Crescimento econômico e apobreza/desigualdade brasileira:          1995-2009                                 Jorge Abrahão...
O Crescimento Econômico e a queda da  Pobreza/Desigualdade Brasileira...Objetivo  Refletir sobre os traços distintivos da ...
Principais fatos estilizados da economia brasileira
Crescimento econômico e pobreza/desigualdade        brasileira no período recenteHipótese principal  Mudança na forma de c...
Crescimento do PIB
PIB a preços de 2010
Evolução do PIB e componentes da demanda                                             Períodos         Variáveis           ...
Contribuição para o PIB
Determinantes do desempenho comercial                                      Índice de preços                               ...
Determinantes da demandaGasto do governo Decisão discricionária    Aumento dos gastos em termos reais e como   proporção d...
CréditoCrédito PIB             Crédito Pessoa Física e Jurídica
Salário mínimo em US$ PPC por dia                                                                                         ...
Gasto público na Política Social                                                                Em % do PIB           25  ...
POLÍTICAS SETORIAIS                          PROGRAMAS/AÇÕES                          BENEFICIOS/BENEFICIARIOS            ...
Previdência Social e pobreza.        2001 a 2008
Evolução de benefícios emitidos pelo BPC (1996 a 2007)3.000.0002.500.0002.000.000                                         ...
Rendimento médio real e Ocupação
Rendimento Real e emprego formal Rendimento Real    Crescimento emprego formal
Massa Salárial e taxa de desemprego
(%) Emprego total                               47                                    48                                  ...
Informações do mercado de trabalho             1992/1999 e 2001/2008Crescimento da PEA2008/2001 - 17,9 milhões ou 19,8%   ...
Previdência Social e pobreza.                                        2001 a 200845                                        ...
Índice de Gini e redução porcentual da desigualdade antes                 reduç   e depois do pagamento de aposentadorias ...
Pobreza extrema é hoje menos de um quinto daquela em 1990...          Porcentagem da população sobrevivendo com menos do q...
Evolução da pobreza por diversas linhas 50,0                                                    46,6                      ...
A redução da pobreza extrema foi observada em todas as   regiões, mas as desigualdades regionais persistem...Porcentagem d...
Efeito das Políticas de transferências sobre a pobreza                                                      1978          ...
Efeito das transferências da Política Social sobre a renda das familias                       1978,1988, 1988 e 2008      ...
Peso de algumas rendas na renda pessoal total                 1994-2008                                    6%             ...
Coeficiente de Gini da desigualdade nadistribuição da renda domiciliar per capita.
Crescimento médio anual da renda domiciliar per capita em US$ PPC por              dia segundo décimos de sua distribuição...
Situação Social: Brasil, Nordeste e Ceará                                   2009    Áreas de Atuação                      ...
Porcentagem da renda nacional detida por estratos                   de renda      20% m ais ricos      20-80% interm ediár...
Os determinantes do investimentoInvestimento PúblicoInvestimentos privados Disponibilidade de crédito Taxa de juros    TJL...
PIB e investimento
Determinantes do investimento privado
Alterações na produtividadePonto de partida Manutenção do crescimento da produtividade industrial Aumento da produtividade...
PIB per capita
Alterações na produtividade
Políticas de desenvolvimento produtivoIncentivos fiscais  Investimentos, Pesquisa e desenvolvimento e ExportaçõesMudanças ...
Desembolsos do BNDES e da FINEP                                   (preços constantes de 2009)160.000                      ...
Recursos direcionados para P&D, a preços                   constantes (IPCA) de 20091.600.000                             ...
Composição setorial da indústria, por       intensidade tecnológica180160140120100 80 60      jan/95               jan/96 ...
Investimento público e gastos globais em            infra-estrutura  Investimento Público   Gastos em Infra-estrutura
Algumas questões sobre o médio e o          longo prazoQuestões relevantes A economia brasileira se encontra sob um novo m...
