Tipo carioca - maio 2013

524 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
524
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tipo carioca - maio 2013

  1. 1. Ano 14 • nº 164 • MAIO 2013 • Barra da Tijuca, Recreio e Vargens • Distribuição mensal e gratuitaFaltando, prati-camente, trêsanos para asOlimpíadas,ainda não foram con-cluídas muitas obras,para que o Rio sejaconsiderado pron-to para a competi-ção. Ainda assim, acidade não para dereceber eventos demodalidades queatrairão os olharesde todo o mundo em2016. Em abril, porexemplo, aconteceu,no Recreio, a pri-meira etapa do RioTriathlon, válida pelocampeonato estadu-al. O ultramaratonistaAlexandre Ribeiro foium dos homenagea-dos na premiação.LÍNGUAS ESTRANGEIRASNO CIEIEm abril, nada menos que 92 alunosreceberam diplomas e certificados delínguas estrangeiras (inglês, alemão eespanhol), em festa comemorativa nocolégio CIEI. Pág. 02NO CIRCULANDOVejacomofoiocafédamanhãpromovidopela Acibarra, no Baby Beef, onde sereuniram autoridades e liderançascomunitárias da região. Pág. 10NAS ONDASDA BARRAAté o dia 19, o bairro será a capital mun-dial do surfe, já que os melhores domundo estarão em ação durante a etapabrasileira do WCT (World ChampionshipTour). Adriano de Souza, o Mineirinho(foto, em ação no exterior), é a maior es-perança da torcida verde e amarela.AQUECIMENTOOLÍMPICOCOLUNA CABELOSCabelos crespos e cacheados estão namoda? Saiba a opinião do colunista PauloBarros sobre o assunto. Pág. 12
  2. 2. Maio 2013 Jornal Tipo Carioca02OCiei, que completa 16anos em 2013, não parade colecionar boas no-tícias. No ranking doEnem de 2011, a escola ficou emsegundo lugar na cidade do Rio.Ex-aluno da escola, HenriqueBergallo conquistou o primeirolugar no concorrido vestibular deFísica na UFRJ. E, em abril, nadamenos que 92 alunos receberamdiplomas e certificados de lín-gua estrangeira (inglês, alemão eespanhol).No Ciei, os alunos têm o primeirocontato com a língua inglesa já naEducação Infantil. No 6º ano, come-çam as aulas de Alemão, e o apren-dizado em Espanhol tem início noEnsino Médio.Informe Publicitário– Foi um sucesso o evento ter tan-tos alunos recebendo os diplomas,alguns, inclusive, de nível profissio-nal. Uma vez que esse não é o nossocompromisso número um, é algomagnífico ver tantos alunos evo-luindo em outros idiomas – contou,orgulhoso, Carlos Alves da Silva, oprofessor Carlito, diretor-presiden-te do Ciei.Outro motivo de orgulho para o Cieifoi a aprovação do ex-aluno GabrielTorres no vestibular para a PUC. Nosquase 16 anos do educandário, elefoi o primeiro aluno a entrar na es-cola no Jardim de Infância e concluiro Ensino Médio.Em meio a tantas boas notícias, oCiei se prepara para mais uma gran-de festa. No dia 18 de maio, será co-memorado o Dia das Mães.ENTREGA DE CERTIFICADOS DELÍNGUA ESTRANGEIRA NO CIEIEstrada do Pontal, no2.093 - RecreioTels.: 2490-1673 | 2490-4273www.ciei.g12.br | E-mail: admin@ciei.g12.br
  3. 3. Jornal Tipo Carioca Maio 2013 03EditorialOque está acontecendo emnossa sociedade?Em impressionante re-portagem, a revista Veja,do dia 8 deste mês, sob o título “Os ór-fãos da impunidade”, aborda, de modoimpactante, o outro lado da extremaviolência praticada por menores de 18anos, acobertados por leis capengas eretrógradas que beneficiam mais oscriminosos sem escrúpulos do que aspessoas dignas e honestas que traba-lham e lutam por uma vida melhor.O foco da reportagem é a “geraçãoinvisível de vítimas jovens do crime nopaís”, representada por “milhares decrianças e adolescentes brasileiros queperderam os pais para as balas assas-sinas de criminosos, muitos deles me-nores de idade que destruíram famíliasinteiras e nunca pagaram devidamentepor seus atos”.A revista focaliza, ainda, o paradoxoda existência de centenas de entidadesde direitos humanos dedicadas a mini-mizar a responsabilidade dos facínorase apenas pequena quantidade das quese dedicam a vítimas, numa hedionda einexplicável inversão de valores.É analisada também a crueldade doscriminosos, que roubam, torturam ematam vítimas indefesas não porqueprecisam, mas porque podem, resguar-dados pela legislação penal favorável,com penas brandas, atenuantes dasmais diversas e até impunidade, res-saltando que tal comportamento nãopode ser mais perdoado pela idade oucondições sociais dos criminosos.Mostrando uma verdade aterradora,a revista qualifica de intolerável o fatode que os bandidos de qualquer ida-de, após cometerem seus crimes con-tra inocentes desarmados, sabem quelogo aparecerão seus defensores, pon-do a culpa na sociedade, na má quali-dade da educação ou nas injustiças docapitalismo.Há, ainda, o auxílio reclusão,concedido a cerca de 40 mil presosbrasileiros, que aumentou 550% de2000 a 2012. Para os familiares dasOs textos e artigos assinados nãorefletem necessariamente a opinião dojornal, sendo responsabilidadede seus autores.www.tipocarioca.com.brAdministração:R. Januário José Pinto de Oliveira, 277Condomínio MaramarRecreio dos BandeirantesRio de Janeiro - RJCEP: 22790-864CNPJ: 03.072.362/0001-86Insc. Municipal: 02.577.631Tel.: 2490-0328Cel.: 9124-0185jornal@tipocarioca.com.brpágina 10página 07RamadeBairropágina 04Gourmetpágina 15Socialpágina 14Tourpágina 07Paisagismopágina 13Meio ambientepágina 13Cinemapágina 14vítimas das atrocidades não existenada similar. É preciso ressaltarque não somos contra o benefíciopara os filhos dos detentos, poiseles não têm culpa se o pai (ou mãe)cometeu atos contrários à vida so-cial. O mais correto seria estenderesse auxílio também às vítimas defamílias mais necessitadas, que fi-caram sem o seu principal provedorde bens e alimentos.A sociedade fica ainda mais perple-xa depois de ver juízes soltarem ele-mentos perigosos, baseados em firu-las de leis ultrapassadas, sem usar dobom senso que deveria ser inerente àsua autoridade. Acrescente-se a issoa defesa de certa mídia televisiva, aofazer tremendo estardalhaço quandoa Polícia persegue e mata bandidosem fuga.É o samba do crioulo doido. A so-ciedade está inquieta, estressada.Alguma coisa precisa ser feita. Alô,governantes!Colunistas:Paulo Sergio Valle, Nelson Barboza,Katia Lancelotti, Rosane Castro Neves,Cleci Meneghel, Adriana Mello, DonatoVelloso, Gilvan Nascimento, FábioFreitas, Dr. José Figueiredo Penteado,Paulinho Barros e Alberto PeribanezGonzalez.Diretora: Katia Lancelotti | Reg.26340Reportagem: Gustavo LoioRevisão: Nelson BarbozaDistribuição: Márcio MoraesVeículo associado:InternationalWriters AssociationPremiado com o TroféuAIB de Imprensa2007, 2009 e 2011Cabelospágina 12Opiniãopágina 13Coluna Zenpágina 15Espaço abertopágina 06Cruzadas do Reipágina 06Colaborações:Ramade Martins (Caricaturas), ReinaldoCosta (Enigmas do Rei) e AlessandroRosalino (Tirinhas do Ale).Distribuição Gratuita: Barra da Tijuca,Recreio dos Bandeirantes, VargemGrande e Vargem Pequena.Tiragem: 20.000 exemplaresPublicação: MensalFotolito e Impressão: Lance!Projeto Gráfico e Arte Publicitária:Saúdepágina 12Cultura da vidapágina 07EFICIÊNCIA NOSOCORRO NA AVENIDADAS AMÉRICASNo último sábado de abril, deparei--me com uma situação complicadano trânsito, em plena pista cen-tral da Avenida das Américas, emfrente ao Bosque da Barra. Um dospneus do meu carro furou. Comonão há acostamento naquele tre-cho, só me restou encostar o car-ro na direita, colocar o triângulona pista e efetuar a troca do pneu.Para minha grata surpresa, prati-camente nem cinco minutos apóseu ter parado o carro, chegou umaequipe de socorro que presta ser-viço ao longo de toda extensão doBRT Transoeste. Resumo da histó-ria: eles mesmos, com muita efici-ência e rapidez, trocaram o pneu,além de terem interditado, com co-nes, parte da pista para o serviço. Sótenho a parabenizar a prefeitura poreste serviço tão bom.Enviado por e-mail por Gustavo Corrêa.VIVA A ÁREA DELAZER DO RECREIOPassado o verdadeiro inferno emque se transforma a Praia do Recreionos fins de semana de verão, é mui-to bom ter a área de lazer na orla devolta. Em outras palavras, sai o caos,e entram as famílias, curtindo essaque, certamente, é uma das mais bo-nitas praias da Cidade Maravilhosa.Até a chegada do próximo verão,serão muitos domingos e alguns fe-riados para curtir aquele espaço tãobem-vindo.Enviado por e-mail por Jussara Bertoldo.Rua Januário José Pinto de Oliveira, 277Maramar - Recreio dos BandeirantesCEP: 22790-864 - FAX: 2490-0328e-mail: jornal@tipocarioca.com.brCartas para esta seção:DIREITO DE IR E VIRNo Condomínio Novo Leblon, háplacas indicando que as ruas doentorno são logradouros públicos.Isto significa dizer que o direito deir e vir deveria ser respeitado. Naprática, porém, a história é outra.Com frequência, o trânsito é impe-dido em algumas daquelas ruas,em especial a Rino Levi. Alô, pre-feitura!Enviado por e-mail por Roberta Souza.
