Revolução francesa

999 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
999
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
348
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Revolução francesa

  1. 1. A Revolução Francesa(1789 – 1799)Profª Janayna Lira
  2. 2. Nome dado ao conjunto de acontecimentosocorridos entre 1789 e 1799 quealteraram o quadro político e social da França.É considerada um dos grandes acontecimentosque marcaram a superação do Feudalismo peloCapitalismo e a ascensão da burguesia no âmbitopolítico francês.Foi influenciada pelos ideais do Iluminismo e daIndependência Americana (1776).Além disso, é o marco divisório entre as IdadesModerna e Contemporânea.Aboliu a servidão e os direitos feudais na França eproclamou os princípios universais de"Liberdade, Igualdade e Fraternidade”
  3. 3. É considerada uma Revoluçãopor ter dinamitado as basesdo Antigo Regime na Europa,servindo de inspiração para outrospaíses absolutistas iniciaremprocessos semelhantes, masnenhum teve a magnitude domovimento francês.
  4. 4. Fases da RevoluçãoOs Estados Gerais (1789)A Assembléia (1789 - 1792)A Convenção (1792 – 1795)O Diretório (1795 – 1799)No processo da Revolução, a França passaria pordiversos tipos de governo: monarquiaconstitucional, República, ditadura.
  5. 5. A estrutura anterior à Revolução Política: Absolutismo monárquico
  6. 6.  Economia: Basicamente agrária• Maior parte das propriedades eram feudais• Escassez de alimentos – agravada por intempériesnas últimas décadas do século XVIII.• Precária industrialização Grande déficit público• Sustentação de numerosa corte (+ - 400 mil pessoas)• Guerras no estrangeiro• Ausência de política produtiva
  7. 7. “Tudo conspira para que o momento atual se tornecrítico na França; a todo momento chegam dasprovíncias notícias sobre rebeliões, desordens e anecessidade de recorrer às tropas para manter apaz (...) No dia do mercado assisti à venda do trigo.Um grupo de soldados ficara no meio da praça, paraimpedir qualquer violência. O povo discutia com ospadeiros, argumentando que o preço que pediampelo pão era muito alto em relação ao preço dotrigo; das injúrias passou-se à agressão e, nestetumulto, alguns levaram pão e trigo sem pagarnada”.Relato de A. Young, viajante inglês, às vésperas da Revolução.
  8. 8.  Sociedade• Caráter estamental (sociedade de ordens)• Critério: nascimento
  9. 9. Panorâmica do Castelo
  10. 10. SociedadeSociedade dividida em Estadosdividida em Estados 1º Estado: Clero (cerca de 120 mil, pessoas ou 1% da população) Alto Clero – aristocrático Baixo Clero – popularizadoexcluído da participação políticairá aderir à revolução 2º Estado: Nobreza (cerca de 350 mil pessoas ou 2% da população) Parasitária 3º Estado: Povo (cerca de 24 milhões de pessoas ou 97% da população) 97% da população Impostos, produção. Sem participação política Incluía a Burguesia
  11. 11. Sociedade estamentalPrimeira Estado:CleroSegundo Estado:NobrezaTerceiro Estado:burguesia, sans-cullotes,camponeses, etc.Classesprivilegiadas: nãopagavamtributos
  12. 12. Os estamentos97%2%1% 1º ESTADO: CLERO2º ESTADO: NOBREZA3º ESTADO:BURGUESIA +CAMPONESES +SANS CULOTES:Os sans-culottes eram artesãos, trabalhadores e atépequenos proprietários que viviam nos arredores de Paris.Recebiam esse nome porque não usavam os elegantescalções que a nobreza vestia, mas uma calça de algodãogrosseira.
  13. 13. O Palácio deVesalhesDesde 1774 o país eragovernado por Luís XVI.Distante dos interesses dapopulação, ele governava opaís no palácio deVersalhes. Para manter oluxo do palácio e de seusmembros eram cobradosvultosos impostos dapopulação mais pobre.Considerado um dosmaiores do mundo, oPalácio possui 2.153janelas, 67 escadas, 352chaminés, 700 quartos,1.250 lareiras e 700hectares de parque.