Considerações finaisAlteração do Regime de Demanda    Principal risco:  1ª fase: demanda externa            Restrição exte...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Crescimento econômico e a pobreza/desigualdade brasileira: 1995-2009

1.294 visualizações

Publicada em

Palestra de Jorge Abrahão de Castro – Diretor Estudos e Políticas Sociais do IPEA. Tema: Crescimento econômico e a pobreza/desigualdade brasileira: 1995-2009
No Fórum BNB de Desenvolvimento

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.294
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
33
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Crescimento econômico e a pobreza/desigualdade brasileira: 1995-2009

  1. 1. Crescimento econômico e apobreza/desigualdade brasileira: 1995-2009 Jorge Abrahão de Castro Diretor da Diretoria de Estudos e Políticas Sociais do IPEA Brasília, 18 julho de 2011
  2. 2. O Crescimento Econômico e a queda da Pobreza/Desigualdade Brasileira...Objetivo Refletir sobre os traços distintivos da economia e pobreza/desigualdade brasileira no período recentePonto de partida Aumento da taxa média de crescimento da economia entre 2003 e 2009 vis a vis o período anterior Queda na pobreza/desigualdade entre 2003 e 2009Principais questões sobre o crescimento e pobreza/desigualdade Quais os principais determinantes? Qual a composição? Estamos em um novo “momento”? É sustentável?
  3. 3. Principais fatos estilizados da economia brasileira
  4. 4. Crescimento econômico e pobreza/desigualdade brasileira no período recenteHipótese principal Mudança na forma de crescimento 1995 a 2002: instabilidade e baixo dinamismo e estabilidade na pobreza e desigualdade 2003 a 2010: estabilidade e dinamismo moderados e queda da ppobreza/desiqualdade Mudança na demanda e produtividade Queda na pobreza e na desigualdadeA Demanda pós 2003: dois sub-períodos distintos 2003 a 2006 Papel central do setor externo 2007 e 2010 Importância do consumo das famílias e do investimento
  5. 5. Crescimento do PIB
  6. 6. PIB a preços de 2010
  7. 7. Evolução do PIB e componentes da demanda Períodos Variáveis 1995-1998 1999-2002 2003-2006 2007-2008 2009PIB a Preços de Mercado 2,5 2,1 3,5 5,6 -0,2Consumo das Famílias 3,6 1,7 3,2 6,7 4,1Consumo do Governo 1,0 2,2 2,5 3,3 3,7FBCF 5,1 -4,3 4,3 15,9 -10,0Exportações 3,2 9,0 10,0 2,7 -10,3Importações (-) 12,1 -4,2 9,4 18,9 -11,5
  8. 8. Contribuição para o PIB
  9. 9. Determinantes do desempenho comercial Índice de preços Índice de Quantum170 120 110150 100130 90 80110 7090 60 5070 4050 30 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 Básicos Manufaturados Semi-manufaturados Básicos Manufaturados Semi-manufaturados
  10. 10. Determinantes da demandaGasto do governo Decisão discricionária Aumento dos gastos em termos reais e como proporção do PIB Pessoal ( salário e ocupados)Consumo das Famílias Aumento do salário real e do número de ocupados Programa de transferência de renda Crédito à pessoa física
  11. 11. CréditoCrédito PIB Crédito Pessoa Física e Jurídica
  12. 12. Salário mínimo em US$ PPC por dia 8,4 7,8 7,3 6,3 5,6 5,4 4,8 5,0 4,24,0 3,9 3,9 3,5 3,5 3,61994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008
  13. 13. Gasto público na Política Social Em % do PIB 25 21,9 19,0 19,2 20 13,9 13,3% do PIB 15 10 5 0 1980 1985 1990 1995 2005 Fontes: Para 1980,1985 e 1990: Médici e Maciel (1996); Para 1995: Fernandes et alli (1998); 2005: elaboração própria