  4. 4. 04 Jornal Tipo CariocaMaio 2013Novo túnel noElevado do JoáNada menos que R$ 489milhões serão investidospela prefeitura na cons-trução de um novo viaduto noJoá, ligando São Conrado à Barra.Além de dois túneis, paralelosaos já existentes, o projeto pre-vê, também, a construção de umnovo elevado. Das duas atuais, avia passará a ter quatro pistas.Outra novidade será o alarga-mento da ponte da Joatinga, queterá uma ciclovia.– O objetivo é acabar com o gargalodo trânsito na região, uma das exi-gências do Comitê Organizador Rio2016 – disse o secretário municipalde Obras, Alexandre Pinto.As obras devem começar em agostoe deverão terminar em dois anos.Mobilidade urbanana OAB-BarraEm abril, liderada por LuizIgrejas (presidente daAmar), aconteceu a abertu-ra dos trabalhos da Comissão deTransporte e Mobilidade Urbanada OAB-Barra. Durante o encon-tro, foi citada a importância dacriação de dois mergulhões nobairro: um nas proximidades doBarraShopping e outro na ABM(Associação Bosque Marapendi),ligando a Avenida das Américas àAvenida Afonso Arinos.Encontro sobre as obras do Complexo Lagunar da regiãoORelatório AmbientalSimplificado (RAS) dasobras do Programa deRecuperação Ambiental doComplexo Lagunar de Jacarepaguáfoi apresentado e debatido durantereunião técnica informativa pro-movida pela Secretaria de Estadodo Ambiente (SEA). A iniciativa, naCâmara Comunitária da Barra, reu-niu cerca de 120 pessoas.O documento tem por objetivoavaliar a viabilidade do licencia-mento ambiental das seguintesatividades previstas no projetode recuperação ambiental: dra-gagem de algumas lagoas, comoas da Tijuca, Marapendi e Canalda Joatinga; extensão do molheexistente na barra do Canal daJoatinga; e a criação de uma ilhaparque na Lagoa da Tijuca.O intento da reunião foi rece-ber críticas e sugestões em rela-ção ao Programa de RecuperaçãoAmbiental do Complexo Lagunar deJacarepaguá e ao RAS.– Essa é uma obra do bem, derecuperação ambiental. O valorgasto nela voltará na melhora daqualidade de vida da população,na saúde de todos. Os impac-tos positivos da obra irão supe-rar os negativos. Concordamose cumpriremos 100% do que foiapresentado no RAS. Estamosnessa luta há 20 anos, e, em bre-ve, essa semente começará a serplantada – disse o secretário es-tadual do Ambiente, Carlos Minc,ressaltando que o programa fazparte das obrigações do Cadernode Encargos das Olimpíadas de2016, e que a SEA irá cumprir osrequisitos presentes no relatório.Minc afirmou que as obras deve-rão ser iniciadas em breve.I EncontroEmpresarial AcirTransoesteAUniversidade Castelo Branco,na Av. Salvador Allende, noRecreio, foi palco, em abril,do I Encontro Empresarial AcirTransoeste. No evento, a palestran-te Ângela Marinsk, da empresa RioCoaching, falou sobre ‘Mais lucrativi-dade com menos esforço’.Projeto de leisobre empregadosdomésticosOprojeto de lei 5268/13, queestabelece dedução de 30%no imposto de renda do em-pregador que contratar um traba-lhador doméstico, foi apresentadopelo deputado federal Otavio Leiteao Congresso. O pedido foi feito nomesmo momento em que o Senadoaprovava a Proposta de Emenda àConstituição (PEC) que dá novos di-reitos aos empregados domésticos,igualando-os aos demais trabalha-dores privados.Fresagem e recapeamentona Barra BonitaASubprefeitura da Barra co-meçou a fresagem e recape-amento na Avenida AíltonHenrique da Costa, em Barra Bonita,no Recreio. Ao todo, serão usadas1.500 toneladas de massa asfáltica.A previsão de término dos trabalhosé de três semanas.Vem aí o XII Fórumde SegurançaNo dia 22 de maio acontece,no Recreio Shopping, o XIIFórum de Segurança da re-gião. Lideranças comunitárias e au-toridades participarão do encontro,em que são discutidas as principaisquestões envolvendo o tema segu-rança.Criado o Comitê deSegurança do BarraSustentávelFoi criado, em abril, o Comitêde Segurança do movimen-to Barra Sustentável. O novoórgão reúne representantes daOAB-Barra, 31º CCS (ConselhoComunitário de Segurança),Barralerta, Ouvidoria da Barra eAssape/Conselho de Segurança.– Há muito que as principais asso-ciações e entidades representati-vas da região cobram aumento dosefetivos e viaturas, não só para o31º BPM (Recreio), como tambémpara a Delegacia Legal da Barra e,agora, mais recentemente, para ado Recreio. Da mesma forma, co-bramos a redução nos rodízios dedelegados e comandantes que, aose inteirarem e conhecerem maisdetalhadamente as manchas cri-minais da região, são, constante-mente, substituídos, a nosso verpor problemas exclusivamente po-líticos – disse Paulo Bittencourt, daOuvidoria da Barra.Campanha emcomemoraçãoaos 24 anos doChico MendesOParque Chico Mendes, queestá completando 24 anos,lançou a campanha ‘BichoFama, uma calçada da fama ani-mal’. Trata-se de uma homenagemda Secretaria Municipal de MeioAmbiente às estrelas do local: bi-chos nativos de restinga e outrosque são resgatados pela PatrulhaAmbiental. A calçada já conta comas “patinhas” do pinguim, capivara,jacaré, coruja, sabiá, fragata, pica--pau, gambá e lagarto, entre outros.Todo o material usado foi doado pe-los moradores da região e amigosdo PNM Chico Mendes.Nova sinalização doBosque da BarraCriada pelo designer MarceloMohr, a nova sinalização doBosque da Barra (que haviasido abandonada por anos) foi inau-gurada recentemente. O novo proje-to foi inspirado na borboleta e contacom totem e grandes placas, facili-tando a visualização.
