SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 31
Funções sintáticas
Funções sintáticas ao nível da
frase
Sujeito
Vocativo
Predicado
Modificadorda frase
Sujeito
 O Miguel trabalhou.
 Nós trabalhámos.
 Tu trabalhaste.
 Eles trabalharam.
 Elas trabalharam.
 Isso é o trabalho de casa.
* O Miguel trabalharam.
* Nós trabalhaste.
* Tu trabalhámos.
* Eles trabalhei.
* Elas trabalhou.
Sujeito:
- função sintática exercida pelo grupo nominal;
- pode ser substituído pelo pronome pessoal com função de
sujeito ou, nalguns casos pelo pronome demonstrativo
(isto, isso, aquilo);
- concorda em pessoa e número com o verbo.
Sujeito simples e composto
 Constituído por um
só grupo nominal, um
pronome ou mesmo
uma oração:
O Miguel comeu o bolo.
Tu comeste o bolo.
É possível que ele tenha
comido o bolo.
 Constituído por dois
ou mais grupos
nominais, pronomes
ou orações:
O Miguel e o João
comeram o bolo.
Tu e a Maria comeram o
bolo.
Eu e tu comemos o
Sujeito simples Sujeito composto
Sujeito nulo
 Sujeito expletivo

(não existe sujeito com formas verbais
que se referem a fenómenos da natureza
e ainda com o verbo have r quando
significa “existir”)
 Sujeito subentendido 
(não está explícito, mas é facilmente
identificável pelo contexto)
 Sujeito indeterminado
( ) Choveu muito hoje.
( ) Há muito que não
chove.
(Nós) Queremos sair
daqui.
O Miguel foi para a praia.
(O Miguel - ele) Nadou e
(o Miguel - ele) apanhou
sol.
Disseram que estavas
Vocativo
 Meninos, vamos para casa!
 Queres ir ao cinema, Miguel?
 Maria, estou farta de te avisar!
Vocativo:
- função sintática que representa o nome ou a
entidade a quem nos dirigimos;
- surge muitas vezes em frases interrogativas,
imperativas e exclamativas;
- surge em diferentes locais da frase, isolado por
vírgulas.
Sujeito e vocativo
 Nunca se coloca uma
vírgula entre o sujeito e
o predicado.
 O Miguel quer ir ao
cinema.
 O sujeito concorda em
pessoa e número com o
verbo.
 O Miguel vai ao cinema.
 O Miguel e a Maria vão
ao cinema.
 Surge sempre entre
vírgulas.
 Miguel, queres ir ao
cinema?
 O Vocativo não
concorda em pessoa e
número com o verbo.
 Miguel, vamos ao
cinema?
Sujeito Vocativo
Predicado
 O Miguel trabalhou.
 O Miguel comeu um bolo.
 O Miguel escreveu um livro.
 O Miguel está em casa.
 O Miguel tem trabalhado.*
Predicado - função sintática desempenhada pelo
grupo verbal, cujo núcleo é o verbo. Este pode
apresentaruma só forma ou ser um complexo
verbal(verbo principal e verbos auxiliares)*
Funções sintáticas internas
ao grupo verbal
Complemento
Complemento direto
Complemento indireto
Complemento oblíquo
Complemento agente da passiva
Predicativo
Predicativo do sujeito
Predicativo do complemento direto
Modificadordo grupo verbal
Complemento direto
Complemento directo:
- complemento seleccionado pelo verbo;
- tem a forma de um grupo nominal ou de
uma oração.
OMiguel comeu o bolo.
O Miguel viu o cão.
O Miguel viu o cão.
O Miguel e o Pedro viram o cão.
O Miguel diz que viu um cão.
O Miguel diz que viu um cão.
Complemento indireto
Complemento indireto:
- complemento selecionado pelo verbo;
- tem a forma de um grupo preposicional,
iniciado, geralmente, pela preposição a.
OMiguel escreveu ao João.
O Miguel falou ao Pedro.
O Miguel Falou ‘’’’ ao Pedro.
Complemento direto e indireto
 O Miguel comeu um bolo.
 O Miguel comeu-o.
 O Miguel escreveu uma
carta.
 O Miguel escreveu-a.
 O Miguel comprou os livros.
 O Miguel comprou-os.
 O Miguel baralhou as cartas.
 O Miguel baralhou-as.
 O Miguel diz que viu um cão.
 O Miguel diz isso.
 O Miguel escreveu ao Pedro.
 O Miguel escreveu-lhe.
 O Miguel escreveu ao Pedro
e ao João.
 O Miguel escreveu-lhes.
 O Miguel escreveu-me uma
carta.
 O Miguel escreveu-te.
 O Miguel escreveu-nos.
 O Miguel escreveu-vos.
Complemento direto Complemento indireto
Complemento direto e indireto
 É selecionado pelo verbo
(transitivo direto).
 Tem a forma de grupo
nominal ou oração.
 Pode ser substituído pelos
pronomes pessoais o, a,
os, as ou pelos pronomes
demonstrativos o, isso,
isto, etc.
 É selecionado pelo verbo
(transitivo indireto).
 Tem a forma de grupo
preposicional.
 Pode ser substituído
pelos pronomes pessoais
me, te, lhe, nos, vos,
lhes.
Complemento direto Complemento indirecto
Complemento oblíquo
 O Miguel foi para casa.
 O Miguel mora aqui.
 O Miguel gosta de bolos.
 O Miguel rompeu com os
amigos.
 O Miguel implicou com o seu
colega.

