SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 28
Baixar para ler offline
Profª Isabel Henriques   1
Os cientistas começaram a
formar, no século XIX, uma
tabela do tempo geológico
baseadas:
 unidades cronostratigráficas
  da Europa e da América do
  Norte;
 litostratigrafia;
 conteúdo fóssil das
  diferentes rochas.


              Profª Isabel Henriques   2
 Todasas datações efectuadas
 eram relativas e baseavam-se nos
 princípios estratigráficos já
 estudados. Nas primeiras versões
 da tabela cronostratigráfica, as
 divisões foram estabelecidas com
 base na existência de
 descontinuidades no registo
 geológico, resultantes de
 interrupções na sedimentação,
 evidenciando alterações profundas
 nos paleoambientes.
             Profª Isabel Henriques   3
 Asprimeiras
 explicações previam
 que a formação de
 montanhas provocava
 uma interrupção da
 sedimentação,
 formando lacunas no
 registo estratigráfico.




              Profª Isabel Henriques   4
 Com o desenvolvimento
 dos métodos de datação
 radiométrica e da
 magnetostratigrafia, no
 século XX, foi possível
 datar com maior
 precisão a formação de
 muitas das rochas e
 atribuir uma idade
 absoluta às divisões da
 tabela
 cronostratigráfica.
             Profª Isabel Henriques   5
 Parase caracterizar um conjunto de rochas
 é necessário estudar a sua composição
 mineralógica e estrutura, e descrever
 detalhadamente o conteúdo fossilífero, caso
 este exista.




             Profª Isabel Henriques   6
 Recorrendo à datação relativa e absoluta
 enquadram-se as rochas em estudo com as
 referências presentes na coluna estratigráfica.




               Profª Isabel Henriques    7
 Diversoscientistas começaram a correlacionar
 amostras rochosas e fósseis presentes em
 diferentes estratos, tendo iniciado a elaboração
 de uma tabela cronostratigráfica global.




              Profª Isabel Henriques     8
 Estatabela corresponde a
 uma escala de referência,
 aceite pela comunidade
 científica a nível mundial,
 e está em constante
 actualização.




              Profª Isabel Henriques   9
A  tabela cronostratigráfica
  permite condensar os
  principais acontecimentos da
  História da Terra, que assim
  ganham um maior significado,
  pois são colocados numa
  perspectiva de tempo
  geológico.
 A tabela cronostratigráfica
  surgiu para simplificar a
  informação contida nas
  diferentes escalas numa tabela.
              Profª Isabel Henriques   10
 As escalas foram construídas
 devido à necessidade que o
 Homem teve em determinar o
 tempo em que ocorreram
 certos acontecimentos, como
 a origem da Terra ou da vida
 ou até mesmo a quando da
 formação de uma determinada
 espécie.



             Profª Isabel Henriques   11
 As tabelas crosnostratigráficas
  são compostas pela sobreposição
  de unidades cronostratigráficas
  - correspondem aos volumes de
  materiais rochosos
  estratificados, processos ou
  acontecimentos geológicos que
  ocorreram durante um
  determinado intervalo de
  tempo.
 Inclui o Eonotema, o Eratema, o
  Sistema, a Série e o Andar.
               Profª Isabel Henriques   12
A organização
 sistemática das rochas
 em diferentes unidades
 cronostratigráficas
 permitiu elaborar a
 tabela
 cronostratigráfica, com
 os correspondentes
 intervalos do tempo
 geológico (unidades
 geocronológicas).

             Profª Isabel Henriques   13
 Unidades   geocronológicas -
  Unidades do tempo
  geológico durante a qual as
  unidades cronostratigráficas
  se formaram.
 Inclui o Éon, a Era, o
  Período, a Época e a Idade.




              Profª Isabel Henriques   14
Cronostratigrafia                      Geocronológicas

     Eontema                                Eon


     Eratema                                 Era



     Sistema                               Período.



      Série                                Época.


      Andar                                 Idade

              Profª Isabel Henriques                  15
Profª Isabel Henriques   16
O  Andar é considerado a
  unidade básica da
  cronostratigrafia e é a
  hierarquia mais baixa que
  pode ser reconhecida numa
  escala cronostratigráfica.
 Esta divisão inclui todas as
  rochas formadas numa
  idade específica.



