SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 26
Baixar para ler offline
www.facebook/demetrio.melo.71
www.melo-geografia.blogspot.com
www.slideshare.net/Demetrio33
Identificar os principais impactos ambientais
decorrentes das atividades da agropecuária
brasileira;
Relacionar o papel dos sistemas agrícolas com o
desenvolvimento sustentável.
O processo de desenvolvimento do espaço agrário brasileiro tem
rapidamente modificado os sistemas naturais, resultando em
vastas áreas com solos erodidos, rios assoreados, frequentes
queimadas, com o agravante de ver reduzir a imensa
biodiversidade nacional.
A mecanização agrícola transforma as relações de produção tão
rapidamente que é praticamente impossível impedir os processos
de poluição.
No entanto, existem formas menos impactantes de se produzir,
como manejo adequado dos solos e consorciando diferentes
culturas agrícolas, além atual agricultura orgânica.
Com a expansão da fronteira agrícola nacional o desmatamento
é um dos maiores problemas da Amazônia Legal.
Os sojicultores e pecuaristas estão sempre eliminando vegetação
para ampliar as áreas de produção, no entanto os solos
amazônicos são inférteis que acarretam em baixa produtividade
por hectare, e são rapidamente abandonados. Com as primeiras
chuvas há grande material carreado para os rios.
Fonte: INPE
Preservação
Final do século XIX nos
EUA surgiu uma corrente
radical que propunha a
criação de reservas
“intocáveis”. Esta linha de
pensamento é contrária a
todas as formas de uso
dos recursos naturais.
Conservação
Também nos EUA na
mesma época a corrente
de pensamento mais
liberal, propõe o
desenvolvimento
econômico em
consonância ao
crescimento material e
econômico da sociedade.
Desenvolvimento Sustentável
Este termo tenta conciliar as duas visões sobre os recursos naturais, desde a ECO-
92 que os documentos da ONU tratam de um modelo de desenvolvimento que
permita a sustentabilidade ambiental e econômica nos países.
Competência de Área
Competência de área 6 - Compreender a sociedade e a
natureza, reconhecendo suas interações no espaço em
diferentes contextos históricos e geográficos.
Habilidades
H26 - Identificar em fontes diversas o processo de ocupação dos
meios físicos e as relações da vida humana com a paisagem.
H28 - Relacionar o uso das tecnologias com os impactos
socioambientais em diferentes contextos histórico-geográficos.
http://melo-geografia.blogspot.com.br/2013/06/diretrizes-
curriculares-em-geografia.html
Os domínios brasileiros
resultam da interação entre
os fatores do clima,
estrutura geológica e
pedológica, além da
capacidade hidrográfica.
O relevo é também um
importante fator
fitogeográfico na
determinação dos domínios
morfoclimáticos.
Os solos são resultado do intemperismo químico, físico e biológico.
O solo é um ecossistema, que depende da constante interação entre
bactérias, fungos, animais e vegetais.
A erosão é o grande destruidor do solo.
Como vimos o solo depende das condições específicas: a estrutura
das rochas, o tipo de clima e a interação constante dos micro-
organismos, que poderão resultar em solos profundos ou rasos.
O manejo adequado do solo
requer técnicas em diferentes
declives e atividades
específicas.
Em declive acentuado pode
acarretar em assoreamento
de riachos e rios.
O plantio em curvas de nível respeitam a topografia, já que a
plantação é paralela a cada nível de altitude. Isso reduz os efeitos
do escoamento superficial da água.
Nos Andes Peruanos
Terraços de Arroz
na China
Plantio em curvas de
nível
Voçoroca aberta em
região de campos
Cratera aberta por conta da
redução da cobertura vegetal
A manutenção da vegetação e melhorar o padrão de drenagem podem
