SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
Baixar para ler offline
● Modificações do meio ambiente pela ação do
homem
● Desmatamento de Mata Atlântica
● Impactos com a construção do Porto de Suape
● Exploração de recurso energéticos
● Impactos da poluição atmosférica
● Poluição dos rios e das praias
● Impactos com a construção da Via Mangue
● Ações que podem acabar ou diminuir os impactos
ambientais
Paisagem Natural Paisagem Modificada
Desmatamento na Mata Atlântica tem queda de 24%,
segundo relatório
Mata Atlântica Desmatamento
Plantação de
Cana-de-
açúcar
Complexo Industrial e Portuário de Suape vem sendo apontado como fator contribuinte do aumento de ataques de
tubarão.
Estuário, local muito
procurado por
tubarões à busca de
alimento e desova.
Enrocamento – Colocação de maciço de pedras,
anterior à construção de cais
● Eliminação das margens naturais
● Modificação do regime de ondas e marés
● Inundações e erosão
● Prejudicando a fauna e a flora local
Aterro – Obra construída por um maciço artificial de
terras
● Modificação do regime de ondas, marés e o
aumento de inundação
● Diminuição do contato de espécies em estuários
Supressão de vegetação – Retirada da vegetação
● Erosão das margens dos rios
● Remoção de Manguezais
● Aumente da turbidez
● Aumento do assoreamento
● Desequilíbrio populacional natural das espécies
● Desaparecimento de algumas espécies
Derrocamento – Rompimento do arenito do cordão
de arrecifes por perfuração e colocação de
explosivos, com posterior retirada através de
drenagem.
● Retirada parcial dos arrecifes
● Modificação do regime de ondas, marés e
correntes
● Erosão
RefinariaAbreueLima(PE)
Recursos
Naturais
Recursos renováveis
Todos aqueles que existem na
natureza em abundância e que
facilmente se renovam
Recursos não renováveis
Todos aqueles que se encontram na
natureza em quantidades limitadas
www.suapeenergia.com.br
Ter a maior termelétrica do Brasil é motivo de
orgulho?
Cidadão pode denunciar fumaça preta
lançada diretamente na atmosfera
pelos veículos movidos a óleo diesel
Usina Termelétrica é uma instalação industrial usada para geração de energia elétrica a partir da energia
liberada em forma de calor, normalmente por meio da combustão de algum tipo de combustível não renovável.
Com isso há uma grande liberação de poluentes na atmosfera. Estes poluentes são responsáveis pela geração
do efeito estufa e do aumento do aquecimento global. Portanto, este tipo de energia é altamente prejudicial ao
meio ambiente.
Contraste entre as águas do rio afluente Duas Unas e o rio
Jaboatão, isso devido à poluição industrial, mudando a
coloração do Rio principal de beje para preta.
derramamento de
esgoto
Assoreamento do Rio Jaboatão que está tão raso que até os
pequenos animais atravessam a pé
Acúmulo de algas,
indicam poluição no
rio Capibaribe.
Fenômeno conhecido
como Maré Verde foi
identificado por
pesquisadores.
As baronesas são plantas aquáticas
bioindicadoras de poluição
Poluição do Rio
Capibaribe -
moradores não
respeitam o meio
ambienteMilhares
de peixes
aparecem
morto
devido a
poluição
do
Capibaribe
Lixo acumulado faz praia de Rio Doce parecer
um aterro sanitário
derramamento de
esgoto para a água do
oceano
Sujeira impera na Praia de Del Chifre em Olinda
Em alguns locais, ainda é possível ver resto de
material e lixo espalhado
Degradação já faz parte da paisagem, como
lixo e entulhos acumulados sob os viadutos
Reflorestamento da mata atlântica
Tratamento do esgoto urbano
promoção da reciclagem;
reutilização de
determinados produtos, por
exemplo a utilização de
garrafas de vidro em
substituição das de plástico
descartáveis.
Alunos: Marcílio Beijamim
Matheus Vinícius
Carlos Henrique

