SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 35
Baixar para ler offline
Objetivo: Expor, argumentar ou
desenvolver um tema proposto,
analisando-o sob um determinado
ponto de vista e fundamentando-o
com argumentos convincentes, em
defesa de nossas posições.
Texto Dissertativo-Argumentativo
Dissertar é tratar com desenvolvimento um
assunto.
 É discorrer sobre um ponto de vista,
opinando ou persuadindo.
O TEXTO DISSERTATIVO é aquele que expressa uma TESE
(um ponto de vista) sobre determinado ASSUNTO, apoiada
em dados, fatos (exemplos), fundamentações; enfim, em
ARGUMENTOS (informações que comprovem sua tese).
Em suma, dissertação implica em discussão de ideias,
argumentação, raciocínio, organização de pensamento,
defesa de pontos de vista, descoberta de soluções.
Significa refletir sobre o mundo que nos cerca.
ESTRUTURA
Um texto dissertativo precisa ter uma estrutura bem
organizada. Nesse sentido, os maiores problemas de um
texto dissertativo são:
- Expor as ideias desordenadas no papel;
- falta de uma linha de raciocínio (coerência);
- não relacionar uma ideia com outra (coesão);
- não provar absolutamente nada.
=> As partes da dissertação devem
estar bem definidas e intimamente
ligadas.
=> O modo de se estruturar a redação
é o que mais se valoriza para a
inteligibilidade do texto.
1 – Introdução: apresentação da ideia principal ou
tese.
2 – Desenvolvimento: apresentação de argumentos
que sustentam a ideia principal.
3 – Conclusão: apresentação de um resumo da ideia
principal ou de uma sugestão para a resolução do
problema.
O texto dissertativo - argumentativo organiza-se
em três partes:
INTRODUÇÃO – normalmente apresenta-se a ideia
central a ser discutida, de modo que o leitor saiba de
que o texto vai tratar. Corresponde, geralmente, a
um parágrafo.
A Introdução deve:
 Apresentar a ideia núcleo do texto
 Apontar o que o texto tratará no desenvolvimento
Transmitir a mensagem de modo que fique clara e
objetiva para o leitor.
DESENVOLVIMENTO – Parte encarregada pelo
desdobramento da ideia central. Corresponde à
exposição dos argumentos que comprovam o
ponto de vista contido na introdução. Pode
haver mais de um parágrafo, dependendo da
quantidade de linhas disponíveis.
•Parte que se discorre sobre o assunto
abordado pela tese;
•Utiliza-se de fatos e de exemplos;
•Fatos e argumentos fazem com que o
conteúdo ideológico da tese seja
plenamente desenvolvido, levando a
uma conclusão.
Desenvolvimento
Conclusão
Síntese das ideias.
Apontamento da solução para as
questões abordadas no desenvolvimento.
CONCLUSÃO: É o acabamento da redação, parte que
“amarra” o texto. Não deve ser iniciada abruptamente, como
também não pode ser acabada de súbito.
Pode funcionar de três maneiras:
Retomada da ideia central, a fim de confirmá-la;
Resumo das ideias principais apresentadas e discutidas;
Sugestão de soluções para a resolução da problemática
abordada.
Observações:
1 – A linguagem tende à impessoalidade, por isso os verbos
e os pronomes são empregados na 3ª pessoa do singular.
2 – A variedade linguística predominante é a padrão.
3 – Os verbos são empregados predominantemente no
presente do indicativo.
 Em resumo: a linguagem do texto dissertativo
A linguagem neste tipo de texto é denotativa, isto é,
preocupada com a informação. Deve ser uma linguagem
impessoal e objetiva, com emprego da forma culta e
formal da língua (padrão).
 Deve-se ter como preocupação persuadir o leitor e transmitir
informações que se pretende como conhecimentos verdadeiros, e
dessa forma se tornar convincente.
 Diante do tema, o autor deve se posicionar acerca do assunto e,
através dos seus argumentos, demonstrar conhecimento de mundo:
Com clareza, domínio da língua, seleção de conteúdos pelos seus
valores reais, organizando-os de forma coesa e coerente entre os
assuntos, os quais serão fechados na conclusão, completando
assim, o ponto de vista inicial.
Argumentação nos textos dissertativos
Tipos de argumentos aos quais podemos
recorrer:
Argumento com base em citação – Fundamenta-se mediante a
citação de uma frase ou pensamento de uma autoridade ou
especialista no assunto.
 Promove credibilidade ao texto;
 Enriquece o texto com informações a respeito dos trabalhos desenvolvidos
