Ditadura Militar no Brasil (1964-1985)
Aula 42: Os
militares no poder
“Dormia a nossa Pátria mãe tão distraída Sem
perceber que era subtraída Em tenebrosas
transações.”
CHICO BUARQUE DE HOLLAN...
Governo João Goulart
(1961-64)
• Queria implantar Reformas de Base: Reforma
Agrária, nacionalização de empresas estrangeir...
Comício na Central do Brasil: Anúncio das Reformas de Base
Clima de Golpe
 No dia 13/3/1964, no Comício da Central do
Brasil, Jango decretou a nacionalização das
refinarias particu...
“Em 64 a nação recebeu um tiro no peito. Um tiro que
matou a alma nacional, (...) Os personagens que
pareciam fazer parte ...
31 de março de 1964
A Visão Militar: Um contragolpe
. “Nós

não fizemos uma revolução, nós demos
um contragolpe, porque o golpe estava sendo
d...
Governo Militar – 1964 a
1985
Assume a presidência o marechal Castelo Branco
Governo Castello Branco – 1964/67
Eleito
pelo
Congresso
Nacional
presidente da República em 15 de abril
de 1964.
•declarou...
Características:
• “Milagre econômico” : crescimento sem
distribuição de renda e aumento da dívida
externa
• influência do...
Questões p. 4 e 5
1- Assunto dos textos
R: O golpe militar de 64
2- Sentido das mudanças trazidas pelo golpe, segundo
os t...
Questões p. 4 e 5
4- Os textos tem a mesma visão do que aconteceu em
64?
R: Os autores colocam o golpe de 64 como um
movim...
Aula 43: Os anos de
chumbo
• Os governos militares governaram
através de Atos Institucionais (AI)
• Esses atos davam ao presidente mais
poder do que ...
AI-1

(1964)

• Fim de mandatos políticos de opositores ao regime
militar
• Fim da estabilidade de funcionários públicos.
AI-2

(1965)

• Extinguiu os partidos polítocos
existentes e estabeleceu o
bipartidarismo; MDB e Arena
• ficou vigente até...
ARENA e MDB
AI-3

(1965)

Eleição indireta de governadores e
vice governadores.

AI-4 (1966)
Compeliu o Congresso a votar o projeto de...
GOVERNO COSTA E SILVA
(1967-1969)
• eleito indiretamente pelo Congresso Nacional.
• Governo marcado por protestos e manife...
Em Contagem (MG) e Osasco (SP),
greves de operários paralisam fábricas em
protesto ao regime militar
A guerrilha urbana começa a se
organizar
Formada por jovens idealistas de
esquerda, assaltam bancos e
sequestram embaixado...
•
•

AI-5

13 de dezembro de 1968
Este foi o mais duro do governo militar, pois aposentou juízes, cassou mandatos,
acabou ...
1968: o ano que não terminou.
• Após a morte de Edson Luis, as passeatas
multiplicaram-se pelas capitais – “ Neste luto, a...
Defendendo a segurança
nacional... blábláblá
• Com a “desculpa” de salvar o Brasil dos
comunistas, os militares criaram a ...
Caça aos “subversivos”
• Dois grupos de esquerda, O MR-8 e a ALN sequestram o
embaixador dos EUA Charles Elbrick.
MR 8 - uma organização brasilei...
No final de 1969, o líder da ALN, Carlos Mariguella, foi morto pelas forças de
repressão em São Paulo

O comandante Carlos...
GOVERNO MEDICI
(1969-1974)
Seu governo é considerado o mais duro e repressivo do

