SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 50
SEMIOLOGIA VETERINÁRIA


          EXAME FÍSICO GERAL
IMPORTANCIA DO EXAME FÍSICO EM
        MEDICINA VETERINÁRIA



 Incapazes  de se comunicar verbalmente
 Queixa principal ≠ sistema acometido
 Avaliação rotineira do paciente
 Avaliar outros sistemas
 Dinâmica dos sintomas
As características e a intensidade dos sinais
clínicos apresentam uma variação muito
ampla, até mesmo em uma mesma
enfermidade, de modo que a multiplicidade
dos sintomas clínicos dificulta a obtenção do
diagnóstico.
Exame físico geral


 Antecede  o exame físico específico
 Muitas vezes é necessário alterar o
  cronograma:
           - risco a vida do animal
           - animais agressivos
           - grandes rebanhos
           - animais selvagens
Passos durante avaliação física


  A adoção de uma mesma sequência de
exames, se repetida várias vezes torna-se
um hábito, sendo o melhor modo de reduzir
a possibilidade de erros diagnósticos, junto à
realização de um exame físico geral.
Passos durante
 uma avaliação
    física
Observação do Animal

1.   Nível de consciência
2.   Postura e locomoção
3.   Condição física ou corporal
4.   Pelame
5.   Formato abdominal
6.   Características respiratórias
7.   Outros
Observação do Animal
        - Nível de Consciência -

- Avaliado pela inspeção
- Medido pelo grau de excitabilidade do animal

           - diminuída (apático)
           - ausente (coma)
           - normal
           - aumentada (excitado)
- Considerar temperamento típico de cada espécie
Observação do Animal
          - Postura e Locomoção -


-   Animais saudáveis abordados em decúbito
-   Atitudes anormais = enfermidade
-   Animais doentes: cabeça baixa, se afastam
    do rebanho ou se levantam com dificuldade,
    adoção de posições características
-   Considerar comportamento típico da espécie
Observação do Animal
            - Estado Nutricional -

                  - Inspeção e Palpação -

   Caquético
   Magro
   Normal
   Gordo
   Obeso

                Não utilizar bom e ruim
Observação do Animal
                - Pelame -


         “ A pele é o espelho da Saúde”

-   únicas ou múltiplas
-   simétricas ou assimétricas
-   medição do nível de desidratação
Observação do Animal
  - Avaliação dos Parâmetros Vitais -


 Frequência cardíaca (FC)
 Frequência respiratória (FR)
 Temperatura retal (TR)
VALORES DE REFERÊNCIA
 FREQUÊNCIA CARDÍACA


  Espécie/adulto      Batimentos
                     cardíacos/min
Cães               60-160

Gatos              120-240

Equinos            28-40

Bovinos            60-80

Caprinos           95-120

Ovinos             90-115
VALORES REFERÊNCIA
FREQUÊNCIA RESPIRATÓRIA

 Espécie/adultos      Movimentos
                    respiratórios/min
Cães               18-36

Gatos              20-40

Equinos            8-16

Bovinos            10-30

Caprinos           20-30

Ovinos             20-30
VALORES NORMAIS
TEMPERATURA CORPORAL

 Espécie/adulto      Temperatura
                      retal (ºC)
Cães              37,5 – 39,2

Gatos             37,8 – 39,2

Equinos           37,5 – 39,2

Bovinos           37,8 – 39,2

Caprinos          38,6 - 40

Ovinos            38,5 - 40
Observação do Animal
         - Exame das Mucosas -


 Ocular
 Nasal
 Bucal
 Vulvar
 Prepucial
 Anal
EXAME DAS MUCOSAS
          - o que observar -

 Coloração
 Ulcerações
 Hemorragias
 Secreções

 - fluida
 - serosa
 - catarral
 - purulenta
 - sanguinolenta
ALTERAÇÃO NA COLORAÇÃO DAS
              MUCOSAS


  Denominação       Coloração       Significado
Pálida          esbranquiçada   anemia


Congesta ou     Avermelhada     ↑permeabilidade
hiperêmica                      vascular

Cianótica       Azulada         Transtorno na
                                hematose

