"Ao vencedor... lhe darei uma pedrinha branca"

7.999 visualizações

Publicada em

O plano de salvação em figuras muito ricas.
Promesas bíblicas do Apocalipse. Quando estudamos a Bíblia temos que nos desprender de preconceitos e seguir certos princípios básicos para a sua interpretação. Quando se trata de profecias o cuidado tem que ser maior.

Publicada em: Espiritual
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.999
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.887
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
52
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

"Ao vencedor... lhe darei uma pedrinha branca"

  1. 1. 1 2Série figuras da salvaçãoT-2* ““Ao vencedor.....Ao vencedor..... Lhe darei uma pedrinhaLhe darei uma pedrinha brancabranca...”...” “Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao que vencer darei a comer do maná escondido, e dar-lhe-ei uma pedra branca, e na pedra um novo nome escrito, o qual ninguém conhece senão aquele que o recebe.” Versão Almeida Corrigida Fiel “Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao vencedor, dar-lhe-ei do maná escondido, bem como lhe darei uma pedrinha branca, e sobre essa pedrinha escrito um nome novo, o qual ninguém conhece, exceto aquele que o recebe.” Versão Almeida atualizada - VARA Apocalipse 2:17 – Vejamos algumas das versões em português. “Portanto, se vocês têm ouvidos para ouvir, então ouçam o que o Espírito de Deus diz às igrejas. “Aos que conseguirem a vitória eu darei do maná escondido. E a cada um deles darei uma pedra branca, na qual está escrito um nome novo que ninguém conhece, a não ser quem o recebe.” Nova Tradução na Linguagem de hoje. - BLH “Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às Igrejas: ao vencedor darei do maná escondido, e lhe darei também uma pedrinha branca, uma pedrinha na qual está escrito um nome novo, que ninguém conhece, exceto aquele que o recebe.” Versão Bíblia de Jerusalém. - BJ “Aquele que tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas. Ao vencedor darei do maná escondido. Também lhe darei uma pedra branca com um novo nome nela inscrito, conhecido apenas por aquele que o recebe. Nova versão Internacional” - NVI
  2. 2. 3 4Introdução: Quando estudamos a Bíblia temos que nos desprender de preconceitos e seguir certos princípios básicos para a sua interpretação. Quando se trata de profecias o cuidado tem que ser maior. No curso bíblico da nossa autoria, destacamos 5 destes princípios básicos, confira em: http://www.novocbic.blogspot.com.br/ Para este estudo em particular, destaca-se este: Devemos ter em conta a linguagem utilizada na profecia, que orienta sobre o caminho que devemos seguir. Veja no quadro : Traduzindo em palavras: Conhecer a linguagem profética da Bíblia, é um princípio que devemos conhecer bem: I - As escrituras apresentam Promessas da parte de Deus que apontam para um cumprimento de promessas, reveladas na própria Bíblia. II - Nas escrituras achamos Profecias que apontam para um cumprimento das profecias confirmadas nas próprias Escrituras. III - Na Bíblia são utilizadas inúmeras Figuras, tipos, sombras ou símbolos que apontam para realidades mostradas na Bíblia. - O que confirma o princípio fundamental que fala da auto interpretação, a Bíblia se interpreta a si mesma. O texto proposto é do livro do Apocalipse O Apocalipse apresenta ao longo de sua mensagem quatro grandes blocos temáticos compostos por sete itens, são eles: as sete igrejas, os sete selos, as sete trombetas e as sete pragas. A análise destes blocos apresenta informações extraordinárias quanto ao passado, presente e o futuro do mundo, portanto não deve ser negligenciada. Os eruditos bíblicos admitem que as cartas escritas às sete igrejas possuem tripla aplicação: 1 – Para os dias do apóstolo João. 2 – Para os cristãos e igrejas de todos os tempos. 