SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 19
Baixar para ler offline
1




  Plano de Marketing

Empresa: Ecotel Adventure
4


1. Sumário executivo


Conceito do Negócio


       O empreendimento a ser construído é um hotel ecológico (LODGE) voltado
a exploração do ecoturismo, que traz na sua essência o contato com a natureza,
respeitando-a, distanciando o hóspede da vida agitada dos grandes centros
urbanos.
       O complexo é composto de chalés e apartamentos, num padrão de
construção do tipo econômico, bastante preocupado com o conforto e o bem-estar
da clientela.
       Este plano visa aproximar os aspectos mais importantes a serem
considerados quando da implantação, organização e comercialização do Recanto
Verde Lodge, equipamento turístico com serviços pioneiros no Estado do Paraná.


•   RA
     ZÃO SOCIAL DA EMPRESA:          ECOTEL ADVENTURE LTDA
5


Mercado


      Em quase todo o mundo, o turismo é uma mina de ouro. Movimenta cerca
de 3,4 trilhões de dólares ao ano, mais do que a fabricação de armas, a produção
de automóveis ou a exploração de petróleo. Apesar do Brasil deter apenas 0,05%
desse mercado, no ano passado quebrou-se um recorde, mais de 5.000.000
visitantes estrangeiros estiveram no país (Embratur, 2000).
      Especialistas concordam que há necessidade de criar novos produtos
turísticos no país, movimentando ainda mais esta atividade. Particularmente este
plano visa explorar o segmento que mais cresce, o Ecoturismo (20% ao ano).
      Este segmento do turismo está sendo implantado em várias regiões do
Brasil, com objetivos de minimizar os problemas sócio-econômicos das
comunidades do campo e os impactos ambientais em áreas ambientalmente
frágeis. Governo, empreendedores e residentes locais vêem nesta atividade um
forte pilar de sustentação da economia desde que planejado com profissionalismo,
sempre evidenciando as questões sociais, culturais, ambientais e espaciais.
      Este plano de negócios enquadra-se no espírito do desenvolvimento
sustentável, pois integra na sua definição um forte comprometimento com a
natureza e sentido de responsabilidade social e tem potencialidades para realizar
os anseios de seus clientes na fruição da natureza, construir uma via da
preservação e diminuir os impactos negativos sobre os recursos naturais, a
comunidade local e sua cultura.


Estratégia de Marketing


      A estratégia de marketing da ECOTEL ADVENTURE Ltda. visa
ganhar mercado rapidamente, focando primeiramente em São Paulo,
e gradativamente em                        outras cidades brasileiras. Após este
estágio, convênios e acordos com operadoras turísticas do exterior visarão os
visitantes de outros países.
6


      A carteira de clientes incluirá principalmente executivos de grandes
empresas e turistas de classe média alta.




Estrutura e Operação


      Hotel ecológico ou lodge é um meio de alojamento alternativo dispendioso e
normalmente mais confortável. É constituído por diversas unidades habitacionais
(quartos ou apartamentos), as quais devem dispor de camas, armário/estante,
banheiro, abastecimento de água e de energia e lixeiras.
      Em 13 de dezembro de 1977 foi aprovada a Lei Federal nº 6.505 que
regulamenta os tipos de Meio de Hospedagem de Turismo Ambiental e Ecológico
(os Lodges).
      Seis anos depois, o Conselho Nacional de Turismo emitiu o presente
Regulamento e a Matriz de Classificação desse tipo de meio de hospedagem.
      Este plano visa atender as condições deste Regulamento conforme no
tocante ao seu artigo 2, conforme segue:
         “Art. 2 – Considerando-se Meios de Hospedagem Ambiental e
                 Ecológico (“Lodges”) os empreendimentos que atendam
                 cumulativamente às seguintes condições:
         I – estejam localizados em áreas de selva densa ou de outras
                 belezas naturais preservadas;
         II – estejam totalmente integrados à paisagem local, sem
                 qualquer interferência ao meio ambiente;
         III – situe-se em regiões distantes de centros urbanos, com
                 ausência ou dificuldades de acesso regular e de serviços
                 públicos básicos;
         IV – ofereçam a seus usuários instalações, equipamentos e
         serviços simplificados, próprios ou contratados, destinados ao
         transporte para o local, hospedagem, alimentação, e programas
7


         voltados à integração com o meio ambiente e o seu
         aproveitamento turístico.”




Estratégia de Crescimento


      A empresa pretende aumentar a sua demanda em 20% ao ano, por
conseqüência do marketing a ser realizado. Porém, seu crescimento construtivo
ficará limitado devido aos regulamentos de proteção ambiental.
8




2. Análise Externa e Conceito do Negócio


      O setor do turismo tornou-se um fenômeno mundial ao longo das últimas
quatro décadas e, diversos especialistas consideram-no a maior atividade
econômica do mundo. Grande parte dos turistas vão para destinos tradicionais de
turismo de massa, o que começou a gerar impacto na ocupação das infra-
estruturas e degradação ambiental acelerada das regiões de acolhimento.
      A necessidade de fuga ao estilo de vida “urbano”, a procura de locais mais
saudáveis e a conscientização das pessoas relativamente aos problemas
ambientais fizeram nascer o Ecoturismo e, com ele, a busca da valorização
intelectual, em locais de características únicas e de elevada sensibilidade cultural
e ecológica.
      O Ecoturismo é o segmento que mais cresce dentro do setor turístico, em
uma proporção de 20% ao ano, segundo a Organização Mundial do Turismo. O
Estado do Paraná bem representa este fenômeno, como pode ser constatado pela
contínua criação de novos parques de conservação ambiental, surgimento de
agências especializadas em turismo ecológico e rural, e até mesmo no aumento
da venda de equipamentos e vestuário específico para a atividade.
      Surge, assim, um segmento do turismo que é uma oportunidade de gerar
receitas para financiar a proteção do meio ambiente e valorizar os recursos
naturais. A forma como essas receitas podem efetivamente subsidiar a
preservação e a conservação e, de que maneira se pode atribuir um valor
monetário aos recursos naturais é o tema central do novo ramo da economia
ambiental, ou seja, o DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL.


                                                O     desenvolvimento      do
                                turismo sustentável pode satisfazer as
                                necessidades      econômicas,      sociais  e
                                estéticas, mantendo, simultaneamente, a
                                integridade cultural e ecológica, tornando-se
                                uma atividade benéfica para os anfitriões e
                                para os visitantes enquanto protege e
9


                                 melhora a mesma oportunidade para o futuro
                                 (Embratur, 1995).