período, conhecido como " anos de chumbo...
• A repressão à luta armada cresce e
uma severa política de censura é
colocada em execução. Jornais,
revistas, livros, peç...
DOI-Codi
• Destacamento de Operações e Informações e ao
Centro de Operações de Defesa Interna
• atua como centro de invest...
Verificando o que você aprendeu p. 10 e 11
1- Por que os Atos Institucionais?
R: Porque o Ato Institucional não precisa se...
Tarefa aula 43 p.43
1- Significado de FARC
R: Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia
2- Base ideológica inicial.
R: Mo...
Aula 44: Os
rumos da
economia
brasileira
O Milagre Econômico
(1969-73)
• O PIB brasileiro crescia a uma taxa de quase 12% ao
ano, enquanto a inflação beirava os 18...
Março / 2008
custo altíssimo e a conta deveria ser
paga no futuro. Os empréstimos
estrangeiros geraram uma dívida
externa elevada para ...
Analisar números p.12 e 13
1-Análise gráfico
R: Crescimento econômico do país caiu em 1962-63. A
partir de 64, com o Plano...
O fim do “milagre” p.16
1- Efeitos imediatos do “milagre”.
R: Centros urbanos foram invadidos por shopping
centers e novos...
Tarefa de casa p.44
• Rodovia Transamazônica
A Rodovia Transamazônica (BR-230) é uma rodovia brasileira, projetada
durante...
Hidreletrica de Itaipu
•

•

A Usina Hidrelétrica de Itaipu (em espanhol: Itaipú, em guarani: Itaipu) é
uma usina hidrelét...
Aula 46: Abertura
política e
redemocratização
no Brasil
GOVERNO GEISEL
(1974-1979)
• Anuncia a abertura política lenta, gradual e segura;
• Seu governo coincide com o fim do mila...
Herzog
• A morte do jornalista
Vladimir Herzog, nos
porões do DOI-CODI,
provocou indignação e
fez com que Geisel
apressass...
Em janeiro de 1976, o operário
Manuel Fiel Filho
Aparece
morto em
situação
semelhante
GOVERNO FIGUEIREDO (19791985)
• Anistia, concedendo o direito de retorno ao Brasil
para os políticos, artistas e demais br...
• Em 1979, o governo aprova lei que restabelece o
pluripartidarismo no país.
• Os partidos voltam a funcionar dentro da
no...
A Redemocratização
Nos

últimos anos do
governo militar, o Brasil
apresenta vários
problemas.
A Redemocratização
A

inflação é alta e a recessão
também.
 Enquanto isso a oposição ganha
terreno com o surgimento de n...
Campanha pelas
Diretas Já
Em 1984, políticos de
oposição, artistas, jogadores
de futebol e milhões de
brasileiros particip...
Para a decepção do
povo, a emenda não
foi aprovada pela
Câmara dos
Deputados
Leitura do texto: Quando o
amarelo virou esperança p.20
1- Bases do movimento “Diretas Já”.
R: Coordenado pelo Comitê Naci...
15 de janeiro de 1985
Colégio Eleitoral escolheria o
deputado Tancredo Neves,
que concorreu com Paulo
Maluf, como novo pre...
Tancredo Neves
 fazia

parte da Aliança Democrática
– o grupo de oposição formado
pelo PMDB e pela Frente Liberal.
 Era ...
Assume o vicepresidente José Sarney
Em 1988 é
aprovada uma
nova
constituição
para o Brasil.
A Constituição
de 1988
apagou os
rastros da
ditadura militar
e estabeleceu
princípios
democráticos
no país.
Foi chamada de
Constituição “Cidadã”
 Foi

promulgada no dia 5 de outubro
de 1988 com uma abordagem mais
democrática em relação as demais
constituições.
 tev...
A classe trabalhadora adquiriu vários
direitos:
 licença maternidade para 120 dias,
 licença paternidade de 5 dias,
 re...
mudanças para a
consolidação da
democracia
o direito de voto aos analfabetos e facultativo
aos jovens com idade entre 16 e...
ficou definido
 implantação do divórcio
 direitos da criança e adolescente.
 racismo torna-se crime inafiançável
com re...
O Brasil “PósDitadura”
Governo José Sarney
(1985 – 1989)


marcado pela crise econômica,
desmandos administrativos e
corrupção

diversos planos ...
Governo Collor
(1990 – 1992)
 Filho

da oligarquia de
Alagoas

 NEOLIBERALISMO

- redução do papel do Estado
- abertura ...
 PLANO

COLLOR
- programa de estabilização
- confisco das poupanças
- não funciona
– suspeitas de corrupção
(PC Farias = ...
 CPI,

manifestações por todo o Brasil
“cara-pintadas”

