Aleitamento

13.763 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
2 comentários
9 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
13.763
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
362
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
685
Comentários
2
Gostaram
9
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aleitamento

  1. 1. Aleitamento Materno Enfª Solange Ap. Broggine
  2. 2. Ministério da Saúde e Organização Mundial da Saúde Recomendam:• Amamentação exclusiva até os 6 meses;• Amamentação continuada até os 2 anos ou mais.
  3. 3. Anatomia da MamaPartes da mama envolvidas na lactação
  4. 4. Hormônios produzidos pelos Ovários• Estrógeno - promove rápido aumento das mamas, contribui ainda para a manutenção hídrica e aumenta a circulação;• Progesterona - complementa os efeitos do estrogênio nas mamas, promovendo o crescimento dos elementos glandulares, o desenvolvimento do epitélio secretor e a deposição de nutrientes nas células glandulares;
  5. 5. Hormônios produzidos pela Hipófise• Prolactina - Estimula a produção de leite (após a estimulação prévia das glândulas mamárias por estrógeno e progesterona).• Ocitocina - Promove a ejeção do leite durante a amamentação.
  6. 6. Como manter elevado o nível de Prolactina• Manter uma boa pega do bebê ao seio;• Não usar bicos;• Amamentar o bebê sempre que ele quiser;• Deixar que ele mame durante o tempo que desejar;• As mamadas noturnas aumentam a produção de prolactina.
  7. 7. OcitocinaEstimula contração Descida do leite atédas cel. alveolares os ductos lactíferos(mioepiteliais). onde fica disponível. Reflexo de ejeção ou descida do leite O ritmo da sucção do bebê muda: rápido, regular, profundo e lento.
  8. 8. A liberação da ocitocina pode ser temporariamente diminuída pelos seguintes fatores:• Dor (fissuras nos mamilos, incisão cirúrgica);• Estresse, dúvidas, vergonha ou ansiedade;• Nicotina, álcool ou alguns medicamentos.
  9. 9. Importância da amamentação• Estabelecer o vínculo e o desenvolvimento do bebê;• Fornecer água e nutrição adequada para esta fase do crescimento;• Proteger contra infecções e alergias;
  10. 10. Importância do aleitamento para a mãe• Reduz risco de hemorragias;• Estabelece reserva de ferro no organismo;• Reduz incidência de câncer de mama e ovário;• Diminui possibilidade de uma nova gestação;• Reduz índice de depressão pós parto;• Reduz gastos sócio-econômicos.
  11. 11. Vantagens do aleitamento exclusivo até o 6 mês• Estimula maturação do SNC e Sistema Imunológico;• Melhora o desenvolvimento psicomotor , emocional e social;• Favorece a absorção de cálcio;• Auxilia na recuperação do bebê;• Eleva o QI.
  12. 12. Proteção contra Infecções• Menos diarréia, infecções respiratórias e otites• Agentes anti-inflamatórios• Linfócitos e Macrófagos• Anticorpos -doenças anteriores da mãe• Reage melhor às doenças• QI mais elevado
  13. 13. Continuação• Diminuir o desmame precoce evitável;• Diminuir a morbimortalidade infantil;• Recuperar o papel da equipe de ESF na promoção do aleitamento.
  14. 14. Leite Humano• Inicia-se com o colostro após o 7º mês de gestação é o alimento ideal para o bebê, possui coloração clara é espessa.• Apresenta uma quantidade maior de proteína e vitamina A, além de possuir efeito laxativo que previne icterícia.• Possui Imunoglobulinas ou seja é a 1ª vacina.
  15. 15. Características bioquímicas do leite materno• Gordura; • Água;• Proteína; • Vitaminas;• Açúcar; • Anticorpos;• Ferro; • Sais; • Enzimas.
  16. 16. Fatores que interferem ao aleitamento materno• Desinformação da população e dos profissionais área da saúde;• Situação econômica da família;• Inserção da mulher no mercado de trabalho;• Cultura e educação dos familiares;• Não cumprimento da legislação para amamentação;
  17. 17. Continuação• Propaganda de fórmulas infantis;• Falta de preparo no período do pré-natal;• Líquidos oferecidos ao bebê;• Oferecer chupetas ou mamadeiras;• Limitar o tempo de duração das mamadas;• Limitar a quantidade das mamadas.
