IV Simpósio Internacional sobre Literatura BrasileiraContemporânea: autoria, experiência e aportes críticosrasuradosResumo...
(2004) e Era uma vez um casal diferente: a temática homossexual na educação literária infanto-juvenil (2009),frutos de sua...
tratar-se-á de estabelecer um primeiro balanço crítico desta pesquisa. Sublinharemos, em particular, os problemasrelativos...
Bruna Paiva de LucenaPartindo-se do estudo das principais obras da história e da crítica literária brasileiras, responsáve...
amorosas desses corpos nas obras de autoras negras contemporâneas; e, finalmente, a construção do amor paraessas personage...
Ludimila Moreira MenezesO foco deste trabalho são as narrativas literárias que abordam doenças e apresentam personagens em...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

IV Simpósio Internacional sobre Literatura Brasileira Contemporânea: autoria, experiência e aportes críticos rasurados

1.501 visualizações

Publicada em

Autoria,experiência e aportes críticos rasurados

IV Simpósio Internacional sobre Literatura Brasileira Contemporânea

Brasília – Universidade de Brasília – 25 a 27 de junho de 2012
Local: Auditório 1 do Instituto de Ciências Biológicas

Coordenação: Profª. Drª. Regina Dalcastagnè e Prof. Dr. José Leonardo Tonus

Mais informações no blog : http://etudeslusophonesparis4.blogspot.fr/

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.501
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

IV Simpósio Internacional sobre Literatura Brasileira Contemporânea: autoria, experiência e aportes críticos rasurados

  1. 1. IV Simpósio Internacional sobre Literatura BrasileiraContemporânea: autoria, experiência e aportes críticosrasuradosResumosInsulamento e literatura: em busca de definiçõesGabriel AlbuquerquePartindo do projeto de pesquisa Brasil, Brasis: insulamento e produção literária no Amazonas, busco identificar osresultados do que tem sido estudado, no âmbito de um grupo de pesquisa que coordeno, sobre o que é e não é tidocomo literatura no Brasil. O suporte teórico para a discussão cruza um conjunto de disciplinas tais como história,antropologia e estudos literários. Para além do clássico binômio centro-periferia, os resultados parciais apontampara a distinção histórica entre o Sul e o Norte do Brasil, para a constituição identitária, para o cânone e seuslimites, bem como para uma produção ainda não avaliada, qual seja, os registros feitos sobre os mitos do alto RioNegro.O escritor como mediador: estátua de sal?Stefania ChiarelliPretendo investigar, no cenário contemporâneo das letras nacionais, a frequência e a intensidade com quedeterminados escritores atuam na qualidade de mediadores de seus próprios escritos. A presença massiva deescritores em eventos como festas literárias, feiras, debates, colóquios e congressos implica na exposição constanteda persona do escritor. Quais as consequências disso? Em que medida o público leitor passar a ter outro tipo derecepção da obra desses autores? Se, por um lado, as entrevistas concedidas pelos criadores passam a ser lugaresteóricos importantes para a própria análise de seus escritos, por outro, como lidar com tudo isso?Profissionalização do escritor e processos de internacionalização da literatura brasileira atualCarmen Villarino PardoHoje encontramos um número importante de produtores/as literários/as que vivem como profissionais da escrita.De fato, atividades ligadas ao mundo literário como conferências, participação em encontros/congressos/feirasliterárias, oficinas de escrita, colaborações na imprensa etc. são espaços cada vez mais frequentados por quem sedefine como escritor(a). Observando os casos de Nélida Piñon e Luiz Ruffato, analisaremos estas tomadas deposição autorais em relação aos novos processos de internacionalização da literatura brasileira.Resistência e intervenção no campo literário: o caso EdithAnderson Luís Nunes da MataAs fronteiras do campo literário