O Miguel mudou de casa.
* O Miguel foi.
* O Miguel mora.
* O Miguel gosta.
* O Miguel rompeu.
* O Miguel implicou.
* O Miguel mudou.
Complemento oblíquo:
- complemento selecionado pelo verbo;
- pode ter a forma de grupo preposicional ou adverbial ou
ambos em coordenação;
- se for retirado da frase, esta fica incorreta ou de sentido
incompleto.
Complemento indireto e
oblíquo
 O Miguel escreveu
ao Pedro.
 O Miguel escreveu-
lhe.
 O Miguel escreveu
ao Pedro e ao João.
 O Miguel escreveu-
lhes.
 O Miguel foi a casa.
* O Miguel foi-lhe.
 O Miguel gosta de
bolos.
* O Miguel gosta-lhes.
Complemento indireto Complemento oblíquo
Complemento indireto e
oblíquo
 É selecionado pelo
verbo (transitivo
indireto).
 Tem a forma de
grupo preposicional
 Pode ser substituído
pelo pronome
pessoal “lhe”, “lhes”
 É selecionado pelo
verbo (transitivo
indirecto).
 Tem a forma de
grupo preposicional
ou de grupo
adverbial
 Não pode ser
substituído pelo
pronome pessoal
Complemento indireto Complemento oblíquo
Complemento agente da
passiva
 Os cavalos puxam a
carroça.
 A carroça é puxada
pelos cavalos.
 A carroça é puxada.
Complemento agente da passiva:
– função sintática que é selecionada pelo verbo ;
– está presente nas frases passivas;
– corresponde ao sujeito da frase na voz ativa;
– tem a forma de grupo preposicional, habitualmente
iniciado pela preposição por (contraída ou não).
Voz AtivaVoz Passiva
Predicativo do sujeito
 O Miguel é um rapaz.
 O Miguel ficou contente.
 O Miguel está em casa.
 O Miguel continua aqui.
 A festa é amanhã.
Predicativo do sujeito:
- atribui uma propriedade, uma característica ou uma localização
ao sujeito;
- Completa o sentido dos verbos copulativos (ser, estar, ficar,
parecer (como em "parecer doente"), permanecer, continuar
(como em "continuar calado"), tornar-se e revelar-se. )
- - pode ter a forma de um grupo nominal, de um grupo adjetival,
de um grupo preposicional ou de um grupo adverbial.
Complemento direto e Predicativo do
sujeito
 É selecionado por um
verbo transitivo direto.
 Não atribui uma
propriedade,
característica ou
localização ao sujeito.
 Tem sempre a forma de
grupo nominal.
 É seleccionado por um
verbo copulativo:
ser, estar, ficar, parecer, permanecer,
continuar, tornar-se, revelar-se
 Atribui uma propriedade,
característica ou
localização ao sujeito.
 Pode ter a forma de
grupo nominal,
adjectival, preposicional
e adverbial
Complemento direto Predicativo do sujeito
Predicativo do complemento
direto
 O povo elegeu o presidente deputado.
 Ninguém acha a Joana simpática.
Predicativo do complemento direto:
- complemento selecionado pelo verbo transitivo
(predicativo);
- predica algo acerca do complemento direto;
- tem a forma de um grupo nominal, adjetival ou
preposicional
Modificadordo grupo verbal
 O Miguel trabalhou de
manhã.
 O Miguel correu bem.
 O Miguel lia no
quarto.
 O Miguel trabalhou.
 O Miguel correu.
 O Miguel lia.
Modificador:
– função sintática que não é selecionada pelo verbo, mas que
se relaciona com ele;
– pode ter a forma de grupo preposicional ou adverbial;
-- transmite frequentemente noções de tempo, lugar, modo, etc.;
-- pode ser eliminado da frase, a qual não perde correção ou
coerência.
Complemento oblíquo e
modificador
 É selecionado pelo
verbo (transitivo
indireto).
 É indispensável ao
sentido da frase.
 Tem a forma de
grupo preposicional
ou adverbial.
 Não é selecionado
pelo verbo, mas
relaciona-se com
ele.
 É dispensável ao
sentido da frase.
 Tem a forma de
grupo preposicional
ou adverbial.
Complemento oblíquo Modificador
Modificadorda frase
 Infelizmente perdemos o
avião.
 Na verdade, perdemos o
avião.
 O avião já tinha partido,
quando chegámos ao
aeroporto.
 Perdemos o avião.
 O avião já tinha partido.
Modificador da frase:
- não é selecionado por nenhum dos constituintes da frase;
- pode ser dispensado;
- pode ter a forma de grupo adverbial ou preposicional e
incide sobre a frase;
