Análise da dissertação

2.617 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.617
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
50
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
38
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Análise da dissertação

  1. 1. Análise da Dissertação<br />(2007) Universidade do Minho<br />
  2. 2. A autora apresenta claramente o problema formulado na investigação? <br /> A autora identifica claramente uma área geral a estudar – Contributos das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) e define um tema dentro dessa área: Averiguar de que forma o blogue contribui para a emergência da leitura e da escrita no pré-escolar (p. 7). É efectuado um enquadramento (pp. 2, 7 e 8) e a justificação da relevância do estudo (pp. 8-10). A autora começou por definir o objectivo geral, de modo que me parece claro, operacionalizando-o através da definição de vários objectivos específicos (p. 8).<br />
  3. 3. 1.    Analisar a contribuição dos blogues para a emergência da leitura e da escrita;<br />2.    Compreender o modo como se processa a emergência da leitura e da escrita através dos suportes informáticos;<br />3.    Reflectir sobre a contribuição dos projectos integradores e promotores de leitura e escrita, em suporte digital;<br />4. Compreender de que forma o blogue influencia o processo da aprendizagem da leitura e da escrita;<br />5. Encontrar respostas para as dúvidas dos educadores de infância quanto ao uso das tecnologias de informação e comunicação no jardim-de-infância.<br />
  4. 4. É apresentada uma revisão bibliográfica? <br /> A revisão bibliográfica é apresentada (p.11) e recaiu, essencialmente, sobre a descrição das teorias e trabalhos relevantes para o tema. Não foi feita uma comparação e avaliação dessas teorias, bem como uma dedução das hipóteses a partir da avaliação dos trabalhos empíricos já realizados. Salienta as limitações da sua investigação, em virtude de um escasso número de estudos existente. É possível percebermos que é uma área emergente em termos de investigação científica dada a actualidade dos estudos mencionados: Lúcia Amante (2004), Maria Cruz (2004), Alexandra Paz (2004), Ana Amélia Carvalho, Sónia Cruz, Adelina Moura (2006) e Maria João Gomes (2005).<br />
  5. 5. Há elementos relativos à planificação da investigação? <br /> Foi efectuada a planificação da investigação cuja abordagem aparece no capítulo 5 – Metodologias. São referenciados além do meio onde ocorre a investigação e da descrição da estrutura do blogue, a calendarização previamente definida e que se realizou em duas fases : A primeira - construção do blogue disponível em http://dajaneladomeujardim.blog.com/<br /> até Outubro de 2006 e a segunda – Trabalho de campo – até Maio de 2007. Depreende-se que tenha havido uma terceira fase dedicada ao tratamento de dados e redacção do relatório.<br />
  6. 6. Quais são os elementos referenciados sobre o estudo empírico? <br />Estamos perante um estudo de caso, com a definição precisa de três elementos importantes como são o problema, o contexto e o objecto: “depois de identificada a problemática a estudar – as TIC no jardim-de-infância: contributos do blogue para a emergência da leitura e escrita – e encontrado um contexto – jardim-de-infância de Rio Covo – e um objecto de estudo – crianças da sala 1 […]”.(p. 51). O seu objectivo é essencialmente “ […] compreender um processo […]”  e não “[…]quantificar ou generalizar […]”o que revela perfeita consonância com o paradigma naturalista que orientou a investigação.<br />
  7. 7. São identificados os instrumentos de recolha de informação? <br /> As técnicas utilizadas são  entrevistas informais, notas de campo, a observação directa e entrada no blogue. A recolha de informação centrou-se numa amostra pouco significativa: treze crianças com idades compreendidas entre os quatro e os cinco anos, das quais três com cinco e dez com quatro anos e foi feita no ambiente natural – sala do jardim de infância - onde a autora assumia as funções de educadora e investigadora (observadora participante): “Para o desenvolvimento deste trabalho, optámos pelas seguintes técnicas de recolha de dados: observação participante, notas de campo, entrevistas informais e entradas no blogue.” (pp. 59-61).<br />
  8. 8. Quais os procedimentos de análise de dados? <br /> Não são apresentados os dados em bruto, fruto da recolha e, consequentemente, não especifica o modo como foi analisado todo o material recolhido. É feita referência, com algumas ilustrações, ao material constante no blogue, mas sem uma sistematização que permita a clara percepção do trabalho realizado.<br /> Embora seja feita referência no ponto 5.1. - Opções metodológicas - à forma como se vai processar a observação e como irão ser recolhidos os dados, não há referência explícita à técnica utilizada para a análise de dados, designadamente acerca do material constante no blogue. Terá sido feita análise de conteúdo? Quais as categorias de análise? Não se verifica a confrontação das ideias de partida com os dados concretos derivados da observação e não realiza uma análise que permita confirmar, alterar ou rejeitar as ideias de partida, assim como não há referências sobre a validade e fiabilidade da amostra.<br />
  9. 9. É possível identificar as conclusões da investigação?<br /> É possível identificar algumas conclusões no decorrer do capítulo VI – Análise e apresentação dos dados (pp. 63 a 81):<br />É uma ferramenta flexível e fácil de usar<br />Promove a interacção entre educador e criança<br />Promove a emergência da literacia <br />Desenvolve competências de comunicação<br />(…)<br /> Contudo, a análise das observações deveria ter permitido tirar conclusões sobre o valor das hipóteses iniciais, o que não aconteceu, uma vez que este não refere concretamente como é que o blogue contribui para a emergência da leitura e da escrita em contexto pré-escolar.<br />
  10. 10. Qual o paradigma em que se insere a investigação?<br />A dissertação insere-se no paradigma naturalista, interpretativo apoiado por métodos e técnicas da pesquisa qualitativa. É definido o paradigma de investigação – “Decidimos optar pelo paradigma qualitativo, mais especificamente pelo estudo de caso” (p. 49) – justifica-se a sua escolha com base nas  características do projecto, as quais se adequam e vão ao encontro dos objectivos delineados na problemática do estudo: acompanhar e apoiar o processo de integração das TIC no jardim-de-infância.<br />
  11. 11. Mais sobre o estudo em:<br />http://www.scribd.com/doc/25178036/As-TIC-na-escola-e-no-pre-escolar<br />

×