  14. 14. Panorâmica do Castelo
  15. 15. As insatisfações e tensões políticaslevam ao início da RevoluçãoOs Estados Gerais eram uma espécie de Parlamento formadopor representantes dos três estados. No entanto, o critériode votação estabelecido dava a cada um deles um voto.Apesar de contar com vários membros, o terceiro estadoera vencido pelos interesses comuns do primeiro esegundo estados, o que causava insatisfação.Assim, era interesse do terceiro estado que a forma devotação fosse mudada, onde a votação seria feita porcabeça, o que lhe daria chances de conseguir vitória dosseus anseios.Diante da crise vivida, a solução seria a cobrança deimpostos dos Primeiro e Segundo Estados, o que não foiaceito por estes – Assembléia dos Notáveis, 1787.
  16. 16. Os Estados Gerais (1789) Luís XVI convoca os Estados Gerais Tentativa de promover mudanças tributárias Composto por representantes dos três estados. Primeiro e Segundo Estados X Terceiro Estado
  17. 17. Os EstadosGeraisClero = 291Nobreza = 3273º Estado = 578
  18. 18. A Assembléia (1789 – 1791) Terceiro Estado se retira em protesto Proclama-se Assembléia Nacional Constituinte Exército colocado de prontidão População apoia a Assembléia. Tomada da Bastilha Marco da Revolução Francesa
  19. 19. Juramento da PélaSessãoinaugural dosEstados Gerais
  20. 20. A Queda daBastilha14/07/1789Milhares de pessoassaíram às ruas deParis e invadiram aBastilha (símbolo dopoder absoluto dorei), antiga prisãopolítica do AntigoRegime.
  21. 21. O Grande MedoOnda desaques edestruição.Propriedadesfeudais,castelos ecartóriosqueimados.
  22. 22. Assembléia (cont.) Assembléia aprova Abolição dos privilégios feudais e fim da servidão Confisco das propriedades feudais => promessa dereforma Agrária Aristocracia foge para a Áustria e Prússia. Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão
  23. 23. DECLARAÇÃO DOS DIREITOS DO HOMEM E DOCIDADÃORedigida pelosrepresentantes doTERCEIRO ESTADOOs homens nascem edevem permanecerlivres e iguais perante aleiA liberdade individuale os direitos do homemdevem ser garantidos
  24. 24. Constituição Civil do Clero (1790) Igreja afastada do poder Religiosos transformados em funcionáriospúblicos. Confisco dos bens da Igreja Cisão do clero: o Baixo Clero jura a Constituição eadere à Revolução. O Alto Clero não aceita aConstituição e emigra para Áustria e Prússia;unem-se a outros emigrados e recebem o apoiodos governos locais e da Inglaterra, articulando aContrarrevolução.
  25. 25. Assembléia (cont.) Aprovada a Constituição (1791) Três Poderes Voto censitário Confisco de propriedades e tesouros da Igreja Instituição de impostos e taxas para a nobreza Instituição de uma única lei para todos os cidadãosfranceses. Manutenção da monarquia como forma de governo Fim do Absolutismo: Monarquia Constitucional
  26. 26. É interessante notar que a situaçãodo povo não mudou com aRevolução, quem realmente obtevemudanças significativas foram osburgueses, que passaram acontrolar a política nacional.
  27. 27. A reação absolutista Áustria e Prússia declaram guerra a França Objetivo: Impedir o avanço dos ideaisrevolucionários pela Europa (Apoio da Inglaterra) Luis XVI tenta fugir para a Áustria Capturado e levado preso para Paris Mobilização popular Vitória Francesa Proclamação da República (Convenção) Luis XVI guilhotinado (1793)
  28. 28. PRISÃO DA FAMILIA REAL&CONTRARREVOLUÇÃO
  29. 29. EXECUÇÃO DE LUÍS XVI
  30. 30. A guilhotinaA guilhotina era uminstrumento utilizado paradecapitar, isto é, cortar acabeça dos condenados. Elafoi aprimorada na época daRevolução Francesa com oobjetivo de tornar a execuçãodo condenado mais rápida eindolor. Além disso, adecapitação era vista, naquelaépoca, como uma formanobre de morrer. A pena demorte e o uso da guilhotinavigoraram na França muitosanos após a Revolução,sendo abolidos pelo governofrancês somente em 1981.
