Fóssil: restos, marcas ou vestígios de seres que viveram no passado e ficaram conservados nasrochas.Etapas da formação de ...
Quando uma rocha se forma adquire uma certa quantidade de isótopos radioactivosintegrados nos seus minerais constituintes,...
pensamento segundo a qual as alterações ocorridas na terra são o resultado de lentos,tranquilos e graduais acontecimentos....
Paleoclimáticos: Marcas de glaciares em continentes cujo clima actual nunca permitiriaa sua existência.Litológicos: Presen...
Porque é que a dimensão da superfície da Terra não se altera? As zonas de crescimento (riftes) são compensadas pelas zonas...
Hipótese da colisão entre duas Estrelas  •   o Sol ter-se-á formado primeiro;  •   existiria outra Estrela próxima do Sol;...
*Movimento de Rotação lento;          - planetas gigantes ou gasosos e também exteriores: Júpites, Saturno, Urano e       ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Biologia 10º ano

634 visualizações

Publicada em

Biologia 10º ano

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
634
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
18
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Biologia 10º ano

  1. 1. Fóssil: restos, marcas ou vestígios de seres que viveram no passado e ficaram conservados nasrochas.Etapas da formação de um fóssil:Fóssil vivo: São seres vivos que existem desde há muitos milhões de anos. Mantiveram as suascaracterísticas ao longo do tempo, pois adaptaram-se bem aos variados ambientes que aTerra atravessou.Fósseis de idade: fóssil de um ser que viveu durante um curto periodo de tempo à escalageológica e teve uma ampla distribuição geográfica.Fósseis de fáceis: permitem-nos caracterizar ou recontruir ambientes passados.Principio da Sobreposição de estratos diz que numa série de rochas sedimentares nãodeformados, um estrato é mais antigo do que aquele que o cobre e mais recente do que aqueleque lhe serve de base. Só pode ser aplicado a rochas deformadas se não existir inversão daposição dos estratos.Exceções ao Princípio da sobreposição: 1- Camadas invertidas 2- Falhas inversas 3- Maciços intrusivos 4- Terraços fluviais 5- Depósitos em grutas 6- Recifes de coral 7- Soleiras ou filões de camadasPrincípio da horizontalidade inicial: Os materiais que formam os estratos depositam-seinicialmente segundo planos horizontais.Princípios da Identidade Paleontológica, estratos que contenham o mesmo conjunto de fosseistêm a mesma idade.Sempre que podemos dizer que um estrato é mais antigo ou mais moderno, que outroestamos a atribuir-lhe uma idade relativa.Com a descoberta da radioactividade, descobriram-se as formas instáveis de algunselementos que são isótopos instáveis que têm uma propriedade que pode ser utilizada paradeterminar a idade de certas rochas, esta propriedade chama-se decaimento radioactivo, queconsiste na transformação de uma no noutro, com a libertação de energia.
  2. 2. Quando uma rocha se forma adquire uma certa quantidade de isótopos radioactivosintegrados nos seus minerais constituintes, com o passar do tempo, estes isótopos vão-sedesintegrando a uma velocidade constante de decaimento e transformam-se em átomosestáveis. Aos isótopos instáveis chama-se átomos-pai e aos que resultam da sua desintegração átomos-filho.O tempo necessário para que metades dos átomos pai se transformem em átomos-filhochama-se tempo de semi-vida.Este método de datação é mais eficaz nas rochas magmáticas.A idade radiometrica ou idade absoluta é a idade numérica das rochas e dos minerais, baseadanas propriedades radioactivas de certos elementos químicos.Princípio da intersecção: sempre que uma estrutura é intersetada por outra a que a interseta emais recente.Princípio da inclusão: Fragmentos ou porções de uma rocha que se encontrem incorporadosnoutra, são mais antigos que a rocha que os contém.Princípio da continuidade lateral: em diferentes pontos da Terra pode haver a mesmasequência estratigráfica, mesmo faltando um elemento tem a mesma idade, ou seja, é acorrelação entre estratos distanciados lateralmente.Princípios Básicos Do Raciocínio GeológicoAté meados do séc.XVIII, acreditava-se que a criação da Terra era o resultado da vontade eda intervenção divina. James Hutton recuperou a ideia do naturalismo, considerou que asrochas se formam por processos naturais e não devidos a qualquer intenção sobrenatural Aesta uniformidade de processos foi dado o nome de Uniformitarismo. Hutton opunha-se aideia catastrofista que usava a ocorrência de acontecimentos súbitos e violentos, quase sempreatribuídos a uma origem divina, para explicar os fenómenos geológicos acontecidos àsuperfície da Terra.As ideias do Uniformitarismo são: As leis naturais são constantes no tempo e no espaço; O passado pode ser explicado com base no que se observa hoje, pois as causas das catástrofes que provocaram fenómenos no passado, são as mesmas que provocam catástrofes no presente – princípio do actualismo “ o presente é a chave do passado”; Os processos geológicos são lentos e graduais – Principio do gradualismo.Hutton admitiu a existência de fenómenos violentos, como os sismos e os vulcões.O Neocatatrofismo aceita os princípios do uniforitarismo mas admite a existência decatástrofes.O catastrofismo é a rede de pensamento segundo a qual as alterações ocorridas na terra sãoconsequências de fenómenos súbitos causados por catástrofes. O gradualismo é a rede de