       O planejamento, desenvolvimento e operação do turismo devem ser parte
de estratégias de conservação ou de desenvolvimento sustentável para uma
região, província (estado) ou nação. O planejamento, o desenvolvimento e a
operação do turismo devem ser intersetorial e integrado, envolvendo várias
organizações governamentais, empresas privadas, grupos de cidadãos e
indivíduos, permitindo deste modo obter o maior número possível de benefícios.
       O Desenvolvimento Sustentável salva a matéria prima do turismo, que é a
cultura do povo e o próprio local visitado.
       O Ecoturismo, como opção para o desenvolvimento sustentável de
comunidades carentes, já é reconhecido a nível nacional pelo lançamento, em
março de 1995, das Diretrizes para uma Política Nacional de Ecoturismo, num
projeto entre o Ministério da Indústria, do Comércio e do Turismo e do Ministério
do Meio Ambiente e da Amazônia Legal. Vários itens do documento sinalizaram
apoio a planos e projetos como o que aqui se apresenta.




2.1.   Localização

Cada grupo desenvolverá seu projeto na cidade selecionada.
11


      O próprio hotel poderá ser considerado como uma atração à parte.
Integrado à natureza, irá dispor de um restaurante regional, um bar com deck,
circulação com paredes de vidro que permitem uma visualização incrível.
Além de um centro de visitantes que
servirá tanto como um museu de motivos ecológicos, como também uma sala de
eventos e exposições.


2.2.2. Demanda


      Entende-se que o público-alvo para este empreendimento seja aqueles
amantes da natureza, os ecoturistas.
      Teoricamente, existem quatro tipos de ecoturistas:
      •   Adultos – osta de qualidade nos serviços, inteligente, educado, culto,
                   g
          exigente, gosta do rústico e não de precário, quer qualidade de vida e
          anular o stress.
      •   Estdantes – têm interesses pedagógicos, como por exemplo: história
           u
          (caminhos, fortes, campos de batalha, etc.), geografia (relevo, clima,
          etc.), ciências (energia, astronomia), ou outros interesses como
          sociabilização e lazer. É uma ótima opção para dias de semana.
      •   Especia
                listas – fazem estudos, como por exemplo: observadores de
          pássaros, ovinistas, místicos, biólogos, ruralistas, esotéricos, cientistas
          de fim de semana, terceira idade, etc.
      •   Espoirttas e aventureiros – realizam atividades como: enduro a pé ou a
               s
          cavalo, cicloturismo (mountain bike), alpinismo ou montanhismo,
          espeleologia, mergulho, vôo de asa delta, paragliding, trekking
          (pernoite), hikking (um dia), rafting, cannyoning, canoeing, cross country,
          turismo eqüestre (tropeirismo) e rally de motos e jipes.
      A campanha deverá atingir homens e mulheres, com idade entre 20 a
      30 anos, das classes ABC.
12




2.2.2.1.   Pesquisa de   Demanda


       Foram realizadas duas pesquisas para auxiliar no planejamento deste
empreendimento turístico. São elas:


       Com os dados obtidos desta investigação, conclui-se que existe demanda
suficiente para este empreendimento (fato que é reforçado pelo aumento do
Ecoturismo e inchaço das grandes cidades), o que justifica sua implantação no
que se refere à procura do produto, ou seja, haverá uma taxa de ocupação
suficiente.


2.3.   Concorrência


       Na cidade não existe oferta de qualquer hotel com as características de um
hotel .
      ecológico.
16


4. Estratégias
4.1.   Estratégia de    negócios


       As instalações deste hotel servirão como “janelas para o mundo natural” e
funcionarão como veículos para o aprendizado e a compreensão da natureza.
Embora seja apenas um componente do ecoturismo, este projeto reforça e busca
aumentar a satisfação do ecoturista e a compreensão do local. Será
proporcionado um alojamento confortável, com baixo impacto ecológico, sendo
esta a chave para o sucesso de instalações ecoturísticas.
       As potencialidades mais importantes a serem exploradas são:
       a) Ecoturismo: a integração com a natureza possibilita experiências do
          hóspede com o ambiente natural, o que define o ecoturismo e suas
          atividades como o principal atrativo do hotel no início de suas atividade.
       b) Eventos relacionados à natureza: o setor de eventos aparece como o
          mais promissor do hotel, uma vez que com um bom plano de divulgação
          e promoção, virtualmente garantirá uma ocupação regular.
       c) Restaurane regional: culinária local e natural.
                   t


4.2. Análise SWOT
              Pontos Fortes                                   Pontos Fracos
•   Localização privileg iada                 •   Sazonalidade
•   Atividades ecotur ísticas                 •   Altcusto de mão-de-obra
                                                   o
•   Desig moderno e ecológico
       n                                      •   Espa limitados para construção
                                                     ços
              Oportunidades                                     Ameaças
•   Crescene demanda de ecoturismo e
           t                                  •   Alta rotatividade dos funcionários na
    eventos                                       hotelaria
•   Aumento do interesse por produtos •           Inverno sev o (frio e úmido)
                                                             re
    regionais (artesanato, gastronomia)
•   Único lodge do sul do país                •   Crescente    número     de     concorrentes
                                                  (spas, hotéis de lazer, atividades tur.)
17




4.3.   C igo de conduta
       dó


       Serão definidos padrões éticos para as instalações, como por exemplo: a
construção de apartamentos que “não agridam o meio ambiente”, isto é, utilizar-
se-á materiais e técnicas de construção que resultam em baixo impacto ambiental.
Os quartos terão recipientes para a coleta de materiais recicláveis, encorajando
seus hóspedes à conservação.
       Neste caso precisa ser preservada a Mata Atlântica, que não representa
sequer uma formação contínua. Abrange florestas isoladas, ao longo da costa e
está reduzida a menos de 10% de sua área original. Mesmo assim, abriga ainda
um grande número de espécies endêmicas, isto é, que ocorre apenas nesse tipo
de floresta. De cada três espécies de bromélias ou de palmeiras conhecidas, por
exemplo, duas são exclusivas da Mata Atlântica.
       A grande variedade de espécies de animais encontrados nessa floresta
pode ser comprovada por uma pesquisa realizada na Área de Interesse Turístico
do Marumbi. Foram registradas 300 espécies de aves, 70 espécies de mamíferos,
61 espécies de anfíbios, 36 espécies de repteis e 37 espécies de peixes.
       A onça-pintada, a anta, a suçurana, os cachorros do mato, o macaco –
prego, o gavião carijó e o tucano são alguns dos mais importantes moradores da
Serra do Mar. A constante ameaça de destruição da Mata Atlântica coloca todas
essas espécies sob risco de extinção.
       A criação de um hotel ecológico tem como prioridade reservar sua matéria-
prima, “a floresta”, transformando-se em uma área natural protegida, ou seja, uma
unidade de conservação.
       Uma unidade de conservação cumpre diferentes funções, como proteger
áreas naturais com fins científicos, de recreação e de educação ambiental.
18


4.4.   Visão


       Ser um centro de excelência em qualidade de vida.