  5. 5. 05Maio 2013Jornal Tipo Carioca
  6. 6. 06 Jornal Tipo CariocaMaio 2013Reinaldoenigmadorei@gmail.com | (19) 3257-1381RESPOSTA:DESENHANDO OHINO NACIONALNa sala de aula, falando sobreo Hino Nacional, a professorapediu à Mariazinha quedesenhasse no quadro algumacoisa sobre o assunto.Ela foi e desenhou uma cama.– O que significa isso? –perguntou a professora.– Deitado em berço esplêndido– explicou Mariazinha.– Muito bem! Joãozinho,agora é a sua vez!O garoto não deixou por menos.Foi lá e desenhou um jumento comum pênis enorme. A professora,indignada, perguntou:– Que safadeza é essa menino?E o Joãozinho:– Não é safadeza não, fessora! Égigante pela própria natureza!CRAQUES NO AVIÃOOs melhores jogadores sul-americanos de todos os temposestavam em um avião, indo parao Maracanã, no Rio de Janeiro,onde haveria o jogo do século. Aliestavam todas as estrelas latinasdo futebol. De repente, ocorre umapane que leva todos os atletas aodesespero. A aeromoça avisa queo avião está perdendo altura, porexcesso de peso, e é necessárioque se livrem dos equipamentos ebagagens. Lá se vão os uniformes,bolas, chuteiras, malas e tudo o queos jogadores levavam. Instantesmais tarde, a aeromoça voltachorando e diz que, com muitalástima, vidas humanas terão queser sacrificadas, para que o aviãonão caia. Então, os jogadores, semescolha, fazem fila para pular.O primeiro é Solano:– Por amor ao Peru! – e pula.Depois vai Salas:– Por amor ao Chile! – e pula.Aí vai Chilavert:– Por amor ao Paraguai – e pula.Chega a vez do Pelé:– Por amor ao Brasil! – eempurra o Maradona.APREENSÃODeus mandou todos os apóstolosdescerem à Terra e pegar todaa droga. Aí sobe o primeiro:– Quem é?– É o Pedro.– O que você trouxe?– A maconha do Brasil.Depois, o segundo...– Quem é?– É Lucas.– O que você trouxe?– A cocaína da Bolívia.Em seguida, o terceiro...– Quem é?– É Judas.– O que você trouxe?– A polícia, mermão!!!A casa caiu!!!FRASES DITASPOR JOGADORESDE FUTEBOL“A bola ia indo, indo, indo ...e ui!”(Paulo Nunes, comentandoum gol que marcou quandojogava no Palmeiras)“Tenho o maior orgulho de jogarRua Januário José Pinto de Oliveira, 277Maramar - Recreio dos BandeirantesCEP: 22790-864 - FAX: 2490-0328e-mail: jornal@tipocarioca.com.brCartas para esta seção:na terra onde Cristo nasceu”(Claudiomiro, ex-meia doInter de Porto Alegre, aochegar a Belém do Pará)“Nem que eu tivesse dois pulmõeseu alcançava essa bola”(Bradock, amigo de Romário,reclamando de um passe longo)“No México que é bom. Lá, agente recebe semanalmentede 15 em 15 dias”.(Ferreira, ex-pontaesquerda do Santos)“Quando o jogo está a mil,minha naftalina sobe”(Jardel, ex-atacante do Vasco,Grêmio e da Seleção, hojeno Porto de Portugal)“Clássico é clássico e vice-versa”(Jardel)“O meu clube estava à beira doprecipício, mas tomou a decisãocorreta: deu um passo à frente”(João Pinto, jogador doBenfica de Portugal)“A moto eu vou vender e o rádioeu vou dar para minha avó”(Biro Biro, ex-jogador doCorinthians, ao responder a umrepórter o que iria fazer com o“Motorádio” que ganhou comomelhor jogador da partida)“Eu disconcordo como que você disse”(Vladimir, ex-meia do Corinthians,em uma entrevista à Rádio Record)“Na Bahia é todo mundomuito simpático. É umvar.imagens@hotmail.commagodaslentes@gmail.comTelefones:(021) 2459-0117 / 3406-1804Celulares:(021) 9395-2000 / 7614-7188Vicente Rodriguesfotógrafovar.imagens1. Agitado 7. Fatia de pão frita2. Imaginações 8. Conexão entre computador e periférico3. Pequeno viaduto em estradas 9. Modo de pensar4. Governos de poucas pessoas 10. Confortado5. Indivíduos com bastante cabelo 11. A maior representante da classe dasaves6. AceitaçãoCorresponda os números com as letras e decifre o “Enigma do Rei”povo muito Hospitalar”(Zanata, baiano, ex-lateral doFluminense, ao comentar sobre ahospitalidade do povo baiano)“Jogador tem que ser completocomo o pato, que é um bichoaquático e gramático”(Vicente Matheus, eternopresidente do Corinthians)“O difícil, como vocêssabem, não é fácil”(Vicente Matheus)“Haja o que hajar, o Corinthiansvai ser campeão”(Vicente Matheus)FÁBRICA DE APANHARLADRÕESNos Estados Unidos fabricaramuma máquina de pegar ladrões.Testada em Nova York, em cincominutos pegou 1500 ladrões.Levaram-na para a China e, em trêsminutos, apanhou 2500 ladrões.Na África do Sul, em doisminutos, pegou 6 mil ladrões.Trouxeram-na para o Brasile, num minuto, roubaram aporcaria da máquina.
  7. 7. Jornal Tipo Carioca Maio 2013 07UTOPIACambaleante andas, amigo.Já não olhas, altivo, a praça;Diante do Sol paraste.Para quê?Seus belos tornozelosPulsam na terra desocupada;Não há mais nervos.Diante do Sol ouviste.Para quê?Seu tempo se desfezseu momento envernizou, secouno sopé de outra marca.Terra na unha, do dedo uma raiz.Acompanha o fel da aurora.Com tímidos grãos de pólen.Diante do Sol escapaste.Para onde?Não tens aonde ir.Dormindo não notasteQue tua terra é de ninguém.Que esta soa nos vidros,Contorna o natural,como são desesperadosos cantos noturnos,como pesam estes momentos.Terra de ninguém.Soa terra!David BernardMÃOS FROUXASRugas se desfazemNum pranto perdidoPeço nesse canto, paraos que pedem,Não posso ficar sem ele.Morrer seria olhar uma só vez,E perdê-lo.Encantado e contido.Rua Januário José Pinto de Oliveira, 277Maramar - Recreio dos BandeirantesCEP: 22790-864 - FAX: 2490-0328e-mail: jornal@tipocarioca.com.brCartas para esta seção:Fugas, ventaniasOnde estais?Perdoe esse meu fraco, pois só corri.Olhando a queda, caí só.Mas dentre tanta sujeira,te achei nós dois.Te pus quieto entre essacarne dobrada,Essa seca solidão, e as mãos frouxas.Já não posso correr para sempre.Alguma hora tenho queolhar pra trás.Te ver quieto no meu coloMe põe aquebrantado.Perder-te jamais.Para sempre ao seu lado.Quieto com ti, sozinho.Sozinho.David BernardMELANCOLIA E ALEGRIAEstou com crises demelancolia e alegria.Olho esperançoso a menina, cabelosao vento, que passa na praiaE lembro, chorando, teu riso,tua alegria, teu cantar.Eu olho o doce balançar damenina que passa em Copa.Relembro, chorando, as mentirassuaves que você me pregou.Eu sinto a mão doce da loira ame dizer palavras de amor.Eu sinto o beijo faminto deum amor que não tenhoE relembro chorando teubeijo, tua língua.O corpo lindo que acorda juntoao meu não me é conhecido.A beleza estranha meenjoa, enquanto o desejocresce no meu ventre.Choro teu amor perdido e faço amorcom uma estranha que me ama.Luiz BicalhoALMAA minha alma é alegre e azul,A minha alma vive rindo,Mas guarda num cantinho escuroO fogo frio do inferno.A minha alma acariciaE sorri ao vento suave da noite,Mas guarda atrás de uma pedra friaO fogo negro do inferno.A minha alma é beijoqueiraE te abraça com muito carinho,Mas guarda num recanto pequeninoO fogo estridente do inferno.A minha alma gosta de carinhoE responde a cada risocom mais risoE a cada beijo com mil beijos,Mas guarda num armárioempoeiradoO fogo ardente do inferno.Não bata em minha alma,Não machuque a minha alma,Pois você pode abrir, sem querer,As portas leves do inferno.Luiz BicalhoMédicoAlberto P. Gonzalezwww.doutoralberto.com“Cultura da Vida”... A par-tir desta data, e algo queconsidero solene, a colu-na “Ecologia Humana” vai para osarquivos de colecionadores, ou parameus próximos livros. Talvez o leitornão saiba, mas muitas das crônicasque aqui publico passam a fazer par-te, posteriormente, de minhas publi-cações, artigos ou livros. O capítulo“Hipócrates no Rio de Janeiro”, porexemplo, foi publicado inicialmenteaqui e hoje consta no livro “Lugar deMédico é na Cozinha”. “O Médico e oVerdureiro” vai para o capítulo ini-cial do meu livro “O Cirurgião Verde”,ainda em fase de escrita. E os capí-tulos de “Contos para Sofia” – meufuturo livro infantil – foram publica-dos, em sua íntegra, neste honrosojornal. Assim que muitos textos saí-ram “na pressão” da Katia, do Nelsonou do Gustavo. Esta “pressão” acabagerando textos que surpreendem amim. Muitos que considero bons ouótimos saíram, assim dizendo, deúltima hora. Ou seja, o exercício deescrever para este jornal acaba sen-do o fermento para minha atividadeliterária, prensada entre meu dia adia cheio de palestras, aulas, cursose consultas.Mas acho que agora chegou a horade mudar. Não uma mudança súbita,ela é fruto de reflexões, de amadu-recimentos graduais e