Livro de Daniel cap 7

2.969 visualizações

Publicada em

Estudo do livro do profeta Daniel, verso a verso.

Publicada em: Espiritual
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.969
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
260
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Livro de Daniel cap 7

  1. 1. 7:1 No primeiro ano de Belsazar rei de Babilônia, No primeiro ano de Belsazar, teve Daniel um sonho e visões da sua cabeça quando estava na sua cama; escreveu logo o sonho, e relatou a suma das coisas. Segundo a História, foi 553 a.C. Daniel não apresenta os fatos do seu livro em estrita ordem cronológica. Os acontecimentos no cap 5 e 6 tiveram lugar após os registrados no cap 7, isso por motivo de continuidade, a narrativa histórica dos capítulos 1-6.
  2. 2. 7:1 No primeiro ano de Belsazar, rei de Babilônia, teve Daniel um sonho e visões da sua cabeça quando sonho estava na sua cama; escreveu logo o sonho, e relatou a suma das coisas. Deus deu a Daniel um sonho profético, revelando a história futura do mundo.
  3. 3. A profecia do cap 7 cobre essencialmente os mesmos momentos da história que os do sonho do cap 2 (da estatua), ambos preenchendo o mesmo período de tempo que vai desde o profeta até o estabelecimento do reino eterno de Deus. O cap 2 trata de assuntos políticos. Foi dado , antes de mais nada, para instrução de Nabucodonosor, afim de assegurar a sua cooperação no plano divino. A profecia do cap 7, do mesmo modo que as da parte restante do livro, foi dada especialmente para o povo de Deus, a fim de que, este pudesse compreender a sua parte no plano divino através dos séculos.
  4. 4. 7:1 No primeiro ano de Belsazar, rei de Babilônia, teve Daniel um sonho e visões da sua cabeça quando estava na sua cama; escreveu logo o sonho, e relatou a suma das coisas a suma das coisas. Isto que dizer que Daniel escreveu e relatou o conteúdo principal do sonho.
  5. 5. Criptografia: A criptografia (do grego kriptós que significa escondido, oculto mais grápho que significa grafia, escrita) Para criptografarmos algo, fazemos o uso de chaves, que permitem a codificação e a decodificação da informação. Um exemplo de criptografia foi usado por Júlio César, que foi um grande Imperador de Roma, A chave utilizada por Júlio César era muito simples: desloca-se o alfabeto 3 letras e troca-as entre si. ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ DEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZABC Terra W h u u d
  6. 6. 7:2 Falou Daniel, e disse: Eu estava olhando na minha quatro visão da noite, e eis que os quatro ventos do céu do agitavam o mar grande. - Ventos – São símbolo para guerras e conflitos entre nações (Jr 25:3133; 49:36, 37). Assim, essa profecia representa guerras e conflitos envolvendo os habitantes da Terra. “E trarei sobre Elão os quatro ventos dos quatro cantos dos céus, e os espalharei na direção de todos estes ventos; e não haverá nação aonde não cheguem os fugitivos de Elão. E farei que Elão tema diante de seus inimigos e diante dos que procuram a sua morte; e farei vir sobre eles o mal, o furor da minha ira, diz o SENHOR; e enviarei após eles a espada, até que venha a consumi-los.” Jr 49:36,37.
  7. 7. 7:2 Falou Daniel, e disse: Eu estava olhando na minha visão da noite, e eis que os quatro ventos do céu agitavamo mar grande o mar grande. Mar – Freqüentemente, a palavra mar é usada na Bíblia para simbolizar povos e nações da Terra (Ap 17:15). “E disse-me: As águas que viste, onde se assenta a prostituta, são povos, e multidões, e nações, e línguas”. Ap 17:15.
  8. 8. 7:3 E quatro animais grandes, diferentes uns dos outros, subiam do mar. De acordo com o verso 17, os quatro animais representam „quatro reis que se levantarão na terra.‟ Esses quatro animais representam os mesmos quatro poderes mundiais simbolizados pela estatua de metais do cap 2.
  9. 9. Símbolos: Ventos: Guerras e conflitos entre nações Mar ou águas: animais: povos e nações da Terra Reis ou reinos
  10. 10. 7:4 O primeiro era como leão e tinha asas de águia leão, e tinha asas de águia; enquanto eu olhava, foram-lhe arrancadas as asas, e foi levantado da terra, e posto em pé como um homem, e foi-lhe dado um coração de homem. O leão como rei dos animais, e a águia como o rei dos pássaros representavam adequadamente o império Babilônico no apogeu de sua glória.
  11. 11. 7:4 O primeiro era como leão, e tinha asas de águia; enquanto eu olhava, foram-lhe arrancadas as asas e foi asas, levantado da terra, e posto em pé como um homem, e foi-lhe dado um coração de homem. O leão não foi capaz de voar por muito tempo como uma águia sobre sua presa. Os próximos governantes depois de Nabucodonosor, foram fracos, Babilônia perdeu seu poder e glória.
  12. 12. 7:4 O primeiro era como leão, e tinha asas de águia; enquanto eu olhava, foram-lhe arrancadas as asas, e foi levantado da terra, e posto em pé como um homem, e foi-lhe dado um coração de homem coração de homem. “O apelido do rei Ricardo, o „coração de Leão‟, atribui-lhe coragem e audácia deusadas. Um leão com coração de homem poderia indicar covardia e timidez. Nos seus anos de declínio, babilônia tornou-se fraca e debilitada pela riqueza e luxúria, e caiu presa do reino da Medo-Persia.
