Projeto diario de classe ed. infantil uyara assunção - Timon

19.053 visualizações

Publicada em

0 comentários
9 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
19.053
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
15
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
354
Comentários
0
Gostaram
9
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Projeto diario de classe ed. infantil uyara assunção - Timon

  1. 1. SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE TIMON DIÁRIO DE CLASSE MATERNAL DA PRÉ – ESCOLA MULTI ESCOLA: ANO LETIVO: PROFESSOR (A): TURNO: TURMA:
  2. 2. Diário de Classe Escola: Ano Letivo: Turno: Maternal Turma: Matutino Pré escola: Vespertino 1º Período 2º Período Professor (a): Professor (a) Auxiliar: Integral
  3. 3. Relação dos Alunos Maternal Pré escola: 1º Período 2º Período Nome dos Alunos 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 Data de Nascimento
  4. 4. APRESENTAÇÃO Os primeiros anos na história de cada pessoa é uma fase delicada. Guiar os primeiros passos de um bebê, aproveitar tada a energia de uma criança é ajudar a construir seu caráter são fundamentais na infância. Nesta fase da vida, brincar, viver e aprender são as mesmas coisas. E para que este crescer seja constante, o ambiente deve trabalhar todos os sentidos e ajudar na formação da personalidade. Num processo de aprendizagem, o mais importante é incentivar o gosto pelas descobertas. É essencial que este pequeno aluno aprenda a conhecer, a fazer, a ser e a viver. Essa abordagem deve ser trabalhado diferentes tipos de linguagem: corporal, visual, oral e escrita. Ao mesmo tempo, as crianças devem ser estimuladas a raciocinar, construir relações e socializar-se, iniciando o seu ciclo de pessoa completa e preparada para a vida. Portanto, o Diário de classe para a etapa da Educação Infantil, tem por objetivo sistematizar a ação pedagógica desenvolvida ao longo do ano letivo, possibilitando o registro das atividades, observações em torno dos avanços e dificuldades apresentadas pelas crianças, no processo de construção do conhecimento, possibilitando que o professor faça um feedback de prática e possa reformular seu planejamento para trabalhar o conhecimento que não foi absorvido pela criança. Este documento constitui-se em fonte permanente de consulta no âmbito da escola, pois através dele é possível obter informações sobre o processo vivenciado por cada criança, transformando-se, assim, num valioso instrumento que subsidia as intervenções pedagógicas por parte dos professores, bem como orienta os pais no acompanhamento da aprendizagem das crianças. Para que o Diário de Classe cumpra com o seu objetivo ele deverá ser atualizado cotidianamente e, os registros realizados tomarão por base as habilidades definidas pela SEMED para esta etapa da Educação Básica. Ressalta-se que as habilidades definidas neste documento fundamentam-se no Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil, e em estudos relacionados ao processo de aprendizagem na Educação Infantil, considerando a faixa etária das crianças avaliadas. O que se pretende com este documento, é auxiliar a tomada de decisões por parte da equipe escolar, de modo a favorecer os processos de desenvolvimento e aprendizagem típicos da faixa etária das crianças que freqüentam a Educação Infantil. Para isso, o Professor deve assinalar apenas as habilidades observadas no período de avaliação no final de cada Unidade Didática correspondente. Dessa forma, é possível selecionar as habilidades que se relacionam com o processo de desenvolvimento das crianças, em cada fase do trabalho realizado.
