SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 59
IGREJA CATÓLICA
APOSTÓLICA ROMANA
A nossa Igreja
DE ONDE
SURGE A IGREJA?
DEUS AO ENCONTRO DO HOMEM
Pela razão natural, o homem pode
conhecer Deus com certeza, a partir
das suas obras. Mas existe outra
ordem de conhecimento, que o
homem de modo nenhum pode
atingir por suas próprias forças: a da
Revelação divina.
Por uma vontade absolutamente livre,
Deus revela-Se e dá-Se ao homem.
E fá-lo revelando o seu mistério, o
desígnio benevolente que, desde toda a
eternidade, estabeleceu em Cristo, em
favor de todos os homens.
Revela plenamente o seu desígnio,
enviando o seu Filho bem-amado,
nosso Senhor Jesus Cristo, e o Espírito
A REVELAÇÃO DE DEUS
O desígnio divino da Revelação realiza-se,
ao mesmo tempo, «por meio de acções e
palavras, intrinsecamente relacionadas
entre si» e esclarecendo-se mutuamente.
Comporta uma particular «pedagogia
divina»: Deus comunica-Se gradualmente
ao homem e prepara-o, por etapas, para
receber a Revelação sobrenatural que faz
de Si próprio e que vai culminar na
Pessoa e missão do Verbo encarnado,
AS ETAPAS DA REVELAÇÃO
A ALIANÇA COM NOÉ
Desfeita a unidade do género humano pelo
pecado, Deus procurou imediatamente,
salvar a humanidade intervindo com cada
uma das suas partes. A aliança com Noé, a
seguir ao dilúvio, exprime o princípio da
economia divina em relação às «nações»,
quer dizer, em relação aos homens
reagrupados «por países e línguas, por
DEUS ELEGE ABRAÃO
Para reunir a humanidade dispersa, Deus escolhe
Abrão, chamando-o para «deixar a sua terra, a sua
família e a casa de seu pai» (Gn 12, 1), para o
fazer Abraão, quer dizer, «pai de um grande
número de nações» (Gn 17, 5): «Em ti serão
abençoadas todas as nações da Terra» (Gn 12, 3).
O povo descendente de Abraão será o depositário da
promessa feita aos patriarcas, o povo eleito,
chamado a preparar a reunião, um dia, de todos os
filhos de Deus na unidade da Igreja. Será o tronco
em que serão enxertados os pagãos tornados
crentes.
DEUS FORMA O SEU POVO
ISRAEL
Depois dos patriarcas, Deus formou Israel como
seu povo, salvando-o da escravidão do Egipto.
Concluiu com ele a aliança do Sinai e deu-lhe,
por Moisés, a sua Lei, para que Israel O
reconhecesse e O servisse como único Deus
vivo e verdadeiro, Pai providente e justo Juiz, e
vivesse na expectativa do Salvador prometido.
Israel é o povo sacerdotal de Deus, sobre o qual
«foi invocado o Nome do Senhor» (Dt 28, 10).
É o povo daqueles «a quem Deus falou em
primeiro lugar», o povo dos «irmãos mais
OS PROFETAS
Pelos profetas, Deus forma o seu povo na
esperança da salvação, na expectativa duma
aliança nova e eterna, destinada a todos os
homens, e que será gravada nos corações.
Os profetas anunciam uma redenção radical do
povo de Deus, a purificação de todas as suas
infidelidades, uma salvação que abrangerá
todas as nações. Serão sobretudo os pobres e
os humildes do Senhor os portadores desta
esperança.
JESUS CRISTO – «MEDIADOR E
PLENITUDE DE TODA A
REVELAÇÃO» NO SEU
VERBO, DEUS DISSE TUDO
«Muitas vezes e de muitos modos falou Deus
antigamente aos nossos pais, pelos Profetas.
Nestes dias, que são os últimos, falou-nos pelo
seu Filho» (Heb 1, 1-2). Cristo, Filho de Deus feito
homem, é a Palavra única, perfeita e insuperável
do Pai. N'Ele, o Pai disse tudo «Muitas vezes e de
muitos modos falou Deus antigamente aos nossos
pais, pelos Profetas. Nestes dias, que são os
últimos, falou-nos pelo seu Filho» (Heb 1, 1-2).
Cristo, Filho de Deus feito homem, é a Palavra
única, perfeita e insuperável do Pai. N'Ele, o Pai
do latim ecclesia
derivado do grego ekklesìa
significa reunião, assembleia
AQUILO QUE A IGREJA NÃO É:
 o Vaticano
um poder político, económico, financeiro, diplomático, moral
 um grupo de pessoas, sobretudo frustradas, que se
encontram num certo lugar de oração para se
consolarem
 um grupo de gente que tem pouco que fazer e vai ali
para passar o tempo
 o Papa, os bispos, os padres, mesmo se o Papa, os bispos
e
os sacerdotes sejam membros da Igreja
 aquele edifício no qual os cristãos se encontram para
pregar e celebrar a eucaristia, ainda que a Igreja se
O CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA DIZ:
“A Igreja” é o Povo que Deus reúne no
mundo inteiro. Existe nas comunidades
locais e se realiza como assembléia
litúrgica, sobretudo eucarística. Ela vive
da Palavra e do Corpo de Cristo e se
torna, assim, Corpo de Cristo. (CIC §
751-752)
São Paulo compara a Igreja a um templo.
Na 1ª Carta aos Coríntios escreve de facto:
“Não sabeis que sois templo de Deus e que o
Espírito Santo habita em vós?” (1ª Cor. 3,16).
Jesus é a pedra angular (que
consolida) este templo, os apóstolos
as pedras fundamentais e todos
nós as pedras vivas, de modo a
obter uma construção bem ordenada.
O QUE É A IGREJA
A Igreja é o Templo de Deus
pela imagem da vide
Faz-nos compreender o que é a Igreja:
UMA COMUNIDADE DE PESSOAS
intimamente unida a Cristo (a vide)
intimamente unidos aos outros (os ramos)
destinada a dar fruto, a qual assume uma missão a
favor dos outros
A Igreja é
a comunidade dos filhos de Deus
Se Deus nos transmite a sua vida divina, nós
tornamo-nos seus filhos. Todos os filhos de Deus,
unidos num só,formamos a Igreja:
“A quantos acolheram a Jesus, foi-lhes dado
o poder de se tornarem filhos de Deus” (Jo
1,12).
O QUE É A IGREJA
Deus é nosso Pai, nós somos seus filhos,
somos irmãos e irmãs entre nós.
São Paulo escreve aos Efésios:
“Portanto, já não sois estrangeiros nem
imigrantes, mas concidadãos dos santos e
membros da casa de Deus” (Ef 2,19)
A Igreja é a família de Deus
O QUE É A IGREJA
A Igreja é a comunidade
dos que seguem a Cristo.
Para ser uma só realidade com Cristo,
querer segui-Lo,
escutar a sua voz, amá-lo,
deixar-se guiar pelos seus
ensinamentos.
O QUE É A IGREJA
A Igreja é o rebanho de Cristo
No A.T. a comunidade israelita é a esposa,
muitas vezes infiel ao Senhor.
No N.T. Jesus é apresentado como o
esposo e a igreja como a Esposa.
“Vede a cidade santa, a nova Jerusalém,
descendo do céu, de Deus,
como uma esposa adornada pelo seu esposo”
(Ap 21,2)
O QUE É A IGREJA
A Igreja é a esposa de cristo
(Ef 5,25).
A Igreja é o Corpo de Cristo
Na 1ª carta aos coríntios e nos outros textos São
Paulo apresenta a Igreja como Corpo de Cristo:
Jesus é a Cabeça
Nós somos os seus membros
Nós somos membros
uns dos outros e cada um de nós
