A 2ª Guerra Mundial:
Do dia D ao Fim da Guerra na Europa:
Gráfico da Invasão:
• O Dia D, 6 de junho de 1944, foi a data em que
ocorreu o desembarque das tropas aliadas na
Normandia (noroeste da França...
• A região era dominada pelos alemães na
chamada Muralha do Atlântico. Os aliados,
desembarcaram com mais de 300 mil homen...
• Após duras batalhas, a operação Overlord
funcionou e os aliados venceram. Esta vitória
foi crucial para o avanço dos ali...
Eisenhower instrui os
paraquedistas:
• Transportados por uma frota de 14.200
barcos, protegida por 600 navios e milhares
de aviões, asseguraram uma sólida cabe...
Memorial ao Dia D:
Tropa alemã massacrada na
Normandia:
As tropas aliadas avançam na
Normandia:
A situação da União Soviética em
1942:
• Desde 1942, os soviéticos, que estavam sofrendo
horrores para deter e fazer os na...
• Os soviéticos haviam finalmente invertido a
maré da guerra na batalha de Stalingrado, no
inverno de 1942/43, mas as perd...
A Guerra na África:
• Os aliados ocidentais, num primeiro
momento, comprometeram-se a abastecer os
soviéticos através da r...
• Os aliados ocidentais concluíram que as forças nazistas
eram muito poderosas ainda para tentar-se um
desembarque em larg...
A Invasão da Itália:
• O primeiro resultado político positivo dessa
operação foi a queda do ditador fascista Benito
Mussolini. No dia 25 de jul...
• O ataque aero-naval só poderia dar-se durante o verão
europeu. Somente naquela estação era possível
realizar-se uma oper...
• Hitler e o marechal Rommel palpitaram que era bem
possível que os aliados desembarcassem na
Normandia porque lá encontra...
• Na madrugada daquele dia, foram lançados nas
proximidades de Cherburgo uma leva de tropas
pára-quedistas para dar proteç...
• Houve indecisão no alto comando alemão nas
primeiras horas e isso lhes foi fatal. O marechal von
Rundstedt, comandante-g...
• De fato, já no primeiro dia do desembarque na
Normandia, os aliados conseguiram fixar-se
firmemente no litoral, começand...
Região dominada pelos alemães na
URSS:
O atentado contra Hitler:
• A partir da invasão aliada ficou claro para setores do
alto comando militar alemão que a guerra estava
perdida. Os aliad...
• No dia 20 de julho de 1944, 44 dias depois do
Dia-D, o coronel von Stauffenberg, um
mutilado de guerra que servia no est...
• Alguns oficiais morreram, mas Hitler sobreviveu
ao atentado. Tomado por um assombro místico,
ele considerou o episódio u...
O Levante de Varsóvia:
• Aproveitando-se da proximidade do Exército Vermelho
das cercanias de Varsóvia, as forças da resis...
A ofensiva final:
• Hitler ainda tentou em dezembro de 1944,
jogando a sua última cartada, dividir os
exércitos aliados pe...
• A Alemanha, derrotada na frente oriental
pelos soviéticos, tentava agora, na frente
ocidental, conter o avanço das tropa...
• A ofensiva soviética foi reiniciada. Com isso,
os alemães foram obrigados novamente a
enfrentar os soviéticos no leste; ...
Ofensiva final em Ardenas:
• Berlim, bombardeada dia e noite, foi o centro
da resistência derradeira de Hitler. Os aliados
ocidentais começaram o seu...
Bunker de Hitler:
• Hitler, depois de passar seus últimos dias
completamente isolando no seu bunker
subterrâneo, suicidou-se no dia 30 de ab...
Hitler e Eva Braun:
Cadáver de Hitler e Eva Braun:
Os tratados da grande aliança:
• Os integrantes da "Grande Aliança"
(EUA/GB/URSS), encontraram-se três vezes
entre 1943 e ...
Conferência de Teerã – 1943:
• Naquele momento, os aliados não haviam
chegado ainda a um acordo sobre que destino
dar à Alemanha no pós-guerra. O segun...