4.5.   Missão


       Nossa missão é hospedar amantes da natureza, servindo-os com qualidade
e conforto, contribuindo para com o município na preservação do
meio ambiente e qualificação dos recursos humanos para a atividade turística.
34


6.6. Restaurante (Alimentos e Bebidas)


6.6.1. Serviços


      O sistema do restaurante será a La Carte, evitando os desperdícios do
Buffet, mas que também poderá ser usado como uma alternativa para os dias de
eventos.




6.6.2. Produção


      Haverá um cálculo de previsão do preparo dos pratos, assim como, um
tempo médio pré-estabelecido.
      Poderá ser plantada uma pequena horta, para minimizar custos de
fornecimento. Além do uso de restos de comida como adubo.


6.6.3. Cardápio


      O cardápio foi elaborado a partir das características dos clientes, da
empresa, do serviço, das margens de lucro objetivadas, dos equipamentos e
utensílios, horário de atendimento, mão de obra disponível, compras e
armazenagem.
      Será trabalhado com estatísticas, verificados os pratos e bebidas mais e
menos vendidos e serão feitos cálculos para aumentar margens de lucro.
      O café da manhã será de estilo colonial, por ser mais reforçado. No almoço
serão destacadas as comidas naturais e regionais (por exemplo, feijoada no
sábado e barreado no domingo). Também serão vendidos sanduíches e sucos
naturais no bar para as caminhadas do dia.
      Serão evitadas as bebidas alcoólicas, para não haver problemas com os
hóspedes posteriormente.
35




6.6.4. Ambiente


      A iluminação ficará ótima com luz ambiente através de “janelões” e o bar
com um deck com vista para o vale e as montanhas.
      A decoração será rústica e simples, combinando com o material de
construção: a madeira. Haverá também música ambiente no local.




6.7. Avaliação das instalações


      Criaremos istema de avaliação de desempenho, o “Relatório Verde”,
            um s
que constitua um instrumento de controle sobre o empreendimento e nos atualize
a respeito das vontades do hóspede (ver anexo).




6.8. Logística do Ecotel Adventure




   ogíAtilca é vista como um processo que gerenciará estrategicamente a
      s
aquisição, a movimentação e armazenagem dos materiais e alimentos através de
uma organização prévia. Tudo isso, para maximizar as lucratividades encantando
clientes externos e internos, além de satisfazer as necessidades básicas do
empreendimento.
39


8.2. Descrição do empreendimento


O lodge oferece aos seus hóspedes as seguintes instalações e serviços:


a-)no estabelecimento:
• bar/coffee shop
• restaurante
• lavanderia
• saguão co TV e lareira
          m


b-)nas unidades habitacionais:
• frigobar
• telefone
• TV comcircuito fechado
• BWC privat ivo
40


8.2.1. Detalhamento das instalações


a)Unidades Habitacionais
     05 chalés com             26,40 m2 e 17,50 m2 com 4 leitos.
     15 apartamentos com       23,40 m2 e 2 leitos.




b) Instalações
                                         2
m
Bar/Coffee Shop                      62,50
Recepção                             12,50
Restaurante                         117,50
Cozinha                              88,70
Lavanderia                           40,00
Área Administrativa                 12,50
Alojamento para Empregados           77,30
Saguão com TV e lareira              42,18
Área de circulação     1,57         14
Estábulos                           100,00
Centro de Visitantes    1,81        13
Casa de Máquinas                     50,00
Depósito de Lixo ,00                 8
Estacionamento                      510,00




c)Terreno

                               2
      Área To 500.000 m
        al 5.t
Receita estimada com propaganda


a)Publicidade (2% da receita total)
     R$ 63.093,90




Período da Campanha


a) 6 Meses (De Julho/2010 a Dezembro/2010)
48


Anexo 1


Atividades de lazer e recreação


   livre o
       A “pção” e a necessidade de sair do cotidiano, longe do trabalho e da
rotina, são características comuns às atividades de lazer e recreação, e em busca
dessa necessidade de mudança surgem atividades relacionadas com a ecologia
que fazem as pessoas se libertarem e conhecerem melhor o meio em que vivem.
      ruteração de um hotel prestador de serviços de lazer e recreação
      A ust
surge a partir de uma idéia e as suas chances de êxito dependem da base técnica
e de várias habilidades que seus responsáveis devem, necessariamente possuir.
      Ao se construh um prestador de serviços de lazer e recreação, deve-
                   irotel
se ter em mente as atividades que queira proporcionar aos seus hóspedes.
      jOtiv b do Recanto Verde
       e oo                           Lodge em relação às atividades de lazer e
recreação é trazer um público que goste de ecoturismo, já que o hotel está situado
em uma grande área verde.
      As atividades que serão implantadas serão as seguintes:


   a) Trekking e Hikking
   Serão feitas trilhas de trekking e hikking ao ar livre onde os hóspedes poderão
desfrutar a calma e a beleza do lugar. Atividades estas com o auxílio de guias
especializados.


   b) Mountain B ike
   Serão feitos percursos no meio da mata, de acordo com as normas de
conservação, para a prática de mountain bike, com o auxílio e acompanhamento
de um instrutor. O equipamento utilizado será alugado pelo hotel.


   c) Montanhismo
   O hotel contará com uma boa equipe terceirizada, de montanhistas para
   acompanhar os hóspedes nas trilhas próximas ao hotel.
49




d)Turismo eqüestre
O hotel possuirá uma equipe que lidará com os cavalos, assim como um
instrutor para cavalgadas, tanto a nível rural, como de aventura.




f)Paragliding e Asa Delta
No alto de uma das montanhas do terreno do lodge já existe um salto natural
de paragliding e asa delta. Será uma excelente atração para aqueles que
buscam aventura.


   A equipe de lazer e recreação do hotel (terceirizada ou não) possuirá guias
especializados em trilhas e que conhecem bem o local. Sendo assim o
hóspede conhecerá cada lugar, cada cachoeira, aproveitando tudo que o lugar
pode lhe oferecer. Além disso, essa equip e procurará auxiliar os visitantes em
todos os seus passeios.
   Por se hotel de turismo ecológico, as pessoas que nele se hospedam
        urm
têm de saber que estão ali não só para descansar, mas para curtir a natureza.
   Os profissionaisneolvidos devem zelar para que as expectativas geradas
                    v
pela participação nas atividades se realizem de forma plena e satisfatória. Para
tanto, é preciso que, além da capacitação técnica, esses profissionais tenham
elevado grau de sensibilidade e compreensão, a fim de entender os desejos e
as necessidades dos participantes.