recebe energia de todo o corpo
Cada um de nós
deve assumir o seu quinhão, a grande missão
para a edificação de todo o Corpo de Cristo.
O QUE É A IGREJA
A Igreja é o povo
de Deus
No A.T. a comunidade de Israel
aparece como o povo temente a
Deus, que Deus acompanhou, o
povo da Aliança.
Mas o Deus da Bíblia não é um
Deus racista, segregacionista.
Escolheu o povo hebreu como
primeiro interlocutor de um
diálogo que viria a estender-se
a todos os povos,
primeiro destinatário de uma
salvação que foi posta ao alcance
de todos os homens.
O QUE É A IGREJA
Por isso a Igreja, Povo de Deus, deve reunir
em si todos os povos da terra e da história
“Ide e anunciai a todas as nações,
baptizando-as em nome
do Pai e do Filho e do Espírito Santo”
(Mt 28,19)
A característica da Igreja
como povo de Deus:
É um povo em comunhão
A Igreja é um povo de pessoas chamadas a viver, através de Cristo,
uma comunhão sempre mais intensa com Deus e com os outros.
Esta comunhão realiza-se:
 Seguindo Cristo como discípulos fiés e permanentes
 Amando Deus mais que tudo, mais que todos e mais que a si mesmo
 Amando-nos como Cristo nos amou
 Escutando, assimilando e vivendo a Palavra de Deus
 Sentando-nos juntos à volta da mesa eucarística
 Estando unidos aos ministros da Igreja
 Esforçando-nos por alargar sempre mais os horizontes da comunhão,
de modo a convergir o mais possível de pessoas
Portanto os que não estão
em comunhão com Cristo
Não podem ser Igreja
É um povo em missão
Numa casa cada pedra
tem que estar no seu lugar,
numa videira cada ramo deve dar fruto, num
corpo cada órgão deve assumir a sua função.
Na Igreja cada um deve fazer a sua parte, deve
assumir a sua pequena missão, deve cumprir o
seu pequeno ministério para o bem de toda a
Igreja, de toda a sociedade, de todo o
A característica da Igreja
como povo de Deus:
A santidade consiste no viver em comunhão perfeita
com Deus e com os outros e no desempenho da própria
missão de alargar os horizontes até aos confins da
terra.
Pois bem, se a Igreja deve ser um povo em
comunhão e em missão, é um povo no
caminho da santificação.
A característica da Igreja
como povo de Deus:
É um povo a caminho a santificação
«Até que o Senhor venha no seu esplendor com todos
os seus anjos e, destruida a morte, tenha submetido
todas as coisas,
• alguns seus discípulos peregrinam na terra,
• outros, já defuntos, purificam-se,
• outros estão glorificados, contemplando
"claramente Deus uno e trino, tal qual Ele é"»
A comunhãoda Igrejado céu e da terra
Os três estados da Igreja (CIC 954)
«Todos, porém, em grau e modo diversos,
participamos no mesmo amor a Deus e ao próximo e
cantamos o mesmo hino de louvor ao nosso Deus.
De facto, todos os que são de Cristo,
que têm o seu Espírito, formam uma e mesma Igreja
e estão unidos entre si e n’Ele».(LG 49)
«A união dos membros da Igreja peregrina
com os irmãos que adormeceram na paz de
Cristo não se interrompe, mas reforça-se,
segundo a fé constante, com a comunhão
dos bens espirituais».
Todos juntos formamos em Cristo uma
só família, a IGREJA,
para louvor e glória da Trindade
A comunhãoda Igreja do céu eda terra
Ostrês estados da Igreja (CIC 955)
O homem é sacramento: de facto, o homem é um
corpo visível através do qual o seu espírito se exprime e
comunica afectos, sensações, sentimentos.
Algumas partes do corpo têm um papel privilegiado
nesta comunicação:
o rosto exprime e comunica respeito, simpatia,
antipatia, ódio, amor, rancor, alegria, etc.
os olhos exprimem amor, desprezo, pena,
incredibilidade, admiração, etc.
a boca exprime a realidade interior sobretudo através
da palavra, do beijo, etc.
os gestos da mão, da cabeça, são entre outros os mais
usuais da comunicação interpessoal
A IGREJA SACRAMENTO DE CRISTO
Sacramentosignifica sinaleficaz
sinal: Porque comunicauma realidadeatravés de um sinal,
palavra,gesto;
eficaz:Porque incarnaa realidadeque significa
A IGREJA SACRAMENTO DE
CRISTO
Portanto o homem exprime a sua
interioridade através da palavra, dos gestos
subjectivos do rosto, da mão, da cabeça,
do olhar, através dos sinais objectivos
como são a escrita , a música, a
literatura,etc.
A IGREJA SACRAMENTO DE CRISTO
A IGREJA SACRAMENTO DE CRISTO
Deus, para entrar em relação com os homens adequou-se
ao nosso modo de comunicar: por isso enviou o seu Filho
Jesus
assumindo a natureza humana.
Jesus é sacramento de Deus, pois é sinal de Deus porque o
mostra visível, histórico,aferível, comunicável;
logo é sinal eficaz de Deus pois Ele próprio é Deus.
Jesus é o gesto vivente através do qual Deus comunicou
aos homens o seu perdão e a sua salvação (a sua
santidade).O dia da Ascensão em que Jesus voltou para o Pai,conclui a
sua experiência terrena;
Para continuar a sua obra de salvação deixou a Igreja;
a salvação vem, portanto, de Jesus através da Igreja.
A Igreja é, portanto, sacramento de Jesus Cristo no
sentido em que representa o próprio Senhor Jesus.
A Igreja comunica o perdão, a salvação, a santidade
através dos sacramentos os quais se traduzem em ritos,
isto é um conjunto de sinais, de gestos e de palavras
através dos quais Jesus e n’Ele a Igreja salvam os
homens.
O rito serve para nos ajudar a compreender o efeito que
o Sacramento produz na alma e significa-o porque
também o produz realmente.
A IGREJA SACRAMENTO DE CRISTO
De quem parte a vontade
de constituir a Igreja
A vontade de constituir a Igreja parte do próprio Senhor
Jesus, o qual no dia da sua Ascensão ao céu deixou
aos discípulos este encargo:
“Ide, pois, fazei discípulos de todos os povos,
baptizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito
Santo ensinando-os a cumprir tudo quanto vos mandei.
E sabei que Eu estarei sempre convosco
até ao fim dos tempos”
(Mt 28, 18b-20)
Quando nasceu a Igreja
A Igreja nasceu oficialmente há cerca de vinte séculos
atrás e permanecerá até ao fim dos tempos.
À luz da palavra de Jesus ressuscitado, os apóstolos
compreenderam da maneira mais profunda a Sagrada
Escritura e, no dia de Pentecostes, o Espírito Santo, fez
com que tivessem consciência da sua missão:
testemunhar a ressurreição de Jesus anunciar a todos
os povos a salvação.
DISTINGUIMOS, NA VERDADEIRA IGREJA (CATÓLICA),
QUATRO SINAIS DE SUA AUTENTICIDADE:
Una
A Igreja verdadeira só pode ser uma:
uma em seu chefe e uma em sua fé.
"Há um só Senhor, uma só fé, um só batismo“
(Ef 4, 5).
