E.E.PROFº LUIZ GONZAGA RIGHINI
RADIAÇÃO NO MEIO AMBIENTE
Efeitos da radiação no meio
ambiente
 A exposição de material nuclear ao meio ambiente libera substâncias radioativas no ...
Contaminação
 Acidentes nucleares têm consequências graves e de longa duração para o meio ambiente e as populações
próxim...
A Historia da radioatividade
 A história da radioatividade está intimamente ligada ao físico
francês Henri Becquerel. Ele...
Mas o que,de fato,causa tanto
mal?
 Na verdade, o material nuclear libera substâncias
radioativas no ar, no solo e na águ...
Fonte:
 irradiandoinformacao.wordpress.com
veja.abril.com.br/.../a-marca-da-radiacao-no-
ambiente
redes.moderna.com.br/20...
Alunos(a):
 Thayná Oliveira
 Deborah Santos
 Eliane
 Raísa
Radiação no meio ambiente   3 e noturno  -
Radiação no meio ambiente   3 e noturno  -
Radiação no meio ambiente   3 e noturno  -
Radiação no meio ambiente   3 e noturno  -
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Radiação no meio ambiente 3 e noturno -

170 visualizações

Publicada em

Projeto @ Bio
Profª Maria Teresa Iannaco Grego

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
170
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Radiação no meio ambiente 3 e noturno -

