Teste Diagnóstico    Correção       10º B  Setembro de 2012
Grupo I    O crescimento das plantas depende da atividade fotossintética. Esta éfortemente influenciada por vários fatores...
Tabela I – Condições experimentais dos ensaios realizados.Figura 1- Os gráficos registam astaxas de fotossíntese obtidas e...
1. A partir dos dados fornecidos indica o objetivo da experiência realizada.      Reconhecer até que ponto os fatores ambi...
2.2 Para cada uma das situações experimentais apresentadas, a variável emestudo é a…(A)   concentração de CO2.(B)   intens...
2.3. De acordo com os resultados da experiência, pode concluir-se que ocrescimento das plantas do lote 1 foi menor, porque...
2.4. As taxas de fotossíntese registadas nos ensaios do lote 2 apresentamvariações que dependem…(A) exclusivamente da temp...
3. Submetidas a temperaturas com valores semelhantes, as plantas doslotes 1 e 2 apresentaram taxas de fotossíntese diferen...
Grupo II    As palmas forrageiras (Opuntia ficus-indica, Mill.), conhecidas porFigueiras da Índia ou Figueiras do Inferno,...
•    As palmas são cultivadas para matar a fome e a sede do gado. •    As palmas começaram a ser atacadas pelas cochonilha...
2. A adaptação das palmas forrageiras ao seu ambiente é devida à presença   de…  (A)   flores bastante garridas.  (B)   ca...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Correção teste diagnóstico

1.732 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.732
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
422
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Correção teste diagnóstico

