SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
Baixar para ler offline
O Que é Sociologia

     Prof. Aldenei Barros
E. E. Prof.ª Sebastiana Braga
História da Sociologia
A sociologia como saber humano situa-se no grupo das
ciências sociais. Por ciências sociais entende-se o
conjunto de matérias que têm como objeto de estudo os
fenômenos sociais vistos de uma perspectiva científica.
Juntamente com a sociologia, encontram-se outras
ciências sociais como a economia, a demografia, a
antropologia cultural, a ciência política, a psicologia
social e a história. A sociologia tem como objeto de
estudo a dimensão social do ser humano, tanto no seu
aspecto estático (associações, grupos, instituições)
como dinâmico (conflitos, tensões e transformações).
Uma Ciência Jovem
Nos finais do séc. XVIII, as mudanças derivadas
da Revolução Francesa e da Revolução
Industrial representaram um grande avanço em
terrenos como a filosofia da história, a filosofia
política e as teorias biológicas. Tais mudanças
sociais e econômicas interessaram a um grande
número de pensadores, que, em virtude das
novas realidades que afloravam, começaram a
questionar-se acerca do fundamento da
coesão, da riqueza e da estrutura social.
Auguste Comte: o aparecimento da
             sociologia
O primeiro pensador que propôs uma resposta
para essas perguntas e tentou compreender
cientificamente a sociedade foi Auguste Comte.
Essa tarefa era, para ele, condição indispensável
para poder reorganizar a sociedade sobre bases
científicas. Por outro lado, essa reorganização era,
segundo o seu ponto de vista, totalmente
necessária, face a fenômenos sociais tão
importantes como o aumento do proletariado
urbano e a consolidação da burguesia, que exigiam
uma nova ordem social.
Roteiro de Viagem
A aventura intelectual que o autor propõe tem
o seguinte roteiro: na segunda parte do livro,
“assistiremos” ao filme Tempos Modernos, de
Charles Chaplin, e sob sua inspiração
discutiremos conceitos formulados pela
sociologia a partir da metade do século XIX; na
terceira, daremos um mergulho em nosso
próprio ambiente, munidos das lentes que a
sociologia nos oferece para observamos nossa
sociedade.
O Nascimento da Sociologia
Revolução Científica (séculos XVI e XVII).
O processo conhecido como Revolução Científica se originou
no Renascimento (com Da Vinci, Copérnico e outros) e
prosseguiu pelos séculos seguintes, sem que seja possível
estabelecer uma data para o seu encerramento.
O que marca a Revolução Científica é o uso da razão como
meio de alcançar o conhecimento.
O fundamento da ciência moderna consiste na afirmação da
necessidade de observar os fatos e os fenômenos e
demonstrar as explicações propostas para eles.
Fica excluída qualquer possibilidade de especulação sem um
experimento que comprove sua plausibilidade.
A ciência moderna se caracteriza como um saber não
dogmático, crítico, aberto, reformulável, suscetível de
correções ou refutações.
É um saber universal que utiliza provas (experiências) para
que se possam testar resultados.
A Sociedade Medieval
A sociedade medieval era composta basicamente de três ordens: o clero, a
nobreza e os camponeses.
O clero surgiu com a cristianização e o fortalecimento da Igreja na Europa.
 A nobreza era formada essencialmente por guerreiros, vassalos de nobres
mais poderosos, seus suseranos, aos quais deviam fidelidade; em troca, estes
lhes deviam proteção e retribuição, em geral concedida sob a forma de uma
terra, chamada feudo, cuja posse se tornava hereditária.
 Por seu lado, os camponeses eram servos dos nobres senhores feudais.
 Um aspecto importante é que na sociedade medieval praticamente não havia
mobilidade social.
Por isso, a sociedade medieval pode ser chamada de estamental - trata-se de
um tipo de estratificação social em que as diferentes camadas, ou
estamentos, não chegam a ser tão rígidas quanto as castas, nem tão flexíveis
quanto as classes sociais.
Na Idade Média havia ainda um outro tipo de imobilidade: a maioria das