na área foco;
 Fornece exemplos de pontos de vista semelhantes ou divergentes sobre o
assunto objeto de sua pesquisa.
 Citação direta
Ao identificar o conceito de atividade, Leontiev, Especialista
em Psicopedagogia, afirma que “por esse termo designamos
apenas aqueles processos que, realizando as relações do
homem com o mundo, satisfazem uma necessidade
especial correspondente a ele”.
 Citação indireta
Ao identificar o conceito de atividade, Leontiev, Especialista
em Psicopedagogia, afirma que pelo termo mencionado é
possível designar apenas aqueles processos relativos às relações
do homem com o mundo, e que satisfazem uma necessidade
humana específica.
Fundamenta-se nas ideias voltadas para princípios
e valores que são reconhecidamente partilhados
pela maioria das pessoas de uma sociedade.
Refere-se a conceitos considerados irrefutáveis,
partilhados.
Argumento com base no senso comum
 São aqueles fatos que comprovam a tese
e confirmam crédito ao texto (dados,
estatísticas, pesquisas, informações
comprovadamente científicas, ou seja, de
fontes sérias).
Argumento com base em evidências
Estabelece uma relação de causa e consequência,
para que não se prejudiquem a sequência ordenada
dos parágrafos nem o sentido geral do texto.
Mantém a coesão e coerência entre palavras e
entre parágrafos.
Argumento com base no raciocínio lógico
A IMPORTÂNCIA DOS EXEMPLOS
 Os exemplos dão vida ao texto.
 Esclarecem o raciocínio.
 Iluminam a compreensão.
 Intensificam o processo de persuasão, expondo
as ideias de modo concreto.
 Não só ilustram o texto, mas levam o leitor a sentir,
a pensar, a viver.
ALGUMAS FORMAS DE SE
INICIAR UMA DISSERTAÇÃO
Definição: Pode-se começar a dissertar
fazendo uma definição do tema, para
atribuir maior clareza e objetividade
ao texto.
Violência consiste em...
A violência se caracteriza como....
Um ato é violento quando...
Existe violência se...
 Comparação: Tem-se também a opção de
começar, buscando uma definição do tema por
comparação.
Atribui-se a violência como...
A violência torna-se semelhante a...
A violência parece-se com..., lembra...
 Citação: Pode-se ainda iniciar o texto com uma
citação relativa ao tema. Uma frase interessante,
um verso, um fragmento...
O ideal é que a citação seja feita do modo clássico:
entre aspas, reproduzindo exatamente as palavras
do autor e com indicação da fonte de onde foi
retirada.
Em seguida, faz-se uma pequena análise, um breve
comentário a respeito da opinião citada, expondo,
ao mesmo tempo, o seu ponto de vista sobre o
assunto.
 Histórico: no início do texto pode fazer um histórico, uma
explanação rápida do tema através dos tempos, dando ao tema
uma abordagem temporal.
Antes, a violência era “X”; agora é...
Ontem, a violência era “X”; hoje é “Y”; amanhã será...
Depois do histórico, apresenta-se a IDEIA CENTRAL e inicia-se
a argumentação.
 Exemplo: Pode-se também escolher um fato-exemplo
expressivo para iniciar o texto. Em seguida, faz-se uma
análise interpretativa desse exemplo – que poderá ou não
ser retomado mais adiante – , revelando nossa visão sobre
o tema.
Iniciar uma dissertação a partir de um exemplo dá
concretude e comunicabilidade ao texto.
 Estatística: Pode-se começar a redação pela
apresentação de um dado estatístico esclarecedor
sobre o tema. O procedimento é praticamente
idêntico ao de iniciar o texto pela exemplificação.
 Resumo: Um resumo daquilo que se pensa sobre o
assunto da redação é uma das possibilidades de início.
O começo da dissertação funcionaria, assim, como
uma espécie de índice, de sumário do texto, em que se
apresentaria de modo sintético o tema, o ponto de
vista e a argumentação.
A linguagem dissertativa
 Adequação: A redação deve obedecer à norma culta escrita,
evitando-se repetições inexpressivas, gírias, vocabulário
impreciso...
 Clareza: Deve-se evitar ambiguidade e obscuridade.
 Concisão: Evitar redundâncias, prolixidade.
 Coesão: Evitar frases e períodos desconexos.
 Expressividade: Evitar as frases feitas e os lugares-comuns.
Como estruturar um texto dissertativo-argumentativo
Como estruturar um texto dissertativo-argumentativo
Como estruturar um texto dissertativo-argumentativo
Como estruturar um texto dissertativo-argumentativo