reduzir os impactos sobre os solos e evitar maiores desastres.
Nova Friburgo em 2011.
Deslizamento de terra
provocou centenas de mortos
e milhares de desabrigados.
Imagem da CPTEC.
Boletim de alerta havia sido
emitido antes da tragédia.
Com a forte valorização no mercado mundial da soja e da carne
bovina o Brasil vem expandindo a sojicultura e a pecuária bovina
sobre a Amazônia.
Desmatamento, poluição de rios e assoreamento são consequências
do “progresso”.
Expansão da soja
com estímulos do
Governo Federal
desde a década
de 1970.
Região Pioneira
Década de 1970
Década de 1990
Década de 2000
MAPITOBA
Como se observa os tipos de usos podem comprometer os solos.
Acarreta em lixiviação, laterização e assoreamento em declives.
São Paulo é o
maior produtor
mundial de cana
de açúcar.
A produção
sustenta um
importante
mercado mundial
de açúcar e o
fornecimento
energético para
combustível no
mercado interno.
Segundo a ANVISA
(Agência Nacional de
Vigilância Sanitária),
existem
aproximadamente 15 mil
formulações para 400
agrotóxicos diferentes,
sendo que cerca de 8 mil
encontram-se licenciadas
no Brasil, que é o maior
consumidor de
agrotóxicos no mundo.
Pensamento Verde
O País se tornou o
maior consumidor
de agrotóxicos do
mundo.
Os agrotóxicos
inibem o
desenvolvimento de
fungos e ervas
daninhas,
aumentando a
produtividade da
lavoura.
Para ver o vídeo clique no link: Agrotóxicos no Brasil
O Brasil não possui instrumento legal a respeito dos
limites de agrotóxicos presentes nos alimentos.
De forma per capita consumismo cerca de 5l/ano de
agrotóxicos. Na Europa cerca de 0,25l/ano.
Quanto maior o ciclo de
desenvolvimento vegetal maior
o tempo de exposição aos
agrotóxicos.
Como o morango que é
campeão em resíduos de
agrotóxicos.
• PERDAS DE SOLO AGRICULTÁVEIS;
• CONTAMINAÇÃO DOS AQUÍFEROS;
• REDUÇÃO DOS BIOMAS BRASILEIROS;
• CONTAMINAÇÃO DE ALIMENTOS POR AGROTÓXICOS;
• REDUÇÃO DE MANANCIAIS E RIOS;
• PERDAS DAS CULTURAS LOCAIS, COMO QUILOMBOLAS E
ÁREAS INDÍGENAS;
• DEPENDENCIA EXTERNA COM AS
COMMODITIES.
• Terras quilombolas: As comunidades quilombolas são grupos étnico-raciais,
segundo critérios de auto atribuição, com trajetória histórica própria, dotados de
relações territoriais específicas e com ancestralidade negra relacionada com a
resistência à opressão histórica sofrida, conforme Decreto nº 4887/03. Essas
comunidades possuem direito de propriedade de suas terras consagrado desde
a Constituição Federal de 1988.
• Intemperismo: O intemperismo, também conhecido como meteorização, consiste
na alteração física e química das rochas e de seus minerais. É um importante
agente no processo de formação de solos e modelador do relevo.
• Impacto ambiental ou poluição: (CONAMA) “considera-se impacto ambiental
qualquer alteração das propriedades físicas, químicas e biológicas do meio
ambiente, causada por qualquer forma de matéria ou energia resultante das
atividades humanas (...)”
• Desenvolvimento sustentável: “Atender às necessidades da atual geração, sem
comprometer a capacidade das futuras gerações em prover suas próprias
demandas.”
• Agrotóxicos: substâncias utilizadas na produção agrícola com a finalidade de
controlar pragas para obter aumento de produtividade por hectare.
http://www.camp.org.br/?canal=noticias&id=455
http://greenstyle.com.br/tag/agrotoxicos/
http://www.mst.org.br/Campanha-contra-o-uso-de-agrotoxicos
http://oglobo.globo.com/infograficos/agrotoxicos-servico/
http://planetadoalan.blogspot.com.br/2010/11/fases-do-
avanco-do-desmatamento.html
http://www.conservation.org.br/
Bons estudos
Entre em contato para maiores esclarecimentos:
www.facebook.com/demetrio.melo.71
www.melo-geografia.blogspot.com
www.slideshare.net/Demetrio33
Prof. Demétrio Melo