3 – E para os períodos históricos da igreja cristã. As 7 igrejas que recebem as cartas enviadas por Jesus estavam localizadas na Ásia menor, atual Turquia. O Profeta tinha 85 anos quando foi abandonado na ilha de Patmos pelo imperador romano Domiciano. Abordamos um dos detalhes expostos entre os elementos que compõem o primeiro dos grandes blocos: as sete igrejas. “Achei-me em Espírito (visão), no dia do Senhor, e ouvi por detrás de mim, grande voz, como de trombeta, dizendo O que vês escreve em livro e manda às sete igrejas: Éfeso, Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia e Laodicéia”. Apocalipse 1:10-12
  3. 3. 5 6“Quanto ao mistério das sete estrelas que viste na minha mão direita e aos sete candeeiros de ouro, as sete estrelas são os anjos das sete igrejas, e os sete candeeiros são as sete igrejas”. Apoc.1:20 A abundância do número sete sugere um uso simbólico. Além disso, o fato de que nessa região havia mais de sete igrejas, sugere a ideia de que foram escolhidas devido a suas características como símbolos proféticos, de sete períodos específicos da igreja cristã. E é obvio que a igreja era uma só, não se trata de denominações. Assim podemos afirmar que o uso de figuras ou símbolos, é comum a toda a revelação do livro. O nome de Cada cidade indica a sua característica como cidade e religiosidade. E a cada Igreja Jesus faz: Elogio Reprovação Conselho Promessa Resumo do contexto: Pérgamo significa "cidadela"; ela estava localizada no cume de uma montanha. Essa esplêndida cidade era conhecida por seus muitos templos pagãos e uma grande biblioteca com cerca de 200.000 rolos (livros). Foi ali que apareceram os famosos pergaminhos, os primeiros livros em forma rolos ou códices. Pérgamo instituiu o primeiro culto de adoração a um imperador vivo (29 a.C.). Eis por que ela é referida como o lugar "onde Satanás tem seu trono". Pérgamo se orgulhava por ser a capital da Ásia e por ter muita cultura e uma corte que julgava os prisioneiros com severidade. Era o centro das religiões místicas orientais vindas de Babilônia. Tinha muitos templos pagãos. Elogio: Antipas era o provável líder ou Pastor da Igreja. Ele foi queimado no ventre de um bezerro de latão aquecido até ficar incandescente. Mas, “Conserva o meu nome e não negaste a minha fé”. Apoc. 2:13 Reprovação: “Tenho contra ti algumas coisas, tens aí os que sustentam a doutrina de Balaão… Também tu tens os que da mesma forma sustentam a doutrina dos nicolaítas”. Enquanto a Igreja de Éfeso “odiava as obras dos nicolaítas” (2:6), a Igreja de Pérgamo “sustentava a doutrina” deles. (Não acreditavam na divindade de Cristo e praticavam as obras da carne). Conselho: “Arrepende-te” Apoc. 2:16 Promessa: “Ao vencedor, dar-lhe-ei do maná escondido, bem como uma pedrinha branca, e sobre essa pedrinha escrito um nome novo, o qual ninguém conhece, exceto aquele que o recebe”. Apoc. 2:17 >>> Pérgamo representa o terceiro período do cristianismo, quando no império romano se estabelece um papa para liderar todas as igrejas cristãs. Nesse período muitas falsas doutrinas invadiram o cristianismo. Entre elas a guarda do domingo. PÉRGAMO - 313-538 d.C. No nosso estudo, abordaremos um detalhe da promessa feita à igreja em Pérgamo: “Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao que vencer darei a comer do maná escondido, e dar-lhe-ei uma pedra branca, e na pedra um novo nome escrito, o qual ninguém conhece senão aquele que o recebe.” - Versão Almeida Corrigida Fiel
