Gestão sustentável dos recursos

4.298 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.298
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
76
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Gestão sustentável dos recursos

  1. 1. Gestão sustentável dos recursosRecursos naturais – utilização e consequênciasTodos os bens disponíveis na Terra e que o Homem pode usar em seu benefíciodesignam-se por recursos naturais. O Homem depende de uma grandevariedade de recursos naturais.Exemplos: Minerais, petróleo, madeira e outros recursos.O ser humano, devido a uma maior dependência do meio que os suporta,explora os recursos mais do que aquilo que deve.Existem recursos que se renovam através de processos naturais à escala deduração da vida humana (máximo 100 anos). Os recursos cuja taxa derenovação se realiza a uma velocidade igual ou superior àquela que sãoutilizados são designados por recursos renováveis.Existem recursos naturais que são sujeitos a um ritmo de consumo superioràquele que a Terra é capaz de os renovar. Esses recursos naturais definem-secomo recursos não renováveis.É necessário conseguir um desenvolvimento sustentável, ou seja, umdesenvolvimento que vá ao encontro das necessidades das pessoas nopresente sem comprometer a capacidade das gerações futuras parasatisfazerem as suas necessidades.Quando a espécie humana explora até à exaustão os recursos naturaissurgem desequilíbrios que podem levar ao colapso dos ecossistemas e comeles das sociedades humanas.Consequências da exploração exaustiva dos recursos naturais: o Esgotamento de recursos; o Perda de biodiversidade; o Colapso dos ecossistemas; o Extinção de espéciesOs recursos minerais são muito procurados pelas sociedades modernas, noentanto existem em quantidades muito reduzidas na Terra. A atividade mineirapode ter, numa região, impactes muito negativos sendo necessário tomaralgumas medidas para minimizar ou evitar esses impactes.
  2. 2. Água: um recurso frágil mas vitalA água cobre cerca de três quartos da superfície terrestre.O que fazemos com a água?Agricultura 70%Indústria 22%Uso doméstico 8%A água tem um grande valor ecológico e é um fator determinante naprodução agrícola e industrial.A parte da superfície da Terra que não está coberta por água possui umadiversidade de habitats que dependem da água. As plantas não sobrevivemsem água e, sem as plantas os ecossistemas entram em colapso. Cerca de70% do peso dos seres humanos é água.Diferentes tipos de água o Águas de nascente – são águas subterrâneas naturais, do domínio privado e que na origem se conservam bacteriologicamente próprias para beber. o Água termal – uma água que tem uma temperatura superior. É utilizada para fins terapêuticos. o Águas minerais naturais – são águas bacteriologicamente próprias para consumo, com propriedades físico-químicas estáveis de que resultam propriedades terapêuticas ou de efeitos favoráveis à saúde.As águas de nascente e as águas minerais naturais podem ser comercializadase engarrafadas sem necessitar de tratamento. As águas da nascente têm umacomposição química variável ao contrário das águas minerais que têm umacomposição química mais ou menos constante.Apesar da grande quantidade de água da Terra apenas 0,53% pode serutilizada pelo ser humano.
  3. 3. A água potável e utilizável corresponde a uma pequeníssima percentagem daágua total que existe na Terra, uma quantidade limitada que épermanentemente reciclada no ciclo hidrológico, desde que não seja poluídae não seja utilizada a um ritmo superior ao da reposição. Infelizmente, fazemosambas as coisas.A água doce não se reparte de forma igual pelo planeta e o consumo deágua varia também de região para região.O principal objetivo do uso sustentável da água é utilizá-la sem afetar o ciclohidrológico e os ecossistemas dos quais dependemos, de modo a garantirágua suficiente para as gerações futuras.Cerca de 50% das águas disponíveis em Portugal vêm de Espanha. Existemmaiores perdas de água na agricultura do que no uso