  13. 13. 7:5 Continuei olhando, e eis aqui o segundo animal, semelhante a um urso o urso, qual se levantou de um lado, tendo na boca três costelas entre os seus dentes; e foi-lhe dito assim: Levanta-te, devora muita carne. O império Medo-Persa, corresponde à prata da imagem do cap 2. como a prata é inferior ao ouro, assim nalgum sentido, pelo menos, o urso é inferior ao leão. O urso também era um animal muito comum nas montanhas da Medo-Persia, bem como o leão era na planície da Mesopotâmia.
  14. 14. 7:5 Continuei olhando, e eis aqui o segundo animal, semelhante a um urso, o qual se levantou de um lado tendo lado, na boca três costelas entre os seus dentes; e foi-lhe dito assim: Levanta-te, devora muita carne. Essa característica, parece mostrar que o reino era composto por duas partes. Dos Medos e dos Persas, estes últimos, comandados por Ciro, tornaram-se o poder dominante pouco antes que o dual império conquistasse babilônia.
  15. 15. 7:5 Continuei olhando, e eis aqui o segundo animal, semelhante a um urso, o tendo qual se levantou de um lado, tendo na três costelas boca três costelas entre os seus dentes; e foi-lhe dito assim: Levanta-te, devora muita carne. Muitos comentaristas as têm considerado um símbolo dos três principais poderes que foram conquistados pelo Império MedoPersa: Lídia, Babilônia e Egito.
  16. 16. 7:6 Depois disto, eu continuei olhando, e eis aqui outro, semelhante a um leopardo e tinha quatro asas um leopardo, de ave nas suas costas; tinha também este animal quatro cabeças, e foi-lhe dado domínio. O leopardo é um animal feroz e carnívoro, notável pela sua rapidez e agilidade dos seus movimentos. Este leopardo simboliza a Grécia de Alexandre Magno, que foi simbolizado pelo ventre e coxa na estatua do cap 2.
  17. 17. Em 334 a.C, Alexandre entrou no território persa, com somente 35.000 homens,a magra quantia de 70 talentos em caixa, e provisões para um mês. A Campanha foi uma série de triunfos. A primeira vitória foi obtida em Grânico, a segunda em Isso um anos após, e a terceira em Tiro no ano seguinte àquela. Passando através da Palestina, Alexandre conquistou Gaza e depois entrou no Egito. Ali, em 331, fundou a cidade de Alexandria, declarou-se sucessor dos faraós, e as sua tropas aclamaram-no como um deus.
  18. 18. 7:6 Depois disto, eu continuei olhando, e eis aqui outro, semelhante a um leopardo, e tinha quatro asas tinha quatro asas de ave nas suas costas; tinha também este animal quatro cabeças, e foi-lhe dado domínio. Embora o leopardo seja um animal veloz, sua agilidade natural parece inadequada para descrever a espantosa velocidade das conquistas de Alexandre. A visão simbólica representou o animal com asas acrescentadas não duas, mas quatro, simbolizando velocidade superlativa. O símbolo é adequado para descrever a velocidade que Alexandre, em menos de uma década, veio a possuir o maior império que o mundo havia então conhecido. Não existe nenhum outro exemplo, nos tempos antigos, de tão rápidos movimentos de tropas em tão ampla e bem sucedida escala.
  19. 19. 7:6 Depois disto, eu continuei olhando, e eis aqui outro, semelhante a um leopardo, e tinha quatro asas de ave nas suas costas; tinha também este animal cabeças quatro cabeças, e foi-lhe dado domínio.
  20. 20. 7:6 Depois disto, eu continuei olhando, e eis aqui outro, semelhante a um leopardo, e tinha quatro asas de ave nas suas costas; tinha também este animal cabeças quatro cabeças, e foi-lhe dado domínio. Alexandre morreu sem providenciar um sucessor de seu trono. O império acabou sendo divido entre os seus quatro generais:
  21. 21. 1° General: Ptolomeu, Egito, Palestina e Líbano 2° General: Lisímaco, Trácia e Parte da Ásia Menor 3° General: Cassandro, Macedônia e Grécia. 3° General: Seleuco, Parte da Asia Menor, Norte Síria, Mesopotâmia e o Oriente.
  22. 22. 7:7 Depois disto eu continuei olhando nas visões da noite, e eis o quarto aqui o quarto animal, terrível e espantoso e muito forte, o qual espantoso, tinha dentes grandes de ferro; ele devorava e fazia em pedaços, e pisava aos pés o que sobejava; era diferente de todos os animais que apareceram antes dele, e tinha dez chifres.
  23. 23. 7:7 Depois disto eu continuei olhando nas visões da noite, e eis aqui o quarto animal,dentes grandes de ferromuito forte, o qual terrível e espantoso, e tinha dentes grandes de ferro; ele devorava e fazia em pedaços, e pisava aos pés o que sobejava; era diferente de todos os animais que apareceram antes dele, e tinha dez chifres. Estes enormes dentes metálicos falam de crueldade e força. Como o animal faz em pedaços e devora a sua presa com estas garras, assim Roma devorava nações e povos nas suas conquistas. Por vezes cidades inteiras eram destruídas, como Corinto em 146 a.C.; Cartago, na África; Numantia, na Espanha.