–– pode ser uma oração (subordinada adverbial) e, neste
caso, modifica a oração subordinante;
Modificadordo grupo verbal
e modificadorda frase
 Não é selecionado pelo
verbo, mas relaciona-se com
ele.
 É dispensável ao sentido da
frase.
 Tem a forma de grupo
preposicional ou adverbial;
 Podem ser interrogados ou
negados ou ocorrer com só
ou ape nas .
O Miguel partiu hoje.
Foi hoje que o Miguel partiu?
O Miguel partiu só hoje.
O Miguel partiu apenas hoje
 Não é selecionado por nenhum
dos constituintes da frase.
 É dispensável ao sentido da
frase.
 Tem a forma de grupo
preposicional ou adverbial ou
oração (subordinada adverbial)
 Não podem ser interrogados ou
negados ou ocorrer com só ou
ape nas .
Infelizmente o Miguel partiu.
Foi infelizmente o Miguel que partiu? *
Foi só infelizmente o Miguel que partiu?
Foi apenas infelizmente o Miguel que
Modificadordo grupo verbal Modificadorda frase
Funções sintáticas internas
ao grupo nominal
Complemento do nome
Modificador
Restritivo
Apositivo
Complemento do nome
 A ideia de que o carro do
Miguel está avariado é
absurda.
 O carro do Miguel está
avariado.
 Os açorianos dedicaram-
se durante anos à pesca
baleeira.(pescaram baleias)
 A ideia é absurda.
 O carro está avariado.
 Os açorianos dedicaram-se
durante anos à pesca.
Complemento do nome:
– função sintática que é selecionada pelo nome , mas tem
carácter opcional;
– pode ter a forma de grupo preposicional (oracional ou não) ou,
menos frequentemente, um grupo adjetival(constituído por um
adjetivo derivado de um nome, sendo o nome que o seleciona
derivado de um verbo);
– um nome pode selecionar mais do que um complemento.
Modificadordo Nome
 A maioria dos países que
pertencem à união europeia
adotaram o euro.
 A maioria dos países
adotaram o euro.*
 Maria adora flores frescas.
 Maria adora flores.*
 O Prémio Nobel da Literatura
foi atribuído a Alice Munro em
2012.
 O Prémio Nobel foi atribuído
a Alice Munro em 2012.*
 A Inglaterra, que faz parte da
União Europeia, não adotou o
euro.
 A Inglaterra não adotou o
euro.
 A Maria, de quem sou muito
amiga, adora flores.
 A Maria adora flores.
 Saramago, Prémio Nobel da
Literatura, é um dos meus
autores preferidos.
 Saramago é um dos meus
autores preferidos.
Modificadorrestritivo Modificadorapositivo
Modificadordo Nome
 Limita a informação dada
sobre o nome, atribuindo-
lhe uma propriedade que
o distingue
 É indispensável ao
sentido da frase.
 Não pode ser separado
do nome por vírgulas.
 Tem a forma de grupo
adjetival ou preposicional
ou oração adjetiva
relativa restritiva.
 Acrescenta informação
ao nome.
 É dispensável ao sentido
da frase.
 Surge separado do
nome por vírgulas.
 Tem a forma de grupo
nominal ou oração
adjetiva relativa
explicativa.
Modificadorrestritivo Modificadorapositivo
Modificadordo nome
e Predicativo do complemento direto
 É selecionado pelo nome
 Não pode deslocar-se para a
posição de adjacente à direita do
verbo, dado que altera ou retira o
sentido à frase.
Maria adora estas flores frescas.
Maria adora frescas estas
flores.*
 É selecionado pelo verbo
(transitivo predicativo)
 Pode deslocar-se para a posição
de adjacente à direita do verbo.
O povo elegeu o Sr. Fernandes
deputado.
O povo elegeu deputado o Sr.
Fernandes .
Ninguém acha a Joana simpática.
Ninguém acha simpática a
Joana .
Modificadordo nome
Predicativo do complemento
direto
Funções sintáticas internas
ao grupo adjetival
Complemento do adjetivo
Complemento do adjetivo
 O Miguel está
contente por te ver.
 O Miguel está
contente com o
carro.
 O Miguel está
contente.
Complemento do adjetivo:
– função sintática que é selecionada pelo adjetivo , mas
tem carácter opcional;
– tem a forma de grupo preposicional (oracional ou não)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Grupos frásicos e Funções Sintáticas
Grupos frásicos e Funções SintáticasGrupos frásicos e Funções Sintáticas
Grupos frásicos e Funções SintáticasLurdes Augusto
 
