDRATO DE DETOMIDINA UTILIZADO PARA TRANSPORTEPODE UTILIZADO EM ASSOCIAÇÃO COM CLORIDRATO DE CETAMINA
  28. 28. AGONISTAS ALFA2 ADRENÉRGICOS CLORIDRATO DE MEDETOMIDINASEDAÇÃO ANALGESIA MIORRELAXAMENTO ALÍVIO DA ANSIEDADEAFINIDADE MAIOR POR RECEPTORES ALFA2PERMITE REDUÇÃO DO CLORIDRATO DE CETAMINA ANTÍDOTO= CLORIDRATO DE ATIPAMEZOLE DOMITOR®
  29. 29. BENZODIAZEPÍNICOSUTILIZADOS EM ASSOCIAÇÃO COM ANESTÉSICOS DISSOCIATIVOS DIAZEPAM MIDAZOLAM APLICAÇÃO INTRAMUSCULAR ANTÍDOTO=FLUMAZENIL
  30. 30. NEUROLÉPTICOS CAUSAM SEDAÇÃO PSICO-MOTORA“NEUROLÉPTICO” OU “PSICOTRÓPICO” TRANQUILIZANTES “CALMA”TRANSPORTE E RECOLOCAÇÃO
  31. 31. NEUROLÉPTICOS DERIVADOS DE FENOTIAZINA ACETILPROMAZINA, PIPOTIAZINA , PERFENAZINA, ZUCLOPENTIXOL DERIVADOS DE BUTIROFENONADROPERIDO AZAPERONE HALOPERIDOL
  32. 32. NEUROLÉPTICOS NEUROLÉPTICO DE AÇÃO CURTA (5 A 10 HORAS) ACETILPROMAZINA E AZAPERONE NEUROLÉPTICO DE AÇÃO LONGA (12 A 24 HORAS)HALOPERIDOL PIPOTIAZINA PERFENAZINA ZUCLOPENTIXOL
  33. 33. BLOQUEADOR MUSCULAR FUGAS PARALISIA MUSCULAR TEMPORÁRIARISCO DE MORTE= PARALISIA DA MUSCULATURA RESPIRATÓRIA
  34. 34. BLOQUEADOR MUSCULAR CLORIDRATO DE SUCCINIL-COLINATRI-IODETO DE GALAMINA = FLAXEDIL®
  35. 35. SULFATO DE ATROPINA AGENTE PARASSIMPATOLÍCOEVITA BRADICARDIA, HIPOTENSÃO E SIALORRÉIA

×