ESTILOS DO DESIGN | SURREALISMO

395 visualizações

Publicada em

Seminário apresentado à disciplina Projeto de Interiores, ministrada pela professora Paula Glória, como requisito parcial de aprovação do curso de especialização de Arquitetura e Design.

Publicada em: Design
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
395
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

ESTILOS DO DESIGN | SURREALISMO

  1. 1. O surrealismo foi um movimento artístico e literário fundadonaFrança,pelopoetaAndréBreton,nadécadade 1920, inserido no contexto das que viriam avanguardas definir o modernismo no período entre as duas Grandes Guerras Mundiais. Nasceu das teorias psicanalíticas de Freud, na artística necessidade de libertar o que há no inconsciente, na intuição e nos sonhos, resultando em obras que discutem o fantástico e o onírico em confronto com a realidade. Propunha o automatismo (autor se deixa levar pelo subconsciente) puramente físico, através do qual se pretendia expressar, verbalmente, por escrito, ou deoutraforma,averdadeirafunçãodopensamento; Busca restaurar os poderes da imaginação, castrados pelos limites do utilitarismo da sociedade burguesa (os surrealistas rejeitam a chamada ditadura da razão e valores burgueses como pátria, família, religião, trabalho e honra), e superar a contradição entre objetividade e subjetividade, tentando consagrar uma poética da alucinação, de ampliação da consciência. Breton declara no seu Primeiro Manifesto Surrealista sua crença na possibilidade de reduzir dois estados aparentemente tão contraditórios: sonho e realidade, “a uma espécie de realidadeabsoluta,desobre-realidade[surrealité]”. SURREALISMO medo ou liberdade? Arquitetura e Design Projeto de Design de Interiores Paula Glória Jéssica Oliveira Lucas Nãoéomedodaloucuraquevainosobrigarahastearameio-paua bandeira da imaginação (...) Só o que me exalta ainda é a única palavra,liberdade. André Breton.
  2. 2. VisãoSurrealista Produzir uma arte que, segundo o movimento, estava sendodestruídapeloracionalismo. Humor, sonho e a contralógica são recursos a serem utilizadosparalibertarohomemdaexistênciautilitária. Faz grande uso de descontextualizações, esvazia-se um significante de seu significado para atingir novos e inusitadossignificados. Destacou-se nas artes, principalmente por quadros, esculturas ou produções literárias que procuravam expressaroinconscientedosartistas. ExperimentaçõesdeAndreBreton. SURREALISMO medo ou liberdade? I N CO N S C I E N T E Q U E B R A R A S R E G R A S FANTÁSTICO I M A G I N A Ç Ã O LUGAR SONHOS FORA DO ABSTRATO IRREAL
  3. 3. Cadeira Calvet - Antoní Gaudi (1902) SURREALISMO & design AntoniGaudíeodesignsurrealista Ícone da arquitetura de Barcelona, sua obra é reconhecida por ser simplesmente livre: sem limites, sem definições, devotada à criação. Modernista e gótico, também chegou a ser considerado um surrealista emalgumasdesuasrealizações. A composição de pedras e tijolos modelados, com painéis cerâmicos repletos de cores, texturas e criações voluptuosas,trouxeàBarcelonaumanovaambientação. Cadeira Batlló - Antoní Gaudi (1906)
  4. 4. SURREALISMO & design AntoniGaudíeodesignsurrealista Principaisobras: ParqueGüell(1857); PalácioGüell(1885); CasaMilà(1906); CasaVicens(1883); Fachada da Natividade e cripta da Sagrada Famíla (1883); CasaBatlló(1904); CriptadaColóniaGüell(1899). CasaBatlló-AntoniGaudí
  5. 5. SURREALISMO & design AntoniGaudíeodesignsurrealista
  6. 6. SURREALISMO & design SalvadorDalieoobjetosurrealista Às vezes chamada de "Relógios fundidos", o trabalho apresenta a surrealista imagem de que o relógio é, incansavelmente, o pressuposto de que o tempo é rígido ou determinista, e neste sentido é apoiado por outras imagens, no trabalho, tais como a vasta expansão da paisagem e de formigasavoaradevorarosoutrosrelógios. TelefoneLagosta-SalvadorDalí,1936 SofáLábios-SalvadorDalí,1937 Dois dos mais populares objetos foram os Telefone Lagosta e o Sofá-lábios de Mae West, completados por Dalí em 1936 e 1937,respectivamente. A persistência da memória.
