SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
SEMANA DA ARTE MODERNA DE
1922
A SEMANA DA ARTE MODERNA (TAMBÉM CONHECIDA COMO
SEMANA DE 22) OCORREU EM SÃO PAULO DE 13 A 17 DE
FEVEREIRO DE 1922 NO TEATRO MUNICIPAL DA CIDADE
Capa de Di Cavalcanti p/ semana de 22Capa de Di Cavalcanti p/ semana de 22
Em cada dia da semana era proposto um tema diferenciado
como: Música, literatura, esculturas e pinturas.
Na época, o evento não foi muito aceito. Logo na abertura, Manuel
Bandeira, ao recitar seu poema Os sapos, foi desaprovado pela
platéia através de muitas vaias e gritos.
Neste evento participaram vários nomes consagrados do
modernismo brasileiro, entre eles:
Na Pintura: Anita Malfatti, Di Cavalcanti, Ferrignac, John Graz, Vicente
do Rego Monteiro, Zina Aita, Yan de Almeida Prado.
Na escultura: Victor Brecheret, Wilhelm Haarberg e Hildegardo Velloso.
Na literatura: Oswald de Andrade, Mário de Andrade ,Graça Aranha,
Guilherme de Almeida, Menotti del Picchia, , Renato de Almeida, Ronald
de Carvalho, Tácito de Almeida, além de Manuel Bandeira com a leitura
do poema Os Sapos.
Na musica: composições de Villa-
Lobos e Debussy, interpretadas por
Guiomar Novaes e Hernani Braga,
entre outros.
 Romper padrões clássicos (academicismo)
 Os artistas buscavam temas nacionais, procurando uma
identidade própria, criar uma arte puramente brasileira
 Buscar antropofagismo (Na arte, significa absorver as
influências estrangeiras como Futurismo, Cubismo e
Expressionismo e recriá-las com elementos da cultura
nacional)
 Valorização da vida cotidiana
Em 1913, estivera no Brasil, vindo da Alemanha, o pintor Lasar Segall. Realizou
uma exposição em São Paulo e outra em Campinas, ambas sem sucesso.
Desanimado, Segall seguiu de volta à Alemanha, só retornando ao Brasil dez
anos depois, quando os ventos sopravam mais a favor.
A exposição de Anita Malfatti em 1917, recém chegada dos Estados Unidos e da
Europa, foi outro marco para o Modernismo brasileiro. Na época. Monteiro
Lobato não poupou críticas à pintora, contudo, este episódio serviu como
incentivo para a realização da Semana de Arte Moderna.
Desde a exposição de Malfatti, havia dado tempo para que os artistas de
pensamentos semelhantes se agrupassem.
Em 1920, por exemplo, Oswald de Andrade já falava de amplas
manifestações de ruptura, com debates abertos.
De onde surgiu a idéia da semana de 22?
Obras de Anita Malfatti
A Boba – 1915/1916
Anita Malfatti
O Farol de Monhegan - 1915 – Anita Malfatti
A Estudante Russa –
1915 – Anita Malfatti
Tropical – 1917 – Anita Malfatti
Obras de Di Cavalcanti
Paisagem de
subúrbio – 1930
Di Cavalcanti
Mulher com frutas – 1932
Paulicéia Desvairada
(capa) 1921 – Di
Cavalcanti
Mulheres Protestando – 1941 – Di Cavalcanti
Cesário, exata – 1919 –
John Graz
Retrato de Rui Ribeiro
Couto - 1920 – Vicente do
Rego Monteiro
Homens Trabalhando – 1922 - Zina Aita
Fauno – 1942 - Victor
Brecheret
Monumento ás Bandeiras
1953 - Victor Brecheret
Monumento a Duque de Caxias –
déc 40 - Victor Brecheret
Esculturas
Outros grandes nomes na pintura modernista brasileira foi Tarsila do Amaral e
Lasar Segall, porém não participaram da semana de 22, Tarsila estava em
Paris e Lasar já havia retornado a Alemanha.
Abaporu – 1928
Tarsila do Amaral
Operários – Tarsila do Amaral
A Negra – 1923
Tarsila do Amaral
A Família – 1925 – Tarsila do Amaral
Encontro
1924
Lasar Segall
Perfil de
Zumilra
1928 - Lasar
Segall
Mulata com
criança –
1924 – Lasar
Segall
Favela
1954/55 -
Lasar Segall
ESCOLA ESTADUAL ANTONIO VALADARES
 Alunos:
 Alerson N° - 01
 Joni N° - 14
 Julio Cesar N° - 17
 Pedro N° - 26
 Yuri N° - 36
 Ailton N° - 39
 Ana Paula N° - 40