Conferência de Yalta:
• A URSS comprometeu-se a entrar em guerra contra o
Japão assim que o conflito contra os nazistas tivesse se
encerrado na ...
Conferência de Potsdam:
Alemanha ocupada:
A 2ª guerra mundial   do dia d ao fim da guerra na europa
A 2ª guerra mundial   do dia d ao fim da guerra na europa
A 2ª guerra mundial   do dia d ao fim da guerra na europa
A 2ª guerra mundial   do dia d ao fim da guerra na europa
A 2ª guerra mundial   do dia d ao fim da guerra na europa
A 2ª guerra mundial   do dia d ao fim da guerra na europa
A 2ª guerra mundial   do dia d ao fim da guerra na europa
A 2ª guerra mundial   do dia d ao fim da guerra na europa
A 2ª guerra mundial   do dia d ao fim da guerra na europa
A 2ª guerra mundial   do dia d ao fim da guerra na europa
A 2ª guerra mundial   do dia d ao fim da guerra na europa
A 2ª guerra mundial   do dia d ao fim da guerra na europa
A 2ª guerra mundial   do dia d ao fim da guerra na europa
A 2ª guerra mundial   do dia d ao fim da guerra na europa
A 2ª guerra mundial   do dia d ao fim da guerra na europa
A 2ª guerra mundial   do dia d ao fim da guerra na europa
A 2ª guerra mundial   do dia d ao fim da guerra na europa
A 2ª guerra mundial   do dia d ao fim da guerra na europa
A 2ª guerra mundial   do dia d ao fim da guerra na europa
A 2ª guerra mundial   do dia d ao fim da guerra na europa
A 2ª guerra mundial   do dia d ao fim da guerra na europa
A 2ª guerra mundial   do dia d ao fim da guerra na europa
A 2ª guerra mundial   do dia d ao fim da guerra na europa
A 2ª guerra mundial   do dia d ao fim da guerra na europa
A 2ª guerra mundial   do dia d ao fim da guerra na europa
A 2ª guerra mundial   do dia d ao fim da guerra na europa
A 2ª guerra mundial   do dia d ao fim da guerra na europa
A 2ª guerra mundial   do dia d ao fim da guerra na europa
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A 2ª guerra mundial do dia d ao fim da guerra na europa

477 visualizações

Publicada em

Slides sobre o Dia D e o fim da Guerra na Europa

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

A 2ª guerra mundial do dia d ao fim da guerra na europa

  1. 1. A 2ª Guerra Mundial: Do dia D ao Fim da Guerra na Europa:
  2. 2. Gráfico da Invasão:
  3. 3. • O Dia D, 6 de junho de 1944, foi a data em que ocorreu o desembarque das tropas aliadas na Normandia (noroeste da França). Este dia é considerado por muitos historiadores como o mais importante da Segunda Guerra Mundial. Foi decisivo na vitória dos aliados contra o Eixo (Alemanha, Itália e Japão). O nome oficial deste plano militar era Operação Overlord.
  4. 4. • A região era dominada pelos alemães na chamada Muralha do Atlântico. Os aliados, desembarcaram com mais de 300 mil homens e milhares de armamentos. Os aliados usaram senhas e informações falsas sobre o desembarque, estratégia importante para confundir as tropas alemãs.
  5. 5. • Após duras batalhas, a operação Overlord funcionou e os aliados venceram. Esta vitória foi crucial para o avanço dos aliados rumo a vitória sobre a Alemanha em 1945. Os soldados das tropas aliadas, que participaram da invasão da Normandia durante no Dia D eram dos seguintes países: Estados Unidos, Reino Unido, Canadá, França (parte livre), Polônia, Austrália, Bélgica, Nova Zelândia, Holanda e Noruega.
  6. 6. Eisenhower instrui os paraquedistas:
  7. 7. • Transportados por uma frota de 14.200 barcos, protegida por 600 navios e milhares de aviões, asseguraram uma sólida cabeça-de- praia no litoral francês e dali partiram para expulsar os nazistas de Paris e, em seguida, marchar em direção à fronteira da Alemanha. Era o início do colapso final do III Reich, o império que, segundo a propaganda nazista, deveria durar mil anos.