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Solos: origem, evolução, degradação e conservação
Solos: origem, evolução, degradação e conservaçãoSolos: origem, evolução, degradação e conservação
Solos: origem, evolução, degradação e conservaçãoRodrigo Pavesi
 
Geografia Do Brasil RegiõEs
Geografia Do Brasil   RegiõEsGeografia Do Brasil   RegiõEs
Geografia Do Brasil RegiõEsMateus Silva
 
MOVIMENTOS SOCIAIS_NEGROS_INDÍGENAS E MULHERES_9º ANO.pptx
MOVIMENTOS SOCIAIS_NEGROS_INDÍGENAS E MULHERES_9º ANO.pptxMOVIMENTOS SOCIAIS_NEGROS_INDÍGENAS E MULHERES_9º ANO.pptx
MOVIMENTOS SOCIAIS_NEGROS_INDÍGENAS E MULHERES_9º ANO.pptxAntonioVieira539017
 
A formação do território brasileiro - 7º ano
A formação do território brasileiro - 7º anoA formação do território brasileiro - 7º ano
A formação do território brasileiro - 7º anoJosi Zanette do Canto
 
Tipos de solos
Tipos de solosTipos de solos
Tipos de solosdela28
 
2 geografia
2  geografia2  geografia
2 geografiaMayjö .
 
Hidrosfera -- Revisão 6º ano
Hidrosfera -- Revisão 6º anoHidrosfera -- Revisão 6º ano
Hidrosfera -- Revisão 6º anoJosecler Rocha
 
Ciêcias- A Erosão , tipos de erosão
Ciêcias- A Erosão , tipos de erosãoCiêcias- A Erosão , tipos de erosão
Ciêcias- A Erosão , tipos de erosãoJaicinha
 
Formação do território brasileiro!
Formação do território brasileiro!Formação do território brasileiro!
Formação do território brasileiro!Marcelo Caetano
 

Mais procurados (20)

Solos: origem, evolução, degradação e conservação
Solos: origem, evolução, degradação e conservaçãoSolos: origem, evolução, degradação e conservação
Solos: origem, evolução, degradação e conservação
 
Powerpoint Solo
Powerpoint   SoloPowerpoint   Solo
Powerpoint Solo
 
Setores da economia
Setores da economiaSetores da economia
Setores da economia
 
Geografia Do Brasil RegiõEs
Geografia Do Brasil   RegiõEsGeografia Do Brasil   RegiõEs
Geografia Do Brasil RegiõEs
 
MOVIMENTOS SOCIAIS_NEGROS_INDÍGENAS E MULHERES_9º ANO.pptx
MOVIMENTOS SOCIAIS_NEGROS_INDÍGENAS E MULHERES_9º ANO.pptxMOVIMENTOS SOCIAIS_NEGROS_INDÍGENAS E MULHERES_9º ANO.pptx
MOVIMENTOS SOCIAIS_NEGROS_INDÍGENAS E MULHERES_9º ANO.pptx
 
Hidrografia do brasil
Hidrografia do brasilHidrografia do brasil
Hidrografia do brasil
 
Rios
RiosRios
Rios
 
A formação do território brasileiro - 7º ano
A formação do território brasileiro - 7º anoA formação do território brasileiro - 7º ano
A formação do território brasileiro - 7º ano
 
Tipos de solos
Tipos de solosTipos de solos
Tipos de solos
 
Cartografia
CartografiaCartografia
Cartografia
 
2 geografia
2  geografia2  geografia
2 geografia
 
Paisagem, espaço e lugar
Paisagem, espaço e lugarPaisagem, espaço e lugar
Paisagem, espaço e lugar
 
Hidrosfera -- Revisão 6º ano
Hidrosfera -- Revisão 6º anoHidrosfera -- Revisão 6º ano
Hidrosfera -- Revisão 6º ano
 
Ciêcias- A Erosão , tipos de erosão
Ciêcias- A Erosão , tipos de erosãoCiêcias- A Erosão , tipos de erosão
Ciêcias- A Erosão , tipos de erosão
 
Formação do território brasileiro!
Formação do território brasileiro!Formação do território brasileiro!
Formação do território brasileiro!
 