 IMPEACHMENT

(Impedimento)
- direitos políticos cassados por 8 ...
Governo Itamar Franco
(1992 – 1995)

- “nacionalista”, barra o neoliberalismo
 PLEBISCITO (abril-93)
- vence o presidenci...
-

Combate à inflação
Sucessão presidencial

 PLANO

REAL
- aplicado em 1994, apoiado pela elite
conseguiu conter a infla...
Governos FHC I e II
(1995 – 1998 – 2002)
“o homem do real”
“intelectual de esquerda”
→ NEOLIBERALISMO



MERCOSUL = Brasil, Argentina, Uruguai e
Paraguai
- passa ...
 REFORMA

CONSTITUCIONAL
- quebra dos monopólios do petróleo e das
telecomunicações
- privilégios aos capitais estrangeir...
 REELEIÇÃO

- acusação de compras de votos para
alterar a constituição
- tentativa de CPI não se realiza
 SOCIAL

- assi...
EDUCAÇÃO
- ampliação do número de crianças escolarizadas
- processo de desmonte das universidades públicas
- aumento recor...
Governo Lula
(2002 - 2010)
 pernambucano,

líder sindical, fundador do
Partido dos Trabalhadores

 OUT

/ 2002 = vence J...
Governo Dilma (2011-)
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Ditadura militar
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Ditadura militar

3.682 visualizações

Publicada em

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.682
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
71
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ditadura militar