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Turismo de natureza
Turismo de naturezaTurismo de natureza
Turismo de naturezaTina Lima
 
Tipos de montagem de mesas para eventos
Tipos de montagem de mesas para eventosTipos de montagem de mesas para eventos
Tipos de montagem de mesas para eventosTOP INSPIRE
 
11 Cerimonial e protocolo em eventos Profª Drª Rita C. Giraldi
11 Cerimonial e protocolo em eventos Profª Drª Rita C. Giraldi11 Cerimonial e protocolo em eventos Profª Drª Rita C. Giraldi
11 Cerimonial e protocolo em eventos Profª Drª Rita C. GiraldiRita de Cássia GIRALDI
 
Free marketing plan sample of Windsor Marriott Heathrow London, by www.market...
Free marketing plan sample of Windsor Marriott Heathrow London, by www.market...Free marketing plan sample of Windsor Marriott Heathrow London, by www.market...
Free marketing plan sample of Windsor Marriott Heathrow London, by www.market...www.marketingPlanMODE.com
 
Conceitos e definições do turismo
Conceitos e definições do turismoConceitos e definições do turismo
Conceitos e definições do turismoDay Sanalves
 
PAP Power Point
PAP Power Point PAP Power Point
PAP Power Point Rui Pato
 
The ritz carlton hotel marketing presentation
The ritz carlton hotel marketing presentationThe ritz carlton hotel marketing presentation
The ritz carlton hotel marketing presentationMihran Kalaydjian
 
Hotel sales strategy
Hotel sales strategyHotel sales strategy
Hotel sales strategyNaresh Kumar
 
Como Elaborar um Plano de Marketing
Como Elaborar um Plano de MarketingComo Elaborar um Plano de Marketing
Como Elaborar um Plano de MarketingDeomari Fragoso
 

Destaque (17)

Turismo de natureza
Turismo de naturezaTurismo de natureza
Turismo de natureza
 
Mise En Place Mirian2
Mise En Place Mirian2Mise En Place Mirian2
Mise En Place Mirian2
 
Tipos de montagem de mesas para eventos
Tipos de montagem de mesas para eventosTipos de montagem de mesas para eventos
Tipos de montagem de mesas para eventos
 
Turismo no Espaço Rural: Um Estudo de Caso no concelho de Baião
Turismo no Espaço Rural: Um Estudo de Caso no concelho de BaiãoTurismo no Espaço Rural: Um Estudo de Caso no concelho de Baião
Turismo no Espaço Rural: Um Estudo de Caso no concelho de Baião
 
Turismo rural
Turismo ruralTurismo rural
Turismo rural
 
11 Cerimonial e protocolo em eventos Profª Drª Rita C. Giraldi
11 Cerimonial e protocolo em eventos Profª Drª Rita C. Giraldi11 Cerimonial e protocolo em eventos Profª Drª Rita C. Giraldi
11 Cerimonial e protocolo em eventos Profª Drª Rita C. Giraldi
 
Protocolo e Cerimonial
Protocolo e CerimonialProtocolo e Cerimonial
Protocolo e Cerimonial
 
Hotel marketing-plan
Hotel marketing-planHotel marketing-plan
Hotel marketing-plan
 
Free marketing plan sample of Windsor Marriott Heathrow London, by www.market...
Free marketing plan sample of Windsor Marriott Heathrow London, by www.market...Free marketing plan sample of Windsor Marriott Heathrow London, by www.market...
Free marketing plan sample of Windsor Marriott Heathrow London, by www.market...
 
Conceitos e definições do turismo
Conceitos e definições do turismoConceitos e definições do turismo
Conceitos e definições do turismo
 
PAP Power Point
PAP Power Point PAP Power Point
PAP Power Point
 
The ritz carlton hotel marketing presentation
The ritz carlton hotel marketing presentationThe ritz carlton hotel marketing presentation
The ritz carlton hotel marketing presentation
 
Plano de Marketing
Plano de MarketingPlano de Marketing
Plano de Marketing
 
Hotel sales strategy
Hotel sales strategyHotel sales strategy
Hotel sales strategy
 
Manual de etiqueta a mesa
Manual de etiqueta a mesaManual de etiqueta a mesa
Manual de etiqueta a mesa
 
Como Elaborar um Plano de Marketing
Como Elaborar um Plano de MarketingComo Elaborar um Plano de Marketing
Como Elaborar um Plano de Marketing
 
25 Hotel Marketing Ideas
25 Hotel Marketing Ideas 25 Hotel Marketing Ideas
25 Hotel Marketing Ideas
 

Semelhante a Plano de Marketing - Ecotel Adventure

8 As relações entre turismo, biodiversidade e áreas protegidas.pdf
8 As relações entre turismo, biodiversidade e áreas protegidas.pdf8 As relações entre turismo, biodiversidade e áreas protegidas.pdf
8 As relações entre turismo, biodiversidade e áreas protegidas.pdfHianaBrito1
 
Turismo sustentável slides (2)
Turismo sustentável slides (2)Turismo sustentável slides (2)
Turismo sustentável slides (2)rosaband
 
Seminário de abertura
Seminário de aberturaSeminário de abertura
Seminário de aberturaKarlla Costa
 
Texto 4 turismo sustentavel
Texto 4   turismo sustentavelTexto 4   turismo sustentavel
Texto 4 turismo sustentavelKarlla Costa
 
Sustentabilidade do turismo 11 4
Sustentabilidade do turismo 11 4Sustentabilidade do turismo 11 4
Sustentabilidade do turismo 11 4Joao Paulo Curto
 
Ecoturismo e Turismo de Aventura: aula 06
Ecoturismo e Turismo de Aventura: aula 06Ecoturismo e Turismo de Aventura: aula 06
Ecoturismo e Turismo de Aventura: aula 06Aristides Faria
 
ECOTURISMO NA BAHIA - POTENCIAL E EQUÍVOCOS DA ATIVIDADE NO
ECOTURISMO NA BAHIA - POTENCIAL E EQUÍVOCOS DA ATIVIDADE NOECOTURISMO NA BAHIA - POTENCIAL E EQUÍVOCOS DA ATIVIDADE NO
ECOTURISMO NA BAHIA - POTENCIAL E EQUÍVOCOS DA ATIVIDADE NOCarolina Spinola
 
Ecoturismo e Turismo de Aventura: aulas 07 a 09
Ecoturismo e Turismo de Aventura: aulas 07 a 09Ecoturismo e Turismo de Aventura: aulas 07 a 09
Ecoturismo e Turismo de Aventura: aulas 07 a 09Aristides Faria
 