Trabalho de Inglês 1° Bimestre
Trabalho de Inglês 1° BimestreTrabalho de Inglês 1° Bimestre
Trabalho de Inglês 1° BimestreCarolindaMorais
 
Trabalho de Inglês (1°Bimestre)
Trabalho de Inglês (1°Bimestre)Trabalho de Inglês (1°Bimestre)
Trabalho de Inglês (1°Bimestre)marcusreis96
 
Funções sintáticas internas ao grupo verbal
Funções sintáticas internas ao grupo verbalFunções sintáticas internas ao grupo verbal
Funções sintáticas internas ao grupo verbalAntónio Fernandes
 
Subject Pronouns 1o Ano
Subject Pronouns 1o AnoSubject Pronouns 1o Ano
Subject Pronouns 1o Anomarciaciufa
 
Personal pronouns
Personal pronounsPersonal pronouns
Personal pronounsRenan Meira
 
Subject and object pronouns
Subject and object pronounsSubject and object pronouns
Subject and object pronounsmarcilliorules
 
Personal PRONOUNS & VERB TO BE
Personal PRONOUNS & VERB TO BEPersonal PRONOUNS & VERB TO BE
Personal PRONOUNS & VERB TO BEguestc423b92
 
1º ano pronome sujeito e objeto
1º ano  pronome sujeito e objeto1º ano  pronome sujeito e objeto
1º ano pronome sujeito e objetoISJ
 
Análise sintática
Análise sintáticaAnálise sintática
Análise sintáticaEdson Alves
 
Funções sintáticas internas ao grupo verbal
Funções sintáticas internas ao grupo verbalFunções sintáticas internas ao grupo verbal
Funções sintáticas internas ao grupo verbalMarta Espada
 
Constituintes da frase[1]
Constituintes da frase[1]Constituintes da frase[1]
Constituintes da frase[1]Vanda Marques
 
Não sabe quando usar pronomes em inglês? Aprenda agora!
Não sabe quando usar pronomes em inglês? Aprenda agora!Não sabe quando usar pronomes em inglês? Aprenda agora!
Não sabe quando usar pronomes em inglês? Aprenda agora!Way2Master
 
Aula de predicado verbal
Aula de predicado verbalAula de predicado verbal
Aula de predicado verbalelaniasf
 
Verbos da Língua Inglesa - Observações preliminares
Verbos da Língua Inglesa - Observações preliminaresVerbos da Língua Inglesa - Observações preliminares
Verbos da Língua Inglesa - Observações preliminaresOrlando Junior
 

Mais procurados (20)

Grupos frásicos e Funções Sintáticas
Grupos frásicos e Funções SintáticasGrupos frásicos e Funções Sintáticas
Grupos frásicos e Funções Sintáticas
 
Trabalho de Inglês 1° Bimestre
Trabalho de Inglês 1° BimestreTrabalho de Inglês 1° Bimestre
Trabalho de Inglês 1° Bimestre
 
Trabalho de Inglês (1°Bimestre)
Trabalho de Inglês (1°Bimestre)Trabalho de Inglês (1°Bimestre)
Trabalho de Inglês (1°Bimestre)
 
Funções sintáticas
Funções sintáticasFunções sintáticas
Funções sintáticas
 
Funções sintáticas internas ao grupo verbal
Funções sintáticas internas ao grupo verbalFunções sintáticas internas ao grupo verbal
Funções sintáticas internas ao grupo verbal
 
Subject Pronouns 1o Ano
Subject Pronouns 1o AnoSubject Pronouns 1o Ano
Subject Pronouns 1o Ano
 
Personal pronouns
Personal pronounsPersonal pronouns
Personal pronouns
 
Subject and object pronouns
Subject and object pronounsSubject and object pronouns
Subject and object pronouns
 
Personal PRONOUNS & VERB TO BE
Personal PRONOUNS & VERB TO BEPersonal PRONOUNS & VERB TO BE
Personal PRONOUNS & VERB TO BE
 
1º ano pronome sujeito e objeto
1º ano  pronome sujeito e objeto1º ano  pronome sujeito e objeto
1º ano pronome sujeito e objeto
 
Predicação verbal
Predicação verbal Predicação verbal
Predicação verbal
 
Análise sintática
Análise sintáticaAnálise sintática
Análise sintática
 
Funções sintáticas internas ao grupo verbal
Funções sintáticas internas ao grupo verbalFunções sintáticas internas ao grupo verbal
Funções sintáticas internas ao grupo verbal
 
Trabalho de inglês
Trabalho de inglêsTrabalho de inglês
Trabalho de inglês
 
Constituintes da frase[1]
Constituintes da frase[1]Constituintes da frase[1]
Constituintes da frase[1]
 
Tipos de predicados
Tipos de predicadosTipos de predicados
Tipos de predicados
 
Não sabe quando usar pronomes em inglês? Aprenda agora!
Não sabe quando usar pronomes em inglês? Aprenda agora!Não sabe quando usar pronomes em inglês? Aprenda agora!
Não sabe quando usar pronomes em inglês? Aprenda agora!
 