pessoas nascia e morria no mesmo lugar.
As Cidades e o Comércio
Como mostra o historiador Jacques Le Goff em seu livro
Mercadores e banqueiros da Idade Média, os comerciantes
cristãos viviam então um grande dilema, divididos entre o
desejo de ver seus negócios florescerem e o medo de ofender
a Deus.
 Queriam enriquecer, mas também merecer o Reino dos Céus.
 De toda forma, a atividade comercial se expandiu, a ponto de
se poder falar em uma Revolução Comercial a partir do século
XII.
No século XIII já havia na Europa uma intensa movimentação
de comerciantes trazendo mercadorias de diferentes lugares
para feiras que atraíam grande número de pessoas.
O Século das Luzes e as grandes
               revoluções modernas.
Avancemos agora até o século XVII: se é verdade que àquela
altura os efeitos da Revolução Comercial já se faziam sentir, as
cidades já estavam bem mais desenvolvidas, a Revolução
Científica seguia seu curso, as fronteiras do mundo conhecido
eram bem mais extensas, também é certo que nem tudo o
que existia antes havia "desaparecido".
A maioria das pessoas continuava a viver no campo, a Igreja
continuava a defender seus princípios e suas interdições, e as
monarquias absolutas sustentavam a ideia de que os homens
nasciam desiguais - ou seja, de que a sociedade estava presa a
uma estrutura hierárquica rigidamente definida.
Já na última década do século, porém, percebeu-se que um
novo "Renascimento" estava começando.
O movimento intelectual que se iniciou então, e desabrochou
no século seguinte, foi chamado de Iluminismo, e é
considerado pelos estudiosos o primeiro grande passo na
construção de uma cultura burguesa.
O que é o Iluminismo?
O Iluminismo é a saída do homem do estado de tutela, pelo qual ele
próprio é responsável.
O estado de tutela é a incapacidade de utilizar o próprio entendimento
sem a condução de outrem.
Cada um é responsável por esse estado de tutela quando a causa se
refere não a uma insuficiência do entendimento, mas à insuficiência da
resolução e da coragem para usá-lo sem ser conduzido por outrem.
Sapere aude!
 (Expressão latina que significa "tenha coragem de saber, de
aprender") Tenha a coragem de usar seu próprio entendimento.
Essa é a divisa do Iluminismo.
A vez da indústria
Sabe-se que a expressão Revolução Industrial foi aplicada às inovações
técnicas que alteraram os métodos de trabalho tradicionais e, a partir
das últimas décadas do século XVIII, propiciaram um grande
enriquecimento econômico.
Existe também consenso quanto ao fato de que a Inglaterra foi o
primeiro país a entrar na era industrial.
No entanto, a Revolução Industrial não foi um episódio precisamente
datado, com princípio, meio e fim.
Muitas vezes a industrialização foi um processo lento.
A essência da Revolução Industrial está, na verdade, na ideia de que a
mudança é a norma.
A validade desse princípio pode ser facilmente percebida até hoje:
inventa-se algo, e em pouco tempo uma nova técnica ou um novo
instrumento mais eficiente torna o anterior obsoleto.
Capitalismo
Sistema econômico surgido na Europa nos séculos XVI e XVII, o
capitalismo recebeu da Revolução Industrial um estímulo fundamental
para seu desenvolvimento.
Suas bases fundamentais são a propriedade privada e a existência de
um mercado com transações monetárias.
Isso significa, por exemplo, que no sistema capitalista as fábricas, lojas,
escolas, hospitais podem pertencer a empresários, e não ao Estado.
Além disso, a produção e a distribuição das riquezas são determinadas
pelo mercado, o que significa que, em tese, os preços são definidos
pelo jogo da oferta e da procura.
maneira geral, podemos resumir o funcionamento desse sistema da
seguinte forma: o proprietário da empresa (o capitalista) compra a
força de trabalho de terceiros (os proletários) para produzir bens que,
uma vez comercializados, lhe permitem recuperar o capital investido e
obter um excedente (lucro).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