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mais procurados (20)

Agricultura no brasil
Agricultura no brasilAgricultura no brasil
Agricultura no brasil
 
Agricultura no Brasil
Agricultura no BrasilAgricultura no Brasil
Agricultura no Brasil
 
Os Recursos Naturais
Os Recursos NaturaisOs Recursos Naturais
Os Recursos Naturais
 
Agricultura mundial
Agricultura mundialAgricultura mundial
Agricultura mundial
 
Agricultura
AgriculturaAgricultura
Agricultura
 
Agricultura sustentável
Agricultura sustentável Agricultura sustentável
Agricultura sustentável
 
Mudanças Climáticas
Mudanças ClimáticasMudanças Climáticas
Mudanças Climáticas
 
Meio ambiente e desenvolvimento sustentvel
Meio ambiente e desenvolvimento sustentvelMeio ambiente e desenvolvimento sustentvel
Meio ambiente e desenvolvimento sustentvel
 
Agricultura sustentável
Agricultura sustentávelAgricultura sustentável
Agricultura sustentável
 
Desenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento SustentávelDesenvolvimento Sustentável
Desenvolvimento Sustentável
 
Educação ambiental e sustentabilidade
Educação ambiental e sustentabilidadeEducação ambiental e sustentabilidade
Educação ambiental e sustentabilidade
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
 
Agroecologia hoje
Agroecologia hojeAgroecologia hoje
Agroecologia hoje
 
Impactos antrópicos nos ecossistemas
Impactos antrópicos nos ecossistemasImpactos antrópicos nos ecossistemas
Impactos antrópicos nos ecossistemas
 
Exploração e conservação de recursos naturais
Exploração e conservação de recursos naturaisExploração e conservação de recursos naturais
Exploração e conservação de recursos naturais
 
Aula 3 - fluxos migratórios
Aula 3 -  fluxos migratóriosAula 3 -  fluxos migratórios
Aula 3 - fluxos migratórios
 
Aquecimento global
Aquecimento globalAquecimento global
Aquecimento global
 
Aula: Consumismo e sustentabilidade
Aula: Consumismo e sustentabilidadeAula: Consumismo e sustentabilidade
Aula: Consumismo e sustentabilidade
 
Poluição ambiental
Poluição ambientalPoluição ambiental
Poluição ambiental
 
Conferências ambientais
Conferências ambientaisConferências ambientais
Conferências ambientais
 

Semelhante a Prof Demétrio Melo - Agropecuária e Impactos Socioambientais

AULA 1º ANO Capítulo 9 Erosão e contaminação dos solos.pptx
AULA 1º ANO Capítulo 9 Erosão e contaminação dos solos.pptxAULA 1º ANO Capítulo 9 Erosão e contaminação dos solos.pptx
AULA 1º ANO Capítulo 9 Erosão e contaminação dos solos.pptxssuser6b433b
 
Apostila de areas degradadas
Apostila de areas degradadasApostila de areas degradadas
Apostila de areas degradadasRômulo Magno
 
Aula 21 recuperação de áreas degradadas
Aula 21 recuperação de áreas degradadasAula 21 recuperação de áreas degradadas
Aula 21 recuperação de áreas degradadasHomero Alves de Lima
 
ACAO DO HOMEM NA FORMACAO VEGETAL.pptx
ACAO DO HOMEM NA FORMACAO VEGETAL.pptxACAO DO HOMEM NA FORMACAO VEGETAL.pptx
ACAO DO HOMEM NA FORMACAO VEGETAL.pptxOsneiCecchin
 
ACAO DO HOMEM NA FORMACAO VEGETAL.pptx
ACAO DO HOMEM NA FORMACAO VEGETAL.pptxACAO DO HOMEM NA FORMACAO VEGETAL.pptx
ACAO DO HOMEM NA FORMACAO VEGETAL.pptxOsneiCecchin
 
Poluição e agricultura
Poluição e agriculturaPoluição e agricultura
Poluição e agriculturaDenysson Amorim
 
Desertificação 9g
Desertificação  9gDesertificação  9g
Desertificação 9gMayjö .
 
W4_2ApresentaçãoFAO_AlanBojanic
W4_2ApresentaçãoFAO_AlanBojanicW4_2ApresentaçãoFAO_AlanBojanic
W4_2ApresentaçãoFAO_AlanBojanicequipeagroplus
 
A paisagem natural brasileira e a questão ambiental.ppt
A paisagem natural brasileira e a questão ambiental.pptA paisagem natural brasileira e a questão ambiental.ppt
A paisagem natural brasileira e a questão ambiental.pptJefersonVianaBorges
 
Informações sobre a perda da biodiversidade
Informações sobre a perda da biodiversidadeInformações sobre a perda da biodiversidade
Informações sobre a perda da biodiversidadefranciscaf
 
Carta dia 22 de maio - dia da biodiversidade e ameaças ao rs
Carta   dia 22 de maio - dia da biodiversidade e ameaças ao rsCarta   dia 22 de maio - dia da biodiversidade e ameaças ao rs
Carta dia 22 de maio - dia da biodiversidade e ameaças ao rsSEMAPI Sindicato
 
O brasil rural aula 16 setor 1701- 2010
O brasil rural   aula 16 setor 1701- 2010O brasil rural   aula 16 setor 1701- 2010
O brasil rural aula 16 setor 1701- 2010bruno rangel
 
Perda da biodiversidade
Perda da biodiversidadePerda da biodiversidade
Perda da biodiversidadefranciscaf
 
Redução da Biodiversidade
Redução da BiodiversidadeRedução da Biodiversidade
Redução da BiodiversidadeHugo Severino
 

Semelhante a Prof Demétrio Melo - Agropecuária e Impactos Socioambientais (20)