  1. 1. Ditadura Militar no Brasil (1964-1985)
  2. 2. Aula 42: Os militares no poder
  3. 3. “Dormia a nossa Pátria mãe tão distraída Sem perceber que era subtraída Em tenebrosas transações.” CHICO BUARQUE DE HOLLANDA
  4. 4. Governo João Goulart (1961-64) • Queria implantar Reformas de Base: Reforma Agrária, nacionalização de empresas estrangeiras, controle do dinheiro que saía do país. • Fortalecimento dos Movimentos sociais: UNE e Ligas Camponesas • Oposição das elites conservadoras, Igreja e classe média
  5. 5. Comício na Central do Brasil: Anúncio das Reformas de Base
  6. 6. Clima de Golpe  No dia 13/3/1964, no Comício da Central do Brasil, Jango decretou a nacionalização das refinarias particulares de petróleo e desapropriava terras à margem das ferrovias e rodovias. 19 de março: Uma semana depois, católicos conservadores realizaram a Marcha da Família com Deus e Pela Liberdade, repudiando a “tendência esquerdizante” do governo.
  7. 7. “Em 64 a nação recebeu um tiro no peito. Um tiro que matou a alma nacional, (...) Os personagens que pareciam fazer parte da história do Brasil como nós imaginávamos, esses personagens de repente sumiram. Ou fora do poder, ou presos ou mortos. E em seu lugar surgiram outros, que eu nunca tinha visto. Idiotas que nem mereciam ser notados. (...) Aí veio a percepção clara que o Brasil tinha mudado para sempre. (...) Havia sido cometido um assassinato político. Ali morreu um país, morreu uma liderança popular, morreu um processo. (...) Não se matam somente as pessoas, também se matam os países, os processos históricos.(...)” (Herbert de Souza – Betinho)
  8. 8. 31 de março de 1964
  9. 9. A Visão Militar: Um contragolpe . “Nós não fizemos uma revolução, nós demos um contragolpe, porque o golpe estava sendo dado por “eles”. “Eles” estavam dando o golpe, o senhor Goulart, o senhor Brizola, o senhor Arrais, o senhor Darci Ribeiro, etc, etc. Esses estavam tomando conta do país e do governo. No governo já estavam, tomando conta do país e levando o populismo, sindicalismo. Ia se transformar, sem dúvida, este país numa república “comuno-sindicalista-populista”. Carlos Aberto da Fontoura – General do Exército do RS em 1964.
  10. 10. Governo Militar – 1964 a 1985 Assume a presidência o marechal Castelo Branco
  11. 11. Governo Castello Branco – 1964/67 Eleito pelo Congresso Nacional presidente da República em 15 de abril de 1964. •declarou defender a democracia, porém •assume uma posição autoritária. •Estabeleceu eleições indiretas para presidente • dissolveu os partidos políticos. •Vários parlamentares federais e estaduais tiveram seus mandatos caçados, cidadãos tiveram seus direitos políticos e constitucionais cancelados e os sindicatos receberam intervenção do governo militar. •Governo por Atos Institucionais ( AI)
  12. 12. Características: • “Milagre econômico” : crescimento sem distribuição de renda e aumento da dívida externa • influência dos EUA • protestos e passeatas • oposição armada ao regime militar: guerrilha urbana e rural • prisões / tortura / exílio (artistas e políticos) • pela falta de democracia, • supressão de direitos constitucionais, • censura, • perseguição política e • repressão aos que eram contra o regime militar
  13. 13. Questões p. 4 e 5 1- Assunto dos textos R: O golpe militar de 64 2- Sentido das mudanças trazidas pelo golpe, segundo os textos. R: Promover a entrada de capital estrangeiro, garantir os latifúndios, conter reformas, mobilizações e reivindicações da sociedade civil. 3- Vencedores do movimento de 64, segundo Maria Helena S. Paes R: Burguesia multinacional, grande burguesia nacional associada ao capital estrangeiro e militares;
  14. 14. Questões p. 4 e 5 4- Os textos tem a mesma visão do que aconteceu em 64? R: Os autores colocam o golpe de 64 como um movimento do qual os próprios protagonistas não tinham muita certeza do desfecho. Ambos concordam que Jango não iria transformar o Brasil numa “URSS verde-amarela”, mas que estava em curso uma liberalização que os mais poderosos temiam virar revolução. TAREFA DE CASA P.42 FAÇA PARA ENTREGAR NA PRÓXIMA AULA!!!!!
  15. 15. Aula 43: Os anos de chumbo