são frequentemente forçadas por diversos agentes que buscam se inscrever dentrode um discurso já hegemônico ou procuram desestabilizá-lo. O coletivo Edith, capitaneado por Marcelino Freire,aparece com esse propósito, com uma resistência menor, focada em uma estratégia comercial pouco usual nomercado de livros no Brasil e, principalmente, na formação, ao mesmo tempo, de um conjunto de novos autores ede um público leitor para uma literatura que se situa na fronteira entre o entretenimento e a chamada altaliteratura. Na comunicação, serão apresentados os primeiros levantamentos sobre as publicações do coletivo noque se refere a suas estratégias de legitimação no campo literário a partir de suas escolhas repertoriais e nosresultados obtidos até aqui em função da recepção de seus textos entre as instâncias da crítica.Academia, militância e criação literária: a produção de Lúcia FaccoVirgínia Mª Vasconcelos LealLúcia Facco tem se destacado, com suas obras de ficção e ensaios acadêmicos, em um nicho específico do campoliterário: a temática lésbica. Com as publicações As heroínas saem do armário: literatura lésbica contemporânea 1
  2. 2. (2004) e Era uma vez um casal diferente: a temática homossexual na educação literária infanto-juvenil (2009),frutos de sua dissertação de mestrado e sua tese de doutorado em literatura, respectivamente, a escritora tornou-se referência na área também como organizadora de livros. Como ficcionista, tem participado, ainda, de antologiasde contos, além de ter publicado seu próprio livro de narrativas curtas – Lado B: histórias de mulheres (2006) – e oromance As guardiãs da magia (2008). Esse romance foi a primeira obra lançada pela Editora Malagueta, fundadaem 2008, trazendo uma proposta bem focada: editar livros de lésbicas para lésbicas. Com Laura Bacellar e HannaKorich, ativistas culturais e diretoras da Malagueta, Facco é coautora do livro de artigos Frente e verso: visões dalesbianidade. Analisar a obra de Lúcia Facco é também pensar em uma escritora com um posicionamento específicono campo literário brasileiro. Um posicionamento que não só “reflete”, mas também promove a visibilidade desexualidades não hegemônicas, como é o caso das lésbicas.Uma estética do desconforto: autoria e crise na representaçãoRegina DalcastagnèA partir do momento em que o criador adquire consciência de que impõe um discurso sobre seu objeto, o qual devepermanecer em silêncio para que ele possa falar melhor, instaura-se uma crise na representação, acentuada, cadavez mais, com a resistência imposta pelo objeto do discurso a ser falado pelo outro. O objetivo aqui é observar trêsrespostas possíveis a essa crise, elaboradas em diferentes períodos da história cultural brasileira. Aproximandoliteratura e artes plásticas, busca-se compreender a mediação exercida pelo artista entre o espectador/leitor e oobjeto representado. Uma mediação que parece passar quase sempre pelo desconforto, seja do autor diante de seuobjeto, seja do próprio objeto em cena, seja na construção da linguagem – que implica, também, no deslocamentodo leitor/espectador de sua zona de conforto.Entre gambiarras e deslocamentos: assinado Marcelo MirisolaLuciene AzevedoO trabalho pretende acompanhar a construção da assinatura de Marcelo Mirisola, comentando alguns aspectos deseu repertório ficcional e apostando na hipótese de que o cinismo que se cola à construção da identidade autoral éum impasse à transformação de sua assinatura, de seu nome de autor. A partir de Joana, a contragosto, o autortenta um turning point através da metaficcionalização de sua própria condição como escritor no cenário literáriocontemporâneo, expondo as aporias de inscrição de uma marca de autoria. Tal como disse Ricardo Lísias nocomentário que fez à Joana, a contragosto, é possível capturar um movimento de deslocamento da voz autoral nadireção de uma dicção mais melancólica, que põe a descoberto as estratégias de ficcionalização