Parkinson seminário

598 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
598
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Parkinson seminário

  1. 1. Faculdade do Vale do Jaguaribe Neurofuncional I Profa: Ms. Cláudia Vaz Pupo de Mello
  2. 2. INTRODUÇÃO Nosso trabalho é uma pesquisa detalhada sobre Mal de Parkinson, procurando estabelecer e esclarecer informações sobre tal patologia para os acadêmicos de fisioterapia, com o intuito de que esses futuros profissionais possam identificar, tratar e orientar de forma adequada seus futuros pacientes vítimas dessa doença. A seguir, será possível uma maior compreensão dessa patologia, pois detalharemos do que se trata o Mal de Parkinson, quais seus principais sintomas e quais as melhores formas de tratamento, dentre outras informações.
  3. 3. DOENÇA DE PARKINSON • Descrita pelo médico, francês, James Parkinson em 1817; • É caracterizadada por ser uma doença progressiva do movimento devido a disfunção dos neurônios secretores de dopamina nos gânglios da base, que controlam e ajustam a transmissão dos comandos conscientes vindos do córtex cerebral para os músculos do corpo humano; • A doença de Parkinson é idiopática; • É portanto uma doença degenerativa do sistema nervoso central, com início geralmente após os 50 anos de idade; • É uma das doenças neurológicas mais frequentes
  4. 4. • O local primordial da degeneração celular no parkinsonismo é a substância negra, presente na base do mesencéfalo; • O Mal de Parkinson é uma doença que ocorre quando certos neurônios morrem ou perdem a capacidade. O indivíduo portador de Parkinson pode apresentar tremores , rigidez dos músculos, dificuldade de caminhar, dificuldade de se equilibrar e de engolir. Como esses neurônios morrem lentamente, esses sintomas são progressivos no decorrer de anos. • No Brasil, apenas 10% dos pacientes desenvolvem demência
  5. 5. MANIFESTAÇÕES CLÍNICAS-SINAIS E SINTOMAS • A doença de Parkinson é caracterizada clinicamente pela combinação de três sinais clássicos: tremor de repouso, bradicinesia e rigidez. Alem disso o paciente pode apresentar também: acinesia, micrografia, expressões como máscara, instabilidade postural, alterações na marcha e postura encurvada para frente; • Os sintomas normalmente começam nas extremidades superiores e são normalmente unilaterais devido a assimetria da degeneração inicial do cérebro; • Outros sintomas incluem deteriorização da fala(gagueira), depressão e ansiedade, dificuldades de aprendizagem, insônias, perda do sentido do olfato;
  6. 6. • Redução ou falta de iniciativa para atividades espontâneas , incapacidade de desenvolver estratégias eficientes para a resolução de problemas, lentificação de processos mnemônicos e de processamento global da informação, prejuízos da percepção viso espacial, dificuldades de conceitualização e dificuldade de geração da lista de palavras. • O reconhecimento precoce desses sintomas são fatores cruciais para uma melhor abordagem clínica da Doença de Parkinson.
  7. 7. ALIMENTAÇÃO • A medida que a doença evolui, o paciente vai se tornando mais lento e mais enrijecido. A rigidez das extremidades e o controle da posição da cabeça e do tronco podem interferir com a capacidade do paciente de cuidar de si mesmo, inclusive à alimentação. O ato de se alimentar torna-se mais lento e os movimentos simultâneos , tais como, aqueles necessário para manusear os talheres , mostram-se difíceis. Além disso, o paciente apresenta também dificuldades de deglutição , da motricidades gástrica e esofagiana, constipação intestinal, problemas vasomotores, da regulação arterial, dificuldades da regulação da temperatura corporal perturbações do sono e perda de peso.
  8. 8. DIAGNÓSTICO O diagnóstico da doença de Parkinson é feito por exclusão. As vezes, o médico recomenda exames como eletrocefalograma , tomografia computadorizada, ressonância magnética, análise do líquido espinhal , etc., para ter a certeza de que o paciente possui nenhuma outra doença do cérebro. Faz-se baseado na história clínica do doente e no exame neurológico. Não há nenhum teste específico para fazer o diagnóstico da DP. A história usual de quem é acometido consiste no aumento gradual dos tremores , maior lentidão dos movimentos, caminhar arrastando os pés, postura inclinada para frente. O médico neurologista é o profissional indicado para diagnosticar e tratar a doença.

×