de conviver eouvir alguns daqueles que eu apenasconsiderava mitos: Amit Goswami,John Veltheim, Wallace Lima,Trigueirinho e Gabriel Cousens, porexemplo, hoje fazem parte de mi-nha lista de conhecidos ou amigos.Minha prateleira de livros cresceu,e hoje tenho nela brochuras valio-síssimas, como “Alimentos de Paz”(Peace Food), de Ruediger Dahlke,ou “A Alma das Árvores”(Die Geistder Baume) e “Supere a Gravidade”(Defy Gravity), junto aos clássi-cos “Walden”, de Henry Thoreau,“Ponto de Mutação”, de FritjofCapra, o “Glossário Esotérico”, deTrigueirinho, ou o inesgotável po-ema de vida “Evangelho Essênio daPaz”, de Edmond Bordeaux Székely.Esses caras são portadores de infor-mações que elevam o grau de evolu-ção humana. Ninguém nasce feito. Éexatamente através dos encontrospessoais, literários ou virtuais comeles que a espécie humana percebeaprendizados verbais e não verbaise evolui inexoravelmente para oexercício de seu papel na superfíciedo planeta. Somos assim desde queéramos “primatas catadores que an-dam em bando”, nossa mais perfeitadefinição genealógica.A informação que uma Cultura daVida está florescendo, e poderá in-fluenciar toda esta primeira metadedo século XXI, impulsiona-me naascese pessoal e na intenção de con-tinuar trabalhando, servindo, atuan-do e, principalmente, de aceitar quemeu próprio corpo e minha própriamente não estão destinados à ine-vitável degeneração. E que tambémdisponho de um equipamento sutile altamente sofisticado em estadolatente: minha alma, esta santa ex-pressão, que ainda é criança e sorrifeliz ao saber que me dedicarei aoseu crescimento nos próximos cen-to e vinte anos. Assim passa estacoluna a ser denominada doravante“Cultura da Vida” para que preservee honre todos os temas relacionadosà vida, à alegria de viver, às manifes-tações culturais que enalteçam osseres humanos vivos e todos os se-res que nos acompanham na Terra.É mais uma chance de me exercitare escrever, apoiado pelas coisas danatureza, no livro da vida, que nosinspira a cada dia que o sol despontano horizonte, a cada gota de chuvaque beija a terra e a cada criança quenasce e sorri para a vida. Não tenhodúvidas que a força desta coluna pu-xará minha pena e logo você, leitor,poderá deleitar-se com estas linhas,cheias de estradas, florestas e nas-centes. AHOU.CULTURA DA VIDAOque você diria de umpaís em que as deci-sões da Justiça não sãocumpridas?O que você acha de um país cujoCongresso tem a ousadia dequerer mudar a Constituição aoseu alvedrio, só para protegerdelinquentes?O que você acha de um país emque um insignificante parlamentarpõe-se a ofender um ministro daSuprema Corte?O que você acha de um país cujaCâmara de Deputados dá posse aum cidadão acusado e condenadopelo Supremo Tribunal Federal?O que você acha de um país em quegrande parte de seus habitantesconfessa seu desprezo às leis?O que você acha de um país que,em uma de suas principais cidades,um prefeito decreta ponto faculta-tivo em hospitais públicos, deixan-do desprotegida a parte mais ne-cessitada de sua sociedade?E o que dizer de um país cuja le-gislação penal prevê condenaçõesde até trinta anos para crimes do-losos, mas adota um sistema deprogressão das penas que permi-te ao condenado voltar às ruas emseis anos?E o que pensar de deputadose senadores que se valem deO QUE VOCÊ DIRIA?cargos eletivos para gozar daimpunidade?E de representantes do povo quelegislam de costas para esse mes-mo povo, sem ouvir seus clamores?E de juízes que vendem sentençase, quando punidos e afastados desuas funções, recebem uma apo-sentadoria privilegiada?Acho que não preciso dizer o nomedesse país.Eu, meu caro leitor, sou homemviajado e atento à cultura de ou-tros povos, e confesso nunca tervisto coisa igual em lugar nenhum.Ao menos por onde andei.E o pior é que, lendo os ensaios,estudos e artigos de Euclides daCunha, constato que os proble-mas de hoje são os mesmos deantigamente.Parece que o Brasil não conseguese livrar de sua danação, que é acorrupção, seja o governo de direi-ta, de centro ou de esquerda.Enquanto houver essa corrupçãosistêmica, não adianta sermos aoitava, sétima ou sexta economiado mundo, porque nada vai mudarpara o povo.O resto é puro marketing.Por isso eu lhe pergunto, caro lei-tor, o que você diria disso tudo?Diga alguma coisa, nem que sejauma palavrinha ou um palavrão!Av. Lúcio Costa, 16.580 - Tel.: 2490-1684 / 9987-6022Serviços gráficos e web.Tel.: 6973-2229
  8. 8. 09Maio 2013Jornal Tipo Carioca
  9. 9. 10 Jornal Tipo CariocaMaio 2013Acaba de ser inaugurado oCentro Cultural da Suzy, noRecreio, que promove, umavez por mês, aos domingos,arte, cultura e lazer. Na ocasião, foi lan-çada a agenda de 2013 da AMU Brasil etive a honra de ser uma das homenage-adas. Para alegrar as pessoas presentes,houve apresentação do músico MarcosSilverado. O espaço fica na Rua Guiomarde Novaes 117, no Terreirão. Telefone:3418-4682. Foto 01: a organizadoraItamarcia Marçal, com as colaboradorasdo evento; Foto 02: as homenageadas.Como não poderia deixar de ser, ainauguração da primeira loja da Pradano Rio, no VillageMall, na Barra, foidas mais badaladas. Um desfile desocialites e artistas, que ficaram en-cantadas com as bolsas chiquérrimas.Um coquetel para convidados marcoua abertura do espaço, que tem 540metros quadrados de muito glamour.Foto 03: a promotora de eventosNina Kauffmann e as convidadas pralá de especiais.O São Nunca, na Barra, foi palco doConcurso Garota Sarada do Clubeda Moda. O evento começou com oshow do DJ Português, que tocou omelhor do flashback e electro house.Foto 04: o DJ Português, entre bel-dades, durante a festa. Crédito: RobsonGomes.A ONG Amigas do Bem promoveu, noClube Marapendi, na Barra, um encon-tro em prol da fundação Laço Rosa.O objetivo foi arrecadar fundos paracompras de perucas para a fundação.Foto 05: as organizadoras.A entrega do troféu Barra Legal a perso-nalidades que se destacaram em diversasáreas, foi um dos pontos altos da festa emcomemoração dos três anos de vida darevista. Entre os homenageados, estavama delegada Adriana Belém, o secretáriomunicipal Pedro Paulo e a modelo e atrizSolange Gomes. Foto 06: o casal Neri eClaudia Paula, proprietários da revista;Foto 07: Luiz Edmundo, da Qpraia, avereadora Laura Carneiro e o subprefei-to Tiago Mohamed; Foto 08: a canto-ra Micheline Cardoso e o diretor MarcoMoreira; Foto 09: os casais Adriana eMarcelo Mello e Camilla e Márcio Dias,prestigiando a solenidade.Aconteceu, no Baby Beef da Barra,um café da manhã promovido pelaAcibarra (Associação Comercial eIndustrial da Barra). Autoridades e li-deranças comunitárias da região par-ticiparam do encontro. Foram aborda-dos temas como o aumento de câmeraspelo bairro, o aumento do efetivo daPM, na Barra e no Recreio e a criaçãoda Câmara Condominial da Barra.Foto 10: Donato Velloso, da LagoaViva; o coronel bombeiro Gilson Oteiro,do Salvamar; Ney Suassuna, presi-dente da Acibarra; e o bombeiro JoséAlbucacys. Foto 11: Tiago Mohamed,subprefeito da Barra, e Ney Suassuna,durante o discurso.Moradora da ABM (Associação BosqueMarapendi), na Barra, a nadadora AnnaBeatriz Celidonio Pereira, de 16 anos,sagrou-se campeã da VII TravessiaCinat, que foi realizada em Barra deGuaratiba. Foto 12: Anna Beatriz, nomomento da premiação.Dois ícones da Barra, os empresáriosCarlos Fernando de Carvalho, presi-dente da Carvalho Hosken, e MauroMagalhães, do Grupo Mauro MagalhãesPlanejamento e Incorporações, pres-tigiaram a posse da Diretoria daAdemi (Associação de Dirigentes deEmpresas do Mercado Imobiliário),eleita para o triênio 2013/2015.Foto 13: Mauro Magalhães e CarlosFernando de Carvalho, em momento dedescontração.Presidente da Comissão de Políticassobre Drogas da OAB/Barra da Tijucae OAB/RJ, o advogado WanderleyRebello Filho promoveu um encon-tro na sede da OAB/Barra. Em de-bate, os Jogos Olímpicos de 2016.Diretor de Relações Institucionais doComitê Organizador Rio 2016, dosJogos Olímpicos, Agemar Santos fezuma excelente explanação, minucio-samente detalhada, acerca da organi-zação da competição que será reali-zada em 2016, abordando itens comotrânsito, meio ambiente, segurança,instalações e obras. Foto 14: os ad-vogados Wanderley Rebello, RenataMansur, Agemar Sanctos, Ricardocom Katia Lancelotti01020314151620191817