  4. 4. 7 8 Falando em pedras: Talvez você que já viu e utilizou pedras, elas estão por ali, grandes, pequenas, escuras, coloridas, transparentes, feias ou belas. Moles ou duras, foscas ou brilhantes, leves ou pesadas. Valiosas ou sem valor. É assim mesmo, não é verdade? Nas terras bíblicas, lá no oriente, as pedras são abundantes e elas desempenham um papel muito importante no dia a dia do povo. Se diz que a Palestina é um pais de pedras. PEDRAS: -Nos tempos bíblicos, nas guerras , eram lançadas com fundas e catapultas. -Pedras fechavam poços, cisternas e sepulcros. -Marcavam fronteiras, limites ou divisas de propriedade. -Pedras nas construções desde o alicerce e pavimentos. -Pedras utilizadas para moer o trigo e outros cereais. -Se friccionavam pedras para obter fogo. Do ponto de vista religioso -Pedras eram transformadas em deuses ou imagens. Na Própria Bíblia -Jacó utilizou uma pedra como travesseiro. -Altares eram levantados com pedras. -Pedras eram lançadas contra o pecador. -Um cutelo de pedra era utilizado para praticar a circuncisão. -Os dez mandamentos foram escritos pelo dedo de Deus duas vezes em tábuas de pedra. -.Deus fez sair água da pedra para saciar a sede de seu povo sedento no deserto. - Para o salmista, o próprio Deus é Pedra ou rocha de refúgio. -E para Pedro Jesus é pedra angular e pedra rejeitada pelos homens. E há numerosos outros usos com significado teológicos. Voltando ao nosso texto: Apoc. 2:17 Nosso texto como já vemos, é um trecho interessante da carta que Jesus mandou ao anjo à igreja. Convém não perder de vista o contexto; vem tratando da luta contra Satanás e seus aliados: os nicolaítas e os adeptos da corrente de Balaão. A batalha é tremenda, mas há possibilidades de vitória, da vitória das armas espirituais. Jesus estimula, neste sentido, com duas promessas: a do maná escondido, referindo-se ao caso do que do que foi guardado no tabernáculo. (Êxodo 16:34); e a de uma pedra branca, portadora de um certo nome. Uma pedra ou uma pedrinha? É importante, ter em conta aqui, antes de mais nada, a tradução da palavra original, traduzida do grego por pedra ou pedrinha. E é por esse motivo que, no início destacamos algumas das traduções mais utilizadas em português.
  5. 5. 9 10 Notemos, primeiro, o uso de uma pedrinha nos dias antigos. Uma pesquisa minuciosa revela que era usada uma pedrinha para diversos fins. Vejamos exemplos: 1º - Nas eleições. Cada eleitor, na Grécia, por exemplo, levava sua pedrinha branca, como se fosse a cédula, com o nome do candidato escrito nela; e, no momento oportuno, a lançava na urna designada para tal fim. Este não seria, entretanto, o caso do texto, porque não se trata de eleição. O máximo que poderia indicar, seria, em sentido simbólico, o fato de ser o vencedor, eleito em Jesus. 2º - Nos julgamentos. Ante os tribunais, quando os juízes de fato queriam condenar o criminoso, se serviam de uma pedrinha preta; e, quando absolver, lançavam mão de uma pedrinha branca. Era qualquer coisa do que se usa no tribunal do júri. Modo que prevaleceu nos julgamentos do Império romano e que se tem como certo, pelo que sê em Atos dos apóstolos. Como exemplo temos relato de Paulo: "... também dei o meu voto (Grego: Psêephon), contra eles, e quando os matavam" Atos 26:10 Isto ele diz sobre as perseguições movidas contra os crentes, "os do Caminho”, nome dado aos primeiros cristãos. Atos 19:9 Aí diz que deu sua pedrinha preta, já se vê, porque representava seu voto para condenar a morte. No uso para julgamento, iria bem, muito bem, a pedrinha prometida do texto, pedrinha branca, de absolvição no Supremo Tribunal Divino, no juízo final. II cor. 5:10 3º - Nos jogos. Costumava-se dar ao vencedor dos jogos olímpicos, uma pedrinha branca, símbolo da vitória, com o nome do vencedor. Tal pedrinha era a senha (téssera*), com o nome do seu portador; e lhe outorgava direitos à honras e privilégios, quando regressava à sua cidade e residência. * Gr. Téssera: Peça de pedra, osso ou marfim (dado, tabuinha etc.) que servia de senha entre os antigos romanos. Não é nem “litos”, nem “petros”, nem “petra”, palavras estas que poderiam ser traduzidas, em sentido geral, por pedra. >>> No grego é "psêephon", que significa: seixo, pedra miúda ou pedrinha. Esse é o nosso assunto: Uma pedrinha branca.
