Atividade final patricia ignacio

595 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
595
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Atividade final patricia ignacio

  1. 1. Aluna: Patrícia Ignácio de Moraes
  2. 2. Despertando o prazer por textos poéticos ―É difícil para os indecisos. É assustador para os medrosos. Avassalador para os apaixonados! Mas, os vencedores no amor são os fortes.‖ Cecília Meirelles
  3. 3. A poesia desperta a sensibilidadepara a manifestação do poético nomundo, nas artes e nas palavras. Oconvívio com a poesia favorece oprazer da leitura do texto poético esensibiliza para a produção dospróprios poemas.O exercíciopoético ajuda no desenvolvimentode uma percepção mais rica darealidade, aumenta a familiaridadecom a linguagem mais elaborada daliteratura e enriquece asensibilidade
  4. 4. Objetivos 1) Propiciar aos alunos  4)Recitar poesias uma aproximação com a explorando os recursos linguagem poética existentes na oralidade fortalecendo o hábito de através de vídeos e leitura e despertando-os musicas. para o universo mágico  5) Conhecer a prática dos poemas; social de um sarau (e tudo 2) Ampliar o repertório que a envolve) em que as linguístico através da pessoas se reúnem para leitura e da análise dos apreciar e declamar poemas; poesias, além de interagir 3) Conhecer diversas com um público poesias e autores poéticos. ouvinte, e através das mídias tecnológicas.
  5. 5. A bailarina(Cecília Meirelles)Esta meninatão pequeninaquer ser bailarina.—Não conhece nem dó nem rémas sabe ficar na ponta do pé.—Não conhece nem mi nem fáMas inclina o corpo para cá e para lá.—–Não conhece nem lá nem si,mas fecha os olhos e sorri.—-Roda, roda, roda, com os bracinhos no are não fica tonta nem sai do lugar.—-Põe no cabelo uma estrela e um véue diz que caiu do céu.—-Esta meninatão pequeninaquer ser bailarina.—-Mas depois esquece todas as danças,e também quer dormir como as outras crianças.—-
  6. 6. Desenvolvimento 1) Entregue duas folhas digitadas com as poesias acima A bailarina e o Menino Azul peça para fazerem uma leitura silenciosa e oriente-os a fazer marcações no texto, identificando as palavras que desconhecem o significado, trechos que não entenderam e outros que acharam interessantes ou estranhas. 2) Nesse momento de uma pausa na leitura e convide-os a assistir os dois vídeos desses poemas. Disponível no link acima. Convide-os a falar das marcações feitas no texto. As palavras que não entenderam primeiro socialize as duvidas com a turma toda talvez alguns saibam o significado se não souberem devem procurar no dicionário. 3) Pergunte se eles gostaram do poema e qual a sensação que eles transmitiram ao lê-los e depois de assistir o vídeos. 4) Quais lembranças foram ativadas durante a leitura? Espera-se que o poema ative as lembranças de sua infância e do cotidiano e consiga fazer inferências a partir delas. Divida a turma em pequenos grupos de 3 crianças. 5)Nesse momento peça que leiam algumas poesias dos livros selecionados e escolham as que mais gostaram, peça que copie a poesia e leve para casa para ler com mais atenção. Mas antes peça para que leiam em voz alta algumas poesias grave e filme as declamações se possível num local agradável e aconchegante( pátio, biblioteca, ou arrume na sala um local com um fundo agradável) Em casa devem digitar essa poesia num editor de texto e pesquisar a biografia do autor e fazer um resumo.
  7. 7. Aula 2 1)Leve-os a sala de informática e informe a eles que farão um sarau de poesia na web através de um blog da turma, primeiro faça um login da turma incentive-os a escolher um nome bem legal para o blog depois de criado o blog cada grupo fará sua postagem, prestando a atenção quanto a formatação e os erros de português, o interessante que abaixo de cada poema haja um resumo da biografia do autor e sua importância para a literatura brasileira. Nesse momento post algumas poesias que foram declamadas cuidado para não postar poesias iguais o interessante é ter bastante poesia de diferentes autores lidas por eles e representadas de diversas maneiras. 2) Nesse momento para o blog ficar bem legal e atrativo é importante que tenha cara deles, sugira que eles façam alguns vídeos com os poemas como os mostrados na aula anterior pode ser um desenho do poema digitaliza-lo e postar no blog, fotos com os poemas de fundo, ou vídeos podem utilizar as câmeras dos celulares para fazer os vídeos e postar no blog. É interessante que eles percebam a musicalidade, sensibilidade, as rimas de um poema, o que um poema pode transmitir para uma pessoa se for bem lido e que sejam bem criativos. Às vezes dizemos que não gostamos de poemas, mas é porque não soubemos fazer a entonação correta ou não entendemos etc. 5) Marque uma data um período de uma semana para poderem apresentar o resultado para a turma, para a comunidade escolar e tire uma foto da turma para colocar no perfil que eles mesmo farão. Façam também um cartaz para promover o blog na escola e sugira que eles postem na face o url do blog para seus colegas darem uma passadinha por lá para ver o resultado.
  8. 8. Manoel de BarrosNo descomeço era o verbo.Só depois é que veio o delírio do verbo.O delírio do verbo estava nocomeço, lá, Onde a criança diz:eu escuto a cor dos passarinhos.A criança não sabe que o verbo escutar nãoFunciona para cor, mas para som.Então se a criança muda a função de umverbo, ele delira.E pois.Em poesia que é voz de poeta,que é a vozDe fazer nascimentos -O verbo tem que pegar delírio.
  9. 9. Avaliação A avaliação deverá ser feita durante todo o processo, observar suas falas e impressões, Se os poemas ativaram a memória deles para momentos do cotidiano, se eles se viram nas palavras descritas. E se a apreciação deles mudaram depois de assistir os vídeos.Se conseguiram interpretar nos desenhos, fotografias, ou vídeos, o que os poemas que eles escolheram queriam dizer.

×