  10. 10. Jornal Tipo Carioca Maio 2013 11111213040607080910Menezes e Christianne Bernardo.Crédito: Denise Machado.Fica em cartaz, até o fim de junho, noTeatro dos Grandes Atores, na Barra, acomédia ‘Personalidades’, estrelada porFilipe Pontes. No monólogo, diversascelebridades são imitadas em contextosjamais vistos. Às sextas e sábados, às23h. Foto 15: o ator Filipe Pontes.Muitas felicidades, paz, saúde e suces-so aos aniversariantes do mês: MarleneMorbeck, Edna Borges, Angela Bemock,Rosângela Lima, Júlio Lopes, ZulmiraBrandão, Alberto Peribanez Gonzalez,Deise Pereira, Carol Salles, Márcia SouzaReis, Jorge Lancelotti, Sérgio Versari,Ana Ribeiro, Patrick Clark, DeniseMachado, Andréa Castrinho, GrupoVargedo, Liliam Sá, Victoria Versari,DJ Português, Cleci Meneghel, NizoNeto, Tiago Mohamed, Laura Carneiroe Joyce Pimentel. Foto 16: os ani-versariantes Denise Machado e TiagoMohamed, com o amigo Pedro Paulo;Foto 17: nossa colunista e ani-versariante Cleci Meneghel;Foto 18: Marlene Morbeck, entre ami-gos; Foto 19: a aniversariante ZulmiraBrandão; Foto 20: Edna Borges come-morando com a família.Com a presença do arcebispo do Rio,Dom Orani Tempesta, e do cônsul daItália no Rio, Mario Panaro, aconteceu,no primeiro fim de semana de maio, atradicional Festa do Padroeiro, na IgrejaSão Francisco de Paula, na Barra. O coralda Igreja de Nossa Senhora do Loretoe as bandas Em Nome do Pai, que estácomemorando 10 anos, e Sambaorandoforam três das atrações do evento.O Recreio foi palco da CaminhadaEcológica Ciclo Local, realizada pelaAssociação de Gestores AmbientaisCiclo Local. O evento contou com ex-posição de artesanatos com fibras na-turais locais e recicláveis, faixas cominformações ambientais sobre espéciesem extinção e soluções ambientais. Paraquem quiser saber mais sobre o CicloLocal, é só visitar o site: http://www.ciclolocal.eco.br/O Instituto Terrazul, o Clube deEmpregados da Petrobras/Cepe-Rio eo Programa Petrobras Ambiental pro-moveram, em abril, o lançamento doProjeto Proteção Ambiental Lagunar.Sucesso na Barra, o serviço de entregas(delivery) do Pão de Açúcar acaba dechegar ao Recreio. Com essa novidade, aempresa espera o crescimento de 15%nas vendas da região.Bem legal essa iniciativa. Criado em2010, o ‘Vizinhos de Útero’ (www.vizi-nhosdeutero.com.br) é o primeiro sitetotalmente dedicado a irmãos gêmeos.Os objetivos são reunir todos os tiposde histórias de gêmeos e ser a pontepara que irmãos gêmeos desaparecidospossam se reencontrar.A deputada estadual Aspásia Camargofoi a convidada especial da palestra‘Saneamento Básico na Região da Barra’,promovida pela Amar (Associação dosMoradores e Amigos do Tijucamar eJardim Oceânico). O encontro aconte-ceu na sede da entidade, na Av. ÉricoVeríssimo 952.Produzida pelos chefs Allan Sales,Carmen Zuany e Patrícia Metre, em par-ceria com o empresário Eziel Petre, afeira gastronômica Chef Mix Gourmetaconteceu no Clube Mandala, na Barra.Anote na agenda: até o dia 12 de junhofica em cartaz, no Rio Design Barra, oCircuito de Moda, Arte e Cultura RioDesign Experience. O coquetel de abertu-ra contou com desfile da marca H. Stern.Outro acontecimento imperdível é atradicional Feira de Saúde do LionsRecreio, que realiza sua 26ª edição nopróximo dia 26. Mais uma vez, será pro-movida no Ciep Margaret Mee, na RuaAliomar Baleeiro, sem número. Das 8hàs 14h, instituições e voluntários esta-rão realizando serviços como consultasmédicas, exames, orientações para do-cumentos, corte de cabelo, brincadeirase bazar. Mais informações no telefoneda Amor (Associação de Moradores doRecreio): 2437-8446.05
  11. 11. Maio 2013 Jornal Tipo Carioca12Talvez seja um dos capítulosmais controvertidos da nossaalimentação, porque esbarrasempre no que é mito, realida-de, aceitação, educação alimentar e nãoaceitação de que as queixas de má di-gestão ou excesso de gases possam ser,e quase sempre o são, por distúrbiosnas contrações intestinais, a famosa efrequente SÍNDROME DO INTESTINOIRRITÁVEL, em que o individuo usa ointestino como órgão de choque dosseus conflitos emocionais e vivenciais.Começa-se, então, a procurar um vilãoou um culpado, já que se tornou vozcorrente que os desequilíbrios da nos-sa vida afetiva, profissional e familiarsão sinônimos de doença psiquiátricae, para então rejeitar esse “diagnósti-co”, inicia-se, por conta própria ou poralguém especializado em alguma coisa,uma série de restrições alimentares, fa-zendo dieta vegetariana, culpando a in-tolerância à lactose do leite, aos alimen-tos com glúten, abolindo certos gruposalimentares, ou, o que é mais absurdoainda, diante de nossos conhecimentose tecnologia, tratar de todos os indiví-duos com esses sintomas com medica-ção para vermes, seja periodicamenteou anualmente, levando a melhorasmomentâneas, para, logo em seguida,ter de volta todo o cortejo sintomático.Temos sempre que lembrar que existemótimos recursos confiáveis para descar-tar vermes, intolerância à lactose e aoglúten, e para eliminar, como fator cau-sal das queixas, alguma doença orgâ-nica, já que sabemos que os distúrbiosfuncionais, de uma maneira geral e es-pecialmente os digestivos, são diagnos-ticados após a eliminação de qualquercausa orgânica. Temos que respeitar asINTOLERÂNCIA ALIMENTARdificuldades genéticas da digestão paradeterminados grupos alimentares. Issovaria de pessoa para pessoa, e cada umde nós já sabe quais são esses alimentos,porque associa o passar mal com a inges-tão de determinada comida, causandomal-estar durante muitas horas.Dentre esses, os mais frequentes são:ALHO-CEBOLA-PIMENTÃO-AZEITONA-PEPINO-MAXIXE-JILÓ-PIMENTA-MOLHOS.As manifestações para as quais se procu-ra uma solução ou explicação resumem--se a: dispepsia (má digestão, com sensa-ção de que “comeu um boi”), eructações,excesso de gases, náuseas, alterações nofuncionamento intestinal (especialmenteum tipo de cólon irritável, que cursa comaceleração do trânsito, eliminando fezespouco ou nada formadas, fragmentadas).Os estudos mais recentes estão mostran-do o papel importante que o intestinodelgado exerce, a PERMEABILIDADEINTESTINAL, capaz de retirar o excessode gases enviando-o para o pulmão (eainda absorver dois neurotransmissoressecretados aí, que são da maior impor-tância: a SEROTONINA E A DOPAMINA).Esta permeabilidade fica alterada pelosurgimento de contrações anômalas aesse nível, gerando todo o desconforto ealterando sobremodo o funcionamentoda absorção e da eliminação – é a síndro-me diarreica, tão frequente e tão incomo-dativa e limitante, por gerar uma totalinsegurança.Logo, frente aos distúrbios digestivosbastante incomodativos e antes de come-çar a agir por conta própria, procure umgastroenterologista, que ele certamentesaberá como caracterizar, afastar, definir,orientar e corrigir os seus sintomas.Éuma pergunta que nãoquer calar entre as mi-nhas clientes. Eu, particu-larmente, não acho muitopráticos cabelos cacheados. Elessó duram um dia; lavamos e arru-mamos, ficam ótimos, só que, nodia seguinte... tudo outra vez.Mas, já que acabou a ditadura doslisos (demais), prefiro os com movi-mento, cortes em camadas, franjas,longos com corte e forma.Valorizar a cor e dar forma ao cabelo.Estas são as dicas na hora de trataros fios crespos. Por serem finos emuitas vezes ressecados, precisamde atenção especial e ainda exigemtratamentos que revertam o proces-so natural de ressecamento causadopela umidade, sol e, claro, os famosose quase unânimes relaxamentos, es-covas progressivas, definitivas etc.A mulher que tem os cabelos cresposcostuma fazer relaxamento para darforma aos fios e conseguir domá-lomelhor no dia a dia. Este processoleva muita química e acaba tirando obrilho e a hidratação.Outra dica é manter o corte sempreem dia, para evitar que as pontasressecadas ganhem muito volume.Produtos de finalização também sãobem-vindos, para dar vida aos fios eespantar o aspecto do ressecamento.Depois de fazer o relaxamento, oscabelos já podem receber um tona-lizante sem amônia, para devolverbrilho e cor aos fios.Fazendo isso já melhora muito suarelaçao com os cabelos, até por-que ainda tem muita praia, piscina,ballayagens, reflexos, tinturas e tudoo mais Se não tratar, não só os cres-pos, mas qualquer cabelo se acaba.Boa sorte!Tel: 2487-37782487-3909CABELOS CRESPOS ECACHEADOS ESTÃO NA MODA?