Mata atlântica
Mata atlântica Mata atlântica
Mata atlântica
 
AULA 1º ANO Capítulo 9 Erosão e contaminação dos solos.pptx
AULA 1º ANO Capítulo 9 Erosão e contaminação dos solos.pptxAULA 1º ANO Capítulo 9 Erosão e contaminação dos solos.pptx
AULA 1º ANO Capítulo 9 Erosão e contaminação dos solos.pptx
 
Apostila de areas degradadas
Apostila de areas degradadasApostila de areas degradadas
Apostila de areas degradadas
 
Apostila de areas degradadas
Apostila de areas degradadasApostila de areas degradadas
Apostila de areas degradadas
 
Aula 21 recuperação de áreas degradadas
Aula 21 recuperação de áreas degradadasAula 21 recuperação de áreas degradadas
Aula 21 recuperação de áreas degradadas
 
ACAO DO HOMEM NA FORMACAO VEGETAL.pptx
ACAO DO HOMEM NA FORMACAO VEGETAL.pptxACAO DO HOMEM NA FORMACAO VEGETAL.pptx
ACAO DO HOMEM NA FORMACAO VEGETAL.pptx
 
ACAO DO HOMEM NA FORMACAO VEGETAL.pptx
ACAO DO HOMEM NA FORMACAO VEGETAL.pptxACAO DO HOMEM NA FORMACAO VEGETAL.pptx
ACAO DO HOMEM NA FORMACAO VEGETAL.pptx
 
Desmatamento 2 C
Desmatamento 2 CDesmatamento 2 C
Desmatamento 2 C
 
Poluição e agricultura
Poluição e agriculturaPoluição e agricultura
Poluição e agricultura
 
Robson
RobsonRobson
Robson
 
Desertificação 9g
Desertificação  9gDesertificação  9g
Desertificação 9g
 
W4_2ApresentaçãoFAO_AlanBojanic
W4_2ApresentaçãoFAO_AlanBojanicW4_2ApresentaçãoFAO_AlanBojanic
W4_2ApresentaçãoFAO_AlanBojanic
 
A paisagem natural brasileira e a questão ambiental.ppt
A paisagem natural brasileira e a questão ambiental.pptA paisagem natural brasileira e a questão ambiental.ppt
A paisagem natural brasileira e a questão ambiental.ppt
 
Informações sobre a perda da biodiversidade
Informações sobre a perda da biodiversidadeInformações sobre a perda da biodiversidade
Informações sobre a perda da biodiversidade
 
Carta dia 22 de maio - dia da biodiversidade e ameaças ao rs
Carta   dia 22 de maio - dia da biodiversidade e ameaças ao rsCarta   dia 22 de maio - dia da biodiversidade e ameaças ao rs
Carta dia 22 de maio - dia da biodiversidade e ameaças ao rs
 
Biomas Naturais Do Brasil
Biomas Naturais Do BrasilBiomas Naturais Do Brasil
Biomas Naturais Do Brasil
 
Biomas naturais do brasil
Biomas naturais do brasilBiomas naturais do brasil
Biomas naturais do brasil
 
O brasil rural aula 16 setor 1701- 2010
O brasil rural   aula 16 setor 1701- 2010O brasil rural   aula 16 setor 1701- 2010
O brasil rural aula 16 setor 1701- 2010
 
Perda da biodiversidade
Perda da biodiversidadePerda da biodiversidade
Perda da biodiversidade
 
Redução da Biodiversidade
Redução da BiodiversidadeRedução da Biodiversidade
Redução da Biodiversidade
 

Mais de Deto - Geografia

PROF DEMETRIO MELO - FATORES CLIMÁTICOS E VEGETAÇÃO.pdf
PROF DEMETRIO MELO - FATORES CLIMÁTICOS E VEGETAÇÃO.pdfPROF DEMETRIO MELO - FATORES CLIMÁTICOS E VEGETAÇÃO.pdf
PROF DEMETRIO MELO - FATORES CLIMÁTICOS E VEGETAÇÃO.pdfDeto - Geografia
 
Prof demetrio melo estrutura geológica da terra 3-serie
Prof demetrio melo   estrutura geológica da terra 3-serieProf demetrio melo   estrutura geológica da terra 3-serie
Prof demetrio melo estrutura geológica da terra 3-serieDeto - Geografia
 
Prof demétrio melo geografia - estado e cartografia mapas e projeções 3-serie
Prof demétrio melo   geografia - estado e cartografia mapas e projeções 3-serieProf demétrio melo   geografia - estado e cartografia mapas e projeções 3-serie
Prof demétrio melo geografia - estado e cartografia mapas e projeções 3-serieDeto - Geografia
 