Aula de predicado verbal
Aula de predicado verbalAula de predicado verbal
Aula de predicado verbal
 
Verbos da Língua Inglesa - Observações preliminares
Verbos da Língua Inglesa - Observações preliminaresVerbos da Língua Inglesa - Observações preliminares
Verbos da Língua Inglesa - Observações preliminares
 
Elementos Da OraçãO
Elementos Da OraçãOElementos Da OraçãO
Elementos Da OraçãO
 

Semelhante a Funcoes sintacticas ml

Funções Sintáticas - 9º Ano.doc
Funções Sintáticas - 9º Ano.docFunções Sintáticas - 9º Ano.doc
Funções Sintáticas - 9º Ano.docPaula Vieira
 
Quadro frasesimplescomplexa revisão_sec_convertido
Quadro frasesimplescomplexa revisão_sec_convertidoQuadro frasesimplescomplexa revisão_sec_convertido
Quadro frasesimplescomplexa revisão_sec_convertidoMaria Gois
 
Verbo6 140309131704-phpapp01
Verbo6 140309131704-phpapp01Verbo6 140309131704-phpapp01
Verbo6 140309131704-phpapp01Pedro Moniz
 
Funções sintácticas e modificadores
Funções sintácticas e modificadoresFunções sintácticas e modificadores
Funções sintácticas e modificadoresMargarida Tomaz
 
Simple past, simple present and simple future
Simple past, simple present and simple futureSimple past, simple present and simple future
Simple past, simple present and simple futureMurderdoll_Natty
 

Semelhante a Funcoes sintacticas ml (12)

Funções Sintáticas - 9º Ano.doc
Funções Sintáticas - 9º Ano.docFunções Sintáticas - 9º Ano.doc
Funções Sintáticas - 9º Ano.doc
 
Quadro frasesimplescomplexa revisão_sec_convertido
Quadro frasesimplescomplexa revisão_sec_convertidoQuadro frasesimplescomplexa revisão_sec_convertido
Quadro frasesimplescomplexa revisão_sec_convertido
 
Funções sintaticas
Funções sintaticasFunções sintaticas
Funções sintaticas
 
Funções sintáticas
Funções sintáticasFunções sintáticas
Funções sintáticas
 
Funções sintáticas
Funções sintáticasFunções sintáticas
Funções sintáticas
 
Verbo6 140309131704-phpapp01
Verbo6 140309131704-phpapp01Verbo6 140309131704-phpapp01
Verbo6 140309131704-phpapp01
 
present perfect
present perfectpresent perfect
present perfect
 
Lesson1
Lesson1Lesson1
Lesson1
 
Funções sintácticas e modificadores
Funções sintácticas e modificadoresFunções sintácticas e modificadores
Funções sintácticas e modificadores
 
Simple past, simple present and simple future
Simple past, simple present and simple futureSimple past, simple present and simple future
Simple past, simple present and simple future
 
Simple present
Simple presentSimple present
Simple present
 
Simple present
Simple presentSimple present
Simple present
 

Mais de Maria Gois

ldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_2.docx
ldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_2.docxldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_2.docx
ldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_2.docxMaria Gois
 
ldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_1.docx
ldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_1.docxldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_1.docx
ldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_1.docxMaria Gois
 
Viagens na minha terra
Viagens na minha terraViagens na minha terra
Viagens na minha terraMaria Gois
 
Um mover de olhos, de Camões
Um mover de olhos, de CamõesUm mover de olhos, de Camões
Um mover de olhos, de CamõesMaria Gois
 
Endechas Bárbara escrava
Endechas Bárbara escravaEndechas Bárbara escrava
Endechas Bárbara escravaMaria Gois
 
"Descalça vai para a fonte", de Camões
"Descalça vai para a fonte", de Camões"Descalça vai para a fonte", de Camões
"Descalça vai para a fonte", de CamõesMaria Gois
 
Leitura mar me quer capitulo a capitulo
Leitura mar me quer capitulo a capituloLeitura mar me quer capitulo a capitulo
Leitura mar me quer capitulo a capituloMaria Gois
 
O castelo de faria
O castelo de fariaO castelo de faria
O castelo de fariaMaria Gois
 
Orações subordinadas
Orações subordinadasOrações subordinadas
Orações subordinadasMaria Gois
 
O Castelo de Faria
O Castelo de FariaO Castelo de Faria
O Castelo de FariaMaria Gois
 

Mais de Maria Gois (11)

ldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_2.docx
ldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_2.docxldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_2.docx
ldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_2.docx
 
ldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_1.docx
ldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_1.docxldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_1.docx
ldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_1.docx
 
Viagens na minha terra
Viagens na minha terraViagens na minha terra
Viagens na minha terra
 
Os Lusíadas
Os LusíadasOs Lusíadas
Os Lusíadas
 
Um mover de olhos, de Camões
Um mover de olhos, de CamõesUm mover de olhos, de Camões
Um mover de olhos, de Camões
 
Endechas Bárbara escrava
Endechas Bárbara escravaEndechas Bárbara escrava
Endechas Bárbara escrava
 
"Descalça vai para a fonte", de Camões
"Descalça vai para a fonte", de Camões"Descalça vai para a fonte", de Camões
"Descalça vai para a fonte", de Camões
 
Leitura mar me quer capitulo a capitulo
Leitura mar me quer capitulo a capituloLeitura mar me quer capitulo a capitulo
Leitura mar me quer capitulo a capitulo
 