               Profª Isabel Henriques   17
   Correspondem aos volumes de materiais
    rochosos estratificados, processos       ou
    acontecimentos geológicos que ocorreram
    durante um determinado intervalo de tempo.
Unidades Cronoestratigráficas:                         A unidade
Eontema - unidade cronoetratigráfica representativa
                                                       cronostratigráfica com
de um Eon.                                             maior importante é o
Eratema - unidade cronoetratigráfica representativa
de uma Era.
                                                       Andar.
Sistema - unidade cronoetratigráfica representativa
de um Período.
Série - unidade cronoetratigráfica representativa de
uma Época.
Andar - unidade cronoetratigráfica representativa de
uma Idade.




                              Profª Isabel Henriques                  18
 Asunidades cronostratigráficas baseam-se nas
 escalas Biostratigráficas e
 magnetostratigráficas.




              Profª Isabel Henriques    19
   O paleomagnetismo foi um
    importante apoio para a
    teoria da tectónica de
    placas.

   Devido ao seu estudo, surgiu
    a escala
    magnetostratigráfica
    importante para datar
    alguns acontecimentos que
    ocorreram no passado, como
    as inversões magnéticas.

                 Profª Isabel Henriques   20
Esta escala é usada                           Formando as unidades
como complemento da                           cronostratigráficas.
escala biostratigrafia.



                                              Unidades concretas e
Completando a tabela
                                              objectivas que podem
cronostratigráfica
                                              ser materializadas.




                     Profª Isabel Henriques           21
Características:

 Abstractas   e de âmbito global.

 Exprimem     tempo.

 Caracterizam a totalidade do planeta, num
 intervalo de tempo definido.


                 Profª Isabel Henriques   22
 Estas
      unidades baseia-se principalmente na
 escala litostratigráfica, dos
 acontecimentos tectónicos e metamórficos
 que ocorreram no passado.




             Profª Isabel Henriques   23
Escala
Escala Biostratigráfica                               Escala Litostratigráfica
                               magnetostratigráfica




                          Profª Isabel Henriques               24
Profª Isabel Henriques   25
   Após a observação da tabela,
    podemos concluir que as
    unidades cronostratigráficas e
    as geocronológicas apresentam
    uma relação, ou seja, para cada
    unidade cronostratigráfica
    existe uma unidade
    geocronológica correspondente.
     Eonotema – Eon
     Eratema – Era
     Série – Época
     Andar - Idade

                      Profª Isabel Henriques   26
 Nesta tabela cronostratigráfica,
 encontra-se também representado
 as glaciações que ocorreram na
 terra.

A tabela podia apresentar mais
 informação, como por exemplo,
 em que períodos ocorreram as
 inversões magnéticas.




              Profª Isabel Henriques   27
Profª Isabel Henriques


                         Geologia 12º Ano

Profª Isabel Henriques          28

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Geologia 11 rochas sedimentares - história da terra - fósseis
Geologia 11   rochas sedimentares  - história da terra - fósseisGeologia 11   rochas sedimentares  - história da terra - fósseis
Geologia 11 rochas sedimentares - história da terra - fósseisNuno Correia
 
Tema II - O Tempo Geológico e Métodos de Datação
Tema II -  O Tempo Geológico e Métodos de DataçãoTema II -  O Tempo Geológico e Métodos de Datação
Tema II - O Tempo Geológico e Métodos de DataçãoIsabel Henriques
 
Datação relativa
Datação relativaDatação relativa
Datação relativacatiacsantos
 
Tipos de rochas sedimentares
Tipos de rochas sedimentaresTipos de rochas sedimentares
Tipos de rochas sedimentaresGéssica Santos
 
7 rochas metamórficas
7   rochas metamórficas7   rochas metamórficas
7 rochas metamórficasmargaridabt
 
Rochas sedimentares classificação detríticas
Rochas sedimentares  classificação detríticasRochas sedimentares  classificação detríticas
Rochas sedimentares classificação detríticasIsabel Lopes
 