  24. 24. 7:7 Depois disto eu continuei olhando nas visões da noite, e eis aqui o quarto animal, terrível e espantoso, e muito forte, o qual tinha dentes grandes de ferro; ele devorava e fazia em pedaços, e pisava aos pés o sobejava pisava aos pés o que sobejava; era diferente de todos os animais que apareceram antes dele, e tinha dez chifres. Onde Roma não destruía ou subjugava os povos, freqüentemente os empregava como escravos, ou os vendiam para escravidão. Na intensidade de seu poder destruidor, Roma excedeu os reinos que reinaram sobre o
  25. 25. 7:7 Depois disto eu continuei olhando nas visões da noite, e eis aqui o quarto animal, terrível e espantoso, e muito forte, o qual tinha dentes grandes de ferro; ele devorava e fazia em pedaços, e pisava aos pés o que sobejava; era diferente de todos os animais que apareceram antes dele, etinha dez chifres tinha dez chifres. Segundo, Daniel 8:22, chifre significa reinos. Roma foi autoritária, inflexível e ditadora. Tratava com bastante austeridade os vencidos, exigindo submissão incondicional. Dominou o mundo até o ano de 476 d.C, quando foi invadida e conquistada por tribos bárbaras que destronaram o último imperador romano – Rômulo Augusto. Os dez chifres representam a divisão de Roma por estas tribos bárbaras.
  26. 26. 7:8 Estando eu a considerar os chifres, eis que, entre eles subiu outro chifre pequeno subiu outro chifre pequeno, diante do qual três dos primeiros chifres foram arrancados; e eis que neste chifre havia olhos, como os de homem, e uma boca que falava grandes coisas. Daniel estava vendo o movimento desses reinos políticos, e observou um pequeno poder político, pois era um chifre, crescendo no meio deles. Embora pequeno no início, este chifre é posteriormente descrito como „mas forte que os seus companheiros‟. Qual o nome desse chifre ou reino?
  27. 27. Através da história, pesquisadores sérios e notáveis da Bíblia, concordam em designar o décimo - primeiro chifre como o papado ou Roma eclesiástica. Ela ocupa a mesma capital e é um poder romano. É descrita como “uma nova Roma, erguida sobre as cinzas da velha.” (Barnes, General History, p. 321) Em 16 diferentes relatos, o pequeno chifre do animal romano é identificado como o papado. A cadeia de evidências é tão completa que nem sequer um elo esta faltando. Nenhuma outra organização da história se enquadra nessa moldura profética.
  28. 28. Os reformadores protestantes como Lutero, Zuíglio, Calvino, Melâncton eram quase unânimes em considerá-lo Roma papal. Realmente, mesmo antes da Reforma, alguns estudiosos judeus também identificavam o chifre pequeno como a fase papal do quarto animal. É difícil ver como poderia ser outra coisa qualquer. De fato, não pode ser outra coisa qualquer. Você precisa ter fé para crer na segunda vinda ou na ressurreição, mas não precisa de muita fé para ver Roma papal como o poder aqui descrito.
  29. 29. Origem da Igreja Católica. A primeira vez que o “termo “Católico” apareceu foi no ano de 115 d.C, numa carta escrita pelo bispo Inácio de Antioquia aos membros de igreja de Esmirna. O significado da palavra é “universal” e “ortodoxa” em contraste com os ramos sectários ou heréticos.
  30. 30. O deslocamento de “católica” para “católica romana” teve lugar numa época que o império romano se apresentava em declínio e estava sendo invadida por uma série de tribos germânicas. Constantino, o primeiro imperador cristão (306 a 337), transferiu a capital de Roma para Constantinopla ( atualmente Instanbul), já temendo essas tribos bárbaras.
  31. 31. Com essa negligência dos imperadores, que deixaram para trás Roma, deixando-a à mercê das hordas bárbaras, os romanos voltaram-se para uma figura buscando auxilio e proteção, e pediram a ela que os governasse, e assim, dessa maneira simples de [conceder], começou a soberania temporal dos papas. E caminhando mansamente até o trono de César, o vicário de Cristo tomou o cetro diante do qual imperadores e reis da Europa iriam prostar-se em reverência durante muitos séculos. – James P. Conroy, American Quarterly Review, April, 1911. A mudança deixou o bispo de Roma bastante à vontade em seus domínios na Itália, fazendo crescer rapidamente sua estatura.
  32. 32. 7:8 Estando eu a considerar os chifres, eis que, entre eles diante do qual três dos subiu outro chifre pequeno, diante do qual três dos primeiros chifres foram arrancados e eis que neste chifre arrancados; havia olhos, como os de homem, e uma boca que falava grandes coisas. No 4° século, Ário, um sacerdote de Alexandria, começou a ensinar que Cristo foi o primeiro ser criado e que, era portanto inferior ao Pai. O concílio de Nicéia, conclamado por Constantino em 325 d.C., condenou Ário como herege e considerou seus ensinos heresia. O arianismo, entretanto, continuou a crescer até que quatro dos dez reinos que invadiram Roma, tornaram-se arianos em sua crença, e começaram a criar intrigas com os católicos, na pessoa do papa que foi mandado para prisão, onde morreu. Mas os imperadores do oriente encontraram meios para socorrer os católicos, com a eliminação dessas tribos arianas. Três delas, os Hérulos, os Vândalos e os Ostrogodos foram exterminados e destruídos.
  33. 33. 7:8 Estando eu a considerar os chifres, eis que, entre eles diante subiu outro chifre pequeno, diante do qual três dos primeiros chifres foram arrancados e eis que neste chifre primeiros chifres foram arrancados; havia olhos, como os de homem, e uma boca que falava grandes coisas. Os Hérulos: no ano de 493 d.C, foram derrubados pelos os Godos, sob o comando de Teodorico, naquilo que ele chamava de comissão divina recebida de Zeno, o imperador de Roma oriental. “Depois da primeira metade do VI séc., no entanto, seu nome desapareceu completamente.” Encyclopedia Britannica, vol. XIII, pag. 403.