O Papa é o sucessor direto de S. Pedro. A fé
católica é a mesma em qualquer parte do
mundo. A Igreja Católica tem um só chefe,
uma só fé, um só culto (missa e
SANTA
A Igreja é santa em sua doutrina.
A santificação dos homens é a sua finalidade. Se
todos os seus membros não são santos, é porque
não observam, como devem, a sua doutrina. A
hierarquia da Igreja, os padres, bispos e o Papa,
como nós, são humanos e fracos - todos somos
pecadores.
Por isso, não é no homem que nos devemos firmar e
sim em Deus. A santidade da Igreja está em sua
doutrina. (divina) - e santos são os que a vivem
integralmente. A vontade de Deus é a nossa
CATÓLICA
Catolicidade significa universalidade - A Igreja
de Cristo destina-se a todos os homens, de
todos os tempos. A Igreja é acima de
governos e de costumes, embora procure
adaptar-se à mentalidade de cada país e de
cada época. Esta adaptação,
porém, jamais poderá ir de
encontro aos seus
dogmas - porque estes são as
rochas que constituem o seu
fundamento
APOSTÓLICA
Isto é, conserva a doutrina dos apóstolos. "Assim
como meu Pai me enviou, também eu vos envio" (Jo
20, 21). "Quem vos ouve, a mim ouve" (Lc 10, 16).
Para cumprir a sua missão, Jesus deu à Sua Igreja o
poder de:
 1 - Ensinar - "Ide por todo o mundo, pregai o
Evangelho a toda a criatura" (Mc 16, 15). "Ide, ensinai
a todas as gentes (...) ensinando a observar todas as
coisas que eu vos mandei" (Mt 28, 19-20)
 2 - Reger - "Tudo o que ligardes na terra, será ligado
no Céu, e tudo o que desligardes na terra, será
desligado no Céu" (Mt 18, 18).
 3 - Santificar - pelos sacramentos, fontes de graça
"Ide, pois ensinai (...) batizando em nome do Pai, do
Filho e do Espírito Santo" (Mt 28, 19).
"Recebei o Espírito Santo: aqueles a quem
perdoastes os pecados, ser-lhes-ão perdoados, e
aqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão
retidos"(Jo 20, 21-23).
"Fazei isto em memória de Mim" (Lc 22, 19) - a
Eucaristia, o Sacrifício redentor, o sacramento da
mais íntima união com Deus, a grande fonte de
santidade.
O QUE VOCÊ DEVE SER PARAR PERTENCER A
IGREJA DE JESUS CRISTO?
 Para conscientemente, pertencer à Igreja
Católica, é preciso:
1 - ser batizado;
2 - crer na sua doutrina;
3 - observar as suas leis.
COMO ESTÁ ORGANIZADA A IGREJA?
Na Igreja há lugar para todos. Porque todos são
chamados desde o baptismo a assumir a missão
profética, sacerdotal e real que é própria de Cristo, com
base nos próprios carismas.
Os ministérios são os serviços estáveis, publicamente
reconhecidos assumidos na Igreja.
OS MINISTÉRIOS
 Os ministérios ordenados 
Bispos, Presbíteros e Diáconos
 Os ministérios instituídos 
Leitores e os Acólitos (que
dependem do bispo) e o Ministro
extraordinário da eucaristia (que
depende do Pároco)
 Os ministérios pontuais  são
todos os que servem de uma
maneira ou de outra a Igreja ( do
catequista aos que limpam a
OS MINISTÉRIOS
A paróquia é o lugar
onde os cristãos se
juntam para rezar,
celebrar os
momentos do culto,
viver a caridade
escutar a Palavra de
Deus.
A Paróquia
O termo deriva do grego “paroikìa” (para + oìkos) isto é
“a casa provisória do forasteiro”. Significará, portanto,
“uma demora temporária”. De facto, para os cristãos é
uma comunidade de passagem.
1. Quais foram as alianças que Deus
fez com a humanidade?
2. Qual é a definitiva revelação
divina?
3. Como surge a Igreja?
4. Quem é a Igreja?
PARA PENSAR:
OS 5 MANDAMENTOS
DA IGREJA
1. “PARTICIPAR DA MISSA INTEIRA NOS
DOMINGOS E OUTRAS FESTAS DE GUARDA E
ABSTER-SE DE OCUPAÇÕES DE TRABALHO”.
Ordena aos fiéis que santifiquem o dia em que
se comemora a ressurreição do Senhor, e as
festas litúrgicas em honra dos mistérios do
Senhor, da santíssima Virgem Maria e dos
santos, em primeiro lugar participando da
celebração eucarística, em que se reúne a
comunidade cristã, e se abstendo de trabalhos
e negócios que possam impedir tal santificação
desses dias (Código de Direito Canônico-CDC ,
cân. 1246-1248) (§2042).
OS DIAS SANTOS
–com obrigação de participar da missa, são
esses, conforme o Catecismo: “Devem ser
guardados [além dos domingos] o dia do Natal
de Nosso Senhor Jesus Cristo, da Epifania
(domingo), da Ascensão (domingo) e do
Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo (Corpus
Christi), de Santa Maria, Mãe de Deus (1º de
janeiro), de sua Imaculada Conceição (8 de
dezembro) e Assunção (domingo), de São José
(19 de março), dos Santos Apóstolos Pedro e
Paulo (domingo), e por fim, de Todos os Santos
2. “CONFESSAR-SE AO MENOS
UMA VEZ POR ANO”
Assegura a preparação para a Eucaristia
pela recepção do Sacramento da
Reconciliação, que continua a obra de
conversão e perdão do Batismo (CDC,
cân. 989). É claro que é pouco se
confessar uma vez ao ano, seria bom
que cada um se confessasse ao menos
uma vez por mês, pois fica mais fácil de
se recordar dos pecados e de ter a graça
3. “RECEBER O SACRAMENTO DA EUCARISTIA
AO MENOS PELA PÁSCOA DA RESSURREIÇÃO”
(O período pascal vai da Páscoa até
festa da Ascenção) e garante um mínimo
na recepção do Corpo e do Sangue do
Senhor em ligação com as festas
pascais, origem e centro da Liturgia cristã
(CDC, cân. 920).
Também é muito pouco comungar ao
menos uma vez ao ano. A Igreja
recomenda (não obriga) a comunhão
4. “JEJUAR E ABSTER-SE DE CARNE, CONFORME
MANDA A SANTA MÃE IGREJA”
(Isso deve ser feito na Quarta-feira de Cinzas e na
Sexta-feira Santa).
Os que já tem mais de 60 anos ou doentes estão
dispensados da obrigatoriedade, mas podem fazê-
lo se desejarem.
Diz o Catecismo que o jejum “Determina os tempos
de ascese e penitência que nos preparam para as
festas litúrgicas; contribuem para nos
fazer adquirir o domínio sobre nossos
instintos e a liberdade de
coração (CDC, cân. 882)”.
5. “AJUDAR A IGREJA EM SUAS NECESSIDADES”
Recorda aos fiéis que devem ir ao encontro das
necessidades materiais da Igreja, cada um
conforme as próprias possibilidades (CDC,
222). Não é obrigatório que o dízimo seja de
10% do salário, nem o CIC nem o CDC
obrigam esta porcentagem, mas é bom e bonito
se assim o for.
Deus ama aquele que dá com alegria”(cf. 2Cor 9,
7). Esta ajuda às necessidades
da Igreja pode ser dada uma
parte na paróquia
FONTES:
• http://www.abcdacatequese.com/index.php/p
artilha/recursos/doc_view/4616-a-igreja-
apresentacao-em-powerpoint-ppt
• Catecismo da Igreja Católica.
http://www.vatican.va/archive/cathechism_po
/index_new/prima-pagina-cic_po.html