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Como estruturar um texto dissertativo-argumentativo

Aula01 textodissertativo-argumentativo-estrutura-130529182019-phpapp02
Aula01 textodissertativo-argumentativo-estrutura-130529182019-phpapp02Aula01 textodissertativo-argumentativo-estrutura-130529182019-phpapp02
Aula01 textodissertativo-argumentativo-estrutura-130529182019-phpapp02Edson Alves
 
3s anos argumentação imagens com frases redes sociais
3s anos argumentação imagens com frases redes sociais3s anos argumentação imagens com frases redes sociais
3s anos argumentação imagens com frases redes sociaisMarisaAlcantaraGoula
 
Texto expositivo-argumentativo
Texto expositivo-argumentativoTexto expositivo-argumentativo
Texto expositivo-argumentativonando_reis
 
Apresentacao Siderly Almeida CEAD UFOP UAB
Apresentacao Siderly Almeida CEAD UFOP UABApresentacao Siderly Almeida CEAD UFOP UAB
Apresentacao Siderly Almeida CEAD UFOP UABRenata Aquino
 
Tipologia textual: DESCRIÇÃO, NARRAÇÃO, DISSERTAÇÃO
Tipologia textual: DESCRIÇÃO, NARRAÇÃO, DISSERTAÇÃOTipologia textual: DESCRIÇÃO, NARRAÇÃO, DISSERTAÇÃO
Tipologia textual: DESCRIÇÃO, NARRAÇÃO, DISSERTAÇÃO Sônia Maciel Alves
 
2 características da dissertação 9º ano 2009
2 características da dissertação    9º ano 20092 características da dissertação    9º ano 2009
2 características da dissertação 9º ano 2009Cristiane Paula Czepak Cris
 
Metolodogia daniela cartoni - slides - parte 12 - redação técnica
Metolodogia   daniela cartoni - slides - parte 12 - redação técnicaMetolodogia   daniela cartoni - slides - parte 12 - redação técnica
Metolodogia daniela cartoni - slides - parte 12 - redação técnicaDaniela Cartoni
 
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira - Linguagem Jurídica - AULA 10
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira  -  Linguagem Jurídica - AULA 10FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira  -  Linguagem Jurídica - AULA 10
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira - Linguagem Jurídica - AULA 10Jordano Santos Cerqueira
 
Dissertação argumentativa - TJ.pptx
Dissertação argumentativa - TJ.pptxDissertação argumentativa - TJ.pptx
Dissertação argumentativa - TJ.pptxBerlaPaiva
 
Estrutura+do+ensaio
Estrutura+do+ensaioEstrutura+do+ensaio
Estrutura+do+ensaioAdriele Leal
 

Semelhante a Como estruturar um texto dissertativo-argumentativo (20)

Ot 26 05[1]
Ot 26 05[1]Ot 26 05[1]
Ot 26 05[1]
 
Ot 26 05[1]
Ot 26 05[1]Ot 26 05[1]
Ot 26 05[1]
 
Aula01 textodissertativo-argumentativo-estrutura-130529182019-phpapp02
Aula01 textodissertativo-argumentativo-estrutura-130529182019-phpapp02Aula01 textodissertativo-argumentativo-estrutura-130529182019-phpapp02
Aula01 textodissertativo-argumentativo-estrutura-130529182019-phpapp02
 