  34. 34. 7:8 Estando eu a considerar os chifres, eis que, entre eles diante subiu outro chifre pequeno, diante do qual três dos primeiros chifres foram arrancados e eis que neste chifre primeiros chifres foram arrancados; havia olhos, como os de homem, e uma boca que falava grandes coisas. Os Vândalos: perseguiram ferozmente os crentes ortodoxos e os hereges. Por causa de suas crenças religiosas, foram derrotados em novembro de 533 d.C. “Como nação, os vândalos logo deixaram de existir.” Nelson‟s Encyclopedia, vol. XII, sob vândalos. Decreto do imperador Justiniano, emitido em 533 d.C. reconheceu o papa como o cabeça de todas as igrejas.” – Código de Justiniano, Livro 1, título 1, Baroniusos, Anls d.C. 533.
  35. 35. 7:8 Estando eu a considerar os chifres, eis que, entre eles diante subiu outro chifre pequeno, diante do qual três dos primeiros chifres foram arrancados e eis que neste chifre primeiros chifres foram arrancados; havia olhos, como os de homem, e uma boca que falava grandes coisas. Os Ostrogodos: foram derrotados em 538 d.C. No dizer de Thomas Hodgkin em Italy and Her Invaders [ a Itália e seus invasores] – soldados católicos “cavaram a sepultura da monarquia gótica”. Procópio, historiador que acompanhou a campanha, revela em sua Historia das Guerras, que o propósito do Imperador católico Justiniano (527 a 565), foi o de “proteger os cristão”, ou seja, proteger os católicos que moravam em Roma, em relação aos arianos. Os três chifres caíram. Roma estava livre. O papado estava sozinho no poder.
  36. 36. 7:8 Estando eu a considerar os chifres, eis que, entre eles diante subiu outro chifre pequeno, diante do qual três dos primeiros chifres foram arrancados e eis que neste chifre primeiros chifres foram arrancados; havia olhos, como os de homem, e uma boca que falava grandes coisas. Foi sobre as ruínas do império romano ocidental, depois da queda da última tribo ariana, que o papa emergiu como a mais importante pessoa individual no Ocidente, o líder de uma organização religiosa adequadamente organizada, detentora de um credo definido e com vasto potencial para influencia política. Dezenas de escritores têm destacado que a verdadeira sobrevivência da antiga Roma foi a Igreja de Roma. Então o império romano foi substituído pela igreja romana, ou de acordo com a expressão utilizada pelos escritores do século dezenove, Roma pagã foi substituída por Roma papal.
  37. 37. 7:8 Estando eu a considerar os chifres, eis que, entre eles subiu outro chifre pequeno, diante do qual três dos primeiros chifres foram arrancados; e eis que neste chifre havia olhos, como os de homem e uma boca que falava como os de homem, grandes coisas. Os olhos são símbolos tanto da visão como da sabedoria. A visão aguda, a sutileza e a diplomacia secreta do papado e, especialmente, dos jesuítas, são fatos conhecidos. Por séculos, o Vaticano tem estado no centro da diplomacia e das intrigas do mundo. Durante a primeira guerra Mundial, ele foi chamado de “Posto de Escuta da Europa”.
  38. 38. 7:8 Estando eu a considerar os chifres, eis que, entre eles subiu outro chifre pequeno, diante do qual três dos primeiros chifres foram arrancados; e eis que neste chifre havia olhos, como os de homem, e uma boca que falava falava grandes coisas grandes coisas. As alegações papais com respeito ao papel e poder do Papa são ofensas contra Deus.
  39. 39. 7:9 Eu continuei olhando, até que foram postos uns postos uns tronos tronos, e um ancião de dias se assentou a sua veste se assentou; ancião era branca como a neve, e o cabelo da sua cabeça como a pura lã; e seu trono era de chamas de fogo, e as suas rodas de fogo ardente. Tronos são assentos de reis. Temos aqui uma descrição sublime e extraordinária da cena do grande tribunal de justiça final, que fixará os destinos dos homens e das nações. Deus o Pai é representado aqui. O Juiz do Universo é descrito como uma pessoa. A expressão “Ancião de dias” significa que Ele existe desde a eternidade.
  40. 40. 7:9 Eu continuei olhando, até que foram postos uns sua veste tronos, e um ancião de dias se assentou; aasua veste era branca como a neve, era branca como a neve e o cabelo da sua cabeça cabelo da cabeça como a pura lã; e seu trono era de chamas de fogo, e as lã suas rodas de fogo ardente. Indica Sua pureza e perfeição Significando idade avançada, autoridade patriarcal e sabedoria.
  41. 41. 7:9 Eu continuei olhando, até que foram postos uns tronos, e um ancião de dias se assentou; a sua veste era branca como a neve, e o cabelo da sua cabeça como a pura lã; e seu trono era de chamas de fogo e as de fogo, ardente suas rodas de fogo ardente. O fogo purifica, esteriliza e destrói toda corrupção. As rodas indicam mobilidade. Deus não está limitado a um só lugar. Ele é onipresente.
  42. 42. 7:10 Um rio de fogo manava e saía de diante dele; milhares milhares o serviam, de milhares o serviam e milhões de milhões assistiam diante dele; assentou-se o juízo, e abriram-se os livros. Rio de fogo significa a fonte de purificação. Estes representam os anjos celestes que assistem diante do Senhor e estão sempre cumprindo a sua vontade. Os anjos representam um papel importante no julgamento. Funcionam como „ministros e testemunhas‟.
  43. 43. 7:10 Um rio de fogo manava e saía de diante dele; milhares de milhares o serviam, e milhões de milhões assistiam diante dele; assentou-se o juízo, e abriram-se os livros. juízo Foi mostrado a Daniel o juízo final, sendo realizado no Céu. Em ambas as suas fases – investigativo e executivo. No juízo investigativo, os registros de todos os atos dos homens serão examinados. A investigação não é conduzida para a informação de Deus ou de Cristo, mas para informação do universo em geral – para que Deus possa ser vindicado (recuperado a Sua santidade, Seu amor e sabedoria diante do Universo) ao aceitar uns e rejeitar outros.