  8. 8. Memorial ao Dia D:
  9. 9. Tropa alemã massacrada na Normandia:
  10. 10. As tropas aliadas avançam na Normandia:
  11. 11. A situação da União Soviética em 1942: • Desde 1942, os soviéticos, que estavam sofrendo horrores para deter e fazer os nazistas recuarem da URSS, vinham clamando para que seus aliados ocidentais, os Estados Unidos e a Grã-Bretanha, abrissem um fronte no ocidente para aliviar a fortíssima pressão que o exército alemão exercia sobre o território russo. Desde que ocorrera a invasão do solo soviético em 22 de julho de 1941, a Wehrmacht havia conquistado imensas fatias do território russo, fazendo com que a sua linha ofensiva saísse da região de Leningrado, no Norte do país, se estendesse em direção a linha Moscou-Smolesk, chegando até o Cáucaso, a cadeia de montanhas bem ao sul da URSS.
  12. 12. • Os soviéticos haviam finalmente invertido a maré da guerra na batalha de Stalingrado, no inverno de 1942/43, mas as perdas humanas e materiais eram colossais. O 6º exército alemão, comandado pelo marechal Von Paulus, rendeu-se ao marechal Zukov depois de ter perdido mais de 300 mil homens nas ruínas e nas cercanias daquela cidade do Volga.
  13. 13. A Guerra na África: • Os aliados ocidentais, num primeiro momento, comprometeram-se a abastecer os soviéticos através da rota do ártico, pelos portos de Murmansk e Arcangel, mas isso não era suficiente para minorar os sofrimentos do povo russo. Em 1942, os anglo-canadenses fizeram uma tentativa de desembarque no litoral ocidental, em Dieppe, na Bélgica, mas foram quase dizimados pelas defesas nazistas.
  14. 14. • Os aliados ocidentais concluíram que as forças nazistas eram muito poderosas ainda para tentar-se um desembarque em larga escala. Resolveram então primeiro atacar o fronte sul das forças do Eixo: o norte da África e, em seguida, a Itália. Em fins de 1942, um exército americano desembarcou na Argélia, conjugado com uma ofensiva britânica na Líbia, levaram o "África Korps" o exército de elite dos alemães, comandado pelo marechal Rommel à rendição na Tunísia em princípios de 1943. Logo em seguida os aliados avançam para a Sicília, e dali para a península italiana.
  15. 15. A Invasão da Itália:
  16. 16. • O primeiro resultado político positivo dessa operação foi a queda do ditador fascista Benito Mussolini. No dia 25 de julho de 1943, o Grande Conselho Fascista, por pressão do rei da Itália e do Exército, destituiu e prendeu Mussolini, que se mostrara incapaz de fazer os americanos e ingleses recuarem do solo italiano. Pouco tempo depois, os italianos abandonam a guerra e negociam uma paz em separado com os aliados. A traição deles obrigou os nazistas a deslocarem parte de suas forças ocidentais para tapar a brecha italiana aberta pelos aliados.
  17. 17. • O ataque aero-naval só poderia dar-se durante o verão europeu. Somente naquela estação era possível realizar-se uma operação na escala desejada. Desde que Hitler desistira de invadir a Inglaterra em 1940, ele determinara a construção da chamada "Muralha do Atlântico", um conjunto de fortificações de concreto, bunkers, que tinham a função de proteger as suas defesas de um ataque de surpresa vindo do mar. Também esperavam que este ocorresse na região de Calais, onde o Canal da Mancha, que separa a França da Inglaterra, e mais estreito, concentrando ali a maioria das suas divisões.
  18. 18. • Hitler e o marechal Rommel palpitaram que era bem possível que os aliados desembarcassem na Normandia porque lá encontrariam os dois grandes portos capazes de acolher a enorme quantidade de homens e de material bélico que estavam concentrados no Sul e Sudoeste da Inglaterra: os portos franceses de Le Havre e Cherbourg. Finalmente os aliados decidiram- se por fazê-lo no verão de 1944, Aproveitando-se de uma momentânea melhoria climática, o general Eisenhower, comandante supremo dos aliados ordenou que aquela imensa força se deslocasse no dia seis de junho.