  5. 5. ORIENTAÇÕES 1. O Diário de Classe é um dos instrumentos de acompanhamento e registro do desempenho dos alunos da Educação Infantil. Além dele ser um Diário de Classe, o professor pode utilizá-lo na sua prática cotidiana de trabalho como outros instrumentos que auxiliem na coleta diária de informações, que retratem o processo vivenciado pelas crianças, tais como: portfólios (coletânea com as produções); caderno de registro das observações realizadas; diários de campo, dentre outros. 2. A avaliação da aprendizagem deve pautar-se nas habilidades definidas para a Educação Infantil, considerando os conteúdos desenvolvidos e a faixa etária das crianças. Ressalta-se que nesta etapa da Educação Básica a Avaliação não tem fins de promoção. 3. A avaliação proposta responde a duas funções importantes: adaptação da intervenção pedagógica às características individuais das crianças, mediante observações sistemáticas freqüentes e determinação do grau de eficácia das intenções previstas no planejamento. 4. As funções da avaliação acima referidas serão alcançadas a partir da: Avaliação inicial: situa o ponto de partida de cada uma das crianças para realizar novas aprendizagens; Avaliação formativa: proporciona a ajuda pedagógica mais adequada em cada momento, adequando o ensino à realidade concreta do grupo. Esta prática traduz-se na observação sistemática do processo de aprendizagem da criança, mediante indicadores ou fichas de observação e registro das informações obtidas. Avaliação cumulativa: possibilita o conhecimento e aferição dos resultados da aprendizagem de cada uma das crianças. A sua finalidade não consiste na valoração quantitativa do êxito ou do fracasso da criança na realização das aprendizagens, mas ao contrário, no grau de êxito ou fracasso do processo educativo em relação às intenções iniciais, dando oportunidade ao professor e ao grupo fazerem um feedback das ações planejadas e posteriormente fazerem uma reconstrução dessas ações. 5. O processo de avaliação na Educação Infantil deve contar com a participação da família a parti da explicitação dos critérios de avaliação adotados pelo professor, ou seja, é necessário compartilhar o que se espera da criança em cada fase do processo, bem como os seus resultados. 6. Para cumprir com a sua função, o professor deve manter o Diário de Classe sempre atualizado, sem emendas ou rasuras, e com registros diários, pois este é um
  6. 6. documento oficial da escola, que guarda informações do processo educativo das crianças. 7. O registro do desempenho das crianças deve ser realizado através de marcações das habilidades alcançadas e elaboração de pareceres descritivos no inicio do ano letivo e a cada mês, considerando os seguintes âmbitos: Formação pessoal e social da criança – experiências que favorecem, prioritariamente, a construção do sujeito. Trata-se de questões que envolvem o desenvolvimento de capacidades de natureza global e afetiva das crianças, seus esquemas simbólicos de interação com os outros e com o meio, bem como a relação consigo mesmas. Conhecimento de mundo – construção das diferentes linguagens pelas crianças e das relações que estabelecem com os objetos de conhecimento, enfatizando a relação das crianças com alguns aspectos da cultura. 8. O registro da assiduidade das crianças deve ser realizado diariamente, de modo que o professor e o grupo possam acompanhar a freqüência da criança. É importante que identificada à ausência providências possam ser tomadas para que ela retorne, pois isto cria vínculo da criança com a escola e com o grupo.
  7. 7. OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Os PCNs indicam como objetivos e eixos do currículo da Educação Infantil que os alunos sejam capazes de: Expressar, manifestar e controlar progressivamente suas necessidades, desejos e sentimentos em situações cotidianas. Ter iniciativa para resolver pequenos problemas do cotidiano, pedindo ajuda, se necessário. Identificar progressivamente algumas singularidades próprias e das pessoas com as quais convive no seu cotidiano em situações de interação. Participarem situações de brincadeira nas quais as crianças escolham os parceiros, os objetos, os temas, o espaço e as personagens. Participar igualmente com meninos e meninas em brincadeiras de futebol, casinha, pular corda e outros. Respeitar as características pessoais relacionadas ao gênero, à etnia, ao peso, à estatura e outros. Valorizar a limpeza e aparência pessoal. Respeitar e valorizar a cultura de seu grupo de origem e de outros grupos. Conhecer, respeitar e utilizar algumas regras elementares de convívio social. Participar em situações que envolvam a combinação de algumas regras de convivência em grupo e aquelas referentes ao uso dos materiais e do espaço, quando isso for pertinente. Valorizar os cuidados com os materiais de uso individual e coletivo. Realizar procedimentos relacionados à alimentação e à higiene das mãos e cuidado e limpeza pessoal das várias partes do corpo. Utilizar adequadamente os sanitários. Identificar situações de risco no seu ambiente mais próximo. Realizar procedimentos básicos de prevenção a acidentes e autocuidado.