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apostila Praticar a Arte - Volume 7 - Caça-palavras (2).pdf
Apostila Praticar a Arte - Volume 7 - Caça-palavras (2).pdfApostila Praticar a Arte - Volume 7 - Caça-palavras (2).pdf
Apostila Praticar a Arte - Volume 7 - Caça-palavras (2).pdf
WeslleyDias8
 
Orações Coordenadas Assindéticas e Sindéticas
Orações Coordenadas Assindéticas e SindéticasOrações Coordenadas Assindéticas e Sindéticas
Orações Coordenadas Assindéticas e Sindéticas
Caroline Capellari
 
Plano de ensino português corrigido
Plano de ensino português corrigidoPlano de ensino português corrigido
Plano de ensino português corrigido
simonclark
 
Estrategias pedagogicas com deficiente intelectual
Estrategias pedagogicas com deficiente intelectualEstrategias pedagogicas com deficiente intelectual
Estrategias pedagogicas com deficiente intelectual
Paula Aparecida Alve Alves
 

Mais procurados (20)

Projeto de vida
Projeto de vidaProjeto de vida
Projeto de vida
 
Historia da musica atividades
Historia da musica atividadesHistoria da musica atividades
Historia da musica atividades
 
SLIDES – PARÓDIA.
SLIDES – PARÓDIA.SLIDES – PARÓDIA.
SLIDES – PARÓDIA.
 
8 ano.docx
8 ano.docx8 ano.docx
8 ano.docx
 
Tudo sobre POEMAS
Tudo sobre POEMASTudo sobre POEMAS
Tudo sobre POEMAS
 
O que é a arte
O que é a arteO que é a arte
O que é a arte
 
Verbos
VerbosVerbos
Verbos
 
Sintaxe Volume 1
Sintaxe Volume 1Sintaxe Volume 1
Sintaxe Volume 1
 
Aulas gêneros e tipos textuais
Aulas   gêneros e tipos textuaisAulas   gêneros e tipos textuais
Aulas gêneros e tipos textuais
 
Apostila Praticar a Arte - Volume 7 - Caça-palavras (2).pdf
Apostila Praticar a Arte - Volume 7 - Caça-palavras (2).pdfApostila Praticar a Arte - Volume 7 - Caça-palavras (2).pdf
Apostila Praticar a Arte - Volume 7 - Caça-palavras (2).pdf
 
Projeto de leitura. 1º ao 9º ano
Projeto de leitura. 1º ao 9º anoProjeto de leitura. 1º ao 9º ano
Projeto de leitura. 1º ao 9º ano
 
Atividades sujeito e predicado
Atividades sujeito e predicadoAtividades sujeito e predicado
Atividades sujeito e predicado
 
Prova 1.ª elementos do teatro a
Prova 1.ª elementos do teatro   aProva 1.ª elementos do teatro   a
Prova 1.ª elementos do teatro a
 
Quadro sinopse das Tendências Pedagógicas
Quadro sinopse das Tendências PedagógicasQuadro sinopse das Tendências Pedagógicas
Quadro sinopse das Tendências Pedagógicas
 
Simulado
Simulado Simulado
Simulado
 
Conto
ContoConto
Conto
 
Orações Coordenadas Assindéticas e Sindéticas
Orações Coordenadas Assindéticas e SindéticasOrações Coordenadas Assindéticas e Sindéticas
Orações Coordenadas Assindéticas e Sindéticas
 
