SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
1
O CASTELO DE FARIA
de Alexandre Herculano
Lê atentamente a lenda de “O Castelo de Faria, de Alexandre Herculano, que se
encontra nas páginas 24 a 30 do teu manual. Não te esqueças de consultar o
vocabulário.
A descrição do espaço - linhas 1 a 51
A descrição é um modo de expressão que consiste em apresentar as
características de lugares ou ambientes, animais ou coisas, pessoas
ou personagens, estados de espírito, impressões ou sentimentos.
 A descrição do monte- linhas 1 a 21
1. A ação de “ O Castelo de Faria” decorre no ___________ do _____________,
perto de _________________ Ao descrever o espaço, o narrador refere as
sensações (visuais, auditivas e táteis) que os diferentes elementos da natureza
provocam:
as árvores – “_______________________________________________
as águas –“ _______________________________________________
o vento- “________________________________________________
O local é ________________, ________________ e ___________________
(três adjetivos), transmitindo __________________ a quem o visita. Esse monte
foi, no passado, cenário de ___________, pois já se viu regado de ___________. As
sensações auditivas de _________, ____________, ______________ e
____________descrevem o ambiente que se vivia nessa época.
2. O narrador aproveita para criticar o comportamento dos homens, acusando-os de
espalhar a desgraça, a guerra e a morte ao dizer que é “________________
________________________________________________________
________________________________________________________”
 A descrição do castelo - linhas 22 a 51
A descrição do castelo é feita com recurso à personificação
“___________________________________________________________
e à enumeração _____________, _____________, ________________,
Nome:
Nº____ Turma ______
2
____________, ___________ e ______________(seis nomes comuns). Se na
Idade Média o castelo parecia um _____________ de mármore e granito, dotado de
_______________,com o passar dos tempos, ele _______________ e caiu. No
século XVI já só era uma ___________, para finalmente, no século seguinte, não
restar nenhum vestígio dele, a não ser os ___________________ que serviram para
a construção do ____________________________________.
Nesta introdução à lenda do castelo de Faria, o narrador defende que devemos
________________ o nosso património e, simultaneamente, _______________
os “maiores”, ou seja, os ____________________ que, ao longo dos séculos se
preocupam mais com ___________________ do que em ____________ os
nossos ______________________
(consulta a página 270 do teu manual)
Apesar do narrador desta lenda ser _____________________ (classificação
quanto à presença), ele é ___________________(classificação quanto à
posição), uma vez que faz comentários e toma partido.
Transcreve uma frase que demonstre que o narrador não é objetivo:
_________________________________________________________
____________________________________________________________
3. Responde nesta folha à questão 7 da página 32
Resposta: ___, ___, ___, ___, ___, ___, ___
Como pudeste verificar, para descrever utilizam-se, sobretudo, as classes
(de palavras) do ___________ e do ____________, figuras de estilo como
a ________________ , a ________________ e a metáfora (Exemplo:
________________________)
O contexto histórico - Guerras com Castela -linhas 52 a 66
4. No reinado de D. Fernando, que o narrador critica por ser pouco
_________________, os castelhanos cercaram ___________ em virtude do
rei não ter cumprido o _______________ de ______________ com uma
_______________ castelhana e, em vez disso, ter casado com _________
_____________
3
A Ação -linhas 67 a 150
 Invasão da província de Entre-Douro-e- Minho - Linhas 67 a 87
5. Resolve nesta folha a questão 12 da página 33 do manual
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
______________________________________________________
6. A primeira preocupação do alcaide de Faria, Nuno Gonçalves, ao ver-se cativo, foi
proteger o ______________, pois acreditava que o seu filho se
_____________em troca da sua ______________. Para que isso não
acontecesse, pensou numa _________________: pediria ao
______________ que o deixasse ir até ao _____________ para
______________o filho a_____________.
 Cerco ao Castelo de Faria - Linhas 88 a 113
7. Os _______________ e os __________________ do exército castelhano
acompanharam o alcaide até ao castelo. Atrás, seguia o grosso do exército liderado
pelo __________________, enquanto a _________________ cercava os
muros do castelo pelo lado oposto. Segundo o narrador, as tropas castelhanas iriam
_________. O povo, assim que avistou as bandeiras do inimigo,
_____________ no terreiro, entre os muros do castelo e a
________________. Os soldados portugueses de imediato se puseram a
___________ o inimigo e aprontaram as armas para disparar ___________. À
medida que os castelhanos avançavam, o povo começou a ____________ com
_____________
A narração é um modo de expressão que consiste no relato de acontecimentos
reais ou fictícios e, por isso, faz uso de verbos de movimento, como por exemplo:
“__________ ,__________ ,__________ ,__________ ,__________
4
 Momento de tensão - Linhas 114 a 150
8. Quando o __________ deu a Gonçalo Nunes a notícia que
__________________________________, fez-se silêncio em redor. As
frases do tipo _______________________, a repetição da expressão
“______________________________...” e os argumentos de Nuno
Gonçalves, prisioneiro dos castelhanos, a relembrar ao filho o seu dever
de______________ ao rei,z servem para convencê-lo a
___________________________
O alcaide de Faria revelou assim ser ______________, ________________ e
___________________(três adjetivos). Os castelhanos, ao perceberem a
________________ de Nuno Gonçalves, _______________________
O Desfecho - Linhas 151 a 181
Após a morte do pai, Gonçalo Nunes fica furioso e jura ______________,
atacando com bravura o inimigo e obrigando-o assim a ____________o
_______. Transcreve as duas comparações utilizadas para exprimir:
- a sua fúria “ …_____________________________________________”
- a sua coragem : “…___________________________________________”
Apesar da________________ contra ________________ e de ser
______________________ pelo seu comportamento exemplar, Gonçalo Nunes
resolveu seguir o _______________ como forma de esquecer a _____ da
____________ do pai.
9. Completa a questão 20 da página 35.
A________________ B_________________C________________