  8. 8. CONHECIMENTO SOCIAL FORMAÇÃO SOCIAL E PESSOAL Adaptação:  Novos relacionamentos, nova professora.  Vínculos afetivos; o outro e a verdadeira empatia. Saber Cuidar (Projeto Anual)     Respeitar as diferenças de gênero e diversidade. Respeitar a diversidade sexual. Idéia de pluralidade. Questionar a alimentação, o consumo, programação da TV. O brincar, a saúde mental e social e o vocabulário utilizado pela criança na atualidade. As tradições culturais de onde se vive. O trabalho das pessoas:  Da família;  Da escola;  De outras profissões (médico, dentista, cabeleireiro, etc.). Os lugares e suas paisagens:  Perto de casa; perto da escola;  Nos pontos importantes da cidade: zoológico, lago, parque da cidade, Torre de TV, shoppings, feira dos importados, aeroporto, Teatro Nacional, Catedral. As mudanças na paisagem:      Mudança de estação; Dia e noite; O clima (chuva, sol, vento); Certos acontecimentos em épocas determinadas do ano; Datas comemorativas. Regras para o convívio em grupo (aprender a conviver e a ser). Valores:  Observação de valores nas ações do cotidiano e em todas as circunstâncias de trabalho (aprender a ser).  Cooperação, respeito, solidariedade, felicidade, coragem.  Aquisição de hábitos.  Pontualidade, assiduidade. A minha escola:
  9. 9.  O nome da escola.  Minhas atividades na escola: a nossa rotina.  O que vou aprender. Quem sou eu:     Identificação: meu nome, meu jeito de ser. Eu tenho uma família: a vida em família – o pai, a mãe, os irmãos. Como vivo e do que mais gosto. A nossa casa:  Como é a minha casa.  A nossa rotina.  O trabalho da mamãe e do papai.  Os meus deveres.  O trabalho da funcionária doméstica.  O meu endereço.  O dia do meu aniversário.  As minhas necessidades . NATUREZA Os cuidados com o meio ambiente:  Contatos com animas e plantas: observação e comparação.  A utilização da água em casa e na escola. Meio ambiente:  Elementos da natureza: água, terra, ar e fogo.  Destacar a água;  A importância da água para o bem - estar de todos.  Como usá-la: em casa, na escola e em outros ambientes que freqüentamos.  A água é importante;  Transformações da água. Contatos com animais e plantas:  Observação, comparação. Animais que compartilham o mesmo espaço:        Animais de jardim; Animais caseiros; Conhecimentos e cuidados; Animais de grande porte; De granja; do zoológico; do mar; Conhecimentos; Semelhanças e diferenças.
  10. 10. O cultivo das plantas      Plantas comestíveis (hortaliças); Manipulação, cheiro e sabor; Observação de crescimento de uma semente; Experimentações; Registros diários. Conhecimento do corpo:  O corpo estático e em movimento;  O corpo precisa de cuidados;  Evitando acidentes e machucados. Alimentação:  Necessidade de alimentação;  A nossa alimentação;  Transformação de alimentos (experiências). Conhecimento do corpo.  O esquema corporal.  O corpo precisa de cuidados.  O corpo tem necessidades. LINGUAGEM, LEITURA E ESCRITA Linguagem Uso da linguagem oral para:       Falar com os outros sobre experiências significativas; Expressar seus desejos, sentimentos e necessidades; Conversar e comunicar; Se melhor (momento privilegiado de diálogo); Relatar, descrever objetos e acontecimentos; Organizar as ações do dia e planejar. Ampliação da capacidade de fazer perguntas e dar respostas. Envolvimento em situações contextualizadas para aprender, explicar e argumentar interação das idéias e ponto de vista). Participação em relatos de experiências vividas e narração de fatos em seqüências temporal e causal. Reconto de histórias conhecidas com aproximação da história original. Conto de histórias, criando personagens, situações e cenários.