Fundamentos teóricos e metodológicos do ensino da Artes
Fundamentos teóricos e metodológicos do ensino da ArtesFundamentos teóricos e metodológicos do ensino da Artes
Fundamentos teóricos e metodológicos do ensino da Artes
 
Plano de ensino português corrigido
Plano de ensino português corrigidoPlano de ensino português corrigido
Plano de ensino português corrigido
 
Estrategias pedagogicas com deficiente intelectual
Estrategias pedagogicas com deficiente intelectualEstrategias pedagogicas com deficiente intelectual
Estrategias pedagogicas com deficiente intelectual
 

Semelhante a PROJETO: SARAU LITERÁRIO

Literatura aula 22 - modernismo no brasil
Literatura   aula 22 - modernismo no brasilLiteratura   aula 22 - modernismo no brasil
Literatura aula 22 - modernismo no brasil
Juliana Oliveira
 
A semana-da-arte-moderna
A semana-da-arte-modernaA semana-da-arte-moderna
A semana-da-arte-moderna
Mirceya Lima
 
100 anos da Semana de Arte Moderna no Brasil (1).pptx
100 anos da Semana de Arte Moderna no Brasil (1).pptx100 anos da Semana de Arte Moderna no Brasil (1).pptx
100 anos da Semana de Arte Moderna no Brasil (1).pptx
TATE9
 
A semana de arte moderna
A semana de arte modernaA semana de arte moderna
A semana de arte moderna
Over Lane
 
Modernismo e suas gerações no brasil sintetico
Modernismo e suas gerações no brasil sinteticoModernismo e suas gerações no brasil sintetico
Modernismo e suas gerações no brasil sintetico
Carlos Zaranza
 
Semana De Arte Moderna - Prof. Kelly Mendes - Literatura
Semana De Arte Moderna - Prof. Kelly Mendes - LiteraturaSemana De Arte Moderna - Prof. Kelly Mendes - Literatura
Semana De Arte Moderna - Prof. Kelly Mendes - Literatura
Hadassa Castro
 

Semelhante a PROJETO: SARAU LITERÁRIO (20)

A
AA
A
 
Escola CEJAR - Aquidauana - Apostila 9º A e B 1ºB
Escola CEJAR - Aquidauana - Apostila 9º A e B 1ºBEscola CEJAR - Aquidauana - Apostila 9º A e B 1ºB
Escola CEJAR - Aquidauana - Apostila 9º A e B 1ºB
 
Literatura aula 22 - modernismo no brasil
Literatura   aula 22 - modernismo no brasilLiteratura   aula 22 - modernismo no brasil
Literatura aula 22 - modernismo no brasil
 
Semana de arte moderna apresentação 1
Semana de arte moderna apresentação 1Semana de arte moderna apresentação 1
Semana de arte moderna apresentação 1
 
Modernismo
ModernismoModernismo
Modernismo
 
Modernismo
ModernismoModernismo
Modernismo
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
 
Semana de Arte Moderna de 1922.pptx
Semana de Arte Moderna de 1922.pptxSemana de Arte Moderna de 1922.pptx
Semana de Arte Moderna de 1922.pptx
 
A semana-da-arte-moderna
A semana-da-arte-modernaA semana-da-arte-moderna
A semana-da-arte-moderna
 
Modernismo 2012
Modernismo 2012Modernismo 2012
Modernismo 2012
 
Semana de arte moderna
Semana de arte moderna Semana de arte moderna
Semana de arte moderna
 
História da Arte: O ambiente modernista
História da Arte: O ambiente modernistaHistória da Arte: O ambiente modernista
História da Arte: O ambiente modernista
 
Modernismo
ModernismoModernismo
Modernismo
 
Arte moderna slide
Arte moderna slideArte moderna slide
Arte moderna slide
 
Arte moderna
Arte modernaArte moderna
Arte moderna
 
100 anos da Semana de Arte Moderna no Brasil (1).pptx
100 anos da Semana de Arte Moderna no Brasil (1).pptx100 anos da Semana de Arte Moderna no Brasil (1).pptx
100 anos da Semana de Arte Moderna no Brasil (1).pptx
 
