2015 3 TRI LIÇÃO 6 - CONSELHOS GERAIS

2.133 visualizações

Publicada em

Subsídios elaborados pelo Pr. Natalino das Neves
Programa Escola Dominical na WEBTV.
IEADSJP - Igreja Evangélica Assembleia de Deus de São José dos Pinhais
Pr. Presidente: Ival Teodoro da Silva
Pr. Vice Presidente: Elson Pereira

Assista ao vídeo referente a este arquivo de slides no meu blog:

http://goo.gl/PPDRnr

Publicada em: Educação
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.133
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
75
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
130
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

2015 3 TRI LIÇÃO 6 - CONSELHOS GERAIS

  1. 1. P r. N a t a l i n o d a s N e v e s www.natalinodasneves.blogspot.com.br
  2. 2. Demais subsídios: Acompanhe os comentários em vídeo desta e outras lições no blog: www.natalinodasneves.blogspot.com.br
  3. 3. Texto Áureo "Olhai, pois, por vós e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos [...]." (At 20.28)
  4. 4. Verdade Prática O pastor precisa cuidar das ovelhas do Sumo Pastor com o mesmo zelo com que cuida de sua família.
  5. 5. LEITURA BÍBLICA 1 Tm 5.17-22; 6.9-10 1 Tm 5.17 - Os presbíteros que governam bem sejam estimados por dignos de duplicada honra, principalmente os que trabalham na palavra e na doutrina. 18 - Porque diz a Escritura: Não ligarás a boca ao boi que debulha. E: Digno é o obreiro do seu salário. 19 - Não aceites acusação contra presbítero, senão com duas ou três testemunhas. 20 - Aos que pecarem, repreende-os na presença de todos, para que também os outros tenham temor. 21 - Conjuro-te, diante de Deus, e do Senhor Jesus Cristo, e dos anjos eleitos, que, sem prevenção, guardes estas coisas, nada fazendo por parcialidade. 22 - A ninguém imponhas precipitadamente as mãos, nem participes dos pecados alheios; conserva-te a ti mesmo puro.
  6. 6. LEITURA BÍBLICA 1 Tm 5.17-22; 6.9-10 1 Tm 6.9 - Mas os que querem ser ricos caem em tentação, e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na perdição e ruína. 10 - Porque o amor do dinheiro é a raiz de toda espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.
  7. 7. Objetivos  Refletir acerca do cuidado que o pastor deve ter com as ovelhas do Senhor.  Apresentar as orientações bíblicas com respeito ao trato com os presbíteros.  Compreender os conselhos paulinos sobre a sã doutrina.  Aplicar o conteúdo aprendido à vida pessoal.
  8. 8. INTERAGINDO COM O PROFESSOR LB – Edição professor N a l i ç ã o d e h o j e v e r e m o s o c u i d a d o e a d e d i c a ç ã o d e P a u l o p a r a c o m s u a m i s s ã o p a s t o r a l . E l e e s t a v a a t e n t o a o s a s s u n t o s d e i n t e r e s s e d a i g r e j a . A o l e r a s s u a s e p í s t o l a s p a s t o r a i s , p o d e m o s p e r c e b e r q u e P a u l o d e u e s p e c i a l i m p o r t â n c i a à m a n u t e n ç ã o d o s o b r e i r o s , d i s c o r r e u s o b r e a q u e s t ã o d a d i s c i p l i n a d o s l í d e r e s , e s p e c i a l m e n t e d o s p r e s b í t e r o s q u e v i e s s e m a f a l h a r. D e f o r m a b e m c l a r a , d o u t r i n o u a r e s p e i t o d o s r e l a c i o n a m e n t o s n a i g r e j a l o c a l . P a u l o r e c o m e n d a q u e " o s p r e s b í t e r o s q u e g o v e r n a m b e m s e j a m e s t i m a d o s p o r d i g n o s d e d u p l i c a d a h o n r a , p r i n c i p a l m e n t e o s q u e t r a b a l h a m n a p a l a v r a e n a d o u t r i n a " ( 5 . 1 7 ) .