  11. 11. Brincadeiras  Com a linguagem, uso de jogos verbais, trava-línguas, parlendas, adivinhas, versos, canções, quadrinhos e rimas. LEITURA Participação em situações de leitura como:  Histórias, pequenos contos, poemas, notícias de jornal, informativos da escola e outros gêneros;  Envolvimento em situações de leitura mesmo que ainda não a faça de maneira convencional:  Leitura incidental;  Leitura de símbolos;  Leitura do próprio nome e dos outros em contextos diferentes;  Leitura de palavras e frases;  Leitura e interpretação (a partir do desenho);  Leitura e identificação de placas;  Manuseio de diversos materiais de leitura como: gibis, revistas, livros de leitura como: gibis, revistas, livros de leitura e outros recursos.  Observação de que as palavras faladas podem ser escritas e, depois, lidas, valorizando, assim, a leitura; ESCRITA Participação em produção individual e coletiva de textos. Práticas de escrita:  Escrita espontânea, usando os conhecimentos já adquiridos sobre o sistema de escrita da língua materna;  Escrita das vogais;  Escrita do prenome. Sistematização (por meio de jogos, exercícios xerografados e arte) dos conhecimentos:     Exploração e evolução do desenho nas mais variadas situações; Linhas, formas, compreensão das coisas que vê, observa; Uso das linhas e bases superior e inferior; Interpretação do texto por meio do desenho. PENSAMENTO LÓGICO MATEMÁTICO Vocabulário fundamental:
  12. 12.     Classificação. Reconhecimento das semelhanças e diferenças entre objetos. Descrição dos atributos das coisas. Seriação/Seqüenciação:  Seqüências entre crianças, obedecendo a critérios específicos.  Seqüências com objetos, repetindo modelos.  Organização de uma seqüência.  Simbolização. Apreensão dos conceitos matemáticos por intermédio das ações sobre o meio.  Mais – menos; muito – pouco; o mesmo tanto; cheio - vazio, alto – baixo. Espaço e formas geométricas. Direção e sentido:  Para frente/ para trás; para baixo/para cima. Posição:  Dentro/fora; em cima/embaixo. Propriedades geométricas de objetos e figuras:  Formas: diferenças e semelhanças entre objetos.  Exploração das formas – triangular, quadrado, redondo.  Manipulação de objetos sólidos (caixas, latas, blocos). Conceito de números. Contagem oral  Quantificação. MOVIMENTO Equilíbrio e Coordenação Atividades corporais que possibilitem movimentos de:         Andar, correr, pular, subir/descer. Escorregar. Dependurar-se, balançar-se. Rolar, arrastar-se. Dançar. Chutar, jogar, aparar. Empurrar, puxar. Conhecer e controlar o corpo em movimento:
  13. 13. Equilíbrio estático e dinâmico.  Aperfeiçoar as habilidades manuais e usar a criatividade: Montar, encaixar. Enfiar; dar laço; amarrar. Rasgar, recortar, desenhar, pintar, amassar.  Aperfeiçoar as habilidades psicomotoras.  Observar os objetos e as coisas do espaço.  Representar. Expressividade Construção e afirmação da imagem corporal:  Reconhecimento do corpo. Interação; jogos de imitação. Dramatização – caracterização. Escuta de ritmos naturais do corpo:  Batimentos cardíacos.  Respiração.  Sensações de prazer (percepção). Estruturas rítmicas e a expressão do corpo. Exercícios de imaginação e criatividade. Movimentos gestuais (mímicas). Representação das experiências. Danças, folguedos, brincadeiras de roda e cirandas. ARTE Produção de desenhos, pinturas, colagens e modelagem com base em sua observação as mais diversas situações, cenas, pessoas e objetos. Exploração e utilização de alguns procedimentos necessários para desenhar pintar, modelar, colar. Uso de diversos materiais e suportes. Exploração dos espaços bidimensional e tridimensional na realização de seus projetos artísticos. Organização, cuidado e respeito com os materiais no espaço físico da sala. Autonomia para realizar seus trabalhos.