doméstico e naindústria. Outro aspeto fundamental é o retorno, isto é, a parte do volume daágua captada que volta ao meio hídrico e é possível ser de novo utilizada. Oretorno é por vezes tão baixo que muitos se questionam se a água será defacto um recurso renovável.Necessário intervir: o Agricultura – uma das inovações na rega é a microirrigação em que se utilizam mangueiras finas que conduzem a água até junto das plantas reduzindo os gastos significativamente. De preferência deve-se regar ao anoitecer para evitar perdas por evaporação. o Uso doméstico – a água que nós utilizamos no nosso dia-a-dia faz um percurso longo e dispendioso, é normalmente captada em rios ou albufeiras e devidamente tratada de forma a garantir a sua qualidade. Este tratamento decorre em Estações de Tratamento de Água (ETA). o Autoclismos que nas descargas não usam mais de 6 litros de água; o Chuveiros e torneiras com baixa pressão;Prefere (+) o Máquinas de lavar que usem menos água; o Sistemas que purificam e reutilizam água; o Economizar produtos que gastam água no seu fabrico; o Banhos de chuveiro rápidos; o Lavar menos o automóvel
  4. 4. o Deixar torneiras a pingar; o Tomar banho de imersão; o Deixar correr a água enquanto teEvita (-) ensaboas, barbeias, lavas os dentes, as mãos, os alimentos, etc. o Ligar as máquinas de lavar sem as cargas máximas o Indústria – a melhor forma de economizar água é devido à sua reutilização. Para além de evitar desperdícios, deve-se reciclar e reutilizá-la. As águas residuais tratadas podem ter diversos fins: Agricultura Zonas verdes Indústria Zonas urbanas Rega de culturas Parques, Arrefecimento, Combate a e viveiros campos de caldeiras, incêndios, ar golfe, margens construção condicionado, de estradas, pesada lavagem de recintos de áreas pavimentos residenciais Os edifícios podem ter depósitos de “água cinzenta” proveniente dos banhos, lavatórios, máquinas de lavar, etc. que será reutilizada para lavar carros e pavimentos ou autoclismos. Recursos energéticos e a importância da sua utilização Combustíveis fósseis são recursos que representam a energia solar captada, transformada, armazenada e preservada durante milhões de anos, pois é mobilizada energia que foi armazenada pela fotossíntese, muitos milhões de anos antes. Exemplos: petróleo, carvão e gás natural. Do petróleo chega-nos uma quantidade enorme de produtos que utilizamos diariamente. No entanto, devido aos conflitos em certas regiões onde estão situadas grandes reservas de petróleo, devido à poluição por ele causada e, devido à sua previsível escassez num futuro próximo, a tendência é da sua subida dos preços e, a necessidade do uso de energias alternativas. As energias alternativas têm como função reduzir a dependência dos combustíveis fósseis, podem também eliminar/ reduzir os impactes ambientais resultantes. Exemplos: energia solar, energia eólica, energia hídrica, energia de biomassa, energia nuclear, hidrogénio, energia geotérmica e energia das ondas.
  5. 5. Algumas destas energias alternativas são consideradas energiasrenováveis, como é o caso da energia solar, energia eólica, energiahídrica, hidrogénio e energia das ondas.As fontes de energias renováveis são também consideradas energiasecologicamente limpas pois são energias em que o impacte ambiental émuito reduzido.Alguns subprodutos resultantes da atividade dos seres vivos podem serconvertidos em várias formas de energia, nomeadamente térmica eelétrica. Considera-se biomassa a fração biodegradável de produtos eresíduos provenientes da agricultura (incluindo produtos vegetais eanimais), da silvicultura e das indústrias relacionadas, bem como a fraçãobiodegradável de resíduos industriais e urbanos.A biomassa sólida, como os resíduos florestais e agrícolas, osbiocombustíveis gasosos, biogás, e os biocombustíveis líquidos, biodiesel,etanol e metanol, são alguns exemplos de fontes energéticas resultantesda biomassa.Energia nuclear o O recurso usado é o urânio; o Principal impacte é a radioatividade

×