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Quinto imperio: mensagem de Fernado Pessoa
Quinto imperio: mensagem de Fernado PessoaQuinto imperio: mensagem de Fernado Pessoa
Quinto imperio: mensagem de Fernado Pessoadanikj
 
A nostalgia da infância
A nostalgia da infânciaA nostalgia da infância
A nostalgia da infânciaPaulo Portelada
 
Gramática 11º ano
Gramática 11º anoGramática 11º ano
Gramática 11º anoLuis Antonio
 
D. João, infante de portugal
D. João, infante de portugalD. João, infante de portugal
D. João, infante de portugalGonaloNuno2
 
Categorias da Narrativa em "A Aia"
Categorias da Narrativa em "A Aia"Categorias da Narrativa em "A Aia"
Categorias da Narrativa em "A Aia"Maria João C. Conde
 
Resumos de Português: Cesário verde
Resumos de Português: Cesário verdeResumos de Português: Cesário verde
Resumos de Português: Cesário verdeRaffaella Ergün
 
O pronome pessoal posição do pronome pessoal átono
O pronome pessoal   posição do pronome pessoal átonoO pronome pessoal   posição do pronome pessoal átono
O pronome pessoal posição do pronome pessoal átonoAntónio Fernandes
 
Modalidade do verbo
Modalidade do verboModalidade do verbo
Modalidade do verboAna Martins
 
13407362-As-palavras-Eugenio-de-Andrade.docx
13407362-As-palavras-Eugenio-de-Andrade.docx13407362-As-palavras-Eugenio-de-Andrade.docx
13407362-As-palavras-Eugenio-de-Andrade.docxsilviaelisabete
 
Cesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-SistematizaçãoCesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-SistematizaçãoDina Baptista
 
Analise leda serenidade deleitosa
Analise leda serenidade deleitosaAnalise leda serenidade deleitosa
Analise leda serenidade deleitosacnlx
 
Determinantes e pronomes
Determinantes e pronomesDeterminantes e pronomes
Determinantes e pronomesCelina Medeiros
 

Mais procurados (20)

Sísifo- Miguel Torga
Sísifo- Miguel TorgaSísifo- Miguel Torga
Sísifo- Miguel Torga
 
Quinto imperio: mensagem de Fernado Pessoa
Quinto imperio: mensagem de Fernado PessoaQuinto imperio: mensagem de Fernado Pessoa
Quinto imperio: mensagem de Fernado Pessoa
 
