P r. N a t a l i n o d a s N e v e s
www.natalinodasneves.blogspot.com.br
Demais
subsídios:
Acompanhe os comentários em
vídeo desta e outras lições no
blog:
www.natalinodasneves.blogspot.com.br
Texto Áureo
"Mas o Espírito expressamente diz
que, nos últimos tempos,
apostatarão alguns da fé, dando
ouvidos a espíritos...
Verdade Prática
A apostasia e a infidelidade a
Deus são características
marcantes dos tempos do fim.
LEITURA BÍBLICA
1 Tm 4.1,2, 5-8; 12,
16.
1 - Mas o Espírito expressamente diz que, nos últimos tempos, apostatarão alguns ...
Objetivos
 Tratar a respeito da apostasia dos homens.
 Compreender que o bom ministro deve ser fiel ao
Senhor.
 Refleti...
INTERAGINDO
COM O
PROFESSOR
LB – Edição
professor
N a liç ão d e hoje es tudar emos a r es peito d a apos tas ia,
fidelida...
INTERAGINDO
COM O
PROFESSOR
LB – Edição
professor
Atualmente, o pastor, não p o d e se c alar diante d a
apos tas ia d o n...
INTRODUÇÃO
INTRODUÇÃO
• Nesta lição será enfatizado o cuidado
que os líderes devem ter com os falsos
mestres.
• Esta era a missão de ...
PONTO
CENTRAL
Na atualidade, muitos estão
apostatando da fé genuína em
Jesus Cristo por falta de ensino
das Sagradas Escri...
I - A APOSTASIA
I - A APOSTASIA
• Últimos tempos: ressurreição de Jesus
até o seu reaparecimento (2ª vinda) –
dentro da história.
• A igre...
I - A APOSTASIA
• Paulo emprega uma linguagem dura,
com os falsos mestres não há diálogo.
• Apostasia significa "abandono
...
I - A APOSTASIA
• Os falsos mestres eram e continuam
sendo uma ameaça para a Igreja de
Cristo.
• Ensino dos falsos mestres...
I - A APOSTASIA
• A "doutrina de demônio“, às vezes, vem
infiltrada em muitas teologias pregadas
em nossos púlpitos: teolo...
I - A APOSTASIA
• Os falsos mestres eram mentirosos
(espíritos enganadores) e faziam de
tudo para manipular os crentes de
...
Líder, como você tem procedido com as
mensagens que são pregadas nos
púlpitos de sua igreja?
Líder, o que tem feito para s...
SÍNTESE DO TÓPICO I
Paulo advertiu a Timóteo
para que ele combatesse os
falsos mestres e seus
ensinos que levavam as
II - A FIDELIDADE
DOS MINISTROS
II - A FIDELIDADE
DOS MINISTROS
• O bom ministro é aquele que serve a
Igreja, exortando, ensinando e
discipulando suas ove...
II - A FIDELIDADE
DOS MINISTROS
• "Mas rejeita as fábulas profanas e de
velhas e exercita-te a ti mesmo em
piedade" (v. 7)...
II - A FIDELIDADE
DOS MINISTROS
• Exercício da piedade: prática da
verdadeira religião.
• A verdadeira religião e viva e d...
Qual valor você tem dado ao estudo
sistemático da Bíblia?
Líder, você se considera qualificado
para o cargo/função que exe...
SÍNTESE DO TÓPICO II
A fidelidade do ministro no
ensino da Palavra de Deus e
no combate as heresias.
III - A DILIGÊNCIA
NO MINISTÉRIO
III - A DILIGÊNCIA
NO MINISTÉRIO
• Uma determinação: "Manda estas coisas
e ensina-as" (v.11).
• A exortação de Paulo é de ...
III - A DILIGÊNCIA
NO MINISTÉRIO
• O cuidado que o ministro deve ter com o
aprendizado. "Persiste em ler, exortar e
ensina...
III - A DILIGÊNCIA
NO MINISTÉRIO
• Para "ensinar", primeiro é preciso
aprender.
• Paulo recorda Timóteo sobre seu dom
rece...
Líder, você tem instruído
doutrinariamente a verdade?
Você, tem aprendido a doutrina de bom
grado, mesmo que o ensino exij...
SÍNTESE DO TÓPICO III
O ministro de Deus deve ser
diligente quanto ao
aprendizado da Palavra de
Deus
“Um ministro do evangelho
precisa estar
constantemente estudando e
aprendendo para que possa
exortar e ensinar a Igreja”
CONSIDERAÇÕES
FINAIS
CONSIDERAÇÕE
S FINAIS
1. Os ensinos dos falsos mestres estava
levando alguns crentes a apostatarem
da fé.
2. Paulo exorta ...
PARA
REFLETIR
C o m o D e u s vê a a p o s t a s i a ?
R ) C o m o u m a d u l t é r i o e s p i r i t u a l .
S e g u n d...
REFERÊNCIAS
CALVINO, João. Pastorais. São Paulo: Edições
Paracletos, 1998.
GOPPELT, Leonhard. Teologia do Novo Testamento ...
REFERÊNCIAS
RICHARDS, Lawrence O. Comentário Histórico-
Cultural do Novo Testamento. Rio de Janeiro:
CPAD, 2014.
RICHARDS,...
2015 3 TRI LIÇÃO 5 - APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