  31. 31. A Proclamação da República:Convenção (1792 – 1795)A Assembléia Legislativa é substituída pelaConvenção Nacional, eleita por sufrágio universal(21/09/1792). Composta por 749 deputados.É o fim da Monarquia Constitucional eproclamação da republica na França.Função: Organizar a defesa militar da França Elaborar uma Constituição republicana
  32. 32. As disputas políticasGirondinosRepresentantes da alta burguesiaConservadores – condenavam excessos popularesDireitaJacobinosRepresentam a pequena burguesia, camadaspopulares e sans-cullotesRadicais – igualdade social e RepúblicaEsquerdaPlanície ou pântanoIndefinidos politicamente; oscilavamModerados – centro
  33. 33. A Convenção girondina (1792 –1793)Fase moderada.Agitações internas e conflitos externosInvestimento em armamentos e soldadosCrise financeiraSans-culottes se unem ao jacobinos contrainvasão: ascensão do grupo ao poder.
  34. 34. Danton Robespierre Marat
  35. 35. Ascensão jacobina: governo radicalRepública vira Ditadura.Período de crise financeiraRegiões francesas contrárias ao governoNovo calendário.Robespierre assume o governo (1793)Divisão de poderes:Executivo: comitês de salvação públicaLegislativo: convenção nacionalJudiciário: tribunal revolucionário
  36. 36. Principais medidasTabelamento de preços, reforma agráriaComitê de Salvação PúblicaRegime do Terror: a radicalização revolucionáriaComitês revolucionários: uso constante daguilhotinaLei do preço máximo: proibia o aumento do preçodo pão
  37. 37. “É preciso punir não apenas os traidores, masaté os indiferentes; punir quem quer que sejapassivo na República e não faça nada por ela;pois desde que o povo francês manifestou suavontade, tudo que se opõe a ele está fora dasoberania; (...) é seu inimigo (...)Saint-Just – deputado jacobino
  38. 38. A ascensão jacobina: governo radicalA Constituição republicana (1793)Ampliação dos direitos sociaisVoto universal masculino(acima de 21 anos)Escolas primárias gratuitasFim da escravidão nas colôniasPensão anual e assistência médica gratuita aosvelhos, enfermos e viúvas com filhos.Luís XVI guilhotinadoDivide o paísIndigna outros países.
  39. 39. Luís XVI foiacusado deapoiar osmonarcasabsolutistascontra aRevolução, sendosubmetido a umtribunal que ocondenou à mortepelos crimes detirania e detraição à Nação.foi executado naguilhotina em 21de janeiro de1793.
  40. 40. A reação termidoriana e o terrorbrancoA reação termidoriana ou Golpe do TermidorClima de desconfiança enfraquece politicamente osjacobinos: Robespierre perde apoio da população.Girondinos retomam o controle da ConvençãoO terror brancoRobespierre e outros líderes são presos eexecutados na guilhotina (1794)Participação de monarquistas, simpatizantes daIgreja e girondinos.
  41. 41. Diretório (1795-1799)Ascensão dos girondinos Burguesia no poder: decisões jacobinas anuladas Anulação do voto universal e da lei do preço máximo Herdou problemas econômicos e financeirosConstituição (1795) Lema: “liberdade, igualdade e propriedade”Poder Executivo: Diretório Órgão formado por cinco membros eleitos por 5 anos.As campanhas de conquista Luta contra jacobinos, sans-culottes e monarquistas Exército vence e sai fortalecido
  42. 42. População quer a Constituição de 1793 evoto universal.Nobres refugiados tramam retorno damonarquiaNapoleão Bonaparte: encarregado de reprimirGolpe do 18 Brumário (1799)Apoio da de alguns políticos contrários ao AntigoRegime e temerosos do retorno do Terror jacobinoApoio da alta burguesia e do exércitoPopulação desejava um governo forteDiretório se transforma em consulado“Fim” da Revolução
  43. 43. NapoleãoBonaparte
  44. 44. O PROCESSOREVOLUCIONÁRIO FRANCÊS,ENFIM...O PROCESSOREVOLUCIONÁRIO FRANCÊS,ENFIM...
  45. 45. ...provocou mudanças importantes nas estruturaspolíticas e sociais do país. Com ele, o Estadoabsolutista foi destruído e se inaugurou o Estado dodireito, apoiado na Constituição; eliminou as antigasrelações feudais no campo e pôs fim aos privilégiossociais baseados nos critérios de nascimento,sangue e tradição; separou religião e poder políticoinstitucional, inaugurando o chamado Estado laico;concretizou as idéias liberais de organização políticaassegurando a igualdade jurídica dos cidadãos, adivisão do poder e a liberdade religiosa, intelectual epolítica; inaugurou o predomínio política daburguesia e possibilitou as condições favoráveis àconsolidação do capitalismo.

×