A nostalgia da infância
A nostalgia da infânciaA nostalgia da infância
A nostalgia da infância
 
Gramática 11º ano
Gramática 11º anoGramática 11º ano
Gramática 11º ano
 
D. João, infante de portugal
D. João, infante de portugalD. João, infante de portugal
D. João, infante de portugal
 
Nun' Alvares Pereira
Nun' Alvares PereiraNun' Alvares Pereira
Nun' Alvares Pereira
 
Coesão gramatical
Coesão gramaticalCoesão gramatical
Coesão gramatical
 
Categorias da Narrativa em "A Aia"
Categorias da Narrativa em "A Aia"Categorias da Narrativa em "A Aia"
Categorias da Narrativa em "A Aia"
 
Recursos expressivos
Recursos expressivosRecursos expressivos
Recursos expressivos
 
Resumos de Português: Cesário verde
Resumos de Português: Cesário verdeResumos de Português: Cesário verde
Resumos de Português: Cesário verde
 
Cesário verde
Cesário verdeCesário verde
Cesário verde
 
O pronome pessoal posição do pronome pessoal átono
O pronome pessoal   posição do pronome pessoal átonoO pronome pessoal   posição do pronome pessoal átono
O pronome pessoal posição do pronome pessoal átono
 
Canto viii 96_99
Canto viii 96_99Canto viii 96_99
Canto viii 96_99
 
Modalidade do verbo
Modalidade do verboModalidade do verbo
Modalidade do verbo
 
13407362-As-palavras-Eugenio-de-Andrade.docx
13407362-As-palavras-Eugenio-de-Andrade.docx13407362-As-palavras-Eugenio-de-Andrade.docx
13407362-As-palavras-Eugenio-de-Andrade.docx
 
Cesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-SistematizaçãoCesário Verde-Sistematização
Cesário Verde-Sistematização
 
Analise leda serenidade deleitosa
Analise leda serenidade deleitosaAnalise leda serenidade deleitosa
Analise leda serenidade deleitosa
 
Trovadorismo1
Trovadorismo1Trovadorismo1
Trovadorismo1
 
Determinantes e pronomes
Determinantes e pronomesDeterminantes e pronomes
Determinantes e pronomes
 
Recursos expressivos
Recursos expressivos Recursos expressivos
Recursos expressivos
 

Semelhante a O castelo de faria

O Castelo de Faria
O Castelo de FariaO Castelo de Faria
O Castelo de FariaMaria Gois
 
hgp5_ficha_avaliacao_2a (1).pdf
hgp5_ficha_avaliacao_2a (1).pdfhgp5_ficha_avaliacao_2a (1).pdf
hgp5_ficha_avaliacao_2a (1).pdfClara Martinho
 
Prova de HISTÓRIA
Prova de HISTÓRIAProva de HISTÓRIA
Prova de HISTÓRIAKatia Lopes
 
A história da pequena estrela.pdf
A história da pequena estrela.pdfA história da pequena estrela.pdf
A história da pequena estrela.pdfEDP28
 
Promoção da leitura o cavaleiro da dinamarca
Promoção da leitura   o cavaleiro da dinamarcaPromoção da leitura   o cavaleiro da dinamarca
Promoção da leitura o cavaleiro da dinamarcaLucília Lopes
 
História de um balão
História de um balãoHistória de um balão
História de um balãobibliotecap
 
Teste ulisses
Teste ulissesTeste ulisses
Teste ulissesEmilianaO
 
Lenda Do Bicho Da Seda C Oral
Lenda Do Bicho Da Seda C OralLenda Do Bicho Da Seda C Oral
Lenda Do Bicho Da Seda C OralMaria José Ramos
 
nnnnnn
nnnnnnnnnnnn
nnnnnnfaf29
 
LINGUAGEM VERBAL, LINGUAGEM VISUAL E LINGUAGEM MULTIMODAL.pptx
LINGUAGEM VERBAL, LINGUAGEM VISUAL E LINGUAGEM MULTIMODAL.pptxLINGUAGEM VERBAL, LINGUAGEM VISUAL E LINGUAGEM MULTIMODAL.pptx
LINGUAGEM VERBAL, LINGUAGEM VISUAL E LINGUAGEM MULTIMODAL.pptxsimoneantoniadasilva
 