  3. 3. pensamento segundo a qual as alterações ocorridas na terra são o resultado de lentos,tranquilos e graduais acontecimentos.Principio do actualismo- os fenómenos geológicos existentes na actualidade são idênticos aos que ocorreram nopassado;- os acontecimentos geologicos do passado explicam-se atraves dos mesmos processosnaturais que se observam na actualidade;- “o presente é a chave do passado”Datação relativa  Estabelece o sincronismo entre duas camadas  Estabelece a ordem de sucessão de uma série de estratosPrincípios geológicos utilizados na cronologia relativa  Princípio da sobreposição  Princípio da horizontalidade inicial  Princípio da continuidade lateral  Princípio da inclusão  Princípio da interseção  Princípio da identidade paleontológica  Princípio do atualismoAs placas Tectónicas e os seus movimentos Deriva dos continentes  Teoria da deriva dos continentes (Alfred Wegener):“Os continentes, agora afastados, já estiveram juntos formando um únicosupercontinente – a Pangeia – rodeado por um único oceano – a Pantalassa.Posteriormente, a Pangeia fracturou-se e os continentes deslocaram-se até atingirem asposições actuais.”Argumentos a favor:Morfológicos:Continentes separados por oceanos encaixam entre si como um puzzle.(costas Este da América do Sul e Oeste de África)Paleontológicos: Aparecimento de fósseis da mesma espécie em locais muito distantese que estão actualmente separados por oceanos.
  4. 4. Paleoclimáticos: Marcas de glaciares em continentes cujo clima actual nunca permitiriaa sua existência.Litológicos: Presença de rochas do mesmo tipo e com a mesma idade em diferentescontinentes hoje afastados por um oceano.(marcas de glaciar em Africa)A Teoria da Deriva dos Continentes foi rejeitada pela comunidade científica da alturaporque Wegener não conseguiu explicar convenientemente como é que os continentesse conseguiam mover.Morfologia dos fundos oceânicosDorsal médio-oceânica – cadeia montanhosa com milhares de km de comprimentosituada na zona mediana dos oceanos. Na parte central apresenta um profundo vale –rifte – por onde ascende magma que origina novo fundo oceânico. É ainda atravessadapor várias fracturas transversais.Fossa oceânica – zona muito profunda onde ocorre destruição do fundo oceânico maisantigo pelo que se designa de zona de subdução.Planície abissal – superfície profunda, mais ou menos plana, de um e outro lado dadorsal.Talude continental – zona de declive acentuado que faz a transição entre continente eoceano.Plataforma continental – zona ligeiramente inclinada, que ainda faz parte docontinente.Com o conhecimento e estudo dos fundos oceânicos constatou-se que:Na zona dos riftes, a partir da ascensão do magma, forma-se continuamente litosferaoceânica nova, a qual empurra a mais antiga, para ser destruída na zona das fossasoceânicas. A saída de lava nos riftes das dorsais provoca assim a expansão dos fundosoceânicos, que conduziu ao afastamento dos continentes que estiveram anteriormenteunidos. Apoia Wegener!!!
  5. 5. Porque é que a dimensão da superfície da Terra não se altera? As zonas de crescimento (riftes) são compensadas pelas zonas de destruição e,portanto, a Terra mantém-se com a mesma dimensão total, sem aumentar nem diminuir.A teoria da deriva continental + a teoria da expansão dos fundos oceânicos = Teoria datectónica de placas Placas TectónicasUma placa tectónica é uma porção de litosfera limitada por zonas de convergência,zonas de subducção e zonas conservativas. Segundo a teoria da tectónica de placas,as placas tectónicas são criadas nas zonas de divergência, ou “zonas de rifte”, e sãoconsumidas em zonas de subducção. É nas zonas de fronteira entre placas que seregista a grande maioria dos terramotos e erupções vulcânicas.Teoria da tectónica de placas: Defende que a litosfera se encontra fragmentada em diferentes porções Litosfera – parte superior da Terra que engloba a crusta e parte do manto superior Fossa – zonas onde se cria nova litosfera Limites de placas Limites divergentes: são aqueles onde o sentido do movimento relativo entre duas placas litosféricas faz com que elas se afastem uma da outra devido à ascensão de magma nesse local. Logo, são