A semana de arte moderna
A semana de arte modernaA semana de arte moderna
A semana de arte moderna
 
Modernismo 8ºano
Modernismo 8ºanoModernismo 8ºano
Modernismo 8ºano
 
Modernismo e suas gerações no brasil sintetico
Modernismo e suas gerações no brasil sinteticoModernismo e suas gerações no brasil sintetico
Modernismo e suas gerações no brasil sintetico
 
Semana De Arte Moderna - Prof. Kelly Mendes - Literatura
Semana De Arte Moderna - Prof. Kelly Mendes - LiteraturaSemana De Arte Moderna - Prof. Kelly Mendes - Literatura
Semana De Arte Moderna - Prof. Kelly Mendes - Literatura
 

Mais de Escola Estadual Antônio Valadares

Mais de Escola Estadual Antônio Valadares (10)

Projeto Restaurando Valores e Resgatando Vidas
Projeto Restaurando Valores e Resgatando Vidas Projeto Restaurando Valores e Resgatando Vidas
Projeto Restaurando Valores e Resgatando Vidas
 
Planejamento pedagógico_ Projeto Gentileza Gera Gentileza
Planejamento pedagógico_ Projeto Gentileza Gera GentilezaPlanejamento pedagógico_ Projeto Gentileza Gera Gentileza
Planejamento pedagógico_ Projeto Gentileza Gera Gentileza
 
PROJETO: SARAU LITERÁRIO
PROJETO: SARAU LITERÁRIOPROJETO: SARAU LITERÁRIO
PROJETO: SARAU LITERÁRIO
 
Bruna trabalho cópia
Bruna trabalho   cópiaBruna trabalho   cópia
Bruna trabalho cópia
 
PROJETO: SARAU LITERÁRIO
PROJETO: SARAU LITERÁRIOPROJETO: SARAU LITERÁRIO
PROJETO: SARAU LITERÁRIO
 
Histórico da Amarelinha
Histórico da AmarelinhaHistórico da Amarelinha
Histórico da Amarelinha
 
Candidíase
CandidíaseCandidíase
Candidíase
 
TRICOMONÍASE 
TRICOMONÍASE TRICOMONÍASE 
TRICOMONÍASE 
 
Use Camisinha
Use CamisinhaUse Camisinha
Use Camisinha
 
Gonorreia
GonorreiaGonorreia
Gonorreia
 

Último

Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
rarakey779
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
rarakey779
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Pastor Robson Colaço
 

Último (20)

Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimentoApresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
Apresentação de vocabulário fundamental em contexto de atendimento
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdfHans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
Hans Kelsen - Teoria Pura do Direito - Obra completa.pdf
 
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-NovaNós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
Nós Propomos! Infraestruturas em Proença-a-Nova
 
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdfGRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
GRAMÁTICA NORMATIVA DA LÍNGUA PORTUGUESA UM GUIA COMPLETO DO IDIOMA.pdf
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditivaO que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
O que é uma Revolução Solar. tecnica preditiva
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
Poema - Reciclar é preciso
Poema            -        Reciclar é precisoPoema            -        Reciclar é preciso
Poema - Reciclar é preciso
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdfLabor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
Labor e Trabalho em A Condição Humana de Hannah Arendt .pdf
 
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anosFotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
Fotossíntese para o Ensino médio primeiros anos
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan AhlbergO carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
O carteiro chegou - Janet & Allan Ahlberg
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 