  16. 16. • Os governos militares governaram através de Atos Institucionais (AI) • Esses atos davam ao presidente mais poder do que o Legislativo e o Judiciário. • Assim o presidente podia fazer tudo que quisesse... Mandar prender, torturar, matar...
  17. 17. AI-1 (1964) • Fim de mandatos políticos de opositores ao regime militar • Fim da estabilidade de funcionários públicos.
  18. 18. AI-2 (1965) • Extinguiu os partidos polítocos existentes e estabeleceu o bipartidarismo; MDB e Arena • ficou vigente até 15 de março de 1967, sendo substituído pela Constituição de 1967
  19. 19. ARENA e MDB
  20. 20. AI-3 (1965) Eleição indireta de governadores e vice governadores. AI-4 (1966) Compeliu o Congresso a votar o projeto de constituição Constituição de 1967:confirma e institucionaliza o regime militar e suas formas de atuação.
  21. 21. GOVERNO COSTA E SILVA (1967-1969) • eleito indiretamente pelo Congresso Nacional. • Governo marcado por protestos e manifestações sociais. • A oposição ao regime militar cresce no país. • A UNE ( União Nacional dos Estudantes ) organiza, no Rio de Janeiro, a Passeata dos Cem Mil. • No dia 26 de junho de 1968, cerca de cem mil pessoas ocuparam as ruas do centro do Rio de Janeiro e realizaram o mais importante protesto contra a ditadura militar. • A manifestação, pretendia cobrar uma postura do governo frente aos problemas estudantis e, ao mesmo tempo, refletia o descontentamento crescente com o governo; • dela participaram também intelectuais, artistas, padres e grande número de mães.
  22. 22. Em Contagem (MG) e Osasco (SP), greves de operários paralisam fábricas em protesto ao regime militar
  23. 23. A guerrilha urbana começa a se organizar Formada por jovens idealistas de esquerda, assaltam bancos e sequestram embaixadores para obterem fundos para o movimento de oposição armada.
  24. 24. • • AI-5 13 de dezembro de 1968 Este foi o mais duro do governo militar, pois aposentou juízes, cassou mandatos, acabou com as garantias do habeas-corpus e aumentou a repressão militar e policial.
  25. 25. 1968: o ano que não terminou. • Após a morte de Edson Luis, as passeatas multiplicaram-se pelas capitais – “ Neste luto, a luta começou.” • Greves em Contagem e Osasco. • A seqüência de manifestações reprimidas violentamente por todo o país acabou por despertar a indignação das classes médias no Rio de Janeiro. • A sociedade indignada promove a Passeata dos Cem Mil, em 21 de junho de 1968. • O governo decidiu então ampliar os mecanismos de repressão de modo a “acabar com os subversivos”. • Nos dias 02 e 03 de setembro de 1968, o jovem deputado Márcio Moreira Alves, do MDB da Guanabara, usou a Tribuna do Congresso para fazer um discurso inflamado contra a ditadura.
  26. 26. Defendendo a segurança nacional... blábláblá • Com a “desculpa” de salvar o Brasil dos comunistas, os militares criaram a Lei de Segurança Nacional. • Segundo essa lei, qualquer oposição ao governo era considerada um crime chamado SUBVERSÃO e os subversivos eram perseguidos, presos, torturados e mortos.. • Lei de Imprensa (1967): instalou a censura no Brasil. • SNI: Serviço Nacional de Informação – “CIA brasileira”, tinha a função de identificar inimigos do regime militar.
  27. 27. Caça aos “subversivos”
  28. 28. • Dois grupos de esquerda, O MR-8 e a ALN sequestram o embaixador dos EUA Charles Elbrick. MR 8 - uma organização brasileira de esquerda, de orientação marxista-leninista, participou da combate armado ao regime militar, tinha como objetivo a instalação de um Estado socialista de inspiração soviética no Brasil. Seu nome lembra a data em que foi capturado pela CIA, na Bolívia, o guerrilheiro argentino Ernesto "Che" Guevara. • Os guerrilheiros exigem a libertação de 15 presos políticos, exigência conseguida com sucesso.
  29. 29. No final de 1969, o líder da ALN, Carlos Mariguella, foi morto pelas forças de repressão em São Paulo O comandante Carlos Marighella dedicou toda sua vida à causa da libertação dos povos. Com quarenta anos de militância, iniciada no Partido Comunista Brasileiro (PCB), foi assassinado pela ditadura militar em 1969, aos 57 anos
  30. 30. GOVERNO MEDICI (1969-1974) Seu governo é considerado o mais duro e repressivo do período, conhecido como " anos de chumbo " .