As origens e os principais teóricos da sociologia
As origens e os principais teóricos  da sociologiaAs origens e os principais teóricos  da sociologia
As origens e os principais teóricos da sociologiaLucio Oliveira
 
Sociologia positivismo, marxismo e sociologia compreensiva
Sociologia   positivismo, marxismo e sociologia compreensivaSociologia   positivismo, marxismo e sociologia compreensiva
Sociologia positivismo, marxismo e sociologia compreensivaDaniele Rubim
 
Sociologia Introdutória
Sociologia Introdutória Sociologia Introdutória
Sociologia Introdutória Rene Lins
 
Sociologia introdução - o que é, principais pensamentos e pensadores
Sociologia   introdução - o que é, principais pensamentos e pensadoresSociologia   introdução - o que é, principais pensamentos e pensadores
Sociologia introdução - o que é, principais pensamentos e pensadoresDaniele Rubim
 
Exercícios de fixação positivismo- comte e surgimento
Exercícios de fixação  positivismo- comte e surgimentoExercícios de fixação  positivismo- comte e surgimento
Exercícios de fixação positivismo- comte e surgimentoLucio Braga
 
O Que é Sociologia
O Que é SociologiaO Que é Sociologia
O Que é SociologiaJorge Miklos
 
Sociologia aplicada à ADM - introdutório
Sociologia aplicada à ADM - introdutórioSociologia aplicada à ADM - introdutório
Sociologia aplicada à ADM - introdutórioCamila Tribess
 
1º Ano - Surgimento da sociologia
1º Ano - Surgimento da sociologia1º Ano - Surgimento da sociologia
1º Ano - Surgimento da sociologiaLuis Felipe Carvalho
 
Sociologia: origens, contexto histórico, político e social Os mestres fundado...
Sociologia: origens, contexto histórico, político e social Os mestres fundado...Sociologia: origens, contexto histórico, político e social Os mestres fundado...
Sociologia: origens, contexto histórico, político e social Os mestres fundado...Rogerio Silva
 
Slide sociologia 1
Slide sociologia 1Slide sociologia 1
Slide sociologia 1Over Lane
 
O que é sociologia - AM_261 - IFRJ_1º semestre
O que é sociologia - AM_261 - IFRJ_1º semestreO que é sociologia - AM_261 - IFRJ_1º semestre
O que é sociologia - AM_261 - IFRJ_1º semestreCarmem Rocha
 
Introduçao a sociologia
Introduçao a sociologiaIntroduçao a sociologia
Introduçao a sociologiaMarcelo Freitas
 

Mais procurados (20)

As origens e os principais teóricos da sociologia
As origens e os principais teóricos  da sociologiaAs origens e os principais teóricos  da sociologia
As origens e os principais teóricos da sociologia
 
Sociologia positivismo, marxismo e sociologia compreensiva
Sociologia   positivismo, marxismo e sociologia compreensivaSociologia   positivismo, marxismo e sociologia compreensiva
Sociologia positivismo, marxismo e sociologia compreensiva
 
Surgimento da sociologia
Surgimento da sociologiaSurgimento da sociologia
Surgimento da sociologia
 
Sociologia Introdutória
Sociologia Introdutória Sociologia Introdutória
Sociologia Introdutória
 
Sociologia introdução - o que é, principais pensamentos e pensadores
Sociologia   introdução - o que é, principais pensamentos e pensadoresSociologia   introdução - o que é, principais pensamentos e pensadores
Sociologia introdução - o que é, principais pensamentos e pensadores
 
Modulo 1 introducao ao estudo da sociedade
Modulo 1  introducao ao estudo da sociedadeModulo 1  introducao ao estudo da sociedade
Modulo 1 introducao ao estudo da sociedade
 
Exercícios de fixação positivismo- comte e surgimento
Exercícios de fixação  positivismo- comte e surgimentoExercícios de fixação  positivismo- comte e surgimento
Exercícios de fixação positivismo- comte e surgimento
 
O Que é Sociologia
O Que é SociologiaO Que é Sociologia
O Que é Sociologia
 
Sociologia aplicada à ADM - introdutório
Sociologia aplicada à ADM - introdutórioSociologia aplicada à ADM - introdutório
Sociologia aplicada à ADM - introdutório
 
Surgimento da Sociologia
Surgimento da SociologiaSurgimento da Sociologia
Surgimento da Sociologia
 
1º Ano - Surgimento da sociologia
1º Ano - Surgimento da sociologia1º Ano - Surgimento da sociologia
1º Ano - Surgimento da sociologia
 
Sociologia: origens, contexto histórico, político e social Os mestres fundado...
Sociologia: origens, contexto histórico, político e social Os mestres fundado...Sociologia: origens, contexto histórico, político e social Os mestres fundado...
Sociologia: origens, contexto histórico, político e social Os mestres fundado...
 
história da sociologia
   história da sociologia   história da sociologia
história da sociologia
 
Slide sociologia 1
Slide sociologia 1Slide sociologia 1
Slide sociologia 1
 
O que é sociologia - AM_261 - IFRJ_1º semestre
O que é sociologia - AM_261 - IFRJ_1º semestreO que é sociologia - AM_261 - IFRJ_1º semestre
O que é sociologia - AM_261 - IFRJ_1º semestre
 