  12. 12. Jornal Tipo Carioca Maio 2013 13OInstituto Cultural eEcológico Lagoa Viva,Acibarra, AIB e diver-sos parceiros, convidame contam com o engajamento dossegmentos da comunidade localpara plena realização e aprimora-mento das atividades da XIII Ediçãoda Semana do Meio Ambiente 2013.Preâmbulo: fazem-se cada vezmais urgentes e frequentes iniciati-vas coletivas voltadas para o cuida-do das belezas naturais no territó-rio da Barra da Tijuca/Jacarepaguá.A natureza conservada, além deprestar inúmeros serviços ecossis-têmicos, garante as diversas formasde vida com qualidade. Para tanto,são necessárias centenas de reali-zações como essas, no objetivo depermitir que pessoas participem,além de sensibilizar, agregar milha-res de atores e semear práticas naluta contra a degradação ambientale a poluição. É o passaporte para asustentabilidade local.Justificativa das ações: com oengajamento e contribuição va-liosa de inúmeros parceiros,consolidamo¬-nos num papel fun-damental, já reconhecido comoreferencial legítimo na busca de al-ternativas sociais, ambientais e tec-nológicas, forjado por meio da con-cretização de mais de 200 ações eprojetos relevantes e estratégicos,ao difundir conhecimentos volta-dos para a sustentabilidade local,com alguns indicadores, diagnós-ticos, metas e resultados, ao longodos últimos 12 anos. As ações, alémde integrar atividades de educaçãoambiental, chamam a atenção dapopulação para a importância daconservação dos recursos naturaislocais. É responsabilidade comumde todos segmentos da comuni-dade compreender e realizar mu-danças de atitudes/hábitos quenos conduzam a uma relação maisrespeitosa com a natureza. É deverde todos denunciar os erros e ví-cios dos sistemas vigentes, cobrarpolíticas públicas preventivas e deadaptação, no enfrentamento dasinevitáveis mudanças climáticas.É absolutamente possível um fu-turo melhor, mas depende de nós,aqui e agora; temos de nos manterunidos – governo, empresariado,XIII EDIÇÃO DA SEMANA DOMEIO AMBIENTE 2013donato@pactoderesgateambiental.orgTel.: (21) 8728-0430Ambientalista; graduado em Comunicação Social; Presidente do Lagoa Viva, diretor da AIB eAcibarra, Consultor de Ecodesenvolvimento da Acibarra e Coordenador do Movimento Evolutivo Pacto de Resgate Ambiental.PACTO DE RESGATE AMBIENTAL - Buscando um território sustentávelmídia e comunidade –, em par-ceria e solidariedade, para cons-truir o melhor território de con-vivência possível. O LAGOA VIVA,fundou e coordena, desde 2000,o Movimento Evolutivo Pacto deResgate Ambiental, que luta pelarevitalização e conservação per-manente da bacia hidrográfica daBarra da Tijuca/Jacarepaguá.Atividades programadas entre osdias 5 e 12 de junho:1 – Grande barqueata na Lagoada Tijuca/Canal do Joá (dezenasde embarcações, com os participan-tes no Twitter e Facebook, imagensem tempo real). Objetivo: chamar aatenção da população para um me-lhor cuidado das questões ambien-tais locais e solicitar às autoridadesque disponibilizem os recursos ne-cessários para avançarmos no pro-cesso de revitalização dos corposhídricos da bacia hidrográfica deJacarepaguá/Barra da Tijuca;2 – Três ciclos de palestras (qua-tro palestrantes em cada uma),abordando temas ambientais deinteresse local. Locais: MarinaBarra Clube, Assape (Associação deAmigos da Península) e salão socialda Igreja São Francisco de Paula;3 – Passeio de barco com estudan-tes, no complexo lagunar, monitora-do por biólogos, para observaçãoda fauna/flora e ecossistema demanguezal;4 – Visitação de escolas à Estaçãode Tratamento de Esgoto (ETE) daCedae, na Av. Ayrton Senna;5 – Revitalização do ProjetoZeróleo, coleta residual de óleo defritura, na Assape e Ilha da Gigoia;6 – Palestras na Estácio deSá e Faculdades Integradas deJacarepaguá (FIJ).Palestrantes convidados e ativida-des em fase de adequação da progra-mação/agendas/datas e horários. Aprogramação definitiva franqueadaestará disponível a partir do dia 20de maio nos sites www.pactoderes-gateambiental.org, www.acibarra.org.br/ e www.aib.org.brVocê que já passeou peloCampo de Santana oupelo Aterro do Flamengo?Já se perguntou comotudo aquilo foi criado? Conhece osautores desses dois projetos feno-menais de paisagismo urbano? Jáimaginou quantas questões estãoenvolvidas na criação e concepçãode parques no meio do caos urba-no? E ainda tendo que pensar numfuturo com crescimento aceleradoda população? Não?Pois dois gênios do paisagismopensaram. E criaram dois espaçosinigualáveis na paisagem carioca.Estamos falando de Auguste Glazioue Roberto Burle Marx, criadores doCampo de Santana e do Aterro doFlamengo, respectivamente. Falardesses dois importantes nomes parao paisagismo carioca e mundial é as-sunto para mais duas colunas, umapara cada um. Por isso vou iniciaressa trilogia deixando bem referen-ciados e reverenciados esses dois gê-nios, para falar dos fatores inerentesà criação de um projeto tão grandio-so como os citados. Vamos a eles?Poderia começar separando essesfatores em sociais e naturais. Os so-ciais por se referirem à idade popu-lacional, ao poder aquisitivo dessapopulação e à situação cultural. Ouseja, é preciso identificar os anseiosdos frequentadores do jardim. “Paraquem” e “porquê” devem ser sempreempregados, antes de se começarum projeto de paisagismo. No casode um projeto público, a idade popu-lacional – jovens, crianças e idosos–, os diferentes graus de cultura e osvários anseios (que são conflitantes)devem ser contemplados ao mesmotempo, sem que um desses fatoresse sobreponha ao outro. Resumindo,é preciso harmonia e equilíbrio emcada detalhe e acesso, caminho, es-colha de planta, textura, área desombra, brinquedos, bancos, tudo.No que tange aos fatores naturais,mais uma série de considerações,em função do clima do local, do rele-vo, do solo, da água, dos monumen-tos naturais e da vegetação nativa.Mais uma vez, tudo interagindo deforma concomitante e indissociável.Por exemplo, o relevo. O traçado, aslinhas do projeto estão intimamenteligadas a ele. Um fator natural quepode ser limitante é o solo. As plan-tas irão depender, e muito, dele. Porvários motivos, desde a sua fertilida-de natural até mesmo suas caracte-rísticas físicas, como boa drenageme classe textural.Fábio Cardoso de FreitasEngenheiro Agrônomofcarfreitas@yahoo.comPROJETOS DE PAISAGISMOO clima influenciará diretamentena disposição das espécies vegetais.Luz plena e sombra são bons exem-plos para situarem essa condição.Isso para não falar de temperatura,regime hídrico etc.A vegetação no entorno dita a con-dição de equilíbrio ecológico, e osmonumentos naturais, tais como ro-chas, cavernas, grutas revelam a im-portância do lado histórico. Restoua água que deve ser sempre preser-vada e bem aproveitada em projetosdessa magnitude. Além disso, a águaem um projeto de paisagismo poderemeter o observador à ideia de mo-vimento ou placidez, dependendo dasua utilização.Percebeu que não falei de plantas?Pois é, as grandes estrelas parecemficar em segundo plano, quandoenunciamos tantos fatores intera-gindo de forma conjunta.Entretanto, quem conhece os doisparques citados sabe que elas fazemtoda a diferença. E são justamenteessas escolhas, pautadas em todas asoutras questões colocadas, que nosfazem, cada vez mais, admirarmosesses dois mestres do paisagismomundial. Continuaremos com elesno próximo texto. Até lá.No mês de março, acon-teceram coisas marcan-tes. No setor religioso,emocionou o mundo aescolha de um papa sul-america-no, jesuíta, com ideias de simpli-cidade e trazendo a humildadeensinada por Jesus Cristo, quandoesteve na Terra.No Rio Grande do Sul, existe umnúcleo de cidades denominado “Ossete povos das Missões”, desenvol-vido junto aos índios guaranis, pe-los padres jesuítas, no século XVII.Foram combatidos e dizimadospelos brancos espanhóis e por-tugueses, que temiam perder asupremacia das terras guaranis,conquistada a ferro e fogo. Índiose jesuítas pereceram nas lutas tra-vadas para manutenção do queseria uma civilização igualitária dedireitos e deveres sociais.Admiro os jesuítas pela suadoutrina alicerçada em basesdemocráticas.Entre outras coisas que acontece-ram e foram ao ar para todos oslares televisivos do país, houve asurpresa dos festejos do aniver-sário da Rainha dos Baixinhos, aXuxa, personagem criada dentroda TV Globo, em programa diri-gido pela então diretora MarleneMattos.Xuxa, nascida em Santa Rosa (RS),uma cidade fronteiriça com aArgentina, ao NE do Brasil.Pois acabei de constatar que não ci-taramnemonascimentodacriança,numa terra de imigrantes italianose alemães, e nem o nascimento domito que tomou conta do imaginá-rio das milhares de crianças, jovense, por extensão, dos familiares des-tes, quando foram citados estadosda Federação que só conheceram aRainha depois que ela já havia sidolançada no mundo midiático.Infelizmente, no Mundo Ocidental,não existe cultura aos antepassa-dos, nem reverências às raízes.Esqueci que estamos num mun-do da WEB em que tudo começae acaba num clicar de botões outeclas.Museus, histórias, pais, antepas-sados, só importa a quem aindacanta o Hino Nacional, conhece oBrasão da Pátria, conhece suas ori-gens e curte seu país.Hã... Quanta saudades do tempoem que ser brasileiro era sentir or-gulho de sê-lo.DOUTRINAS...