  31. 31. • A repressão à luta armada cresce e uma severa política de censura é colocada em execução. Jornais, revistas, livros, peças de teatro, filmes, músicas e outras formas de expressão artística são censuradas. • Muitos professores, políticos, músicos, artistas e escritores são investigados, presos, torturados ou exilados do país.
  32. 32. DOI-Codi • Destacamento de Operações e Informações e ao Centro de Operações de Defesa Interna • atua como centro de investigação e repressão do governo militar. • Ganha força no campo a guerrilha rural, principalmente no Araguaia. • A guerrilha do Araguaia é fortemente reprimida pelas forças militares.
  33. 33. Verificando o que você aprendeu p. 10 e 11 1- Por que os Atos Institucionais? R: Porque o Ato Institucional não precisa ser aprovado pelo Congresso, dando ao presidente poderes ilimitados. 2- Finalidade da Lei de Imprensa de 1967. R: Instaurar a censura no Brasil, oficializando o cargo público de censor e a “censura prévia” dos meios de comunicação. 3- Relacione guerrilhas urbanas e rurais como opção de luta. R: O endurecimento do regime militar fez com que grupos de esquerda optassem pela luta armada, incentivados também pela vitória da guerrilha em Cuba
  34. 34. Tarefa aula 43 p.43 1- Significado de FARC R: Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia 2- Base ideológica inicial. R: Movimento de guerrilha de inspiração marxista. Combatiam ditaduras e defendiam mudanças sociais. 3- Atuação das FARC hoje. R: Praticam sequestros de políticos, militares, civis. Usam violência, recrutam crianças e adolescentes para o narcotráfico.
  35. 35. Aula 44: Os rumos da economia brasileira
  36. 36. O Milagre Econômico (1969-73) • O PIB brasileiro crescia a uma taxa de quase 12% ao ano, enquanto a inflação beirava os 18%. • Com investimentos internos e empréstimos do exterior, o país avançou em infraestrutura. • estes investimentos geraram milhões de empregos pelo país. Algumas obras, consideradas faraônicas, foram executadas, como a Rodovia Transamazônica e a Ponte Rio-Niteroi.
  37. 37. Março / 2008
  38. 38. custo altíssimo e a conta deveria ser paga no futuro. Os empréstimos estrangeiros geraram uma dívida externa elevada para os padrões econômicos do Brasil.
  39. 39. Analisar números p.12 e 13 1-Análise gráfico R: Crescimento econômico do país caiu em 1962-63. A partir de 64, com o Plano de Ação Econômica do Governo – PAEG, houve um controle da inflação e o crescimento da economia. 2- O tal “Milagre Brasileiro” foi o quê mesmo??? R: A partir de empréstimos, o governo conseguiu fazer a inflação cair e o PIB cresceu 10% ao ano, dando a impressão de que o Brasil estaria vivendo um milagre econômico como o Japão e Alemanha após a guerra. Houve expansão do crédito e estímulo à poupança. O Brasil era anunciado como o país do futuro.
  40. 40. O fim do “milagre” p.16 1- Efeitos imediatos do “milagre”. R: Centros urbanos foram invadidos por shopping centers e novos produtos, crescimento das cidades. 2- A classe média e o “milagre” R: Com o crescimento dos salários e queda da inflação, a classe média pode consumir mais, adquirindo novos produtos devido a facilidade de crédito. 3- Os pobres e o “milagre” R: O arrocho salarial e a inflação que retornou no fim do milagre aumentou as desigualdades sociais no país.
  41. 41. Tarefa de casa p.44 • Rodovia Transamazônica A Rodovia Transamazônica (BR-230) é uma rodovia brasileira, projetada durante o governo do presidente Emílio Garrastazu Médici(1969 a 1974), sendo uma das chamadas "obras faraônicas" devido às suas proporções gigantescas, realizadas pelo regime militar. É a terceira maior rodovia do Brasil, com 4 223 km de comprimento, ligando Cabedelo, na Paraíba à Lábrea, no Amazonas, cortando sete estados brasileiros; Paraíba, Ceará, Piauí, Maranhão, Tocantins, Pará e Amazonas. Nasce na cidade de Cabedelo, na Paraíba, e segue até Lábrea, no Amazonas. É classificada como rodovia transversal. Em grande parte, principalmente no Pará e no Amazonas, a rodovia não é pavimentada.