Dissertaçao
DissertaçaoDissertaçao
Dissertaçao
 
3s anos argumentação imagens com frases redes sociais
3s anos argumentação imagens com frases redes sociais3s anos argumentação imagens com frases redes sociais
3s anos argumentação imagens com frases redes sociais
 
Texto expositivo-argumentativo
Texto expositivo-argumentativoTexto expositivo-argumentativo
Texto expositivo-argumentativo
 
Aulão de redação -Resumo de redação
Aulão de redação -Resumo de redaçãoAulão de redação -Resumo de redação
Aulão de redação -Resumo de redação
 
Apresentacao Siderly Almeida CEAD UFOP UAB
Apresentacao Siderly Almeida CEAD UFOP UABApresentacao Siderly Almeida CEAD UFOP UAB
Apresentacao Siderly Almeida CEAD UFOP UAB
 
Tipologia textual: DESCRIÇÃO, NARRAÇÃO, DISSERTAÇÃO
Tipologia textual: DESCRIÇÃO, NARRAÇÃO, DISSERTAÇÃOTipologia textual: DESCRIÇÃO, NARRAÇÃO, DISSERTAÇÃO
Tipologia textual: DESCRIÇÃO, NARRAÇÃO, DISSERTAÇÃO
 
Aula dissertação
Aula dissertaçãoAula dissertação
Aula dissertação
 
Aula 9 e 10
Aula 9 e 10Aula 9 e 10
Aula 9 e 10
 
O que é argumentar
O que é argumentarO que é argumentar
O que é argumentar
 
O que é um texto dissertativo
O que é um texto dissertativoO que é um texto dissertativo
O que é um texto dissertativo
 
2 características da dissertação 9º ano 2009
2 características da dissertação    9º ano 20092 características da dissertação    9º ano 2009
2 características da dissertação 9º ano 2009
 
jeovanna 1 - Copia.pptx
jeovanna 1 - Copia.pptxjeovanna 1 - Copia.pptx
jeovanna 1 - Copia.pptx
 
Metolodogia daniela cartoni - slides - parte 12 - redação técnica
Metolodogia   daniela cartoni - slides - parte 12 - redação técnicaMetolodogia   daniela cartoni - slides - parte 12 - redação técnica
Metolodogia daniela cartoni - slides - parte 12 - redação técnica
 
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira - Linguagem Jurídica - AULA 10
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira  -  Linguagem Jurídica - AULA 10FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira  -  Linguagem Jurídica - AULA 10
FACELI - D1 - Zilda Maria Fantin Moreira - Linguagem Jurídica - AULA 10
 
Dissertação argumentativa - TJ.pptx
Dissertação argumentativa - TJ.pptxDissertação argumentativa - TJ.pptx
Dissertação argumentativa - TJ.pptx
 
Estrutura+do+ensaio
Estrutura+do+ensaioEstrutura+do+ensaio
Estrutura+do+ensaio
 
Texto Argumentativo
Texto Argumentativo Texto Argumentativo
Texto Argumentativo
 

Último

Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º BimestreProfaCintiaDosSantos
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evoluçãoprofleticiasantosbio
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Mary Alvarenga
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfRafaela Vieira
 
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSUM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSdjgsantos1981
 
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfPARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfceajajacu
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMHenrique Pontes
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Segunda Série (Primeiro Trimestre)
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Terceira Série do E.M.
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025Os Ratos  -  Dyonelio Machado  FUVEST 2025
Os Ratos - Dyonelio Machado FUVEST 2025
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
 
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSUM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
 
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfPARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
 
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptxSlides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
Slides Lição 2, Betel, Ordenança para participar da Ceia do Senhor, 2Tr24.pptx
 