Prof demetrio melo brasil estrutura geológica e relevo
Prof demetrio melo   brasil estrutura geológica e relevoProf demetrio melo   brasil estrutura geológica e relevo
Prof demetrio melo brasil estrutura geológica e relevoDeto - Geografia
 
Prof demetrio melo europa geografia
Prof demetrio melo   europa geografiaProf demetrio melo   europa geografia
Prof demetrio melo europa geografiaDeto - Geografia
 
Prof demetrio melo brasil população e imigração
Prof demetrio melo   brasil população e imigraçãoProf demetrio melo   brasil população e imigração
Prof demetrio melo brasil população e imigraçãoDeto - Geografia
 
Castoriadis cornelius A Instituição maginaria da sociedade
Castoriadis cornelius A Instituição maginaria da sociedadeCastoriadis cornelius A Instituição maginaria da sociedade
Castoriadis cornelius A Instituição maginaria da sociedadeDeto - Geografia
 
Prof Demétrio Melo - Geografia TD Brasil: Estrutura Geológica, Relevo e Minerais
Prof Demétrio Melo - Geografia TD Brasil: Estrutura Geológica, Relevo e MineraisProf Demétrio Melo - Geografia TD Brasil: Estrutura Geológica, Relevo e Minerais
Prof Demétrio Melo - Geografia TD Brasil: Estrutura Geológica, Relevo e MineraisDeto - Geografia
 
Prof Demetrio Melo - Brasil: Estrutura Geológica e Relevo
Prof Demetrio Melo - Brasil: Estrutura Geológica e RelevoProf Demetrio Melo - Brasil: Estrutura Geológica e Relevo
Prof Demetrio Melo - Brasil: Estrutura Geológica e RelevoDeto - Geografia
 
3º BIMESTRE GEOGRAFIA II - AC3
3º BIMESTRE GEOGRAFIA II - AC33º BIMESTRE GEOGRAFIA II - AC3
3º BIMESTRE GEOGRAFIA II - AC3Deto - Geografia
 
Demétrio - Geografia - 2ª Série - EM - TD REGIÕES NORTE E NORDESTE
Demétrio - Geografia - 2ª Série - EM - TD REGIÕES NORTE E NORDESTEDemétrio - Geografia - 2ª Série - EM - TD REGIÕES NORTE E NORDESTE
Demétrio - Geografia - 2ª Série - EM - TD REGIÕES NORTE E NORDESTEDeto - Geografia
 
La organización da unidad econòmica campesina - Alexander Chayanov
La organización da unidad econòmica campesina - Alexander ChayanovLa organización da unidad econòmica campesina - Alexander Chayanov
La organización da unidad econòmica campesina - Alexander ChayanovDeto - Geografia
 
Horacio capel filosofia y ciencia en la geografia contemporanea
Horacio capel filosofia y ciencia en la geografia contemporaneaHoracio capel filosofia y ciencia en la geografia contemporanea
Horacio capel filosofia y ciencia en la geografia contemporaneaDeto - Geografia
 
Lefebvre henri-a-vida-cotidiana-no-mundo-moderno
Lefebvre henri-a-vida-cotidiana-no-mundo-modernoLefebvre henri-a-vida-cotidiana-no-mundo-moderno
Lefebvre henri-a-vida-cotidiana-no-mundo-modernoDeto - Geografia
 
Livro condicao pos-moderna-david-harvey
Livro condicao pos-moderna-david-harveyLivro condicao pos-moderna-david-harvey
Livro condicao pos-moderna-david-harveyDeto - Geografia
 
Demetrio geog ii geo sul 2 ano ac3 2º bimestre
Demetrio geog ii geo sul 2 ano ac3 2º bimestreDemetrio geog ii geo sul 2 ano ac3 2º bimestre
Demetrio geog ii geo sul 2 ano ac3 2º bimestreDeto - Geografia
 
Demetrio geografia td brasil cidadania e representatividade
Demetrio geografia td brasil cidadania e representatividadeDemetrio geografia td brasil cidadania e representatividade
Demetrio geografia td brasil cidadania e representatividadeDeto - Geografia
 
Demétrio brasil território e expansão
Demétrio brasil território e expansãoDemétrio brasil território e expansão
Demétrio brasil território e expansãoDeto - Geografia
 
Prof Demétrio Melo - Brasil: Domínios Morfoclimáticos
Prof Demétrio Melo - Brasil: Domínios MorfoclimáticosProf Demétrio Melo - Brasil: Domínios Morfoclimáticos
Prof Demétrio Melo - Brasil: Domínios MorfoclimáticosDeto - Geografia
 
Prof Demétrio Melo - TD 2ª Série E.M. - Brasil: Climas
Prof Demétrio Melo - TD 2ª Série E.M. - Brasil: ClimasProf Demétrio Melo - TD 2ª Série E.M. - Brasil: Climas
Prof Demétrio Melo - TD 2ª Série E.M. - Brasil: ClimasDeto - Geografia
 