  42. 42. Hidreletrica de Itaipu • • A Usina Hidrelétrica de Itaipu (em espanhol: Itaipú, em guarani: Itaipu) é uma usina hidrelétrica binacional localizada no Rio Paraná, na fronteira entre o Brasil e o Paraguai. Construída por ambos os países no período de 1975 a 1982, Itaipu é, hoje, a maior usina geradora de energia do mundo.1 O nome Itaipu foi tirada de uma ilha que existia perto do local de construção. No idioma tupi-guarani, o termo significa "pedra na qual a água faz barulho", através da junção dos termos itá (pedra), 'y (água) e pu (barulho)2 . A barragem é a maior unidade operacional hidrelétrica em termos de geração de energia anual, gerando 91,6 TWh em 2009, enquanto a geração de energia anual da Barragem das Três Gargantas, na China, foi de 79,4 TWh em 2009.3 Com seu lago perfazendo uma área de 1 350 quilômetros quadrados, indo de Foz do Iguaçu, no Brasil e Ciudad del Este, no Paraguai, até Guaíra e Salto del Guairá, 150 quilômetros ao norte, além de suas vinte unidades geradoras de setecentos megawatts cada, Itaipu tem uma potência de geração de 14 000 megawatts. É um empreendimento binacional administrada por Brasil e Paraguai no rio Paraná na seção de fronteira entre os dois países, a 15 km ao norte daPonte da Amizade. A capacidade instalada de geração da usina é de 14 GW, com 20 unidades geradoras fornecendo 700 MW cada e projeto hidráulico de 118 m. No ano de 2012, a usina bateu o antigo recorde de produção de 2008, agora com 98.287.128 megawatts-hora (MWh).4
  43. 43. Aula 46: Abertura política e redemocratização no Brasil
  44. 44. GOVERNO GEISEL (1974-1979) • Anuncia a abertura política lenta, gradual e segura; • Seu governo coincide com o fim do milagre econômico e com a insatisfação popular em altas taxas. • A crise do petróleo e a recessão mundial interferem na economia brasileira, no momento em que os créditos e empréstimos internacionais diminuem. A oposição política começa a ganhar espaço (MDB) • militares de linha dura começam a promover ataques clandestinos aos membros da esquerda. • Em 1978, Geisel acaba com o AI-5, restaura o habeas-corpus e abre caminho para a volta da democracia no Brasil A vitória do MDB nas eleições em 1978 começa a acelerar o processo de redemocratização
  45. 45. Herzog • A morte do jornalista Vladimir Herzog, nos porões do DOI-CODI, provocou indignação e fez com que Geisel apressasse a mudança na imagem da ditadura.
  46. 46. Em janeiro de 1976, o operário Manuel Fiel Filho Aparece morto em situação semelhante
  47. 47. GOVERNO FIGUEIREDO (19791985) • Anistia, concedendo o direito de retorno ao Brasil para os políticos, artistas e demais brasileiros exilados e condenados por crimes políticos. • No dia 30 de Abril de 1981, uma bomba explode durante um show no centro de convenções do Rio Centro. O atentado fora provavelmente promovido por militares de linha dura, embora até hoje nada tenha sido provado.
  48. 48. • Em 1979, o governo aprova lei que restabelece o pluripartidarismo no país. • Os partidos voltam a funcionar dentro da normalidade. • A ARENA passa a ser PDS, • enquanto o MDB passa a ser PMDB. • Outros partidos são criados, como : • Partido dos Trabalhadores ( PT ) • o Partido Democrático Trabalhista ( PDT ).
  49. 49. A Redemocratização Nos últimos anos do governo militar, o Brasil apresenta vários problemas.
  50. 50. A Redemocratização A inflação é alta e a recessão também.  Enquanto isso a oposição ganha terreno com o surgimento de novos partidos  e com o fortalecimento dos sindicatos.
  51. 51. Campanha pelas Diretas Já Em 1984, políticos de oposição, artistas, jogadores de futebol e milhões de brasileiros participam do movimento das Diretas Já.
  52. 52. Para a decepção do povo, a emenda não foi aprovada pela Câmara dos Deputados
  53. 53. Leitura do texto: Quando o amarelo virou esperança p.20 1- Bases do movimento “Diretas Já”. R: Coordenado pelo Comitê Nacional Pró-Diretas, reuniu partidos políticos de oposição ao regime militar, artistas, intelectuais, estudantes, sindicatos e trabalhadores que queriam a volta das eleições diretas para presidente. 2- Significado do uso da cor preta após a votação da emenda Dante de Oliveira. R: Por causa da sensação de luto nacional gerada pela derrota da Emenda Dante de Oliveira. Afinal, ainda não seria dessa vez que o país teria eleições diretas para presidente.
  54. 54. 15 de janeiro de 1985 Colégio Eleitoral escolheria o deputado Tancredo Neves, que concorreu com Paulo Maluf, como novo presidente da República.