Como estruturar um texto dissertativo-argumentativo

  • 1.
  • 2. Objetivo: Expor, argumentar ou desenvolver um tema proposto, analisando-o sob um determinado ponto de vista e fundamentando-o com argumentos convincentes, em defesa de nossas posições. Texto Dissertativo-Argumentativo
  • 3. Dissertar é tratar com desenvolvimento um assunto.  É discorrer sobre um ponto de vista, opinando ou persuadindo.
  • 4. O TEXTO DISSERTATIVO é aquele que expressa uma TESE (um ponto de vista) sobre determinado ASSUNTO, apoiada em dados, fatos (exemplos), fundamentações; enfim, em ARGUMENTOS (informações que comprovem sua tese). Em suma, dissertação implica em discussão de ideias, argumentação, raciocínio, organização de pensamento, defesa de pontos de vista, descoberta de soluções. Significa refletir sobre o mundo que nos cerca.
  • 5. ESTRUTURA Um texto dissertativo precisa ter uma estrutura bem organizada. Nesse sentido, os maiores problemas de um texto dissertativo são: - Expor as ideias desordenadas no papel; - falta de uma linha de raciocínio (coerência); - não relacionar uma ideia com outra (coesão); - não provar absolutamente nada.
  • 6. => As partes da dissertação devem estar bem definidas e intimamente ligadas. => O modo de se estruturar a redação é o que mais se valoriza para a inteligibilidade do texto.
  • 7. 1 – Introdução: apresentação da ideia principal ou tese. 2 – Desenvolvimento: apresentação de argumentos que sustentam a ideia principal. 3 – Conclusão: apresentação de um resumo da ideia principal ou de uma sugestão para a resolução do problema. O texto dissertativo - argumentativo organiza-se em três partes:
  • 8.
  • 9. INTRODUÇÃO – normalmente apresenta-se a ideia central a ser discutida, de modo que o leitor saiba de que o texto vai tratar. Corresponde, geralmente, a um parágrafo.
  • 10. A Introdução deve:  Apresentar a ideia núcleo do texto  Apontar o que o texto tratará no desenvolvimento Transmitir a mensagem de modo que fique clara e objetiva para o leitor.
  • 11. DESENVOLVIMENTO – Parte encarregada pelo desdobramento da ideia central. Corresponde à exposição dos argumentos que comprovam o ponto de vista contido na introdução. Pode haver mais de um parágrafo, dependendo da quantidade de linhas disponíveis.
  • 12. •Parte que se discorre sobre o assunto abordado pela tese; •Utiliza-se de fatos e de exemplos; •Fatos e argumentos fazem com que o conteúdo ideológico da tese seja plenamente desenvolvido, levando a uma conclusão. Desenvolvimento
  • 13. Conclusão Síntese das ideias. Apontamento da solução para as questões abordadas no desenvolvimento.
  • 14. CONCLUSÃO: É o acabamento da redação, parte que “amarra” o texto. Não deve ser iniciada abruptamente, como também não pode ser acabada de súbito. Pode funcionar de três maneiras: Retomada da ideia central, a fim de confirmá-la; Resumo das ideias principais apresentadas e discutidas; Sugestão de soluções para a resolução da problemática abordada.
  • 15. Observações: 1 – A linguagem tende à impessoalidade, por isso os verbos e os pronomes são empregados na 3ª pessoa do singular. 2 – A variedade linguística predominante é a padrão. 3 – Os verbos são empregados predominantemente no presente do indicativo.
  • 16.  Em resumo: a linguagem do texto dissertativo A linguagem neste tipo de texto é denotativa, isto é, preocupada com a informação. Deve ser uma linguagem impessoal e objetiva, com emprego da forma culta e formal da língua (padrão).
  • 17.  Deve-se ter como preocupação persuadir o leitor e transmitir informações que se pretende como conhecimentos verdadeiros, e dessa forma se tornar convincente.  Diante do tema, o autor deve se posicionar acerca do assunto e, através dos seus argumentos, demonstrar conhecimento de mundo: Com clareza, domínio da língua, seleção de conteúdos pelos seus valores reais, organizando-os de forma coesa e coerente entre os assuntos, os quais serão fechados na conclusão, completando assim, o ponto de vista inicial. Argumentação nos textos dissertativos