  14. 14. POLÍTICAS SETORIAIS PROGRAMAS/AÇÕES BENEFICIOS/BENEFICIARIOS Previdência Social Geral e Aposentadorias e Pensões 24 milhões de beneficiários Servidor público Agentes Comunitários de Saúde 61% da população coberta(1) Proteção social (115,4 milhões de pessoas) (seguridade social) Saúde Equipes de Saúde da Família 51% da população coberta(1) (96,1 milhões de pessoas) Equipes de Saúde Bucal 48% da população coberta(1) (91,3 milhões de pessoas) Consultas Médicas 2,5 consultas per capita/ano(2) 12,4 milhões de famílias Programa Bolsa-Família Bolsa- (3) (51 milhões de pessoas) Assistência Social Beneficiários de Prestação 1,6 milhão de pessoas com Continuada deficiência; POLÍTICA 1,5 milhão de idosos SOCIAL Trabalho Seguro desemprego Seguro desemprego 7,2 milhões de beneficiários Proger 2 milhões de Operações de Trabalho e Renda crédito realizada (2007) Valorização do Salario Minimo Educação Infantil 4,2 milhões de alunos Promoção social (Oportunidades e Educação Básica 37,6 milhões de alunos Resultados) Educação (Ensino Fundamental e Médio) Graduação 1,2 milhão de alunos Distribuição de livros didáticos 117,5 milhões de livros(4) Desenvolvimento Programa Nacional de 1,7 milhão de contratos de Agrário Fortalecimento da Agricultura financiamento Familiar (Pronaf)(1) Departamento de Atenção Básica, Ministério da Saúde. Ano: 2009(2) RIPSA. IDB (2008)(3) MDS. Ano: 2009(4) Em 2009, de acordo com o MEC, foram adquiridos 103,5 milhões de livros para o Ensino Fundamental, 11,2 milhões para o Ensino Médio e 2,8 milhões para alfabetização de jovens e adultos
  15. 15. Previdência Social e pobreza. 2001 a 2008
  16. 16. Evolução de benefícios emitidos pelo BPC (1996 a 2007)3.000.0002.500.0002.000.000 PC D1.500.000 Idoso Total1.000.000 500.000 0 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007
  17. 17. Rendimento médio real e Ocupação
  18. 18. Rendimento Real e emprego formal Rendimento Real Crescimento emprego formal
  19. 19. Massa Salárial e taxa de desemprego
  20. 20. (%) Emprego total 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 1995 1996 1997 1998 1999 2001 2002Grau de Informalidade 2003 Mercado de trabalho 2004 2005 2006 2007
  21. 21. Informações do mercado de trabalho 1992/1999 e 2001/2008Crescimento da PEA2008/2001 - 17,9 milhões ou 19,8% 75,0% 78,0%1999/1992 - 11,9 milhões ou 23,6% 55,8% 48,3% 26,6% 25,4% 21,8% 18,7% 13,0% 13,3% 7,3% 8,8% 5,2% -3,1% Empregado com Func Públ. (incl. Contr. Desempregados Informais NÃO- CONTRIBUINTES carteira Militares) Individual CONTRIBUINTES 1999/1992 2008/2001
  22. 22. Previdência Social e pobreza. 2001 a 200845 22.000.000 40,6 40,640 39,2 20.948.836 37,7 20.597.703 21.000.000 35,6 35,8 20.053.14835 20.000.000 19.193.468 29,3 29,230 28,2 28,1 18.831.870 26,8 18.807.839 27,1 19.000.000 25,2 com beneficio 24,725 sem beneficio população 18.000.00020 18,1 17,2 16.967.463 17.000.00015 16.069.726 16.000.00010 5 15.000.000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008
  23. 23. Índice de Gini e redução porcentual da desigualdade antes reduç e depois do pagamento de aposentadorias e pensões. 2001 a 20080,65 0,1 0,63 0,62 0,62 0,61 0,61 5,7% 0,60 5,9% 0,60 0,6 6,5% 0,59 0,59 6,1% 6,5% 0,59 6,8% 0,58 7,3% 7,1% 0,57 0,570,55 0,56 0,55 0,55 Gini antes previdência Gini após previdência 0,5 0,05 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008
  24. 24. Pobreza extrema é hoje menos de um quinto daquela em 1990... Porcentagem da população sobrevivendo com menos do que 1/4 Salários minimos per capita 28,7 28,9 22,4 22,9 22,9 21,9 22,5 22,6 23,0 21,4 20,1 17,3 14,6 14,3 12,2 10,9 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009Fontes: Renda: IBGE, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, PNAD. Fatores PPC: Nações Unidas, Divisão de Estatísticas (Banco Mundial, ICP 2005). Inflação média anual do Brasil e dos EUA: Fundo Monetário Internacional, World Economic Outlook, 2009.