11 evolucionismo
11  evolucionismo11  evolucionismo
11 evolucionismomargaridabt
 
III - TECTÓNICA DE PLACAS
III - TECTÓNICA DE PLACASIII - TECTÓNICA DE PLACAS
III - TECTÓNICA DE PLACASsandranascimento
 
BioGeo11-classificação das rochas sedimentares
BioGeo11-classificação das rochas sedimentaresBioGeo11-classificação das rochas sedimentares
BioGeo11-classificação das rochas sedimentaresRita Rainho
 
Geologia 11 meteorização química
Geologia 11   meteorização químicaGeologia 11   meteorização química
Geologia 11 meteorização químicaNuno Correia
 
Princípios Estratigráficos
Princípios EstratigráficosPrincípios Estratigráficos
Princípios EstratigráficosGabriela Bruno
 
Exercícios de geologia
Exercícios de geologiaExercícios de geologia
Exercícios de geologiaNuno Correia
 
3 b classificaçãorochassedimentares
3 b   classificaçãorochassedimentares3 b   classificaçãorochassedimentares
3 b classificaçãorochassedimentaresmargaridabt
 
Modelos de Convecção mantélica
Modelos de Convecção mantélicaModelos de Convecção mantélica
Modelos de Convecção mantélicaRicardo Antunes
 

Mais procurados (20)

Geologia 11 rochas sedimentares - história da terra - fósseis
Geologia 11   rochas sedimentares  - história da terra - fósseisGeologia 11   rochas sedimentares  - história da terra - fósseis
Geologia 11 rochas sedimentares - história da terra - fósseis
 
Tema II - O Tempo Geológico e Métodos de Datação
Tema II -  O Tempo Geológico e Métodos de DataçãoTema II -  O Tempo Geológico e Métodos de Datação
Tema II - O Tempo Geológico e Métodos de Datação
 
Datação relativa
Datação relativaDatação relativa
Datação relativa
 
Tipos de rochas sedimentares
Tipos de rochas sedimentaresTipos de rochas sedimentares
Tipos de rochas sedimentares
 
7 rochas metamórficas
7   rochas metamórficas7   rochas metamórficas
7 rochas metamórficas
 
Rochas sedimentares classificação detríticas
Rochas sedimentares  classificação detríticasRochas sedimentares  classificação detríticas
Rochas sedimentares classificação detríticas
 
11 evolucionismo
11  evolucionismo11  evolucionismo
11 evolucionismo
 
Bacia do Parnaíba
Bacia do ParnaíbaBacia do Parnaíba
Bacia do Parnaíba
 
Magmatismo.pptx
Magmatismo.pptxMagmatismo.pptx
Magmatismo.pptx
 
III - TECTÓNICA DE PLACAS
III - TECTÓNICA DE PLACASIII - TECTÓNICA DE PLACAS
III - TECTÓNICA DE PLACAS
 
Fósseis de Fácies
Fósseis de FáciesFósseis de Fácies
Fósseis de Fácies
 
BioGeo11-classificação das rochas sedimentares
BioGeo11-classificação das rochas sedimentaresBioGeo11-classificação das rochas sedimentares
BioGeo11-classificação das rochas sedimentares
 
Geologia 11 meteorização química
Geologia 11   meteorização químicaGeologia 11   meteorização química
Geologia 11 meteorização química
 
Princípios Estratigráficos
Princípios EstratigráficosPrincípios Estratigráficos
Princípios Estratigráficos
 
Sismologia
SismologiaSismologia
Sismologia
 
Ocupação antrópica
Ocupação antrópicaOcupação antrópica
Ocupação antrópica
 
Bg10 t1a 17_cc
Bg10 t1a 17_ccBg10 t1a 17_cc
Bg10 t1a 17_cc
 
Exercícios de geologia
Exercícios de geologiaExercícios de geologia
Exercícios de geologia
 
3 b classificaçãorochassedimentares
3 b   classificaçãorochassedimentares3 b   classificaçãorochassedimentares
3 b classificaçãorochassedimentares
 
Modelos de Convecção mantélica
Modelos de Convecção mantélicaModelos de Convecção mantélica
Modelos de Convecção mantélica
 