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sacramento do Batismo
Sacramento do BatismoSacramento do Batismo
Sacramento do BatismoPaulo Triches
 
Exortação apostólica amoris laetitia a alegria do amor o amor na família papa...
Exortação apostólica amoris laetitia a alegria do amor o amor na família papa...Exortação apostólica amoris laetitia a alegria do amor o amor na família papa...
Exortação apostólica amoris laetitia a alegria do amor o amor na família papa...Antonio De Assis Ribeiro
 
Sacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveisSacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveisPaulo Kuke
 
Os sacramentos da igreja - Aula 02
Os sacramentos da igreja - Aula 02Os sacramentos da igreja - Aula 02
Os sacramentos da igreja - Aula 02Rubens Júnior
 
Curso de batismo
Curso de batismoCurso de batismo
Curso de batismoMelonita
 
Os sacramentos da igreja - Aula 01
Os sacramentos da igreja - Aula 01Os sacramentos da igreja - Aula 01
Os sacramentos da igreja - Aula 01Rubens Júnior
 
Santa Ceia do Senhor
Santa Ceia do SenhorSanta Ceia do Senhor
Santa Ceia do SenhorAlmy Alves
 

Mais procurados (20)

Sacramento do Batismo
Sacramento do BatismoSacramento do Batismo
Sacramento do Batismo
 
Eclesiologia
EclesiologiaEclesiologia
Eclesiologia
 
Exortação apostólica amoris laetitia a alegria do amor o amor na família papa...
Exortação apostólica amoris laetitia a alegria do amor o amor na família papa...Exortação apostólica amoris laetitia a alegria do amor o amor na família papa...
Exortação apostólica amoris laetitia a alegria do amor o amor na família papa...
 
14ºEncontro - Jesus chama os Apostolos
14ºEncontro - Jesus chama os Apostolos14ºEncontro - Jesus chama os Apostolos
14ºEncontro - Jesus chama os Apostolos
 
Sacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveisSacrametos sinais visiveis
Sacrametos sinais visiveis
 
Oração do pai nosso
Oração do pai nossoOração do pai nosso
Oração do pai nosso
 
Os sacramentos da igreja - Aula 02
Os sacramentos da igreja - Aula 02Os sacramentos da igreja - Aula 02
Os sacramentos da igreja - Aula 02
 
Curso de batismo
Curso de batismoCurso de batismo
Curso de batismo
 
Os sacramentos da igreja - Aula 01
Os sacramentos da igreja - Aula 01Os sacramentos da igreja - Aula 01
Os sacramentos da igreja - Aula 01
 
Quem é jesus power point
Quem é jesus power pointQuem é jesus power point
Quem é jesus power point
 
6 a missão da igreja
6 a missão da igreja6 a missão da igreja
6 a missão da igreja
 
Vale de ossos secos
Vale de ossos secosVale de ossos secos
Vale de ossos secos
 
O culto cristão a forma
O culto cristão   a formaO culto cristão   a forma
O culto cristão a forma
 
O catecismo da igreja católica
O catecismo da igreja católicaO catecismo da igreja católica
O catecismo da igreja católica
 
Santa Ceia do Senhor
Santa Ceia do SenhorSanta Ceia do Senhor
Santa Ceia do Senhor
 
10º Aula de História da Igreja
10º Aula de História da Igreja10º Aula de História da Igreja
10º Aula de História da Igreja
 
Material de apoio à iniciação cristã
Material de apoio à iniciação cristãMaterial de apoio à iniciação cristã
Material de apoio à iniciação cristã
 
Carta aos efesios
Carta aos efesiosCarta aos efesios
Carta aos efesios
 
Orações para catquese infantil
Orações para catquese infantilOrações para catquese infantil
Orações para catquese infantil
 
7. atos dos apóstolos
7. atos dos apóstolos7. atos dos apóstolos
7. atos dos apóstolos
 

Destaque (20)

Compromisso de ser igreja
Compromisso de ser igrejaCompromisso de ser igreja
Compromisso de ser igreja
 
A igreja, corpo de cristo
A igreja, corpo de cristoA igreja, corpo de cristo
A igreja, corpo de cristo
 
Igreja Corpo de Cristo
Igreja Corpo de CristoIgreja Corpo de Cristo
Igreja Corpo de Cristo
 
Lição 2 - Compromisso na Comunhão
Lição 2 - Compromisso na ComunhãoLição 2 - Compromisso na Comunhão
Lição 2 - Compromisso na Comunhão
 
União da Igreja
União da IgrejaUnião da Igreja
União da Igreja
 
O corpo de cristo
O corpo de cristoO corpo de cristo
O corpo de cristo
 
A unidade da Igreja
A unidade da IgrejaA unidade da Igreja
A unidade da Igreja
 
Comprometidos Com o Reino de Deus
Comprometidos Com o Reino de DeusComprometidos Com o Reino de Deus
Comprometidos Com o Reino de Deus
 
Jesus nos chama ao compromisso Lucas 14.25-33
Jesus nos chama ao compromisso   Lucas 14.25-33Jesus nos chama ao compromisso   Lucas 14.25-33
Jesus nos chama ao compromisso Lucas 14.25-33
 
Igreja e Comunidade
Igreja e ComunidadeIgreja e Comunidade
Igreja e Comunidade
 
Palestra Igreja Libertadora
Palestra Igreja LibertadoraPalestra Igreja Libertadora
Palestra Igreja Libertadora
 
Mcc - histórico
Mcc -  históricoMcc -  histórico
Mcc - histórico
 
14 Unidade no corpo de cristo
14 Unidade no corpo de cristo 14 Unidade no corpo de cristo
14 Unidade no corpo de cristo
 
Série igreja - Nossa Missão.ppt
Série igreja - Nossa Missão.pptSérie igreja - Nossa Missão.ppt
Série igreja - Nossa Missão.ppt
 
