“Plano de Desenvolvimento do Pólo de
Turismo Ecológico e Rural de Itanhaém”
Objetivo Geral
* Implantar o Ecoturismo e Turismo-rural na Unidade de
Conservação (UC) / Parque Estadual da Serra do Mar
(...
Ações estratégicas
- Consolidar a vocação ecoturística do município;
- Potencializar os atrativos do Parque Estadual da Se...
Justificativa
A Estância Balneária de Itanhaém, segunda cidade mais antiga do país,
fundada em 22 de abril de 1532. Área d...
Justificativa
Sua população economicamente ativa esta distribuída em:
Agropecuária(4,6%), Indústria de Transformação (10,4...
Referencial
teóricoEcoturismo
Segundo Boo (2001), o termo ecoturismo é usado para definir o tipo de atividade que
não prov...
Área de estudo
O “Plano de Desenvolvimento do Pólo de Turismo Ecológico e Rural de
Itanhaém” acontece na zona rural e está dividido em qu...
Metodologia
O método utilizado nesta pesquisa realiza-se mediante sete saídas de
campo, assim como entrevistas quantificad...
Fase I:
- investiga as comunidades localizadas na Sub-Bacia do Rio
Branco, para entender as tradições histórico-culturais,...
Pesquisa de campo
Desafios
- Adesão dos proprietários das áreas particulares
(Fazendas);
- Linhas de financiamento para as próxima etapas do...
Resultados esperados
O Projeto pretende que o ecoturismo e o turismo-rural possam
contribuir para o envolvimento das comun...
Considerações finais
Muitas das áreas potenciais estão localizadas em fazendas no entorno dos
limites do Parque Estadual d...
O projeto conta com o apoio:
AMIBRA – Associação dos Produtores Rurais, Pescadores Artesanais e
Indígenas de Itanhaém.
Pre...
Ecosurfi – Entidade Ecológica dos Surfistas
End: Rua Maria Deolinda Assunção Salles, 80
Jardim Mosteiro – CEP: 11740-000
E...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação inicial Plano de Desenvolvimento do Ecoturismo em Itanhaém

501 visualizações

Publicada em

Veja mais sobre o projeto no hot site: https://pdpei.shutterfly.com/

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
501
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação inicial Plano de Desenvolvimento do Ecoturismo em Itanhaém

