Regimes políticos

11.201 visualizações

Publicada em

Regimes Políticos a dotados ao redor do Mundo.

Publicada em: Educação
1 comentário
2 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
11.201
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
15
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
113
Comentários
1
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Regimes políticos

  1. 1. PROJETO: Voluntários da COPA 2014. Um GOL de Educação na Copa! <br />Encontro:<br />Regime político<br />
  2. 2. Definição:<br />Regime político é a organização das relações entre governantes e governados.<br />Qual é a sua opinião? Podemos dizer que as relações sociais no mundo contemporâneo são baseadas em laços de união, respeito e justiça social para todos?<br />
  3. 3. Os antigos gregos designavam a organização da sociedade política (pólis) como um todo, compreendendo não só as relações entre governantes e governados, mas também o conjunto das relações econômicas e sociais entre particulares (a organização da família, por exemplo).<br />
  4. 4. Os antigos gregos reconheciam três espécies de politéia, em função do titular da soberania:<br />. MONARQUIA: o soberano era um indivíduo -kratos: força ou poder, e monos: um só - e possuía o poder supremo (kyrion) na pólis;<br />. OLIGARQUIA: quando a soberania era partilhada por alguns poucos (oligoi); <br />. DEMOCRACIA: quando todo o povo (demos), isto é, o conjunto dos cidadãos, era reconhecido como soberano.<br />Fonte:<br />http://www.escoladegoverno.org.br/biblioteca/formacao-governantes/162-regimes-politicos<br />
  5. 5. No entanto, saiba que:<br />Na Grécia antiga, sua sociedade contava com três categorias de homens:<br />os Cidadãos, que gozavam de plenos poderes políticos e tinham o direito à Terra; <br />os Metecos, que embora fossem homens livres, não detinham direitos políticos e se limitavam ao comércio; <br />os Escravos, que eram em sua maioria estrangeiros das terras conquistadas pelos soldados gregos, e embora não possamos fazer analogias com os escravos dos séc. XVI e XVII, os seres humanos escravos daquela época também eram tidos como mercadorias.<br />
  6. 6. Democracia<br />Na atualidade, os regimes políticos democráticos se caracterizam por eleições livres, liberdade de imprensa, respeito aos direitos civis constitucionais, garantias para a oposição e liberdade de organização e expressão do pensamento político.<br />Regimes políticos contemporâneos:<br />
  7. 7. Autoritarismo<br />Os regimes políticos autoritários, localizados na América Latinanos anos 1960/1970, operam através da suspensão das garantias individuais e das garantias políticas. No regime político autoritário as normas constitucionais são manipuladas ou reeditadas conforme os interesses dos grupos ou partidos que detêm o poder.<br />Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Autoritarismo<br />
  8. 8. Totalitarismo<br />Os regimes políticos totalitaristas diferem fundamentalmente dos dois regimes citados. No totalitarismo, o regime político está concentrado em uma pessoa que representa a figura de um “fürher” (comandante supremo). Nos regimes políticos totalitários não há nenhuma instituição política que possa representar qualquer vestígio de democracia. Tais regimes ocorreram entre os anos 1920/1945 na forma de fascismo na Itália e Espanha, nazismo na Alemanha e estalinismo na União Soviética.<br /> O ditador Russo Josef Stalin. Sua coletivização forçada da agricultura (especialmente na Ucrânia) matou de fome entre 6 e 11 milhões de camponeses.<br />http://pt.wikipedia.org/wiki/Autoritarismo<br />
  9. 9. Formas de governo<br />Repúblicas unipartidárias.<br />Ditadura militar<br />Repúblicas parlamentares.<br />Repúblicas presidencialistas totais.<br />Monarquiasparlamentaresconstitucionais em que o monarca exerce poder pessoal (muitas vezes ao lado de um parlamento fraco).<br />Repúblicas presidencialistas ligadasa um parlamento.<br />Repúblicas semipresidencialistas.<br />Monarquias absolutistas.<br />Monarquiasparlamentaresconstitucionais em que o monarca não exerce poder pessoal.<br />Países que não se encaixam <br />em nenhum dos sistemas acima.<br />
  10. 10.