  14. 14. MÚSICA Participação em jogos e brincadeiras que envolvam a dança ou a organização musical. Aprendizagem de canções para desenvolver memória musical. Discriminação auditiva de sons agudos, curtos e longos, fracos ou fortes, timbre e frases em situação contextualizada. Produções musicais. Exploração de músicas com instrumentos. Obs.: Todas as atividades propostas acima são passíveis de alterações conforme a necessidade da turma e dos contextos sociais da atualidade.
  15. 15. CALENDÁRIO 2014
  16. 16. Calendário Escolar 2014
  17. 17. Relacionar Atividades e Projetos que serão realizadas nos Meses de: Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho
  18. 18. Relacionar Atividades e Projetos que serão realizadas nos Meses de: Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro
  19. 19. Vamos planejar? Planejar é organizar ações. [...] o planejamento deve existir para facilitar o trabalho tanto do professor como do aluno. O planejamento deve ser uma organização das idéias e informações. MORETTO (2007) Plano de Aula Tema: Recepção: Rotina: Objetivos: Metas a serem alcançadas:
  20. 20. Metodologia: Observações: Assinatura do Professor ___________________________ _____________________________________ Diretor(a) Supervisor (a) Timon, / /
  21. 21. Dicas de como elaborar um Projeto Pedagógico. 1. Como fazer um projeto? Tema do Projeto – a questão apresentada pelo educador, pode não ser um problema para o aluno, por isso podemos permitir que os alunos definam os temas, que formulem problemas e coloquem o pensamento em funcionamento pela necessidade de entendê-lo melhor e alcançar soluções. Trabalho em grupo – é enriquecedor, pois cada um poderá contribuir de maneira criativa para realização de um trabalho coletivo (uma rede), de acordo com seu interesse, trocando idéias, discussões, ou melhor, um processo de construção de cooperação. 2. Como fazer um projeto? Tema do Projeto definido por: alunos professores comunidade. Explorar uma questão; Definir os problemas; Soluções. 3. Como fazer um projeto? Trabalhar em grupos enriquece o trabalho; Contribuição criativa; Troca de idéias e discussões. 4. Projeto: Nome/Título  Justificativa (por quê?)  Objetivos (necessidades a alcançar)  Atividades (o que fazer?)  Estratégias (como fazer?)  Acompanhamento (direcionamento)  Avaliação (estímulo). 5. Como fazer um projeto? Acompanhamento do Projeto  Avaliação do processo de desenvolvimento do aluno durante a realização do projeto.  Perguntar.  Contra-argumentar  Orientar sem fornecer soluções. 6. Uso de mídias e tecnologia  Internet, jornais, rádio, tv, máquina fotográfica, filmadora etc.  Pastas e subpastas; grupos; apresentação; outras ferramentas (Power point,Word, paint, porta USB, etc.) 7. Outras atividades paralelas:
  22. 22.  Show de talentos  Exposição de desenhos  Exposição de fotos  Desfile de modas  Painel de poesia  Jogral  Leitura de textos (Art. da Constituição Federal, Passagens históricas, etc.)  Teatro. DICAS:  Estar sempre interagindo com os alunos;  Dinamizar ao máximo as atividades;  Avaliar cada tarefa, sem deixar que as atividades se acumulem muito;  Incentivar a participação dos professores e dos alunos em todas as fases do projeto;  Ler sempre sobre o assunto;  Explicar detalhadamente cada atividade;  Se colocar sempre a disposição para eventuais dúvidas;  Acompanhar sistematicamente o desenvolvimento do projeto. Verbos adequados à formulação de objetivos: IDENTIFICAÇÃO DESCRIÇÃO COMPARAÇÃO Identificar Descrever Comparar Reconhecer Caracterizar Diferenciar Denominar Expor Contrastar