  1. 1. Teste Diagnóstico Correção 10º B Setembro de 2012
  2. 2. Grupo I O crescimento das plantas depende da atividade fotossintética. Esta éfortemente influenciada por vários fatores ambientais. Num determinadohabitat, a luz e a temperatura variam significativamente ao longo de um dia,por conseguinte, a fotossíntese ocorre a uma taxa abaixo do seu valormáximo durante parte do tempo. Para reconhecer até que ponto os fatores ambientais influenciam a taxade fotossíntese, foi realizada uma experiência com plantas de sardinheira,em diferentes condições experimentais. Nos doze ensaios realizados, foramutilizados lotes de plantas com o mesmo grau de desenvolvimento,submetidas a concentrações de dióxido de carbono e a temperaturas quevariaram de acordo com a Tabela I. Nestes ambientes, as condições dehumidade e de intensidade luminosa foram semelhantes e não limitantes. As taxas de fotossíntese obtidas em cada ensaio permitiram traçar osgráficos da Figura 1.
  3. 3. Tabela I – Condições experimentais dos ensaios realizados.Figura 1- Os gráficos registam astaxas de fotossíntese obtidas emcada ensaio.
  4. 4. 1. A partir dos dados fornecidos indica o objetivo da experiência realizada. Reconhecer até que ponto os fatores ambientais influenciam a taxa de fotossíntese. 2.1. A análise dos resultados obtidos permite concluirque as plantas do _____, submetidas a concentraçõesnormais de CO2, apresentam a maior taxa decrescimento à temperatura de _____.(A) lote 1 … 40 ºC(B) lote 2 … 30 ºC(C) lote 2 … 40 ºC(D) lote 1 … 30 ºC… submetidas a concentrações normais de CO2 lote 1… a maior taxa de crescimento no lote 1 ocorre àtemperatura de 30 ºC. (D) lote 1 … 30 ºC
  5. 5. 2.2 Para cada uma das situações experimentais apresentadas, a variável emestudo é a…(A) concentração de CO2.(B) intensidade luminosa.(C) temperatura.(D) água.… cada uma das situações experimentais apresentadas lote 1 e lote 2Em cada um dos lotes varia … … apenas a temperatura … a concentração de CO2 mantem-se. (C) temperatura.
  6. 6. 2.3. De acordo com os resultados da experiência, pode concluir-se que ocrescimento das plantas do lote 1 foi menor, porque…(A) a quantidade de CO2 disponível era inferior à capacidade de assimilaçãodas plantas.(B) as temperaturas utilizadas não foram as mais adequadas à realização dafotossíntese.(C) a intensidade luminosa não variou durante a realização da experiência.(D) a água fornecida ao longo da experiência foi insuficiente.Lote 1 – Concentração atmosférica de CO2 Menor concentração de CO2 do que no lote 2 Menor velocidade de assimilação de CO2 das plantas Menor taxa de fotossíntese Menor produção de alimento pelas plantas Menor crescimento das plantas(A) a quantidade de CO2 disponível era inferiorà capacidade de assimilação das plantas.
  7. 7. 2.4. As taxas de fotossíntese registadas nos ensaios do lote 2 apresentamvariações que dependem…(A) exclusivamente da temperatura.(B) da intensidade da luz e da temperatura.(C) exclusivamente do dióxido de carbono.(D) da humidade e do dióxido de carbono.no lote 2… … a concentração de CO2 mantem-se. … apenas varia a temperatura (A) exclusivamente da temperatura.
  8. 8. 3. Submetidas a temperaturas com valores semelhantes, as plantas doslotes 1 e 2 apresentaram taxas de fotossíntese diferentes.Justifica os resultados obtidos, tendo em conta as condições em que aexperiência foi realizada.Resultados obtidosPara o mesmo valor de temperatura,a taxa de fotossíntese foi mais elevadano lote 2 (atmosfera saturada em CO2).Porquê? Justificação dos resultados…Independentemente datemperatura, quanto maior aconcentração de CO2, maior é avelocidade com que a planta o assimilae, consequentemente, maior é a taxa defotossíntese. • Para cada valor de temperatura testado, foi mais elevada a taxa de fotossíntese do lote de plantas sujeitas a uma atmosfera saturada em CO2. • Porque quando o CO2 está disponível em quantidades não limitantes permite taxas de fotossíntese mais elevadas, independentemente dos valores da temperatura.
  9. 9. Grupo II As palmas forrageiras (Opuntia ficus-indica, Mill.), conhecidas porFigueiras da Índia ou Figueiras do Inferno, são cultivadas no NordesteBrasileiro para matar a fome e a sede do gado, em tempos de seca; os seuspequenos espinhos são engolidos pelos animais sem qualquer problema. Na década de 1930, as palmas começaram a ser atacadas pelascochonilhas (insetos de apenas 1 mm de comprimento), servindo-lhes dealimento. Contudo, grandes empresas de conservas de salsichas e de carnesutilizavam as fêmeas destes pequenos insetos para fabricar corantesutilizados nestas indústrias. Mas, com a descoberta de corantes sintéticos, as cochonilhas perderama utilidade, passando a ser um problema para os agricultores uma vez que acochonilha reproduz-se muito rapidamente, matando as palmas. Entretanto, alguns investigadores desenvolveram uma forma de combateà cochonilha, utilizando joaninhas. Estas, introduzidas nas plantações depalmas infetadas, combatem as cochonilhas com surpreendenteeficiência, comendo-as.
  10. 10. • As palmas são cultivadas para matar a fome e a sede do gado. • As palmas começaram a ser atacadas pelas cochonilhas servindo-lhes de alimento. • Empresas de conservas utilizavam as fêmeas das cochonilhas para fabricar corantes. • Com a descoberta de corantes sintéticos, as cochonilhas passaram a ser um problema para os agricultores, matando as palmas. • Investigadores introduziram joaninhas nas plantações de palmas infetadas para combater as cochonilhas, comendo-as. a) o aumento da população de cochonilhas deveu-se à reprodução sem controlo das suas fêmeas. b) a introdução das joaninhas no ecossistema como predadoras da cochonilha, permitiu um aumento da população de palmas. c) o gado foi o mais beneficiado nesse ecossistema, com a substituição da cochonilha pelos corantes sintéticos, na indústria. d) a população de palmas, poderá ter atingido o equilíbrio desejado pelos criadores de gado, graças à ação das joaninhas.Apenas a c) é falsa.(A) a), b) e d)
  11. 11. 2. A adaptação das palmas forrageiras ao seu ambiente é devida à presença de… (A) flores bastante garridas. (B) caule ramificado. (C) folhas carnudas. (D) folhas reduzidas a espinhos. As palmas forrageiras (Opuntia ficus-indica, Mill.), conhecidas por Figueiras da Índia ou Figueiras do Inferno, são cultivadas no Nordeste Brasileiro para matar a fome e a sede do gado, em tempos de seca; os seus pequenos espinhos são engolidos pelos animais sem qualquer problema. Vivem em ambientes secos têm que reduzir a perda de água (D) folhas reduzidas a espinhos.

×