da própria figuraautoral nas narrativas, as imagens de escritor tematizadas na ficção. Nesse sentido, a presente comunicaçãopretende capturar elementos recorrentes nas narrativas, laboriosamente reiterados, que, por um lado, apontampara a consolidação de uma obra e, por outro, quando metaficcionalizados, indicam a exaustão e a aporia de umavoz narrativa já confirmada.4 por 3$: A pulp fiction brasileira e o fetiche da polpaRicardo BarberenaO trabalho problematiza a produção sistemática de escritores ultra marginais como Ryoki Inoue (autor de romancescomo Trama diabólica e Quem herda aos seus). Presentes em revistarias de rodoviárias (onde se compra quatrolivros por três reais), estes escritores circulam massivamente em espaços interditados no que se refere aos saberese poderes acadêmicos. Em contrapartida, um grupo de jovens escritores, completamente inseridos no campoliterário, editou uma série, denominada ficção de polpa, na qual se percebe um fetichismo da margem numaespécie de pulp fiction estetizada.Os traços do literário no discurso historiográfico contemporâneo: o relato oral de sonhos como vestígios daexperiência históricaPaulo C. ThomazNas últimas décadas, a crítica literária vem debatendo-se com a dificuldade de desenvolver categorias que consigamexplicar e determinar como o material histórico opera em meio ao discurso ficcional. Este trabalho consiste natentativa de percorrer o caminho inverso: a partir de estudos científicos de historiadores que trabalham com odiscurso oral – em alguns casos com relatos de sonhos –, identificar (ou não?) traços ou vestígios do que a tradiçãopoética tem definido como literários nessa produção discursiva de sujeitos quase sempre marcados pela exclusãosocial.Experiências e artefatos da exogenia no romance brasileiro contemporâneoJosé Leonardo TonusO trabalho inscreve-se num projeto de pesquisa mais abrangente que tem por objetivo contemplar o estudo deromances contemporâneos brasileiros cujas vozes autorais encontram-se em situação de deslocamento:emigrantes, clandestinos, viajantes, expatriados etc. Busca-se aqui refletir sobre o ressurgimento na literaturabrasileira contemporânea da experiência da exogenia no confronto com os espaços não nacionais. O interesse destapesquisa repousa na possibilidade de trazer aos estudos literários contemporâneos novas abordagens e chavesepistemológicas no que tange às configurações genéricas e às questões de representação. Nesta apresentação, 2
  3. 3. tratar-se-á de estabelecer um primeiro balanço crítico desta pesquisa. Sublinharemos, em particular, os problemasrelativos ao mapeamento, à conceitualização e à categorização de uma prática literária cujos procedimentos delegitimação e de “deslegitimação” vinculam-se ao mais diversos elementos circunstanciais: multiplicação de feiras eencontros literários internacionais, promoção de programas de residência para escritores no exterior, bolsa deprodução criativa, incentivo à tradução, criação de prêmios literários transnacionais, acréscimo, decréscimo eestabilização dos movimentos migratórios de brasileiros para o exterior. Neste primeiro trabalho, uma atençãoparticular será reservada à chamada literatura “brazuca (ou brasuca)” e às razões de sua ausência no campoliterário nacional contemporâneo.Em viagem: sobre outras paisagens e experiências narrativas no romance contemporâneoMaria Isabel Edom PiresOs deslocamentos de alguns protagonistas na literatura brasileira têm indicado algumas das motivações de saída dopaís e, certamente, poucas convergências quanto aos procedimentos de sobrevivência. Talvez se possa destacar,desde o romance Lorde, de João Gilberto Noll, dois aspectos que variam em gradação: a consciência do exílio e ocontato com a clandestinidade. Personagens como os de Algum lugar, de Paloma Vidal; Azul corvo, de AdrianaLisboa; e Estive Lisboa e lembrei de você, de Luiz Ruffato, apontam para essas motivações, encarnam a