População Brasileira
População BrasileiraPopulação Brasileira
População Brasileira
 
Grandes navegações
Grandes navegaçõesGrandes navegações
Grandes navegações
 
Hidrosfera: as Águas Continentais
Hidrosfera: as Águas ContinentaisHidrosfera: as Águas Continentais
Hidrosfera: as Águas Continentais
 
INDICADORES SOCIAIS
INDICADORES SOCIAISINDICADORES SOCIAIS
INDICADORES SOCIAIS
 
Paisagem
PaisagemPaisagem
Paisagem
 

Destaque

1 ecologia social 14-9
1   ecologia social 14-91   ecologia social 14-9
1 ecologia social 14-9Gabriel Nabuco
 
Apresentação - Economia da Natureza - Parte I
Apresentação - Economia da Natureza - Parte IApresentação - Economia da Natureza - Parte I
Apresentação - Economia da Natureza - Parte IJanaina Alves
 
A história da devastação da mata atlântica
A história da devastação da mata atlânticaA história da devastação da mata atlântica
A história da devastação da mata atlânticaVerde Mais Verde
 
Brasil colonial inicio da colonização
Brasil colonial inicio da colonizaçãoBrasil colonial inicio da colonização
Brasil colonial inicio da colonizaçãoMarcia Dias da Silva
 
Brasil colônia final
Brasil colônia  finalBrasil colônia  final
Brasil colônia finalKerol Brombal
 
Bioma Restinga
Bioma   RestingaBioma   Restinga
Bioma RestingaJade
 
Biomas do brasil (Prof° Elves Alves)
Biomas do brasil (Prof° Elves Alves)Biomas do brasil (Prof° Elves Alves)
Biomas do brasil (Prof° Elves Alves)elves0927
 
2º ano - aula 4 - Colonização Espanhola
2º ano - aula 4 - Colonização Espanhola 2º ano - aula 4 - Colonização Espanhola
2º ano - aula 4 - Colonização Espanhola Dilmara Faria
 
Paisagem Natural E Paisagem Modificada Pelo Homem
Paisagem Natural E Paisagem Modificada Pelo HomemPaisagem Natural E Paisagem Modificada Pelo Homem
Paisagem Natural E Paisagem Modificada Pelo HomemTHELMA OLIVEIRA
 
PAISAGENS / BIOMAS DO BRASIL
PAISAGENS / BIOMAS DO BRASILPAISAGENS / BIOMAS DO BRASIL
PAISAGENS / BIOMAS DO BRASILjopago2012
 
Brasil Pré Colonial (1500 1530)
Brasil Pré Colonial (1500 1530)Brasil Pré Colonial (1500 1530)
Brasil Pré Colonial (1500 1530)dmflores21
 
Apresentação paisagem natural x humanizada
Apresentação paisagem natural x humanizadaApresentação paisagem natural x humanizada
Apresentação paisagem natural x humanizadaRoberta Piozzi
 

Destaque (16)

Radcbhsmt relatorio
Radcbhsmt relatorioRadcbhsmt relatorio
Radcbhsmt relatorio
 
1 ecologia social 14-9
1   ecologia social 14-91   ecologia social 14-9
1 ecologia social 14-9
 
Apresentação - Economia da Natureza - Parte I
Apresentação - Economia da Natureza - Parte IApresentação - Economia da Natureza - Parte I
Apresentação - Economia da Natureza - Parte I
 
A história da devastação da mata atlântica
A história da devastação da mata atlânticaA história da devastação da mata atlântica
A história da devastação da mata atlântica
 