Destaque

PPT UFCD 6558_Atividade Profissional do Técnico Auxiliar de Saúde
PPT UFCD 6558_Atividade Profissional do Técnico Auxiliar de SaúdePPT UFCD 6558_Atividade Profissional do Técnico Auxiliar de Saúde
PPT UFCD 6558_Atividade Profissional do Técnico Auxiliar de SaúdeIsabel Henriques
 
Mapas topográficos e geológicos
Mapas topográficos e geológicosMapas topográficos e geológicos
Mapas topográficos e geológicosmarciotecsoma
 
Tema II - História Geológica de uma Região Cartografia
Tema II - História Geológica de uma Região  CartografiaTema II - História Geológica de uma Região  Cartografia
Tema II - História Geológica de uma Região CartografiaIsabel Henriques
 
Tema II - História Geológica de uma Região/Trabalhos Correcção
Tema II - História Geológica de uma Região/Trabalhos CorrecçãoTema II - História Geológica de uma Região/Trabalhos Correcção
Tema II - História Geológica de uma Região/Trabalhos CorrecçãoIsabel Henriques
 
Tema I - Teoria Tectónica de Placas 2ª parte
Tema I - Teoria Tectónica de Placas  2ª parteTema I - Teoria Tectónica de Placas  2ª parte
Tema I - Teoria Tectónica de Placas 2ª parteIsabel Henriques
 
Biologia e geologia apresentação
Biologia e geologia apresentaçãoBiologia e geologia apresentação
Biologia e geologia apresentaçãoIsabel Henriques
 
Tema III - A Terra Antes do Aparecimento do Homem paleoclimas
Tema III - A Terra Antes do Aparecimento do Homem paleoclimasTema III - A Terra Antes do Aparecimento do Homem paleoclimas
Tema III - A Terra Antes do Aparecimento do Homem paleoclimasIsabel Henriques
 
Tema I - Teoria Deriva Continental 1ª parte
Tema I - Teoria Deriva Continental  1ª parteTema I - Teoria Deriva Continental  1ª parte
Tema I - Teoria Deriva Continental 1ª parteIsabel Henriques
 
Tema III - Mudanças ambientais na história da terra e evolução do homem
Tema III - Mudanças ambientais na história da terra e evolução do homemTema III - Mudanças ambientais na história da terra e evolução do homem
Tema III - Mudanças ambientais na história da terra e evolução do homemIsabel Henriques
 
Tempo Geológico
Tempo GeológicoTempo Geológico
Tempo GeológicoLucca
 
A formação da terra e o tempo geológico
A formação da terra e o tempo geológicoA formação da terra e o tempo geológico
A formação da terra e o tempo geológicoIsabellyViana
 
Tabela cronostratigráfica
Tabela cronostratigráficaTabela cronostratigráfica
Tabela cronostratigráficaClaudia Costa
 
Escala tempo geológico 2
Escala tempo geológico 2Escala tempo geológico 2
Escala tempo geológico 2kriscorreia
 
Comemorações do dia mundial da saúde dados estatísticos
Comemorações do dia mundial da saúde dados estatísticosComemorações do dia mundial da saúde dados estatísticos
Comemorações do dia mundial da saúde dados estatísticosIsabel Henriques
 

Destaque (20)

PPT UFCD 6558_Atividade Profissional do Técnico Auxiliar de Saúde
PPT UFCD 6558_Atividade Profissional do Técnico Auxiliar de SaúdePPT UFCD 6558_Atividade Profissional do Técnico Auxiliar de Saúde
PPT UFCD 6558_Atividade Profissional do Técnico Auxiliar de Saúde
 
Mapas topográficos e geológicos
Mapas topográficos e geológicosMapas topográficos e geológicos
Mapas topográficos e geológicos
 
Tema II - História Geológica de uma Região Cartografia
Tema II - História Geológica de uma Região  CartografiaTema II - História Geológica de uma Região  Cartografia
Tema II - História Geológica de uma Região Cartografia
 
Rochas metamórficas viii
Rochas metamórficas  viiiRochas metamórficas  viii
Rochas metamórficas viii
 
PPT Dia do Não Fumador
PPT Dia do Não FumadorPPT Dia do Não Fumador
PPT Dia do Não Fumador
 