2015 3 TRI LIÇÃO 5 - APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO

3.059 visualizações

Publicada em

Subsídios elaborados pelo Pr. Natalino das Neves
Programa Escola Dominical na WEBTV.
IEADSJP - Igreja Evangélica Assembleia de Deus de São José dos Pinhais
Pr. Presidente: Ival Teodoro da Silva
Pr. Vice Presidente: Elson Pereira

Assista ao vídeo referente a este arquivo de slides no meu blog:

http://goo.gl/PPDRnr

Publicada em: Educação
1 comentário
11 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Obrigado por sua excelente dedicação a esse trabalho pastor, tenho crescido e levado outros a crescer na busca do conhecimento; tudo graças a Deus e sua boa disposição em se permitir ser usado por Deus, e também os outros amados irmãos que também estão na luta diária de expandir o conhecimento sadio das escrituras, que Deus abençoe a sua vida e a vida dos demais irmãos.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.059
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
122
Comentários
1
Gostaram
11
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

2015 3 TRI LIÇÃO 5 - APOSTASIA, FIDELIDADE E DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO

  1. 1. P r. N a t a l i n o d a s N e v e s www.natalinodasneves.blogspot.com.br
  2. 2. Demais subsídios: Acompanhe os comentários em vídeo desta e outras lições no blog: www.natalinodasneves.blogspot.com.br
  3. 3. Texto Áureo "Mas o Espírito expressamente diz que, nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios." (1 Tm 4.1)
  4. 4. Verdade Prática A apostasia e a infidelidade a Deus são características marcantes dos tempos do fim.
  5. 5. LEITURA BÍBLICA 1 Tm 4.1,2, 5-8; 12, 16. 1 - Mas o Espírito expressamente diz que, nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de demônios, 2 - pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência, 5 - porque, pela palavra de Deus e pela oração, é santificada. 6 - Propondo estas coisas aos irmãos, serás bom ministro de Jesus Cristo, criado com as palavras da fé e da boa doutrina que tens seguido. 7 - Mas rejeita as fábulas profanas e de velhas e exercita-te a ti mesmo em piedade. 8 - Porque o exercício corporal para pouco aproveita, mas a piedade para tudo é proveitosa, tendo a promessa da vida presente e da que há de vir. 12 - Ninguém despreze a tua mocidade; mas sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza. 16 - Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina; persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem.
  6. 6. Objetivos  Tratar a respeito da apostasia dos homens.  Compreender que o bom ministro deve ser fiel ao Senhor.  Refletir a respeito da diligência no ministério.  Aplicar o conteúdo aprendido à vida pessoal.
  7. 7. INTERAGINDO COM O PROFESSOR LB – Edição professor N a liç ão d e hoje es tudar emos a r es peito d a apos tas ia, fidelidade e diligênc ia n o minis tér io c r is tão . O ter mo apos tas ia vem d o gr ego a p os tás is e s ignific a o abandono pre me dit a do e conscient e da f é c ris t ã . Ao es tudar a Palavr a de Deus , ve mo s q u e no Antigo Testamento, Is rael por várias vez es apos tatou da fé. Em tempos d e apos tas ia, o s pr ofetas er am levantados pelo Senhor para denunc iar o pecado e c ond u z i- los novamente a o Senhor. O pr ofeta tinha o dever d e c onfr ontar o povo, aler tando c ontr a o pec ado . Mesmo sendo perseguidos, muitos profetas for am fiéis a o Senhor e a o s eu minis tér io, não permitindo a apos tas ia d o povo .
  8. 8. INTERAGINDO COM O PROFESSOR LB – Edição professor Atualmente, o pastor, não p o d e se c alar diante d a apos tas ia d o nos so temp o . É p re c is o c onfr ontar as pes s oas mediante o ens ino das Es c rituras Sagradas . Paulo foi in c is ivo a o or ientar Timó te o par a q u e ele doutr inas se a igr eja a fim d e q u e os membr os não foss em seduz idos pelos falsos en s in os , apostando da fé . Atualmente , por falta d e ens ino, muitos es tão abandonando a fé genuína em J es us C r is to, cain d o n a s gar r as d o In imig o . Para combater a apos tas ia, a liderança prec isa inves tir n o ens ino bíblic o . J es us c erta ve z , dec lar ou : "Er r ais n ã o c onhec endo a s Es c r itur as " ( Mt 2 2 .2 9 )