Ictérica        amarelada       hiperbilirrubinemia
Tempo de Preenchimento Vascular

Animais sadios: 1 – 2 segundos
Animais desidratados: 2 – 4 segundos
Animais gravemente desidratados: > 5 segundos
Observação do Animal
      - avaliação dos linfonodos -


 Mandibulares  ou maxilares (+)
 Pré-escapulares ou cervicais superficiais (+)
 Poplíteos (+)
 Mamários (↓)
 Inguinais superficiais ou escrotais (+)
Localização dos linfonodos




                    1. Mandibular
                    2. Pré- escapular
                    3. Poplíteo
                    4. Inguinal superficial (cão
                          macho)
Características examináveis dos
            linfonodos


 Tamanho
 Sensibilidade
 Consistência
 Mobilidade
 Temperatura
Procedimentos Complementares na
      avaliação dos linfonodos

 Biopsia
ANAMNESE E PRONTUÁRIO CLINICO

Todos os dados encontrados durante avaliação
      física, tanto aqueles fornecidos pelo
  proprietário, quanto os conseguidos através
   da avaliação física devem ser repassados
    para o prontuário do animal, que deverá
     permanecer arquivado na clínica para
   reavaliações futuras e para mantermos o
                histórico do animal.
Qualidade de vida!!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Diferenças entre ovinos e caprinos
Diferenças entre ovinos e caprinosDiferenças entre ovinos e caprinos
Diferenças entre ovinos e caprinosKiller Max
 
Aula 1 Ezoognósia Equina - Nomenclatura do Exterior e Mensurações
Aula 1   Ezoognósia Equina - Nomenclatura do Exterior e MensuraçõesAula 1   Ezoognósia Equina - Nomenclatura do Exterior e Mensurações
Aula 1 Ezoognósia Equina - Nomenclatura do Exterior e MensuraçõesElaine
 
Radiologia medicina veterinária
Radiologia medicina veterináriaRadiologia medicina veterinária
Radiologia medicina veterináriaPriscila Silva
 
Sistema respiratório veterinária
Sistema respiratório veterináriaSistema respiratório veterinária
Sistema respiratório veterináriaMarília Gomes
 
Aula 1 clinica de pequenos 2 2015
Aula 1 clinica de pequenos 2 2015Aula 1 clinica de pequenos 2 2015
Aula 1 clinica de pequenos 2 2015ReginaReiniger
 
Sistema urinário - Anatomia veterinária
Sistema urinário - Anatomia veterináriaSistema urinário - Anatomia veterinária
Sistema urinário - Anatomia veterináriaMarília Gomes
 
Casqueamento de Equinos
Casqueamento de EquinosCasqueamento de Equinos
Casqueamento de EquinosKiller Max
 
Sistema cardiovascular e linfático veterinária
Sistema cardiovascular e linfático veterináriaSistema cardiovascular e linfático veterinária
Sistema cardiovascular e linfático veterináriaMarília Gomes
 
Topografia veterinária - cabeça
Topografia veterinária - cabeçaTopografia veterinária - cabeça
Topografia veterinária - cabeçaMarília Gomes
 
Sistema endócrino veterinária
Sistema endócrino veterináriaSistema endócrino veterinária
Sistema endócrino veterináriaMarília Gomes
 
Carrapatos - Parasitologia
Carrapatos - ParasitologiaCarrapatos - Parasitologia
Carrapatos - ParasitologiaJanaina Alves
 
Fisiologia renal Veterinária
Fisiologia renal VeterináriaFisiologia renal Veterinária
Fisiologia renal VeterináriaPatrícia Oliver
 
Caso Clínico Veterinário: Epilepsia Canina
Caso Clínico Veterinário: Epilepsia CaninaCaso Clínico Veterinário: Epilepsia Canina
Caso Clínico Veterinário: Epilepsia CaninaNatália Borges
 
Cronometria dentaria de Equinos
Cronometria dentaria de EquinosCronometria dentaria de Equinos
Cronometria dentaria de EquinosKiller Max
 