O nascimento da sociologia
O nascimento da sociologiaO nascimento da sociologia
O nascimento da sociologia
 
O cenário histórico do surgimento da sociologia
O cenário histórico do surgimento da sociologiaO cenário histórico do surgimento da sociologia
O cenário histórico do surgimento da sociologia
 
Introduçao a sociologia
Introduçao a sociologiaIntroduçao a sociologia
Introduçao a sociologia
 
SOCIOLOGIA GERAL
SOCIOLOGIA GERALSOCIOLOGIA GERAL
SOCIOLOGIA GERAL
 
Introdução à sociologia
Introdução à sociologiaIntrodução à sociologia
Introdução à sociologia
 

Destaque

HMC 05. Imperialismo. La dominación europea del mundo.ppt
HMC 05. Imperialismo. La dominación europea del mundo.pptHMC 05. Imperialismo. La dominación europea del mundo.ppt
HMC 05. Imperialismo. La dominación europea del mundo.pptSergi Sanchiz Torres
 
ENERGIA ( FONTES RENOVAVEIS e NAO RENOVAVEIS)
ENERGIA ( FONTES RENOVAVEIS e NAO RENOVAVEIS)ENERGIA ( FONTES RENOVAVEIS e NAO RENOVAVEIS)
ENERGIA ( FONTES RENOVAVEIS e NAO RENOVAVEIS)Universidade Pedagogica
 
HMC 03. Liberalismo y nacionalismo
HMC 03. Liberalismo y nacionalismoHMC 03. Liberalismo y nacionalismo
HMC 03. Liberalismo y nacionalismoSergi Sanchiz Torres
 
Unificación italiana y alemana 93 07
Unificación italiana y alemana 93 07Unificación italiana y alemana 93 07
Unificación italiana y alemana 93 07Fran Esquina
 
EUROPA 1814 1870
EUROPA 1814 1870EUROPA 1814 1870
EUROPA 1814 1870JUAN DIEGO
 
La Emancipación de la América Española
La Emancipación de la América EspañolaLa Emancipación de la América Española
La Emancipación de la América Españolaartesonado
 
La Revolución Industrial
La Revolución IndustrialLa Revolución Industrial
La Revolución Industrialanabel sánchez
 
Imperio Napoleonico
Imperio NapoleonicoImperio Napoleonico
Imperio NapoleonicoCarlos Neyra
 
História da sociologia
História da sociologiaHistória da sociologia
História da sociologiaTiago Lacerda
 
Introdução à Sociologia
Introdução à SociologiaIntrodução à Sociologia
Introdução à SociologiaAlison Nunes
 
Baja Edad Media 2º Eso
Baja Edad Media 2º EsoBaja Edad Media 2º Eso
Baja Edad Media 2º EsoMaría García
 
Antiguo regimen
Antiguo regimenAntiguo regimen
Antiguo regimenkike14
 

Destaque (18)

O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
 
HMC 05. Imperialismo. La dominación europea del mundo.ppt
HMC 05. Imperialismo. La dominación europea del mundo.pptHMC 05. Imperialismo. La dominación europea del mundo.ppt
HMC 05. Imperialismo. La dominación europea del mundo.ppt
 
ENERGIA ( FONTES RENOVAVEIS e NAO RENOVAVEIS)
ENERGIA ( FONTES RENOVAVEIS e NAO RENOVAVEIS)ENERGIA ( FONTES RENOVAVEIS e NAO RENOVAVEIS)
ENERGIA ( FONTES RENOVAVEIS e NAO RENOVAVEIS)
 
O ILUMINISMO
O ILUMINISMOO ILUMINISMO
O ILUMINISMO
 
HMC 03. Liberalismo y nacionalismo
HMC 03. Liberalismo y nacionalismoHMC 03. Liberalismo y nacionalismo
HMC 03. Liberalismo y nacionalismo
 
Sociedad Estamental
Sociedad EstamentalSociedad Estamental
Sociedad Estamental
 
Unificación italiana y alemana 93 07
Unificación italiana y alemana 93 07Unificación italiana y alemana 93 07
Unificación italiana y alemana 93 07
 