  1. 1. E.E.PROFº LUIZ GONZAGA RIGHINI RADIAÇÃO NO MEIO AMBIENTE
  2. 2. Efeitos da radiação no meio ambiente  A exposição de material nuclear ao meio ambiente libera substâncias radioativas no ar e no solo. Essas substâncias contaminam plantas, rios, os animais e as pessoas em volta. Os dois elementos mais perigosos são o iodo radioativo e o césio, subprodutos da fissão nuclear do urânio. Em Chernobyl, o césio contaminou em cadeia: o solo, a vegetação que extraía nutrientes deste solo, o gado que se alimentava desta vegetação e, por fim, as pessoas que tomaram o leite de vacas contaminadas. “A radiação não deixa o solo infértil, mas tudo que cresce ali acaba contaminado”, explica o engenheiro agrônomoVirgílio Franco, do Centro de Energia Nuclear naAgricultura da USP.  Um dos grandes problemas da contaminação nuclear, segundo Franco, é que os níveis de radioatividade podem permanecer altos por décadas. Chama-se decaimento radioativo o processo pelo qual um isótopo radioativo, instável, perde energia espontaneamente e se transforma em átomo mais estável, não radioativo. Esse processo pode levar dias, como é o caso do iodo radioativo, ou décadas, no caso do césio radioativo. “Apesar de ser eliminado em até 30 dias pelo corpo humano, o césio pode durar 60 anos no ambiente, até desaparecer completamente”, diz Franco.  No solo a radiação contamina a radiação e tudo que crescer nesse solo estará contaminado; na água a radiação pode depositar césio nos lençóis freáticos e contaminar quem entrar em contato com essa água no ar grande parte dos elementos radioativos não fica suspenso no ar, mas alguns elementos como o iodo radioativo continuam na atmosfera por um tempo e pode ser inspirado por animais e seres humanos, e dependendo do nível de radiação, o contato pode causar queimaduras na pele.
  3. 3. Contaminação  Acidentes nucleares têm consequências graves e de longa duração para o meio ambiente e as populações próximas. Passados 25 anos do pior desastre nuclear da história, Chernobyl é ainda hoje uma cidade-fantasma na Ucrânia. Não é permitido ficar mais de 15 minutos nas imediações da antiga usina soviética, cujo reator explodiu em 1986, matando 30 funcionários em apenas 30 dias e contaminando toda a vida ao seu redor.  A exposição de material nuclear ao meio ambiente libera substâncias radioativas no ar e no solo. Essas substâncias contaminam plantas, rios, os animais e as pessoas em volta. Os dois elementos mais perigosos são o iodo radioativo e o césio, subprodutos da fissão nuclear do urânio. Em Chernobyl, o césio contaminou em cadeia: o solo, a vegetação que extraía nutrientes deste solo, o gado que se alimentava desta vegetação e, por fim, as pessoas que tomaram o leite de vacas contaminadas. “A radiação não deixa o solo infértil, mas tudo que cresce ali acaba contaminado”, explica o engenheiro agrônomoVirgílio Franco, do Centro de Energia Nuclear na Agricultura da USP.  Um dos grandes problemas da contaminação nuclear, segundo Franco, é que os níveis de radioatividade podem permanecer altos por décadas. Chama-se decaimento radioativo o processo pelo qual um isótopo radioativo, instável, perde energia espontaneamente e se transforma em átomo mais estável, não radioativo. Esse processo pode levar dias, como é o caso do iodo radioativo, ou décadas, no caso do césio radioativo. “Apesar de ser eliminado em até 30 dias pelo corpo humano, o césio pode durar 60 anos no ambiente, até desaparecer completamente”, diz Franco.  Especialistas não acreditam que a crise nuclear no Japão ganhe as mesmas proporções da tragédia de Chernobyl, apesar das incertezas que ainda cercam o acidente. Em escala de emergência, o desastre na usina de Fukushima alcançou o mesmo grau de outro grave acidente nucler, o deThree Mile Island, nos EUA, em 1979. Na usina americana, ao contrário da soviética, não houve explosão do reator, mas sim o derretimento parcial das varetas de combustível - risco que também corre a usina japonesa. O derretimento das varetas deThree Mile Island liberou uma quantidade de radiação que expôs a população ao redor a níveis, em média, equivalentes a apenas um exame de raio-X. Nos casos mais extremos, foram registrados níveis de exposição equivalentes a um terço da radiação natural absorvida durante um ano.
  4. 4. A Historia da radioatividade  A história da radioatividade está intimamente ligada ao físico francês Henri Becquerel. Ele foi o responsável pela descoberta da radioatividade do urânio e de outras substâncias, em 1896.Vindo de uma tradicional família de cientistas, Henri Becquerel estudou Ciências na Escola Politécnica e engenharia na Escola de Pontes e Estradas, em Paris, assumindo a cadeira de Física na Escola Politécnica, em 1895, como assistente de seu pai, Alexandre- Edmond Becquerel.  Ao lado do pai, Henri inicia seus estudos sobre radiação e o espectro de diversos cristais fosforescentes. Em 1896, o físico concluiu que a radiação era provocada pela instabilidade dos núcleos de certos átomos. Entre 1896 e 1898, publica uma série de estudos sobre a relação entre a absorção da luz e a fosforescência em alguns compostos de urânio, percebendo a existência de três rios distintos nesses processos: o alfa, o beta e o gama.
  5. 5. Mas o que,de fato,causa tanto mal?  Na verdade, o material nuclear libera substâncias radioativas no ar, no solo e na água, contaminando todos os ecossistemas e as pessoas.O enriquecimento e a fissão nuclear do urânio dão origem a dois subprodutos extremamente perigosos: o Césio e o Iodo Radioativo.  O grande problema da radiação no meio ambiente está no tempo de contaminação. Os especialistas explicam que, além de contaminar a vida existente, os índices de radioatividade nesses lugares permanecem altos por décadas e gerações são atingidas pelos efeitos colaterais. Em termos práticos, a radiação não torna o solo infértil, mas contamina as novas plantações.
  6. 6. Fonte:  irradiandoinformacao.wordpress.com veja.abril.com.br/.../a-marca-da-radiacao-no- ambiente redes.moderna.com.br/2012/06/.../a- radioatividade-e-o-meio-ambiente
  7. 7. Alunos(a):  Thayná Oliveira  Deborah Santos  Eliane  Raísa

×