  44. 44. 7:10 Um rio de fogo manava e saía de diante dele; milhares de milhares o serviam, e milhões de milhões assistiam diante dele; assentou-se o juízo, e abriram-se os livros. juízo Pois todos compareceremos perante o tribunal de Deus. (Rom 14:10) Portanto estabeleceu um dia em que há de julgar o mundo com justiça por meio de um Varão que destinou e acreditou diante de todos, ressuscitando-O dentre os mortos. Atos 17:31
  45. 45. 7:10 Um rio de fogo manava e saía de diante dele; milhares de milhares o serviam, e milhões de milhões assistiam diante dele; assentou-se o juízo, e abriram-se os livros. e abriram-se os livros Apocalipse 20: 12 e 15 também fala de “livros” que são “abertos” e a partir de cujos registros os mortos serão julgados “segundo o que praticaram”. Apocalipse acrescenta que “ainda outro livro, o livro da vida, foi aberto”. Malaquias 3:16 refere-se a um livro “memorial”, o qual é escrito em relação àqueles “que temem ao Senhor, e para os que se lembram do Seu nome”.
  46. 46. 7:10 Um rio de fogo manava e saía de diante dele; milhares de milhares o serviam, e milhões de milhões assistiam diante dele; assentou-se o juízo, e abriram-se os livros. e abriram-se os livros O livro da vida, Deus mantém o registro de todos aqueles que “nasceram de novo” em Cristo Jesus (Apoc 21:27) e que mediante a fé em Jesus até mesmo agora possuem a “vida eterna”. “Mas, não vos alegreis porque se vos sujeitem os espíritos; alegrai-vos antes por estarem os vossos nomes escritos nos céus.” Lucas 10:20 Outras passagens: Filipenses 4:3; Daniel 12:1
  47. 47. 7:10 Um rio de fogo manava e saía de diante dele; milhares de milhares o serviam, e milhões de milhões assistiam diante dele; assentou-se o juízo, e abriram-se os livros. e abriram-se os livros O livro Memorial, Deus mantém o registro de todo os nossos atos praticados aqui nesta Terra. De tudo o que se tem ouvido, o fim é: Teme a Deus, e guarda os seus mandamentos; porque isto é o dever de todo o homem. Porque Deus há de trazer a juízo toda a obra, e até tudo o que está encoberto, quer seja bom, quer seja mau. Eclesiástes 12: 13 e 14. A base legal no julgamento, é, pois, o pecado. Em I João 3:4 define o pecado como a „transgressão da Lei”. Portanto, o pecado é o estilo de vida em que não há consideração com a lei. (“um fora da lei”) .
  48. 48. 7:11 Então estive olhando, por causa da voz das grandes palavras que o chifre proferia; estive olhando até que o animal foi morto, e o seu corpo desfeito, e entregue para ser queimado pelo fogo; A literatura eclesiástica está repleta de documentos das pretensões arrogantes, blasfemas do papado. Alguns exemplos estão escritos na grande obra-enciclcopédia escrita por um sacerdote católico romano do séc XVIII. “O papa é de tão grande dignidade e tão exaltado que ele não é um mero homem, mas é como se fosse Deus, e o vicário de Deus...”
  49. 49. 7:11 Então estive olhando, por causa da voz das grandes palavras que o chifre proferia; estive olhando até que o animal foi morto, e o seu corpo desfeito, e entregue para ser queimado pelo fogo; “O papa é coroado com uma tríplice coroa, como rei do céu, da Terra e das regiões inferiores. “o papa pode modificar a lei divina, visto que o seu poder não é de homem mas sim de Deus, e atua como vice-regente de Deus sobre a Terra com o mais amplo poder de ligar e desligar as Suas ovelhas.” (Traduzido de Lucius Ferraris „Papa II‟, Prompta Biblioteca, vol VI, p. 25-29.)
  50. 50. 7:11 Então estive olhando, por causa da voz das grandes palavras que o chifre proferia; estive olhando até que o animal foi morto, e o seu corpo desfeito, e entregue para ser queimado pelo fogo;
  51. 51. 7:11 Então estive olhando, por causa da voz das grandes palavras que o chifre proferia; estive olhando animal foi morto até que ooanimal foi morto, e o seu corpo desfeito, e entregue para ser queimado pelo fogo; entregue para ser queimado pelo fogo Isto quer dizer que o sistema ou organização simbolizado pelo chifre pequeno, será destruído na segunda vida de Jesus.
  52. 52. 7:12 E, quanto aos outros animais, foi-lhes tirado o domínio; todavia foi-lhes prolongada a vida até certo foi-lhes a espaço de tempo. O território de Babilônia foi feito súdito da Pérsia, contudo aos súditos de babilônia foi-lhes permitido viver. Similarmente, quando a macedônia conquistou a pérsia, e quando Roma conquistou a Macedônia, os habitantes dos países conquistados não foram exterminados. Com a destruição final do poder do chifre pequeno o mundo inteiro será despovoado.
  53. 53. 7:13 Eu estava olhando nas minhas visões da noite, e eis que vinha nas nuvens do céu um como o filho do homem; e dirigiu-se ao do homem ancião de dias, e o fizeram chegar até ele. Jesus aplicou o termo de Daniel, „Filho do homem‟ para si mesmo em várias ocasiões. Disse-lhe Jesus: Tu o disseste; digo-vos, porém, que vereis em breve o Filho do homem assentado à direita do Poder, e vindo sobre as nuvens do céu. Mateus 26:64
  54. 54. 7:13 Eu estava olhando nas minhas visões da noite, e eis que vinha nas nuvens do céu um como o filho do homem; e dirigiu-se ao dirigiu-se ancião de dias ancião de dias, e o fizeram chegar até ele. Aqui a vinda de Cristo ao lugar Santíssimo para a purificação do santuário é representada – para ser processado o Juízo investigativo. Como no Santuário terrestre, no dia da Expiação, o sumo sacerdote, comparecia diante da arca da aliança, que simbolizava Deus, e ali era feito o julgamento do todo o povo, assim é no santuário celeste, Jesus o Sumo Sacerdote, vai a presença de Deus Pai, “ancião de dias”, para julgar o Seu povo.