EUROPA 1814 1870
EUROPA 1814 1870EUROPA 1814 1870
EUROPA 1814 1870
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Era Vargas
Era VargasEra Vargas
Era Vargas
 
HMC 02. La Revolución Industrial
HMC 02. La Revolución IndustrialHMC 02. La Revolución Industrial
HMC 02. La Revolución Industrial
 
La Emancipación de la América Española
La Emancipación de la América EspañolaLa Emancipación de la América Española
La Emancipación de la América Española
 
La Revolución Industrial
La Revolución IndustrialLa Revolución Industrial
La Revolución Industrial
 
Imperio Napoleonico
Imperio NapoleonicoImperio Napoleonico
Imperio Napoleonico
 
História da sociologia
História da sociologiaHistória da sociologia
História da sociologia
 
Introdução à Sociologia
Introdução à SociologiaIntrodução à Sociologia
Introdução à Sociologia
 
Baja Edad Media 2º Eso
Baja Edad Media 2º EsoBaja Edad Media 2º Eso
Baja Edad Media 2º Eso
 
Antiguo regimen
Antiguo regimenAntiguo regimen
Antiguo regimen
 

Semelhante a O que é sociologia

SSlides - Ciencia e Modernidade Aula 01.pptx
SSlides - Ciencia e Modernidade Aula 01.pptxSSlides - Ciencia e Modernidade Aula 01.pptx
SSlides - Ciencia e Modernidade Aula 01.pptxNaldoArajo4
 
A chegada dos "tempos modernos"
A chegada dos "tempos modernos"A chegada dos "tempos modernos"
A chegada dos "tempos modernos"isameucci
 
Surgimento sociologia i
Surgimento sociologia iSurgimento sociologia i
Surgimento sociologia iLucio Braga
 
Aula-12-As-revolucoes-da-modernidade.pptx
Aula-12-As-revolucoes-da-modernidade.pptxAula-12-As-revolucoes-da-modernidade.pptx
Aula-12-As-revolucoes-da-modernidade.pptxANA CLÁUDIA OLIVEIRA
 
1. sociologia da educação
1. sociologia da educação1. sociologia da educação
1. sociologia da educaçãoSimonelleGomes
 
Sociologia
SociologiaSociologia
Sociologiaequacao
 
Sociologia apresentacao
Sociologia apresentacaoSociologia apresentacao
Sociologia apresentacao1980261531
 
I O Iluminismo FrancêS, Voltaire – Montesquieu –
I  O Iluminismo FrancêS, Voltaire – Montesquieu –I  O Iluminismo FrancêS, Voltaire – Montesquieu –
I O Iluminismo FrancêS, Voltaire – Montesquieu –Professores História
 
I O Iluminismo FrancêS, Voltaire – Montesquieu –
I  O Iluminismo FrancêS, Voltaire – Montesquieu –I  O Iluminismo FrancêS, Voltaire – Montesquieu –
I O Iluminismo FrancêS, Voltaire – Montesquieu –Professores História
 
Nascimento da Sociologia contexto histórico.ppt
Nascimento da Sociologia contexto histórico.pptNascimento da Sociologia contexto histórico.ppt
Nascimento da Sociologia contexto histórico.pptclaudia25650
 
-revolucao-industrial-e-o-surgimento-das-ciencias-sociais (1)
-revolucao-industrial-e-o-surgimento-das-ciencias-sociais (1)-revolucao-industrial-e-o-surgimento-das-ciencias-sociais (1)
-revolucao-industrial-e-o-surgimento-das-ciencias-sociais (1)Elisandra Santolin
 
Ideias revolucionárias ilumismo
Ideias revolucionárias   ilumismoIdeias revolucionárias   ilumismo
Ideias revolucionárias ilumismoLuise Moura
 

Semelhante a O que é sociologia (20)

SSlides - Ciencia e Modernidade Aula 01.pptx
SSlides - Ciencia e Modernidade Aula 01.pptxSSlides - Ciencia e Modernidade Aula 01.pptx
SSlides - Ciencia e Modernidade Aula 01.pptx
 
REVISAO 1 SERIE.pptx
REVISAO 1 SERIE.pptxREVISAO 1 SERIE.pptx
REVISAO 1 SERIE.pptx
 
A chegada dos "tempos modernos"
A chegada dos "tempos modernos"A chegada dos "tempos modernos"
A chegada dos "tempos modernos"
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Surgimento sociologia i
Surgimento sociologia iSurgimento sociologia i
Surgimento sociologia i
 
capitulos-01-02.pptx
capitulos-01-02.pptxcapitulos-01-02.pptx
capitulos-01-02.pptx
 