Tema II - História Geológica de uma Região/Trabalhos Correcção
Tema II - História Geológica de uma Região/Trabalhos CorrecçãoTema II - História Geológica de uma Região/Trabalhos Correcção
Tema II - História Geológica de uma Região/Trabalhos Correcção
 
Tema I - Teoria Tectónica de Placas 2ª parte
Tema I - Teoria Tectónica de Placas  2ª parteTema I - Teoria Tectónica de Placas  2ª parte
Tema I - Teoria Tectónica de Placas 2ª parte
 
Biologia e geologia apresentação
Biologia e geologia apresentaçãoBiologia e geologia apresentação
Biologia e geologia apresentação
 
Tema III - A Terra Antes do Aparecimento do Homem paleoclimas
Tema III - A Terra Antes do Aparecimento do Homem paleoclimasTema III - A Terra Antes do Aparecimento do Homem paleoclimas
Tema III - A Terra Antes do Aparecimento do Homem paleoclimas
 
Tema I - Teoria Deriva Continental 1ª parte
Tema I - Teoria Deriva Continental  1ª parteTema I - Teoria Deriva Continental  1ª parte
Tema I - Teoria Deriva Continental 1ª parte
 
Apostila de estratigrafia geral
Apostila de estratigrafia geralApostila de estratigrafia geral
Apostila de estratigrafia geral
 
ERA CENOZÓICA
ERA CENOZÓICAERA CENOZÓICA
ERA CENOZÓICA
 
Minerais
MineraisMinerais
Minerais
 
Tema III - Mudanças ambientais na história da terra e evolução do homem
Tema III - Mudanças ambientais na história da terra e evolução do homemTema III - Mudanças ambientais na história da terra e evolução do homem
Tema III - Mudanças ambientais na história da terra e evolução do homem
 
Tempo Geológico
Tempo GeológicoTempo Geológico
Tempo Geológico
 
A formação da terra e o tempo geológico
A formação da terra e o tempo geológicoA formação da terra e o tempo geológico
A formação da terra e o tempo geológico
 
Tabela cronostratigráfica
Tabela cronostratigráficaTabela cronostratigráfica
Tabela cronostratigráfica
 
Escala tempo geológico 2
Escala tempo geológico 2Escala tempo geológico 2
Escala tempo geológico 2
 
Ppt Dia do Não Fumador
Ppt Dia do Não FumadorPpt Dia do Não Fumador
Ppt Dia do Não Fumador
 
Comemorações do dia mundial da saúde dados estatísticos
Comemorações do dia mundial da saúde dados estatísticosComemorações do dia mundial da saúde dados estatísticos
Comemorações do dia mundial da saúde dados estatísticos
 

Semelhante a Cronostratigrafia e a construção da tabela do tempo geológico

Tempo geológico
Tempo geológicoTempo geológico
Tempo geológicoYagoVerling
 
Geologia do Quaternário
Geologia do QuaternárioGeologia do Quaternário
Geologia do QuaternárioRuana Viana
 
Era geológica-geografia-24/06/2014
Era geológica-geografia-24/06/2014Era geológica-geografia-24/06/2014
Era geológica-geografia-24/06/2014Gabi Barbosa
 
Relevo semi árido
Relevo semi áridoRelevo semi árido
Relevo semi áridoJosi Leo
 
Geologia e Uniformitarismo
Geologia e UniformitarismoGeologia e Uniformitarismo
Geologia e Uniformitarismoguest57e587
 
Capítulo 03 - Paleontologia do DEvoniano dos Campos Gerais
Capítulo 03 - Paleontologia do DEvoniano dos Campos GeraisCapítulo 03 - Paleontologia do DEvoniano dos Campos Gerais
Capítulo 03 - Paleontologia do DEvoniano dos Campos GeraisElvio Hellbilly Bosetti
 
Tempo geologico
Tempo geologicoTempo geologico
Tempo geologicoRapha100
 
1. introdução aos estudos históricos
1. introdução aos estudos históricos1. introdução aos estudos históricos
1. introdução aos estudos históricosSuellen Barbosa
 