Abate humanitário de suínos!
Abate humanitário de suínos!Abate humanitário de suínos!
Abate humanitário de suínos!Raquel Jóia
 
Modelo laudo de necropsia p alunos
Modelo laudo de necropsia p alunosModelo laudo de necropsia p alunos
Modelo laudo de necropsia p alunosJamile Vitória
 

Mais procurados (20)

Vacinação Animal
Vacinação AnimalVacinação Animal
Vacinação Animal
 
Diferenças entre ovinos e caprinos
Diferenças entre ovinos e caprinosDiferenças entre ovinos e caprinos
Diferenças entre ovinos e caprinos
 
Aula 1 Ezoognósia Equina - Nomenclatura do Exterior e Mensurações
Aula 1   Ezoognósia Equina - Nomenclatura do Exterior e MensuraçõesAula 1   Ezoognósia Equina - Nomenclatura do Exterior e Mensurações
Aula 1 Ezoognósia Equina - Nomenclatura do Exterior e Mensurações
 
Brucelose 01
Brucelose 01Brucelose 01
Brucelose 01
 
Radiologia medicina veterinária
Radiologia medicina veterináriaRadiologia medicina veterinária
Radiologia medicina veterinária
 
Sistema respiratório veterinária
Sistema respiratório veterináriaSistema respiratório veterinária
Sistema respiratório veterinária
 
Aula 1 clinica de pequenos 2 2015
Aula 1 clinica de pequenos 2 2015Aula 1 clinica de pequenos 2 2015
Aula 1 clinica de pequenos 2 2015
 
Leptospirose em cães
Leptospirose em cãesLeptospirose em cães
Leptospirose em cães
 
Sistema urinário - Anatomia veterinária
Sistema urinário - Anatomia veterináriaSistema urinário - Anatomia veterinária
Sistema urinário - Anatomia veterinária
 
Casqueamento de Equinos
Casqueamento de EquinosCasqueamento de Equinos
Casqueamento de Equinos
 
Sistema cardiovascular e linfático veterinária
Sistema cardiovascular e linfático veterináriaSistema cardiovascular e linfático veterinária
Sistema cardiovascular e linfático veterinária
 
Topografia veterinária - cabeça
Topografia veterinária - cabeçaTopografia veterinária - cabeça
Topografia veterinária - cabeça
 
Sistema endócrino veterinária
Sistema endócrino veterináriaSistema endócrino veterinária
Sistema endócrino veterinária
 
Caso clínico
Caso clínicoCaso clínico
Caso clínico
 
Carrapatos - Parasitologia
Carrapatos - ParasitologiaCarrapatos - Parasitologia
Carrapatos - Parasitologia
 
Fisiologia renal Veterinária
Fisiologia renal VeterináriaFisiologia renal Veterinária
Fisiologia renal Veterinária
 
Caso Clínico Veterinário: Epilepsia Canina
Caso Clínico Veterinário: Epilepsia CaninaCaso Clínico Veterinário: Epilepsia Canina
Caso Clínico Veterinário: Epilepsia Canina
 
Cronometria dentaria de Equinos
Cronometria dentaria de EquinosCronometria dentaria de Equinos
Cronometria dentaria de Equinos
 
Abate humanitário de suínos!
Abate humanitário de suínos!Abate humanitário de suínos!
Abate humanitário de suínos!
 
Modelo laudo de necropsia p alunos
Modelo laudo de necropsia p alunosModelo laudo de necropsia p alunos
Modelo laudo de necropsia p alunos
 

Semelhante a Exame fisico geral

127125368 2879
127125368 2879127125368 2879
127125368 2879Pelo Siro
 
Exame clínico equinos
Exame clínico equinosExame clínico equinos
Exame clínico equinosMarcos Stopa
 
Medicina de aves selvagens
Medicina de aves selvagensMedicina de aves selvagens
Medicina de aves selvagensMarília Gomes
 
Técnicas de diagnóstico animal para desordens endócrinas e metabólicas
Técnicas de diagnóstico animal para desordens endócrinas e metabólicasTécnicas de diagnóstico animal para desordens endócrinas e metabólicas
Técnicas de diagnóstico animal para desordens endócrinas e metabólicasannie322004
 