  1. 1. “Plano de Desenvolvimento do Pólo de Turismo Ecológico e Rural de Itanhaém”
  2. 2. Objetivo Geral * Implantar o Ecoturismo e Turismo-rural na Unidade de Conservação (UC) / Parque Estadual da Serra do Mar (PESM) e entorno, de modo a promover o uso sustentável dos recursos naturais, históricos e culturais, aumentado às opções de lazer e assegurando o desenvolvimento e incremento econômico para as populações da cidade de Itanhaém.
  3. 3. Ações estratégicas - Consolidar a vocação ecoturística do município; - Potencializar os atrativos do Parque Estadual da Serra do Mar e entorno, através da implantação de equipamentos e atividades ecoturística; - Controlar a visitação e reduzir as atividades ilegais na Unidade de Conservação / Parque Estadual da Serra do Mar e entorno; - Promover programas de conscientização e sensibilização junto às comunidades envolvidas; - Contribuir para a capacitação e qualificação de profissionais na área de turismo e meio ambiente na cidade e região; - Contribuir para o aperfeiçoamento de políticas púbicas; - Atrair adeptos ao ecoturismo.
  4. 4. Justificativa A Estância Balneária de Itanhaém, segunda cidade mais antiga do país, fundada em 22 de abril de 1532. Área de 599,7 km² e apresenta aproximadamente 48% desse total preservado. A vegetação predominante é caracterizada por áreas e ecossistemas do bioma da Mata Atlântica e que, em sua grande maioria, encontram-se inseridos no Parque Estadual da Serra do Mar, 21.094,46 ha, correspondente a 36,31% da área total do município. Possuí 26 quilômetros de praias, baías, pequenas Enseadas e costões rochosos, além de algumas ilhas de elevada relevância. Contém a segunda maior bacia hidrográfica do Estado de São Paulo, com grande parte de rios navegáveis. População atual fixa é de 91.153 habitantes – (IBGE/2010).
  5. 5. Justificativa Sua população economicamente ativa esta distribuída em: Agropecuária(4,6%), Indústria de Transformação (10,4%), Comércio (22,5%), Prestação de Serviços 42,3% e Administração Pública 18,0%, tendo o turismo como sua principal atividade econômica. Na temporada de verão recebe um público de aproximadamente 450 mil turistas, e o segmento mais procurado pelos visitantes é o turismo de lazer, relacionado com praias. O potencial turístico apresentado por este município não se restringe apenas a sol e praia. O segmento histórico e cultural é muito forte. Na zona rural podemos encontrar fazendas com potenciais para o desenvolvimento ecoturístico e turismo rural. No entanto, em sua grande maioria, restringem suas atividades a plantação e agropecuária
  6. 6. Referencial teóricoEcoturismo Segundo Boo (2001), o termo ecoturismo é usado para definir o tipo de atividade que não provoca distúrbios, não contamina áreas naturais e que procura admirar o cenário natural, assim como qualquer manifestação cultural. O turismo ecológico compreende uma viagem ambientalmente responsável, com visitação de áreas naturais relativamente preservadas, no sentido de vivenciar e apreciar a natureza, que promove a conservação, tem baixo impacto e promove, de forma benéfica, o envolvimento socioeconômico ativo das populações locais (CEBALLOS-LASCURIÁN, 2003) O ecoturismo não se restringe apenas a uma viagem com o objetivo de contemplar a natureza. Os pilares da sustentação possuem base ecológica, social e holística, sendo exequivel se houver respeito ao meio ambiente, eliminação ou redução da pobreza, implantação de programas educacionais eficientes, resgate e fortalecimento da cultura local, criação de postos de trabalho e valorização do trabalho já existente (SEABRA, 2001).
  7. 7. Área de estudo
  8. 8. O “Plano de Desenvolvimento do Pólo de Turismo Ecológico e Rural de Itanhaém” acontece na zona rural e está dividido em quatro fases: Fase I - Diagnóstico das áreas para gerar o conhecimento sobre a realidade socioambiental e estrutural; Fase II - Formação das lideranças locais para possibilitar o empoderamento da comunidade; Fase III - Infra-estrutura para iniciar o processo que viabilizará todo potencial identificado; e Fase IV - Criação de uma rede sócio-técnica para fazer a gestão e o acompanhamento de futuros roteiros.
  9. 9. Metodologia O método utilizado nesta pesquisa realiza-se mediante sete saídas de campo, assim como entrevistas quantificadas aplicadas na comunidade local e proprietários das áreas envolvidas na pesquisa. Analise de documentos e pesquisas bibliográficas também foram utilizados, permitindo dentro desse processo o levantamento de informações e reflexões sobre as oportunidades que podem ser criadas pelo projeto: - Inventário de fauna e flora; - Levantamento socioeconômico; - Mapeamento da região e trilhas já existentes; e - Identificação perceptiva das áreas potenciais. Fase I:
  10. 10. Fase I: - investiga as comunidades localizadas na Sub-Bacia do Rio Branco, para entender as tradições histórico-culturais, a produção rural e o ambiente em que vivem; - Dois núcleos de atividades; - Observa e valoriza todos os aspectos relacionados com o meio natural e a viabilidade do envolvimento econômico da população residente na área com os futuros produtos do projeto; - Mapeia atrativos potenciais.
  11. 11. Pesquisa de campo
  12. 12. Desafios - Adesão dos proprietários das áreas particulares (Fazendas); - Linhas de financiamento para as próxima etapas do projetos; - Maior envolvimento do Poder Público e Setor Privado;
  13. 13. Resultados esperados O Projeto pretende que o ecoturismo e o turismo-rural possam contribuir para o envolvimento das comunidades na proteção da biodiversidade da Mata Atlântica, e consolide a oportunidade de desenvolver economicamente a cidade de Itanhaém de maneira justa, igualitária e sustentável.
  14. 14. Considerações finais Muitas das áreas potenciais estão localizadas em fazendas no entorno dos limites do Parque Estadual da Serra do Mar, mas precisamente na zona de amortecimento. São propriedades particulares tradicionais que mantém seu estilo de vida típico das regiões interioranas. Porém, o grande atrativo natural e cultural existente nesta localidade ainda não são plenamente aproveitados como alternativa de desenvolvimento social para as comunidades e como propulsor da conservação e da proteção do ambiente natural. Por isso, fazem-se necessárias ações conjuntas governamentais, iniciativa privada, entidades do terceiro setor e comunidades organizadas.
  15. 15. O projeto conta com o apoio: AMIBRA – Associação dos Produtores Rurais, Pescadores Artesanais e Indígenas de Itanhaém. Prefeitura Municipal de Itanhaém através da Secretaria de Planejamento e Meio Ambiente e da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Departamento de Agricultura e de Turismo. CATI – Coordenadoria de Assistência Técnica Integral. ICMBio – Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade,. FUNAI – Fundação Nacional do Índio.
  16. 16. Ecosurfi – Entidade Ecológica dos Surfistas End: Rua Maria Deolinda Assunção Salles, 80 Jardim Mosteiro – CEP: 11740-000 E-mail: ecosurfi@ecosurfi.org Fone: 13 3426 8138 Coordenação: Marcus Vinicius de Souza Ferreira E-mail: marcus@ecosurfi.org Fotos: João Malavolta e Tales Olivera

×