  7. 7. CadeiraLeda-SalvadorDalí,1935/37 SURREALISMO & design SalvadorDalieoobjetosurrealista Durante os anos entre 1941 e 1970 Dalí também foi responsável pela criação de um impressionante conjunto dejóias,39nototal.
  8. 8. StuartWeitzmanStore,Roma-2006/FabioNovembre SURREALISMO & design FabioNovembreeodesignsurrealista Responsável pela poltrona Nemo, que materializa uma grande máscara de forte presença cênica, bem como pelacriaçãodadupladecadeiras"Him"e"Her". PoltronaNemoeCadeiraHim/Her,FabioNovembre.2010
  9. 9. CliftHotel,emSãoFrancisco(EUA)-PhilippeStarck HotelSLSBervelyHills,emLosAngeles-PhilippeStarck PhilippeStarckeodesignsurrealista Também exerce esse lado surrealista com grandeza quando propõe um espremedor de laranjas ou um banquinho. A luminária Marie Coquine também brinca de maneira inusitada com a composição entre a delicadeza dolustrecomumcomabrutalidadedosacodeboxe. Espremedordelaranja,1990 -PhilippeStarck SURREALISMO & design
  10. 10. Itália, 1983 Franco Moschino Lojas: 35 Presença global: 60 países Segmento: Moda de Luxo SURREALISMO & design
  11. 11. SURREALISMO & design MaisonMOSCHINO Inaugurado em 2010, em Milão, em um prédio de 4 andares que abriga 65 quartos temáticos e lúdicos (decorados com temas como «Alice do Páis das Maravilhas» e Bela Adormecida, ou com referências que lembram a infância, como almofadas em formato de grandes doces. Bar, restaurante de nível internacional, galeria de obras, academia, spa e sala de conferências. O interiordoHotelrefleteoestilodistintodamarca,ondeo mundo é pintado com um pincel de surrealismo. Decoraçãoextravagente.
  12. 12. SURREALISMO & design
  13. 13. SURREALISMO & design MOSCHINOStore O projeto da loja, elaborado pela designer Denisa Tudorica, foi inspirado na história, símbolos e características da marca. O tema principal está ligado à ideia de um teatro de fantoches, fazendo das cortinas vermelhas como a entrada do palco. Todo o interior é dominado pelos provadores que estão escondidos dentro do vestido de diferente escala penduradonoteto.
  14. 14. SURREALISMO & design
  15. 15. SURREALISMO & design
  16. 16. SURREALISMO & design
  17. 17. SURREALISMO & design MOSCHINO-Roma Arquiteto:MicheledeLucchi -Madeiraeespelhos(comoobjetivodecriarilusões); -Coisasforadolugar,quebrarasregras; - «Pensar em nossas roupas é como pensar em nossas casas,sãoosprincipaislugaresemquevivemos»;
  18. 18. SURREALISMO & design MOSCHINO-Roma Arquiteto:MicheledeLucchi
  19. 19. SURREALISMO & design MOSCHINO – NOVA YORK Arquiteto: Vudafieri Partners Tem como proposta contar a história da jornada de uma jovem por uma floresta, que tem várias descobertas ao longo da caminhada. A entrada apresenta uma série de luminárias de aço inoxidável personalizados contendo aglomerados corações de vidro fosco (analogia às nuvens). Um anel de diamante, no projeto em grandes dimensões, é posicionada como uma vitrine de apresentação, indica uma variedade de acessórios e mercadorias relacionadas sob o vidro. Caixas descansandonochãosugeremfrutoscaídos.Objetosem escalasdiferentesfazempartedesteprojeto.Nafiguraao ladoépossívelassociarumabolsagiganteàumbanco.
  20. 20. SURREALISMO & design MOSCHINO – NOVA YORK Arquiteto: Vudafieri Partners Um passeio pela área de acessórios se descobre uma pequena cabana de pala-telhado, com tratamento em lacca branca de alto brilho. A iluminação interna destaca a mercadoria e adiciona à fantasia da floresta. Uma árvore em uma parede adjacente, exibindo bolsas, possui prateleiras de vidro fosco, feito à mão na Itália, comumsuportedevidrocheiodebolhas.

×