Cistite Intersticial Felina e Síndrome de pandora
Cistite Intersticial Felina e Síndrome de pandoraCistite Intersticial Felina e Síndrome de pandora
Cistite Intersticial Felina e Síndrome de pandoraCarolina Trochmann
 
ANAMNESIS - 2018 exame físico grandes animais.pdf
ANAMNESIS - 2018 exame físico grandes animais.pdfANAMNESIS - 2018 exame físico grandes animais.pdf
ANAMNESIS - 2018 exame físico grandes animais.pdfINTA
 
MED VET - CASO CLÍNICO - PARVOVIROSE CANINA
MED VET - CASO CLÍNICO - PARVOVIROSE CANINAMED VET - CASO CLÍNICO - PARVOVIROSE CANINA
MED VET - CASO CLÍNICO - PARVOVIROSE CANINAMillaArajo5
 
1227028202277 dengue capacitação enfermagem novembro 2008
1227028202277 dengue capacitação enfermagem novembro 20081227028202277 dengue capacitação enfermagem novembro 2008
1227028202277 dengue capacitação enfermagem novembro 2008Pierre Wagner Santos Silva
 
Original 03 t__cnicas_de_conten____o_qu__mica_e_f__sica
Original 03 t__cnicas_de_conten____o_qu__mica_e_f__sicaOriginal 03 t__cnicas_de_conten____o_qu__mica_e_f__sica
Original 03 t__cnicas_de_conten____o_qu__mica_e_f__sicaRenata M. Caires
 
Manejo drc: muito mais do que medicações
Manejo drc: muito mais do que medicaçõesManejo drc: muito mais do que medicações
Manejo drc: muito mais do que medicaçõesCarolina Trochmann
 
Instalações-Rurais-e-Bem-Estar-Animal.pdf
Instalações-Rurais-e-Bem-Estar-Animal.pdfInstalações-Rurais-e-Bem-Estar-Animal.pdf
Instalações-Rurais-e-Bem-Estar-Animal.pdfhelidaleao
 
Peritonite Infecciosa Felina PIF
Peritonite Infecciosa Felina PIF Peritonite Infecciosa Felina PIF
Peritonite Infecciosa Felina PIF Carolina Trochmann
 

Semelhante a Exame fisico geral (20)

127125368 2879
127125368 2879127125368 2879
127125368 2879
 
Exame clínico equinos
Exame clínico equinosExame clínico equinos
Exame clínico equinos
 
Medicina de aves selvagens
Medicina de aves selvagensMedicina de aves selvagens
Medicina de aves selvagens
 
3
33
3
 
Encefalopatia hepatica
Encefalopatia hepatica Encefalopatia hepatica
Encefalopatia hepatica
 
Técnicas de diagnóstico animal para desordens endócrinas e metabólicas
Técnicas de diagnóstico animal para desordens endócrinas e metabólicasTécnicas de diagnóstico animal para desordens endócrinas e metabólicas
Técnicas de diagnóstico animal para desordens endócrinas e metabólicas
 
Cistite Intersticial Felina e Síndrome de pandora
Cistite Intersticial Felina e Síndrome de pandoraCistite Intersticial Felina e Síndrome de pandora
Cistite Intersticial Felina e Síndrome de pandora
 
ANAMNESIS - 2018 exame físico grandes animais.pdf
ANAMNESIS - 2018 exame físico grandes animais.pdfANAMNESIS - 2018 exame físico grandes animais.pdf
ANAMNESIS - 2018 exame físico grandes animais.pdf
 
MED VET - CASO CLÍNICO - PARVOVIROSE CANINA
MED VET - CASO CLÍNICO - PARVOVIROSE CANINAMED VET - CASO CLÍNICO - PARVOVIROSE CANINA
MED VET - CASO CLÍNICO - PARVOVIROSE CANINA
 
Inspeção de bovinos.curso
Inspeção de bovinos.cursoInspeção de bovinos.curso
Inspeção de bovinos.curso
 
Introdução a-semiologia-ii
Introdução a-semiologia-iiIntrodução a-semiologia-ii
Introdução a-semiologia-ii
 