Apontar Narrar Relacionar Indicar Traçar Confrontar Designar Contar Igualar Intitular Listar Discernir Mostrar Relatar Separar Rotular Imitar Nivelar Assinalar Apresentar Discriminar Mencionar Enumerar Ligar Evocar Excluir/incluir Determinar Traçar paralelo Refletir/citar CLASSIFICAÇÃO CONCLUSÃO APLICAÇÃO Classificar Concluir Aplicar Escolher Deduzir Empregar Ordenar Decidir Utilizar Numerar Justificar Construir Separar Resumir Praticar Selecionar Criticar/julgar Efetuar Distinguir Analisar Executar Agrupar/reagrupar Apreciar Efetivar Categorizar Examinar Criar Colecionar Conceituar Elaborar Dividir Definir Confeccionar Subdividir Generalizar Explicar Qualificar Inventar
  23. 23. Agora é hora de registrar seus Projetos para este mês. Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina. (Cora Coralina) Nome do Projeto: Alunos atendidos: Duração: Objetivos: Desenvolvimento: Período:
  24. 24. Estratégias: Culminância: Parecer Descritivo final do Projeto: _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _______________________________________________________________________________ _________________________________
  25. 25. ANEXE AQUI AS FOTOS DAS ATIVIDADES QUE FORAM DESENVOLVIDAS NO PROJETO DURANTE O MÊS DE ___________________.
  26. 26. FREQÜÊNCIA MÊS: AULAS DADAS: DATA: / / AULAS PREVISTAS: Diretor (a):______________________________Supervisor (a):_________________________ Professor (a):______________________________________________________________ Nº 1 2 3 4 5 6 7 89 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 NOME DO ALUNO FALTAS DIAS LETIVOS
  27. 27. Registro Diário das Atividades Mês:  Segunda-feira -  Terça-feira -  Quarta-feira -  Quinta-feira -  Sexta-feira- Ano Letivo:
  28. 28. Registro do desempenho da criança no processo de ensino e aprendizagem Educação Infantil A que veio e pra onde vai
  29. 29. Registro do desempenho da Criança no processo de ensino e aprendizagem NOME DO ALUNO: Nº DIAGNÓSTICO INICIAL (ACOLHIDA) PARECER DESCRITIVO DIAGNÓSTICO REFERENTE AO MÊS DE PARECER DESCRITIVO DIAGNÓSTICO REFERENTE AO MÊS DE PARECER DESCRITIVO
  30. 30. DIAGNÓSTICO REFERENTE AO MÊS DE PARECER DESCRITIVO DIAGNÓSTICO REFERENTE AO MÊS DE PARECER DESCRITIVO DIAGNÓSTICO REFERENTE AO MÊS DE PARECER DESCRITIVO DIAGNÓSTICO REFERENTE AO MÊS DE PARECER DESCRITIVO
  31. 31. DIAGNÓSTICO REFERENTE AO MÊS DE PARECER DESCRITIVO DIAGNÓSTICO REFERENTE AO MÊS DE PARECER DESCRITIVO DIAGNÓSTICO REFERENTE AO MÊS DE PARECER DESCRITIVO Outros registros (observações, informações relevantes sobre a criança) PARECER DESCRITIVO
  32. 32. REGISTRO DO DESEMPENHO DOS ALUNOS COM NECESSIDADES EDUCATIVAS ESPECIAIS Professor, Desenvolver uma política de inclusão na nossa Rede significa reconhecer que: “-As crianças são diferentes entre si, mas não há criança diferente e outras que não o sejam. - Os objetivos gerais da educação devem ser acessíveis a todas as crianças. - Cada escola deve respeitar essa diversidade, oferecendo à criança aquilo de que necessita aquilo que lhe possibilita alcançar seu desenvolvimento integral, no limite das próprias potencialidades.” Lleixà Arribas, 2004, p.32 PARECER DESCRITIVO