migraçãocontemporânea e assinalam mapas culturais diversos – ao evidenciarem, sobretudo, os contatos com outrosimigrantes. O texto indaga sobre os pontos de convergência e sobre as opções estéticas dos autores, refletindosobre como a literatura brasileira tem pensado a viagem e a emigração.Algum lugar, nenhum lugar: deslocamentos globais em Algum lugar, de Paloma Vidal, e Azul corvo, de AdrianaLisboaLeila LehnenNo contexto de um mundo “globalizado”, onde o Estado-nação se define não somente pela sua soberania política,mas também pelo seu posicionamento dentro de um contexto regional (através de, por exemplo, organizaçõescomo o Mercosul) e global (Nações Unidas), a definição da cidadania – interpretada como afiliação a um territóriogeopolítico específico – passa por permutações tanto materiais (por exemplo, no caso de pessoas que têm duplacidadania), quanto simbólicas. Esta comunicação examinará como dois romances brasileiros contemporâneosabordam a questão do pertencimento nacional e como esta ideia se transforma a partir da experiência da migração.Algum lugar (2009), de Paloma Vidal, e Azul corvo (2010), de Adriana Lisboa focam em personagens desenraizados.Mulheres que, ora voluntária, ora involuntariamente, têm de migrar de um país a outro – do Brasil aos EstadosUnidos (e, no caso de Vidal, de volta ao Brasil). Os dois romances tematizam o nexo entre migração, imaginação e a(não) inserção do sujeito migratório dentro de um espaço sociocultural novo. O deslocamento desestabiliza asprotagonistas tanto pessoal como social e culturalmente. No entanto, este mesmo movimento permite que aspersonagens possam refletir e recriar suas identidades individuais e coletivas. Propomos que os textos de Vidal eLisboa, ao abordar a questão de como a globalização tem impactado a noção de “pertencimento nacional” e, porconseguinte, de cidadania, também nos oferecem distintas visões da identidade nacional e da cidadania. Ou seja,nos dois romances tanto a identidade quanto a cidadania são conceitos voláteis. Esta volatilidade, por sua vez, afetaos laços de sociabilidade que os personagens são capazes de estabelecer e transforma o conceito do “contratosocial”.Um paradigma diferente para a formação feminina: Azul corvo e Fifth of MarchCíntia SchwantesO Bildungsroman do séc. XIX consiste majoritariamente no treinamento da protagonista para bem performar suasatividades como esposa e mãe. Mesmo que esse interesse explícito seja matizado no período subsequente, aformação sentimental da protagonista continua ocupando um espaço significativo nessas narrativas (ainda mais secomparada ao romance de formação com protagonista masculino, em que o interesse amoroso é secundário e, àsvezes, mesmo, inexistente). O que singulariza Azul corvo e Fifth of March é o fato de que suas protagonistasperfazem uma trajetória de formação na qual o interesse amoroso está quase completamente ausente.Aportes teóricos rasurados: a crítica literária feministaLúcia Osana ZolinNosso objetivo é tecer algumas reflexões acerca da crítica literária feminista, um aporte teórico muitas vezesrasurado nos discursos balizados pelos sistemas teóricos tradicionais, cujo foco primordial é circunscrito pelaschamadas “altas literaturas” e pela suposta “literariedade” aí imanente. As referidas “rasuras” – empreendidas emtermos de “estudos da mulher”, consequentemente, “estudos menores” – decorrem do fato de o feminismo críticoconsistir em um modo de ler a literatura, confessadamente empenhado e que se volta, de um lado, para odesnudamento e/ou para a desconstrução dos discursos hegemônicos, responsáveis pela naturalização dasdiferenças hierarquizadas de gênero; e, de outro, para a exploração da literatura de autoria feminina, visandodestacar-lhe os mecanismos estético-temáticos com que dialoga/desconstrói as históricas hierarquias de gênero.Historiografias possíveis: autoria, campo, cânone, cordel, crítica literária e gênero 3