Iluminismo
IluminismoIluminismo
Iluminismo
 
Idade moderna 4 25
Idade moderna 4 25Idade moderna 4 25
Idade moderna 4 25
 
Aula-12-As-revolucoes-da-modernidade.pptx
Aula-12-As-revolucoes-da-modernidade.pptxAula-12-As-revolucoes-da-modernidade.pptx
Aula-12-As-revolucoes-da-modernidade.pptx
 
1. sociologia da educação
1. sociologia da educação1. sociologia da educação
1. sociologia da educação
 
Sociologia
SociologiaSociologia
Sociologia
 
Sociologia apresentacao
Sociologia apresentacaoSociologia apresentacao
Sociologia apresentacao
 
I O Iluminismo FrancêS, Voltaire – Montesquieu –
I  O Iluminismo FrancêS, Voltaire – Montesquieu –I  O Iluminismo FrancêS, Voltaire – Montesquieu –
I O Iluminismo FrancêS, Voltaire – Montesquieu –
 
I O Iluminismo FrancêS, Voltaire – Montesquieu –
I  O Iluminismo FrancêS, Voltaire – Montesquieu –I  O Iluminismo FrancêS, Voltaire – Montesquieu –
I O Iluminismo FrancêS, Voltaire – Montesquieu –
 
Nascimento da Sociologia contexto histórico.ppt
Nascimento da Sociologia contexto histórico.pptNascimento da Sociologia contexto histórico.ppt
Nascimento da Sociologia contexto histórico.ppt
 
O Iluminismo
O IluminismoO Iluminismo
O Iluminismo
 
-revolucao-industrial-e-o-surgimento-das-ciencias-sociais (1)
-revolucao-industrial-e-o-surgimento-das-ciencias-sociais (1)-revolucao-industrial-e-o-surgimento-das-ciencias-sociais (1)
-revolucao-industrial-e-o-surgimento-das-ciencias-sociais (1)
 
Ideias revolucionárias ilumismo
Ideias revolucionárias   ilumismoIdeias revolucionárias   ilumismo
Ideias revolucionárias ilumismo
 
Trab 003
Trab 003Trab 003
Trab 003
 
Questionário 01
Questionário 01Questionário 01
Questionário 01
 

Mais de Aldenei Barros

Mais de Aldenei Barros (20)

Curso de teologia
Curso de teologiaCurso de teologia
Curso de teologia
 
Desigualdades de várias ordens
Desigualdades de várias ordensDesigualdades de várias ordens
Desigualdades de várias ordens
 
Qual é a sua tribo
Qual é a sua triboQual é a sua tribo
Qual é a sua tribo
 
O ser humano
O ser humanoO ser humano
O ser humano
 
Sonhos de consumo
Sonhos de consumoSonhos de consumo
Sonhos de consumo
 
Sonhos de civilização
Sonhos de civilizaçãoSonhos de civilização
Sonhos de civilização
 
Materialismo versus Idealismo
Materialismo versus IdealismoMaterialismo versus Idealismo
Materialismo versus Idealismo
 
Como viver para ser feliz
Como viver para ser felizComo viver para ser feliz
Como viver para ser feliz
 
O brasil ainda é católico
O brasil ainda é católicoO brasil ainda é católico
O brasil ainda é católico
 
Do mito à ciência
Do mito à ciênciaDo mito à ciência
Do mito à ciência
 
A filosofia antiga clássica greco_romana
A filosofia antiga clássica greco_romanaA filosofia antiga clássica greco_romana
A filosofia antiga clássica greco_romana
 
As muitas faces do poder
As  muitas faces do poderAs  muitas faces do poder
As muitas faces do poder
 
Nas mãos do oleiro
Nas mãos do oleiroNas mãos do oleiro
Nas mãos do oleiro
 
O mundo
O mundoO mundo
O mundo
 
Filosofia antiga
Filosofia antigaFilosofia antiga
Filosofia antiga
 
Liberdade ou segurança
Liberdade ou segurançaLiberdade ou segurança
Liberdade ou segurança
 
Divisão da história da filosofia
Divisão da história da filosofiaDivisão da história da filosofia
Divisão da história da filosofia
 