A unidade livro
A unidade livroA unidade livro
A unidade livro
 
Lbj lição 5 Ordenanças da igreja
Lbj lição 5   Ordenanças da igrejaLbj lição 5   Ordenanças da igreja
Lbj lição 5 Ordenanças da igreja
 
A doutrina do MCC
A doutrina do MCCA doutrina do MCC
A doutrina do MCC
 
Regulamento interno da igreja pentecostal deus é amor (validade 12.2015)
Regulamento interno da igreja pentecostal deus é amor (validade 12.2015)Regulamento interno da igreja pentecostal deus é amor (validade 12.2015)
Regulamento interno da igreja pentecostal deus é amor (validade 12.2015)
 
Comunicacao_Liturgia
Comunicacao_LiturgiaComunicacao_Liturgia
Comunicacao_Liturgia
 
Igreja corpo de_cristo
Igreja corpo de_cristoIgreja corpo de_cristo
Igreja corpo de_cristo
 

Semelhante a Igreja

A nossa Igreja - Igreja Católica Apostólica Romana
A nossa Igreja - Igreja Católica Apostólica RomanaA nossa Igreja - Igreja Católica Apostólica Romana
A nossa Igreja - Igreja Católica Apostólica RomanaSanturioTacararu
 
Lição 8 - A Igreja de Cristo
Lição 8 - A Igreja de CristoLição 8 - A Igreja de Cristo
Lição 8 - A Igreja de CristoErberson Pinheiro
 
A origem da Igreja-01.pptx
A origem da Igreja-01.pptxA origem da Igreja-01.pptx
A origem da Igreja-01.pptxAMGAMES
 
Lição 1 - A Origem da Igreja - Lições Bíblicas.pptx
Lição 1 - A Origem da Igreja - Lições Bíblicas.pptxLição 1 - A Origem da Igreja - Lições Bíblicas.pptx
Lição 1 - A Origem da Igreja - Lições Bíblicas.pptxCelso Napoleon
 
Sexta feira semana de formação
Sexta feira   semana de formaçãoSexta feira   semana de formação
Sexta feira semana de formaçãoLuciano852456
 
Constituição dogmática lumen gentium a igreja
Constituição dogmática lumen gentium   a igrejaConstituição dogmática lumen gentium   a igreja
Constituição dogmática lumen gentium a igrejaAdriano Marciano
 
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 8 - A igreja de cristo
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 8 - A igreja de cristoLBA 2017 3 TRI LIÇÃO 8 - A igreja de cristo
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 8 - A igreja de cristoNatalino das Neves Neves
 
teologia eclesiologia e missiologia
teologia   eclesiologia e missiologiateologia   eclesiologia e missiologia
teologia eclesiologia e missiologiaalexandrepsantos
 
IBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIA
IBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIAIBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIA
IBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIACoop. Fabio Silva
 
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 01E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 01Joel Silva
 
Igreja
IgrejaIgreja
IgrejaJNR
 
A igreja que deus deseja pedro júnior
A igreja que deus deseja   pedro júniorA igreja que deus deseja   pedro júnior
A igreja que deus deseja pedro júniorPedro Júnior
 

Semelhante a Igreja (20)

A nossa Igreja - Igreja Católica Apostólica Romana
A nossa Igreja - Igreja Católica Apostólica RomanaA nossa Igreja - Igreja Católica Apostólica Romana
A nossa Igreja - Igreja Católica Apostólica Romana
 
Lição 8 - A Igreja de Cristo
Lição 8 - A Igreja de CristoLição 8 - A Igreja de Cristo
Lição 8 - A Igreja de Cristo
 
A origem da Igreja-01.pptx
A origem da Igreja-01.pptxA origem da Igreja-01.pptx
A origem da Igreja-01.pptx
 
Lumen Gentium
Lumen GentiumLumen Gentium
Lumen Gentium
 
Lumen gentium
Lumen gentium Lumen gentium
Lumen gentium
 
Lição 1 - A Origem da Igreja - Lições Bíblicas.pptx
Lição 1 - A Origem da Igreja - Lições Bíblicas.pptxLição 1 - A Origem da Igreja - Lições Bíblicas.pptx
Lição 1 - A Origem da Igreja - Lições Bíblicas.pptx
 
Liçao 04
Liçao 04  Liçao 04
Liçao 04
 
Liçao- 04
Liçao- 04  Liçao- 04
Liçao- 04
 
Liçao-04
Liçao-04  Liçao-04
Liçao-04
 
Sexta feira semana de formação
Sexta feira   semana de formaçãoSexta feira   semana de formação
Sexta feira semana de formação
 
Constituição dogmática lumen gentium a igreja
Constituição dogmática lumen gentium   a igrejaConstituição dogmática lumen gentium   a igreja
Constituição dogmática lumen gentium a igreja
 
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 8 - A igreja de cristo
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 8 - A igreja de cristoLBA 2017 3 TRI LIÇÃO 8 - A igreja de cristo
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 8 - A igreja de cristo
 
Decreto Ad Gentes
Decreto Ad GentesDecreto Ad Gentes
Decreto Ad Gentes
 
teologia eclesiologia e missiologia
teologia   eclesiologia e missiologiateologia   eclesiologia e missiologia
teologia eclesiologia e missiologia
 
IBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIA
IBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIAIBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIA
IBADEP - ECLESIOLOGIA E MISSIOLOGIA
 
Cat07
Cat07Cat07
Cat07
 
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 01E.b.d   jovens 1ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d jovens 1ºtrimestre 2017 lição 01
 
Ist eclesiologia - 01
Ist   eclesiologia - 01Ist   eclesiologia - 01
Ist eclesiologia - 01
 
Igreja
IgrejaIgreja
Igreja
 
A igreja que deus deseja pedro júnior
A igreja que deus deseja   pedro júniorA igreja que deus deseja   pedro júnior
A igreja que deus deseja pedro júnior
 

Último

Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfStelaWilbert
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoHermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoFabioLofrano
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoNilson Almeida
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxViniciusPetersen1
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxIgreja Jesus é o Verbo
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaRicardo Azevedo
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............MilyFonceca
 
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfpdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfnestorsouza36
 

Último (10)

Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para AutoconhecimentoHermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
Hermann Hesse - Sidarta - Livro para Autoconhecimento
 
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada _ Oséias - slides powerpoint.pptx
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
 
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfpdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
 

