Idade Média

14.054 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
9 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
14.054
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
757
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
423
Comentários
0
Gostaram
9
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Idade Média

  1. 1. Idade Média<br />Centro de Ensino Fundamental Arapoanga<br />Professora: Joana D’arc<br />História<br />6° série - 2011<br />
  2. 2. A Idade Média é o período que vai do século V ao século XV.<br />
  3. 3. O que chamamos de Idade Média é a forma de vida dos europeus no período que vai desde a dominação de Roma em 476 até a dominação de Constantinopla em 1453.<br />
  4. 4. A Idade Média é um período que diz respeito ao continente europeu e não a toda a humanidade. Nessa mesma época, em outros lugares do mundo as pessoas tinham organização de vida diferente. <br />
  5. 5. Com o fim do Império Romano, vários reinos bárbaros formaram-se na Europa Ocidental. Dentre esses reinos, destacou-se o dos francos.<br />
  6. 6. A sociedade europeia sofreu um processo de ruralização, ou seja, as pessoas abandonaram as cidades, indo para o campo procurar abrigo, trabalho e segurança.<br />
  7. 7. Desenvolveu-se a instituição do colonato, onde o colono cuidava de uma pequena parcela das terras, de onde tirava o seu sustento e o de sua família. Como pagamento, entregava parte da sua produção ao proprietário das terras. Assim, formou-se uma economia baseada no trabalho agrícola de subsistência.<br />
  8. 8.
  9. 9.
  10. 10.
  11. 11.
  12. 12. Os povos germânicos converteram-se ao cristianismo, tornando a Igreja Católica cada vez mais poderosa. Assim, a Igreja Católica tornou-se a principal força política, cultural e religiosa da Europa na Idade Média, graças aos acordos de cooperação que estabelecia com os reis bárbaros.<br />
  13. 13. Os francos e o Império Carolíngio: a aliança entre a Igreja Católica e os reis fortaleceu-se com a coroação de Carlos Magno pelo papa Leão III no ano 800. Com esse gesto, o papa simbolizava que o poder vinha de Deus, reafirmando assim a autoridade da Igreja sobre os homens e os reis.<br />
  14. 14. Para evitar agitações e traições, Carlos Magno estimulou o costume germânico das relações de fidelidade e honra entre senhor e súditos, criando a instituição da vassalagem. <br />
  15. 15. Cerimônia de vassalagem: o vassalo prestava homenagem ao suserano (ou senhor). O vassalo colocava suas mãos entre as mãos do senhor, beijava-o no rosto e jurava-lhe lealdade. Além disso, o vassalo oferecia ao senhor sua ajuda e apoio, sobretudo militar. Por seu lado, o senhor se comprometia a proteger o vassalo e ceder-lhe uma porção de terra (feudo), para que tivesse condições de se manter.<br />
  16. 16. Com a morte de Carlos Magno em 814, o trono foi ocupado por seu filho Luís, o Piedoso. Após a morte de Luís, ocorreu a assinatura do Tratado de Verdun, que estabeleceu a divisão do império franco entre os três filhos. Porém, eles começaram uma luta pelo controle do poder que desintegrou totalmente o império pouco tempo depois. A partir desse momento consolidou-se o sistema feudal.<br />
  17. 17. O feudalismo é uma organização social e política baseada na relação de fidelidade e dependência entre os homens. As principais características do feudalismo são:. Enfraquecimento do poder central. Laços de dependência. Agricultura de subsistência. Consolidação da Igreja Católica<br />
  18. 18. Depois da desintegração do império Carolíngio, os reis perderam grande parte de seu poder para membros da nobreza.<br />
  19. 19. A fim de assegurar a lealdade dos nobres, os reis faziam com eles alianças individuais, por meio das quais juravam fidelidade um ao outro. Na maior parte das vezes esse compromisso era selado com a doação de um feudo por parte do rei. Os reis, ao doarem os feudos, cediam aos senhores os direitos sobre a população ali existentes.<br />
  20. 20. O feudo era como uma grande fazenda que o senhor doava a um nobre. Aquele que fazia a doação do feudo era chamado suserano ou senhor, enquanto o que recebia a doação chamava-se vassalo.<br />
