Endechas Bárbara escrava

435 visualizações

Publicada em

esquemas e sintese do poema

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
435
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Endechas Bárbara escrava

  1. 1. Esquemas-síntese do poema «Endechas a Bárbara escrava» (p. 144)
  2. 2. Situação apresentada no poema: existência de uma mulher de beleza extraordinária. Endechas: cinco oitavas em redondilha menor; rima — abbacbbc. Sujeito poético Enamorado Rubrica explicativa por «ũa cativa»
  3. 3. «olhos sossegados / pretos e cansados» (vv. 14 e 15) «fermosa» (v. 8) «rosto singular» (v. 13) «pretos os cabelos» (v. 21) «Leda mansidão» (v. 29) «siso» (v. 30) «presença serena» (v. 33) Caracterização da cativa: Retrato físico Bárbora Retrato psicológico «ũa graça viva / que neles lhe mora» (vv. 14 e 15) Alegria Tranquilidade Serenidade Calma Bom senso Doçura Formosura Beleza única Beleza original Fusão de características físicas e psicológicas Perfeição moral e comportamental Transgressão ou fidelidade ao modelo feminino petrarquista? Perfeiçao física «Pretidão de amor / tão doce a figura» (vv. 25 e 26) Cor negra Diferença
  4. 4. O sujeito poético e a amada — inversão de posição: Cativo Eu Servidor da mulher amada Submissão Cativa Amada Dominadora do admirador Soberania
  5. 5. Hiperbolização da figura de Bárbora através de recursos expressivos. • Jogo de palavras «Aquela cativa / que me tem cativo» (vv. 1 e 2) «vivo […] viva» (vv. 3 e 4) • Comparação «rosa» (v. 5); «flores» (v. 9); «estrelas» (v. 10) • Uso expressivo de partículas de negação «nunca» (v. 5); «nem» (v. 9); «nem» (v. 10) • Personificação e uso expressivo da oração consecutiva «tão doce a figura / que a neve lhe jura / que trocara a cor» (vv. 36-28) • Hipérbole «Presença serena / que a tormenta amansa» (vv. 33 e 34) • Adjetivação Todos os traços caracterizadores de Bárbora, em particular a adjetivação tripla dos olhos
  6. 6. Circularidade do poema: semelhança entre o início e o final da composição. Marca a dependência do sujeito poético: é necessário que viva na amada 1.ª quadra Última quadra
  7. 7. O ideal de mulher petrarquista: Bárbora A beleza de Bárbara modifica o mundo ao seu redor Perfeita • A mulher como fonte de poder sobre o que a rodeia (o sujeito poético dominado) • A mulher como causa de modificação no mundo que a observa (a Natureza — a neve e a tormenta) Fisicamente = noção de beleza que é especial, que é «singular» (v. 13) Moralmente = noção de sensatez, serenidade e doçura expressa ao longo do poema

×