Semelhante a O castelo de faria (16)

O Castelo de Faria
O Castelo de FariaO Castelo de Faria
O Castelo de Faria
 
Perc vicentino 1ciclo perguntas12_13
Perc vicentino 1ciclo perguntas12_13Perc vicentino 1ciclo perguntas12_13
Perc vicentino 1ciclo perguntas12_13
 
hgp5_ficha_avaliacao_2a (1).pdf
hgp5_ficha_avaliacao_2a (1).pdfhgp5_ficha_avaliacao_2a (1).pdf
hgp5_ficha_avaliacao_2a (1).pdf
 
Perc vicentino profsperguntas12 13
Perc vicentino profsperguntas12 13Perc vicentino profsperguntas12 13
Perc vicentino profsperguntas12 13
 
Percursos vicentinos perguntas
Percursos vicentinos perguntasPercursos vicentinos perguntas
Percursos vicentinos perguntas
 
Prova de HISTÓRIA
Prova de HISTÓRIAProva de HISTÓRIA
Prova de HISTÓRIA
 
A história da pequena estrela.pdf
A história da pequena estrela.pdfA história da pequena estrela.pdf
A história da pequena estrela.pdf
 
Promoção da leitura o cavaleiro da dinamarca
Promoção da leitura   o cavaleiro da dinamarcaPromoção da leitura   o cavaleiro da dinamarca
Promoção da leitura o cavaleiro da dinamarca
 
Roteiro de belém 1
Roteiro de belém 1Roteiro de belém 1
Roteiro de belém 1
 
História de um balão
História de um balãoHistória de um balão
História de um balão
 
Teste ulisses
Teste ulissesTeste ulisses
Teste ulisses
 
Lenda Do Bicho Da Seda C Oral
Lenda Do Bicho Da Seda C OralLenda Do Bicho Da Seda C Oral
Lenda Do Bicho Da Seda C Oral
 
nnnnnn
nnnnnnnnnnnn
nnnnnn
 
O rapaz de pedra
O rapaz de pedraO rapaz de pedra
O rapaz de pedra
 
O rapaz de pedra
O rapaz de pedraO rapaz de pedra
O rapaz de pedra
 
LINGUAGEM VERBAL, LINGUAGEM VISUAL E LINGUAGEM MULTIMODAL.pptx
LINGUAGEM VERBAL, LINGUAGEM VISUAL E LINGUAGEM MULTIMODAL.pptxLINGUAGEM VERBAL, LINGUAGEM VISUAL E LINGUAGEM MULTIMODAL.pptx
LINGUAGEM VERBAL, LINGUAGEM VISUAL E LINGUAGEM MULTIMODAL.pptx
 

Mais de Maria Gois

ldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_2.docx
ldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_2.docxldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_2.docx
ldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_2.docxMaria Gois
 
ldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_1.docx
ldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_1.docxldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_1.docx
ldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_1.docxMaria Gois
 
Viagens na minha terra
Viagens na minha terraViagens na minha terra
Viagens na minha terraMaria Gois
 
Um mover de olhos, de Camões
Um mover de olhos, de CamõesUm mover de olhos, de Camões
Um mover de olhos, de CamõesMaria Gois
 
Endechas Bárbara escrava
Endechas Bárbara escravaEndechas Bárbara escrava
Endechas Bárbara escravaMaria Gois
 
"Descalça vai para a fonte", de Camões
"Descalça vai para a fonte", de Camões"Descalça vai para a fonte", de Camões
"Descalça vai para a fonte", de CamõesMaria Gois
 
Leitura mar me quer capitulo a capitulo
Leitura mar me quer capitulo a capituloLeitura mar me quer capitulo a capitulo
Leitura mar me quer capitulo a capituloMaria Gois
 
Funcoes sintacticas ml
Funcoes sintacticas mlFuncoes sintacticas ml
Funcoes sintacticas mlMaria Gois
 
Quadro frasesimplescomplexa revisão_sec_convertido
Quadro frasesimplescomplexa revisão_sec_convertidoQuadro frasesimplescomplexa revisão_sec_convertido
Quadro frasesimplescomplexa revisão_sec_convertidoMaria Gois
 