Tempo geológico02 (10)
Tempo geológico02 (10)Tempo geológico02 (10)
Tempo geológico02 (10)YagoVerling
 
Teoria Da TectóNica De Placas
Teoria Da TectóNica De PlacasTeoria Da TectóNica De Placas
Teoria Da TectóNica De PlacasMaria
 
Periodo pré-Wegeneriano
Periodo pré-WegenerianoPeriodo pré-Wegeneriano
Periodo pré-Wegenerianogeologia 12
 
4 otempoemgeologia-101011135642-phpapp02
4 otempoemgeologia-101011135642-phpapp024 otempoemgeologia-101011135642-phpapp02
4 otempoemgeologia-101011135642-phpapp02Pelo Siro
 
O sistema das ciências e o lugar da Geografia - Hettner
O sistema  das ciências e o lugar da Geografia - HettnerO sistema  das ciências e o lugar da Geografia - Hettner
O sistema das ciências e o lugar da Geografia - HettnerAntônio Anjos
 

Semelhante a Cronostratigrafia e a construção da tabela do tempo geológico (20)

Aula 01
Aula 01Aula 01
Aula 01
 
Tempo geológico
Tempo geológicoTempo geológico
Tempo geológico
 
Geologia do Quaternário
Geologia do QuaternárioGeologia do Quaternário
Geologia do Quaternário
 
SLIDE 1.pptx
SLIDE 1.pptxSLIDE 1.pptx
SLIDE 1.pptx
 
Era geológica-geografia-24/06/2014
Era geológica-geografia-24/06/2014Era geológica-geografia-24/06/2014
Era geológica-geografia-24/06/2014
 
Relevo semi árido
Relevo semi áridoRelevo semi árido
Relevo semi árido
 
Geologia e Uniformitarismo
Geologia e UniformitarismoGeologia e Uniformitarismo
Geologia e Uniformitarismo
 
Capítulo 03 - Paleontologia do DEvoniano dos Campos Gerais
Capítulo 03 - Paleontologia do DEvoniano dos Campos GeraisCapítulo 03 - Paleontologia do DEvoniano dos Campos Gerais
Capítulo 03 - Paleontologia do DEvoniano dos Campos Gerais
 
Tempo geologico
Tempo geologicoTempo geologico
Tempo geologico
 
1. introdução aos estudos históricos
1. introdução aos estudos históricos1. introdução aos estudos históricos
1. introdução aos estudos históricos
 
Tempo geológico02 (10)
Tempo geológico02 (10)Tempo geológico02 (10)
Tempo geológico02 (10)
 
História da Terra
História da TerraHistória da Terra
História da Terra
 
Metas
MetasMetas
Metas
 
Teoria Da TectóNica De Placas
Teoria Da TectóNica De PlacasTeoria Da TectóNica De Placas
Teoria Da TectóNica De Placas
 
Periodo pré-Wegeneriano
Periodo pré-WegenerianoPeriodo pré-Wegeneriano
Periodo pré-Wegeneriano
 
4 otempoemgeologia-101011135642-phpapp02
4 otempoemgeologia-101011135642-phpapp024 otempoemgeologia-101011135642-phpapp02
4 otempoemgeologia-101011135642-phpapp02
 
Projeto dirigido final
Projeto dirigido   finalProjeto dirigido   final
Projeto dirigido final
 
O sistema das ciências e o lugar da Geografia - Hettner
O sistema  das ciências e o lugar da Geografia - HettnerO sistema  das ciências e o lugar da Geografia - Hettner
O sistema das ciências e o lugar da Geografia - Hettner
 
Tempo geologico
Tempo geologicoTempo geologico
Tempo geologico
 
Estruturadaterra
EstruturadaterraEstruturadaterra
Estruturadaterra
 

Mais de Isabel Henriques

Ficha trabalho sistema gastrointestinal
Ficha trabalho sistema gastrointestinalFicha trabalho sistema gastrointestinal
Ficha trabalho sistema gastrointestinalIsabel Henriques
 
Apresentação multimédia de transporte dos animais
Apresentação multimédia de transporte dos animaisApresentação multimédia de transporte dos animais
Apresentação multimédia de transporte dos animaisIsabel Henriques
 