  19. 19. • Na madrugada daquele dia, foram lançados nas proximidades de Cherburgo uma leva de tropas pára-quedistas para dar proteção ao desembarque que ocorreria a seguir pela manhã. Às 6h30, milhares de pequenos barcos começaram a despejar os soldados: americanos nas praias de codinome "Utah" e "Omaha", ingleses e canadenses nas praias de "Juno", "Cold4" e "Sword". Apesar da forte resistência feita pelos nazistas, o elemento surpresa foi fundamental.
  20. 20. • Houve indecisão no alto comando alemão nas primeiras horas e isso lhes foi fatal. O marechal von Rundstedt, comandante-geral das forças alemãs no Ocidente, acreditava ser possível expulsar os aliados de volta para o mar logo que eles desembarcassem, lançando mão das divisões panzer de reserva. Para o marechal Erwin Rommel, a grande estrela do exército alemão, ao contrário, os invasores não deviam nem chegar a pôr os pés no litoral. Para ele, a superioridade aérea dos americanos e ingleses impediria qualquer possibilidade das tropas alemãs de lançarem-se numa contra-ofensiva.
  21. 21. • De fato, já no primeiro dia do desembarque na Normandia, os aliados conseguiram fixar-se firmemente no litoral, começando a avançar para o interior da península de Cherburgo. Simultaneamente, os soviéticos deram início a sua ofensiva de verão em toda a frente oriental; do Báltico, passando pela Bielorússia e Ucrânia, uma gigantesca massa de divisões russas esmagaram as defesas nazistas e chegaram até as portas de Varsóvia, capital da Polônia, em apenas quarenta dias.
  22. 22. Região dominada pelos alemães na URSS:
  23. 23. O atentado contra Hitler:
  24. 24. • A partir da invasão aliada ficou claro para setores do alto comando militar alemão que a guerra estava perdida. Os aliados no entanto haviam acertado no tratado de Teerã, em 1943, que só aceitariam a rendição incondicional da Alemanha nazista, e que nenhum deles faria uma paz em separado com ela. • Os militares alemães metidos no complô, no entanto, pensaram que se eles eliminassem Hitler e neutralizassem as Waffen SS, as divisões nazistas, haveria possibilidade de fazer uma paz em separado com os anglo-americanos e, desta forma, evitar que a Alemanha fosse invadida pelos russos se tornasse comunista.
  25. 25. • No dia 20 de julho de 1944, 44 dias depois do Dia-D, o coronel von Stauffenberg, um mutilado de guerra que servia no estado- maior de Hitler, colocou uma bomba no abrigo onde o Führer encontrava-se com seus comandados, na chamada "Toca do Lobo", em Rastenburg, na Prússia Oriental.
  26. 26. • Alguns oficiais morreram, mas Hitler sobreviveu ao atentado. Tomado por um assombro místico, ele considerou o episódio um sinal, uma prova de que a divina providência o havia salvo para continuar até a vitória final. Os conspiradores foram presos e julgados por um Tribunal do Povo e executados. A guerra ainda seria prolongada por mais onze meses inutilmente. O coronel von Stauffenberg evitou as humilhações suicidando- se.
  27. 27. O Levante de Varsóvia: • Aproveitando-se da proximidade do Exército Vermelho das cercanias de Varsóvia, as forças da resistência polonesa, a Armija Krazowa (AK), lideradas por Bor- Komarowscki tentaram um grande levante armado contra os nazistas. Como os soviéticos não foram consultados, não houve articulação entre o levante na cidade e as tropas russas que estavam acampadas do outro lado do rio Vístula, fazendo com que as forças do AK fossem dizimadas pelas divisões panzer que, obedecendo a ordem de Hitler, destruíram praticamente nove décimos da capital polonesa, matando, estima-se, 300 mil habitantes da capital.