  18. 18. Orientações para PuérperaÉ importante orientar a puérpera que o RN possui necessidades nutricionais diferentes aos esquemas geralmente rígidos impostos por horários pré estabelecidos.
  19. 19. Orientações• Em alguns casos o surgimento de leite pode aumentar rapidamente nos primeiros dias, em outros pode ser gradual.• Na realidade podem se passar algumas semanas para que acha um suprimento adequado ao RN.
  20. 20. Na Visita Domiciliar devemos:• Identificar a dinâmica familiar e a rede de apoio;• Avaliar situação vacinal e encaminhar se necessário;• Observar a maneira como é oferecida a mamada - (posição, higiene, duração);• Aspectos das mamas;• Ouvir a puérpera e identificar dificuldades e ansiedades.
  21. 21. Sinais de BOA PEGA• A boca está bem aberta;• O lábio inferior voltado para fora;• O queixo toca o seio;• Há mais aréola visível acima da boca do que abaixo;• A barriga da criança encosta na barriga da mãe;
  22. 22. A Pega e a Sucção
  23. 23. Posições para a mãe• A mãe pode ficar DEITADA, SENTADA ou em PÉ.• O importante é a mãe e o bebê sentirem-se bem confortáveis;• Se a mãe estiver deitada ela deve ficar de lado e de frente para o RN;• A mãe também pode dar de mamar recostada na cama;• A mãe pode cruzar as pernas ou usar travesseiros sobre suas coxas, ou ainda usar embaixo dos pés um apoio para facilitar a posição do bebê.
  24. 24. Posição para Bebê• O corpo do bebê deve estar inteiramente de frente para a mãe e bem próximo;• O bebê deve estar alinhado, a cabeça e a coluna em linha reta, no mesmo eixo;• A boca do bebê deve estar de frente para o bico do peito;• A mãe deve apoiar com o braço e a mão o corpo e o “bumbum” do bebê;
  25. 25. Continuação• Aproximar a boca do bebê bem de frente ao peito, para que ele possa colocar a maior parte da aréola dentro da boca;• Queixo bebê deve estar tocando o peito da mãe.
  26. 26. Queixas Frequentes• Fissuras ou Rachaduras - Ocorre quando posicionamento ou a pega estão errados.• Como Evitar: Manter os peitos enxutos; Evitar que os peitos fiquem muito cheios ou doloridos; Posicionar o bebê corretamente no momento da mamada.
  27. 27. Leite Empedrado ou Mama ingurgitada• Uma forma de evitar que o leite fique “empedrado” é colocar o bebê para mamar sob livre demanda.• Se as mamas estiverem muito cheias deve-se retirar o excesso e oferecer o peito com maior freqüência;
  28. 28. Continuação• Se não melhorar em 24 horas, a mama ficar avermelhada e a mãe tiver febre, deve procurar o médico para evitar complicações como mastite ou abscessos.• O melhor tratamento é a ordenha do peito.• Ingurgitamento geralmente ocorre nos dois peitos e nas duas primeiras semanas após o parto.
  29. 29. Mastite• É a inflamação das glândula mamária geralmente acomete só um peito e após duas semanas do parto. Quando não tratado adequadamente pode evoluir para abscesso.• A mastite não contra-indica a amamentação.
  30. 30. Mitos• Amamentação deixa o seios caídos;• Meu leite é fraco não sustenta;• Prematuro não pode mamar só no peito;• Criança que arrota no peito seca o leite;• Mãe que trabalha não pode amamentar.
  31. 31. A Enfermagem no estímulo a amamentação• É necessário que os profissionais manejem a problemática, apóiem e orientem adequadamente a família que amamenta.• O desafio deste século é: reconhecer que erramos na qualidade de mamíferos racionais e de profissionais especializados; mudar posturas, comportamentos, filosofia de saúde e de assistência à criança; rever constantemente e incorporar as práticas trazidas pelo progresso.
  32. 32. Bibliografia• Erna E. Ziegel – Mecca S. Cranley. - 8º edição - Editora Guanabara Koogan – 1986 RJ, pg. 533,538,539;• Secretaria Municipal de Saúde SP – Protocolo de Saúde da Mulher;• Pontifícia Universidade Católica do Paraná - PALMA – Programa de Aleitamento Materno - Selma Campestrini• http://www.afh.bio.br/reprod/reprod4.asp;• http://www.cremerj.org.br/palestras/310.PDF.

×