Brasil colonial inicio da colonização
Brasil colonial inicio da colonizaçãoBrasil colonial inicio da colonização
Brasil colonial inicio da colonização
 
Brasil colônia final
Brasil colônia  finalBrasil colônia  final
Brasil colônia final
 
Bioma Restinga
Bioma   RestingaBioma   Restinga
Bioma Restinga
 
Biomas do brasil (Prof° Elves Alves)
Biomas do brasil (Prof° Elves Alves)Biomas do brasil (Prof° Elves Alves)
Biomas do brasil (Prof° Elves Alves)
 
Slaide 3º ano
Slaide 3º anoSlaide 3º ano
Slaide 3º ano
 
2º ano - aula 4 - Colonização Espanhola
2º ano - aula 4 - Colonização Espanhola 2º ano - aula 4 - Colonização Espanhola
2º ano - aula 4 - Colonização Espanhola
 
Paisagem Natural E Paisagem Modificada Pelo Homem
Paisagem Natural E Paisagem Modificada Pelo HomemPaisagem Natural E Paisagem Modificada Pelo Homem
Paisagem Natural E Paisagem Modificada Pelo Homem
 
PAISAGENS / BIOMAS DO BRASIL
PAISAGENS / BIOMAS DO BRASILPAISAGENS / BIOMAS DO BRASIL
PAISAGENS / BIOMAS DO BRASIL
 
Brasil Pré Colonial (1500 1530)
Brasil Pré Colonial (1500 1530)Brasil Pré Colonial (1500 1530)
Brasil Pré Colonial (1500 1530)
 
Apresentação paisagem natural x humanizada
Apresentação paisagem natural x humanizadaApresentação paisagem natural x humanizada
Apresentação paisagem natural x humanizada
 
Campanha da fraternidade 2017 agir
Campanha da fraternidade 2017   agirCampanha da fraternidade 2017   agir
Campanha da fraternidade 2017 agir
 
Biomas brasileiros
Biomas brasileirosBiomas brasileiros
Biomas brasileiros
 

Semelhante a Impactos Ambientais da Zona da Mata e Litoral de Pernambuco

Impactos Ambientais - Complexo Lagunar da Barra da Tijuca e Jacarepaguá.
Impactos Ambientais - Complexo Lagunar da Barra da Tijuca e Jacarepaguá.Impactos Ambientais - Complexo Lagunar da Barra da Tijuca e Jacarepaguá.
Impactos Ambientais - Complexo Lagunar da Barra da Tijuca e Jacarepaguá.Marina Godoy
 
Barragens que barram vidas, paisagens e sonhos – patrimónios que se afogam ir...
Barragens que barram vidas, paisagens e sonhos – patrimónios que se afogam ir...Barragens que barram vidas, paisagens e sonhos – patrimónios que se afogam ir...
Barragens que barram vidas, paisagens e sonhos – patrimónios que se afogam ir...Jorge Moreira
 
Jmab2012finalmente 120726203449-phpapp02
Jmab2012finalmente 120726203449-phpapp02Jmab2012finalmente 120726203449-phpapp02
Jmab2012finalmente 120726203449-phpapp02rcatanese
 
A questão da Água
A questão da ÁguaA questão da Água
A questão da Águaneusaazevedo
 
Exploração mineral e os impactos ambientais no município
Exploração mineral e os impactos ambientais no municípioExploração mineral e os impactos ambientais no município
Exploração mineral e os impactos ambientais no municípioInacia Lucia Medeiros
 
Recursos 10ºAno
Recursos  10ºAnoRecursos  10ºAno
Recursos 10ºAnoTânia Reis
 
Apresentação rio guandu
Apresentação  rio guanduApresentação  rio guandu
Apresentação rio guanduJoão Silva
 
Apresentação rio guandu
Apresentação  rio guanduApresentação  rio guandu
Apresentação rio guanduJoão Silva
 
T.I.G - Apresentação rio guandu
T.I.G - Apresentação  rio guanduT.I.G - Apresentação  rio guandu
T.I.G - Apresentação rio guanduJoão Silva
 