  • 18. Tipos de argumentos aos quais podemos recorrer: Argumento com base em citação – Fundamenta-se mediante a citação de uma frase ou pensamento de uma autoridade ou especialista no assunto.  Promove credibilidade ao texto;  Enriquece o texto com informações a respeito dos trabalhos desenvolvidos na área foco;  Fornece exemplos de pontos de vista semelhantes ou divergentes sobre o assunto objeto de sua pesquisa.
  • 19.  Citação direta Ao identificar o conceito de atividade, Leontiev, Especialista em Psicopedagogia, afirma que “por esse termo designamos apenas aqueles processos que, realizando as relações do homem com o mundo, satisfazem uma necessidade especial correspondente a ele”.  Citação indireta Ao identificar o conceito de atividade, Leontiev, Especialista em Psicopedagogia, afirma que pelo termo mencionado é possível designar apenas aqueles processos relativos às relações do homem com o mundo, e que satisfazem uma necessidade humana específica.
  • 20. Fundamenta-se nas ideias voltadas para princípios e valores que são reconhecidamente partilhados pela maioria das pessoas de uma sociedade. Refere-se a conceitos considerados irrefutáveis, partilhados. Argumento com base no senso comum
  • 21.  São aqueles fatos que comprovam a tese e confirmam crédito ao texto (dados, estatísticas, pesquisas, informações comprovadamente científicas, ou seja, de fontes sérias). Argumento com base em evidências
  • 22. Estabelece uma relação de causa e consequência, para que não se prejudiquem a sequência ordenada dos parágrafos nem o sentido geral do texto. Mantém a coesão e coerência entre palavras e entre parágrafos. Argumento com base no raciocínio lógico
  • 23. A IMPORTÂNCIA DOS EXEMPLOS  Os exemplos dão vida ao texto.  Esclarecem o raciocínio.  Iluminam a compreensão.  Intensificam o processo de persuasão, expondo as ideias de modo concreto.  Não só ilustram o texto, mas levam o leitor a sentir, a pensar, a viver.
  • 24. ALGUMAS FORMAS DE SE INICIAR UMA DISSERTAÇÃO
  • 25. Definição: Pode-se começar a dissertar fazendo uma definição do tema, para atribuir maior clareza e objetividade ao texto. Violência consiste em... A violência se caracteriza como.... Um ato é violento quando... Existe violência se...
  • 26.  Comparação: Tem-se também a opção de começar, buscando uma definição do tema por comparação. Atribui-se a violência como... A violência torna-se semelhante a... A violência parece-se com..., lembra...
  • 27.  Citação: Pode-se ainda iniciar o texto com uma citação relativa ao tema. Uma frase interessante, um verso, um fragmento... O ideal é que a citação seja feita do modo clássico: entre aspas, reproduzindo exatamente as palavras do autor e com indicação da fonte de onde foi retirada. Em seguida, faz-se uma pequena análise, um breve comentário a respeito da opinião citada, expondo, ao mesmo tempo, o seu ponto de vista sobre o assunto.
  • 28.  Histórico: no início do texto pode fazer um histórico, uma explanação rápida do tema através dos tempos, dando ao tema uma abordagem temporal. Antes, a violência era “X”; agora é... Ontem, a violência era “X”; hoje é “Y”; amanhã será... Depois do histórico, apresenta-se a IDEIA CENTRAL e inicia-se a argumentação.
  • 29.  Exemplo: Pode-se também escolher um fato-exemplo expressivo para iniciar o texto. Em seguida, faz-se uma análise interpretativa desse exemplo – que poderá ou não ser retomado mais adiante – , revelando nossa visão sobre o tema. Iniciar uma dissertação a partir de um exemplo dá concretude e comunicabilidade ao texto.
  • 30.  Estatística: Pode-se começar a redação pela apresentação de um dado estatístico esclarecedor sobre o tema. O procedimento é praticamente idêntico ao de iniciar o texto pela exemplificação.  Resumo: Um resumo daquilo que se pensa sobre o assunto da redação é uma das possibilidades de início. O começo da dissertação funcionaria, assim, como uma espécie de índice, de sumário do texto, em que se apresentaria de modo sintético o tema, o ponto de vista e a argumentação.
  • 31. A linguagem dissertativa  Adequação: A redação deve obedecer à norma culta escrita, evitando-se repetições inexpressivas, gírias, vocabulário impreciso...  Clareza: Deve-se evitar ambiguidade e obscuridade.  Concisão: Evitar redundâncias, prolixidade.  Coesão: Evitar frases e períodos desconexos.  Expressividade: Evitar as frases feitas e os lugares-comuns.