PPT Transporte dos animais
PPT Transporte dos animaisPPT Transporte dos animais
PPT Transporte dos animaisIsabel Henriques
 
Anatofisiologia dos aparelhos reprodutores
Anatofisiologia dos aparelhos reprodutoresAnatofisiologia dos aparelhos reprodutores
Anatofisiologia dos aparelhos reprodutoresIsabel Henriques
 
Ppt ufcd 6558_atividade profissional do técnico auxiliar de saúde
Ppt ufcd 6558_atividade profissional do técnico auxiliar de saúdePpt ufcd 6558_atividade profissional do técnico auxiliar de saúde
Ppt ufcd 6558_atividade profissional do técnico auxiliar de saúdeIsabel Henriques
 

Mais de Isabel Henriques (7)

Ficha trabalho sistema gastrointestinal
Ficha trabalho sistema gastrointestinalFicha trabalho sistema gastrointestinal
Ficha trabalho sistema gastrointestinal
 
Ciclo celular
Ciclo celularCiclo celular
Ciclo celular
 
Apresentação multimédia de transporte dos animais
Apresentação multimédia de transporte dos animaisApresentação multimédia de transporte dos animais
Apresentação multimédia de transporte dos animais
 
PPT Transporte dos animais
PPT Transporte dos animaisPPT Transporte dos animais
PPT Transporte dos animais
 
Anatofisiologia dos aparelhos reprodutores
Anatofisiologia dos aparelhos reprodutoresAnatofisiologia dos aparelhos reprodutores
Anatofisiologia dos aparelhos reprodutores
 
Ppt ufcd 6558_atividade profissional do técnico auxiliar de saúde
Ppt ufcd 6558_atividade profissional do técnico auxiliar de saúdePpt ufcd 6558_atividade profissional do técnico auxiliar de saúde
Ppt ufcd 6558_atividade profissional do técnico auxiliar de saúde
 