  33. 33. ACOMPANHAMENTO DO PROCESSO DE APRENDIZAGEM A Avaliação só poderá funcionar efetivamente num trabalho educativo, se ensinarmos, os alunos não aprenderam e estamos interessados que aprendam, há que se ensinar até que aprenderam, há que se investir na construção e reconstrução dos resultados. (Apost. Ludus) Aluno: Nº Idade: Data de Nascimento: / / Matrícula: Nome da mãe ou respons.: FORMAÇÃO PESSOAL E SOCIAL HABILIDADES Expressa seus desejos, desagrados, necessidades, preferências e vontades em brincadeiras e nas atividades cotidianas. Reconhece progressivamente o próprio corpo e as diferentes sensações que produz. Identifica, progressivamente, algumas singularidades próprias e das Pessoas com as quais convive no seu cotidiano em situações de interação. Pede ajuda nas situações em que isso se faz necessário. Realiza pequenas ações cotidianas ao seu alcance, adquirindo maior independência. Interessa-se pelas brincadeiras e exploração de diferentes brinquedos. Participa de brincadeiras de “esconder e achar” e brincadeiras de imitação. Escolhe brinquedos objetos e espaços para brincar. Participa, com interesse, de situações que envolvem a relação com o outro. Respeita regras simples de convívio social. Faz a higiene das mãos ainda que com a ajuda. Expressa desconforto relativo à presença de urina e fezes nas fraldas ou roupas pessoais. Interessa-se em desprender-se de fraldas. Alimenta-se com progressiva autonomia, experimentando novos tipos de alimentos. 1º BIM. 2º BIM. 3º BIM. 4º BIM.
  34. 34. CONHECIMENTO DE MUNDO MOVIMENTO HABILIDADES EXPRESSIVIDADE Imita gestos simples (agitar os braços, por exemplo). Segue movimentos com os olhos e move a cabeça na direção de sons. Apropria-se da imagem de si mesmo. Explora as possibilidades de gestos e ritmos corporais para expressar-se nas brincadeiras e nas demais situações de interação. Explora as partes do corpo, identificando as qualidades do próprio corpo e do corpo dos outros, suas semelhanças e diferenças. EQUILIBRIO E COORDENAÇÃO Segura objetos por um tempo maior, por exemplo, segura um biscoito para comer. Senta em diferentes inclinações. Deita em diferentes posições. Mantém em pé apoiando-se em algo Desloca-se no espaço engatinhando. Desloca-se no espaço, andando ou saltando. Tira objetos de um recipiente e coloca em outro. Envolve-se em brincadeiras de esconder, atirar uma pequena bola, etc. Empurra carrinhos e caixas, marcha, dança, rola, sobe e desce de cadeiras, etc. Empilha cerca de seis blocos ou outros objetos. Explora e utiliza os movimentos de preensão, encaixe, lançamento, etc., através de experimentação de diferentes objetos. 1º BIM. 2º BIM. 3º BIM. 4º BIM.
  35. 35. MÚSICA HABILIDADES´’ 1º BIM. 2º BIM. 3º BIM. 2º BIM. 3º BIM. 4º BIM. FAZER MUSICAL Manuseia objetos que produzem sons (ex.: pequenos tambores, chocalhos, recipientes de plásticos cheios de diferentes materiais). Explora materiais sonoros diversos. Participa de brincadeiras e jogos cantados e rítmicos. Escuta diversos tipos de som (Ex.: telefone, campainha, a água correndo, a chuva, o cachorro latindo, o avião, etc.) Participa de situações que integrem músicas, canções e movimentos corporais. NATUREZA E SOCIEDADE HABILIDADES 1º BIM. 4º BIM. Participa de atividades que envolvem histórias, brincadeiras, jogos e canções relacionadas às tradições culturais de sua comunidade e de outros grupos. Explora diferentes objetos, suas propriedades e relações simples de causa e efeito. Mantém contato com pequenos animais e plantas. Conhece de modo progressivo o próprio corpo por meio do uso e exploração de suas habilidades físicas, motoras e perceptivas. MATEMÁTICA HABILIDADES Utiliza a contagem oral em jogos, brincadeiras e músicas, junto com o professor e nos diversos contextos em que isso se faz necessário. Manipula objetos e brinquedos, observando as suas características, propriedades e possibilidades associativas: empilhar, rolar, transvasar, encaixar, etc. 1º BIM. 2º BIM. 3º BIM. 4º BIM.