Lazer Em Hospitalidade Meio Para Ea
Lazer Em Hospitalidade   Meio Para EaLazer Em Hospitalidade   Meio Para Ea
Lazer Em Hospitalidade Meio Para EaAristides Faria
 
O turismo na perspectiva da sustententabilidade
O turismo na perspectiva da sustententabilidadeO turismo na perspectiva da sustententabilidade
O turismo na perspectiva da sustententabilidadeFernando Zornitta
 
O turismo na perspectiva da sustententabilidade
O turismo na perspectiva da sustententabilidadeO turismo na perspectiva da sustententabilidade
O turismo na perspectiva da sustententabilidadeFernando Zornitta
 
Artigo: Viagens Sustentáveis
Artigo: Viagens SustentáveisArtigo: Viagens Sustentáveis
Artigo: Viagens SustentáveisMarianne Costa
 
Guia Turismo e Sustentabilidade - Mtur 2016
Guia Turismo e Sustentabilidade - Mtur 2016Guia Turismo e Sustentabilidade - Mtur 2016
Guia Turismo e Sustentabilidade - Mtur 2016EcoHospedagem
 
Apresentação inicial Plano de Desenvolvimento do Ecoturismo em Itanhaém
Apresentação inicial Plano de Desenvolvimento do Ecoturismo em ItanhaémApresentação inicial Plano de Desenvolvimento do Ecoturismo em Itanhaém
Apresentação inicial Plano de Desenvolvimento do Ecoturismo em ItanhaémTales Oliver
 
Fundamentos do Turismo (I): aula 04
Fundamentos do Turismo (I): aula 04Fundamentos do Turismo (I): aula 04
Fundamentos do Turismo (I): aula 04Aristides Faria
 

Semelhante a Plano de Marketing - Ecotel Adventure (20)

Ecoturismo
EcoturismoEcoturismo
Ecoturismo
 
8 As relações entre turismo, biodiversidade e áreas protegidas.pdf
8 As relações entre turismo, biodiversidade e áreas protegidas.pdf8 As relações entre turismo, biodiversidade e áreas protegidas.pdf
8 As relações entre turismo, biodiversidade e áreas protegidas.pdf
 
Ecoturismo
EcoturismoEcoturismo
Ecoturismo
 
Turismo sustentável slides (2)
Turismo sustentável slides (2)Turismo sustentável slides (2)
Turismo sustentável slides (2)
 
Seminário de abertura
Seminário de aberturaSeminário de abertura
Seminário de abertura
 
AULA 5 - COSTA RICA.pptx
AULA 5 - COSTA RICA.pptxAULA 5 - COSTA RICA.pptx
AULA 5 - COSTA RICA.pptx
 
Texto 4 turismo sustentavel
Texto 4   turismo sustentavelTexto 4   turismo sustentavel
Texto 4 turismo sustentavel
 
Sustentabilidade do turismo 11 4
Sustentabilidade do turismo 11 4Sustentabilidade do turismo 11 4
Sustentabilidade do turismo 11 4
 
Ecoturismo e Turismo de Aventura: aula 06
Ecoturismo e Turismo de Aventura: aula 06Ecoturismo e Turismo de Aventura: aula 06
Ecoturismo e Turismo de Aventura: aula 06
 
ECOTURISMO NA BAHIA - POTENCIAL E EQUÍVOCOS DA ATIVIDADE NO
ECOTURISMO NA BAHIA - POTENCIAL E EQUÍVOCOS DA ATIVIDADE NOECOTURISMO NA BAHIA - POTENCIAL E EQUÍVOCOS DA ATIVIDADE NO
ECOTURISMO NA BAHIA - POTENCIAL E EQUÍVOCOS DA ATIVIDADE NO
 
Ecoturismo e Turismo de Aventura: aulas 07 a 09
Ecoturismo e Turismo de Aventura: aulas 07 a 09Ecoturismo e Turismo de Aventura: aulas 07 a 09
Ecoturismo e Turismo de Aventura: aulas 07 a 09
 
Ecoturismo
EcoturismoEcoturismo
Ecoturismo
 
Lazer Em Hospitalidade Meio Para Ea
Lazer Em Hospitalidade   Meio Para EaLazer Em Hospitalidade   Meio Para Ea
Lazer Em Hospitalidade Meio Para Ea
 
O turismo na perspectiva da sustententabilidade
O turismo na perspectiva da sustententabilidadeO turismo na perspectiva da sustententabilidade
O turismo na perspectiva da sustententabilidade
 
O turismo na perspectiva da sustententabilidade
O turismo na perspectiva da sustententabilidadeO turismo na perspectiva da sustententabilidade
O turismo na perspectiva da sustententabilidade
 
Artigo: Viagens Sustentáveis
Artigo: Viagens SustentáveisArtigo: Viagens Sustentáveis
Artigo: Viagens Sustentáveis
 
Guia Turismo e Sustentabilidade - Mtur 2016
Guia Turismo e Sustentabilidade - Mtur 2016Guia Turismo e Sustentabilidade - Mtur 2016
Guia Turismo e Sustentabilidade - Mtur 2016
 
Apresentação inicial Plano de Desenvolvimento do Ecoturismo em Itanhaém
Apresentação inicial Plano de Desenvolvimento do Ecoturismo em ItanhaémApresentação inicial Plano de Desenvolvimento do Ecoturismo em Itanhaém
Apresentação inicial Plano de Desenvolvimento do Ecoturismo em Itanhaém
 
Fundamentos do Turismo (I): aula 04
Fundamentos do Turismo (I): aula 04Fundamentos do Turismo (I): aula 04
Fundamentos do Turismo (I): aula 04
 
TURISMO.docx
TURISMO.docxTURISMO.docx
TURISMO.docx
 

Mais de Fernando Alves (20)

Sescom 2010 ppt
Sescom 2010 pptSescom 2010 ppt
Sescom 2010 ppt
 
Quintosexto pp jabaquara prof allan
Quintosexto pp jabaquara   prof allanQuintosexto pp jabaquara   prof allan
Quintosexto pp jabaquara prof allan
 
Pi2010 pp 6_an+6bn
Pi2010 pp 6_an+6bnPi2010 pp 6_an+6bn
Pi2010 pp 6_an+6bn
 
Calendário 2º Semestre
Calendário 2º SemestreCalendário 2º Semestre
Calendário 2º Semestre
 
Formatura
FormaturaFormatura
Formatura
 
Condições de pagamento
Condições de pagamentoCondições de pagamento
Condições de pagamento
 
Programação
ProgramaçãoProgramação
Programação
 
Televisao
TelevisaoTelevisao
Televisao
 
Revista
RevistaRevista
Revista
 
Radio
RadioRadio
Radio
 
Outdoor
OutdoorOutdoor
Outdoor
 
Continuidade
ContinuidadeContinuidade
Continuidade
 
Mídia - Revisão
Mídia - RevisãoMídia - Revisão
Mídia - Revisão
 
Aula 10 (email)
Aula 10 (email)Aula 10 (email)
Aula 10 (email)
 