O castelo de faria
O castelo de fariaO castelo de faria
O castelo de faria
 
Orações subordinadas
Orações subordinadasOrações subordinadas
Orações subordinadas
 
O Castelo de Faria
O Castelo de FariaO Castelo de Faria
O Castelo de Faria
 

Último

As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - FalamansaMary Alvarenga
 
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptAula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptParticular
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxMartin M Flynn
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaCludiaRodrigues693635
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfmaria794949
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdfARIANAMENDES11
 
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdfPLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdfLUCASAUGUSTONASCENTE
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assisbrunocali007
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....LuizHenriquedeAlmeid6
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfManuais Formação
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptxlucioalmeida2702
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaanapsuls
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdfdanielagracia9
 

Último (20)

As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
 
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptAula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
 
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptxSão Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
São Filipe Neri, fundador da a Congregação do Oratório 1515-1595.pptx
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdfAtividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
Atividade do poema sobre mãe de mário quintana.pdf
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
04_GuiaDoCurso_Neurociência, Psicologia Positiva e Mindfulness.pdf
 
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdfPLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
PLANO DE ESTUDO TUTORADO COMPLEMENTAR 1 ANO 1 BIMESTRE.pdf
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdfufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
ufcd_9649_Educação Inclusiva e Necessidades Educativas Especificas_índice.pdf
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
 
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdfPlanejamento 2024 - 1º ano - Matemática  38 a 62.pdf
Planejamento 2024 - 1º ano - Matemática 38 a 62.pdf
 