locais onde há formação de nova litosfera. Situam-se nas dorsais oceânicas e estão associadas a fenómenos de vulcanismo. Limites convergentes: são aqueles em que o sentido do movimento relativo entre duas placas litosféricas faz com que elas se aproximem uma da outra. Logo, é um local onde a litosfera vai ser destruída. Geralmente são zonas de fossa oceânica. Zonas de subducção, uma área de convergência de placas tectónicas, onde uma das placas desliza para debaixo da outra. Limites transformantes: são aqueles onde o sentido do movimento relativo entre duas placas litosféricas faz com que elas deslizem lateralmente uma em relação à outra. Logo, são locais onde não há formação nem destruição da listosfera.Dobras – são deformações visíveis à “vista desarmada”, irreversíveis e permanentes,que resultam de forças do tipo compressivo.Falhas – são deformações causadas por forças que ultrapassam o limite de plasticidadedas rochas, por isso, estas fracturam-se.
  6. 6. Hipótese da colisão entre duas Estrelas • o Sol ter-se-á formado primeiro; • existiria outra Estrela próxima do Sol; • a determinada altura as duas estrelas colidiram; • como resultado da colisão teriam sido arrancados pequenos pedaços ao Sol que ao condensarem deram origem aos planetas;Hipótese da aproximação entre duas Estrelas • Tal como na hipótese anterior o Sol formou-se primeiro; • Existiria outra estrela relativamente próxima e muito maior que o Sol; • A dada altura as duas estrelas aproximaram-se o suficiente para que a gravidade da estrela maior puxasse algum material do Sol. • Esse material acabaria por condensar e dar origem aos planetas.Teoria Nebular Formação de uma nuvem fria constituida por gases e poeiras; Núcleo da nuvem foi aquecendo gradualmente e começou a girar; A velocidade de rotação aumentou o que condicionou o seu achatamento; Muitas partículas começaram a aglomerar-se no centro formando o sol; As partículas que rodeavam o sol concentraram-se à sua volta: as mais densas na zona interna e as menos densas na zona externa; Os corpos mais densos deram origem aos planetas telúricos ou terrestres e menos densos aos planetas gigantes ou gasosos; Estes planetas começaram a desenvolver órbitas em volta do sol.Constituição do Sistema Solar 8 planetas principais – corpo celeste que orbita em torno do Sol; tem massa suficiente para ter gravidade própria; assume forma arredondada; possui uma órbita desimpedida de outros astros; Órbita é uma linha imaginária que os planetas e outros corpos celestes efectuam em torno só Sol. Todos os planetas do sistema solar realizam 2 mivimentos: - movimento de translação: movimento que os planetas principais efectuam em volta do sol. - movimento de rotação: movimento que os planetas efectuam em torno de si mesmos. Os planetas dividem-se em: - planetas menores, terrestres ou telúricos e também interiores: Mercúrio, Vénus, Terra e Marte. Caracteríticas entre si: *Pequenas dimensões; *Grande densidade; *Os materiais do seu interior estão distribuídos em camadas mais ou menos concêntricas. *Poucos satélites naturais;
  7. 7. *Movimento de Rotação lento; - planetas gigantes ou gasosos e também exteriores: Júpites, Saturno, Urano e Neptuno. Características entre si: *Grandes dimensões *Baixa Densidade; *Muitos satélites Naturais; *Rápido Movimento de Rotação. Planetas secundários - Também designados satélites, são planetas que descrevem translações em torno de outros planetas; Planetas Anões – corpo celeste muito semelhante a um planeta principal, apenas não possui uma órbita desimpedida; Pequenos corpos do sistema solar.Asteróides: São corpos Rochosos de forma irregular. Podem ser agrupados em váriosgrupos: o Asteróides que pertencem à cintura de Asteróides, entre Marte e Júpiter; o Asteróides Próximos da Terra, NEA, estes podem entrar em colisão com os planetas interiores devido as suas orbitas muito elípticas; o Asteróides Troianos, que se movimentam ao longo da órbita de Júpiter; o Asteróides Centauros, que orbitam na zona exterior do S.S.CometasSão pequenos corpos celestes essencialmente constituídos por água, gases congelados epoeiras rochosas, giram a volta do Sol em órbitas muito excêntricas. Quando o Cometa seaproxima do Sol, o gelo é vaporizado pelo calor, originando uma nuvem de gases e poeiras –a cabeleira – que rodeia o núcleo. Partes constituintes: núcleo, cabeleira e caudaMeteoróides (pedaços de cometas e asteróides) Meteoros (incandescentes) Meteoritos (atingem a superficie da Terra)Os meteoritos podem ser: o Sideritos ou férreo –elevada percentagem de ferro e níquel. o Siderólitos ou petroférreos – porções idênticas de silicatos e de ferro e níquel. o Aerólitos ou pétreos – elevada percentagem de silicatos. Estes podem ser Acondritos ou podem ser Condritos, quando têm côndrulos.

×