Ppt Dia Não Fumador
Ppt Dia Não FumadorPpt Dia Não Fumador
Ppt Dia Não Fumador
 

Cronostratigrafia e a construção da tabela do tempo geológico

  • 2. Os cientistas começaram a formar, no século XIX, uma tabela do tempo geológico baseadas:  unidades cronostratigráficas da Europa e da América do Norte;  litostratigrafia;  conteúdo fóssil das diferentes rochas. Profª Isabel Henriques 2
  • 3.  Todasas datações efectuadas eram relativas e baseavam-se nos princípios estratigráficos já estudados. Nas primeiras versões da tabela cronostratigráfica, as divisões foram estabelecidas com base na existência de descontinuidades no registo geológico, resultantes de interrupções na sedimentação, evidenciando alterações profundas nos paleoambientes. Profª Isabel Henriques 3
  • 4.  Asprimeiras explicações previam que a formação de montanhas provocava uma interrupção da sedimentação, formando lacunas no registo estratigráfico. Profª Isabel Henriques 4
  • 5.  Com o desenvolvimento dos métodos de datação radiométrica e da magnetostratigrafia, no século XX, foi possível datar com maior precisão a formação de muitas das rochas e atribuir uma idade absoluta às divisões da tabela cronostratigráfica. Profª Isabel Henriques 5
  • 6.  Parase caracterizar um conjunto de rochas é necessário estudar a sua composição mineralógica e estrutura, e descrever detalhadamente o conteúdo fossilífero, caso este exista. Profª Isabel Henriques 6
  • 7.  Recorrendo à datação relativa e absoluta enquadram-se as rochas em estudo com as referências presentes na coluna estratigráfica. Profª Isabel Henriques 7
  • 8.  Diversoscientistas começaram a correlacionar amostras rochosas e fósseis presentes em diferentes estratos, tendo iniciado a elaboração de uma tabela cronostratigráfica global. Profª Isabel Henriques 8
  • 9.  Estatabela corresponde a uma escala de referência, aceite pela comunidade científica a nível mundial, e está em constante actualização. Profª Isabel Henriques 9
  • 10. A tabela cronostratigráfica permite condensar os principais acontecimentos da História da Terra, que assim ganham um maior significado, pois são colocados numa perspectiva de tempo geológico.  A tabela cronostratigráfica surgiu para simplificar a informação contida nas diferentes escalas numa tabela. Profª Isabel Henriques 10
  • 11.  As escalas foram construídas devido à necessidade que o Homem teve em determinar o tempo em que ocorreram certos acontecimentos, como a origem da Terra ou da vida ou até mesmo a quando da formação de uma determinada espécie. Profª Isabel Henriques 11
  • 12.  As tabelas crosnostratigráficas são compostas pela sobreposição de unidades cronostratigráficas - correspondem aos volumes de materiais rochosos estratificados, processos ou acontecimentos geológicos que ocorreram durante um determinado intervalo de tempo.  Inclui o Eonotema, o Eratema, o Sistema, a Série e o Andar. Profª Isabel Henriques 12
  • 13. A organização sistemática das rochas em diferentes unidades cronostratigráficas permitiu elaborar a tabela cronostratigráfica, com os correspondentes intervalos do tempo geológico (unidades geocronológicas). Profª Isabel Henriques 13
  • 14.  Unidades geocronológicas - Unidades do tempo geológico durante a qual as unidades cronostratigráficas se formaram.  Inclui o Éon, a Era, o Período, a Época e a Idade. Profª Isabel Henriques 14
  • 15. Cronostratigrafia Geocronológicas Eontema Eon Eratema Era Sistema Período. Série Época. Andar Idade Profª Isabel Henriques 15
  • 17. O Andar é considerado a unidade básica da cronostratigrafia e é a hierarquia mais baixa que pode ser reconhecida numa escala cronostratigráfica.  Esta divisão inclui todas as rochas formadas numa idade específica. Profª Isabel Henriques 17
  • 18. Correspondem aos volumes de materiais rochosos estratificados, processos ou acontecimentos geológicos que ocorreram durante um determinado intervalo de tempo. Unidades Cronoestratigráficas: A unidade Eontema - unidade cronoetratigráfica representativa cronostratigráfica com de um Eon. maior importante é o Eratema - unidade cronoetratigráfica representativa de uma Era. Andar. Sistema - unidade cronoetratigráfica representativa de um Período. Série - unidade cronoetratigráfica representativa de uma Época. Andar - unidade cronoetratigráfica representativa de uma Idade. Profª Isabel Henriques 18
  • 19.  Asunidades cronostratigráficas baseam-se nas escalas Biostratigráficas e magnetostratigráficas. Profª Isabel Henriques 19
  • 20. O paleomagnetismo foi um importante apoio para a teoria da tectónica de placas.  Devido ao seu estudo, surgiu a escala magnetostratigráfica importante para datar alguns acontecimentos que ocorreram no passado, como as inversões magnéticas. Profª Isabel Henriques 20
  • 21. Esta escala é usada Formando as unidades como complemento da cronostratigráficas. escala biostratigrafia. Unidades concretas e Completando a tabela objectivas que podem cronostratigráfica ser materializadas. Profª Isabel Henriques 21
  • 22. Características:  Abstractas e de âmbito global.  Exprimem tempo.  Caracterizam a totalidade do planeta, num intervalo de tempo definido. Profª Isabel Henriques 22
  • 23.  Estas unidades baseia-se principalmente na escala litostratigráfica, dos acontecimentos tectónicos e metamórficos que ocorreram no passado. Profª Isabel Henriques 23
  • 24. Escala Escala Biostratigráfica Escala Litostratigráfica magnetostratigráfica Profª Isabel Henriques 24
  • 26. Após a observação da tabela, podemos concluir que as unidades cronostratigráficas e as geocronológicas apresentam uma relação, ou seja, para cada unidade cronostratigráfica existe uma unidade geocronológica correspondente. Eonotema – Eon Eratema – Era Série – Época Andar - Idade Profª Isabel Henriques 26
  • 27.  Nesta tabela cronostratigráfica, encontra-se também representado as glaciações que ocorreram na terra. A tabela podia apresentar mais informação, como por exemplo, em que períodos ocorreram as inversões magnéticas. Profª Isabel Henriques 27
  • 28. Profª Isabel Henriques Geologia 12º Ano Profª Isabel Henriques 28