  21. 21. Organização do feudo:Manso senhorial: terras exclusivas do senhor cultivadas pelos camponeses durante alguns dias da semana. Manso servil: pequenas faixas de terra cedidas aos camponeses.Manso comunal: usado principalmente como pastagens para o gado.<br />
  22. 22. A sociedade feudal dividia-se em três ordens fundamentais: a dos que oravam, a dos que lutavam e a dos que trabalhavam. Alterar essa ordem seria o mesmo que ir contra a vontade de Deus. Por isso, cada um deveria permanecer na condição em que haviam nascido para sempre. <br />
  23. 23. Nobres: As ocupações diárias dos nobres incluíam a administração da justiça e a vigilância dos servos a eles subordinados. Entre os nobres a guerra era vista como fonte de riqueza e ocupação. Em tempos de paz eram promovidos torneios que simulavam combates.<br />
  24. 24. O Clero dividia-se em dois grupos: alto clero e baixo clero.Alto clero: seus membros eram nobres, tinham muito poder e terras. Em geral eram as únicas pessoas alfabetizadas.Baixo clero: exerciam o trabalho braçal nas paróquias e atendiam os pobres e necessitados das vilas próximas da paróquia.<br />
  25. 25. O servo era a principal força de trabalho do sistema feudal. Ele estava preso à terra para o resto da vida. Em troca de proteção e do usufruto da terra, o servo devia cultivar os terrenos recebidos e as terras pessoais do senhor. Além disso, pagava impostos e fazia várias outras tarefas, como consertar pontes, estradas, etc.<br />
  26. 26. Embora a agricultura de subsistência tenha sido a base da economia feudal, o comércio e o artesanato não desapareceram.<br />
  27. 27. As transformações do feudalismo: a partir do século X, as inovações nas técnicas agrícolas possibilitaram o aumento da produção de alimentos, o crescimento populacional e o revigoramento do comércio e das cidades.<br />
  28. 28. O crescimento econômico e populacional das cidades levou à formação de novas camadas sociais e profissionais: na periferia das cidades, denominadas burgos, habitavam pessoas que se dedicavam ao comércio, ao empréstimo de dinheiro a juros e à produção de artigos nas oficinas artesanais. Eram os burgueses.<br />
  29. 29. Cidades mal planejadas, falta de saneamento básico e epidemias foram as marcas do final da Idade Média.<br />
  30. 30. Em decorrência da falta de higiene das cidades, foram comuns no período epidemias como cólera, lepra, varíola, além da peste negra, que no século XIV, dizimou populações desde a Ásia até a Europa.<br />
  31. 31. O enfraquecimento do sistema feudal e o fortalecimento da burguesia foram fundamentais na formação das monarquias nacionais, favorecida pelo revigoramento do comércio e das cidades e pelas cruzadas. As principais monarquias nacionais que se formaram foram Portugal, França e Inglaterra.<br />
  32. 32. As Cruzadas foram expedições militares organizadas para reconquistar as áreas cristãs sob domínio muçulmano. O fracasso das expedições colaborou para o empobrecimento da nobreza feudal<br />
  33. 33. A Guerra dos Cem Anos: disputa entre Inglaterra e França que durou 116 anos (de 1137 a 1453), alterando períodos de combate e de trégua. A vitória dos exércitos franceses contou com a ajuda da jovem camponesa Jona D’Arc.<br />
  34. 34. A nova mentalidade urbana diminuiu a importância da Igreja. Com isso, abriu-se caminho para as mudanças do final do século XIV, como por exemplo: o uso da razão com a escolástica, a criação de universidades na Europa, a valorização do ser humano por meio da arte gótica, a exaltação da figura feminina por meio da literatura, e o Renascimento cultural.<br />
  35. 35. O Renascimento foi um movimento cultural que começou nas cidades italianas a partir do século XIV. O objetivo dos pensadores e artistas renascentistas foi o de dar continuidade à obra iniciada pelos autores da Antiguidade greco-romana. Esse movimento foi financiado pela rica burguesia mercantil e representa a transição da Idade Média para a Idade Moderna.<br />
  36. 36. Uma das principais características do Renascimento foi a importância dada ao ser humano. Esse movimento, conhecido como humanismo defendia valores diferentes dos medievais, tais como:. O ser humano como o centro do universo. Volta aos estudos da antiguidade clássica. Reconhecimento da racionalidade humana.<br />

×