  36. 36. ARTES VISUAIS HABILIDADES O FAZER ARTÍSTICO Manipula diferentes materiais, sentindo, rasgando, amassando, juntando, separando, sobrepondo, colando, etc. Usa diversas consistências de tintas para pintura. Movimenta o corpo no espaço, produzindo marcas na areia, pintando partes do corpo, reconhecendo a impressão das mãos e dos pés. Explora e manipula materiais como lápis e pincéis de diferentes texturas e espessuras, brochas, carvão, carimbo, etc., de meios, como tintas, água, areia, terra, argila, etc., e de variados suportes gráficos como jornal, papel, papelão, parede, chão, caixas, madeiras, etc. Cuida do próprio corpo no contato com os suportes e materiais de artes. Cuida do corpo dos colegas no contato com os suportes e materiais de artes. Cuida dos materiais, dos trabalhos e objetos produzidos individualmente. Cuida dos materiais, dos trabalhos e objetos produzidos coletivamente. APRECIAÇÃO EM ARTES VISUAIS Observa imagens diversas Interage com a diversidade de produções artísticas, como desenhos, pintura, fotografias, ilustrações, etc. Aprecia suas produções e a dos outros, por meio da observação. 1º BIM. 2º BIM. 3º BIM. 4º BIM.
  37. 37. LINGUAGEM ORAL E ESCRITA HABILIDADES 1º BIM. 2º BIM. 3º BIM. 4º BIM. Usa a linguagem oral nas conversas e relatos de suas vivências. Expressa desejos, vontades, necessidades e sentimentos, nas diversas situações de interação presentes no cotidiano, utilizando a oralidade. Participa de situações de leitura de diferentes gêneros feita pelos adultos como contos, poemas, parlendas e trava-línguas. Participa de situações cotidianas nas quais se faz necessário o uso da leitura e da escrita. Observa e manuseia materiais impressos como livros, revistas, histórias em quadrinhos. Realiza pseudo-leitura na identificação do próprio nome. OUTRAS OBSERVAÇÕES RELEVANTES SOBRE A CRIANÇA: Assinatura do Professor _____________________________ ___________________________________ Diretor(a) Supervisor (a) Timon, / /
  38. 38. REFERÊNCIAS ARVENSE, Colégio. Conteúdo programático anual Educação Infantil: Objetivos gerais da Educação Infantil. Disponível em: <http://www.arvense.com.br/2011/arquivos/conteudos2012/Infantil%20IV.pdf>. Acesso em: 17 de jan. 2014. BRASIL. Ministério da Educação; Secretaria de Educação Básica, 2010. Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Infantil – PCNs. Brasília, DF: MEC 2010. SMEC, Secretaria Municipal de Educação e Cultura; CENAP, Coordenadoria de Ensino e Apoio Pedagógico; PMS, Prefeitura Municipal de Salvador. Diário de Classe: Educação Infantil de 0 a 3 anos. Disponível em: <http://www.educacao.salvador.ba.gov.br/site/documentos/espaco-virtual/espaco- educar/educacao-infantil/diariosmarcos/0%20A%203%20ANOS/diario%20de%20aprendizagem.pdf>. Acesso em: 17 de jan. 2014. SÓ PEDAGOGIA. Como elaborar um projeto pedagógico. Disponível em: <http://www.pedagogia.com.br/projetos/como.php>. Acesso em: 17 de jan. 2014.
  39. 39. ESTADO DO MARANHÃO PREFEITURA MUNICIPAL DE TIMON SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

×