  55. 55. E foi-lhe dado o domínio, 7:14 E foi-lhe dado o domínio e a honra, e o reino, para que todos os povos, nações e línguas o servissem; o seu domínio é um domínio eterno, que não passará, e o seu reino tal, que não será destruído. Em lucas 19: 12-15, Cristo é representado como um nobre que partiu para uma terra distante para tomar posse de um reino, e regressar. No fim do Seu ministério sacerdotal no santuário, enquanto ainda no céu, Cristo recebe o reino de Seu Pai e então retorna à Terra para os Seus santos.
  56. 56. 7:15 Quanto a mim, Daniel, o meu espírito foi abatido dentro do corpo, e as visões da minha cabeça me visões minha cabeça me perturbaram perturbaram. Daniel estava entristecido, ou tenso, pois estava ansioso acerca do futuro do povo de Deus. Ele não podia entender o significado da visão.
  57. 57. 7:16 Cheguei-me a um dos que estavam perto e pedidos que estavam perto, lhe a verdade acerca de tudo isto. E ele me disse, e fez-me saber a interpretação das coisas. fez-me saber a interpretação das coisas Este ser não é identificado. Aqui, Daniel está ainda em visão, e o ser a quem ele se dirige é provavelmente um dos assistentes do julgamento. Este ser, provavelmente um anjo, deseja ajudar a Daniel, a entender o significado da visão.
  58. 58. 7:17 Estes grandes animais, que são quatro, são quatrosão quatro reis, que se levantarão da terra. reis Já vimos isso antes:
  59. 59. Daniel 2 Babilônia Medo Persa Grécia Roma Paralelo Daniel 7
  60. 60. 7:18 Mas os santos do Altíssimo receberão o reino, e o os santos do Altíssimo receberão o reino possuirão para todo o sempre, e de eternidade em eternidade. Todos os reinos e governos terrestres passarão e o reino do Altíssimo permanecerá para sempre. A usurpação e o desgoverno do iníquo durarão por pouco tempo, e em breve terá o seu fim. Então, esta Terra será restituída ao seu domo legítimo, que a compartilhará com os santos. Aqueles que por muito têm sido destituído e aborrecidos pelos homens, breve serão honrados e exaltados por Deus.
  61. 61. 7:19 Então tive desejo de conhecer a verdade a tive conhecer respeito do quarto animal, que era diferente de todos os outros, muito terrível, cujos dentes eram de ferro e as suas unhas de bronze; que devorava, fazia em pedaços e pisava aos pés o que sobrava; Daniel não teve dificuldade para entender o significado dos três animais. Leão, urso e leopardo, eram conhecidos por ele. Ele estava interessado no quarto animal, que era tão diferente em aparência e atividades do que os outros.
  62. 62. 7:20 E também a respeito dos dez chifres que tinha na chifres cabeça, e do outro que subiu, e diante do qual qual caíram do outro que subiu, e diante do caíram três três, isto é, daquele que tinha olhos, e umaboca que falava boca que falava grandes coisas e cujo parecer era mais robusto do que o grandes coisas, dos seus companheiros. Foram as dez tribos bárbaras que venceram o império romano em 476 d.C, e se tornaram os dez países da Europa. O poder papal que derrubou três tribos bárbaras: Hérulos, Vândalos e Estrogodos. Boca que falava com grandes coisas: segundo o apóstolo Paulo, aquele que “queria ser Deus, assentar-se no trono de Deus, parecer Deus” (II Tes 2:4)
  63. 63. 7:21 Eu olhava, e eis que este chifre fazia guerra contra fazia guerra contra os santos, os santos e prevaleceu contra eles. Este chifre pequeno representava um poder perseguidor, exercendo uma campanha de extermínio contra o povo de Deus. João viu o mesmo poder. Ele usa a expressão: Foi-lhe dado, também, que pelejasse contra os santos e os vencesse. Deu-se-lhe ainda autoridade sobre cada tribo, povo, língua e nação. (Apoc 13:7)
  64. 64. 7:21 Eu olhava, e eis que este chifre fazia guerra contra fazia guerra contra os santos, os santos e prevaleceu contra eles. O papado já fez guerra contra os santos? Durante seu reinado mundial, cruéis perseguições impostas pelo poder papal aos Valdenses, Albingenses e protestantes em geral.
  65. 65. 7:22 Até que veio o ancião de dias, e fez justiça aos santos do Altíssimo; e fez justiça chegou o tempo em que os santos possuíram o reino. Justiça nos faz lembrar o juízo, julgamento no céu, v. 8 e 9. E que é o mesmo que purificação do santuário. Ordem dos eventos 1. Chifre pequeno 2. Julgamento no céu 3. Deus estabelece seu Reino
  66. 66. 7:23 Disse assim: O quarto animal será o quarto reino na terra, o qual será diferente de todos os reinos; e devorará toda terra, devorará toda a terra e a pisará aos pés, e a fará em pedaços. Nada parava diante dos exércitos romanos. Tudo ele quebravam e destruíam – pessoas, cidades, nações e povos.
  67. 67. 7:24 E, quanto aos dez chifres daquele mesmo reino chifres, se levantarão dez reis; e depois deles se levantará outro, o qual será diferente dos primeiros, e abaterá a três reis.