Apresentação rio guandu - T.I.G
Apresentação  rio guandu - T.I.GApresentação  rio guandu - T.I.G
Apresentação rio guandu - T.I.GJoão Silva
 
Poluição das Águas - Problemas Ambientais
Poluição das Águas - Problemas AmbientaisPoluição das Águas - Problemas Ambientais
Poluição das Águas - Problemas AmbientaisPanquecasSIAA
 
A terra vista como planeta azul
A terra vista como planeta azulA terra vista como planeta azul
A terra vista como planeta azulDiogo Batista
 
Mares e oceanos
Mares e oceanosMares e oceanos
Mares e oceanosMayjö .
 
Poluição e sobreexploração da água doce
Poluição e sobreexploração da água docePoluição e sobreexploração da água doce
Poluição e sobreexploração da água doceMiguel Monteiro
 
Poluição e sobreexploração da água doce
Poluição e sobreexploração da água docePoluição e sobreexploração da água doce
Poluição e sobreexploração da água doceMiguel Monteiro
 
Polucion de Rios
Polucion de RiosPolucion de Rios
Polucion de Riosfojedab
 

Semelhante a Impactos Ambientais da Zona da Mata e Litoral de Pernambuco (20)

Água - Geografia 9ºAno
Água - Geografia 9ºAnoÁgua - Geografia 9ºAno
Água - Geografia 9ºAno
 
Impactos Ambientais - Complexo Lagunar da Barra da Tijuca e Jacarepaguá.
Impactos Ambientais - Complexo Lagunar da Barra da Tijuca e Jacarepaguá.Impactos Ambientais - Complexo Lagunar da Barra da Tijuca e Jacarepaguá.
Impactos Ambientais - Complexo Lagunar da Barra da Tijuca e Jacarepaguá.
 
Barragens que barram vidas, paisagens e sonhos – patrimónios que se afogam ir...
Barragens que barram vidas, paisagens e sonhos – patrimónios que se afogam ir...Barragens que barram vidas, paisagens e sonhos – patrimónios que se afogam ir...
Barragens que barram vidas, paisagens e sonhos – patrimónios que se afogam ir...
 
Jmab2012finalmente 120726203449-phpapp02
Jmab2012finalmente 120726203449-phpapp02Jmab2012finalmente 120726203449-phpapp02
Jmab2012finalmente 120726203449-phpapp02
 
Jmab 2012 finalmente
Jmab 2012 finalmenteJmab 2012 finalmente
Jmab 2012 finalmente
 
A questão da Água
A questão da ÁguaA questão da Água
A questão da Água
 
Exploração mineral e os impactos ambientais no município
Exploração mineral e os impactos ambientais no municípioExploração mineral e os impactos ambientais no município
Exploração mineral e os impactos ambientais no município
 
Recursos 10ºAno
Recursos  10ºAnoRecursos  10ºAno
Recursos 10ºAno
 
Apresentação rio guandu
Apresentação  rio guanduApresentação  rio guandu
Apresentação rio guandu
 
Apresentação rio guandu
Apresentação  rio guanduApresentação  rio guandu
Apresentação rio guandu
 
T.I.G - Apresentação rio guandu
T.I.G - Apresentação  rio guanduT.I.G - Apresentação  rio guandu
T.I.G - Apresentação rio guandu
 
Apresentação rio guandu - T.I.G
Apresentação  rio guandu - T.I.GApresentação  rio guandu - T.I.G
Apresentação rio guandu - T.I.G
 
Poluição das Águas - Problemas Ambientais
Poluição das Águas - Problemas AmbientaisPoluição das Águas - Problemas Ambientais
Poluição das Águas - Problemas Ambientais
 
A terra vista como planeta azul
A terra vista como planeta azulA terra vista como planeta azul
A terra vista como planeta azul
 