  4. 4. Bruna Paiva de LucenaPartindo-se do estudo das principais obras da história e da crítica literária brasileiras, responsáveis, em grandemedida, pela formação da historiografia literária brasileira, busca-se investigar os valores fundantes da noção deLiteratura, em especial o conceito formulado sobre uma literatura brasileira. Com este objetivo, procura-se traçar eanalisar os parâmetros estéticos, formais e, sobretudo, políticos e ideológicos que, no processo de constituição docânone literário, delinearam o conceito de literatura brasileira e que, consequentemente, com o estabelecimento ea fixação desse conceito, excluíram manifestações literárias dele dissonantes.Poéticas do deslocamento: representações de identidades femininas no Bildungsroman de autoria femininacontemporâneoWilma dos Santos CoqueiroO Bildungsroman tradicional, cujo modelo seria Os anos de aprendizado de Wilhelm Meister (1795), de Goethe,mostra o aperfeiçoamento humano e a formação do seu caráter. Esse conceito de romance, tido como umfenômeno tipicamente alemão, voltado à representação de personagens masculinos, começa a ser problematizadoa partir do século XVIII. Na atualidade, sobretudo a partir dos estudos de Cristina Ferreira Pinto (1990), pode-sefalar em um Bildungsroman de autoria feminina brasileiro. Os temas que permeiam esses romances variam muito,desde a representação da infância e adolescência das personagens, a reflexões sobre os problemas amorosos e deformação cultural e identitária. Desse modo, o objetivo deste trabalho é uma análise da representação dasidentidades femininas deslocadas da contemporaneidade, ou seja, aquelas que fogem ao script tradicionalfeminino, em romances de quatro escritoras contemporâneas: Para sempre, de Ana Maria Machado (2001); Duasiguais de Cíntia Moscovich (2004); Algum lugar, de Paloma Vidal (2009); e Azul corvo, de Adriana Lisboa (2010).Entre muros e abrigos: corpos narrados em três casos da literatura brasileira contemporâneaEdma Cristina de GóisA cidade orienta e organiza as relações familiares, sexuais e sociais na medida em que divide a vida dos sujeitosentre os domínios público e privado. Neste último, ou seja, no espaço doméstico, as posições sociais e aslocalizações dos indivíduos também se encontram apartadas. O ambiente da casa, enquanto um microespaço dascidades e concentração da estrutura familiar, é corresponsável pela formação dos sujeitos e pela reprodução ouruptura de determinados papéis de gênero, construídos também por meio de um corpo. Contudo, na casa, há tantoa repetição dos atos performativos quanto tentativas de não realização de um padrão. A partir dos romances detrês autoras brasileiras contemporâneas – Elvira Vigna, Lívia Garcia-Roza e Tatiana Salem Levy –, investigo como ospapéis de gênero, os estereótipos e a feminilidade aparecem ou são apagados dos corpos das personagens emromances contemporâneos, e como a casa pode ser o abrigo de novas possibilidades narrativas para ascorporalidades femininas.Mulheres que estão fazendo a nova literatura brasileira: gêneros em cenaLígia de Amorim NevesEste projeto tem como objetivo traçar uma visão panorâmica das formas de representação da personagem emcontos de autoria feminina brasileira publicados após a década de 1990, a partir da perspectiva teórica dos estudosde gênero e da crítica literária feminista. Para tanto, foram escolhidas as antologias 25 mulheres que estão fazendoa nova literatura brasileira (2004) e Mais 30 mulheres que estão fazendo a nova literatura brasileira (2005), ambasorganizadas por Luiz Ruffato.Autores brasileiros publicados na Espanha entre 2000 e 2010Luciana GuedesO mercado editorial brasileiro cresce em um ritmo acelerado e, consequentemente, aumentam também as relaçõescomerciais com o mercado internacional, seja importando ou exportando produtos literários. Nesse aspecto, arelação com o mercado editorial espanhol adquire importância. Portanto, pretede-se, aqui, oferecer dadosobjetivos que ajudem a compreender a dinâmica e o processo das exportações de livros para a Espanha,respondendo a perguntas tais como: quantos livros de autores brasileiros foram publicados no mercado espanholentre 2000 e 2010? Houve crescimento das exportações? E, se houve, foi estável? A que subsetores editoriaiscorrespondem a maioria das obras publicadas? Quais autores receberam maior interesse por parte do mercadoeditorial espanhol? E quais editoras investiram na publicação de autores brasileiros?