  6. 6. 11 12Neste sentido, vai bem a pedrinha branca do texto. Assegura privilégios na Grande Pátria dos remidos. Trajam-se ai, de vestes brancas, vestes alvas, indumentária da pureza e santidade; trazem palmas nas mãos, as palmas da vitória suprema, da vitória do bem sobre o mal, vitória de Cristo, por Cristo e para Cristo; têm acesso à presença do Rei dos reis e Senhor dos senhores, onde o servem com a maior felicidade, são bem- aventurados! Atos 7: 9 a 17 Lembra, este aspecto do assunto, que o cristão é atleta da carreira da fé uma vez dada aos santos; e, como tal, sendo vencedor com a graça de Deus, tem direito ao prêmio da pedrinha branca: "Não sabeis - pergunta Paulo - "que os que correm no estádio, , correm, na verdade, todos, mas um só é que recebe o prêmio? Correi de tal modo, que o alcanceis. Todos os atletas se moderam em tudo: aqueles, com efeito, para receberem coroa corruptível, mas nós, uma incorruptível" I Cor. 9:24 a 25 E é verdade, que há aqui uma grande diferença, todos podem ser vencedores! 4º - Nos banquetes. A pedrinha branca com o nome do portador, servia de ingresso nos banquetes, como hoje os convites para festas, banquetes e reuniões especiais. Dará nesse sentido, a pedrinha branca, ingresso à grande festa das Bodas do Cordeiro. Apoc. 19:7 a 9 São estes os diversos usos da pedrinha branca da promessa em apreço, com as suas aplicações. Vejamos agora o sentido do nome escrito na pedrinha. A palavra hebraica traduzida para nome, significa originalmente "prova" ou "sinal", de modo que é um sinal, prova ou descrição da pessoa que o usava.* Tendo em conta que um dos pontos essenciais para conhecer e familiarizar-se com uma pessoa é aprender o seu nome; o nome profético na Bíblia representa "a pessoa que o carrega", não é uma mera etiqueta. De modo que o nome (ou nomes) que uma pessoa recebe na profecia bíblica é na verdade um adjetivo, que diz alguma coisa da pessoa, ou `"do que é", "do que faz" ou revelação do seu caráter. Para os autores bíblicos, o “nome” é mais que uma combinação de letras, ele representa a própria essência da pessoa que o carrega. Nota: * É assim também a crenças entre as nações vizinhas do povo Hebraico, como no Egito e Babilônia. Enciclopédia de la Bíblia – Edições Garriga, S.A – Barcelona. Vol. I - Pag. 547
  7. 7. 13 14 Veja que o pecado dos construtores da grande torre de Babel, diziam: – “... façamo-nos um nome” Gên. 11:4 – não era simplesmente construir um prédio ou torre muito alta, mas glorificar a si mesmo, por meio de um nome célebre Como exemplo, quando dizemos que o nome de Jesus salva ou que todo joelho se prostrará a seu Nome, estamos falando do próprio Cristo, não apenas de uma combinação de letras. O nome que o anjo diz receberia é Jesus (“Yeshua”) e diz o porquê: “... porque Ele salvará o seu povo dos pecados deles” Mat. 1:21 “Yeshua” é um termo de raiz hebraica que significa “salvar” ou "salvação". Dar um nome. Além disso, dar o nome a alguém simboliza a autoridade que se tem sobre essa pessoa. Como exemplos: Adão deu nome aos animais como parte de seu chamado de mordomo da Criação. Gên. 2:19 Da mesma forma, ele deu o nome de sua esposa – Eva. Ele fez isso, em Gn 3.20, com a autoridade de marido, não porque a mulher estava na mesma categoria do resto da criação. Outras considerações esclarecedoras: Em forma geral o nome disse, na Bíblia, a respeito do caráter da pessoa, fama, celebridade, reputação e é na verdade mais importante do que a pedrinha. Ex. 1 – O próprio Deus e o messias, recebem nas escrituras muitos nomes e cada um tem seu significado profético. Ex. 2 - O inimigo também recebe muitos nomes. Cada um dizendo do seu caráter. Ex. 3 – Em I Sam.25:25, Abigail afirma que seu marido Nabal é o que seu nome indica: Tolo ou Néscio. Ex. 4 – Em Gênesis 27:36, Esaú disse que o nome do seu irmão é Jacó (Suplantador, enganador), pois “... por duas vezes me enganou...” Mudança de nome. Em nosso texto, por que a mudança de nome? Mudança de nome na Bíblia significa mudança na realidade do ser. Veja biblicamente muitos já mudaram de nome devido a acontecimentos especiais que mudaram seu destino. Ex. 1 – Abrão para Abraão. Ex. 2 – Jacó passou a chamar-se Israel. Ex. 3 - Simão para Cefas (Pedro).
  8. 8. 15 16 Lendo o que diz Paulo, falando dos que forem salvos na volta de Cristo, em I Cor. 15:51 e 52. : v.51 - “... Transformados seremos todos” v.52 – “...num abrir e fechar de olhos seremos todos transformados...” Uma nova criação, um novo ser, necessita de um novo nome, nome que represente o seu caráter transformado à semelhança do de Jesus. Assim o diz João: “Amados, agora, somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que haveremos de ser. Sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a Ele, ...” I João 3:2 >>> Trata-se da glorificação. O último estágio do plano de salvação, a completa restauração da humanidade. Porém, isto só é válido para quem crê (tem fé) e aceita Jesus como o seu salvador pessoal e se submete a Deus, para que faça a Sua obra de restauração. “Um nome que ninguém sabe” “Um nome que ninguém sabe” ou “que ninguém conhece, senão o que o recebe” Um nome secreto? O segredo aguça a curiosidade de qualquer um! Então parece lícito pensar que Jesus ocultando o Novo nome, deseja provar a curiosidade dos lutadores na arena deste mundo contra o mal, estimulando-os à perseverança, à persistência, para que não interrompamos a obra de Deus em nós. Na verdade o caráter restaurado “à imagem e semelhança de Deus”, só é possível, na volta de Cristo. Devemos aceitar Apocalipse 2:17, literalmente?* A mensagem: Jesus voltará e dará a nós a vitória final, que será premiada com “a pedrinha branca e o novo nome”. Símbolos da restauração plena do nosso ser. Cristo quer vencedores e não vencidos! Amem!