  13. 13. 14 Jornal Tipo CariocaMaio 2013Nelson BarbozaRosane Castro NevesEm 1940, temos oito des-taques: – As vinhas daira (John Ford): baseadoem um romance de JohnSteinbeck, mostra a história deuma família de camponeses po-bres que é forçada a abandonarsuas terras, no solo seco do Meio-Oeste, e sua dura viagem para osvales da Califórnia, em busca detrabalho, durante a Depressão nosEUA. Um retrato dos problemassociais ocasionados naquele perío-do difícil, como tão bem soube ex-por Steinbeck em seus romances;– Rebecca, a mulher inesquecível(Alfred Hitchcock): primeiro filmeamericano de Hitchcock. Bela pro-dução do romance gótico de Daphnedu Maurier. Garota tímida se casacom um nobre britânico, dono deenorme mansão e passa a ser ator-mentada pela cruel e sinistra go-vernanta, que cultua a memóriada primeira esposa de seu patrão,Rebecca. Oscar de filme e foto-grafia; – O turbulento (The bankdick): clássica comédia dirigida porEdward Cline, um especialista doburlesco, e com W. C. Fields comoator e roteirista (sob o pseudôni-mo de “Mahatma Kane Jeeves”).Irresponsável e preguiçoso ele-mento consegue, acidentalmente,interromper um assalto e capturaro ladrão. É contratado como guar-da de um banco e tira um proveitonada elogiável disso; – Núpcias deescândalo (George Cukor): comé-dia amalucada, baseada em peça daBroadway escrita por Philip Barry,sobre as atribulações de uma socia-lite (Katharine Hepburn) que, apósseparar-se do marido beberrão(Cary Grant), está disposta a casar--se com um puritano. Tudo se com-plica quando o ex-marido reapare-ce junto com um repórter falastrão(James Stewart) e uma fotógrafa(Ruth Hussey). A brilhante atua-ção de Stewart em seu inusitadopapel levou-o a conquistar o Oscarde melhor ator. Filme teve uma ver-são musical em 1956: Alta socieda-de, com Grace Kelly em sua últimaatuação; – Orgulho e preconceito(Robert Z. Leonard): comédia decostumes em notável, inteligentee fiel adaptação da obra-prima ho-mônima da romancista inglesa JaneAusten (1775-1817), publicada em1813, que conta a história de cin-co irmãs à procura de marido, nasociedade provinciana dos anos1800. Excelente elenco, com desta-que para Laurence Olivier, no papeldo janota mr. Darcy, e Greer Garsoncomo a espirituosa ElizabethBennett. Um dos roteiristas foiAldous Huxley, o célebre escritoringlês, autor de O admirável mundonovo, de 1932.No ano de 1940, tivemos, também,duas grandes realizações dos EstúdiosDisney, ambas sob a supervisão deprodução de Ben Sharpsteen:– Fantasia, agradável e criativa com-binação de desenho animado e músi-ca erudita, um bom instrumento paralevar as crianças ao conhecimento egosto pela boa música. Trilha sonoracom a Orquestra de Filadélfia, sob aregência de Leopold Stokowski;– Pinóquio, baseado na célebre obrado escritor e jornalista italiano CarloCallodi (1826-1890), As aventuras dePinocchio, de 1880, uma fantasia pe-dagógica que mostra a transformaçãode um pequeno boneco de madeiraem um menino de verdade e seus pro-blemas com o aprendizado da vida.Obra-prima de animação que contri-buiu para a popularização da cativan-te história e seus personagens: o “pai”Gepeto, o grilo falante, a raposa “JoãoHonesto” etc. Na trilha sonora de be-las canções, destaca-se When you wishupon a star, ganhadora do Oscar.Outras boas produções do ano de1940, que merecem ser vistas, foram:Jejum de amor (Howard Hawks); Ogrande ditador (Charles Chaplin);O galante aventureiro (WilliamWyler); Correspondente estrangei-ro (Alfred Hitchcock); A marca doZorro (Rouben Mamoulian); A carta(William Wyler); A longa viagem devolta (John Ford); Bandeirantes doNorte (King Vidor).No ano de 1941, também tivemosgrandes produções, com destaquepara:– Cidadão Kane (Orson Welles): ex-traordinário filme, baseado na car-reira do magnata e jornalista WilliamRandolph Hearst. Descrito por Wellescomo “o retrato da vida privada de umhomem público”, o filme causou escân-dalo logo após o seu lançamento, em1o de maio de 1941, devido às inúme-ras semelhanças satíricas e maliciosasentre o protagonista do filme (Kane)e o milionário Hearst, proprietário demais de 100 jornais nos EUA. Hearsttentou destruir o filme, chegando aoferecer mais de 800 mil dólares àRKO, para queimar os negativos. Alémdisso, ainda processou Welles. Nadaadiantou; não conseguiu impedir aexibição de uma das melhores obrasCapítulo 1 – Estados Unidos da América – Parte 9Foi maravilhoso o show doBetto Serrador no TeatroSolar de Botafogo! Ele, maisuma vez, surpreendeu o pú-blico, com sua poesia em forma demúsica. A banda mais parecia umaorquestra, com melodias muito bemexecutadas! Parabéns, Betto; provi-dencie logo seu terceiro disco.Márcia Albuquerque, Maria LuciaPriolli,AndreaWagon,ÚrsulaMandina,Kiko Guarabira e Carlos Leça fizeramparte do júri da prova de dança doSindicato de Dança do Rio de Janeiro.Tarefa difícil, já que os bailarinos erammuito bons. Caio Nunes é o presidentee está fazendo um excelente trabalhono sindicato! VIVA A DANÇA!Dia 30 de outubro, o OI Casa Grandeirá tremer! A Sauer Danças se preparapara mais uma belíssima apresenta-ção! Parabéns, PAT SAUER!O espaço Biarte (http://www.eusou-biarte.com.br/site/) inaugurou turmade jazz, com Márcia Albuquerque! Éa Barra da Tijuca/Recreio dançandomuitooooo!Via Flores, da querida Sonia Isnard,ganhou as redes sociais com suas fotospara o Dia das Mães, organizado porAmelinha Azeredo Divino. Fernanda eMaria Pedrosa Peczek foram musas!A querida Anna Sillos foi eleita, pelacoluna, a mais chique e bela da nossasociedade. Além de chique, ela é mui-to prestativa, protetora dos animais emuito simpática. Ponto pra ela!Tenho que ressaltar aqui o quantoDora Cristina e Jaqueline Pitta sãoimportantes na proteção aos ani-mais. São verdadeiros anjos, corre-tíssimas e super-dedicadas a todoseles! A feirinha organizada por elaspara adoção de cachorrinhos e ga-tinhos foi um sucesso total. A ONGAdoção Responsável Sempre tam-bém ajudou. Ponto pra todos!O Chorus Line, com os alunos da CAL,foi sucesso! Soraya Bastos e MárciaAlbuquerque, as responsáveis pelaremontagem e adaptação coreográfi-ca, deveriam fazer mais musicais! Avida precisa de música!Parabéns para todas as mamães lei-toras do TIPO CARIOCA!Aniversariantes do mês: Rô, MárciaPozas, Fernanda PP, Dona Jô, MárciaWoolf, Alice Kathia, Carol, AntonioNegreiros, Lulu Salles, Tadeu VidalPaty Guilherme, Pepe, FátimaValença Alonso Barros, Tathi, SandraGulminetti, Ana Tereza Olivero,Adryana, Gloria leão, Luiza Kastrup,Marcelle, Lincoln, Márcia Areal, Elias,Isabela Sicsu, Monica Pessoa, Nicole,Sylvia Bello, Sergio e Julia Weinman,Fabiana Malta, Mariana Damásio,Victoria Wolf, Popô Andrea Bandeirae Suzana Velloso. Parabéns a todos,muitas alegrias, felicidades e muitoamor no coração!BREVE HISTÓRIA DO CINEMA MUNDIALdo cinema, que mostra, com sensibi-lidade e inteligência, a transformaçãodo ambicioso cidadão “Charles FosterKane”, desde o seu início como donode um pequeno jornal, que adotariauma linha editorial sensacionalista eseria o ponto de partida para a criaçãode um verdadeiro império jornalísti-co, com poder de influenciar a opiniãopública. Com uma narrativa não line-ar, o filme começa mostrando a mortesolitária do magnata em sua mansão.Sua última palavra é “rosebud”, mis-tério que posteriormente um repór-ter tenta investigar. Seria a evocaçãonostálgica de uma infância perdida?Rosebud (botão de rosa) era o nomedo trenó em que Kane passeava quan-do criança. Ironicamente, “rosebud”era o eufemismo que Hearst utiliza-va, carinhosamente, para se referirao sexo de sua amante... O filme tevenove indicações para o Oscar, mas sólevou o de melhor roteiro. Em 1970, aAcademia de Hollywood quis repararo erro, oferecendo um Oscar honorífi-co a Welles, pelo conjunto de sua obra,mas o cineasta recusou-se a ir à ceri-mônia, ressaltando a incongruência detal medida.Anna Sillos, sempre chiquérrima e linda. Claudinha, na festa surpresa para a nossamestre Maria Paula na Sauer Danças.Isabela, Cris Helena, Monica e Kathia, naapresentação do Betto Serrador.Maria e Fernanda Pedrosa Peczek, com AmelinhaAzeredo Divino, lindas, posando para Via Flores.Os anjos Dora Cristina e Jaqueline Pitta. Parabéns. Maria Lucia Priolli, Marcia Albuquerque e Soraya Bastos, bailarinas maravilhosas nadespedida do musical ‘A Chorus Line’, com elenco dos alunos da CAL. Sucesso total!OS GRANDES FILMES NORTE-AMERICANOS DA DÉCADA DE 1940