  11. 11. <ul><li>Relação dos regimes políticos com a Copa do mundo:</li></ul>As nações democráticas apóiam esses eventos, pois fortalecem as relações políticas, econômicas e culturais entre os demais países. <br />As ditaduras extremas evitam, para que os jogadores não tenham contato com o mundo exterior. Exemplos: . Coréia do Norte – os jogadores não têm autorização para efetuarem visitações turísticas sem a participação de toda a equipe.<br />. Cuba - existe o medo de que os jogadores não voltem para casa depois do mundial, assim há um extremo controle dos atletas que saem do país para participarem de eventos esportivos . <br />
  12. 12. E o que acontece com a nação brasileira durante a época da Copa?<br />“Somos quase duzentos milhões de brasileiros. E durante quase um mês nossas conversas, de norte a sul e de leste a oeste, mantém um tema comum: o Brasil na copa. E o Brasil na copa faz parar o Brasil. No dia em que há jogo da seleção, não adianta querer ou necessitar deste ou daquele serviço: tem de se esperar o apito final!”<br />
  13. 13. <ul><li>Histórias sobre a questão política e a Copa do Mundo:</li></ul>A Coréia do Norte é um Regime unipartidáriosocialista. A Coréia do Norte é governada pelo ditador Kim Jong-Il.<br />Segundo dissidentes do país e agentes do serviço de espionagem da Coréa do Sul, rival da Coréia do Norte, os jogadores norte-coreanos e inclusive o técnico da seleção teriam sofrido violações dos direitos humanos em punições devido à má campanha durante a Copa do Mundo FIFA de 2010.<br />
  14. 14. Tendo sido a última colocada na Copa do Mundo da África do Sul, em 2010, a seleção da Coréia do Norte teria sido castigada pelo péssimo desempenho durante o Mundial. Segundo a rádio FreeAsia, os jogadores norte-coreanos foram submetidos a um ritual de humilhação pública por cerca de seis horas em Pyongyang, capital da Coréia do Norte.<br />Bandeira norte-coreana<br />
  15. 15. A Seleção tricampeã. Em pé, da esquerda para a direita: Carlos Alberto, Brito, Piazza, Félix, Clodoaldo e Everaldo; agachados: Jairzinho, Gérson, Tostão, Pelé e Rivellino.<br />O General Médicifalou em consistência moral. Sem isso, talvez a vitória nos escapasse, pois a disciplina consciente, livremente aceita, é vital na preparação espartana para o rude teste do campeonato. Os brasileiros portaram-se não apenas como técnicos ou profissionais, mas como brasileiros, como cidadãos deste grande país, cônscios de seu papel de representantes de seu povo. Foi a própria afirmação do valor do homem brasileiro, como salientou bem o presidente da República. Que o chefe do governo aproveite essa pausa, esse minuto de euforia e de efusão patriótica, para meditar sobre a situação do país. (...) A realidade do Brasil é a explosão patriótica do povo ante a vitória na Copa.<br />
  16. 16. Brasil: Durante a ditadura!<br />Quando ganhamos a Copa do mundo de 70, todo mundo esqueceu a situação política lamentável que vivia o país após o AI 5 de 69. Todos festejavam enquanto os militares mantinham presos políticos nos porões da ditadura. A vitória no futebol foi usada para disfarçar a repressão política.<br />
  17. 17. Conforme o artigo 5°, o Presidente da República, ouvido o Conselho de Segurança Nacional, e "sem as limitações previstas na Constituição", podia suspender os direitos políticos de quaisquer cidadãos por 10 anos e cassarmandatos eletivos federais, estaduais e municipais.[3] Pelo artigo 5°, a suspensão dos direitos políticos, significava:<br />I - cessação de privilégio de foro por prerrogativa de função;<br />II - suspensão do direito de votar e ser votado nas eleições sindicais;<br />III - proibição de atividades ou manifestação sobre assunto de natureza política;<br />IV - aplicação, pelo Ministério da Justiça, independentemente de apreciação pelo Poder Judiciário, das seguintes medidas:<br />a) liberdade vigiada;<br />b) proibição de freqüentar determinados lugares;<br />c) domicílio determinado.<br />“Outras restrições ou proibições ao exercício<br />se quaisquer outros direitos públicos ou privados"<br />poderiam ser estabelecidas à discrição do Executivo.<br />