“Branca para casar, mulata para foder e negra para trabalhar”: relações afetivo-amorosas de mulheres negras norap e no romance brasileiro contemporâneoAndressa MarquesO objetivo desta pesquisa é refletir sobre a representação das personagens femininas negras na literatura brasileiracontemporânea, especificamente nos gêneros romance e rap, pensando as relações afetivo-amorosas por elasvivenciadas. Para tanto, o trabalho se divide em três momentos: a discussão sobre as violações do corpo femininonegro nas representações da literatura brasileira dos séculos XIX e XX; a autorrepresentação das relações afetivo- 4
  5. 5. amorosas desses corpos nas obras de autoras negras contemporâneas; e, finalmente, a construção do amor paraessas personagens sob a ótica do rap feminino brasileiro atual.Uma quebrada que fala, uma periferia que se escreve: literatura e movimento hip-hopLaeticia Jensen EbleEste trabalho analisa a produção literária de diferentes autores da periferia urbana inseridos no movimento hip-hope, por isso mesmo, imbuídos de um compromisso social com aqueles tradicionalmente deixados à margem pelasociedade capitalista e pela literatura de elite. As obras serão analisadas enquanto textos que, ao narrarexperiências pessoais, falam por uma coletividade, bem como revelam as relações que se estabelecem entre ospersonagens e o espaço urbano, que se constroem mutuamente.“Homem na estrada”: percursos do narrador dos Racionais MC’sDanilo OliveiraO objetivo desse trabalho é investigar os percursos do narrador nas letras da banda de rap paulistana RacionaisMC’s, buscando compreender como aparecem teorizadas nesses discursos questões como raça, classe, mobilidadesocial, entre outras. Acreditamos que, ao analisar os textos da mais importante banda de rap do Brasil, é possívelencontrar novas possibilidades teóricas para o pensamento social brasileiro do final do século XX e começo do XXI.Figurações do gesto literário: o escritor-personagem na narrativa brasileira contemporâneaIgor Ximenes GracianoPartindo-se da constatação de que o escritor é um dos personagens mais recorrentes no romance contemporâneo,pretende-se investigar os motivos e implicações dessa incidência no campo literário brasileiro em cinco escritores:Sérgio Sant’Anna, João Gilberto Noll, Cristovão Tezza, Bernardo Carvalho e Miguel Sanches Neto. Para tratar dessefenômeno, recorre-se à imagem do gesto literário, uma vez que as obras são resultados de um ato “real” – ou seja,a efetiva escrita e publicação dos romances – e que, ao trazerem o escritor como protagonista, dão a ver, no âmbitoda ficção, o gesto que mais o caracteriza: o ofício da escrita e os problemas em seu entorno.Outsiders: os personagens de João Gilberto Noll e Bernardo CarvalhoCarlos Henrique VieiraDiferentes escritores contemporâneos têm utilizado como personagens centrais de suas narrativas os outsiders. Osoutsiders são aqueles renegados e estigmatizados como inferiores, que manifestam um comportamento desviantedo apresentado por um grupo estabelecido e que consequentemente ocupam as margens de grandes cidades, daordem social ou do meio cultural. Nas narrativas de João Gilberto Noll e Bernardo Carvalho, recorrentemente,encontramos personagens deslocados, que aparecem cercados pelo desajuste e pela inadequação. Pretendemos,nesse trabalho, analisar as circunstâncias e características que permitem entender tanto o narrador-personagem deLorde (2004) quanto os personagens centrais, Ruslan e Andrei, de O filho da mãe (2009) como outsiders,destacando, ainda, as semelhanças e aproximações existentes entre essas duas obras de dois dos mais ativos ereconhecidos autores de nossa produção literária atual.O problema migratório brasileiro em Inferno provisório, de Luiz RuffatoGabriel Estides DelgadoApós identificar a migração como o conflito central das personagens dos cinco volumes do romance Infernoprovisório, de Luiz Ruffato, o foco deste trabalho volta-se para os discursos e as estratégias narrativas derepresentação destes personagens proletários, em seu caminho pleno de conversões identitárias, levadas a caboem meio a constrangimentos de desreterritorialização.Estrangeiros na cidade ilhada de HatoumMarina Arantes Santos VasconcelosEste trabalho pretende identificar, no livro de contos A cidade ilhada, de Milton Hatoum, os personagensestrangeiros. O objetivo é mapear quantos são, quem são e que percursos realizam ao longo da obra. A partir dessecenário, a intenção é traçar um olhar sobre o tema da imigração e sobre o conceito de estrangeiredade na literaturabrasileira, além de observar como o autor particulariza sua acepção.Crescer nas margens: trajetórias de meninas negras em romances pós-coloniaisLorena SantosEste trabalho propõe a análise dos cinco romances tendo como foco a trajetória das protagonistas, meninas negrascrescendo em situações marginais em sociedades de colônias ou ex-colônias, em sua maioria, periféricas. O estudoobjetiva identificar aproximações e distanciamentos na representação dessas personagens, utilizando, comoarcabouço teórico, conceitos oriundos da teoria polissistêmica de Itamar Even-Zohar, dos estudos culturais, pós-coloniais e de gênero.Capturas e tensões: representação da doença na literatura brasileira e francesa contemporânea 5
  6. 6. Ludimila Moreira MenezesO foco deste trabalho são as narrativas literárias que abordam doenças e apresentam personagens em suasperformances enfermas deflagrando as estigmatizações e as resistências advindas de suas representações inscritasno imaginário. Em um plano mais geral, o objetivo é investigar, em séries discursivas literárias, a representação dadoença na contemporaneidade. Ao elencar romances que rompem com o silêncio e disponibilizam váriosenquadramentos e materializações sobre o tema, serão analisados os efeitos de controle e de invisibilidadeadvindos dos conflitos com esses corpos, que estão entre o limiar da cura, da clausura e da abjeção.Formas (d)e tensões no OuLiPo e no concretismo: um estudo de La disparition, de Georges Perec, e de Galáxias,de Haroldo de CamposVinícius Gonçalves CarneiroA partir das reflexões de David Harvey e Paul Virilio sobre o capitalismo e a produção cultural do século XX, esteestudo objetiva comparar o movimento do OuLiPo e da Poesia Concreta. Primeiramente, pretende-se mapear odiscurso das vanguardas do modernismo europeu e ponderar sobre o alcance de suas contribuições estético-ideológicas em relação ao discurso oulipiano e ao concreto. A seguir, ambiciona-se discutir o poder cerceador queestes podem ter tido em relação a sua própria produção literária, o que passa pela descrição de como aracionalidade do modernismo é posta em cheque por narrativas como La disparition, de Georges Perec, e Galáxias,de Haroldo de Campos.O personagem e sua identidade numa narrativa que se expande através das mídiasCamila GonzzatoDiferentes mídias possibilitam diferentes maneiras de narrar e se comunicam com seus leitores de diferentesformas. O que acontece com um personagem cuja história se estende através das mídias? Sua identidade é alteradanessa transição? Como manter certa unidade e, ao mesmo tempo, trabalhar “respeitando” as singularidadesnarrativas de cada mídia? Esta comunicação pretende investigar as relações entre personagens e mídias numamesma narrativa a partir de estudos da narratologia e das teorias de criação. 6

×