Grandes áreas do filosofar
Grandes áreas do filosofarGrandes áreas do filosofar
Grandes áreas do filosofar
 
Dogmatismo
DogmatismoDogmatismo
Dogmatismo
 
A verdade
A verdadeA verdade
A verdade
 

Último

Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdfLindinhaSilva1
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdflbgsouza
 
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfSistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfAntonio Barros
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfCarolineNunes80
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"Ilda Bicacro
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024azulassessoria9
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteIpdaWellington
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxsfwsoficial
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAbdLuxemBourg
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
4 ano atividade fonema e letra 08.03-1.pdf
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
 
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdfSistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
Sistema de Acompanhamento - Diário Online 2021.pdf
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdfo-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
o-homem-que-calculava-malba-tahan-1_123516.pdf
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
 
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescenteAbuso Sexual da Criança e do adolescente
Abuso Sexual da Criança e do adolescente
 
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptxSlide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
Slide Licao 4 - 2T - 2024 - CPAD ADULTOS - Retangular.pptx
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 

O que é sociologia

  • 1. O Que é Sociologia Prof. Aldenei Barros E. E. Prof.ª Sebastiana Braga
  • 2. História da Sociologia A sociologia como saber humano situa-se no grupo das ciências sociais. Por ciências sociais entende-se o conjunto de matérias que têm como objeto de estudo os fenômenos sociais vistos de uma perspectiva científica. Juntamente com a sociologia, encontram-se outras ciências sociais como a economia, a demografia, a antropologia cultural, a ciência política, a psicologia social e a história. A sociologia tem como objeto de estudo a dimensão social do ser humano, tanto no seu aspecto estático (associações, grupos, instituições) como dinâmico (conflitos, tensões e transformações).
  • 3. Uma Ciência Jovem Nos finais do séc. XVIII, as mudanças derivadas da Revolução Francesa e da Revolução Industrial representaram um grande avanço em terrenos como a filosofia da história, a filosofia política e as teorias biológicas. Tais mudanças sociais e econômicas interessaram a um grande número de pensadores, que, em virtude das novas realidades que afloravam, começaram a questionar-se acerca do fundamento da coesão, da riqueza e da estrutura social.
  • 4. Auguste Comte: o aparecimento da sociologia O primeiro pensador que propôs uma resposta para essas perguntas e tentou compreender cientificamente a sociedade foi Auguste Comte. Essa tarefa era, para ele, condição indispensável para poder reorganizar a sociedade sobre bases científicas. Por outro lado, essa reorganização era, segundo o seu ponto de vista, totalmente necessária, face a fenômenos sociais tão importantes como o aumento do proletariado urbano e a consolidação da burguesia, que exigiam uma nova ordem social.
  • 5. Roteiro de Viagem A aventura intelectual que o autor propõe tem o seguinte roteiro: na segunda parte do livro, “assistiremos” ao filme Tempos Modernos, de Charles Chaplin, e sob sua inspiração discutiremos conceitos formulados pela sociologia a partir da metade do século XIX; na terceira, daremos um mergulho em nosso próprio ambiente, munidos das lentes que a sociologia nos oferece para observamos nossa sociedade.
  • 6. O Nascimento da Sociologia
  • 7. Revolução Científica (séculos XVI e XVII). O processo conhecido como Revolução Científica se originou no Renascimento (com Da Vinci, Copérnico e outros) e prosseguiu pelos séculos seguintes, sem que seja possível estabelecer uma data para o seu encerramento. O que marca a Revolução Científica é o uso da razão como meio de alcançar o conhecimento. O fundamento da ciência moderna consiste na afirmação da necessidade de observar os fatos e os fenômenos e demonstrar as explicações propostas para eles. Fica excluída qualquer possibilidade de especulação sem um experimento que comprove sua plausibilidade. A ciência moderna se caracteriza como um saber não dogmático, crítico, aberto, reformulável, suscetível de correções ou refutações. É um saber universal que utiliza provas (experiências) para que se possam testar resultados.