Mares e oceanos
Mares e oceanosMares e oceanos
Mares e oceanos
 
A Agua
A AguaA Agua
A Agua
 
Poluição e sobreexploração da água doce
Poluição e sobreexploração da água docePoluição e sobreexploração da água doce
Poluição e sobreexploração da água doce
 
Poluição e sobreexploração da água doce
Poluição e sobreexploração da água docePoluição e sobreexploração da água doce
Poluição e sobreexploração da água doce
 
Recursos naturais ii
Recursos naturais iiRecursos naturais ii
Recursos naturais ii
 
Polucion de Rios
Polucion de RiosPolucion de Rios
Polucion de Rios
 

Mais de Ninho Cristo

Geografia dos Recursos Naturais e Fontes Energéticas
Geografia dos Recursos Naturais e Fontes EnergéticasGeografia dos Recursos Naturais e Fontes Energéticas
Geografia dos Recursos Naturais e Fontes EnergéticasNinho Cristo
 
Síndrome de Down, Triplo X e Asperger
Síndrome de Down, Triplo X e AspergerSíndrome de Down, Triplo X e Asperger
Síndrome de Down, Triplo X e AspergerNinho Cristo
 
Esportes Aquáticos
Esportes AquáticosEsportes Aquáticos
Esportes AquáticosNinho Cristo
 
Cores, ritmos e danças do nordeste
Cores, ritmos e danças do nordesteCores, ritmos e danças do nordeste
Cores, ritmos e danças do nordesteNinho Cristo
 
Julien Alden Weir, Marie Bracquemond, Theodore Robinson, Dennis Miller Bunker...
Julien Alden Weir, Marie Bracquemond, Theodore Robinson, Dennis Miller Bunker...Julien Alden Weir, Marie Bracquemond, Theodore Robinson, Dennis Miller Bunker...
Julien Alden Weir, Marie Bracquemond, Theodore Robinson, Dennis Miller Bunker...Ninho Cristo
 
Vegetação da zona da mata e litoral do nordeste
Vegetação da zona da mata e litoral do nordesteVegetação da zona da mata e litoral do nordeste
Vegetação da zona da mata e litoral do nordesteNinho Cristo
 
Papel Informativo sobre Dengue, Zika, Chikungunya e Sindrome de Guillain Barré
Papel Informativo sobre Dengue, Zika, Chikungunya e Sindrome de Guillain BarréPapel Informativo sobre Dengue, Zika, Chikungunya e Sindrome de Guillain Barré
Papel Informativo sobre Dengue, Zika, Chikungunya e Sindrome de Guillain BarréNinho Cristo
 
10 QUESTÕES DE VESTIBULARES
10 QUESTÕES DE VESTIBULARES10 QUESTÕES DE VESTIBULARES
10 QUESTÕES DE VESTIBULARESNinho Cristo
 
Exercício Sobre Nutrição Animal
Exercício Sobre Nutrição AnimalExercício Sobre Nutrição Animal
Exercício Sobre Nutrição AnimalNinho Cristo
 
Zoologia - Cordados: Aves
Zoologia - Cordados: AvesZoologia - Cordados: Aves
Zoologia - Cordados: AvesNinho Cristo
 
Aedes aegypti, um vetor sem controle
Aedes aegypti, um vetor sem controleAedes aegypti, um vetor sem controle
Aedes aegypti, um vetor sem controleNinho Cristo
 
A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA
A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRAA INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA
A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRANinho Cristo
 
A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA
A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRAA INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA
A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRANinho Cristo
 
Em busca das origens ~ a origem da vida
Em busca das origens ~ a origem da vidaEm busca das origens ~ a origem da vida
Em busca das origens ~ a origem da vidaNinho Cristo
 
MEIOS DE COMUNICAÇÃO DA EMPRESA
MEIOS DE COMUNICAÇÃO DA EMPRESAMEIOS DE COMUNICAÇÃO DA EMPRESA
MEIOS DE COMUNICAÇÃO DA EMPRESANinho Cristo
 