Mais de Deto - Geografia (20)

PROF DEMETRIO MELO - FATORES CLIMÁTICOS E VEGETAÇÃO.pdf
PROF DEMETRIO MELO - FATORES CLIMÁTICOS E VEGETAÇÃO.pdfPROF DEMETRIO MELO - FATORES CLIMÁTICOS E VEGETAÇÃO.pdf
PROF DEMETRIO MELO - FATORES CLIMÁTICOS E VEGETAÇÃO.pdf
 
Prof demetrio melo estrutura geológica da terra 3-serie
Prof demetrio melo   estrutura geológica da terra 3-serieProf demetrio melo   estrutura geológica da terra 3-serie
Prof demetrio melo estrutura geológica da terra 3-serie
 
Prof demétrio melo geografia - estado e cartografia mapas e projeções 3-serie
Prof demétrio melo   geografia - estado e cartografia mapas e projeções 3-serieProf demétrio melo   geografia - estado e cartografia mapas e projeções 3-serie
Prof demétrio melo geografia - estado e cartografia mapas e projeções 3-serie
 
Prof demetrio melo brasil estrutura geológica e relevo
Prof demetrio melo   brasil estrutura geológica e relevoProf demetrio melo   brasil estrutura geológica e relevo
Prof demetrio melo brasil estrutura geológica e relevo
 
Prof demetrio melo europa geografia
Prof demetrio melo   europa geografiaProf demetrio melo   europa geografia
Prof demetrio melo europa geografia
 
Prof demetrio melo brasil população e imigração
Prof demetrio melo   brasil população e imigraçãoProf demetrio melo   brasil população e imigração
Prof demetrio melo brasil população e imigração
 
Castoriadis cornelius A Instituição maginaria da sociedade
Castoriadis cornelius A Instituição maginaria da sociedadeCastoriadis cornelius A Instituição maginaria da sociedade
Castoriadis cornelius A Instituição maginaria da sociedade
 
Prof Demétrio Melo - Geografia TD Brasil: Estrutura Geológica, Relevo e Minerais
Prof Demétrio Melo - Geografia TD Brasil: Estrutura Geológica, Relevo e MineraisProf Demétrio Melo - Geografia TD Brasil: Estrutura Geológica, Relevo e Minerais
Prof Demétrio Melo - Geografia TD Brasil: Estrutura Geológica, Relevo e Minerais
 
Prof Demetrio Melo - Brasil: Estrutura Geológica e Relevo
Prof Demetrio Melo - Brasil: Estrutura Geológica e RelevoProf Demetrio Melo - Brasil: Estrutura Geológica e Relevo
Prof Demetrio Melo - Brasil: Estrutura Geológica e Relevo
 
3º BIMESTRE GEOGRAFIA II - AC3
3º BIMESTRE GEOGRAFIA II - AC33º BIMESTRE GEOGRAFIA II - AC3
3º BIMESTRE GEOGRAFIA II - AC3
 
Demétrio - Geografia - 2ª Série - EM - TD REGIÕES NORTE E NORDESTE
Demétrio - Geografia - 2ª Série - EM - TD REGIÕES NORTE E NORDESTEDemétrio - Geografia - 2ª Série - EM - TD REGIÕES NORTE E NORDESTE
Demétrio - Geografia - 2ª Série - EM - TD REGIÕES NORTE E NORDESTE
 
La organización da unidad econòmica campesina - Alexander Chayanov
La organización da unidad econòmica campesina - Alexander ChayanovLa organización da unidad econòmica campesina - Alexander Chayanov
La organización da unidad econòmica campesina - Alexander Chayanov
 
Horacio capel filosofia y ciencia en la geografia contemporanea
Horacio capel filosofia y ciencia en la geografia contemporaneaHoracio capel filosofia y ciencia en la geografia contemporanea
Horacio capel filosofia y ciencia en la geografia contemporanea
 
Lefebvre henri-a-vida-cotidiana-no-mundo-moderno
Lefebvre henri-a-vida-cotidiana-no-mundo-modernoLefebvre henri-a-vida-cotidiana-no-mundo-moderno
Lefebvre henri-a-vida-cotidiana-no-mundo-moderno
 
Livro condicao pos-moderna-david-harvey
Livro condicao pos-moderna-david-harveyLivro condicao pos-moderna-david-harvey
Livro condicao pos-moderna-david-harvey
 
Demetrio geog ii geo sul 2 ano ac3 2º bimestre
Demetrio geog ii geo sul 2 ano ac3 2º bimestreDemetrio geog ii geo sul 2 ano ac3 2º bimestre
Demetrio geog ii geo sul 2 ano ac3 2º bimestre
 