  • 8. A Sociedade Medieval A sociedade medieval era composta basicamente de três ordens: o clero, a nobreza e os camponeses. O clero surgiu com a cristianização e o fortalecimento da Igreja na Europa. A nobreza era formada essencialmente por guerreiros, vassalos de nobres mais poderosos, seus suseranos, aos quais deviam fidelidade; em troca, estes lhes deviam proteção e retribuição, em geral concedida sob a forma de uma terra, chamada feudo, cuja posse se tornava hereditária. Por seu lado, os camponeses eram servos dos nobres senhores feudais. Um aspecto importante é que na sociedade medieval praticamente não havia mobilidade social. Por isso, a sociedade medieval pode ser chamada de estamental - trata-se de um tipo de estratificação social em que as diferentes camadas, ou estamentos, não chegam a ser tão rígidas quanto as castas, nem tão flexíveis quanto as classes sociais. Na Idade Média havia ainda um outro tipo de imobilidade: a maioria das pessoas nascia e morria no mesmo lugar.
  • 9. As Cidades e o Comércio Como mostra o historiador Jacques Le Goff em seu livro Mercadores e banqueiros da Idade Média, os comerciantes cristãos viviam então um grande dilema, divididos entre o desejo de ver seus negócios florescerem e o medo de ofender a Deus. Queriam enriquecer, mas também merecer o Reino dos Céus. De toda forma, a atividade comercial se expandiu, a ponto de se poder falar em uma Revolução Comercial a partir do século XII. No século XIII já havia na Europa uma intensa movimentação de comerciantes trazendo mercadorias de diferentes lugares para feiras que atraíam grande número de pessoas.
  • 10. O Século das Luzes e as grandes revoluções modernas. Avancemos agora até o século XVII: se é verdade que àquela altura os efeitos da Revolução Comercial já se faziam sentir, as cidades já estavam bem mais desenvolvidas, a Revolução Científica seguia seu curso, as fronteiras do mundo conhecido eram bem mais extensas, também é certo que nem tudo o que existia antes havia "desaparecido". A maioria das pessoas continuava a viver no campo, a Igreja continuava a defender seus princípios e suas interdições, e as monarquias absolutas sustentavam a ideia de que os homens nasciam desiguais - ou seja, de que a sociedade estava presa a uma estrutura hierárquica rigidamente definida. Já na última década do século, porém, percebeu-se que um novo "Renascimento" estava começando. O movimento intelectual que se iniciou então, e desabrochou no século seguinte, foi chamado de Iluminismo, e é considerado pelos estudiosos o primeiro grande passo na construção de uma cultura burguesa.
  • 11. O que é o Iluminismo? O Iluminismo é a saída do homem do estado de tutela, pelo qual ele próprio é responsável. O estado de tutela é a incapacidade de utilizar o próprio entendimento sem a condução de outrem. Cada um é responsável por esse estado de tutela quando a causa se refere não a uma insuficiência do entendimento, mas à insuficiência da resolução e da coragem para usá-lo sem ser conduzido por outrem. Sapere aude! (Expressão latina que significa "tenha coragem de saber, de aprender") Tenha a coragem de usar seu próprio entendimento. Essa é a divisa do Iluminismo.
  • 12. A vez da indústria Sabe-se que a expressão Revolução Industrial foi aplicada às inovações técnicas que alteraram os métodos de trabalho tradicionais e, a partir das últimas décadas do século XVIII, propiciaram um grande enriquecimento econômico. Existe também consenso quanto ao fato de que a Inglaterra foi o primeiro país a entrar na era industrial. No entanto, a Revolução Industrial não foi um episódio precisamente datado, com princípio, meio e fim. Muitas vezes a industrialização foi um processo lento. A essência da Revolução Industrial está, na verdade, na ideia de que a mudança é a norma. A validade desse princípio pode ser facilmente percebida até hoje: inventa-se algo, e em pouco tempo uma nova técnica ou um novo instrumento mais eficiente torna o anterior obsoleto.
  • 13. Capitalismo Sistema econômico surgido na Europa nos séculos XVI e XVII, o capitalismo recebeu da Revolução Industrial um estímulo fundamental para seu desenvolvimento. Suas bases fundamentais são a propriedade privada e a existência de um mercado com transações monetárias. Isso significa, por exemplo, que no sistema capitalista as fábricas, lojas, escolas, hospitais podem pertencer a empresários, e não ao Estado. Além disso, a produção e a distribuição das riquezas são determinadas pelo mercado, o que significa que, em tese, os preços são definidos pelo jogo da oferta e da procura. maneira geral, podemos resumir o funcionamento desse sistema da seguinte forma: o proprietário da empresa (o capitalista) compra a força de trabalho de terceiros (os proletários) para produzir bens que, uma vez comercializados, lhe permitem recuperar o capital investido e obter um excedente (lucro).