Fermentação biológica e láctea
Fermentação biológica e lácteaFermentação biológica e láctea
Fermentação biológica e lácteaNinho Cristo
 

Mais de Ninho Cristo (20)

Geografia dos Recursos Naturais e Fontes Energéticas
Geografia dos Recursos Naturais e Fontes EnergéticasGeografia dos Recursos Naturais e Fontes Energéticas
Geografia dos Recursos Naturais e Fontes Energéticas
 
Síndrome de Down, Triplo X e Asperger
Síndrome de Down, Triplo X e AspergerSíndrome de Down, Triplo X e Asperger
Síndrome de Down, Triplo X e Asperger
 
Esportes Aquáticos
Esportes AquáticosEsportes Aquáticos
Esportes Aquáticos
 
Trabalho Escravo
Trabalho EscravoTrabalho Escravo
Trabalho Escravo
 
Cores, ritmos e danças do nordeste
Cores, ritmos e danças do nordesteCores, ritmos e danças do nordeste
Cores, ritmos e danças do nordeste
 
Julien Alden Weir, Marie Bracquemond, Theodore Robinson, Dennis Miller Bunker...
Julien Alden Weir, Marie Bracquemond, Theodore Robinson, Dennis Miller Bunker...Julien Alden Weir, Marie Bracquemond, Theodore Robinson, Dennis Miller Bunker...
Julien Alden Weir, Marie Bracquemond, Theodore Robinson, Dennis Miller Bunker...
 
Vegetação da zona da mata e litoral do nordeste
Vegetação da zona da mata e litoral do nordesteVegetação da zona da mata e litoral do nordeste
Vegetação da zona da mata e litoral do nordeste
 
Papel Informativo sobre Dengue, Zika, Chikungunya e Sindrome de Guillain Barré
Papel Informativo sobre Dengue, Zika, Chikungunya e Sindrome de Guillain BarréPapel Informativo sobre Dengue, Zika, Chikungunya e Sindrome de Guillain Barré
Papel Informativo sobre Dengue, Zika, Chikungunya e Sindrome de Guillain Barré
 
10 QUESTÕES DE VESTIBULARES
10 QUESTÕES DE VESTIBULARES10 QUESTÕES DE VESTIBULARES
10 QUESTÕES DE VESTIBULARES
 
Oceania
OceaniaOceania
Oceania
 
Exercício Sobre Nutrição Animal
Exercício Sobre Nutrição AnimalExercício Sobre Nutrição Animal
Exercício Sobre Nutrição Animal
 
Zoologia - Cordados: Aves
Zoologia - Cordados: AvesZoologia - Cordados: Aves
Zoologia - Cordados: Aves
 
Aedes aegypti, um vetor sem controle
Aedes aegypti, um vetor sem controleAedes aegypti, um vetor sem controle
Aedes aegypti, um vetor sem controle
 
A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA
A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRAA INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA
A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA
 
A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA
A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRAA INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA
A INDUSTRIALIZAÇÃO BRASILEIRA
 
Em busca das origens ~ a origem da vida
Em busca das origens ~ a origem da vidaEm busca das origens ~ a origem da vida
Em busca das origens ~ a origem da vida
 
MEIOS DE COMUNICAÇÃO DA EMPRESA
MEIOS DE COMUNICAÇÃO DA EMPRESAMEIOS DE COMUNICAÇÃO DA EMPRESA
MEIOS DE COMUNICAÇÃO DA EMPRESA
 
Violência
ViolênciaViolência
Violência
 
Fermentação biológica e láctea
Fermentação biológica e lácteaFermentação biológica e láctea
Fermentação biológica e láctea
 
Sistema Solar
Sistema SolarSistema Solar
Sistema Solar
 

Último

cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOBiatrizGomes1
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 

Último (20)

cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptxSlides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
Slides Lição 03, Central Gospel, O Arrebatamento, 1Tr24.pptx
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 