Demetrio geografia td brasil cidadania e representatividade
Demetrio geografia td brasil cidadania e representatividadeDemetrio geografia td brasil cidadania e representatividade
Demetrio geografia td brasil cidadania e representatividade
 
Demétrio brasil território e expansão
Demétrio brasil território e expansãoDemétrio brasil território e expansão
Demétrio brasil território e expansão
 
Prof Demétrio Melo - Brasil: Domínios Morfoclimáticos
Prof Demétrio Melo - Brasil: Domínios MorfoclimáticosProf Demétrio Melo - Brasil: Domínios Morfoclimáticos
Prof Demétrio Melo - Brasil: Domínios Morfoclimáticos
 
Prof Demétrio Melo - TD 2ª Série E.M. - Brasil: Climas
Prof Demétrio Melo - TD 2ª Série E.M. - Brasil: ClimasProf Demétrio Melo - TD 2ª Série E.M. - Brasil: Climas
Prof Demétrio Melo - TD 2ª Série E.M. - Brasil: Climas
 

Último

Trabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e Senegal
Trabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e SenegalTrabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e Senegal
Trabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e SenegalErikOliveira40
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfMaiteFerreira4
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfRILTONNOGUEIRADOSSAN
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaCludiaRodrigues693635
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - FalamansaMary Alvarenga
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfPastor Robson Colaço
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxMartin M Flynn
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaLuanaAlves940822
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalcarlaOliveira438
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assisbrunocali007
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdfARIANAMENDES11
 

Último (20)

Trabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e Senegal
Trabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e SenegalTrabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e Senegal
Trabalho sobre as diferenças demograficas entre EUA e Senegal
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é preciso
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importânciaclubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
clubinho-bio-2.pdf vacinas saúde importância
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 