  25. 25. Evolução da pobreza por diversas linhas 50,0 46,6 PBF 100 = 131 45,6 45,5 45,3 44,9 45,8 45,4 44,5 44,1 1/2 SM = 232 40,6 PBF 50 = 66 40,0 36,2 35,1 32,0 29,2 30,0 27,3 27,1 27,3 26,1 26,1 25,3 25,9 25,0 23,6 21,2 17,4 20,0 16,3 14,6 13,7 10,0 10,7 11,5 11,4 10,0 10,2 10,3 9,9 9,1 8,1 7,1 5,9 5,7 4,8 4,9 0,0 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009
  26. 26. A redução da pobreza extrema foi observada em todas as regiões, mas as desigualdades regionais persistem...Porcentagem da população sobrevivendo com menos do que 1/4 Salários minimos percapita por região Nordeste 53,7 51,9 Sul 45,1 45,3 Norte 43,3 42,7 43,1 42,7 43,8 41,3 Sudeste 39,6 34,9 Centro-Oeste 30,4 29,0 25,4 22,7 16,9 17,5 11,8 11,9 11,5 11,4 11,9 12,9 11,9 13,2 11,3 9,1 7,2 7,4 6,1 5,4 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009
  27. 27. Efeito das Políticas de transferências sobre a pobreza 1978 2008 1978 2008 0,6 0,6 0,5 0,5proporção de pobres proporção de pobres 0,4 0,4 0,3 0,3 0,2 0,2 0,1 0,1 0,0 0 16 32 48 64 80 0,0 idade 0 16 32 48 64 80 idade Sem transferências Com transferências Sem transferências Com transferências
  28. 28. Efeito das transferências da Política Social sobre a renda das familias 1978,1988, 1988 e 2008 100 86,7 86,0 79,3 76,5 80 60 (%) 40 19,3 15,6 20 8,1 9,5 5,2 4,4 5,2 4,1 0 1978 1988 1998 2008 Ocupação Transferências monetárias Outras
  29. 29. Peso de algumas rendas na renda pessoal total 1994-2008 6% Trab SM Previ SM 5% LOAS PBF JurosPeso de Cada Renda na Renda Total 4% 3% 2% 1% 0%Ano 1994 1996 1998 2000 2002 2004 2006 2008 2010
  30. 30. Coeficiente de Gini da desigualdade nadistribuição da renda domiciliar per capita.
  31. 31. Crescimento médio anual da renda domiciliar per capita em US$ PPC por dia segundo décimos de sua distribuição 1993-1998 1998-2003 13,5 2003-2008 12,3 12,1 11,3 10,9 10,3 9,7 8,8 7,9 6,9 5,1 4,2 4,4 4,4 3,8 3,7 3,7 3,8 3,6 3,5 3,2 3,4 2,9 2,8 2,8 2,5 1,9 1,7 1,3 0,7 0-10% 10-20% 20-30% 30-40% 40-50% 50-60% 60-70% 70-80% 80-90% 90-100%
  32. 32. Situação Social: Brasil, Nordeste e Ceará 2009 Áreas de Atuação Indicadores Brasil Nordeste Ceará Política (a) (b) (c) (c/a) (c/b)Previdência Social Cobertura da Pop. Idosa (60 ou mais) 77,3 80,4 81,9 6 2 Esperança de Vida aos 60 anos¹ 21,3 20,3 19,9 (6) -2Assistência Social Extrema Pobreza (linha de R$ 70,00) 5,2 11,2 11,0 113 -1 Renda Domiciliar Per Capita 635 397 384 (39) -3Saúde Taxa de Mortalidade Infantil (por mil Nascidos Vivos)² 20,0 28,7 24,4 22 -15 Taxa de Homicídio Masculina (15 a 29 anos)³ 47,7 56,4 44,4 (7) -21Seguridade Percentual da Renda com Transferências 23,6 29,5 29,0 23 -2Trabalho e Renda Desemprego 8,2 8,9 6,8 (16) -23 Redimento Médio do Trabalho (salário) 1.008 620 570 (43) -8Educação Taxa de Analfabetismo (15 anos ou mais) 9,7 18,7 18,6 91 -1 Número Médio de Anos de Estudos (15 anos ou mais) 7,5 6,3 6,5 (14) 3Saneamento e Abastecimento Adequado de Água 81,8 74,6 78,5 (4) 5Habitação Esgotamento Sanitário Adequado 70,5 58,0 48,5 (31) -16Cultura Internet no Domicílio 28,1 14,3 12,5 (55) -12Rural Cobertura da pop. Idosa (rural) 86,4 89,0 93,7 8 5 Extrema Pobreza (linha de R$ 70,00) (rural) 12,7 20,7 21,3 68 3 Renda Domiciliar Per Capita (rural) 314 208 197 (37) -5 Redimento Médio do Trabalho (salário) (rural) 414 242 196 (53) -19 Taxa de Analfabetismo (15 anos ou mais) (rural) 22,8 32,6 32,0 41 -2 Internet no Domicílio (rural) 4,2 1,3 1,0 (76) -18Nota: ¹ Os valores da Esperança de Vida aos 60 anos apresentados representam os anos de 2001 e 2008. Ainda não foram calculados os valores para o ano de 2009 ² Os valores da Taxa de Mortalidade Infantil (por mil Nascidos Vivos) apresentados representam os anos de 2001 e 2007. Ainda não foram calculados os valores para o ano de 2009 ³ Os valores da Taxa de Homicídio Masculina (15 a 29 anos)apresentados representam os anos de 2001 e 2007. Ainda não foram calculados os valores para o ano de 2009