Mídia - Aula 9
Mídia - Aula 9Mídia - Aula 9
Mídia - Aula 9
 
Aula 8
Aula 8Aula 8
Aula 8
 
Estética e Arte Contemporânea - Aulas 3 e 4
Estética e Arte Contemporânea - Aulas 3 e 4Estética e Arte Contemporânea - Aulas 3 e 4
Estética e Arte Contemporânea - Aulas 3 e 4
 
Mídia Fatos 2009
Mídia Fatos 2009Mídia Fatos 2009
Mídia Fatos 2009
 
Raciocinio Criativo Na Publicidade
Raciocinio Criativo Na PublicidadeRaciocinio Criativo Na Publicidade
Raciocinio Criativo Na Publicidade
 
Midia - Aula 7
Midia - Aula 7Midia - Aula 7
Midia - Aula 7
 

Plano de Marketing - Ecotel Adventure

  • 1. 1 Plano de Marketing Empresa: Ecotel Adventure
  • 2. 4 1. Sumário executivo Conceito do Negócio O empreendimento a ser construído é um hotel ecológico (LODGE) voltado a exploração do ecoturismo, que traz na sua essência o contato com a natureza, respeitando-a, distanciando o hóspede da vida agitada dos grandes centros urbanos. O complexo é composto de chalés e apartamentos, num padrão de construção do tipo econômico, bastante preocupado com o conforto e o bem-estar da clientela. Este plano visa aproximar os aspectos mais importantes a serem considerados quando da implantação, organização e comercialização do Recanto Verde Lodge, equipamento turístico com serviços pioneiros no Estado do Paraná. • RA ZÃO SOCIAL DA EMPRESA: ECOTEL ADVENTURE LTDA
  • 3. 5 Mercado Em quase todo o mundo, o turismo é uma mina de ouro. Movimenta cerca de 3,4 trilhões de dólares ao ano, mais do que a fabricação de armas, a produção de automóveis ou a exploração de petróleo. Apesar do Brasil deter apenas 0,05% desse mercado, no ano passado quebrou-se um recorde, mais de 5.000.000 visitantes estrangeiros estiveram no país (Embratur, 2000). Especialistas concordam que há necessidade de criar novos produtos turísticos no país, movimentando ainda mais esta atividade. Particularmente este plano visa explorar o segmento que mais cresce, o Ecoturismo (20% ao ano). Este segmento do turismo está sendo implantado em várias regiões do Brasil, com objetivos de minimizar os problemas sócio-econômicos das comunidades do campo e os impactos ambientais em áreas ambientalmente frágeis. Governo, empreendedores e residentes locais vêem nesta atividade um forte pilar de sustentação da economia desde que planejado com profissionalismo, sempre evidenciando as questões sociais, culturais, ambientais e espaciais. Este plano de negócios enquadra-se no espírito do desenvolvimento sustentável, pois integra na sua definição um forte comprometimento com a natureza e sentido de responsabilidade social e tem potencialidades para realizar os anseios de seus clientes na fruição da natureza, construir uma via da preservação e diminuir os impactos negativos sobre os recursos naturais, a comunidade local e sua cultura. Estratégia de Marketing A estratégia de marketing da ECOTEL ADVENTURE Ltda. visa ganhar mercado rapidamente, focando primeiramente em São Paulo, e gradativamente em outras cidades brasileiras. Após este estágio, convênios e acordos com operadoras turísticas do exterior visarão os visitantes de outros países.
  • 4. 6 A carteira de clientes incluirá principalmente executivos de grandes empresas e turistas de classe média alta. Estrutura e Operação Hotel ecológico ou lodge é um meio de alojamento alternativo dispendioso e normalmente mais confortável. É constituído por diversas unidades habitacionais (quartos ou apartamentos), as quais devem dispor de camas, armário/estante, banheiro, abastecimento de água e de energia e lixeiras. Em 13 de dezembro de 1977 foi aprovada a Lei Federal nº 6.505 que regulamenta os tipos de Meio de Hospedagem de Turismo Ambiental e Ecológico (os Lodges). Seis anos depois, o Conselho Nacional de Turismo emitiu o presente Regulamento e a Matriz de Classificação desse tipo de meio de hospedagem. Este plano visa atender as condições deste Regulamento conforme no tocante ao seu artigo 2, conforme segue: “Art. 2 – Considerando-se Meios de Hospedagem Ambiental e Ecológico (“Lodges”) os empreendimentos que atendam cumulativamente às seguintes condições: I – estejam localizados em áreas de selva densa ou de outras belezas naturais preservadas; II – estejam totalmente integrados à paisagem local, sem qualquer interferência ao meio ambiente; III – situe-se em regiões distantes de centros urbanos, com ausência ou dificuldades de acesso regular e de serviços públicos básicos; IV – ofereçam a seus usuários instalações, equipamentos e serviços simplificados, próprios ou contratados, destinados ao transporte para o local, hospedagem, alimentação, e programas
  • 5. 7 voltados à integração com o meio ambiente e o seu aproveitamento turístico.” Estratégia de Crescimento A empresa pretende aumentar a sua demanda em 20% ao ano, por conseqüência do marketing a ser realizado. Porém, seu crescimento construtivo ficará limitado devido aos regulamentos de proteção ambiental.
  • 6. 8 2. Análise Externa e Conceito do Negócio O setor do turismo tornou-se um fenômeno mundial ao longo das últimas quatro décadas e, diversos especialistas consideram-no a maior atividade econômica do mundo. Grande parte dos turistas vão para destinos tradicionais de turismo de massa, o que começou a gerar impacto na ocupação das infra- estruturas e degradação ambiental acelerada das regiões de acolhimento. A necessidade de fuga ao estilo de vida “urbano”, a procura de locais mais saudáveis e a conscientização das pessoas relativamente aos problemas ambientais fizeram nascer o Ecoturismo e, com ele, a busca da valorização intelectual, em locais de características únicas e de elevada sensibilidade cultural e ecológica. O Ecoturismo é o segmento que mais cresce dentro do setor turístico, em uma proporção de 20% ao ano, segundo a Organização Mundial do Turismo. O Estado do Paraná bem representa este fenômeno, como pode ser constatado pela contínua criação de novos parques de conservação ambiental, surgimento de agências especializadas em turismo ecológico e rural, e até mesmo no aumento da venda de equipamentos e vestuário específico para a atividade. Surge, assim, um segmento do turismo que é uma oportunidade de gerar receitas para financiar a proteção do meio ambiente e valorizar os recursos naturais. A forma como essas receitas podem efetivamente subsidiar a preservação e a conservação e, de que maneira se pode atribuir um valor monetário aos recursos naturais é o tema central do novo ramo da economia ambiental, ou seja, o DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL. O desenvolvimento do turismo sustentável pode satisfazer as necessidades econômicas, sociais e estéticas, mantendo, simultaneamente, a integridade cultural e ecológica, tornando-se uma atividade benéfica para os anfitriões e para os visitantes enquanto protege e