Funcoes sintacticas ml

  • 2. Funções sintáticas ao nível da frase Sujeito Vocativo Predicado Modificadorda frase
  • 3. Sujeito  O Miguel trabalhou.  Nós trabalhámos.  Tu trabalhaste.  Eles trabalharam.  Elas trabalharam.  Isso é o trabalho de casa. * O Miguel trabalharam. * Nós trabalhaste. * Tu trabalhámos. * Eles trabalhei. * Elas trabalhou. Sujeito: - função sintática exercida pelo grupo nominal; - pode ser substituído pelo pronome pessoal com função de sujeito ou, nalguns casos pelo pronome demonstrativo (isto, isso, aquilo); - concorda em pessoa e número com o verbo.
  • 4. Sujeito simples e composto  Constituído por um só grupo nominal, um pronome ou mesmo uma oração: O Miguel comeu o bolo. Tu comeste o bolo. É possível que ele tenha comido o bolo.  Constituído por dois ou mais grupos nominais, pronomes ou orações: O Miguel e o João comeram o bolo. Tu e a Maria comeram o bolo. Eu e tu comemos o Sujeito simples Sujeito composto
  • 5. Sujeito nulo  Sujeito expletivo  (não existe sujeito com formas verbais que se referem a fenómenos da natureza e ainda com o verbo have r quando significa “existir”)  Sujeito subentendido  (não está explícito, mas é facilmente identificável pelo contexto)  Sujeito indeterminado ( ) Choveu muito hoje. ( ) Há muito que não chove. (Nós) Queremos sair daqui. O Miguel foi para a praia. (O Miguel - ele) Nadou e (o Miguel - ele) apanhou sol. Disseram que estavas
  • 6. Vocativo  Meninos, vamos para casa!  Queres ir ao cinema, Miguel?  Maria, estou farta de te avisar! Vocativo: - função sintática que representa o nome ou a entidade a quem nos dirigimos; - surge muitas vezes em frases interrogativas, imperativas e exclamativas; - surge em diferentes locais da frase, isolado por vírgulas.
  • 7. Sujeito e vocativo  Nunca se coloca uma vírgula entre o sujeito e o predicado.  O Miguel quer ir ao cinema.  O sujeito concorda em pessoa e número com o verbo.  O Miguel vai ao cinema.  O Miguel e a Maria vão ao cinema.  Surge sempre entre vírgulas.  Miguel, queres ir ao cinema?  O Vocativo não concorda em pessoa e número com o verbo.  Miguel, vamos ao cinema? Sujeito Vocativo
  • 8. Predicado  O Miguel trabalhou.  O Miguel comeu um bolo.  O Miguel escreveu um livro.  O Miguel está em casa.  O Miguel tem trabalhado.* Predicado - função sintática desempenhada pelo grupo verbal, cujo núcleo é o verbo. Este pode apresentaruma só forma ou ser um complexo verbal(verbo principal e verbos auxiliares)*
  • 9. Funções sintáticas internas ao grupo verbal Complemento Complemento direto Complemento indireto Complemento oblíquo Complemento agente da passiva Predicativo Predicativo do sujeito Predicativo do complemento direto Modificadordo grupo verbal
  • 10. Complemento direto Complemento directo: - complemento seleccionado pelo verbo; - tem a forma de um grupo nominal ou de uma oração. OMiguel comeu o bolo. O Miguel viu o cão. O Miguel viu o cão. O Miguel e o Pedro viram o cão. O Miguel diz que viu um cão. O Miguel diz que viu um cão.
  • 11. Complemento indireto Complemento indireto: - complemento selecionado pelo verbo; - tem a forma de um grupo preposicional, iniciado, geralmente, pela preposição a. OMiguel escreveu ao João. O Miguel falou ao Pedro. O Miguel Falou ‘’’’ ao Pedro.
  • 12. Complemento direto e indireto  O Miguel comeu um bolo.  O Miguel comeu-o.  O Miguel escreveu uma carta.  O Miguel escreveu-a.  O Miguel comprou os livros.  O Miguel comprou-os.  O Miguel baralhou as cartas.  O Miguel baralhou-as.  O Miguel diz que viu um cão.  O Miguel diz isso.  O Miguel escreveu ao Pedro.  O Miguel escreveu-lhe.  O Miguel escreveu ao Pedro e ao João.  O Miguel escreveu-lhes.  O Miguel escreveu-me uma carta.  O Miguel escreveu-te.  O Miguel escreveu-nos.  O Miguel escreveu-vos. Complemento direto Complemento indireto
  • 13. Complemento direto e indireto  É selecionado pelo verbo (transitivo direto).  Tem a forma de grupo nominal ou oração.  Pode ser substituído pelos pronomes pessoais o, a, os, as ou pelos pronomes demonstrativos o, isso, isto, etc.  É selecionado pelo verbo (transitivo indireto).  Tem a forma de grupo preposicional.  Pode ser substituído pelos pronomes pessoais me, te, lhe, nos, vos, lhes. Complemento direto Complemento indirecto
  • 14. Complemento oblíquo  O Miguel foi para casa.  O Miguel mora aqui.  O Miguel gosta de bolos.  O Miguel rompeu com os amigos.  O Miguel implicou com o seu colega.  O Miguel mudou de casa. * O Miguel foi. * O Miguel mora. * O Miguel gosta. * O Miguel rompeu. * O Miguel implicou. * O Miguel mudou. Complemento oblíquo: - complemento selecionado pelo verbo; - pode ter a forma de grupo preposicional ou adverbial ou ambos em coordenação; - se for retirado da frase, esta fica incorreta ou de sentido incompleto.
  • 15. Complemento indireto e oblíquo  O Miguel escreveu ao Pedro.  O Miguel escreveu- lhe.  O Miguel escreveu ao Pedro e ao João.  O Miguel escreveu- lhes.  O Miguel foi a casa. * O Miguel foi-lhe.  O Miguel gosta de bolos. * O Miguel gosta-lhes. Complemento indireto Complemento oblíquo
  • 16. Complemento indireto e oblíquo  É selecionado pelo verbo (transitivo indireto).  Tem a forma de grupo preposicional  Pode ser substituído pelo pronome pessoal “lhe”, “lhes”  É selecionado pelo verbo (transitivo indirecto).  Tem a forma de grupo preposicional ou de grupo adverbial  Não pode ser substituído pelo pronome pessoal Complemento indireto Complemento oblíquo
  • 17. Complemento agente da passiva  Os cavalos puxam a carroça.  A carroça é puxada pelos cavalos.  A carroça é puxada. Complemento agente da passiva: – função sintática que é selecionada pelo verbo ; – está presente nas frases passivas; – corresponde ao sujeito da frase na voz ativa; – tem a forma de grupo preposicional, habitualmente iniciado pela preposição por (contraída ou não). Voz AtivaVoz Passiva
