Tecido Muscular

427 visualizações

Publicada em

Aula 7.1 de Biologia sobre Tecido Muscular, turma preparatorio ENEM 2015, Escola Fatorial

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
427
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Anisotropia (do grego, ἀν: prefixo privativo (negação), ἰσόω: igualar, τρόπος: direção) é a característica que uma substância possui em que uma certa propriedade física varia com a direção.

    A isotropia (do grego iso, ίσος, igual, e tropos, τρόπος, maneira) é a propriedade que caracteriza as substâncias que possuem as mesmas propriedades físicas independentemente da direcção considerada.
  • Estriações= músculo estriado
  •  São consideradas mioblastos  inativos. Após uma lesão ou outro estímulo, as células satélites tornam-se ativas, proliferam por  divisão mitótica e se fundem umas as outras para formar fibras musculares esqueléticas. As  células satélites também entram em mitose quando o músculo é submetido a exercício intenso.  Nesse caso elas se fundem com as fibras musculares preexistentes, contribuindo para a  hipertrofia muscular.
  • Tecido Muscular

    1. 1. Tecido Muscular Prof Carlos Priante
    2. 2.  Células alongadas com filamentos citoplasmáticos,  Estes são proteínas contrateis que geram forças para a contração (ATP).  Origem mesodérmica • Células: — Membrana celular Sarcolema — Citoplasma Sarcoplasma Reticulo sarcoplasmático — Reticulo endoplasmático liso Características
    3. 3. Funçõe s  Participam dos movimentos: —Esqueleto, —Sangue, —Órgãos.  Dão forma e sustentação ao corpo.
    4. 4. Tipos  Músculo estriado esquelético  Músculo estriado cardíaco  Músculo liso
    5. 5. Músculo Estriado Esquelético  Feixe de células longas (30cm)  Cilíndricas  Multinucleadas  Contendo miofibrilas (filamentos)  Núcleo localizado na periferia das fibras, próximo ao sarcolema  Contração voluntária.
    6. 6. Fibras musculares organizadas em feixes.Feixes envolvidos por tecido conjuntivoSeptos do TC saem do epimísio e partem para o interior do músculo, separando os feixes. Esses septos são os perimísios Cada fibra muscular é envolvida pelo endomisio (lamina basal + fibras reticulares)
    7. 7.  O TC mantém as fibras musculares unidas permitindo a contração gerada por cada fibra.  O TC também permite que a contração seja transmitida aos tendões e ossos.  O TC leva também aos músculos vasos sanguíneos, linfáticos e nervos. Interação com outros tecidos
    8. 8. Resumindo...
    9. 9.  Cada fibra muscular possui muitos feixes cilíndricos de filamentos= miofibrilas  Há filamentos finos de actina e filamentos grossos de miosina dispostos longitudinalmente nas miofibrilas distribuídos de uma forma simétrica e paralela.  As miofibrilas são presas a membrana plasmática da célula muscular por proteínas como a distrofina.
    10. 10. Ao microscópio observa-se nas fibras musculares estriações transversais com alternância de faixas claras e escuras.
    11. 11. Faixa escura = banda A (anisotrópica) – actina e miosina Faixa clara = banda I (Isotrópica) - actinaNo centro da banda I há uma linha transversal escura= linha Z No centro de cada banda A há uma banda H - miosina Estas estriações nas miofibrilas são repetições de unidades de sarcômeros (parte entre 2 linha Z)
    12. 12. A I ? ? ? ? ? ? Sarcômero ZMiosinaActina
    13. 13. As miofibrilas do músculo estriado contem 4 proteínas principais: Actina: filamento fino, polímeros de actina F formados por monômeros de actina G Tropomiosina: Filamento fino, unem-se para formar filamento que se localizam nos sulcos dos filamentos de actina Troponina: filamento fino, 3 subunidades de prendem a tropomiosina Miosina: filamento longo, liga-se ao ATP por uma saliência globular (cabeça) e realiza sua hidrolise gerando energia para contração
    14. 14. Músculo Estriado Cardíaco  Células apresentam estriações transversais semelhantes à do músculo esquelético,  Porém as fibras cardíacas possui apenas um ou dois núcleos localizados no centro.  Também é circundado por tecido conjuntivo  Característica exclusiva do MC é a presença de discos intercalares em forma de linhas retas ou em escadas.  Contração involuntária.
    15. 15. Os discos intercalares possuem 3 especializações: zônula de adesão: ancoragem dos filamentos de actina nos sarcômeros . Desmossomos: unem as células musculares, impedindo que se separem durante a contração Junções comunicantes: permite a passagem de íons, permitindo o sinício, o sinal da contração passa como uma onda de célula em célula. O MC possui uma imensa quantidade de mitocôndrias, ocupando 40% do volume citoplasmático
    16. 16. Contração Músculo Estriado Esquelético e Cardíaco
    17. 17. Depende da disponibilidade de Ca2+ , o músculo relaxa quando reduz o teor deste íon no sarcoplasma Estimulo nervoso Despolimerização da membrana do reticulo sarcoplasmático (placa motora) Liberação de Ca2+, abertura doas canais (passivo) Ca2+ atua sobre a troponina formando pontes entre a actina e miosina
    18. 18. Contração Estimulo nervoso Cessa a despolimerização Ca2+ volta para cisternas do RS (ativo) Interrompe a contração
    19. 19. Com o músculo em repouso os filamentos finos e grossos se sobrepõem Durante a contração os filamentos deslizam uns sobre os outros.
    20. 20. Músculo Liso  Células longas,  Espessas no centro e finas nas extremidades  Único núcleo central  São revestidas por lâmina basal e unidas por uma rede de fibras reticulares.  Esta união permite que haja a contração do músculo pro inteiro simultaneamente.  O sarcolema possui grande quantidade de cavéolas (aspecto de vesículas) que contem Ca2+ para iniciar a contração.  Contração involuntária.
    21. 21. Contração Músculo Liso
    22. 22.  No sarcoplasma de células musculares existem filamentos de actina estabilizados pela tropomiosina (porém não existem sarcômeros ou troponina).  Os filamentos de miosina só se formam no momento da contração.
    23. 23. Estimulo nervoso Ca2+ migram do meio extracelular para o sarcoplasma (passivo) Ca2+ se liga à calmodulina fosforilando a miosina, formando os filamentos ligando-se a actina liberando ATP ATP se liga a cabeça da miosina Há o deslizamento dos filamento de actina sobre miosina II Há então a contração da célula, e assim do músculo, como Actina e miosina estão ligadas à filamentos intermediários de desmina e vimentina, que se prendem aos corpos densos presente na membrana da células.
    24. 24. Regeneração do Tecido Muscular  Músculo esquelético: pequena capacidade de reconstituição, realizada por células satélites (mioblastos inativos). Após lesão se dividem por mitose.
    25. 25.  Músculo cardíaco: não se regenera, no infarto a parte danificada é invadida por fibroblasto que produzem fibras colágenas, formando uma cicatriz de tecido conjuntivo.
    26. 26.  Músculo liso: capacidade de regeneração mais eficiente, após lesão as células passam por mitose.

    ×