  9. 9. INTRODUÇÃO
  10. 10. INTRODUÇÃO • Nesta lição será enfatizado o cuidado que os líderes devem ter com os falsos mestres. • Esta era a missão de Timóteo ao ser enviado à igreja de Éfeso. • Paulo o exorta para que realize a sua missão com excelência. • Ele não poderia se intimar com os confrontos, mas se apegar á doutrina e a ensino bíblico.
  11. 11. PONTO CENTRAL Na atualidade, muitos estão apostatando da fé genuína em Jesus Cristo por falta de ensino das Sagradas Escrituras.
  12. 12. I - A APOSTASIA
  13. 13. I - A APOSTASIA • Últimos tempos: ressurreição de Jesus até o seu reaparecimento (2ª vinda) – dentro da história. • A igreja em Éfeso estava sob o ataque dos falsos mestres . • Paulo tinha experiência no “combate” com os falsos mestres. • Paulo adverte veemente Timóteo para que ele doutrinasse (ensino) a igreja.
  14. 14. I - A APOSTASIA • Paulo emprega uma linguagem dura, com os falsos mestres não há diálogo. • Apostasia significa "abandono premeditado e consciente da fé cristã". • No Antigo Testamento foram muitas as apostasias cometidas pelos israelitas. • A apostasia é vista como um "adultério espiritual".
  15. 15. I - A APOSTASIA • Os falsos mestres eram e continuam sendo uma ameaça para a Igreja de Cristo. • Ensino dos falsos mestres no texto: proibição do casamento e a prática alimentar (puro e impuro). •
  16. 16. I - A APOSTASIA • A "doutrina de demônio“, às vezes, vem infiltrada em muitas teologias pregadas em nossos púlpitos: teologia da morte e da injustiça. • O líder é responsável pela proteção e por alertar as ovelhas quanto ao perigo destas doutrinas. Por isso, precisa de preparo bíblico e teológico.
  17. 17. I - A APOSTASIA • Os falsos mestres eram mentirosos (espíritos enganadores) e faziam de tudo para manipular os crentes de Éfeso. • Atualmente, temos visto a atuação de muitos espíritos enganadores, invertendo os valores que são incentivados pela Bíblia.
  18. 18. Líder, como você tem procedido com as mensagens que são pregadas nos púlpitos de sua igreja? Líder, o que tem feito para se prevenir contra os falsos mestres? APLICAÇÃO PRÁTICA
  19. 19. SÍNTESE DO TÓPICO I Paulo advertiu a Timóteo para que ele combatesse os falsos mestres e seus ensinos que levavam as
  20. 20. II - A FIDELIDADE DOS MINISTROS
  21. 21. II - A FIDELIDADE DOS MINISTROS • O bom ministro é aquele que serve a Igreja, exortando, ensinando e discipulando suas ovelhas (v. 6). • O bom ministro zela pela vida espiritual do rebanho do Senhor. • O bom ministro precisa "conhecer a sabedoria e a instrução" (Pv 1.2). • Muitos obreiros são consagradas sem a mínima qualificação.
  22. 22. II - A FIDELIDADE DOS MINISTROS • "Mas rejeita as fábulas profanas e de velhas e exercita-te a ti mesmo em piedade" (v. 7). • Por falta de preparo teológico e espiritual, surgem as “meninices” nas igrejas e muitas são facilmente levados pelo engano de “aproveitadores”. • Exercício físico (v. 8): confronto da cultura grega sobre o culto ao corpo Vs piedade.
  23. 23. II - A FIDELIDADE DOS MINISTROS • Exercício da piedade: prática da verdadeira religião. • A verdadeira religião e viva e dinâmica, sem exercitá-la o crente fica “fora de forma” e inapto para praticá-la. • Por isso, é preciso disciplina de um “atleta de Cristo” (1 c0 9.24-27; Fp 3.13- 14
  24. 24. Qual valor você tem dado ao estudo sistemático da Bíblia? Líder, você se considera qualificado para o cargo/função que exerce? Você tem sido sincero ao pregar a Palavra de Deus? APLICAÇÃO PRÁTICA
  25. 25. SÍNTESE DO TÓPICO II A fidelidade do ministro no ensino da Palavra de Deus e no combate as heresias.