  9. 9. 17 18 Esta mensagem do Apocalipse está fundamentada na mensagem central da palavra de Deus, o plano de salvação. O Senhor tem muitas maneiras de revelar tudo o concernente ao plano, o fez em forma progressiva e para isso utilizou figuras extraordinárias!! Podemos compactar o plano, em palavras simples, mais o menos assim: 1 - O homem foi criado por Deus, para obediência, é a mensagem de Gên. 2:16 e 17 2 – E o homem tinha a capacidade de obedecer, caráter perfeito, criado à “imagem e semelhança de Deus” Gên. 1:26 – Hebreus 2: 6 e 7 3 – Mas, entrou o pecado e pecado na sua primeira definição é desobediência. Gên. 3. Isto é: Daí em diante o homem perdeu a capacidade de obedecer, assim nascemos a “a imagem e semelhança de Adão”, Gên. 5:3 O que trouxe como consequência a morte, Gên. 2:17 e Gên. 3:19. 4 - Então o criador começa a revelar o seu plano, por iniciativa Sua e pelo Seu amor pela raça caída, de como vai resgatar e restaurar a capacidade de obediência no homem. a)Primeiro entrega a Lei dos dez mandamentos, que servem para pôr em evidência a desobediência. Como diz Paulo: “ Sobreveio a Lei para que avultasse a ofensa, (desobediência ou pecado)...” Rom. 5:20* b)Depois estabelece a Lei cerimonial, que tinha como fundamento, mostrar a gravidade da desobediência, na qual o cordeiro inocente morto e todos os serviços apontam o Salvador. Nota: Fica claro o que diz Paulo no texto anterior, a Lei inclui toda a revelação dos cinco livros de Moisés, inclusive a Lei cerimonial. 6 – Então veio a “CRUZ”, ali o verdadeiro cordeiro é morto, como dizia a profecia (Isaías 53: 1 a 11), O substituto leva sobre si o castigo. Na cruz começa a ser resolvido o problema: Recuperar a capacidade de obedecer e tudo “pela obediência de um só”, Cristo. Rom. 5:19 E este ato, estava previsto, “ Justificará a muitos...”, isto é: A todo o que crer. Veja agora, a salvação é uma só, mas inclui dois aspectos, o que Deus fez em nosso favor na pessoa de Cristo e o que Deus faz no crente. O primeiro aspecto, garantido pela obediência de Cristo, aceito pela fé, garante o segundo, se crê e se há entrega. É ali onde começa a obra de Deus para recuperar a capacidade de obedecer no homem. Na Bíblia a obediência é fruto da salvação. Confira: Ezequiel 36:27 - Efésios 2:8 a 10 - I Pedro 1:2 Examine o quadro: Como pode ver a passagem em estudo, nos leva : A santificação – o seu significado, o alcance, natureza prática, duração, valor, necessidade, a sua fonte divina, o fator humano, os seus meios, efeitos e padrão. Conclusão: Agora queridos leitores cabe a cada um, ter presente o verdadeiro plano de salvação apresentado na palavra de Deus. Vamos fazer uma revisão:
  10. 10. Adaptado por: Prof. Ramón Zazatt Atualizado em 08/09/2013 19 20 Novo Curso Bíblico Ideal Cristão Online: http://novocbic.blogspot.com.br/ Recomendamos fazer o Novo Curso Bíblico Ideal Cristão, de nossa autoria, para mais detalhes do plano da salvação. Chegamos ao cerne da questão, a mola mestra da existência cristã: a questão da justificação pela fé. Aqui está o coração pulsante da revelação bíblica e toda verdadeira religião bíblica. Repito sempre : 1- Justifica os próprios atos de Deus, Ele não podia levantar a pena, alguém deveria pagar. Ele é justo e justificador. Estava em jogo o seu caráter. 2 - E justifica o que crê, é a única justificativa válida que pode ser apresentada , para Deus executar a sua obra. Não poderia efetuar o principal o mais importante do Seu ponto de vista: Restaurar ou criar de novo. A santificação está enraizada na justificação, na verdade é a graça que faz mudar o coração do pecador e esta é a coisa mais importante que Deus pode fazer no processo da salvação. E esta é a finalidade do plano de salvação, mostrar o perfeito caráter de Deus e restaurar o caráter do ser humano, a sua imagem e semelhança. Isto é recuperar a glória perdida. Rom. 3:23 Este é o significado da “Pedrinha branca com o novo nome” http://www.homerzatt.blogspot.com.br/ Recomende e Veja outros temas escolhidos em: Homerzatt - Princípios teológicos básicos. Gostou? Referências: 1- Tomado como base: Sermão: “Pedrinha branca” de PEREIRA JUNIOR, FRANCISCO AUGUSTO. Sermonario Evangelico. 2. ed. Pg. 139 - CIA.Brasil Editora, 231 p. ISBN Veja também:

×