Orações subordinadas
Orações subordinadasOrações subordinadas
Orações subordinadasMaria Gois
 
Funções sintáticas (de acordo com o Dicionário Terminológico)
Funções sintáticas (de acordo com o Dicionário Terminológico)Funções sintáticas (de acordo com o Dicionário Terminológico)
Funções sintáticas (de acordo com o Dicionário Terminológico)Maria Gois
 

Mais de Maria Gois (12)

ldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_2.docx
ldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_2.docxldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_2.docx
ldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_2.docx
 
ldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_1.docx
ldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_1.docxldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_1.docx
ldia11_gramatica_funcoes_sintaticas_1.docx
 
Viagens na minha terra
Viagens na minha terraViagens na minha terra
Viagens na minha terra
 
Os Lusíadas
Os LusíadasOs Lusíadas
Os Lusíadas
 
Um mover de olhos, de Camões
Um mover de olhos, de CamõesUm mover de olhos, de Camões
Um mover de olhos, de Camões
 
Endechas Bárbara escrava
Endechas Bárbara escravaEndechas Bárbara escrava
Endechas Bárbara escrava
 
"Descalça vai para a fonte", de Camões
"Descalça vai para a fonte", de Camões"Descalça vai para a fonte", de Camões
"Descalça vai para a fonte", de Camões
 
Leitura mar me quer capitulo a capitulo
Leitura mar me quer capitulo a capituloLeitura mar me quer capitulo a capitulo
Leitura mar me quer capitulo a capitulo
 
Funcoes sintacticas ml
Funcoes sintacticas mlFuncoes sintacticas ml
Funcoes sintacticas ml
 
Quadro frasesimplescomplexa revisão_sec_convertido
Quadro frasesimplescomplexa revisão_sec_convertidoQuadro frasesimplescomplexa revisão_sec_convertido
Quadro frasesimplescomplexa revisão_sec_convertido
 
Orações subordinadas
Orações subordinadasOrações subordinadas
Orações subordinadas
 
Funções sintáticas (de acordo com o Dicionário Terminológico)
Funções sintáticas (de acordo com o Dicionário Terminológico)Funções sintáticas (de acordo com o Dicionário Terminológico)
Funções sintáticas (de acordo com o Dicionário Terminológico)
 