Igreja

  • 2. DE ONDE SURGE A IGREJA?
  • 3. DEUS AO ENCONTRO DO HOMEM Pela razão natural, o homem pode conhecer Deus com certeza, a partir das suas obras. Mas existe outra ordem de conhecimento, que o homem de modo nenhum pode atingir por suas próprias forças: a da Revelação divina.
  • 4. Por uma vontade absolutamente livre, Deus revela-Se e dá-Se ao homem. E fá-lo revelando o seu mistério, o desígnio benevolente que, desde toda a eternidade, estabeleceu em Cristo, em favor de todos os homens. Revela plenamente o seu desígnio, enviando o seu Filho bem-amado, nosso Senhor Jesus Cristo, e o Espírito
  • 5. A REVELAÇÃO DE DEUS O desígnio divino da Revelação realiza-se, ao mesmo tempo, «por meio de acções e palavras, intrinsecamente relacionadas entre si» e esclarecendo-se mutuamente. Comporta uma particular «pedagogia divina»: Deus comunica-Se gradualmente ao homem e prepara-o, por etapas, para receber a Revelação sobrenatural que faz de Si próprio e que vai culminar na Pessoa e missão do Verbo encarnado,
  • 6. AS ETAPAS DA REVELAÇÃO A ALIANÇA COM NOÉ Desfeita a unidade do género humano pelo pecado, Deus procurou imediatamente, salvar a humanidade intervindo com cada uma das suas partes. A aliança com Noé, a seguir ao dilúvio, exprime o princípio da economia divina em relação às «nações», quer dizer, em relação aos homens reagrupados «por países e línguas, por
  • 7. DEUS ELEGE ABRAÃO Para reunir a humanidade dispersa, Deus escolhe Abrão, chamando-o para «deixar a sua terra, a sua família e a casa de seu pai» (Gn 12, 1), para o fazer Abraão, quer dizer, «pai de um grande número de nações» (Gn 17, 5): «Em ti serão abençoadas todas as nações da Terra» (Gn 12, 3). O povo descendente de Abraão será o depositário da promessa feita aos patriarcas, o povo eleito, chamado a preparar a reunião, um dia, de todos os filhos de Deus na unidade da Igreja. Será o tronco em que serão enxertados os pagãos tornados crentes.
  • 8. DEUS FORMA O SEU POVO ISRAEL Depois dos patriarcas, Deus formou Israel como seu povo, salvando-o da escravidão do Egipto. Concluiu com ele a aliança do Sinai e deu-lhe, por Moisés, a sua Lei, para que Israel O reconhecesse e O servisse como único Deus vivo e verdadeiro, Pai providente e justo Juiz, e vivesse na expectativa do Salvador prometido. Israel é o povo sacerdotal de Deus, sobre o qual «foi invocado o Nome do Senhor» (Dt 28, 10). É o povo daqueles «a quem Deus falou em primeiro lugar», o povo dos «irmãos mais
  • 9. OS PROFETAS Pelos profetas, Deus forma o seu povo na esperança da salvação, na expectativa duma aliança nova e eterna, destinada a todos os homens, e que será gravada nos corações. Os profetas anunciam uma redenção radical do povo de Deus, a purificação de todas as suas infidelidades, uma salvação que abrangerá todas as nações. Serão sobretudo os pobres e os humildes do Senhor os portadores desta esperança.
  • 10. JESUS CRISTO – «MEDIADOR E PLENITUDE DE TODA A REVELAÇÃO» NO SEU VERBO, DEUS DISSE TUDO «Muitas vezes e de muitos modos falou Deus antigamente aos nossos pais, pelos Profetas. Nestes dias, que são os últimos, falou-nos pelo seu Filho» (Heb 1, 1-2). Cristo, Filho de Deus feito homem, é a Palavra única, perfeita e insuperável do Pai. N'Ele, o Pai disse tudo «Muitas vezes e de muitos modos falou Deus antigamente aos nossos pais, pelos Profetas. Nestes dias, que são os últimos, falou-nos pelo seu Filho» (Heb 1, 1-2). Cristo, Filho de Deus feito homem, é a Palavra única, perfeita e insuperável do Pai. N'Ele, o Pai
  • 11.
  • 12. do latim ecclesia derivado do grego ekklesìa significa reunião, assembleia
  • 13. AQUILO QUE A IGREJA NÃO É:  o Vaticano um poder político, económico, financeiro, diplomático, moral  um grupo de pessoas, sobretudo frustradas, que se encontram num certo lugar de oração para se consolarem  um grupo de gente que tem pouco que fazer e vai ali para passar o tempo  o Papa, os bispos, os padres, mesmo se o Papa, os bispos e os sacerdotes sejam membros da Igreja  aquele edifício no qual os cristãos se encontram para pregar e celebrar a eucaristia, ainda que a Igreja se
  • 14. O CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA DIZ: “A Igreja” é o Povo que Deus reúne no mundo inteiro. Existe nas comunidades locais e se realiza como assembléia litúrgica, sobretudo eucarística. Ela vive da Palavra e do Corpo de Cristo e se torna, assim, Corpo de Cristo. (CIC § 751-752)
  • 15. São Paulo compara a Igreja a um templo. Na 1ª Carta aos Coríntios escreve de facto: “Não sabeis que sois templo de Deus e que o Espírito Santo habita em vós?” (1ª Cor. 3,16). Jesus é a pedra angular (que consolida) este templo, os apóstolos as pedras fundamentais e todos nós as pedras vivas, de modo a obter uma construção bem ordenada. O QUE É A IGREJA A Igreja é o Templo de Deus
  • 16.
  • 17.
  • 18. pela imagem da vide Faz-nos compreender o que é a Igreja: UMA COMUNIDADE DE PESSOAS intimamente unida a Cristo (a vide) intimamente unidos aos outros (os ramos) destinada a dar fruto, a qual assume uma missão a favor dos outros
  • 19. A Igreja é a comunidade dos filhos de Deus Se Deus nos transmite a sua vida divina, nós tornamo-nos seus filhos. Todos os filhos de Deus, unidos num só,formamos a Igreja: “A quantos acolheram a Jesus, foi-lhes dado o poder de se tornarem filhos de Deus” (Jo 1,12). O QUE É A IGREJA
  • 20. Deus é nosso Pai, nós somos seus filhos, somos irmãos e irmãs entre nós. São Paulo escreve aos Efésios: “Portanto, já não sois estrangeiros nem imigrantes, mas concidadãos dos santos e membros da casa de Deus” (Ef 2,19) A Igreja é a família de Deus O QUE É A IGREJA
  • 21. A Igreja é a comunidade dos que seguem a Cristo. Para ser uma só realidade com Cristo, querer segui-Lo, escutar a sua voz, amá-lo, deixar-se guiar pelos seus ensinamentos. O QUE É A IGREJA A Igreja é o rebanho de Cristo
  • 22. No A.T. a comunidade israelita é a esposa, muitas vezes infiel ao Senhor. No N.T. Jesus é apresentado como o esposo e a igreja como a Esposa. “Vede a cidade santa, a nova Jerusalém, descendo do céu, de Deus, como uma esposa adornada pelo seu esposo” (Ap 21,2) O QUE É A IGREJA A Igreja é a esposa de cristo (Ef 5,25).
  • 23.
  • 24. A Igreja é o Corpo de Cristo Na 1ª carta aos coríntios e nos outros textos São Paulo apresenta a Igreja como Corpo de Cristo: Jesus é a Cabeça Nós somos os seus membros Nós somos membros uns dos outros e cada um de nós recebe energia de todo o corpo Cada um de nós deve assumir o seu quinhão, a grande missão para a edificação de todo o Corpo de Cristo. O QUE É A IGREJA