PROJETO: SARAU LITERÁRIO

  • 1. SEMANA DA ARTE MODERNA DE 1922
  • 2. A SEMANA DA ARTE MODERNA (TAMBÉM CONHECIDA COMO SEMANA DE 22) OCORREU EM SÃO PAULO DE 13 A 17 DE FEVEREIRO DE 1922 NO TEATRO MUNICIPAL DA CIDADE Capa de Di Cavalcanti p/ semana de 22Capa de Di Cavalcanti p/ semana de 22
  • 3. Em cada dia da semana era proposto um tema diferenciado como: Música, literatura, esculturas e pinturas. Na época, o evento não foi muito aceito. Logo na abertura, Manuel Bandeira, ao recitar seu poema Os sapos, foi desaprovado pela platéia através de muitas vaias e gritos.
  • 4. Neste evento participaram vários nomes consagrados do modernismo brasileiro, entre eles: Na Pintura: Anita Malfatti, Di Cavalcanti, Ferrignac, John Graz, Vicente do Rego Monteiro, Zina Aita, Yan de Almeida Prado. Na escultura: Victor Brecheret, Wilhelm Haarberg e Hildegardo Velloso. Na literatura: Oswald de Andrade, Mário de Andrade ,Graça Aranha, Guilherme de Almeida, Menotti del Picchia, , Renato de Almeida, Ronald de Carvalho, Tácito de Almeida, além de Manuel Bandeira com a leitura do poema Os Sapos. Na musica: composições de Villa- Lobos e Debussy, interpretadas por Guiomar Novaes e Hernani Braga, entre outros.
  • 5.  Romper padrões clássicos (academicismo)  Os artistas buscavam temas nacionais, procurando uma identidade própria, criar uma arte puramente brasileira  Buscar antropofagismo (Na arte, significa absorver as influências estrangeiras como Futurismo, Cubismo e Expressionismo e recriá-las com elementos da cultura nacional)  Valorização da vida cotidiana
  • 6. Em 1913, estivera no Brasil, vindo da Alemanha, o pintor Lasar Segall. Realizou uma exposição em São Paulo e outra em Campinas, ambas sem sucesso. Desanimado, Segall seguiu de volta à Alemanha, só retornando ao Brasil dez anos depois, quando os ventos sopravam mais a favor. A exposição de Anita Malfatti em 1917, recém chegada dos Estados Unidos e da Europa, foi outro marco para o Modernismo brasileiro. Na época. Monteiro Lobato não poupou críticas à pintora, contudo, este episódio serviu como incentivo para a realização da Semana de Arte Moderna. Desde a exposição de Malfatti, havia dado tempo para que os artistas de pensamentos semelhantes se agrupassem. Em 1920, por exemplo, Oswald de Andrade já falava de amplas manifestações de ruptura, com debates abertos. De onde surgiu a idéia da semana de 22?
  • 7. Obras de Anita Malfatti A Boba – 1915/1916 Anita Malfatti O Farol de Monhegan - 1915 – Anita Malfatti A Estudante Russa – 1915 – Anita Malfatti Tropical – 1917 – Anita Malfatti
  • 8. Obras de Di Cavalcanti Paisagem de subúrbio – 1930 Di Cavalcanti Mulher com frutas – 1932 Paulicéia Desvairada (capa) 1921 – Di Cavalcanti Mulheres Protestando – 1941 – Di Cavalcanti
  • 9. Cesário, exata – 1919 – John Graz Retrato de Rui Ribeiro Couto - 1920 – Vicente do Rego Monteiro Homens Trabalhando – 1922 - Zina Aita
  • 10. Fauno – 1942 - Victor Brecheret Monumento ás Bandeiras 1953 - Victor Brecheret Monumento a Duque de Caxias – déc 40 - Victor Brecheret Esculturas
  • 11. Outros grandes nomes na pintura modernista brasileira foi Tarsila do Amaral e Lasar Segall, porém não participaram da semana de 22, Tarsila estava em Paris e Lasar já havia retornado a Alemanha. Abaporu – 1928 Tarsila do Amaral Operários – Tarsila do Amaral A Negra – 1923 Tarsila do Amaral A Família – 1925 – Tarsila do Amaral
  • 12. Encontro 1924 Lasar Segall Perfil de Zumilra 1928 - Lasar Segall Mulata com criança – 1924 – Lasar Segall Favela 1954/55 - Lasar Segall
  • 13. ESCOLA ESTADUAL ANTONIO VALADARES  Alunos:  Alerson N° - 01  Joni N° - 14  Julio Cesar N° - 17  Pedro N° - 26  Yuri N° - 36  Ailton N° - 39  Ana Paula N° - 40