  33. 33. Porcentagem da renda nacional detida por estratos de renda 20% m ais ricos 20-80% interm ediários 20% m ais pobres 65 64 62 63 63 64 63 62 61 61 61 60 59 64 64 64 64 64 64 36 35 36 36 37 38 38 33 34 33 34 34 34 34 34 34 34 34 35 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008
  34. 34. Os determinantes do investimentoInvestimento PúblicoInvestimentos privados Disponibilidade de crédito Taxa de juros TJLP (Custo do Crédito) SELIC (Custo de oportunidade) Taxa de lucro Grau de utilização da capacidade Efeito acelerador Margem de lucro
  35. 35. PIB e investimento
  36. 36. Determinantes do investimento privado
  37. 37. Alterações na produtividadePonto de partida Manutenção do crescimento da produtividade industrial Aumento da produtividade total da economia Redução da defasagem tecnológicaHipóteses centrais Efeito defasado do processo de abertura econômica Importância das “Políticas de Desenvolvimento Produtivo” Retomada do investimento público e em infra-estrutura Aumento da taxa de crescimento econômico
  38. 38. PIB per capita
  39. 39. Alterações na produtividade
  40. 40. Políticas de desenvolvimento produtivoIncentivos fiscais Investimentos, Pesquisa e desenvolvimento e ExportaçõesMudanças no marco regulatório Patrimônio de afetação e outrosCrédito direcionado à inovação, investimento e exportações BNDES, FINEP e MC&TInvestimentos em infra-estruturaMudança estrutural: Composição setorial da indústria
  41. 41. Desembolsos do BNDES e da FINEP (preços constantes de 2009)160.000 900 R$ Milhões R$ Milhões140.000 800120.000 700100.000 600 500 80.000 400 60.000 300 40.000 200 20.000 100 0 0 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 BNDES FINEP
  42. 42. Recursos direcionados para P&D, a preços constantes (IPCA) de 20091.600.000 6.0001.400.000 5.0001.200.0001.000.000 4.000 800.000 3.000 600.000 2.000 400.000 200.000 1.000 0 0 2006 2007 2008 2009 2003 2004 2005 2006 2007 2008 BNDES MC&T
  43. 43. Composição setorial da indústria, por intensidade tecnológica180160140120100 80 60 jan/95 jan/96 jan/97 jan/98 jan/99 jan/00 jan/01 jan/02 jan/03 jan/04 jan/05 jan/06 jan/07 jan/08 jan/09 jan/10 Alta Média-Alta Média-Baixa Baixa
  44. 44. Investimento público e gastos globais em infra-estrutura Investimento Público Gastos em Infra-estrutura
  45. 45. Algumas questões sobre o médio e o longo prazoQuestões relevantes A economia brasileira se encontra sob um novo momento – crescimento/distribuição/queda da pobreza ? Quais os impactos das políticas econômicas em curso sobre o crescimento de médio e longo prazo? Superamos a restrição externa?
  46. 46. Considerações finaisAlteração do Regime de Demanda Principal risco: 1ª fase: demanda externa Restrição externa 2ª fase: demanda doméstica Principais medidas de política Consumo das famílias e econômica investimento Novo arranjo monetário-Alteração do Regime de cambialProdutividade Juros baixo e câmbio Efeitos da abertura mais desvalorizado Políticas de desenvolvimento Aumento dos gastos públicos produtivo em infra-estrutura Aumento dos gastos públicos e Incentivo fiscal aos setores infra-estrutura intensivos em tecnológica

×