Impactos Ambientais da Zona da Mata e Litoral de Pernambuco

  • 1. ● Modificações do meio ambiente pela ação do homem ● Desmatamento de Mata Atlântica ● Impactos com a construção do Porto de Suape ● Exploração de recurso energéticos ● Impactos da poluição atmosférica ● Poluição dos rios e das praias ● Impactos com a construção da Via Mangue ● Ações que podem acabar ou diminuir os impactos ambientais
  • 3. Desmatamento na Mata Atlântica tem queda de 24%, segundo relatório Mata Atlântica Desmatamento Plantação de Cana-de- açúcar
  • 4. Complexo Industrial e Portuário de Suape vem sendo apontado como fator contribuinte do aumento de ataques de tubarão. Estuário, local muito procurado por tubarões à busca de alimento e desova.
  • 5. Enrocamento – Colocação de maciço de pedras, anterior à construção de cais ● Eliminação das margens naturais ● Modificação do regime de ondas e marés ● Inundações e erosão ● Prejudicando a fauna e a flora local Aterro – Obra construída por um maciço artificial de terras ● Modificação do regime de ondas, marés e o aumento de inundação ● Diminuição do contato de espécies em estuários Supressão de vegetação – Retirada da vegetação ● Erosão das margens dos rios ● Remoção de Manguezais ● Aumente da turbidez ● Aumento do assoreamento ● Desequilíbrio populacional natural das espécies ● Desaparecimento de algumas espécies Derrocamento – Rompimento do arenito do cordão de arrecifes por perfuração e colocação de explosivos, com posterior retirada através de drenagem. ● Retirada parcial dos arrecifes ● Modificação do regime de ondas, marés e correntes ● Erosão
  • 6. RefinariaAbreueLima(PE) Recursos Naturais Recursos renováveis Todos aqueles que existem na natureza em abundância e que facilmente se renovam Recursos não renováveis Todos aqueles que se encontram na natureza em quantidades limitadas
  • 7. www.suapeenergia.com.br Ter a maior termelétrica do Brasil é motivo de orgulho? Cidadão pode denunciar fumaça preta lançada diretamente na atmosfera pelos veículos movidos a óleo diesel Usina Termelétrica é uma instalação industrial usada para geração de energia elétrica a partir da energia liberada em forma de calor, normalmente por meio da combustão de algum tipo de combustível não renovável. Com isso há uma grande liberação de poluentes na atmosfera. Estes poluentes são responsáveis pela geração do efeito estufa e do aumento do aquecimento global. Portanto, este tipo de energia é altamente prejudicial ao meio ambiente.
  • 8. Contraste entre as águas do rio afluente Duas Unas e o rio Jaboatão, isso devido à poluição industrial, mudando a coloração do Rio principal de beje para preta. derramamento de esgoto Assoreamento do Rio Jaboatão que está tão raso que até os pequenos animais atravessam a pé
  • 9. Acúmulo de algas, indicam poluição no rio Capibaribe. Fenômeno conhecido como Maré Verde foi identificado por pesquisadores. As baronesas são plantas aquáticas bioindicadoras de poluição Poluição do Rio Capibaribe - moradores não respeitam o meio ambienteMilhares de peixes aparecem morto devido a poluição do Capibaribe
  • 10. Lixo acumulado faz praia de Rio Doce parecer um aterro sanitário derramamento de esgoto para a água do oceano Sujeira impera na Praia de Del Chifre em Olinda
  • 11. Em alguns locais, ainda é possível ver resto de material e lixo espalhado Degradação já faz parte da paisagem, como lixo e entulhos acumulados sob os viadutos
  • 12. Reflorestamento da mata atlântica Tratamento do esgoto urbano promoção da reciclagem; reutilização de determinados produtos, por exemplo a utilização de garrafas de vidro em substituição das de plástico descartáveis.
  • 13. Alunos: Marcílio Beijamim Matheus Vinícius Carlos Henrique