Atividades domdico veterinario
Atividades domdico veterinarioAtividades domdico veterinario
Atividades domdico veterinario
 
1227028202277 dengue capacitação enfermagem novembro 2008
1227028202277 dengue capacitação enfermagem novembro 20081227028202277 dengue capacitação enfermagem novembro 2008
1227028202277 dengue capacitação enfermagem novembro 2008
 
Original 03 t__cnicas_de_conten____o_qu__mica_e_f__sica
Original 03 t__cnicas_de_conten____o_qu__mica_e_f__sicaOriginal 03 t__cnicas_de_conten____o_qu__mica_e_f__sica
Original 03 t__cnicas_de_conten____o_qu__mica_e_f__sica
 
Caso clínico
Caso clínicoCaso clínico
Caso clínico
 
nematodios_costrucao.pptx
nematodios_costrucao.pptxnematodios_costrucao.pptx
nematodios_costrucao.pptx
 
Manejo drc: muito mais do que medicações
Manejo drc: muito mais do que medicaçõesManejo drc: muito mais do que medicações
Manejo drc: muito mais do que medicações
 
Instalações-Rurais-e-Bem-Estar-Animal.pdf
Instalações-Rurais-e-Bem-Estar-Animal.pdfInstalações-Rurais-e-Bem-Estar-Animal.pdf
Instalações-Rurais-e-Bem-Estar-Animal.pdf
 
Bioterismo
BioterismoBioterismo
Bioterismo
 
Peritonite Infecciosa Felina PIF
Peritonite Infecciosa Felina PIF Peritonite Infecciosa Felina PIF
Peritonite Infecciosa Felina PIF
 

Mais de Jamile Vitória

Mais de Jamile Vitória (10)

Sistema nervoso victor c speirs
Sistema nervoso   victor c speirsSistema nervoso   victor c speirs
Sistema nervoso victor c speirs
 
Nervoso importancia
Nervoso importanciaNervoso importancia
Nervoso importancia
 
Glandula mamaria
Glandula mamariaGlandula mamaria
Glandula mamaria
 
Exame2
Exame2Exame2
Exame2
 
Eddc3
Eddc3Eddc3
Eddc3
 
Colheita de lliquor
Colheita de lliquorColheita de lliquor
Colheita de lliquor
 
102 paginas
102 paginas102 paginas
102 paginas
 
10 sistema nervoso.
10 sistema nervoso.10 sistema nervoso.
10 sistema nervoso.
 
8 sistema reprodutor
8 sistema reprodutor8 sistema reprodutor
8 sistema reprodutor
 
Manual de patologia clinica
Manual de patologia clinicaManual de patologia clinica
Manual de patologia clinica
 