  55. 55. Tancredo Neves  fazia parte da Aliança Democrática – o grupo de oposição formado pelo PMDB e pela Frente Liberal.  Era o fim do regime militar.  Porém Tancredo Neves fica doente antes de assumir e acaba falecendo.
  56. 56. Assume o vicepresidente José Sarney
  57. 57. Em 1988 é aprovada uma nova constituição para o Brasil.
  58. 58. A Constituição de 1988 apagou os rastros da ditadura militar e estabeleceu princípios democráticos no país.
  59. 59. Foi chamada de Constituição “Cidadã”
  60. 60.  Foi promulgada no dia 5 de outubro de 1988 com uma abordagem mais democrática em relação as demais constituições.  teve a colaboração e participação do povo, por meio de abaixoassinados, liderados pelos sindicatos de classe, entidades religiosas e demais segmentos da sociedade.
  61. 61. A classe trabalhadora adquiriu vários direitos:  licença maternidade para 120 dias,  licença paternidade de 5 dias,  redução da jornada de trabalho para 44 horas semanais,  direito à greve,  liberdade sindical,  abono de férias de um terço do salário,  13º salário para os aposentados.
  62. 62. mudanças para a consolidação da democracia o direito de voto aos analfabetos e facultativo aos jovens com idade entre 16 e 18 anos,  as eleições passaram a ser de dois turnos, para os cargos de presidente, governador e prefeito, no caso de prefeito ocorre segundo turno somente nas cidades que possuem mais de 200 mil habitantes.  mandato do presidente sofreu uma redução de 5 para 4 anos. 
  63. 63. ficou definido  implantação do divórcio  direitos da criança e adolescente.  racismo torna-se crime inafiançável com reclusão,  os índios foram reconhecidos como cultura, e o governo ficou incumbido de definir as terras reservadas a eles, além de garantir a sua proteção e de suas riquezas.
  64. 64. O Brasil “PósDitadura”
  65. 65. Governo José Sarney (1985 – 1989)  marcado pela crise econômica, desmandos administrativos e corrupção diversos planos econômicos, tentando conter a inflação  Plano Cruzado   1987 – Moratória = suspensão do pagamento da dívida externa
  66. 66. Governo Collor (1990 – 1992)  Filho da oligarquia de Alagoas  NEOLIBERALISMO - redução do papel do Estado - abertura da economia (não consegue aplicar)
  67. 67.  PLANO COLLOR - programa de estabilização - confisco das poupanças - não funciona – suspeitas de corrupção (PC Farias = “bode expiatório)  1991 – denúncias da imprensa envolvem o presidente  1992
  68. 68.  CPI, manifestações por todo o Brasil “cara-pintadas”  IMPEACHMENT (Impedimento) - direitos políticos cassados por 8 anos - denunciado por crime de formação de quadrilha e corrupção  RENÚNCIA
  69. 69. Governo Itamar Franco (1992 – 1995) - “nacionalista”, barra o neoliberalismo  PLEBISCITO (abril-93) - vence o presidencialismo / república  PLANO REAL - aplicado em 1994, traz bons resultados - lança o ministro da fazenda, FHC para presidente
  70. 70. - Combate à inflação Sucessão presidencial  PLANO REAL - aplicado em 1994, apoiado pela elite conseguiu conter a inflação, equiparando nossa moeda ao dólar. Os bons resultados levam o ministro da fazenda, FHC à presidência.
  71. 71. Governos FHC I e II (1995 – 1998 – 2002)
  72. 72. “o homem do real” “intelectual de esquerda” → NEOLIBERALISMO  MERCOSUL = Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai - passa a vigorar a partir de 1995
  73. 73.  REFORMA CONSTITUCIONAL - quebra dos monopólios do petróleo e das telecomunicações - privilégios aos capitais estrangeiros  PLANO REAL - controle da inflação - recessão econômica (FMI)
  74. 74.  REELEIÇÃO - acusação de compras de votos para alterar a constituição - tentativa de CPI não se realiza  SOCIAL - assistencialismo (bolsa-escola, bolsaalimentação...)
  75. 75. EDUCAÇÃO - ampliação do número de crianças escolarizadas - processo de desmonte das universidades públicas - aumento recorde das universidades particulares  SAÚDE - continua em condições lamentáveis → JOSÉ SERRA (ministro) - campanha contra o tabaco - remédios genéricos - quebra de patentes   “Lula Light”, com aval dos setores conservadores, vence as eleições
  76. 76. Governo Lula (2002 - 2010)  pernambucano, líder sindical, fundador do Partido dos Trabalhadores  OUT / 2002 = vence José Serra com votação recorde  “a esperança venceu o medo”
  77. 77. Governo Dilma (2011-)

×