  14. 14. 15Maio 2013Jornal Tipo CariocaApós esse processo, lave-a e coloque--a em uma panela com o restante dosingredientes, nesta ordem: o ajinomo-to, 2/3 da cebola picada, três colheresde chá do alho amassado, as quatrofolhas de louro, o ramo de alecrim, ocominho e/ou a pimenta do reino e,por último, o vinho.Misturebem,deixeemrepousopor20minutos.Misture de novo e deixe em repou-so por mais 20 minutos. Dissolvaos cubos de caldo de carne na águamorna.Refogue o restante do alho e da cebo-la picada no azeite em uma panela depressão, adicione a água morna com ocaldo e o “suco de tomate” (pode subs-tituir por molho de tomate pronto),misture bem.Acrescente a rabada com o restan-te dos ingredientes que estavam emrepouso.Deixe ferver por 30 ou 40 minutos,após pegar pressão.Ingredientes: dois quilos derabada; dois maços de agrião,lavados (deixá-los aproxima-damente 20 minutos de mo-lho em uma solução de água comvinagre e enxaguá-los bem emseguida); de 300g a 500g de toma-tes maduros, sem pele e sem se-mentes, batidos no liquidificadorou molho de tomate pronto; trêscebolas médias, picadas em cubos;uma cabeça de alho, amassada;quatro folhas de louro; um ramode alecrim; um copo – 200ml – devinho branco seco; meia xícara deazeite; meio litro de água fervida emorna; três cubos de caldo de car-ne; Ajinomoto, a gosto (opcional);cominho e/ou pimenta-do-reino, agosto e uma salsinha, picada.Modo de preparo: retire o excessode gordura da rabada; cubra-a comágua em uma panela, adicione sucode meio limão, ferva durante trêsminutos.RABADACOMAGRIÃO DOGILVANBom apetite!!!Conheça mais receitas no Blog do Gilvan:http://gilvannascimento.blogspot.comGilvan NascimentoDesligue o fogo, retire a pressão everifique com um garfo se a carneestá pronta. Estará pronta quandoa carne soltar facilmente do osso.Se não soltar, coloque na pressãode novo até ficar pronta.Quando estiver pronta, junte oagrião e deixe cozinhar por maiscinco minutos com a tampa, massem pressão.Dicas: você pode colocar batatasantes do agrião; quando elas es-tiverem quase macias, coloque oagrião. Verifique o sal. O caldo decarne já é salgado.Pronto! Coloque em um refratárioe salpique a salsinha.Você pode servir com arroz bran-co do Gilvan e pirão (feito com omolho da própria rabada) ou compolenta.Mapa Astral • Tel.: 8834-7412adrianafmello@ig.com.br | www.contatoscom.blig.ig.com.brIndependentemente daquiloem que você acredita, é fatoque sentimos um ligeiro des-conforto logo que entramosem certos ambientes. Pessoas maissensíveis podem até passar mal“do nada”, o que torna tudo muitoconfuso, já que, até poucos minutosatrás, estavam se sentindo muitobem.Uma dor de cabeça ou de estômagorepentinas, um calafrio, uma ton-tura, queda ou aumento de pressãoarterial podem ser analisados ape-nas sob o prisma orgânico. Assim,tentando ser muito práticos, toma-mos algum remédio e rapidamentenos anestesiamos e esquecemos doassunto, em vez de refletirmos sobrea origem do mal-estar.Somos feitos de energia e habitamosum mundo cheio de forças (positivase negativas) que sabemos que exis-tem, mas que não conseguimos en-xergar. Toda energia negativa criadadentro de si causa o escurecimentoda própria luz, por intermédio dacausa e do efeito.Todos os seres vivos sofrem influên-cias negativas no decorrer da vida,principalmente se estiverem em con-tato com seres que não estão na luz.Através do convívio com outras pes-soas negativas, de objetos adquiri-dos e que podem trazer uma energiacontrária, lembranças e recordaçõesde momentos difíceis, subconscien-te, antepassados, entre outras coisasdo dia a dia, aqueles que vieram paraser instrumentos divinos e cósmicossofrem influência, pela tendênciadas forças contrárias.O corpo etéreo é formado por setecamadas de luz e capta, através dasensibilidade, a força negativa daspalavras, que, ao atingir as camadas,causa máculas de cor escura, fazen-do com que a pessoa afetada se torneagressiva, possessiva, mal-humora-da, e muitas vezes esta negatividadefaz com que apareçam doenças maissérias, afetando o corpo físico.Para reverter este processo, é preci-so fazer uma limpeza espiritual daenergia negativa que está vinculadaaos corpos etéreo, astral e físico, ti-rando e neutralizando toda a energianegativa de dentro para fora. É preci-so saber perdoar para que o corpo fí-sico possa receber a cura de carmas,cortando também tudo que foi nega-tivado através de comportamentos,pensamentos, atitudes e ações pormeio de todos os símbolos de luz.É preciso pedir socorro ao PlanoDivino e ao Plano Cósmico, para quepossa receber a graça de desvincula-mento dos obsessores vivos e mor-tos, para voltar a ter luz.Como se libertar das energiascontrárias:– Manter o pensamento elevado emcoisas boas, evitando reclamar oujulgar demais;– Prestar atenção ao mal-estar eonde e quando ele acontece;– Verificar se existe um padrão desaúde que se repete na sua vida;– Perceber se, depois de mentalizarou relaxar, você continua se sentin-do mal, pois assim entenderá que ossintomas são físicos. Com o tempo,terá mais habilidade para diferen-ciar a sutileza entre o que é um des-gaste energético e um orgânico;– Identificar os lugares que lhe fa-zem passar mal, criando rotinas parase proteger antes de ir até eles, sejafazendo mentalizações ou seja fican-do mais atento. Se puder, evite ir aolugar;– Notar se o mal-estar acontece emum lugar onde você pode realizaralgumas modificações para se sentirmelhor. Caso sim, introduza plantase observe como elas se desenvolvem.Não será coincidência se elas mur-charem rapidamente;– Compreender os motivos que olevam a se colocar em determinadasituação. Afinal, se a todo momentovocê está se sentindo mal, é porqueestá insistindo em algo que possivel-mente não é o melhor para você.Uma forma de se livrar de energiasnegativas e também se proteger de-las é simplesmente visualizar umaespiral na cor violeta subindo rapi-damente dos seus pés em sentidoanti-horário. Após fazer isso algu-mas vezes, você pode imaginar umacascata de luz dourada caindo sobresua cabeça, o que irá preenchê-lo deboas energias. Para terminar, imagi-ne a mesma espiral de cor violeta,agora girando no sentido horáriopara lhe proteger.O IMPACTO DAENERGIA ESPIRITUALEM SUA VIDA
  15. 15. Maio 2013 Jornal Tipo Carioca16

×