Exame fisico geral

  • 1. SEMIOLOGIA VETERINÁRIA EXAME FÍSICO GERAL
  • 2. IMPORTANCIA DO EXAME FÍSICO EM MEDICINA VETERINÁRIA  Incapazes de se comunicar verbalmente  Queixa principal ≠ sistema acometido  Avaliação rotineira do paciente  Avaliar outros sistemas  Dinâmica dos sintomas
  • 3. As características e a intensidade dos sinais clínicos apresentam uma variação muito ampla, até mesmo em uma mesma enfermidade, de modo que a multiplicidade dos sintomas clínicos dificulta a obtenção do diagnóstico.
  • 4. Exame físico geral  Antecede o exame físico específico  Muitas vezes é necessário alterar o cronograma: - risco a vida do animal - animais agressivos - grandes rebanhos - animais selvagens
  • 5. Passos durante avaliação física A adoção de uma mesma sequência de exames, se repetida várias vezes torna-se um hábito, sendo o melhor modo de reduzir a possibilidade de erros diagnósticos, junto à realização de um exame físico geral.
  • 6. Passos durante uma avaliação física
  • 7. Observação do Animal 1. Nível de consciência 2. Postura e locomoção 3. Condição física ou corporal 4. Pelame 5. Formato abdominal 6. Características respiratórias 7. Outros
  • 8. Observação do Animal - Nível de Consciência - - Avaliado pela inspeção - Medido pelo grau de excitabilidade do animal - diminuída (apático) - ausente (coma) - normal - aumentada (excitado) - Considerar temperamento típico de cada espécie
  • 9.
  • 10.
  • 11.
  • 12.
  • 13. Observação do Animal - Postura e Locomoção - - Animais saudáveis abordados em decúbito - Atitudes anormais = enfermidade - Animais doentes: cabeça baixa, se afastam do rebanho ou se levantam com dificuldade, adoção de posições características - Considerar comportamento típico da espécie
  • 14.
  • 15.
  • 16.
  • 17. Observação do Animal - Estado Nutricional - - Inspeção e Palpação -  Caquético  Magro  Normal  Gordo  Obeso Não utilizar bom e ruim
  • 18.
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 22. Observação do Animal - Pelame - “ A pele é o espelho da Saúde” - únicas ou múltiplas - simétricas ou assimétricas - medição do nível de desidratação
  • 23.
  • 24.
  • 25.
  • 26.
  • 27. Observação do Animal - Avaliação dos Parâmetros Vitais -  Frequência cardíaca (FC)  Frequência respiratória (FR)  Temperatura retal (TR)
  • 28. VALORES DE REFERÊNCIA FREQUÊNCIA CARDÍACA Espécie/adulto Batimentos cardíacos/min Cães 60-160 Gatos 120-240 Equinos 28-40 Bovinos 60-80 Caprinos 95-120 Ovinos 90-115
  • 29. VALORES REFERÊNCIA FREQUÊNCIA RESPIRATÓRIA Espécie/adultos Movimentos respiratórios/min Cães 18-36 Gatos 20-40 Equinos 8-16 Bovinos 10-30 Caprinos 20-30 Ovinos 20-30
  • 30. VALORES NORMAIS TEMPERATURA CORPORAL Espécie/adulto Temperatura retal (ºC) Cães 37,5 – 39,2 Gatos 37,8 – 39,2 Equinos 37,5 – 39,2 Bovinos 37,8 – 39,2 Caprinos 38,6 - 40 Ovinos 38,5 - 40
  • 31.
  • 32.
  • 33.
  • 34.
  • 35.
  • 36. Observação do Animal - Exame das Mucosas -  Ocular  Nasal  Bucal  Vulvar  Prepucial  Anal
  • 37. EXAME DAS MUCOSAS - o que observar -  Coloração  Ulcerações  Hemorragias  Secreções - fluida - serosa - catarral - purulenta - sanguinolenta
  • 38.
  • 39.
  • 40.
  • 41. ALTERAÇÃO NA COLORAÇÃO DAS MUCOSAS Denominação Coloração Significado Pálida esbranquiçada anemia Congesta ou Avermelhada ↑permeabilidade hiperêmica vascular Cianótica Azulada Transtorno na hematose Ictérica amarelada hiperbilirrubinemia
  • 42.
  • 43. Tempo de Preenchimento Vascular Animais sadios: 1 – 2 segundos Animais desidratados: 2 – 4 segundos Animais gravemente desidratados: > 5 segundos
  • 44. Observação do Animal - avaliação dos linfonodos -  Mandibulares ou maxilares (+)  Pré-escapulares ou cervicais superficiais (+)  Poplíteos (+)  Mamários (↓)  Inguinais superficiais ou escrotais (+)
  • 45. Localização dos linfonodos 1. Mandibular 2. Pré- escapular 3. Poplíteo 4. Inguinal superficial (cão macho)
  • 46.
  • 47. Características examináveis dos linfonodos  Tamanho  Sensibilidade  Consistência  Mobilidade  Temperatura
  • 48. Procedimentos Complementares na avaliação dos linfonodos  Biopsia
  • 49. ANAMNESE E PRONTUÁRIO CLINICO Todos os dados encontrados durante avaliação física, tanto aqueles fornecidos pelo proprietário, quanto os conseguidos através da avaliação física devem ser repassados para o prontuário do animal, que deverá permanecer arquivado na clínica para reavaliações futuras e para mantermos o histórico do animal.