  26. 26. III - A DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO
  27. 27. III - A DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO • Uma determinação: "Manda estas coisas e ensina-as" (v.11). • A exortação de Paulo é de grande valor para os dias atuais, em que, em muitas igrejas, há um desprezo pela Palavra de Deus. • Paulo exorta Timóteo para ser exemplo exemplo em tudo: no falar (palavra), no agir (conduta), nas relações com Deus (fé) e com as pessoas (amor, pureza).
  28. 28. III - A DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO • O cuidado que o ministro deve ter com o aprendizado. "Persiste em ler, exortar e ensinar, até que eu vá" (v. 13). • Buscar outros subsídios (comentários, dicionários, léxicos, entre outros) além da Bíblia para auxiliar o aprendizado. • “Ensinar“ = instruir doutrinariamente na verdade.
  29. 29. III - A DILIGÊNCIA NO MINISTÉRIO • Para "ensinar", primeiro é preciso aprender. • Paulo recorda Timóteo sobre seu dom recebido a as profecias a respeito dele (comparar com 1.18). • Paulo enfatiza que a esperança é fator de salvação para Timóteo e para comunidade cristã (v. 16.
  30. 30. Líder, você tem instruído doutrinariamente a verdade? Você, tem aprendido a doutrina de bom grado, mesmo que o ensino exija mudança de comportamento? Você tem investido em subsídios para seu estudo bíblico? APLICAÇÃO PRÁTICA
  31. 31. SÍNTESE DO TÓPICO III O ministro de Deus deve ser diligente quanto ao aprendizado da Palavra de Deus
  32. 32. “Um ministro do evangelho precisa estar constantemente estudando e aprendendo para que possa exortar e ensinar a Igreja”
  33. 33. CONSIDERAÇÕES FINAIS
  34. 34. CONSIDERAÇÕE S FINAIS 1. Os ensinos dos falsos mestres estava levando alguns crentes a apostatarem da fé. 2. Paulo exorta Timóteo a combater os falsos mestres e proteger as ovelhas com o ensino doutrinário firme. 3. Paulo exorta Timóteo a dedicação ao estudo da Palavra e ensino pelo exemplo.
  35. 35. PARA REFLETIR C o m o D e u s vê a a p o s t a s i a ? R ) C o m o u m a d u l t é r i o e s p i r i t u a l . S e g u n d o a l i ç ã o , q u a l d o u t r i n a m a l i g n a q u e v e m s e t o r n a n d o c o m u m n o s d i a s a t u a i s ? A d e s v a l o r i z a ç ã o d o c a s a m e n t o h e t e r o . Q u e m é o b o m m i n i s t r o ? R ) O b o m m i n i s t r o é a q u e l e q u e s e r v e a i g r e j a , e x o r t a n d o , e n s i n a n d o e d i s c i p u l a n d o s u a s o v e l h a s . D e a c o r d o c o m a l i ç ã o , o q u e o b o m m i n i s t r o p r e c i s a f a z e r c o n s t a n t e m e n t e ? R ) E l e p r e c i s a e s t u d a r a P a l a v r a d e D e u s , l e r b o n s l i v r o s e e s t a r s e m p r e a p r e n d e n d o . Q u a l o s e n t i d o d a p a l a vr a " e n s i n a r " n o ve r s í c u l o 1 3 ? R ) O v o c á b u l o e n s i n a r t e m o s e n t i d o d e i n s t r u i r d o u t r i n a r i a m e n t e n a v e r d a d e .
  36. 36. REFERÊNCIAS CALVINO, João. Pastorais. São Paulo: Edições Paracletos, 1998. GOPPELT, Leonhard. Teologia do Novo Testamento . 3ª Ed. São Paulo: Editora Teológica, 2003. HALE, Broadus David. Introdução ao Estudo do Novo Testamento. São Paulo: Hagnos, 2001. LIÇÕES BÍBLICAS. A Igreja e seu Testemunho : as ordenanças de Cristo nas cartas pastorais. Rio de Janeiro: CPAD, 2015. LIMA, Elinaldo Renovato de. As ordenanças de Cristo nas Cartas Pastorais. Rio de Janeiro: CPAD, 2015.
  37. 37. REFERÊNCIAS RICHARDS, Lawrence O. Comentário Histórico- Cultural do Novo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2014. RICHARDS, Lawrence O. Guia do leitor da Bíblia: uma análise de Gênesis a Apocalipse capítulo por capítulo. Rio de Janeiro: CPAD, 2005. STOTT, John. A mensagem de 2 Timóteo: Tu, porém. 5ª Edição. São Paulo: ABU Editora, 2001. Zuck, Roy b. Teologia do Novo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2008.

×