  28. 28. A ofensiva final: • Hitler ainda tentou em dezembro de 1944, jogando a sua última cartada, dividir os exércitos aliados pela surpreendente ofensiva de Ardenas na Bélgica, mas poucas semanas depois do ataque, sem cobertura aérea e sem combustível para os seus tanques, viram que era inútil. No dia 12 de janeiro de 1945, os soviéticos ordenaram a ofensiva de inverno, a final, aquela que terminaria com a ocupação da Alemanha.
  29. 29. • A Alemanha, derrotada na frente oriental pelos soviéticos, tentava agora, na frente ocidental, conter o avanço das tropas aliadas. No dia 16 de dezembro de 1944, os alemães procuraram deter as forças americanas e inglesas na região belga das Ardenas. Os Aliados apelaram então a Stalin para que reiniciasse a ofensiva contra as forças alemãs, para dividi-las e, enfraquecê-las.
  30. 30. • A ofensiva soviética foi reiniciada. Com isso, os alemães foram obrigados novamente a enfrentar os soviéticos no leste; estes, em fevereiro de 1945, chegaram a 150 quilômetros em Berlim. Nos dois meses seguintes, forças soviéticas e norte- americanas ocuparam toda a Alemanha.
  31. 31. Ofensiva final em Ardenas:
  32. 32. • Berlim, bombardeada dia e noite, foi o centro da resistência derradeira de Hitler. Os aliados ocidentais começaram o seu ataque em fevereiro de 1945 e, por fim, encontraram-se com as tropas soviéticas no rio EIba. Foi um momento histórico extraordinário quando os soldados norte-americanos confraternizaram com os russos, trocando apertos de mão e goles de bebida forte.
  33. 33. Bunker de Hitler:
  34. 34. • Hitler, depois de passar seus últimos dias completamente isolando no seu bunker subterrâneo, suicidou-se no dia 30 de abril, deixando a chefia do Reich sob o comando do almirante Doenitz. No dia 7 de maio de 1945, o comando do exército alemão rendeu-se incondicionalmente. A guerra na Europa havia chegado a seu fim.
  35. 35. Hitler e Eva Braun:
  36. 36. Cadáver de Hitler e Eva Braun:
  37. 37. Os tratados da grande aliança: • Os integrantes da "Grande Aliança" (EUA/GB/URSS), encontraram-se três vezes entre 1943 e 1945: a primeira foi em Teerã, capital do Irã, em novembro/dezembro de 1943, quando o primeiro-ministro da Inglaterra W. Churchill apresentou um plano de ataque aos nazistas partindo do Mediterrâneo, sendo objetado por Stalin, que insistiu que o melhor efeito seria a invasão da França.
  38. 38. Conferência de Teerã – 1943:
  39. 39. • Naquele momento, os aliados não haviam chegado ainda a um acordo sobre que destino dar à Alemanha no pós-guerra. O segundo encontro deu-se em Yalta, no sul da URSS, em fevereiro de 1945, quando a guerra marchava para o fim. Acertou-se ali a formação da ONU, bem como a proposta da divisão da Alemanha em quatro zonas de ocupação (a americana, a britânica, a francesa e a soviética), tendo ela que pagar indenizações que atingiriam 80% do seu parque industrial pesado.
  40. 40. Conferência de Yalta:
  41. 41. • A URSS comprometeu-se a entrar em guerra contra o Japão assim que o conflito contra os nazistas tivesse se encerrado na Europa. O último encontro ocorreu depois da rendição final dos alemães. Foi em Potsdam, símbolo do militarismo dos reis prussianos, em julho- agosto de 1945, nas proximidades de Berlim, quando confirmou-se a política de "zonas de influência" sugerida pelos britânicos, onde os aliados vencedores dividiram entre si o território alemão conquistado. A URSS, conforme o prometido, declara guerra ao Japão. Mas a guerra no Oriente estava prestes a se encerrar porque os norte-americanos já possuíam a bomba atômica.
  42. 42. Conferência de Potsdam:
  43. 43. Alemanha ocupada:

×