Prof Demétrio Melo - Agropecuária e Impactos Socioambientais

  • 2. Identificar os principais impactos ambientais decorrentes das atividades da agropecuária brasileira; Relacionar o papel dos sistemas agrícolas com o desenvolvimento sustentável.
  • 3. O processo de desenvolvimento do espaço agrário brasileiro tem rapidamente modificado os sistemas naturais, resultando em vastas áreas com solos erodidos, rios assoreados, frequentes queimadas, com o agravante de ver reduzir a imensa biodiversidade nacional. A mecanização agrícola transforma as relações de produção tão rapidamente que é praticamente impossível impedir os processos de poluição. No entanto, existem formas menos impactantes de se produzir, como manejo adequado dos solos e consorciando diferentes culturas agrícolas, além atual agricultura orgânica.
  • 4. Com a expansão da fronteira agrícola nacional o desmatamento é um dos maiores problemas da Amazônia Legal. Os sojicultores e pecuaristas estão sempre eliminando vegetação para ampliar as áreas de produção, no entanto os solos amazônicos são inférteis que acarretam em baixa produtividade por hectare, e são rapidamente abandonados. Com as primeiras chuvas há grande material carreado para os rios. Fonte: INPE
  • 5. Preservação Final do século XIX nos EUA surgiu uma corrente radical que propunha a criação de reservas “intocáveis”. Esta linha de pensamento é contrária a todas as formas de uso dos recursos naturais. Conservação Também nos EUA na mesma época a corrente de pensamento mais liberal, propõe o desenvolvimento econômico em consonância ao crescimento material e econômico da sociedade. Desenvolvimento Sustentável Este termo tenta conciliar as duas visões sobre os recursos naturais, desde a ECO- 92 que os documentos da ONU tratam de um modelo de desenvolvimento que permita a sustentabilidade ambiental e econômica nos países.
  • 6. Competência de Área Competência de área 6 - Compreender a sociedade e a natureza, reconhecendo suas interações no espaço em diferentes contextos históricos e geográficos. Habilidades H26 - Identificar em fontes diversas o processo de ocupação dos meios físicos e as relações da vida humana com a paisagem. H28 - Relacionar o uso das tecnologias com os impactos socioambientais em diferentes contextos histórico-geográficos. http://melo-geografia.blogspot.com.br/2013/06/diretrizes- curriculares-em-geografia.html
  • 7. Os domínios brasileiros resultam da interação entre os fatores do clima, estrutura geológica e pedológica, além da capacidade hidrográfica. O relevo é também um importante fator fitogeográfico na determinação dos domínios morfoclimáticos.
  • 8. Os solos são resultado do intemperismo químico, físico e biológico. O solo é um ecossistema, que depende da constante interação entre bactérias, fungos, animais e vegetais. A erosão é o grande destruidor do solo.
  • 9. Como vimos o solo depende das condições específicas: a estrutura das rochas, o tipo de clima e a interação constante dos micro- organismos, que poderão resultar em solos profundos ou rasos.
  • 10. O manejo adequado do solo requer técnicas em diferentes declives e atividades específicas. Em declive acentuado pode acarretar em assoreamento de riachos e rios.
  • 11. O plantio em curvas de nível respeitam a topografia, já que a plantação é paralela a cada nível de altitude. Isso reduz os efeitos do escoamento superficial da água. Nos Andes Peruanos Terraços de Arroz na China Plantio em curvas de nível
  • 12. Voçoroca aberta em região de campos Cratera aberta por conta da redução da cobertura vegetal A manutenção da vegetação e melhorar o padrão de drenagem podem reduzir os impactos sobre os solos e evitar maiores desastres.
  • 13. Nova Friburgo em 2011. Deslizamento de terra provocou centenas de mortos e milhares de desabrigados. Imagem da CPTEC. Boletim de alerta havia sido emitido antes da tragédia.
  • 14. Com a forte valorização no mercado mundial da soja e da carne bovina o Brasil vem expandindo a sojicultura e a pecuária bovina sobre a Amazônia. Desmatamento, poluição de rios e assoreamento são consequências do “progresso”.
  • 15.
  • 16. Expansão da soja com estímulos do Governo Federal desde a década de 1970. Região Pioneira Década de 1970 Década de 1990 Década de 2000 MAPITOBA
  • 17. Como se observa os tipos de usos podem comprometer os solos. Acarreta em lixiviação, laterização e assoreamento em declives.
  • 18. São Paulo é o maior produtor mundial de cana de açúcar. A produção sustenta um importante mercado mundial de açúcar e o fornecimento energético para combustível no mercado interno.
  • 19. Segundo a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), existem aproximadamente 15 mil formulações para 400 agrotóxicos diferentes, sendo que cerca de 8 mil encontram-se licenciadas no Brasil, que é o maior consumidor de agrotóxicos no mundo. Pensamento Verde
  • 20. O País se tornou o maior consumidor de agrotóxicos do mundo. Os agrotóxicos inibem o desenvolvimento de fungos e ervas daninhas, aumentando a produtividade da lavoura.
  • 21. Para ver o vídeo clique no link: Agrotóxicos no Brasil O Brasil não possui instrumento legal a respeito dos limites de agrotóxicos presentes nos alimentos. De forma per capita consumismo cerca de 5l/ano de agrotóxicos. Na Europa cerca de 0,25l/ano.
  • 22. Quanto maior o ciclo de desenvolvimento vegetal maior o tempo de exposição aos agrotóxicos. Como o morango que é campeão em resíduos de agrotóxicos.
  • 23. • PERDAS DE SOLO AGRICULTÁVEIS; • CONTAMINAÇÃO DOS AQUÍFEROS; • REDUÇÃO DOS BIOMAS BRASILEIROS; • CONTAMINAÇÃO DE ALIMENTOS POR AGROTÓXICOS; • REDUÇÃO DE MANANCIAIS E RIOS; • PERDAS DAS CULTURAS LOCAIS, COMO QUILOMBOLAS E ÁREAS INDÍGENAS; • DEPENDENCIA EXTERNA COM AS COMMODITIES.
  • 24. • Terras quilombolas: As comunidades quilombolas são grupos étnico-raciais, segundo critérios de auto atribuição, com trajetória histórica própria, dotados de relações territoriais específicas e com ancestralidade negra relacionada com a resistência à opressão histórica sofrida, conforme Decreto nº 4887/03. Essas comunidades possuem direito de propriedade de suas terras consagrado desde a Constituição Federal de 1988. • Intemperismo: O intemperismo, também conhecido como meteorização, consiste na alteração física e química das rochas e de seus minerais. É um importante agente no processo de formação de solos e modelador do relevo. • Impacto ambiental ou poluição: (CONAMA) “considera-se impacto ambiental qualquer alteração das propriedades físicas, químicas e biológicas do meio ambiente, causada por qualquer forma de matéria ou energia resultante das atividades humanas (...)” • Desenvolvimento sustentável: “Atender às necessidades da atual geração, sem comprometer a capacidade das futuras gerações em prover suas próprias demandas.” • Agrotóxicos: substâncias utilizadas na produção agrícola com a finalidade de controlar pragas para obter aumento de produtividade por hectare.
  • 26. Bons estudos Entre em contato para maiores esclarecimentos: www.facebook.com/demetrio.melo.71 www.melo-geografia.blogspot.com www.slideshare.net/Demetrio33 Prof. Demétrio Melo