  • 25. A Igreja é o povo de Deus No A.T. a comunidade de Israel aparece como o povo temente a Deus, que Deus acompanhou, o povo da Aliança. Mas o Deus da Bíblia não é um Deus racista, segregacionista. Escolheu o povo hebreu como primeiro interlocutor de um diálogo que viria a estender-se a todos os povos, primeiro destinatário de uma salvação que foi posta ao alcance de todos os homens. O QUE É A IGREJA
  • 26. Por isso a Igreja, Povo de Deus, deve reunir em si todos os povos da terra e da história “Ide e anunciai a todas as nações, baptizando-as em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo” (Mt 28,19)
  • 27. A característica da Igreja como povo de Deus: É um povo em comunhão A Igreja é um povo de pessoas chamadas a viver, através de Cristo, uma comunhão sempre mais intensa com Deus e com os outros. Esta comunhão realiza-se:  Seguindo Cristo como discípulos fiés e permanentes  Amando Deus mais que tudo, mais que todos e mais que a si mesmo  Amando-nos como Cristo nos amou  Escutando, assimilando e vivendo a Palavra de Deus  Sentando-nos juntos à volta da mesa eucarística  Estando unidos aos ministros da Igreja  Esforçando-nos por alargar sempre mais os horizontes da comunhão, de modo a convergir o mais possível de pessoas
  • 28. Portanto os que não estão em comunhão com Cristo Não podem ser Igreja
  • 29. É um povo em missão Numa casa cada pedra tem que estar no seu lugar, numa videira cada ramo deve dar fruto, num corpo cada órgão deve assumir a sua função. Na Igreja cada um deve fazer a sua parte, deve assumir a sua pequena missão, deve cumprir o seu pequeno ministério para o bem de toda a Igreja, de toda a sociedade, de todo o A característica da Igreja como povo de Deus:
  • 30. A santidade consiste no viver em comunhão perfeita com Deus e com os outros e no desempenho da própria missão de alargar os horizontes até aos confins da terra. Pois bem, se a Igreja deve ser um povo em comunhão e em missão, é um povo no caminho da santificação. A característica da Igreja como povo de Deus: É um povo a caminho a santificação
  • 31. «Até que o Senhor venha no seu esplendor com todos os seus anjos e, destruida a morte, tenha submetido todas as coisas, • alguns seus discípulos peregrinam na terra, • outros, já defuntos, purificam-se, • outros estão glorificados, contemplando "claramente Deus uno e trino, tal qual Ele é"» A comunhãoda Igrejado céu e da terra Os três estados da Igreja (CIC 954)
  • 32. «Todos, porém, em grau e modo diversos, participamos no mesmo amor a Deus e ao próximo e cantamos o mesmo hino de louvor ao nosso Deus. De facto, todos os que são de Cristo, que têm o seu Espírito, formam uma e mesma Igreja e estão unidos entre si e n’Ele».(LG 49)
  • 33. «A união dos membros da Igreja peregrina com os irmãos que adormeceram na paz de Cristo não se interrompe, mas reforça-se, segundo a fé constante, com a comunhão dos bens espirituais». Todos juntos formamos em Cristo uma só família, a IGREJA, para louvor e glória da Trindade A comunhãoda Igreja do céu eda terra Ostrês estados da Igreja (CIC 955)
  • 34. O homem é sacramento: de facto, o homem é um corpo visível através do qual o seu espírito se exprime e comunica afectos, sensações, sentimentos. Algumas partes do corpo têm um papel privilegiado nesta comunicação: o rosto exprime e comunica respeito, simpatia, antipatia, ódio, amor, rancor, alegria, etc. os olhos exprimem amor, desprezo, pena, incredibilidade, admiração, etc. a boca exprime a realidade interior sobretudo através da palavra, do beijo, etc. os gestos da mão, da cabeça, são entre outros os mais usuais da comunicação interpessoal A IGREJA SACRAMENTO DE CRISTO
  • 35. Sacramentosignifica sinaleficaz sinal: Porque comunicauma realidadeatravés de um sinal, palavra,gesto; eficaz:Porque incarnaa realidadeque significa A IGREJA SACRAMENTO DE CRISTO
  • 36. Portanto o homem exprime a sua interioridade através da palavra, dos gestos subjectivos do rosto, da mão, da cabeça, do olhar, através dos sinais objectivos como são a escrita , a música, a literatura,etc. A IGREJA SACRAMENTO DE CRISTO
  • 37. A IGREJA SACRAMENTO DE CRISTO Deus, para entrar em relação com os homens adequou-se ao nosso modo de comunicar: por isso enviou o seu Filho Jesus assumindo a natureza humana. Jesus é sacramento de Deus, pois é sinal de Deus porque o mostra visível, histórico,aferível, comunicável; logo é sinal eficaz de Deus pois Ele próprio é Deus. Jesus é o gesto vivente através do qual Deus comunicou aos homens o seu perdão e a sua salvação (a sua santidade).O dia da Ascensão em que Jesus voltou para o Pai,conclui a sua experiência terrena; Para continuar a sua obra de salvação deixou a Igreja; a salvação vem, portanto, de Jesus através da Igreja.
  • 38. A Igreja é, portanto, sacramento de Jesus Cristo no sentido em que representa o próprio Senhor Jesus. A Igreja comunica o perdão, a salvação, a santidade através dos sacramentos os quais se traduzem em ritos, isto é um conjunto de sinais, de gestos e de palavras através dos quais Jesus e n’Ele a Igreja salvam os homens. O rito serve para nos ajudar a compreender o efeito que o Sacramento produz na alma e significa-o porque também o produz realmente. A IGREJA SACRAMENTO DE CRISTO
  • 39. De quem parte a vontade de constituir a Igreja A vontade de constituir a Igreja parte do próprio Senhor Jesus, o qual no dia da sua Ascensão ao céu deixou aos discípulos este encargo: “Ide, pois, fazei discípulos de todos os povos, baptizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo ensinando-os a cumprir tudo quanto vos mandei. E sabei que Eu estarei sempre convosco até ao fim dos tempos” (Mt 28, 18b-20)
  • 40. Quando nasceu a Igreja A Igreja nasceu oficialmente há cerca de vinte séculos atrás e permanecerá até ao fim dos tempos. À luz da palavra de Jesus ressuscitado, os apóstolos compreenderam da maneira mais profunda a Sagrada Escritura e, no dia de Pentecostes, o Espírito Santo, fez com que tivessem consciência da sua missão: testemunhar a ressurreição de Jesus anunciar a todos os povos a salvação.
  • 41. DISTINGUIMOS, NA VERDADEIRA IGREJA (CATÓLICA), QUATRO SINAIS DE SUA AUTENTICIDADE: Una A Igreja verdadeira só pode ser uma: uma em seu chefe e uma em sua fé. "Há um só Senhor, uma só fé, um só batismo“ (Ef 4, 5). O Papa é o sucessor direto de S. Pedro. A fé católica é a mesma em qualquer parte do mundo. A Igreja Católica tem um só chefe, uma só fé, um só culto (missa e