  68. 68. 7:24 E, quanto aos dez chifres, daquele mesmo reino se levantarão dez reis; e depois deles se levantará outro, o qual será diferente dos primeiros, e abaterá a a três reis. reis
  69. 69. 7:25 E proferirá palavras contra o Altíssimo, e destruirá E proferirá palavras contra o Altíssimo os santos do Altíssimo, e cuidará em mudar os tempos e a lei; e eles serão entregues na sua mão, por um tempo, e tempos, e a metade de um tempo. Pronome de Tratamento Para um juiz Meritíssimo Juiz Para um rei Vossa Majestade Para o papa Vossa Santidade Demais eclesiásticos Vossa Reverendíssima “ocupamos na Terra o lugar de Deus Todo poderoso” – Papa Leão XIII, Encyclical Letters of Leo XII, junho, 20, 1894, The Great Encyclical letters of Leo XIII, p. 304.
  70. 70. 7:25 E proferirá palavras contra o Altíssimo, edestruirá destruirá os santos do Altíssimo, os santos do Altíssimo e cuidará em mudar os tempos e a lei; e eles serão entregues na sua mão, por um tempo, e tempos, e a metade de um tempo. “Por guerras, cruzadas, massacres, inquisições e perseguições de toda a sorte. Qual é o meio de que eles ainda não lançaram mão, contra todo aquele que tenha protestado contra suas inovações, e recusando submeter-se à sua adoração idólatra?” Dodd – Clarke‟s Commentary, vol. Iv, sobre Daniel 7:25
  71. 71. 7:25 E proferirá palavras contra o Altíssimo, e destruirá os santos do Altíssimo, e cuidará em mudar os tempos cuidará em mudar os e lei; e a lei e eles serão entregues na sua mão, por um tempo, e tempos, e a metade de um tempo. Designando jejuns e festas, canonizando pessoas a quem eles escolhem chamá-las santas; instituindo novos métodos de adoração, estranho à igreja cristã, novos artigos de fé, novas regras de prática, e revisando, a seu desejo, as leis de Deus como as do homem.
  72. 72. A manipulação genética, o uso de drogas, a desigualdade social e a poluição ambiental es entre os novos pecados capitais pelos quais os cristãos devem pedir perdão Os condenação segundo a Igreja Católica de novos pecados capitais - merecedores
  73. 73. 7:25 E proferirá palavras contra o Altíssimo, e destruirá os santos do Altíssimo, e cuidará em mudar os tempos cuidará em mudar os e lei; e a lei e eles serão entregues na sua mão, por um tempo, e tempos, e a metade de um tempo. A impressão de 1958 do Carechism of the Council of trent for Parish Priest (Catecismo do concílio de Trento para Sacerdotes Paroquiais) declara que “a igreja de Deus achou por bem transferir a comemoração e a observância do sábado para o domingo.” p. 402 e 403. Catecismo da Igreja Católica redigido depois do Concilio Vaticano II; D.40.5 Domingo cumprimento do sábado, “Aqueles que viviam segundo a ordem antiga das coisas voltaram-se para a nova esperança não mais observando o sábado, mas sim o dia do Senhor [domingo], no qual a nossa vida é abençoada por Ele e por sua morte.”
  74. 74. 7:25 E proferirá palavras contra o Altíssimo, e destruirá os santos do Altíssimo, e cuidará em mudar os tempos cuidará em mudar os e lei; e a lei e eles serão entregues na sua mão, por um tempo, e tempos, e a metade de um tempo. No livro de Marcos, Jesus diz : “Assim o Filho do homem até do sábado é Senhor.” Marcos 2:28 No livro de Apocalipse, João diz : “Eu fui arrebatado no Espírito no dia do Senhor, e ouvi detrás de mim uma grande voz, como de trombeta.” Apoccalipse 1:10
  75. 75. 7:25 E proferirá palavras contra o Altíssimo, e destruirá os santos do Altíssimo, e cuidará em mudar os tempos serão entregues e a lei; e eles serão entregues na sua mão, por um tempo, e tempos, e a metade de um tempo. tempo “Porque o rei do norte tornará, e porá em campo uma multidão maior do que a primeira, e ao fim dos tempos, isto é, de anos,...” Daniel 11:13 Um tempo + dois tempos + meio tempo 3 anos e meio Estamos lidando com símbolos. Nas profecias simbólicas de Ezequiel, Deus diz expressamente: “cada dia por um ano” (Ezq 4:7). No livro de Números, Deus fez uma profecia para Israel: “segundo o numero dos dias em que espiastes a terra, quarenta dias, cada dia representando um ano, levareis sobre vós as vossas iniqüidades quarenta ...” Num 14:34. Quantos dias tem em 3 anos e meio ? 1260 dias 1260 anos
  76. 76. 7:25 E proferirá palavras contra o Altíssimo, e destruirá os santos do Altíssimo, e cuidará em mudar os tempos serão entregues e a lei; e eles serão entregues na sua mão, por um tempo, e tempos, e a metade de um tempo. tempo Esses três tempos e meio, ou três anos e meio, é mencionado novamente no cap 12:7 e sob diversas formas no livro de Apocalipse. Tempos 3. 1/2 Anos 3. 1/2 Meses 42 Dias 1260 Daniel 7:25 Daniel 11:13 Apoc 11: 2 Apoc 11:3 Apoc 13:5 Apoc 12:6 Daniel 12:7 Apoc 12:14 3.1/2 anos = 42 meses = 1260 dias 1260 anos
  77. 77. 7:25 E proferirá palavras contra o Altíssimo, e destruirá os santos do Altíssimo, e cuidará em mudar os tempos serão entregues e a lei; e eles serão entregues na sua mão, por um tempo, e tempos, e a metade de um tempo. tempo No livro, o Surgimento da igreja medieval [ the Rise of The Medieval Church] , pag. 150, os historiadores dizem que “das ruínas da Roma política surgiu o grande Império moral na „forma gigantesca‟ da Igreja Romana”. A igreja romana assumiu o poder, quando a última tribo ariana caiu. Em 538 d.C 1260 anos 1798 d.C
  78. 78. 7:25 E proferirá palavras contra o Altíssimo, e destruirá os santos do Altíssimo, e cuidará em mudar os tempos serão entregues e a lei; e eles serão entregues na sua mão, por um tempo, e tempos, e a metade de um tempo. tempo “A assembléia constituinte publicou em 27 de Agosto de 1789 os Direitos do homem e do cidadão ou seja 17 artigos em que se proclamavam a soberania do povo e a liberdade individual, ainda de consciência e pensamento… pouco depois abolia a assembléia os votos monásticos e as ordens religiosas… Todos os eclesiásticos deviam jurar o cumprimento desta constituição sob pena de serem considerados como perturbadores da ordem pública… Os sacerdotes que se negaram a prestar o juramento foram condenados à deportação. Logo começaram a encher-se as prisões com eclesiásticos. Em Setembro de 1792 foram atacadas as prisões de Paris por um bando de matadores e os prisioneiros assassinados, entre eles três bispos e mais de duzentos sacerdotes. Esta matança da capital foi imitada em várias cidades… As igrejas foram saqueadas e profanadas, os sacerdotes e religiosos encarcerados em massa; em Nantes, Carrier fez extinguir mais de duzentos em Loira; outros foram deportados para Guayana muitos guilhotinados.