  • 18. Predicativo do sujeito  O Miguel é um rapaz.  O Miguel ficou contente.  O Miguel está em casa.  O Miguel continua aqui.  A festa é amanhã. Predicativo do sujeito: - atribui uma propriedade, uma característica ou uma localização ao sujeito; - Completa o sentido dos verbos copulativos (ser, estar, ficar, parecer (como em "parecer doente"), permanecer, continuar (como em "continuar calado"), tornar-se e revelar-se. ) - - pode ter a forma de um grupo nominal, de um grupo adjetival, de um grupo preposicional ou de um grupo adverbial.
  • 19. Complemento direto e Predicativo do sujeito  É selecionado por um verbo transitivo direto.  Não atribui uma propriedade, característica ou localização ao sujeito.  Tem sempre a forma de grupo nominal.  É seleccionado por um verbo copulativo: ser, estar, ficar, parecer, permanecer, continuar, tornar-se, revelar-se  Atribui uma propriedade, característica ou localização ao sujeito.  Pode ter a forma de grupo nominal, adjectival, preposicional e adverbial Complemento direto Predicativo do sujeito
  • 20. Predicativo do complemento direto  O povo elegeu o presidente deputado.  Ninguém acha a Joana simpática. Predicativo do complemento direto: - complemento selecionado pelo verbo transitivo (predicativo); - predica algo acerca do complemento direto; - tem a forma de um grupo nominal, adjetival ou preposicional
  • 21. Modificadordo grupo verbal  O Miguel trabalhou de manhã.  O Miguel correu bem.  O Miguel lia no quarto.  O Miguel trabalhou.  O Miguel correu.  O Miguel lia. Modificador: – função sintática que não é selecionada pelo verbo, mas que se relaciona com ele; – pode ter a forma de grupo preposicional ou adverbial; -- transmite frequentemente noções de tempo, lugar, modo, etc.; -- pode ser eliminado da frase, a qual não perde correção ou coerência.
  • 22. Complemento oblíquo e modificador  É selecionado pelo verbo (transitivo indireto).  É indispensável ao sentido da frase.  Tem a forma de grupo preposicional ou adverbial.  Não é selecionado pelo verbo, mas relaciona-se com ele.  É dispensável ao sentido da frase.  Tem a forma de grupo preposicional ou adverbial. Complemento oblíquo Modificador
  • 23. Modificadorda frase  Infelizmente perdemos o avião.  Na verdade, perdemos o avião.  O avião já tinha partido, quando chegámos ao aeroporto.  Perdemos o avião.  O avião já tinha partido. Modificador da frase: - não é selecionado por nenhum dos constituintes da frase; - pode ser dispensado; - pode ter a forma de grupo adverbial ou preposicional e incide sobre a frase; –– pode ser uma oração (subordinada adverbial) e, neste caso, modifica a oração subordinante;
  • 24. Modificadordo grupo verbal e modificadorda frase  Não é selecionado pelo verbo, mas relaciona-se com ele.  É dispensável ao sentido da frase.  Tem a forma de grupo preposicional ou adverbial;  Podem ser interrogados ou negados ou ocorrer com só ou ape nas . O Miguel partiu hoje. Foi hoje que o Miguel partiu? O Miguel partiu só hoje. O Miguel partiu apenas hoje  Não é selecionado por nenhum dos constituintes da frase.  É dispensável ao sentido da frase.  Tem a forma de grupo preposicional ou adverbial ou oração (subordinada adverbial)  Não podem ser interrogados ou negados ou ocorrer com só ou ape nas . Infelizmente o Miguel partiu. Foi infelizmente o Miguel que partiu? * Foi só infelizmente o Miguel que partiu? Foi apenas infelizmente o Miguel que Modificadordo grupo verbal Modificadorda frase
  • 25. Funções sintáticas internas ao grupo nominal Complemento do nome Modificador Restritivo Apositivo
  • 26. Complemento do nome  A ideia de que o carro do Miguel está avariado é absurda.  O carro do Miguel está avariado.  Os açorianos dedicaram- se durante anos à pesca baleeira.(pescaram baleias)  A ideia é absurda.  O carro está avariado.  Os açorianos dedicaram-se durante anos à pesca. Complemento do nome: – função sintática que é selecionada pelo nome , mas tem carácter opcional; – pode ter a forma de grupo preposicional (oracional ou não) ou, menos frequentemente, um grupo adjetival(constituído por um adjetivo derivado de um nome, sendo o nome que o seleciona derivado de um verbo); – um nome pode selecionar mais do que um complemento.
  • 27. Modificadordo Nome  A maioria dos países que pertencem à união europeia adotaram o euro.  A maioria dos países adotaram o euro.*  Maria adora flores frescas.  Maria adora flores.*  O Prémio Nobel da Literatura foi atribuído a Alice Munro em 2012.  O Prémio Nobel foi atribuído a Alice Munro em 2012.*  A Inglaterra, que faz parte da União Europeia, não adotou o euro.  A Inglaterra não adotou o euro.  A Maria, de quem sou muito amiga, adora flores.  A Maria adora flores.  Saramago, Prémio Nobel da Literatura, é um dos meus autores preferidos.  Saramago é um dos meus autores preferidos. Modificadorrestritivo Modificadorapositivo
  • 28. Modificadordo Nome  Limita a informação dada sobre o nome, atribuindo- lhe uma propriedade que o distingue  É indispensável ao sentido da frase.  Não pode ser separado do nome por vírgulas.  Tem a forma de grupo adjetival ou preposicional ou oração adjetiva relativa restritiva.  Acrescenta informação ao nome.  É dispensável ao sentido da frase.  Surge separado do nome por vírgulas.  Tem a forma de grupo nominal ou oração adjetiva relativa explicativa. Modificadorrestritivo Modificadorapositivo
  • 29. Modificadordo nome e Predicativo do complemento direto  É selecionado pelo nome  Não pode deslocar-se para a posição de adjacente à direita do verbo, dado que altera ou retira o sentido à frase. Maria adora estas flores frescas. Maria adora frescas estas flores.*  É selecionado pelo verbo (transitivo predicativo)  Pode deslocar-se para a posição de adjacente à direita do verbo. O povo elegeu o Sr. Fernandes deputado. O povo elegeu deputado o Sr. Fernandes . Ninguém acha a Joana simpática. Ninguém acha simpática a Joana . Modificadordo nome Predicativo do complemento direto
  • 30. Funções sintáticas internas ao grupo adjetival Complemento do adjetivo
  • 31. Complemento do adjetivo  O Miguel está contente por te ver.  O Miguel está contente com o carro.  O Miguel está contente. Complemento do adjetivo: – função sintática que é selecionada pelo adjetivo , mas tem carácter opcional; – tem a forma de grupo preposicional (oracional ou não)