  • 42. SANTA A Igreja é santa em sua doutrina. A santificação dos homens é a sua finalidade. Se todos os seus membros não são santos, é porque não observam, como devem, a sua doutrina. A hierarquia da Igreja, os padres, bispos e o Papa, como nós, são humanos e fracos - todos somos pecadores. Por isso, não é no homem que nos devemos firmar e sim em Deus. A santidade da Igreja está em sua doutrina. (divina) - e santos são os que a vivem integralmente. A vontade de Deus é a nossa
  • 43. CATÓLICA Catolicidade significa universalidade - A Igreja de Cristo destina-se a todos os homens, de todos os tempos. A Igreja é acima de governos e de costumes, embora procure adaptar-se à mentalidade de cada país e de cada época. Esta adaptação, porém, jamais poderá ir de encontro aos seus dogmas - porque estes são as rochas que constituem o seu fundamento
  • 44. APOSTÓLICA Isto é, conserva a doutrina dos apóstolos. "Assim como meu Pai me enviou, também eu vos envio" (Jo 20, 21). "Quem vos ouve, a mim ouve" (Lc 10, 16). Para cumprir a sua missão, Jesus deu à Sua Igreja o poder de:  1 - Ensinar - "Ide por todo o mundo, pregai o Evangelho a toda a criatura" (Mc 16, 15). "Ide, ensinai a todas as gentes (...) ensinando a observar todas as coisas que eu vos mandei" (Mt 28, 19-20)  2 - Reger - "Tudo o que ligardes na terra, será ligado no Céu, e tudo o que desligardes na terra, será desligado no Céu" (Mt 18, 18).  3 - Santificar - pelos sacramentos, fontes de graça
  • 45. "Ide, pois ensinai (...) batizando em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo" (Mt 28, 19). "Recebei o Espírito Santo: aqueles a quem perdoastes os pecados, ser-lhes-ão perdoados, e aqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos"(Jo 20, 21-23). "Fazei isto em memória de Mim" (Lc 22, 19) - a Eucaristia, o Sacrifício redentor, o sacramento da mais íntima união com Deus, a grande fonte de santidade.
  • 46. O QUE VOCÊ DEVE SER PARAR PERTENCER A IGREJA DE JESUS CRISTO?  Para conscientemente, pertencer à Igreja Católica, é preciso: 1 - ser batizado; 2 - crer na sua doutrina; 3 - observar as suas leis.
  • 48. Na Igreja há lugar para todos. Porque todos são chamados desde o baptismo a assumir a missão profética, sacerdotal e real que é própria de Cristo, com base nos próprios carismas. Os ministérios são os serviços estáveis, publicamente reconhecidos assumidos na Igreja. OS MINISTÉRIOS
  • 49.  Os ministérios ordenados  Bispos, Presbíteros e Diáconos  Os ministérios instituídos  Leitores e os Acólitos (que dependem do bispo) e o Ministro extraordinário da eucaristia (que depende do Pároco)  Os ministérios pontuais  são todos os que servem de uma maneira ou de outra a Igreja ( do catequista aos que limpam a OS MINISTÉRIOS
  • 50. A paróquia é o lugar onde os cristãos se juntam para rezar, celebrar os momentos do culto, viver a caridade escutar a Palavra de Deus. A Paróquia O termo deriva do grego “paroikìa” (para + oìkos) isto é “a casa provisória do forasteiro”. Significará, portanto, “uma demora temporária”. De facto, para os cristãos é uma comunidade de passagem.
  • 51. 1. Quais foram as alianças que Deus fez com a humanidade? 2. Qual é a definitiva revelação divina? 3. Como surge a Igreja? 4. Quem é a Igreja? PARA PENSAR:
  • 53. 1. “PARTICIPAR DA MISSA INTEIRA NOS DOMINGOS E OUTRAS FESTAS DE GUARDA E ABSTER-SE DE OCUPAÇÕES DE TRABALHO”. Ordena aos fiéis que santifiquem o dia em que se comemora a ressurreição do Senhor, e as festas litúrgicas em honra dos mistérios do Senhor, da santíssima Virgem Maria e dos santos, em primeiro lugar participando da celebração eucarística, em que se reúne a comunidade cristã, e se abstendo de trabalhos e negócios que possam impedir tal santificação desses dias (Código de Direito Canônico-CDC , cân. 1246-1248) (§2042).
  • 54. OS DIAS SANTOS –com obrigação de participar da missa, são esses, conforme o Catecismo: “Devem ser guardados [além dos domingos] o dia do Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo, da Epifania (domingo), da Ascensão (domingo) e do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo (Corpus Christi), de Santa Maria, Mãe de Deus (1º de janeiro), de sua Imaculada Conceição (8 de dezembro) e Assunção (domingo), de São José (19 de março), dos Santos Apóstolos Pedro e Paulo (domingo), e por fim, de Todos os Santos
  • 55. 2. “CONFESSAR-SE AO MENOS UMA VEZ POR ANO” Assegura a preparação para a Eucaristia pela recepção do Sacramento da Reconciliação, que continua a obra de conversão e perdão do Batismo (CDC, cân. 989). É claro que é pouco se confessar uma vez ao ano, seria bom que cada um se confessasse ao menos uma vez por mês, pois fica mais fácil de se recordar dos pecados e de ter a graça
  • 56. 3. “RECEBER O SACRAMENTO DA EUCARISTIA AO MENOS PELA PÁSCOA DA RESSURREIÇÃO” (O período pascal vai da Páscoa até festa da Ascenção) e garante um mínimo na recepção do Corpo e do Sangue do Senhor em ligação com as festas pascais, origem e centro da Liturgia cristã (CDC, cân. 920). Também é muito pouco comungar ao menos uma vez ao ano. A Igreja recomenda (não obriga) a comunhão
  • 57. 4. “JEJUAR E ABSTER-SE DE CARNE, CONFORME MANDA A SANTA MÃE IGREJA” (Isso deve ser feito na Quarta-feira de Cinzas e na Sexta-feira Santa). Os que já tem mais de 60 anos ou doentes estão dispensados da obrigatoriedade, mas podem fazê- lo se desejarem. Diz o Catecismo que o jejum “Determina os tempos de ascese e penitência que nos preparam para as festas litúrgicas; contribuem para nos fazer adquirir o domínio sobre nossos instintos e a liberdade de coração (CDC, cân. 882)”.
  • 58. 5. “AJUDAR A IGREJA EM SUAS NECESSIDADES” Recorda aos fiéis que devem ir ao encontro das necessidades materiais da Igreja, cada um conforme as próprias possibilidades (CDC, 222). Não é obrigatório que o dízimo seja de 10% do salário, nem o CIC nem o CDC obrigam esta porcentagem, mas é bom e bonito se assim o for. Deus ama aquele que dá com alegria”(cf. 2Cor 9, 7). Esta ajuda às necessidades da Igreja pode ser dada uma parte na paróquia
  • 59. FONTES: • http://www.abcdacatequese.com/index.php/p artilha/recursos/doc_view/4616-a-igreja- apresentacao-em-powerpoint-ppt • Catecismo da Igreja Católica. http://www.vatican.va/archive/cathechism_po /index_new/prima-pagina-cic_po.html