  • 7. 9 melhora a mesma oportunidade para o futuro (Embratur, 1995). O planejamento, desenvolvimento e operação do turismo devem ser parte de estratégias de conservação ou de desenvolvimento sustentável para uma região, província (estado) ou nação. O planejamento, o desenvolvimento e a operação do turismo devem ser intersetorial e integrado, envolvendo várias organizações governamentais, empresas privadas, grupos de cidadãos e indivíduos, permitindo deste modo obter o maior número possível de benefícios. O Desenvolvimento Sustentável salva a matéria prima do turismo, que é a cultura do povo e o próprio local visitado. O Ecoturismo, como opção para o desenvolvimento sustentável de comunidades carentes, já é reconhecido a nível nacional pelo lançamento, em março de 1995, das Diretrizes para uma Política Nacional de Ecoturismo, num projeto entre o Ministério da Indústria, do Comércio e do Turismo e do Ministério do Meio Ambiente e da Amazônia Legal. Vários itens do documento sinalizaram apoio a planos e projetos como o que aqui se apresenta. 2.1. Localização Cada grupo desenvolverá seu projeto na cidade selecionada.
  • 8. 11 O próprio hotel poderá ser considerado como uma atração à parte. Integrado à natureza, irá dispor de um restaurante regional, um bar com deck, circulação com paredes de vidro que permitem uma visualização incrível. Além de um centro de visitantes que servirá tanto como um museu de motivos ecológicos, como também uma sala de eventos e exposições. 2.2.2. Demanda Entende-se que o público-alvo para este empreendimento seja aqueles amantes da natureza, os ecoturistas. Teoricamente, existem quatro tipos de ecoturistas: • Adultos – osta de qualidade nos serviços, inteligente, educado, culto, g exigente, gosta do rústico e não de precário, quer qualidade de vida e anular o stress. • Estdantes – têm interesses pedagógicos, como por exemplo: história u (caminhos, fortes, campos de batalha, etc.), geografia (relevo, clima, etc.), ciências (energia, astronomia), ou outros interesses como sociabilização e lazer. É uma ótima opção para dias de semana. • Especia listas – fazem estudos, como por exemplo: observadores de pássaros, ovinistas, místicos, biólogos, ruralistas, esotéricos, cientistas de fim de semana, terceira idade, etc. • Espoirttas e aventureiros – realizam atividades como: enduro a pé ou a s cavalo, cicloturismo (mountain bike), alpinismo ou montanhismo, espeleologia, mergulho, vôo de asa delta, paragliding, trekking (pernoite), hikking (um dia), rafting, cannyoning, canoeing, cross country, turismo eqüestre (tropeirismo) e rally de motos e jipes. A campanha deverá atingir homens e mulheres, com idade entre 20 a 30 anos, das classes ABC.
  • 9. 12 2.2.2.1. Pesquisa de Demanda Foram realizadas duas pesquisas para auxiliar no planejamento deste empreendimento turístico. São elas: Com os dados obtidos desta investigação, conclui-se que existe demanda suficiente para este empreendimento (fato que é reforçado pelo aumento do Ecoturismo e inchaço das grandes cidades), o que justifica sua implantação no que se refere à procura do produto, ou seja, haverá uma taxa de ocupação suficiente. 2.3. Concorrência Na cidade não existe oferta de qualquer hotel com as características de um hotel . ecológico.
  • 10. 16 4. Estratégias 4.1. Estratégia de negócios As instalações deste hotel servirão como “janelas para o mundo natural” e funcionarão como veículos para o aprendizado e a compreensão da natureza. Embora seja apenas um componente do ecoturismo, este projeto reforça e busca aumentar a satisfação do ecoturista e a compreensão do local. Será proporcionado um alojamento confortável, com baixo impacto ecológico, sendo esta a chave para o sucesso de instalações ecoturísticas. As potencialidades mais importantes a serem exploradas são: a) Ecoturismo: a integração com a natureza possibilita experiências do hóspede com o ambiente natural, o que define o ecoturismo e suas atividades como o principal atrativo do hotel no início de suas atividade. b) Eventos relacionados à natureza: o setor de eventos aparece como o mais promissor do hotel, uma vez que com um bom plano de divulgação e promoção, virtualmente garantirá uma ocupação regular. c) Restaurane regional: culinária local e natural. t 4.2. Análise SWOT Pontos Fortes Pontos Fracos • Localização privileg iada • Sazonalidade • Atividades ecotur ísticas • Altcusto de mão-de-obra o • Desig moderno e ecológico n • Espa limitados para construção ços Oportunidades Ameaças • Crescene demanda de ecoturismo e t • Alta rotatividade dos funcionários na eventos hotelaria • Aumento do interesse por produtos • Inverno sev o (frio e úmido) re regionais (artesanato, gastronomia) • Único lodge do sul do país • Crescente número de concorrentes (spas, hotéis de lazer, atividades tur.)
  • 11. 17 4.3. C igo de conduta dó Serão definidos padrões éticos para as instalações, como por exemplo: a construção de apartamentos que “não agridam o meio ambiente”, isto é, utilizar- se-á materiais e técnicas de construção que resultam em baixo impacto ambiental. Os quartos terão recipientes para a coleta de materiais recicláveis, encorajando seus hóspedes à conservação. Neste caso precisa ser preservada a Mata Atlântica, que não representa sequer uma formação contínua. Abrange florestas isoladas, ao longo da costa e está reduzida a menos de 10% de sua área original. Mesmo assim, abriga ainda um grande número de espécies endêmicas, isto é, que ocorre apenas nesse tipo de floresta. De cada três espécies de bromélias ou de palmeiras conhecidas, por exemplo, duas são exclusivas da Mata Atlântica. A grande variedade de espécies de animais encontrados nessa floresta pode ser comprovada por uma pesquisa realizada na Área de Interesse Turístico do Marumbi. Foram registradas 300 espécies de aves, 70 espécies de mamíferos, 61 espécies de anfíbios, 36 espécies de repteis e 37 espécies de peixes. A onça-pintada, a anta, a suçurana, os cachorros do mato, o macaco – prego, o gavião carijó e o tucano são alguns dos mais importantes moradores da Serra do Mar. A constante ameaça de destruição da Mata Atlântica coloca todas essas espécies sob risco de extinção. A criação de um hotel ecológico tem como prioridade reservar sua matéria- prima, “a floresta”, transformando-se em uma área natural protegida, ou seja, uma unidade de conservação. Uma unidade de conservação cumpre diferentes funções, como proteger áreas naturais com fins científicos, de recreação e de educação ambiental.