  9. 9. INTERAGINDO COM O PROFESSOR LB – Edição professorÉ i m p o r t a n t e r e s s a l t a r q u e n e s t e t e x t o , p r e s b í t e r o s s i g n i f i c a m p a s t o r e s . A s s i m c o m o o s d o z e a p ó s t o l o s d e J e s u s d e i x a r a m t u d o p a r a s e g u i - l o , m u i t o s h o m e n s , n a i g r e j a d o p r i m e i r o s é c u l o , d e i x a r a m t u d o p a r a s e d e d i c a r a o p a s t o r a d o . E s t e s d e v e r i a m s e r s u s t e n t a d o s p e l a i g r e j a . " P o r q u e d i z a E s c r i t u r a : N ã o l i g a r á s a b o c a a o b o i q u e d e b u l h a . E : D i g n o é o o b r e i r o d o s e u s a l á r i o " ( 5 . 1 8 ) . A o s c o r í n t i o s , e l e f e z o b s e r v a ç õ e s i d ê n t i c a s , r e v e l a n d o s e u z e l o p e l a m a n u t e n ç ã o d o s o b r e i r o s ( 1 C o 9 . 6 - 1 0 ) .
  10. 10. INTRODUÇÃO
  11. 11. INTRODUÇÃO • Na lição de hoje estudaremos sobre algumas instruções paulinas mais específicas quanto ao relacionamento liderança com as ovelhas da igreja. • Paulo deseja que Timóteo prossiga alegremente e de modo irrepreensível. • O pastor deve dar atenção aos idosos, bem como todas as demais faixas etárias da igreja.
  12. 12. PONTO CENTRAL O pastor deve cuidar do rebanho com zelo e dedicação.
  13. 13. I - O CUIDADO COM O REBANHO
  14. 14. I - O CUIDADO COM O REBANHO • A maneira correta do cuidado com os mais idosos, tratando-os como pais e mães (5.1-2). • Muitos idosos são abandonados pela família. Ver ilustração do indígena que levava o pai para o monte para morrer. • Tratamento com as viúvas na igreja (5.3-8). Na época a situação era mais precária do que nos dias atuais, principalmente aquelas sem parentes.
  15. 15. I - O CUIDADO COM O REBANHO • Critério para seleção da verdadeira viúva (v.3-10). • Crítica para as viúvas jovens ociosas , fofoqueiras e indiscretas (v. 11-15). • Crianças pouco contavam, talvez por isso não são mencionadas. • A comunidade é uma grande família.
  16. 16. I - O CUIDADO COM O REBANHO • O cuidado com os ministros fiéis (v. 17). Veja que Paulo específica os “fiéis”. • Muitos líderes vivam exclusivamente da igreja e para a igreja. • Aos coríntios, ele fez observações idênticas, revelando seu zelo pela manutenção dos obreiros (1 Co 9.6-14;). • Orientação de Jesus em Mt 10.10.
  17. 17. Como você tem tratado os idosos e viúvas? Como a sua igreja tem tratado os idosos e viúvas? Existe um depto específico para os idosos? Como você tem tratado os líderes fiéis, de bom exemplo? APLICAÇÃO PRÁTICA
  18. 18. SÍNTESE DO TÓPICO I O pastor precisa se relacionar bem com todos e cuidar dos membros com amor.
  19. 19. II - O TRATO COM O PRESBITÉRIO
  20. 20. II - O TRATO COM O PRESBITÉRIO • Não existe obreiro infalível. Todos são suscetíveis ao erro. • O líder está mais propenso a ser alvo de críticas, calúnias, injúrias e difamações. • Por isso, Paulo recomenda que “não aceites acusação contra presbítero, senão com duas ou três testemunhas" (1 Tm 5.19;Dt 19.15; Mt 18.16).
  21. 21. II - O TRATO COM O PRESBITÉRIO • Todavia, havendo culpa o assunto deve ser tratado para correção0 e sem favoritismos (5.20; Nm 14.18; Pv 28.13). • A disciplina deve ser feita de maneira criteriosa, com sabedoria e amor. • O cuidado com a saúde (v. 23), pois o ministro também adoece (Gl 4.13; 2 Tm 4.20). • Estar enfermo não significa que o ministro não tem fé.
  22. 22. O que você faz quando houve alguém falando de um ministro? Cuidado para não ser usado por outras pessoas para ferir um ministro injustamente? A mordomia da saúde também é uma recomendação bíblica? APLICAÇÃO PRÁTICA
  23. 23. SÍNTESE DO TÓPICO II Nenhum obreiro é infalível, por isso, a Palavra de Deus apresenta a maneira correta de disciplinar aqueles que
  24. 24. III - CONSELHOS GERAIS