O castelo de faria

  • 1. 1 O CASTELO DE FARIA de Alexandre Herculano Lê atentamente a lenda de “O Castelo de Faria, de Alexandre Herculano, que se encontra nas páginas 24 a 30 do teu manual. Não te esqueças de consultar o vocabulário. A descrição do espaço - linhas 1 a 51 A descrição é um modo de expressão que consiste em apresentar as características de lugares ou ambientes, animais ou coisas, pessoas ou personagens, estados de espírito, impressões ou sentimentos.  A descrição do monte- linhas 1 a 21 1. A ação de “ O Castelo de Faria” decorre no ___________ do _____________, perto de _________________ Ao descrever o espaço, o narrador refere as sensações (visuais, auditivas e táteis) que os diferentes elementos da natureza provocam: as árvores – “_______________________________________________ as águas –“ _______________________________________________ o vento- “________________________________________________ O local é ________________, ________________ e ___________________ (três adjetivos), transmitindo __________________ a quem o visita. Esse monte foi, no passado, cenário de ___________, pois já se viu regado de ___________. As sensações auditivas de _________, ____________, ______________ e ____________descrevem o ambiente que se vivia nessa época. 2. O narrador aproveita para criticar o comportamento dos homens, acusando-os de espalhar a desgraça, a guerra e a morte ao dizer que é “________________ ________________________________________________________ ________________________________________________________”  A descrição do castelo - linhas 22 a 51 A descrição do castelo é feita com recurso à personificação “___________________________________________________________ e à enumeração _____________, _____________, ________________, Nome: Nº____ Turma ______
  • 2. 2 ____________, ___________ e ______________(seis nomes comuns). Se na Idade Média o castelo parecia um _____________ de mármore e granito, dotado de _______________,com o passar dos tempos, ele _______________ e caiu. No século XVI já só era uma ___________, para finalmente, no século seguinte, não restar nenhum vestígio dele, a não ser os ___________________ que serviram para a construção do ____________________________________. Nesta introdução à lenda do castelo de Faria, o narrador defende que devemos ________________ o nosso património e, simultaneamente, _______________ os “maiores”, ou seja, os ____________________ que, ao longo dos séculos se preocupam mais com ___________________ do que em ____________ os nossos ______________________ (consulta a página 270 do teu manual) Apesar do narrador desta lenda ser _____________________ (classificação quanto à presença), ele é ___________________(classificação quanto à posição), uma vez que faz comentários e toma partido. Transcreve uma frase que demonstre que o narrador não é objetivo: _________________________________________________________ ____________________________________________________________ 3. Responde nesta folha à questão 7 da página 32 Resposta: ___, ___, ___, ___, ___, ___, ___ Como pudeste verificar, para descrever utilizam-se, sobretudo, as classes (de palavras) do ___________ e do ____________, figuras de estilo como a ________________ , a ________________ e a metáfora (Exemplo: ________________________) O contexto histórico - Guerras com Castela -linhas 52 a 66 4. No reinado de D. Fernando, que o narrador critica por ser pouco _________________, os castelhanos cercaram ___________ em virtude do rei não ter cumprido o _______________ de ______________ com uma _______________ castelhana e, em vez disso, ter casado com _________ _____________
  • 3. 3 A Ação -linhas 67 a 150  Invasão da província de Entre-Douro-e- Minho - Linhas 67 a 87 5. Resolve nesta folha a questão 12 da página 33 do manual ______________________________________________________ ______________________________________________________ ______________________________________________________ ______________________________________________________ ______________________________________________________ ______________________________________________________ ______________________________________________________ 6. A primeira preocupação do alcaide de Faria, Nuno Gonçalves, ao ver-se cativo, foi proteger o ______________, pois acreditava que o seu filho se _____________em troca da sua ______________. Para que isso não acontecesse, pensou numa _________________: pediria ao ______________ que o deixasse ir até ao _____________ para ______________o filho a_____________.  Cerco ao Castelo de Faria - Linhas 88 a 113 7. Os _______________ e os __________________ do exército castelhano acompanharam o alcaide até ao castelo. Atrás, seguia o grosso do exército liderado pelo __________________, enquanto a _________________ cercava os muros do castelo pelo lado oposto. Segundo o narrador, as tropas castelhanas iriam _________. O povo, assim que avistou as bandeiras do inimigo, _____________ no terreiro, entre os muros do castelo e a ________________. Os soldados portugueses de imediato se puseram a ___________ o inimigo e aprontaram as armas para disparar ___________. À medida que os castelhanos avançavam, o povo começou a ____________ com _____________ A narração é um modo de expressão que consiste no relato de acontecimentos reais ou fictícios e, por isso, faz uso de verbos de movimento, como por exemplo: “__________ ,__________ ,__________ ,__________ ,__________
  • 4. 4  Momento de tensão - Linhas 114 a 150 8. Quando o __________ deu a Gonçalo Nunes a notícia que __________________________________, fez-se silêncio em redor. As frases do tipo _______________________, a repetição da expressão “______________________________...” e os argumentos de Nuno Gonçalves, prisioneiro dos castelhanos, a relembrar ao filho o seu dever de______________ ao rei,z servem para convencê-lo a ___________________________ O alcaide de Faria revelou assim ser ______________, ________________ e ___________________(três adjetivos). Os castelhanos, ao perceberem a ________________ de Nuno Gonçalves, _______________________ O Desfecho - Linhas 151 a 181 Após a morte do pai, Gonçalo Nunes fica furioso e jura ______________, atacando com bravura o inimigo e obrigando-o assim a ____________o _______. Transcreve as duas comparações utilizadas para exprimir: - a sua fúria “ …_____________________________________________” - a sua coragem : “…___________________________________________” Apesar da________________ contra ________________ e de ser ______________________ pelo seu comportamento exemplar, Gonçalo Nunes resolveu seguir o _______________ como forma de esquecer a _____ da ____________ do pai. 9. Completa a questão 20 da página 35. A________________ B_________________C________________