  • 12. 18 4.4. Visão Ser um centro de excelência em qualidade de vida. 4.5. Missão Nossa missão é hospedar amantes da natureza, servindo-os com qualidade e conforto, contribuindo para com o município na preservação do meio ambiente e qualificação dos recursos humanos para a atividade turística.
  • 13. 34 6.6. Restaurante (Alimentos e Bebidas) 6.6.1. Serviços O sistema do restaurante será a La Carte, evitando os desperdícios do Buffet, mas que também poderá ser usado como uma alternativa para os dias de eventos. 6.6.2. Produção Haverá um cálculo de previsão do preparo dos pratos, assim como, um tempo médio pré-estabelecido. Poderá ser plantada uma pequena horta, para minimizar custos de fornecimento. Além do uso de restos de comida como adubo. 6.6.3. Cardápio O cardápio foi elaborado a partir das características dos clientes, da empresa, do serviço, das margens de lucro objetivadas, dos equipamentos e utensílios, horário de atendimento, mão de obra disponível, compras e armazenagem. Será trabalhado com estatísticas, verificados os pratos e bebidas mais e menos vendidos e serão feitos cálculos para aumentar margens de lucro. O café da manhã será de estilo colonial, por ser mais reforçado. No almoço serão destacadas as comidas naturais e regionais (por exemplo, feijoada no sábado e barreado no domingo). Também serão vendidos sanduíches e sucos naturais no bar para as caminhadas do dia. Serão evitadas as bebidas alcoólicas, para não haver problemas com os hóspedes posteriormente.
  • 14. 35 6.6.4. Ambiente A iluminação ficará ótima com luz ambiente através de “janelões” e o bar com um deck com vista para o vale e as montanhas. A decoração será rústica e simples, combinando com o material de construção: a madeira. Haverá também música ambiente no local. 6.7. Avaliação das instalações Criaremos istema de avaliação de desempenho, o “Relatório Verde”, um s que constitua um instrumento de controle sobre o empreendimento e nos atualize a respeito das vontades do hóspede (ver anexo). 6.8. Logística do Ecotel Adventure ogíAtilca é vista como um processo que gerenciará estrategicamente a s aquisição, a movimentação e armazenagem dos materiais e alimentos através de uma organização prévia. Tudo isso, para maximizar as lucratividades encantando clientes externos e internos, além de satisfazer as necessidades básicas do empreendimento.
  • 15. 39 8.2. Descrição do empreendimento O lodge oferece aos seus hóspedes as seguintes instalações e serviços: a-)no estabelecimento: • bar/coffee shop • restaurante • lavanderia • saguão co TV e lareira m b-)nas unidades habitacionais: • frigobar • telefone • TV comcircuito fechado • BWC privat ivo
  • 16. 40 8.2.1. Detalhamento das instalações a)Unidades Habitacionais 05 chalés com 26,40 m2 e 17,50 m2 com 4 leitos. 15 apartamentos com 23,40 m2 e 2 leitos. b) Instalações 2 m Bar/Coffee Shop 62,50 Recepção 12,50 Restaurante 117,50 Cozinha 88,70 Lavanderia 40,00 Área Administrativa 12,50 Alojamento para Empregados 77,30 Saguão com TV e lareira 42,18 Área de circulação 1,57 14 Estábulos 100,00 Centro de Visitantes 1,81 13 Casa de Máquinas 50,00 Depósito de Lixo ,00 8 Estacionamento 510,00 c)Terreno 2 Área To 500.000 m al 5.t
  • 17. Receita estimada com propaganda a)Publicidade (2% da receita total) R$ 63.093,90 Período da Campanha a) 6 Meses (De Julho/2010 a Dezembro/2010)
  • 18. 48 Anexo 1 Atividades de lazer e recreação livre o A “pção” e a necessidade de sair do cotidiano, longe do trabalho e da rotina, são características comuns às atividades de lazer e recreação, e em busca dessa necessidade de mudança surgem atividades relacionadas com a ecologia que fazem as pessoas se libertarem e conhecerem melhor o meio em que vivem. ruteração de um hotel prestador de serviços de lazer e recreação A ust surge a partir de uma idéia e as suas chances de êxito dependem da base técnica e de várias habilidades que seus responsáveis devem, necessariamente possuir. Ao se construh um prestador de serviços de lazer e recreação, deve- irotel se ter em mente as atividades que queira proporcionar aos seus hóspedes. jOtiv b do Recanto Verde e oo Lodge em relação às atividades de lazer e recreação é trazer um público que goste de ecoturismo, já que o hotel está situado em uma grande área verde. As atividades que serão implantadas serão as seguintes: a) Trekking e Hikking Serão feitas trilhas de trekking e hikking ao ar livre onde os hóspedes poderão desfrutar a calma e a beleza do lugar. Atividades estas com o auxílio de guias especializados. b) Mountain B ike Serão feitos percursos no meio da mata, de acordo com as normas de conservação, para a prática de mountain bike, com o auxílio e acompanhamento de um instrutor. O equipamento utilizado será alugado pelo hotel. c) Montanhismo O hotel contará com uma boa equipe terceirizada, de montanhistas para acompanhar os hóspedes nas trilhas próximas ao hotel.
  • 19. 49 d)Turismo eqüestre O hotel possuirá uma equipe que lidará com os cavalos, assim como um instrutor para cavalgadas, tanto a nível rural, como de aventura. f)Paragliding e Asa Delta No alto de uma das montanhas do terreno do lodge já existe um salto natural de paragliding e asa delta. Será uma excelente atração para aqueles que buscam aventura. A equipe de lazer e recreação do hotel (terceirizada ou não) possuirá guias especializados em trilhas e que conhecem bem o local. Sendo assim o hóspede conhecerá cada lugar, cada cachoeira, aproveitando tudo que o lugar pode lhe oferecer. Além disso, essa equip e procurará auxiliar os visitantes em todos os seus passeios. Por se hotel de turismo ecológico, as pessoas que nele se hospedam urm têm de saber que estão ali não só para descansar, mas para curtir a natureza. Os profissionaisneolvidos devem zelar para que as expectativas geradas v pela participação nas atividades se realizem de forma plena e satisfatória. Para tanto, é preciso que, além da capacitação técnica, esses profissionais tenham elevado grau de sensibilidade e compreensão, a fim de entender os desejos e as necessidades dos participantes.