  25. 25. III - CONSELHOS GERAIS • Cuidado com aqueles que não respeitam a sã doutrina (6.3,4). • Em algumas comunidades a imoralidade tem sido tolerado, como era na igreja de Tiatira (Ap 2.14,15,20,22). • Porém, a igreja deve se manter fiel às Escrituras (1 Tm 3.15; Jo 14.15,21,23; Tt 1.9).
  26. 26. III - CONSELHOS GERAIS • Paulo recomenda cuidado com a busca pela riqueza (6.9,10). • Exemplo da parábola do rico insensato (Lc 12.15-21). • A cobiça é a causa de outros tipos de pecado: injustiças, adultério, roubo, corrupção, suborno, entre outros.
  27. 27. III - CONSELHOS GERAIS • Paulo aconselha aos que já são ricos para não serem arrogantes e não depositem sua esperança na riqueza (6.17-19). • Paulo era exemplo de quem dominava a ganância (Fp 4.11-13). • O crente sábio não entesoura para esta vida, mas para a futura (Mt 6.19-21).
  28. 28. III - CONSELHOS GERAIS • “Você, porém, homem de Deus fuja dessas coisas” (6.11). • Os ricos vivem em constante tentação da idolatria, se isolarem de algumas pessoas e de Deus (6.17-21). • Exemplo de Zaqueu (Lc 19.1-10). • As boas obras não salvam, mas são inerentes ao salvo (Ef 2.8-10).
  29. 29. Você tem dado ouvido às pessoas que não respeitam a sã doutrina? Você tem buscado a riqueza, independente das ações para adquiri-la? Você que está bem financeiramente, tem depositado sua confiança no poder que a riqueza proporciona? APLICAÇÃO PRÁTICA
  30. 30. SÍNTESE DO TÓPICO III Paulo apresenta a Timóteo, e à Igreja do Senhor, vários conselhos úteis quanto ao ensino e o trato para com o
  31. 31. CONSIDERAÇÕES FINAIS
  32. 32. CONSIDERAÇÕE S FINAIS 1. O cuidado que devemos de ter com as ovelhas, especialmente com os idosos e viúvas. 2. Orientações no cuidado com os ministros fiéis, bem como no tratamento das acusações contra os obreiros. 3. O cuidado que devemos de ter com a tolerância da imoralidade e a busca inconsequente pelas riquezas.
  33. 33. PARA REFLETIR C o m o P a u l o a c o n s e l h a Ti m ó t e o a t r a t a r a s m u l h e r e s i d o s a s ? E l e a c o n s e l h a a t r a t á - l a s c o m o a m ã e s . Q u a l e r a a s i t u a ç ã o d a s m u l h e r e s vi ú v a s n o s t e m p o s b í b l i c o s ? A s i t u a ç ã o e r a d i f í c i l , n ã o h a v i a e s p a ç o p a r a a s m u l h e r e s v i ú v a s n o m e r c a d o d e t r a b a l h o . C o m o d e ve r i a s e r a r e p r e e n s ã o a o s p r e s b í t e r o s ? D e v e r i a m s e r r e p r e e n d i d o s n a p r e s e n ç a d e t o d o s . S e g u n d o a l i ç ã o , c o m o d e ve s e r a d i s c i p l i n a ? E l a d e v e s e r f e i t a d e m a n e i r a c r i t e r i o s a , c o m s a b e d o r i a e a m o r. Q u a l o c o n s e l h o d e P a u l o a o s r i c o s ? Q u e n ã o s e j a m a r r o g a n t e s e n ã o d e p o s i t e m s u a e s p e r a n ç a n a r i q u e z a .
  34. 34. REFERÊNCIAS CALVINO, João. Pastorais. São Paulo: Edições Paracletos, 1998. GOPPELT, Leonhard. Teologia do Novo Testamento . 3ª Ed. São Paulo: Editora Teológica, 2003. HALE, Broadus David. Introdução ao Estudo do Novo Testamento. São Paulo: Hagnos, 2001. LIÇÕES BÍBLICAS. A Igreja e seu Testemunho : as ordenanças de Cristo nas cartas pastorais. Rio de Janeiro: CPAD, 2015. LIMA, Elinaldo Renovato de. As ordenanças de Cristo nas Cartas Pastorais. Rio de Janeiro: CPAD, 2015.
  35. 35. REFERÊNCIAS RICHARDS, Lawrence O. Comentário Histórico- Cultural do Novo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2014. RICHARDS, Lawrence O. Guia do leitor da Bíblia: uma análise de Gênesis a Apocalipse capítulo por capítulo. Rio de Janeiro: CPAD, 2005. STOTT, John. A mensagem de 2 Timóteo: Tu, porém. 5ª Edição. São Paulo: ABU Editora, 2001. Zuck, Roy b. Teologia do Novo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2008.

×