  79. 79. 7:25 E proferirá palavras contra o Altíssimo, e destruirá os santos do Altíssimo, e cuidará em mudar os tempos serão entregues e a lei; e eles serão entregues na sua mão, por um tempo, e tempos, e a metade de um tempo. tempo Se tentou substituir o culto cristão pelo culto à razão. Na catedral de NotreDame celebrou-se a festa desta nova divindade, representada por uma atriz, que sentada em um estrado recebeu as adorações de seus devotos. Reformulou-se o calendário. Substituiu-se a semana pela década e o décimo dia era o dia da pátria que recomeça no domingo. Logo os exércitos franceses com ordem de Napoleão Bonaparte se dirigiram contra os Estados Pontifícios. O Papa foi obrigado a firmar a paz de Tolentino (1797) pela que perdia parte de seus estados e se obrigava a pagar uma alta contribuição de guerra. A morte do general francês Duphot em Roma, deu vez ao Diretório francês para invadir os Estados Pontíficios pelas tropas do general Berthier… Em 15 de Fevereiro de 1798… o papa foi feito prisioneiro e conduzido a Valença(França) onde morreu”.
  80. 80. 7:25 E proferirá palavras contra o Altíssimo, e destruirá os santos do Altíssimo, e cuidará em mudar os tempos serão entregues e a lei; e eles serão entregues na sua mão, por um tempo, e tempos, e a metade de um tempo. tempo “O papado havia se extinguido: não havia um só vestígio de sua existência, e entre todas as potências católicas romanas, nem um dedo foi colocado em sua defesa. A cidade eterna não tinha mais príncipe nem pontífice; seu bispo era um cativo moribundo em um país estranho; e quase havia se lançado o decreto segundo o qual não se permitiria que se levantasse um sucessor em seu lugar”.
  81. 81. 7:25 E proferirá palavras contra o Altíssimo, e destruirá os santos do Altíssimo, e cuidará em mudar os tempos serão entregues e a lei; e eles serão entregues na sua mão, por um tempo, e tempos, e a metade de um tempo. tempo Em 533 d.C., numa carta incorporada ao Código de Justiniano, o imperador Justiniano declara o bispo de Roma como sendo a cabeça de todas as igrejas. Ele também reconheceu a influência do papa na eliminação de hereges. Quando Belisário, general de Justiniano, libertou Roma em 538 D. C., o bispo de Roma libertou-se do controle dos ostrogodos, cujo arianismo tivera com conseqüência restringir o crescimento da Igreja Católica. Agora o bispo poderia exercer as prerrogativas do decreto de Justiniano, do ano de 533 D. C.; ele poderia fazer crescer a autoridade da “Santa Sé”. Assim, começaram os 1.260 anos de perseguição, previstos pela profecia bíblica (Dan. 7:25; Apoc. 12:6, 14; 13:5-7).
  82. 82. 7:26 Mas o juízo será estabelecido e eles tirarão o seu o juízo será estabelecido, domínio, para o destruir e para o desfazer até ao fim. O tribunal proferirá sentença sobre o papado. Este poder continuará a sua guerra contra os santos até o ultimo momento. Então o seu domínio ser-lhe-á tirado para sempre e ele será consumindo.
  83. 83. 7:27 E o reino, e o domínio, e a majestade dos reinos debaixo de todo o céu serão dados ao povo dos santos povo dos santos do Altíssimo; o seu reino será um reino eterno, e todos os domínios o servirão, e lhe obedecerão. Aqui está um tranqüilizador vislumbramento do fim de todas as perturbações e perseguições pelas quais os santos tem passado.
  84. 84. 7:28 Aqui terminou o assunto. Quanto a mim, Daniel, os meus pensamentos muito me perturbaram, e mudou-se em mim o meu semblante; mas guardei o guardei o assunto no meu coração assunto no meu coração. Daniel guardou esse assunto consigo porque ele ainda tinha muitas perguntas sem resposta. A visão ainda esta em sua mente, como veremos no próximo capítulo. Ele estava preocupado com a visão, e como ela se relacionava com seu povo.

×