  18. 18. E na Argentina, em 1978!<br />Tal como o Brasil em 1970, a Argentina também utilizou o futebol para distrair a atenção popular das atrocidades do regime. A suspeita de que a Copa havia sido arranjada para que a equipe anfitriã fosse a vencedora marcou para sempre o Mundial de 1978, na Argentina. <br />A ditadura militar do general Jorge Videla via no evento uma chance de "compensar" a forte repressão imposta aos cidadãos. Para que o plano funcionasse, porém, a vitória argentina era essencial. E, em campo, as dúvidas foram grandes.<br />
  19. 19. A delegação da Argentina com 22 dos 25 pré-convocados. No alto, da esquerda para a direita: Passarella, Olguín, Larrosa, Luque, o técnico Menotti, Bertoni, Pagnanini e Oviedo; no meio, Villa, Bottaniz, Baley, Lavolpe, Fillol, Tarantini e Killer; abaixo, Bravo, Gallego, Ortiz, Ardiles, Houseman, Rubén Galván, Valencia e Luis Galván. Faltam na imagem Maradona (que seria cortado junto com Bravo e Bottaniz), Alonso e Kempes.<br />
  20. 20. Durante a ditadura argentina, mais de 10 mil pessoas foram assassinadas pela repressão oficial. Esse fato deu origem ao movimento das Mães da Praça de Maio, chamadas de "loucas" pelos militares, que exigiam respostas sobre o paradeiro de seus filhos.<br /> - Comentários de Danton Jobim. Jornal: "Última Hora", 23/6/1970.<br />
  21. 21. A Guerra do Futebol - em espanhol: La guerra delfútbol- ou a Guerra das 100 horas - em espanhol: Guerra de lasCien Horas - foi um conflito armado entre El Salvador e Honduras que durou quatro dias (de 14 a 18 de julho de 1969).<br />
  22. 22. Os dois países, El Salvador e Honduras, que na época já demonstravam uma relação política instável, tiveram seus níveis de hostilidade aumentados drasticamente em junho de 1969, após uma série de três partidas de futebol entre as seleções das duas nações, que disputavam uma vaga para a Copa do Mundo de 1970. Durante as partidas, em especial a segunda, realizada em San Salvador, jogadores, torcedores e imigrantes nos dois países foram expulsos, perseguidos e assassinados, levando os dois países a romperem relações diplomáticas no fim do mesmo mês.<br />
  23. 23. Apesar das denúncias de corrupção, Blatter é reeleito e comandará a Fifa até 2015.Suíço é investigado por suposta fraude na escolha das sedes das Copas de 2018 e 2022.<br />O suíço Joseph Blatter foi reeleito nesta quarta-feira, 1º de junho, para mais quatro anos como presidente da Fifa, cargo que ocupa desde 1998.<br />Aos 75 anos, 36 deles como funcionário da entidade, ele tem como principal desafio limpar o nome da entidade, manchado nas últimas semanas por uma série de denúncias de corrupção ligadas à escolha das sedes das Copas do Mundo de 2018, que será na Rússia, e 2022, no Qatar.<br />Fonte: <br />http://esportes.r7.com/futebol/noticias/joseph-blatter-e-reeleito-e-comandara-a-fifa-ate-2015-20110601.html?question=0<br />
  24. 24. O Congresso da Fifafoi marcado pelos escândalos que assolaram a entidade nas últimas semanas. O próprio Blatter foi acusado de compra de votos para assegurar sua reeleição. No entanto, o suíço foi inocentado pelo comitê de ética da entidade e teve o caminho livre para se reeleger.<br /> A Fifa também enfrenta acusações de suborno no processo de escolha das sedes das Copas do Mundo de 2018 (Rússia) e 2022 (Qatar). Nesta semana, Jack Warner, presidente da Concacaf, divulgou um e-mail que recebeu de JérômeValcke, secretário geral da Fifa, sobre o assunto.<br /> No e-mail, Valcke sugeriu que o Qatar teria comprado o direito de organizar o Mundial-2022. O secretário geral da Fifaadmitiu ter falado sobre o assunto com Warner, mas disse que tratou do caso “em tom menos formal”. O presidente da Concacaf, assim como Bin Hammam, foi suspenso após ser acusado de participar de um esquema de compra de votos na eleição presidencial da Fifa.<br /> <br />Como já era esperado, Joseph Blatter assegurou mais um mandato de quatro anos como presidente da Fifa. Candidato único ao cargo, o suíço confirmou sua reeleição nesta quarta-feira, dia 01 de junho, durante o 61º Congresso da entidade, realizado em Zurique (Suíça). No total, foram computados 203 votos - 186 deles para Blatter.<br />http://m.esporte.uol.com.br/futebol/ultimas-noticias/2011/06/01/blatter-e-reeleito-presidente-da-fifa-em-meio-a-escandalos-de-corrupcao.htm<br />
  25. 25. Sugestão de pesquisa sobre a história das Copas: <br />A HISTÓRIA DAS COPAS DO MUNDO - DE 1930 A 2010 <br />http://painhoadj.blogspot.com/2011/01/historia-das-copas-do-mundo-de-1930.html<br />

×